Your SlideShare is downloading. ×
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Tec Conjuntivo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Tec Conjuntivo

15,288

Published on

Published in: Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
15,288
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
273
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. TECIDO CONJUNTIVO
  • 2. Origem MESODERMA MESÊNQUIMA (Céls. Mesenquimais) TECIDO CONJUNTIVO
  • 3.
    • Células dispersas e imersas em gel altamente hidratado
    • Abundante substância intercelular (material extracelular)
    • Altamente vascularizado
    • Variedade celular
    • Presença de fibras
    CARACTERÍSTICAS
  • 4.
    • Diversos tipos celulares
    • Abundante material extracelular
        • Fibras do conjuntivo
    • Colágenas, reticulares e elásticas
        • Substância fundamental
    • Gel viscoso (proteoglicanas e glicoproteinas)
    COMPONENTES
  • 5.
    • - Preenchimento e suporte para outros tecidos
    • e orgãos (Estroma X Parênquima)
    • - Transporte de nutrientes, metabólitos e
    • produtos de excreção entre os tecidos e o
    • sistema circulatório
    • Sustentação
    • Armazenamento de gordura e íons
    • Defesa (inflamação)
    • - Processo de reparo (cicatrizes)
    FUNÇÕES
  • 6.  
  • 7. Origem das Células Conjuntivas
  • 8.  
  • 9.  
  • 10. Fibroblastos Sintetiza os componentes fibrilares (colágeno e elastina) e não-fibrilares da matriz extracelular do tecido conjuntivo
  • 11. Fibroblastos
  • 12. Tecido Conjuntivo Embrionário CLASSIFICAÇÃO GERAL DO TECIDO CONJUNTIVO Tecido Conjuntivo Adulto
  • 13. Células Mesenquimais Indiferenciadas
  • 14. Mastócitos
  • 15. Mastócitos
  • 16. Macrófagos
  • 17. Macrófagos
  • 18. Plasmócito
  • 19. Plasmócito
  • 20. CLASSIFICAÇÃO GERAL Tecido Conjuntivo Frouxo
  • 21. CLASSIFICAÇÃO GERAL Tecido Conjuntivo Denso Não Modelado
  • 22. CLASSIFICAÇÃO GERAL Tecido Conjuntivo Denso Modelado
  • 23. Tecido Conjuntivo Mucoide (Geléia de Wharton – Cordão Umbilical) CLASSIFICAÇÃO GERAL
  • 24. Tecido Reticular CLASSIFICAÇÃO GERAL
  • 25. Tecido Elástico CLASSIFICAÇÃO GERAL
  • 26. Matriz Extracelular
  • 27. Matriz Extracelular
    • Componentes
    • GAG’s e proteoglicanos
    • proteínas fibrilares (colágenos, fibronectina, elastina e laminina)
    • Funções
    • estrutural
    • adesiva
    • co-receptor
    • reservatório e proteção
    Adesão Migração Forma Sobrevivência Atividade e Diferenciação
  • 28. Sistema Colágeno
    • Corresponde a 30% das proteínas do organismo
    • Fornece resistência às trações
    • Produzido por diversos tipos celulares
    • Unidade proteica: Tropocolágeno (3 cadeias alfa)
    • Existem cerca de 19 tipos de colágeno
    • -Colágenos que formam fibrilas: I, II, III
    • -Colágenos associados a fibrilas: IX e XII
    • - Colágeno que forma rede: IV (lâminas basais)
    • - Colágeno de ancoragem: VII (fibrilas de ancoragem)
  • 29. Colágeno
    • São brancas no estado fresco
    • Fibrilas Fibras Feixes
    • Presença de estriação transversal ao ME
    • Acidofilia Fibrila colágena
    • HE
  • 30. Colágeno
  • 31. Colágeno Duas cadeias peptídicas tipo α 1 e uma tipo α 2
  • 32.  
  • 33. Síndrome de Ehlers-Danlos: mutação nos genes codificantes das cadeia alfa 1 e 2 do COL I envolvendo a região N-terminal, interferindo na conversão do procolágeno para colágeno. Defeito na formação das ligações cruzadas com conseqüente redução da força tênsil dos tendões e pele. Doenças Genéticas do Colágeno
  • 34. Doenças Genéticas do Colágeno Síndrome de Ehler-Danlos Mutação na enzima LISIL-HIDROXILASE – modificação pós-translacional da lisina em hidroxilisina necessária para a formação das ligações cruzadas entre fibrilas xxxxxxxxxx
  • 35. Fibras Reticulares
    • Colágeno III associado à glicoproteinas e proteoglicanas
    • Apresentam estriação transversal em ME
    • Fibras argirófilas
    • Fibrilas delgadas que se dispõem em rede
    • Órgãos linfóides, órgãos epiteliais e células musculares
  • 36. Fibra Elástica
    • Fibras delgadas que cedem às trações, mas retornam a sua forma inicial
    • Demonstradas por métodos seletivos (Ex.: orceína)
    • Elastina + Fibrilina (Material amorfo + Microfibrilas)
  • 37. Fibra Elástica
    • A elastina é produzida principalmente pelos fibroblastos e células musculares lisas dos vasos sanguíneos
    • As fibras elásticas são encontradas na pele, pulmão, bexiga
    • As membranas elásticas fenestradas são encontradas nos vasos sanguíneos
  • 38.  
  • 39. Doença Genética: Síndrome de Marfan
  • 40. SUBSTÂNCIA FUNDAMENTAL
    • Gel transparente e muito hidratado
    • Funções
    • • Preencher os espaços e promover a união entre as células e as fibras
    • • Facilitar a passagem de moléculas, células e íons
    • • Barreira à penetração de microrganismos
    • CONSTITUINTES
    • Glicosaminoglicanas
    • Proteoglicanas
    • Glicoproteínas adesivas
  • 41. - GAGs:polímeros lineares de dissacarídeos (ácido hexurônico + hexosamina), distribuídos de forma alternada na cadeia, apresentando resíduos de sulfato (Condroitim, Dermatam, Queratam e Heparam sulfato e Heparina) GLICOSAMINOGLICANOS (GAGs) As GAGs atraem grande quantidade de água • Fornece resistência à compressão • Facilita a difusão de nutrientes e gases
  • 42. PROTEOGLICANOS são formados por moléculas de GAGs associadas a um core protéico PROTEOGLICANOS Fixam diversas moléculas sinalizadoras
  • 43. AGREGADOS DE PROTEOGLICANOS se associam, através de uma proteína de ligação, ao ácido hialurônico (único GAG não sulfatado) Gli GLICOSAMINOGLICANOS (GAGs) E PROTEOGLICANOS
  • 44.
    • Polianions (alta densidade de carga)
    • Resistentes à compressão (alta pressão osmótica)
    • Restringem o fluxo de água (água se liga as moléculas de gags)
    • Limitam a difusão de solutos
    • Microorganismos, parasitas podem interagir com moléculas de gags
    FUNÇÕES DE PROTEOGLICANOS:
  • 45. - PODEM ESTIMULAR OU INIBIR A MOTILIDADE E A ADESÃO CELULAR -  REGULAM A ASSOCIAÇÃO DE FIBRILAS COLÁGENAS (DECORINA E FIBROMODULINA)   - PODEM MODULAR A ORGANIZAÇÃO DAS FIBRAS E DAS CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO   - PROTEOGLICANOS DE MEMBRANA (SINDECAN) LIGAM AS CÉLULAS À FIBRONECTINA E AO COLÁGENO   - PARTICIPAM DO ARMAZENAMENTO E DA LIBERAÇÃO DE FATORES DE CRESCIMENTO NA MATRIZ EXTRACELULAR   - TÊM PROPRIEDADE ANTI-COAGULANTE (HEPARINA, HEPARAN SULFATO) FUNÇÕES DE PROTEOGLICANOS :
  • 46. GLICOPROTEÍNAS ADESIVAS
    • Porção protéica associada a glicídios
    • Aderem a receptores celulares, fibras e
    • glicosaminoglicanas promovendo a ligação entre esses elementos
    • - Laminina
    • - Fibronectina
  • 47. MEMBRANA BASAL
  • 48. MEMBRANA BASAL
  • 49. GLICOPROTEÍNAS DE ADESÃO SUPERFÍCIE CELULAR PROTEOGLICANO COLÁGENO GLICOPROTEÍNA SEQUÊNCIA RGD: - ARGININA - GLICINA - ÁCIDO ASPÁRTICO Fibronectina Laminina Entactina Tenascina Trombospondina Osteopontina Osteonectina
  • 50.
    • METALOPROTEASES (MMPS):
    • COLAGENASES 1, 2 e 3
    • ESTROMELISINAS 1, 2 e metaloelastase
    • GELATINASES A e B
    • METALOPROTEINASES DE MEMBRANA (MT-MMP)
    DEGRADAÇÃO DA MATRIZ EXTRACELULAR
  • 51. CLASSIFICAÇÃO GERAL Tecido Conjuntivo Frouxo
  • 52. CLASSIFICAÇÃO GERAL Tecido Conjuntivo Denso Não Modelado
  • 53. CLASSIFICAÇÃO GERAL Tecido Conjuntivo Denso Modelado
  • 54. Tecido Conjuntivo Mucoide (Geléia de Wharton – Cordão Umbilical) CLASSIFICAÇÃO GERAL
  • 55. Tecido Reticular CLASSIFICAÇÃO GERAL
  • 56. Tecido Elástico CLASSIFICAÇÃO GERAL
  • 57. TECIDO ADIPOSO
    • Tipo de tecido conjuntivo constituído por adipócitos
    • É o maior depósito de corporal de energia sob a forma de triglicerídeos (fornecem 9,3 kcal/g – glicogenio – 4,1 kcal/g)
    • Triglicerídeos não são depósitos estáveis pois se renovam continuamente e influenciado por estímulos nervosos e hormonais
  • 58. Tecido Adiposo
  • 59. TECIDO ADIPOSO
    • Duas variedades de tecido adiposo:
      • Tecido adiposo amarelo (unilocular)
      • Tecido adiposo pardo, multilocular
  • 60. Tecido Adiposo Unilocular
  • 61. Tecido Adiposo Multilocular
  • 62. TECIDO ADIPOSO
  • 63.  
  • 64. TECIDO ADIPOSO
    • Tecido adiposo amarelo ou unilocular
      • Cor devida a presença de carotenos dissolvidos nas gotículas de gordura
      • Praticamente todo o tec, adiposo em adultos é do tipo unilocular
      • Acúmulo do tc. Adiposo unilocular em certas regiões é influenciado pelo sexo e idade
  • 65. TECIDO ADIPOSO
    • Tecido adiposo amarelo ou unilocular
      • Forma o panículo adiposo (camada sob a pele), de espessura uniforme
      • Deposição seletiva com a idade é regulada por hormonios esteroides (adrenal)
      • Células adiposas grandes 50 – 150 micrometros
      • Demonstração dos lipídeos por corantes específicos em cortes congelados
  • 66.  
  • 67.  
  • 68.  
  • 69. TECIDO ADIPOSO
    • TECIDO ADIPOSO MULTILOCULAR (PARDO)
      • Tem papel de dissipação de energia na forma de calor (termogenese) ao invés de armazenamento de energia
      • Necessidade de biogênese de mitocondria
      • Necessidade da proteína UCP-1 ( uncoupling protein 1) –dissipa o gradiente de proton criado ao longo da membrana interna da mitocondria quando os eletrons passam ao longo da cadeia respiratória
  • 70.  
  • 71.  

×