Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre (INPE)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre (INPE)

on

  • 14,921 views

aula aberta, sobre Mudanças Climãticas ministrda na Academia Amazônica 2007 em Rio Branco- Acre

aula aberta, sobre Mudanças Climãticas ministrda na Academia Amazônica 2007 em Rio Branco- Acre

Statistics

Views

Total Views
14,921
Views on SlideShare
14,871
Embed Views
50

Actions

Likes
3
Downloads
378
Comments
0

1 Embed 50

http://www.slideshare.net 50

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre (INPE) Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre (INPE) Presentation Transcript

  • Foto: David McGrath MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS E CONSEQÜÊNCIAS PARA O BRASIL Carlos A Nobre, INPE Rio Branco, Acre, 28 de Novembro de 2007 Academia Amazônica
  • Grandes Desafios do Século XXI para a Humanidade MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS ÁGUA FOME ENERGIA DOENÇAS EXTINÇÃO DE ESPÉCIES INSEGURANÇA GUERRAS DEMOCRACIA EDUCAÇÃO POBREZA ÉTICA E JUSTIÇA
  • O caminho pouco trilhado para a harmonia com a Natureza
    • “ O caminho que nós temos longamento trilhado é ilusoriamente fácil, uma macia super-rodovia, na qual progredimos com grande velocidade, mas no seu final encontraremos o desastre. O outro caminho desta encruzilhada –aquele pouco trilhado– nos oferece nossa última , nossa única chance de chegar ao um destino que assegure a preservação da Terra.”
    • Rachel Carson (1907-1964),
    • Biológa e Escritora Norte-Americana
  • O caminho ilusoriamente fácil
    • “ Cada nação deve decidir por si própria a combinação apropriada de ferramentas e tecnologias”
    • “ Nós [EUA] devemos liderar o mundo na produção de menos emissões de gases de efeito estufa e nos devemos fazê-lo de tal maneira que não enfraqueça o crescimento econômico ou impeça nações de oferecerem grande prosperidade a seus povos.”
    • George W. Bush
    • 28 de Setembro de 2007
  • Conteúdo...
    • Mudanças Ambientais Globais são reais, inequívocas e estão se acelerando
    • Mudanças Ambientais Globais impactam regiões, mas estão todas interconectadas
    • Os efeitos das Mudanças Ambientais Globais são desiguais e injustos
    • O Brasil necessita se preparar para as Mudanças Ambientais Globais: conseqüências na Amazônia
    • O desafio das Mudanças Ambientais Globais é científico, político e filosófico
  • 1 Mudanças Ambientais Globais são reais, inequívocas e estão se acelerando O Planeta vivo se encontra em um estado sem análogos no passado
  • O Planeta Terra é único no Sistema Solar! Efeito Estufa “Runaway” :: Não há ciclo hidrológico para remover o CO 2 da atmosfera A Terra é única no Sistema Solar com sua capacidade de sustentar diversidade de vida Perda de Carbono :: Não há movimento na litosfera para liberar CO2 em Marte Terra “ O Abrigo da Vida” 450 C 14 C -53 C Temperatura à superfície
  • Efeito Estufa Natural: + 33 C!
  • O Aquecimento é inequívoco! 1896: Arrhenius liga causa a efeito! Aumento das temperaturas atmosféricas Aumento do nível do mar Reduções da neve no HN e os oceanos… e a alta atmosfera ….
  • Concentrações de CO2 desde o IGY (1957-58) IPCC é formado C onvenção Climática Kyoto
  • Observações: Todas as concentrações atmosféricas dos GEE vêm aumentando, tornando o aquecimento futuro inequívoco CO 2 aumentou de 280 ppm em 1750 para 379 ppm em 2005 CH 4 aumentou de 715 ppb em 1750 para 1774 ppb em 2005 10 mil anos 10 mil anos N 2 0 aumentou de 270 ppb em 1750 para 319 ppb em 2005 IPCC 2007 WGI 35% desde 1750 148% desde 1750 18% desde 1750
  • O que nos aguarda no futuro e o que já foi comprometido
    • O Aquecimento vai aumentar se of GEEs aumentarem. Se os GEEs fossem mantidos constantes nos níveis atuais, um comprometimento de 0,6°C de aquecimento adicional aconteria até 2100.
    1.8 o C = 3.2 o F 2.8 o C = 5.0 o F 3.4 o C = 6.1 o F CO 2 Eq 850 600 400 0.6 o C = 1.0 o F IPCC 2007 WGI
  • Aquecimento Global Futuro IPCC 2007 WGI
  • Mudanças na Precipitação para 2090-2099 (% relativa a 1980-1999) para Cenário A1B Aumento das chuvas na Bacia do Prata no verão Diminuição das chuvas no Brasil no inverno Fonte: IPCC 2007 WGI
  • 2 Mudanças Ambientais Globais impactam regiões, mas estão todas interconectadas A busca de relações entre os HOTSPOTS
  • Limites Climáticos “Perigosos”
    • 0,6 C Branqueamento de corais
    • 0,6 C Perda de gelo da Antártica Ocidental
    • 0,7 C Desaparecimento da geleira do Kilimanjaro
    • 1,0 C Desaparecimento das geleiras dos Andes tropicais
    • 1,6 C Início do derretimento da geleira da Groelândia
    • 2-3 C Colapso da floresta Amazônica
    • 4 C Colapso da corrente termohalina
      • Source: Exeter Conference, 2005
  • Fonte: Roger Braithwaite, University of Manchester (UK) Degelo superficial na Groelândia acontecendo muito mais rápido do que o esperado O recorde de degelo de verão da era de cobertura por satélites de 2002 foi excedido em 2005 Fonte: Waleed Abdalati, Goddard Space Flight Center Redução da espessura em 70 m em 5 anos
  • Poder de destruição dos furacões vem crescendo nos últimos 30 anos (Emanuel, 2005) Crescente poder dos furacões está correlacionado com o aquecimento dos oceanos !
  • Estamos assistindo a mais extremos hidrológicos? “ A Seca da Amazônia em 2005 considerada uma das mais severas em 100 anos”
  • Fenômenos atípicos: Quando acontecerá um novo furacão no Brasil? Furacão Catarina (março/2004) Imagem NASA
  • El Niños mais intensos? foto: Juca Martins fonte: NOAA
  • 3 Os efeitos das Mudanças Ambientais Globais são desiguais e injustos Mudanças Ambientais Globais não podem ser separadas de questões de desenvolvimento
  • O papel dos países em desenvolvimento
    • 2006: Aumento de 2,6% na emissao global de CO2 de origem fóssil
    • Principalmente devido a um aumento de 4,5% no consumo de carvão
    • China contribuiu com mais de 2/3 deste aumento 2007: As emissões da China de CO2 irão superar as dos EUA em 8%
    Estes países são agora parte do problema e devem ser parte da solução Emissões Totais de CO2 de Origem Fóssil EUA China
  • O papel dos países em desenvolvimento Mas países em desenvolvimento: pequena contribuição às mudanças climáticas, em bases per capita Emissões per capita EUA China Lembremos da UNFCCC de 1992: Responsabilidade comuns, mas diferenciadas
  • CO 2 de Origem Fóssil& Intensidade do Uso de Carbono Raupach et al. (2007) Emissões estão seguindo o cenário de mais altas emissões
  • CDIAC, 2006
    • Média global de emissões de CO 2 per capita
    • 1980  0,93 t C
    • 1990  0,96 t C
    • 1999  1,04 t C
    • 2005  1,21 t C
    • Para estabilização em 550 ppm em 2050, deve-se reduzir as emissões de CO 2 em aproximadamente 60% a 70% em relação ao presente
    • Para uma população estimada de 9 bilhões de pessoas em 2050, isto significa emissão per capita de 0,28 t C a 0,35 t C
    • Requer: RADICAL DESCARBONIZAÇÃO DOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO
    Emissões Per Capita de Dióxido de Carbono de Origem Fóssil O tamanho do desafio GLOBAL de mitigar as emissões
    • As dimensões éticas das Mudanças Ambientais Globais
    • Há uma questão de ética e justiça: as pessoas que vão sofrer as conseqüências mais graves das Mudanças Ambientais Globais são aquelas que menos contribuiram ao problema
  • A maioria dos “refugiados ambientais” estará na África Fisher, G et al (2002) Climate Change and Agricultural Vulnerability IIASA A vida da maioria depende dos serviços dos ecossistemas e da agricultura de sequeiro
  • Blaustein, A. R. and A. Dobson – Nature, vol.439, pp. 143-144, January, 2006 A extinção de sapos das montanhas da América Central! Pounds, J. A. et al. Nature. Vol. 439, pp.161-167. 2006 Chytridthermal- optimum hypothesis for Batrachochytrium Declínio catastrófico de grandes primatas da África equatorial ocidental! Walsh et al, 2003 Mudanças Ambientais Globais são desiguais e injustas não somente para humanos
  • Extinção de espécies é inevitável Slide courtesy: Martin Parry , based on IPCC WGII 2007
  • 4 O Brasil deve se preocupar com o desafio das Mudanças Climáticas Globais A Amazônia responde pela maior parte das emissões brasileiras: como converter a ciência das Mudanças Climáticas Globais em políticas públicas para adapta çã o e mitiga çã o?
  • “ Num mundo desigual, as mudanças climáticas irão aumentar ainda mais as desigualdades ” M. Parry, co-presidente do IPCC WGII O Brasil é país em desenvolvimento, (ainda) com altos índices de pobreza e desigualdade social, portanto, é potencialmente vulnerável às mudanças climáticas
  • Mudanças nos sistemas físicos e biológicos e temperatura da superfície 1970-2004 Nenhum local do Brasil na avaliação de impactos do IPCC 2007! Nos faltam estudos sobre os impactos das mudanças climáticas e um mapa de vulnerabilidade em escala nacional .
  • Variação da área potencial de menor risco climático para cultivo de milho, arroz, feijão, arroz, soja e café arábica no Brasil. O maior impacto relativo ao aumento de temperatura poderá ser para a soja, com redução de até 60% na área potencial de plantio. Fonte: Comunicação Pessoal de Eduardo Assad, Embrapa
  • Sudeste da América do Sul: Aumento na intensidade e freqüência de dias com chuva intensa (1951-2000) Índice R10 - Número de dias com chuva acima de 10 mm/dia Vazio de dados na Amazônia, Nordeste e partes do Centro-Oeste. ?
  • Os ecossistemas Amazônicos estão sujeitos a diversos estrésses ambientais, todos interagindo entre si Usos da Terra Fogo Mudança Climática Extremos Climáticos
  • Futuro dos Biomas Amazônicos: “Savanização”? fontes: Oyama and Nobre, 2003 e Salazar, Oyama and Nobre, 2007 “ Savanização” da Amazônia: um estado de equilíbrio na relação bioma-clima? floresta savana caatinga campos deserto 2000 2100
  • EXTREMOS CLIMÁTICOS Impactos Climáticos Podem secas levar à “savanização da Amazônia?
  • Anomalia de Precipitação no SW da Amazônia Dez-Jan-Fev-Mar de 1951/52 a 2004/05 Marengo et al., 2007 A seca de 2005 no SW e W da Amazônia foi muito Intensa meteorológica e hidrologicamente. Ela afetou o funcionamento ecológico da floresta?
  • Are hydrological extremes becoming more frequent? “ The 2005 Western Amazon drought: one of the most intense drought of the last 100”
  • MUDANÇAS DA COBEARTURA DE VEGETAÇÃO DEFORESTATION AND BURNING AROUND THE XINGU INDIGENOUS PARK, MATO GROSSO STATE, BRAZIL, 2004. Source: Tropical deforestation and climate change / edited by Paulo Moutinho and Stephan Schwartzman. -- IPAM - Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, 2005.
  • Cenários Projetados de Mudanças da Cobertura de Vegetação Source: Soares-Filho et al., 2006 - Amazon Scenarios Project, LBA Sampaio et al., GRL, 2007 Control 20% 40% 50% 60% 80% 100% or Soybean
  • Precipitação Anomalia de Precipitação (%) Sampaio et al., GRL, 2007 A redução da precipitação é maior durante a estação seca e é mais evidente quando a área desmatada ultrapassa 40% ! Redução da chuva durante a estação seca  aumento da duração da estação seca  “savanização” -28.1% -27.5% 100% Pastagem -39.8% JJA -39.9% SON 100% Soja Estação PASTAGEM SOJA
  • AQUECIMENTO GLOBAL
  • Cenários de Mudanças Climáticas para a Amazônia Resultados de 15 AOGCMs para os cenários de emissões SRES A2 e B, preparados para o IPCC/AR4. Models: BCCR-BCM2.0, CCSM3, CGCM3.1(T47), CNRM-CM3, CSIRO-MK3, ECHAM5, GFDL-CM2, GFDL-CM2.1, GISS-ER, INM-CM3, IPSL-CM4, MIROC3.2 (MEDRES), MRI-CGCM2.3.2, UKMO-HADCM3, ECHO-G Baixas emissões Altas emissões Incerteza muito grande quanto à chuva na Amazônia!
  • Distribuição Projetada de biomas naturais na América do Sul para o período 2090-2099 a partir de cenários climáticos de 15 AOGCMs para o cenário A2 de altas emissões utilizando o modelo de biomas CPTEC-INPE PVM . Mudança Climática e Impactos nos Biomas da América do Sul utilizando cenários climáticos de 15 diferentes Modelos Climáticos Globais Salazar et al., GRL 2007
  • Grid points where more than 75% of the models used (> 11 models) coincide as projecting the future condition of the tropical forest and the savanna in relation with the current potential vegetation. The figure also shows the grid points where a consensus amongst the models of the future condition of the tropical forest was not found. for the periods (a) 2020-2029, (b) 2050-2059 and (c) 2090-2099 for B1 GHG emissions scenario and (d), (e) and (f) similarly for A2 GHG emissions scenario. 2050-2059 2090-2099 2020-2029 Salazar et al., 2007 GRL (accepted) Mudança Climática e Impactos nos Biomas da América do Sul SRES B1 SRES B1 SRES B1 SRES A2 SRES A2 SRES A2 Tendência à “savanização” do S, SE e SW da Amazônia até o final do Século para o cenário de altas emissões
  • O que o pode o Brasil fazer no tocante às mudanças climáticas globais ?
    • Mitigação das emissões
    • ou
    • Adaptação às mudanças climáticas ?
  • O que o pode o Brasil fazer no tocante às mudanças climáticas globais?
    • Mitigação E adaptação ?
    • A busca de um balanço apropriado entre mitigação das emissões e aumento da capacidade de adaptação deve ser iniciado prontamente.
  • Adaptação Perigo/Risco Exposição Vulnerabilidade Capacidade Adaptativa Impacto
  • ¾ das Emissões Brasileiras de CO 2 advindas dos Desmatamentos!
    • Emissões brasileiras de CO 2 (per capita):
    • 0,5 ton C/ano de origem fóssil
    • 1,5 ton C/ano com desmatamentos médio
    • 1,0 ton C/ano com desmatamento de 2007
  • Primeiro passo: reduza o dano!
    • 2004: 27.361 km² desmatado na Amazônia Brasileira
    • 2005 – 2007: ~ 60% de redução no desmatamento
    ≈ 17.000 km² de desmatamento evitado em 3 anos (linha de base de 20.000 km 2 /ano) ~ 220 milhões de ton C ~US$ 2,2 bilhões de valor de carbono INPE/Prodes & Deter Carbono na Biomassa
  • Primeiro passo: reduza o dano!
    • Preços das commodities agrícolas estão subindo (soja, carne, leite)
    • Amazônia é a última fronteira de madeira tropical
    • Biocombustíveis: competição por terras disponíveis (pastagens) => desmatamento
    A diminuição das taxas de desmatamento é sustentável?
  • Serviços Principais de Florestas Tropicais Gullison et al., 2007 Science
    • Decréscimo do desmatamento em 50% até 2050
    • Até 15% emissões evitadas de CO 2 para estabilização em 550 ppm
  • Necessidade de um novo modelo para os Trópicos Madeira Plano Regional Sojicultura Agricultura Familiar Recursos Hídricos Biodiversi-dade Serviços Ambientais Pecuária
  • 5 O desafio das Mudanças Ambientais Globais é científico, político e filosófico O surgimento de um novo Homo sapiens e a necessidade de uma revoluç ã o é tica
    • Antropoceno
    • “ A influência da humanidade no Planeta Terra nos últimos séculos tornou-se tão significativa a ponto de constituir-se numa nova era geológica”
    • Prof. Paul Crutzen
    • Prêmio Nobel de Química 1995
  • A visão do Antropoceno Homo planetaris Homo sapiens
    • A sabedoria para seguir o caminho pouco trilhado para harmonia com a Natureza nas palavras de Mahatma Ghandi (1869-1948):
    • “ Earth provides enough to satisfy every man’s need, but not every man’s greed”
    Photo: David McGrath
  • Foto: cortesia de Antonio Nobre OBRIGADO!