Tecnica de impressao

  • 146 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
146
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
6
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade Federal do Pará Instituto de Ciências Sociais Aplicadas Faculdade de Biblioteconomia AS TÉCNICAS MODERNAS DE IMPRESSÃO Irlaneide Cabral Jéssica Damasceno Manuela Castro Miriam Pimenta Paloma Santos Belém 2012
  • 2. A era industrial: a tipografia se transforma de artesanato em indústria
  • 3. Como a tipografia se transformou em indústria 1. A invenção do “papel sem fim” 3. A invenção da prensa rotativa 2. A invenção da prensa mecânica 4. A invenção do linotipo
  • 4. Os resultados Houve considerável aumento de produção passando-se a fabricar mais em pouco tempo possibilitando também o surgimento dos grandes jornais de hoje, entretanto é possível dizer que essa “mentalidade industrial” acarreta uma certa distorção no sentido do livro em seu surgimento. O livro é também espírito “Com efeito, não podemos perder de vista que o livro não é, apesar de tudo, uma mercadoria como as outras. Ele tem um aspecto nobre, representado por suas origens espirituais e pelos fins a que se destina. Seu emprego próprio não exclui, antes pressupõe, a delicadeza de trato, o bom gosto, a finura intelectual, os ambientes onde a inteligência e não a matéria deve reinar soberanamente”. (Robert Brum)
  • 5. O livro moderno É o livro usado atualmente onde à o equilíbrio entre a fabricação industrial e o capricho do artista individual.
  • 6. As técnicas de impressão 5. Gravura em xilogravura. Fonte: http://www.riototal.com.br/felizidade/casa007.htm 6. Máquina de composição mecânica linotipo. Fonte: http://www.museudaimprensa.pt/espolio.htm 7. Gravura em metal. Fonte: http://www.riototal.com.br/felizidade/casa007.htm
  • 7. O tipo e caixa Segundo a Encyclópedie Française, de Monzie: “ [...] Em gavetas chamadas caixas divididas em grande número de pequenos alvéolos cada um dos quais contém uma só espécie de letra ou sinal. [...]”
  • 8. A composição mecânica Podemos falar de modo geral que há dois tipos de composição tipográfica: a linotipo e a monotipo. 8. Máquina Monotipo Fonte: http://nadialeschko.wordpress.com/2010/07/12/agrafica-feminina-memoria-da-participacao-e-contribuicao-dasmulheres-na-industria-grafica-nos-seculos-xx-e-xxi// 9. Máquina Linotipo Fonte:http://adjcomunicacao.wordpress.co m/category/historia-da-imprensa/
  • 9. A telecomposição A Telepypesetter foi criado em 1929 tornou um dispositivo revolucionário. 10. Telepypesetter ou Máquina de escrever através de fitas perfuradas Fonte: http://oztypewriter.blogspot.com.br/2012/03/new-zealands-donald-murray-fatherof.html que se
  • 10. A lumitipo Foi inventada em 1953 pelos franceses Higonnet e Moyround sendo criado nos Estados Unidos, inavadora. O Quincy Patriot Ledger um simples jornal norte-americano foi o primeiro periódico feito pela lumutipo, abrindo após o seu uso a disseminação dessa máquina. 11. Máquina Lumitipo Fonte:http://picasaweb.google.com/lh/photo/U0OjoE_7TR GxgbjoiCh-yQ
  • 11. A CIVILIZAÇÃO ELETRÔNICA As diferenças entre impressa e eletrônica foram assim sintetizadas por Gilbert Seldes: Impressa 1- Requer habilidade para ler; 2- Difusão Lenta; 3- Produção barata, mas cara para o consumidor; 4- Criada para minoria. Herbert Marshall McLuhan Eletrônica 1- Não requer formação especial; 2- Difusão rapidíssima ; 3Produção caríssima, mas relativamente barata para o consumidor; 4- Criada para as massas.
  • 12. AS METAMORFOSES DO LIVRO 12. Tábuas Xilográficas 13. Tabuletas de Argila 15. Impressos de Papel 14. Pergaminho 16. Sistema de acabamento para linhas de impressão eletrônica
  • 13. AS MÁQUINAS DE IMPRIMIR Máquina de Impressão Plana: Minerva • Fica de pé e imóvel; • Movimento alternativo ou angular; • Folhas de papel. • • • • Máquina de Cilindro Composição deitada no tabuleiro da máquina; Movimento vaivém debaixo do cilindro; Máquina alimentada com papel cortado; Modelos Rotoplanas
  • 14. A ESTEREOTIPIA Estereotipar é “reproduzir uma composição tipográfica por meio de fôrmas nas quais se derrama um metal fundindo” (MARTINS,1996,p.263). • Imprimir com estereótipos; • O termo "estereótipo" referia-se inicialmente a um molde de impressão que era usado para reproduzir múltiplas cópias de um único modelo. Em 1795, Firmin Didot fez os primeiros ensaios com a stéréotypage. Pediu o brevet em 1799 e por isso é considerado um dos inventores da Estereotipia – um processo de ciclagem, que permite uma fácil e econômica conservação das formas tipográficas; processo aplicado à edição de uma série de autores clássicos, vendida a baixo preço.
  • 15. A ROTATIVA • • • • Clichês estereotipados; O papel de bobina; A tinta; Rotativas: imprimem, dobram e cortam os jornais. Principais características Quanto à tinta: líquida; secagem logo após a impressão; 17. Máquina Impressora Rotativa Goss Community da Gráfica do Jornal O Progresso: qualidade em impressão colorida e sua velocidade permitiu levar exemplares para vendas avulsas em todos os bairros de Ituverava. Quanto ao sistema de impressão: direto; alta velocidade de impressão; possibilidade de frente e verso; imprime todas as cores em uma única passagem de máquina.
  • 16.  A Gravura – Pode-se definir a gravura como todo e qualquer desenho reproduzido pela impressão sobre uma superfície capaz de recebê-la. Gravuras Artesanais: As Gravuras em Relevo (madeira): Xilogravura    (18) Inicio: a xilogravura é de provável origem chinesa, sendo conhecida desde o século VI. Desenvolvimento: tomou grande partida na Europa a partir do século XV, principalmente na Itália, na França e na Alemanha. Técnica: (19) (20)
  • 17. As Gravuras Escavadas (metal): Gravura metálica  Inicio: a primeira gravura em metal de que se tem notícia é datada por volta de 1500, intitulada Christ Crowned with Thorns.  Desenvolvimento: foi a partir de processos gráficos no século XV.  Técnica: Talho-doce (buril) Água-forte (21) Retrato do Príncipe D. João. Gravura a talho doce de João Cardini. 1807 (22) Crânio, gravura em cobre, água-forte de Samuka.
  • 18. Litogravura  Inicio: esse processo foi inventado em 1796, por um ator dramático alemão Aloys Senefelder, obrigado a copiar musicas para se sustentar, ele tentou criar um modo mas rápido de multiplicar seus exemplares.  Desenvolvimento: nos inicios dos séc. XIX, se espalhou por toda a Europa.  Técnica: (23) (24) (25)
  • 19. A Gravura Mecânica É uma nova etapa da gravura! Aqui já desaparece o trabalho manual do artista, cedendo lugar aos meios mecânicos. Com a chegada dessa nova técnica de gravura, pode-se obter mais rapidamente novas gravuras e por consequência o barateamento da produção.
  • 20. A Gravura mecânica I • Similigravura. • Trata-se de uma gravura mecânica em relevo; onde a impressão se dá através das partes salientes, em destaque.
  • 21. A Gravura mecânica II • Heliogravura (rotogravura) • É uma gravura mecânica escavada ou em vazio, seu processo de impressão se dá através das partes vazias.
  • 22. Conclusão • Ao analisarmos essa unidade, podemos ver que a imprensa passou por várias transformações, ao longo dos tempos foram surgindo novas técnicas cada vez mais modernas, o livro sofreu várias metamorfoses, até finalmente chegar a sua impressão.
  • 23. REFERÊNCIAS ARAÚJO. Felipe. Xilogravura. Disponível em: <http://www.infoescola.com/artes/xilogravura/>. Acesso em: 22 out. 2012. GRAVURAS. Disponível em: <http://samukaartevisu.wordpress.com/gravuras/ http://espacoculturallucianobastos.blogspot.com.br/2012/01/acervo-da-salada-imprensa.html>. Acesso em: 22 out. 2012. LONGOBARDI, Nireuda. Xilogravura "A Sereia e o Boto" de Nireuda Longobardi. 2012. Disponível em: <http://nireuda.blogspot.com.br/2012/08/xilogravura-sereia-e-o-boto-denireuda.html>. Acesso em: 22 out. 2012. MARTINS, Wilson. A palavra escrita: história do livro, da imprensa e da biblioteca. 2ed. São Paulo: Ática, 1996. TESOUROS Sarmentinos: (671) D. João VI.2007. Disponível em: <http://pedraformosa.blogspot.com.br/2007/12/tesouros-sarmentinos-671d-joo-vi.html>. Acesso em: 22 out. 2012.