MyBrainMagazine 7
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
498
On Slideshare
498
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 1 MyBrain Magazine Norte de Espanha A região onde há de tudo N.º7JUL-AGO-SET 2013
  • 2. 2
  • 3. 3
  • 4. 4 Í N D I C E CAPA Claustro do Mosteiro de San Zoilo, Carrión de los Condes VISÃO 7 MEDITAÇÃO 8 ENTREVISTA 9 ROTEIRO DE VIAGEM 10 GEOGRAFIA: NORTE DE ESPANHA 12 GEOGRAFIA: NUVENS 16 GEOGRAFIA: CORRENTES MARÍTIMAS 17 GEOGRAFIA: CENTRO HISTÓRICO DE SALAMANCA 18 GEOGRAFIA: SEGÓVIA 19 GEOGRAFIA: MADRID 20 GEOGRAFIA: PARQUE NATURAL DE MONTESINHO 22 GEOGRAFIA: BRAGANÇA 23 BIOLOGIA: O SUGADOR 24 BIOLOGIA: GARÇA-BRANCA-GRANDE 25 BIOLOGIA: O EQUILÍBRIO DOS FLAMINGOS 26 BIOLOGIA: PICA-PAUS 27 BIOLOGIA: O PEQUENO E O GRANDE 26 BIOLOGIA: SAPOS E RÃS 27 HISTÓRIA: FENÍCIOS, GREGOS E CARTAGINESES 26 HISTÓRIA: ARMADURAS MEDIEVAIS 27
  • 5. 5 BIOLOGIA: MANGOSTÃO 28 BIOLOGIA: PENAS 29 BIOLOGIA: INSETOS ESPIÕES 30 BIOLOGIA: TUBARÕES 31 BIOLOGIA: GIRASSÓIS 32 BIOLOGIA: CARANGUEJOS 33 BIOLOGIA: POÇAS DE MARÉ 34 BIOLOGIA: BORBOLETAS 35 HISTÓRIA: TOURADAS PORTUGUESAS 36 HISTÓRIA: BUMERANGUES 38 HISTÓRIA: A ERA DA PIRATARIA 39 HISTÓRIA: FORMAÇÃO DE PORTUGAL 40 HISTÓRIA: ORNITÓPTERO DE DA VINCI 42 HISTÓRIA: ARTE RUPESTRE 43 HISTÓRIA: SOLAR DE MATEUS 44 HISTÓRIA: MITOLOGIA GREGA 45 ASTRONOMIA: PORQUE É QUE VÉNUS BRILHA? 46 ASTRONOMIA: DESASTRES ESPACIAIS 47 ASTRONOMIA: CURIOSITY 48 ASTRONOMIA: NASCIMENTO DE ESTRELAS 49 ARTE: CREPES 50 ARTE: COMIDA BRASILEIRA VS. COMIDA MEXICANA 51 ARTE: ÓRGÃOS DE TUBOS 52 ARTE: AS TRÊS GRANDES PERSONALIDADES DA PINTURA ESPANHOLA 53
  • 6. 6 ARTE: OS FUTUROS ARRANHA-CÉUS MAIS ALTOS DO MUNDO 54 ARTE: PALM ISLANDS 55 CULTURA: DENSIDADE POPULACIONAL 56 VEÍCULOS: HYUNDAI i30 58 VEÍCULOS: COMO É QUE UM AVIÃO LEVANTA VOO? 59 VEÍCULOS: OPEL MOKKA 60 VEÍCULOS: OPEL CASCADA 61 CIÊNCIA: FERRUGEM 62 CIÊNCIA: O NOSSO ÓRGÃO VITAL 63 CIÊNCIA: SONO 64 CIÊNCIA: MEDO 65 CIÊNCIA: RADIAÇÃO 66 CIÊNCIA: SAUNA E BANHO TURCO 67 RELIGIÃO: BOTAFUMEIRO 68 PRÓXIMA EDIÇÃO 70
  • 7. 7 MONTARGIL A vila de Montargil está localizada no coração do Norte Alentejano e é conhecida pela sua barragem, com o mesmo nome. Montargil é uma típica aldeia alentejana, o refúgio ideal para quem procura paz e sossego.
  • 8. 8 O BARÃO E O SALMÃO Um pescador certa vez pescou um salmão. Quando viu o seu extraordinário tamanho, exclamou: "Que peixe maravilhoso! Vou levá-lo ao Barão! Ele adora salmão fresco." O pobre peixe consolou-se, pensando: "Ainda posso ter alguma esperança." O pescador levou o peixe à propriedade do nobre, e o guarda na entrada perguntou: "O que tem aí?" "Um salmão", respondeu o pescador, orgulhoso. "Ótimo", disse o guarda. "O Barão adora salmão fresco." O peixe deduziu que havia motivos para ter esperança. O pescador entrou no palácio, e embora o peixe mal pudesse respirar, ainda estava otimista. Afinal, o Barão adora salmão, pensou ele. O peixe foi levado à cozinha, e todos os cozinheiros comentaram o quanto o Barão gostava de salmão. O peixe foi colocado sobre a mesa e quando o Barão entrou, ordenou: "Cortem fora a cauda, a cabeça, e abram o salmão." Com o seu último sopro de vida, o peixe gritou em desespero: "Porque é que você mente? Se realmente me ama, cuide de mim, deixe-me viver. Você não gosta de salmão, gosta de si mesmo!"
  • 9. 9 ENTREVISTA A UM TAILANDÊS SOBRE COMO SE FAZ COPRA Repórter (R) - Olá. Podia-nos explicar primeiro o que é a copra? Tailandês (T) - É uma pergunta muito simples. Copra é a polpa seca do coco. R - Como é que se faz a copra? T - Para fazer copra basta tirar a casca do coco, desfazer a polpa e secá-la. R - Para que serve a copra? T - A copra é usada principalmente para produzir pasta de coco, um alimento muito nutritivo para o gado e óleo de coco, que se obtém ralando a copra e fervendo-a depois em água.
  • 10. 10 MADRID (4 DIAS) 1.º Dia Viagem para Madrid Catalonia Puertas del Sol (Calle Atocha, 15-17) 2.º Dia Madrid + Palácio Real Templo de Debod Museu Thyssen-Bornemisza Museu do Prado Centro de Arte Reina Sofia 3.º Dia Madrid > Segóvia > Madrid (188 km, 2 h 8) + Alcázar Catedral
  • 11. 11 4.º Dia Madrid > Salamanca > Madrid (442 km, 4 h 18) + Universidade de Salamanca Catedral Casa das Conchas
  • 12. 12 O Norte de Espanha é um local fantástico. A costa é lindíssima e o interior tem florestas, prados e pradarias fabulosas. O Norte de Espanha é muito conhecido graças aos caminhos de Santiago, que percorrem o Norte de Espanha todo, sempre por zonas com igrejas românicas. Também é conhecido pelos seus cogumelos e pelas florestas caducas com tons dourados no outono. Os pratos principais são marisco e peixe no litoral e cordeiro e jamón ibérico no interior. A GALIZA é conhecida por Santiago de Compostela, que atrai milhares de peregrinos todo o ano e também por ter algum aspeto medieval e muito marítimo. O povo é de origens célticas, tendo como instrumento principal a gaita-de-foles. La Coruña é uma cidade portuária e é conhecida pelo mais antigo farol europeu, a Torre de Hércules. Foi construída pelos Romanos e reconstruída no século XVIII. Santiago de Compostela leva-nos atrás no tempo até à Idade Média, onde era o terceiro local de peregrinação mais importante depois de Jerusalém e Roma. A Catedral de Santiago de Compostela, o destino final dos peregrinos, já assistiu a muitas mudanças na cidade, visto que foi edificada nos séculos XI e XIII, em cima da basílica do século IX que lá existia. Só a fachada oeste é que foi acrescentada no século XVIII. quando entramos na catedral, damos de caras com o Pórtico da Glória, do século XII, que nos mostra que o interior da catedral não mudou nada desde a época medieval. O botafumeiro, um incensório gigante, precisa de oito homens para o fazerem oscilar por cima do altar. As Rías Baixas são enchidas com plataformas para serem apanhados mexilhões, ostras, vieiras,... São quatro rias: a Ria de Vigo, a Ria de Pontevedra, a Ria de Arosa, onde está a ilha de A Toxa, com propriedades termais e com uma igreja coberta de vieiras, e a Ria de Muros e Noia. I Ria de Arosa, Igreja de A Toxa, Botafumeiro na catedral de Santiago, Torre de Hércules, Praia em La Coruña, Catedral de Santiago de Compostela, interior da catedral.
  • 13. 13 As ASTÚRIAS, a este da Galiza, orgulham-se por terem resistido à invasão mourisca, quando o famoso Pelágio derrotou os mouros em Covadonga. Esta zona possui muitas igrejas pré-românicas como a de Santa Maria del Naranco, que foi originalmente construída como palácio de Verão para Ramiro I, no século XI. Gijón é uma cidade portuária e com grande agitação. Oviedo é mais o contrário. Apesar de ter muita gente, é uma cidade calma e limpa, com uma catedral gótica flamejante. O Parque Nacional dos Picos da Europa é deslumbrante. Composto por desfiladeiros e prados cheios de vacas, parece que estamos nos Alpes. Covadonga está entre as montanhas e possui uma basílica neo-românica, construída entre 1886 e 1901, no local onde Pelágio alcançou a vitória. A Santa Cova de Covadonga, onde está sepultado Pelágio, está dentro de uma rocha e por baixo de si encontra-se uma cascata. A CANTÁBRIA é uma prolongação para este da paisagem das Astúrias. Tem praias e falésias magnânimas, florestas e prados verdejantes. É muito conhecida graças à gruta de Altamira, cheia de pinturas rupestres feitas por povos que lá viviam há cerca de 18000 anos. A gruta encontra-se atualmente fechada, pois estava a deteriorar-se com tanta gente lá dentro. Agora só se pode visitar o museu e a Neocueva, uma imitação fantástica da gruta. Ao lado da gruta encontra-se Santillana del Mar, uma vila que nos leva à época medieval devido às casas de pedra dourada do século XV, que parece que são do século XII. No centro da vila encontra-se um mosteiro românico, La Colegiata, e à sua frente está um bebedouro para animais, o que dá um ar ainda mais medieval à vila, além do ferro forjado das casas. Perto desta vila, ao pé do mar, encontra-se a ermida de Santa Justa, dentro de uma falésia. Comillas é uma vila conhecida graças ao El Capricho de Gaudí que, juntamente com o Palácio Episcopal de Astorga e a Casa Botines de León, forma o grupo dos três únicos edifícios do Gaudí fora da Catalunha. Este edifício do ano 1883, tem um minarete coberto de azulejos e imita o movimento de um girassol. Santander é a capital da Cantábria e tem praias fabulosas na baía com o seu nome. Tem uma catedral que foi construída no estilo gótico. I Santa Cova de Covadonga (1.ª e 2.ª), Picos da Europa, Basílica de Covadonga, teleférico, Lago de la Ercina, Catedral de Oviedo, Gijón, ponte romana em Cangas de Oñis, Picos da Europa, Desfiladeiro de los Beyos, rua em Santillana del Mar, La Colegiata, bebedouro em Santillana, Altamira, Santander (1.ª e 2.ª), El Capricho.
  • 14. 14 O PAÍS BASCO é uma importante região industrial. Os bascos são um povo muito diferente do povo espanhol. Tem uma língua diferente, origens diferentes, costumes diferentes,... Até Portugal, que não faz parte de Espanha, tem muito mais em comum do que o País Basco. Donostia San Sebastián é uma estância com duas praias: a Praia de Ondarreta e a Praia da Concha. Vitoria-Gasteiz é a sede do governo basco e enriqueceu com o comércio de ferro e lãs. É uma cidade muito antiga e histórica. Bilbao é o contrário de Vitoria, é uma cidade muito industrial que floresceu no século XIX com a indústria do ferro e que tinha uma forte poluição agora reduzida. Esta cidade está rodeada de montes verdejantes e tem grandes jardins. Possui também vários edifícios modernos, sendo o mais conhecido o Guggenheim, junto ao rio Nervión, autoria do arquiteto americano Frank Gehry, imitando um navio. A sua fachada é composta de titânio e a exposição permanente mais conhecida é a galeria dos Peixes, que possui uma estrutura de Richard Serra, a Cobra, que foi criada com chapas de aço onduladas a quente. Perto desta cidade encontra-se a Ponte Colgante Viscaya, feita de ferro, de 1888, com uma cabine suspensa para carros e passageiros. A poucos quilómetros da cidade também se encontra a Ermida de San Juan de Gaztelugatxe, numa ilha unida à costa por uma ponte antiga. Quando se alcança a ermida é costume tocar o sino treze vezes e pedir um desejo. A alguns quilómetros da ermida fica Gernika-Lumo, uma cidade famosa graças ao quadro de Picasso, Guernica, e ao Carvalho de Guernica, de 300 anos. NAVARRA, a este do País Basco, também tem influências bascas apesar de ter sido um reino medieval dos Pirinéus. Pamplona, a capital, é conhecida pelas largadas de touros. LA RIOJA, por baixo do País Basco, é conhecida pelo seu vinho e por San Millán de la Cogolla, uma povoação com dois mosteiros, Yuso e Suso. A capital de La Rioja é Logroño. I Ponte Colgante Viscaya, Ermida de San Juan de Gaztelugatxe, Guggenheim Bilbao, interior do Guggenheim, galeria dos Peixes e a Cobra, Ponte Zubi Zuri, Rio Nervión e Casco Viejo.
  • 15. 15 Por baixo de todas estas províncias do Norte de Espanha, encontra-se o NORTE DE CASTELA E LEÃO. Tem uma paisagem de girassóis e de planaltos com muita palha. Puebla de Sanabria é uma vila com aspeto medieval perto do lago de Sanabria, o maior lago glacial de Espanha. Astorga é uma cidade romana com uma catedral construída entre os séculos XV e XVIII e com o Palácio Episcopal do Gaudí, de finais do século XIX, para o bispo da época. León possui uma catedral gótica com magníficos vitrais. Construída nas muralhas romanas que rodeiam a cidade encontra-se a Colegiata de San Isidoro. Também em León está edificada a Casa Botines, outra obra do Gaudí. Perto de León encontra-se Palencia, conhecida pela sua catedral, com muitas obras de arte. Nos arredores desta cidade encontra-se Baños de Cerrato, com a igreja mais antiga de Espanha, de 661, a basílica visigótica de San Juan Bautista. Frómista é conhecida pela igreja de San Martín, de 10666, no estilo românico. Perto desta vila encontra-se a igreja de Santa María la Blanca, em Villalcázar de Sirga e Carrión de los Condes, onde estão situados a igreja de Santiago, a igreja de Santa María del Camino e o Mosteiro de San Zoilo, com um claustro gótico muito bonito. Aguilar de Campoo é conhecido pela Colegiata românica de San Miguel. Perto desta cidade encontra-se Lomilla, com uma igreja românica de San Esteban. Burgos é uma cidade muito conhecida graças a Rodrigo Díaz de Vivar, mais conhecido como El Cid. Esta cidade possui um arco, o arco de Santa María, adornado com estátuas e torreões. O monumento mais conhecido desta cidade é a catedral, construída no estilo gótico, em 1221, tem uma escadaria, a Escadaria Dourada, de Diego de Siloé. A cúpula central está construída no estilo mudéjar. Nesta catedral estão sepultados El Cid e a esposa e o Condestável- Mor de Castela. I Catedral de León, vitrais na catedral, Lago de Sanabria, Basílica de San Juan Bautista, Catedral de Palencia, paisagem de Castela e Leão, Puebla de Sanabria, Igreja de San Esteban de Lomilla. Palácio Episcopal de Gaudí, Catedral de Astorga, Claustro do Mosteiro de San Zoilo, igreja de Santa María la Blanca de Villalcázar de Sirga, Arco de Santa María, Catedral de Burgos, Deambulatório da catedral, Capela de Santa Ana na catedral, teto da catedral e Escadaria Dourada.
  • 16. 16 As nuvens são nada mais nada menos do que o vapor de água que condensa em água líquida mas não cai logo porque é formada por pequeníssimas gotas misturadas com vapor de água - as nuvens. Quando estão mesmo muito perto da superfície terrestre toma o nome de nevoeiro ou neblina. As nuvens são arrastadas pelo vento e se entram numa zona onde há menos humidade e a temperatura é mais alta, as gotículas evaporam e a nuvem desaparece. Se entram numa zona com mais humidade e mais fria, as gotículas precipitam. Há quatro tipos fundamentais de nuvens: - os estratos: nuvens horizontais, baixas e pouco espessas e dão origem a precipitação de caráter leve e contínuo; - os cirros: nuvens horizontais, altas e frágeis e são constituídas por pequenos cristais de gelo não dando precipitação; - os cúmulos: nuvens verticais e horizontais, estão entre os cirros e os estratos e são indicadores de bom tempo e são feitas de cristais de gelo apesar de às vezes poderem apresentar alguma precipitação; - os nimbos: nuvens verticais e horizontais, estão um pouco mais acima do que os estratos e dão origem a precipitações muito fortes e trovoada. I Cúmulos e nimbos e quatro tipos fundamentais de nuvens.
  • 17. 17 I Onda em Punta Cana e ondas em Portugal. As correntes marítimas devem-se ao fluxo das águas dos oceanos, causadas pela rotação da Terra, pelos ventos e pela densidade. Influenciam na pesca, na vida marinha e no clima. As correntes quentes formam-se na zona equatorial e dirigem-se para as zonas polares. As correntes frias formam-se nas zonas polares e dirigem-se para a zona equatorial. A zona onde a água é a mais quente do mundo é no Sudeste Asiático. As zonas onde a água é a mais fria do mundo é nas zonas polares.
  • 18. 18 Localizada a noroeste de Madrid, Salamanca foi conquistada primeiro pelos cartagineses no século III a.C. e foi, em seguida, cidade romana. Mais tarde, ficou sob o poder dos muçulmanos até o século XI. O auge de sua universidade, uma das mais antigas da Europa coincidiu com a época de ouro da cidade. O centro histórico tem importantes edifícios românicos, góticos, renascentistas e barrocos, entre os quais a impressionante Plaza Mayor com suas galerias e arcadas. A Casa das Conchas é um dos palácios mais populares de Salamanca e um dos melhores exemplos da arquitetura gótica civil espanhola. Foi mandada construir, nos últimos anos do século XV e primeiros do XVI, por D. Rodrigo Arias Maldonado, pessoa chegada aos Reis Católicos e cavaleiro da Ordem de Santiago. As conchas são o principal motivo ornamental da fachada. O acesso à Catedral Velha efetua-se através do interior da Nova. Ao entrar nela voltamos ao passado, este templo românico revive um espírito antiquíssimo e medieval. Nos finais do século XV, a povoação de Salamanca aumentou significativamente, devido ao auge e fama da sua Universidade. A Catedral Velha tinha ficado pequena e em 1513 dá-se início à construção da Catedral Nova, uma das últimas catedrais góticas de Espanha. A Universidade foi fundada como estúdio por volta do ano 1218 por decisão do rei de Leão Afonso IX, foi confirmada oficialmente como Universidade na Carta Magna outorgada por Afonso X em 1254. Nos seus inícios seguiu o modelo bolonhês, que dava preferência ao estudo do direito civil e canónico perante a teologia e a filosofia preponderantes na Universidade de Paris. Na sua época de maior esplendor, nos séculos XV e XVI, esteve à cabeça das universidades europeias. Atualmente é a Universidade mais antiga de Espanha. Destaca-se no seu interior a aula Frei Luís de Leão, os relevos da escada do claustro, ou a Biblioteca, fundada em 1254 por Afonso X o Sábio, que guarda numerosos manuscritos e incunábulos de valor incalculável. I Plaza Mayor, Palácio de Monterrey, Casa das Conchas, Catedral, Universidade Pontifícia, Universidade, Igreja- Convento de San Esteban.
  • 19. 19 I Alcázar (1.ª e 2.ª), Aqueduto, Catedral, Altar-mor, Sala de Reyes no Alcázar, Catedral, rua no centro da cidade. Segóvia foi povoada há muitos anos. Onde está hoje o alcázar havia um castro celta. Na época romana pertenceu ao convento de Clunia. Durante a ocupação dos Visigodos, Segóvia foi sede episcopal da Igreja Católica. Acredita-se que a cidade tenha sido abandonada depois da invasão islâmica. Após a conquista de Toledo por Afonso VI de Leão e Castela, o filho do rei Afonso VI, o conde Raimundo de Borgonha, juntamente com o primeiro bispo de sua diocese reconstituído repovoaram com cristãos em 1088. O Aqueduto de Segóvia foi construído provavelmente durante o tempo do imperador Vespasiano. O aqueduto de Segóvia leva as águas de nascente de Fuenfría, localizada na cordilheira montanhosa a 17 quilómetros da cidade, num lugar conhecido como La Acebeda. Corre mais de 15 quilómetros antes de chegar a cidade. A água é apanhada pela primeira vez por uma cisterna, conhecida como El Caserón, e são conduzidos para uma segunda torre (chamada casa das águas), onde decanta, para continuar o seu caminho. Então corre 813 m. Em frente ao Alcázar havia uma antiga catedral. Em 1521 construiu-se outra catedral, a atual, a última catedral construída em estilo gótico mas possuíndo alguma estética renascentista, sendo que alguns elementos da antiga catedral foram transferidos para a nova, como o coro, o claustro, a pia batismal,... Pensa-se que o Alcázar de Segóvia foi construído no século XII, visto que durante toda a Idade Média foi uma das moradas favoritas dos reis de Castela. O rei Filipe II mandou fazer algumas reformas, como cobrir o telhado com agudos capitéis de ardósia. Quando a Corte se instalou em Madrid, o Alcázar foi transformado em prisão durante dois séculos. Em 1762, o rei D. Carlos III fundou a Real Escola da Artilharia, a qual se instalou no alcázar até que no dia 6 de março de 1862, o edifício sofreu de um incêndio pavoroso. A restauração começou em 1882 e concluiu-se em 1896.
  • 20. 20 I Plaza Mayor, Palácio Real, Porta de Alcalá, Estação A Tocha, Porta de Toledo, Praça Cibeles, Guernica. Madrid, capital de Espanha, é uma cidade com muitas coisas para se visitar. Madrid já era habitada na pré-história, pois foram encontrados vários jazidos ao redor da cidade. Também deixou vestígios romanos e visigóticos. Foi perto do ano 865, quando Muhammad I, filho de Abderramán II, mandou fortificar a aldeia de Magerit. Passaram mais de duzentos anos até o rei de Castela Afonso VI reconquistar a aldeia. Os reis das diferentes dinastias que foram ocupando o trono de Espanha, começaram a sentir-se atraídos por Madrid, de tal forma que a vila foi-se reclamando como futura sede da Corte. Desta forma, a cidade iniciou o seu crescimento. Em 1477, os Reis Católicos deixaram importantes obras em Madrid como a capela do Bispo na Igreja de San Andrés, a Casa dos Lujanes ou de Cisneros. Carlos I escolheu também Madrid como destino para desfrutar de curtas estadias e já, em 1561, Felipe II, enamorado dos seus extensos bosques e da sua água abundante, fixou a sua residência na cidade. Em 1606, Madrid converteu-se na sede definitiva da Corte, sob o reinado de Filipe III, aumentando ainda mais o seu crescimento.
  • 21. 21I 4 torres Business Area; torres Puertas de Europa; templo de Debod; Jovem cavaleiro numa paisagem, de Vittore Carpaccio (Museu Thyssen-Bornemisza); Museu do Prado; Catedral de la Almudena. Madrid tem várias portas que serviam de entrada para a cidade, cujas mais conhecidas são a Porta de Alcalá e a Porta de Toledo. Também tem vários museus de arte, como os que formam o Triângulo de Ouro de Arte de Madrid: o Museu Thyssen-Bornemisza, onde estão expostas obras de mestres italianos, alemães e holandeses do século XVI, uma coleção de pintura holandesa e também obras do século XX, desde o cubismo e as primeiras vanguardas, até a Pop Art; o Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, com coleções do século XX, albergando alguns dos famosos quadros de Joan Miró, O Grande Masturbador, de Salvador Dalí e o famosíssimo Guernica, de Pablo Picasso; e o Museu Nacional do Prado, com coleções de pintura espanhola, francesa, alemã, flamenga, italiana, de escultura e de desenhos e estampas, sendo a maioria das obras do museu do Renascimento. A Estação Atocha, um bocado mais para baixo do triângulo, é famosa devido aos atentados terroristas da Al Qaeda em 11 de março de 2004. Mais acima encontra-se a Praça de Cibeles, um dos mais simbólicos lugares da capital, pois divide os limites dos bairros Centro, Retiro e Salamanca. No centro da praça encontra-se a Fonte de Cibeles. Mais para o centro encontra-se a Plaza Mayor, construída no século XV e com uma estátua equestre de Filipe III. Perto dessa praça encontra-se a Porta do Sol, outra praça importante onde se localiza o quilómetro zero de todas as estradas de Espanha. Um bocado mais longe encontra-se o Palácio Real, que foi a residência oficial dos monarcas. As origens do palácio remontam ao séc. IX, quando o reino muçulmano de Toledo ergueu uma fortaleza que mais tarde viria a ser utilizada pelos reis de Castela. No séc. XVI, construiu-se o palácio sobre as mesmas fundações. Um incêndio na noite de Natal de 1734 reduziu-o a cinzas. Pouco tempo depois, Filipe V ordenou a construção de um novo palácio sobre o mesmo local. O edifício, cujas obras decorreram entre 1738 e 1755, contemplou uma estrutura abobadada, com pedra e azulejo, eliminando o uso de madeira e materiais inflamáveis. Carlos III foi o primeiro monarca que aí estabeleceu a sua residência, em 1764. Mesmo à frente da fachada sul do palácio encontra-se a Catedral de Almudena, onde se dão os casamentos reais espanhóis. Um pouco mais para norte ergue-se o Templo de Debod, construído no século IV a.C., até há apenas algumas décadas situava-se no sul do Egipto. Em 1961, devido à construção da nova represa de Assuão, as suas pedras foram desmontadas e depositadas na ilha Elefantina. Em 1968, o templo foi doado a Espanha pelo Estado egípcio em agradecimento pela ajuda prestada ao salvamento dos templos de Abu Simbel. Mas Madrid também tem edifícios modernos, como as inclinadas Puertas de Europa e as quatro torres Business Area: Torre Espacio, Torre de Cristal, Torre Sacyr Vallehermoso e Torre Caja Madrid (a mais alta de Espanha, com 250 metros de altura).
  • 22. 22 I Rio Sabor no parque (1.ª e 2.ª), rio na aldeia de França, árvore no parque, agricultor numa carroça puzada por um cavalo, castanheiro. O Parque Natural de Montesinho está localizado no nordeste transmontano. Alberga várias espécies de plantas como o carvalho (Quercus) e vários animais como o lobo ibérico (Canis lupus signatus), a corça (Capreolus capreolus) e o veado (Cervus). Este parque também possui vários rios, de vales profundos e águas ora cristalinas ora negras, com propriedades termais ou simplesmente refrescantes para o calor tórrido do verão da região. São usados também para pesca de trutas, bogas, barbos e escalos.
  • 23. 23 I Bragança vista da cidadela, rua na cidadela, Domus Municipalis, Igreja de Santa Maria, Torre da Princesa, Praça da Sé. Onde agora é Bragança já houve uma cidade romana importante chamada Brigantia. Destruída durante as guerras entre cristãos e mouros, encontrava-se num território pertencente ao mosteiro beneditino de Castro de Avelãs quando a adquiriu, por troca, em 1130, Dom Fernão Mendes, cunhado de Dom Afonso Henriques. Reconstruída no lugar de Benquerença, Dom Sancho I concedeu-lhe foral em 1187, e libertou-a em 1199 do cerco que lhe impusera Afonso IX de Leão, pondo-lhe, então, definitivamente, o nome de "Bragança". O regente Dom Pedro, em 1442, elevou Bragança a cabeça de ducado concedido a seu irmão ilegítimo dom Afonso, 8º conde de Barcelos, que fora genro de Dom Nuno Álvares Pereira. Em 1445, Bragança recebeu a concessão de uma feira franca e, em 1446, Dom Afonso V elevou-a à categoria de cidade. A Torre da Princesa, na cidadela de Bragança, foi refúgio da infeliz D. Sancha, mulher de Fernão Mendes e prisão de outras mulheres mal tratadas. A Igreja de Santa Maria foi edificada no século XVI e está no estilo barroco, após várias restaurações. O Domus Municipalis é um edifício medieval único. Primeiro foi utilizado para armazenar águas pluviais e nascentes numa cisterna incorporada. Foi utilizada depois para as reuniões dos homens-bons, habitantes de um concelho que tinham poderes legislativos.
  • 24. 24 Há centenas de terrenos em Portugal que são vítimas do cultivo de eucaliptos e que crescem de uma maneira assustadora. Estas árvores sugam todos os nutrientes da terra, desertificando-a, ficando uma simples terra que só dá para cultivar eucaliptos, pois não tem nutrientes suficientes para cultivar espécies agrícolas. Os eucaliptos demoram muito pouco tempo a ficarem de tamanho adulto enquanto que as espécies endémicas de Portugal, como o carvalho, ficam a perder mais terrenos visto que demoram cerca de 50 anos a crescerem até tamanho adulto. Qualquer estrada de Portugal tem pelo menos em algum lado filas de eucaliptos, transformando Portugal num enorme eucaliptal. Estas árvores, apesar de serem aromáticas, não são tão bonitas como as árvores de Portugal, que estão cada vez mais a perder espaço. Sempre que nasce uma nova abelha, proveniente do desenvolvimento de uma larva, as operárias inspetoras analisam a nova criatura e certificam-se se ela possui alguma deformação física. Caso detetem algum defeito, esse novo ser é imediatamente assassinado, a fim de não existirem inválidos na sociedade – a natureza não perdoa a incapacidade, é seletiva.
  • 25. 25 A garça-branca-grande (Casmerodius albus) pode ter de envergadura 145 a 170 cm e de altura pode ter de 85 a 100 cm. Reproduz-se em colónias em lagos pantanosos. É parcialmente migradora invernando em África ou no Mediterrâneo. Alimenta-se de peixe, rãs e insetos. Só vocaliza nas colónias, com chamamentos que incluem um "kr'r'r'rah" sonante, oco e seco. Tem as patas longas e escuras, é toda branca e tem plumas longas e fluidas. Durante o período nupcial a tíbia pode tornar-se avermelhada. O seu pescoço tem forma de "S" e o seu bico é amarelo torrado, apesar de se tornar quase todo preto nas aves reprodutivas. I
  • 26. 26 Os flamingos costumam estar equilibrados só com uma pata. Mesmo ao adormecer, a ave preserva uma das patas dobrada próxima do peito; a outra, delgada e comprida, sustém o corpo com incrível equilíbrio, embora seja uma árdua tarefa estabilizar o pescoço, principalmente por conta da pressão do bico. Quando estão a filtrar a água com o bico também conservam a posição. É incrível pensar como é que esta ave consegue suportar o seu corpo com uma pata tão fininha!
  • 27. 27 Os pica-paus picam nas árvores até 20 vezes por segundo, com uma força 1200 vezes maior do que a da gravidade sem sofrer lesões. O pica-pau consegue apoiar-se bem nas árvores graças aos seus músculos desenvolvidos nas penas da cauda. O cérebro do pica-pau ocupa todo o crânio e quase não tem o líquido cefalorraquidiano. Estes animais têm um crânio mais espesso do que a maioria das aves, feito de um osso muito resistente e esponjoso, que ajuda a parar os golpes. O bico e o crânio estão ligados por um tecido conjuntivo elástico. Os ossos do bico do pica-pau são fortalecidos por uma cobertura córnea, que permite picar o tronco das árvores em busca de insetos ou larvas. A sua língua bifurcada é mais comprida que o bico quatro vezes. Dentro da língua está o hioide, um conjunto de pequenos ossos suportado por cartilagem e músculos, dobrando-se como um acordeão para o pica-pau conseguir esticar ainda mais a língua. Estes animais também têm uma pálpebra interna espessa que serve para impedir algumas lesões oftalmológicas como o deslocamento da retina. Para a suportar, os olhos estão cheios de sangue. Os músculos do pescoço também ajudam a absorver o golpe. O pica-pau também tem os dedos dispostos dois a dois – os zigodáctilos -, sendo dois para a frente e dois para trás para o ajudar a trepar às árvores.
  • 28. 28 O mangostão é um fruto natural do sudeste asiático. Tem muitas propriedades: - contém xantonas, que proporcionam uma ação antioxidante, antitumoral, anti-inflamatória, antiviral, antifúngica e antibiótica; - contém ácido hidrocicítrico, que aumenta a sensação de saciedade e auxilia na eliminação de gorduras, prevenindo o aumento do colesterol; - As quinonas têm uma ação semelhante às dos antibióticos; - Os fenóis têm propriedades antimicóticas; - As catequinas e estilbenos são antioxidantes; - É rico em várias vitaminas e minerais. A casca e o caroço não são comestíveis. Só a polpa branca do fruto.
  • 29. 29 As aves têm o corpo revestido de penas, que são formadas por queratina. Têm muitas vantagens, como serem impermeáveis, facilitarem o voo, pois aumentam a superfície de contacto com o ar, ajudam a manter a temperatura. Algumas aves possuem penas vistosas para atração sexual e outras têm penas com cores de camuflagem. As penas são um dos melhores revestimentos contra o frio. O cálamo aloja-se dentro da pele. O ráquis é a continuação do cálamo e têm numerosas barbas. Destas saem as bárbulas, que têm ganchos para se entrelaçarem umas com as outras.
  • 30. 30 Com um formato caricato de um helicóptero, as libelinhas e as libélulas são uns insetos muito singulares. Muito velozes, estes insetos podem chegar a velocidades até 95 km/h. As suas asas batem cerca de 40 vezes por segundo. Na verdade, estes animais são mesmo espiões, visto que nunca param de comer e andam sempre a caça de animais para matar. Calculam a velocidade para matar a presa, são os maiores predadores e os piores assassinos do mundo dos insetos e têm os olhos compostos com uma visão de 360º. Cada um desses olhos tem até 30 mil unidades hexagonais, minúsculos olhos dentro de um olho e cada um tem imagens separadas que transmite para o cérebro. Quando nascem, são apenas pequenas larvas aquáticas também assassinas que sofrem uma muda e ficam com um corpo completamente diferente: o de libelinha. São muito eficientes, conseguem isolar as suas presas dentro de um enxame, forçam o acasalamento, esmagam as suas presas e podem manobrar as suas asas independentemente: podem pairar, voar para a frente, para trás, para os lados, de cabeça para baixo e até mudar de direção instantaneamente. São sem dúvida uns insetos fantásticos e inteligentes. I
  • 31. 31 Os tubarões são peixes cartilaginosos predadores descendentes do megalodonte. Têm um fígado enorme, não conseguem nadar marcha atrás. Os tubarões podem medir desde 30 cm a 12 m de comprimento. Os tubarões produzem de duas a cem crias de uma vez. A fertilização é interna e os ovos ficam retidos no interior o corpo da fêmea, sendo estes animais ovovivíparos. O período de gestação dos tubarões é de 24 meses. Alguns tubarões colocam os ovos dentro de uma bolsa que parece couro. Os tubarões usam os dentes como armas descartáveis, perdendo uns quantos em cada dentada. O tubarão-branco pode gastar até 50 mil dentes ao longo da sua vida. Existem mais de 440 espécies de tubarões. Alguns tubarões mordiscam a presa para testar o seu sabor. Os tubarões vivem entre 20 e 30 anos. O maior tubarão é o tubarão-baleia, que pode ter mais de 20 m de comprimento. Mais mortífero é o tubarão-branco. Esta espécie revira os olhos antes de atacar. Os tubarões conseguem detetar sangue a quilómetros, podem alcançar os 32 km/h.
  • 32. 32 O Girassol é uma planta anual com caule grosso, robusto, ereto, simples e de cor verde médio. Podem atingir alturas de 2-3 m, havendo variedades anãs de 40 cm de altura. As flores de girassol são grandes, muito chamativas, algo inclinadas, parecidas com a forma do Sol e que seguem a sua luz ao longo do dia. Na verdade, as flores de girassol são compostas por flores minúsculas formando a sua conhecida flor. Dos seus frutos, popularmente chamados sementes, é extraído o óleo de girassol que é comestível. A semente também é usada na alimentação de pássaros em cativeiro além de ser uma das mais utilizadas na alimentação viva.
  • 33. 33 O caranguejo é um crustáceo que se encontra espalhado por todo o mundo. Embora haja espécies de água doce e terrestres, a maioria vive nas águas do mar, nas poças de maré principalmente e em águas pouco profundas. O seu corpo é constituído por um cefalotórax, formado por oito segmentos, e um abdómen, formado por sete segmentos. O caranguejo do Japão, que chega a atingir 3,30 metros de envergadura, é o maior artrópode vivo. Uma espécie muito conhecida de caranguejos é o Caranguejo-vermelho (Gecarcoidea natalis), que pode ser encontrado na ilha Natal, na Indonésia. Esta pequena ilha alberga cerca de 120 milhões de caranguejos-vermelhos que protagonizam uma das migrações anuais mais ousadas e impressionantes. Os mais de 100 milhões de caranguejos saem das florestas húmidas e vão para a costa desovar transformando a ilha num enorme tapete vermelho. Quando a migração atinge o seu auge e as barreiras das estradas deixam de fazer efeito as estradas são mesmo fechadas. Quando as fêmeas chegam à costa, cada uma coloca cerca de 100 mil ovos e regressam às florestas húmidas. Semanas depois é a vez das crias irem para as florestas.
  • 34. 34 As poças de maré formam-se em zonas rochosas de costa onde a terra e o mar se encontram. São faixas costeiras por vezes com poucos metros de largura. As poças de maré dividem-se em quatro zonas: - zona de rebentação: raramente submersa, exposta ao sol e ao vento e com menos espécies; - zona intertidal alta ou supralitoral: rocha nua revestida com algas e percebes; - zona intertidal média ou mediolitoral: exposta e submersa alternadamente, conforme a maré, todos os dias; - zona intertidal baixa ou infralitoral: quase sempre submersa, contendo diversidade máxima. As poças de maré são consideradas camadas de vida. As espécies mais comuns encontradas são algas, anémonas, estrelas-do-mar, ouriços-do-mar, caranguejos, pequenos peixes, camarões, lapas, percebes e até os singulares pepinos-do-mar, que podem ejetar a maioria do seu sistema digestivo e outros órgãos, confundindo predadores enquanto escapam. I Poças de maré, esquema das poças, ouriço-do-mar e estrela-do-mar, camarão, algas, anémonas (6.ª e 7.ª), caranguejo e pepino-do-mar.
  • 35. 35 As borboletas são insetos que possuem dois pares de grandes asas membranosas, cobertas de escamas e geralmente muito coloridas e simétricas. No seu desenvolvimento passam por metamorfoses. As fases da vida da borboleta são o ovo, a larva, a ninfa, que se desenvolve dentro do casulo para se proteger e quando sai do casulo fica adulta, já tem asas,... já está completamente adulta. As adultas alimentam-se do néctar das flores, dispondo de um órgão especial, a espirotrompa que, em repouso, permanece enrolada, formando uma espiral que se estende quando querem sugar o néctar. As lagartas alimentam-se em geral de plantas podendo originar pragas graves. Distinguem-se das traças (mariposas) pelas antenas retilíneas que terminam numa bola, pelos hábitos de vida diurnos, pela metamorfose que decorre dentro de um casulo rígido e pelo abdómen fino e alongado. Quando repousam, as borboletas dobram as suas asas para cima.
  • 36. 36 Nas touradas portuguesas, mais corretamente nas corridas de touros à Portuguesa, ao contrário das espanholas, o touro não é morto. Mesmo assim, os animais também sofrem. Pode ser um espetáculo tradicional mas é mesmo assim cruel aos touros, pois poucas horas antes do espetáculo os touros são imobilizados e com uma serra são-lhe cortados os cornos que depois são revestidos com as chamadas “embolas” de ferro forradas a couro, processo doloroso e stressante para o animal. Depois de terminada a corrida não recebem qualquer tipo de assistência veterinária. Em vez disso, ainda vivos, são novamente imobilizados para que lhes sejam arrancadas as bandarilhas e ferros que têm espetados no dorso. Para retirar as lâminas é necessário efetuar alguns cortes com uma navalha. Os touros são depois transportados para o matadouro, gravemente feridos, onde aguardam o abate, geralmente à segunda-feira. Na corrida de touros à portuguesa os cavaleiros vestem-se com trajes do século XVIII e os forcados vestem-se como os rapazes do fim do século XIX. Foi no tempo de Filipe III que foram introduzidos na arena, pela primeira vez, os coches de gala. As cortesias marcam o início da corrida de touros à portuguesa. No início da corrida todos os intervenientes (cavaleiros, forcados, bandarilheiros, novilheiros, campinos e outros) cumprimentam o público. Cada um dos touros é lidado por um cavaleiro tauromáquico, que tem um determinado tempo durante o qual poderá cravar um número variável de farpas compridas, curtas e de palmo no dorso do animal. O cavalo que se usa é o puro sangue lusitano. Os forcados são um grupo amador que enfrenta o touro a pé cujo objetivo é conseguir imobilizar o touro unicamente à força de braços. Os Forcados nasceram por volta de 1836 quando a Rainha D. Maria II proibiu a morte dos touros na arena. A realização de touradas nunca foi consensual na sociedade portuguesa e por quatro vezes estiveram proibidas no nosso país. A promoção de touradas esteve sempre relacionada com a evolução da nossa sociedade e em particular no século XIX com as lutas entre liberais e absolutistas. Foi durante os regimes absolutistas que as touradas foram propagandeadas na Península Ibérica, com destaque para os reinados de Fernando VII (Espanha) e D. Miguel que em Portugal anulou a Constituição e lançou as sementes para o florescimento do negócio das touradas com o início da criação de touros nas lezírias do Tejo e a construção da nova Praça de touros do Campo Santana em Lisboa. Em Espanha Fernando VII encerrou diversas Universidades e em 1830 fundou a “Universidade Tauromáquica” em Sevilha. Os combates sangrentos como diversão foram sempre contestados pela igreja católica. O Papa Pio V chegou a proibir a sua realização em 1567, acabando desde logo com a realização de touradas em Itália. Em Portugal e Espanha a decisão do Papa foi desrespeitada, a Bula Papal foi ignorada e o seu conteúdo escondido ou adulterado, mas a Bula chegou a ser publicada em Portugal e as touradas proibidas pelo Cardeal D. Henrique. “Os combates de touros sempre foram considerados como um divertimento impróprio de humana Nação civilizada”. Intendente Geral da Polícia Lucas Seabra da Silva, 1809 Fomou-se então o pré-câmbrico, constituído por vermes, estromatólitos, medusas,... Nesse tempo praticamente só existiam algas e esses animais que viviam no oceano pois os continentes estavam ainda a formar-se
  • 37. 37 A realização de touradas nunca foi consensual na sociedade portuguesa e por quatro vezes estiveram proibidas no nosso país. A promoção de touradas esteve sempre relacionada com a evolução da nossa sociedade e em particular no século XIX com as lutas entre liberais e absolutistas. Foi durante os regimes absolutistas que as touradas foram propagandeadas na Península Ibérica, com destaque para os reinados de Fernando VII (Espanha) e D. Miguel que em Portugal anulou a Constituição e lançou as sementes para o florescimento do negócio das touradas com o início da criação de touros nas lezírias do Tejo e a construção da nova Praça de touros do Campo Santana em Lisboa. Em Espanha Fernando VII encerrou diversas Universidades e em 1830 fundou a “Universidade Tauromáquica” em Sevilha. Os combates sangrentos como diversão foram sempre contestados pela igreja católica. O Papa Pio V chegou a proibir a sua realização em 1567, acabando desde logo com a realização de touradas em Itália. Em Portugal e Espanha a decisão do Papa foi desrespeitada, a Bula Papal foi ignorada e o seu conteúdo escondido ou adulterado, mas a Bula chegou a ser publicada em Portugal e as touradas proibidas pelo Cardeal D. Henrique. “Os combates de touros sempre foram considerados como um divertimento impróprio de uma Nação civilizada”. Intendente Geral da Polícia Lucas Seabra da Silva, 1809. Formou-se depois a era paleozoica. Do Câmbrico até ao Devónico foi a idade das trilobites. Depois vieram os peixes e os corais e no final desta era, no Carbónico e no Pérmico, vieram os primeiros répteis e anfíbios e também apareceram os fetos.
  • 38. 38 O bumerangue é um objeto de arremesso e de caça, usado como arma ou em práticas desportivas, que tem a particularidade de, depois de atirado, regressar sempre ao ponto de partida. Pode ser considerado o primeiro artefacto de voo controlado construído pelo Homem e a realização mais perfeita da técnica primitiva. Foi inventado pelos aborígenes australianos. Pinturas com cerca de 30 mil anos mostram que já na altura os aborígenes australianos faziam uso deste tipo de objetos. O bumerangue moderno é feito de madeira rígida e tem a forma de um "V" aberto, com um ângulo que varia entre os 90 e os 160 graus. Tem, por norma, entre 30 e 75 centímetros. As extremidades do bumerangue são afiadas e uma das superfícies é lisa e a outra convexa. É esta última forma que permite que voe após ter sido segurado na vertical e atirado pela mão direita a girar numa linha paralela ao solo. Generalizou-se também o consumo de alimentos como o pão e o leite.
  • 39. 39 Os piratas surgiram a partir dos corsários do século XVI, que cruzavam o Novo Mundo em busca de riquezas e aventura, por conta de uma nação. Loucos pela fama e pela fortuna, os piratas tiveram a sua Idade do Ouro de 1650 a 1730. De facto, o mar das Caraíbas era quase governado por eles. Havia um código de conduta de piratas: todos tinham direito de voto nos assuntos do momento e tinham direito a provisões frescas e bebidas fortes. Cada homem só tem de ser chamado no seu turno. Ninguém pode jogar cartas ou dados a dinheiro. As pistolas e alfanges devem estar limpos e prontos para a batalha. Não são permitidos rapazes nem mulheres. As luzes e velas são apagadas às oito da noite. São proibidas agressões a bordo. Os navios piratas costumavam ser galeões. Tinham lá dentro celas improvisadas para marinheiros, uma cozinha do capitão e vários botes pequenos. Costumavam ter uma tripulação com mais de 60 membros. Estes navios tinham cerca de 20 canhões desde 0,8 metros a 3 metros. Os principais disparavam balas de 11 kg. Os mantimentos do navio consistiam em alimentos, álcool (nomeadamente rum), medicamentos, pólvora, objetos pilhados e metais preciosos. Os piratas mais conhecidos foram Charles Vane, Stede Bonnet, Edward Teach ou Barba Negra, Henry Morgan, Bart Roberts e John Rackham. Os locais mais importantes da pirataria foram o Belize, a Ilha de Providência, a Cidade do Panamá, Tortuga, Jamaica, Cartagena, Curaçau, Santo Eustáquio e Barbados. Os conflitos mais importantes foram Bloqueio de Charlestown (por Barba Negra), o Saque à Cidade do Panamá, o Ataque a Maracaibo e o Ataque a Porto Bello (por Henry Morgan), Batalha do Cabo Lopez (onde Bart Roberts foi morto com um tiro de metralha no pescoço), o Saque a Santiago de Cuba (por François le Clerc) e a Batalha de Cape Fear (entre Stede Bonnet e William Rhett, coronel da província de Carolina, Estados Unidos). I Edward Teach resiste à captura, navio pirata, canhão e âncora de um navio pirata.
  • 40. 40 Os reis cristãos, com dificuldade em vencer os Mouros, pediam auxílio a outros reinos cristãos da Europa. Pelo pedido de D. Afonso VI, rei de Leão e Castela, para lutar contra os Mouros, vieram muitos cruzados, guerreiros cristãos vindos de outros reinos da Europa para combater os Muçulmanos, principalmente a Jerusalém. Entre esses cruzados vieram dois nobres franceses – D. Raimundo e D. Henrique de Borgonha, que eram primos. Como ambos se destacaram na luta contra os Muçulmanos, receberam as filhas do rei D. Afonso VI e condados: D. Raimundo casou com D. Urraca e recebeu o condado da Galiza; D. Henrique casou com D. Teresa, filha ilegítima do rei e recebeu o condado Portucalense. D. Henrique tinha que prestar ao rei D. Afonso VI obediência, lealdade e auxílio militar. Quando D. Henrique morreu, em 1112, o seu filho Afonso Henriques ainda não tinha idade para governar. Por isso, como regente do reino, D. Teresa ficou a governar o condado. Em 1125, o jovem Afonso Henriques armou- se a si próprio cavaleiro, como só os reis faziam. D. Teresa mantinha uma relação amorosa com o conde Fernão Peres de Trava, fidalgo galego. Esta ligação prejudicava o desejo da independência do condado Portucalense. Por causa deste problema, D. Afonso Henriques confrontou-se contra a mãe para defender a (futura) independência do condado. O confronto deu-se na batalha de S. Mamede, perto de Guimarães, em 24 de junho de 1128, com a vitória de D. Afonso Henriques. D. Teresa foi para a Galiza onde morreu dois anos depois. A partir de 1128, D. Afonso Henriques começou a governar o condado Portucalense. D. Afonso Henriques instalou-se com a sua corte, no castelo de Guimarães. Guimarães foi a primeira capital do reino e o “berço da nacionalidade portuguesa”. As vitórias nas batalhas em Cerneja e Arcos de Valdevez obrigaram D. Afonso VII a fazer um tratado de paz com D. Afonso Henriques, que ficou conhecido pelo tratado de Zamora. Nesse tratado, assinado em 5 de outubro de 1143, Afonso VII reconhece a independência do condado Portucalense, que passou a chamar- se Reino de Portugal. Romanos chamavam bárbaros a todos os que viviam fora
  • 41. 41 I Na outra página: brasão de Portugal, Castelo de Guimarães, estátua de D. Afonso Henriques, Castelo de Almourol. O papa, nesta época era a força política e religiosa nos reinos cristãos e também chefe supremo da Igreja Católica. Quando se formava um novo reino cristão, era necessário que o papa reconhecesse a sua independência e o título de rei ao seu primeiro monarca. Foi isso que D. Afonso Henriques fez, enviando-lhe uma carta. O papa respondeu à carta com grande agradecimento pela gentileza demonstrada e só o trataria por dux portucalensis. Só 36 anos depois da conferência de Zamora é que o papa Alexandre III reconheceu D. Afonso Henriques na bula Manifestis Probatum, em 1179. A reconquista das terras a sul fez-se aos avanços e recuos. Algumas terras foram conquistadas e perdidas várias vezes até serem definitivamente portuguesas. Em 1145, D. Afonso Henriques conquistou Leiria definitivamente. Esta garantiu a segurança de Coimbra, permitindo os cavaleiros conquistarem Santarém e Lisboa, que eram ricas e poderosas cidades mouras. D. Afonso Henriques, em 1147, conquistou Santarém. Acompanhado por um (pequeno) grupo de homens, pela noite, tomou a cidade de assalto. No mesmo ano, cercou Lisboa, com a ajuda dos cruzados que eram numerosos, bem treinados e tinham armas próprias para atacar as muralhas. Os mouros, cercados por terra e pelo rio e vencidos pela fome, entregaram Lisboa aos cristãos. Também foram conquistadas as cidades de Óbidos, Alenquer e Sintra e Almada, Sesimbra, Palmela, Alcácer do Sal (1158) e Évora e Beja, em (1159). As últimas três cidades referidas foram cair em poder dos muçulmanos e só em 1162 e 1166 é que foram reconquistadas novamente por Gonçalo Mendes da Maia, D. Fuas Roupinho e Geraldo Geraldes Sem Pavor. Em 1185, D. Afonso Henriques acabou por falecer. Em 1297, no reinado de D. Dinis, com o Tratado de Alcanizes, Portugal ficou com as fronteiras definitivamente definidas. A partir do século XII, Portugal passou a ter de área 89 000 km2, equivale a 1/5 da área da península Ibérica. A linha de fronteira mantém-se a mesma à exceção de Olivença, em 1801, que ficou território espanhol. Portugal é um dos países da Europa que tem fronteiras mais antigas.
  • 42. 42 Após estudar o voo das aves, Leonardo da Vinci criou este engenho, o ornitóptero, em 1488. Este aparelho partilha várias características com as aves, como as asas com penas e um movimento de batimento composto e flexível. Se esta máquina aterrasse na água, o dispositivo de flutuação evitaria que se afundasse. Esta máquina funcionava da seguinte forma: um piloto deitava-se sob um prancha de madeira, passando o pescoço e a cabeça pelo aro semicircular e as pernas pela faixa traseira. Já posicionado, o piloto consegue controlar todas as partes do engenho com as mãos e pés. O controlo com os pés implica empurrar dois pedais situados na parte de trás da máquina, um para abrir as asas e outro para as fechar. As mãos do piloto podem agarrar a estrutura e manusear as cordas para controlar as escoras de madeira das asas. Os Celtas, pelo contrário, eram altos e tinham o cabelo loiro e os olhos azuis. Eram bons ourives. Trabalhavam o ouro e objetos em ferro. Ocupavam as regiões norte, oeste e centro da Península Ibérica. Alguns Celtas cremavam os mortos, em vez de os sepultarem. Os Lusitanos viviam a norte do Tejo numa região situada à volta da serra da Estrela chamada Lusitânia. Eram fortes e corajosos. Dedicavam-se à agricultura e à pastorícia. O chefe que mais se destacou foi, certamente, Viriato.
  • 43. 43 I Bisontes na sala dos Polícromos em Altamira (1.ª, 2.ª e 3.ª), pormenores na Gruta de Lascaux (4.ª e 5.ª), pormenor na gruta de Chauvet. A arte rupestre representava animais de caça como cervos, bisontes, cavalos, veados, touros,... e só raramente humanos. As pinturas eram pintadas com um fantástico naturalismo. Eram feitas provavelmente por rituais mágicos, fazendo dessas grutas santuários. Datam do Paleolítico médio (c. 100 000 a 35 000 a. C.) as manifestações de arte rupestre mais antigas conhecidas em território europeu. Estas pinturas eram feitas por quatro passos: 1- Iluminar a parede onde iam desenhar, com fogo; 2- Gravar traços com os dedos ou com sílex; 3- Dar cor, com várias misturas; 4 - Dar "vida". Para fazer as cores bastava desfazer uma rocha e misturar esse pó com gordura animal para não sair. Havia várias misturas de pigmentos para fazer cores: - Hematite + quartzo = vermelho / castanho; - Hematite + calcite + dolomite = vermelho intenso; - Goetite = amarelo escuro - Goetite + calcite + dolomite = amarelo claro - Argila + micas + quartzo = branco - Micas + quartzo + ocre + carvão = cinzento - Calcite + caolinite + quartzo + clorite + ocre vermelho + carvão = rosa - Carvão = negro Além de todas estas cores, o pigmento mais utilizado era o ocre que, tal como a hematite com o quartzo, dava vermelho e castanho. Em algumas pinturas era também utilizado sangue de animal, saliva e excrementos de morcegos.
  • 44. 44 I Solar de Mateus (1.ª, 3.ª e 3.ª), coche, vinhas, jardim (6.ª, 7.ª e 8.ª). O Solar de Mateus foi mandado construir na primeira metade do século XVIII por António José Botelho Mourão, 3º Morgado de Mateus. Está construído no estilo barroco, por Nicolau Nasoni. A planta inscreve-se num rectângulo, e divide-se em dois quadrados vazados ao centro, que criam várias alas e compõem dois pátios ligados entre si por grandes aberturas no piso térreo. O pátio frontal é aberto libertando a vista da fachada principal recuada e voltada a poente, e o posterior é encerrado, e definem através dos grandes vãos do rés-do-chão um eixo central de perspectiva que atravessa toda a construção, e constitui um enfiamento de expressão clássica e grande harmonia. Os jardins estão muito bem delineados e possuem várias flores a decorá-lo. Nas vinhas pertencentes ao solar fabrica-se o vinho rosé, que deu mais popularidade ao monumento. Os Celtas, pelo contrário, eram altos e tinham o cabelo loiro e os olhos azuis. Eram bons ourives. Trabalhavam o ouro e objetos em ferro. Ocupavam as regiões norte, oeste e centro da Península Ibérica. Alguns Celtas cremavam os mortos, em vez de os sepultarem. Os Lusitanos viviam a norte do Tejo numa região situada à
  • 45. 45 I Os doze deuses do Olimpo; labirinto do minotauro em mosaicos; Vitória de Samotrácia (deusa grega da vitória, Nice); vaso grego: por cima - rapto das Leucípides pelos gémeos Castor e Pólux, por baixo - sátiros perseguindo ménades; Erecteion (dedicado a Atena, Hefesto e Erecteu, mítico rei ateniense); Parténon (dedicado a Atena). A mitologia grega explicava todos os fenómenos da natureza, do mundo, tudo. Os deuses gregos eram iguais aos humanos, mas eram imortais. Há vários mitos gregos dos quais os mais conhecidos são: Os pais dos deuses, o mito de Pandora, Eros e Psique, mito de Aracne, Minos e o Minotauro, Dédalo e Ícaro, Medusa, Guerra de Troia, Édipo, Hércules, Ulisses e Apolo e Pítia. Quando Cronos tomou o lugar de Úrano, tornou-se tão perverso quanto o pai. Com sua irmã Reia, procriou os primeiros deuses olímpicos (Héstia, Deméter, Hera, Hades, Poseidon e Zeus), mas logo os devorou enquanto nasciam, pelo medo de que um deles o destronasse. Mas Zeus, o filho mais novo, com a ajuda da mãe, conseguiu escapar do destino. A mãe pegou numa pedra, enrolou-a num tecido e deu a Cronos, que a comeu, pensando que fosse Zeus. O filho travou uma guerra contra seu progenitor, cujo vencedor ganharia o trono dos deuses. No final, com a força dos Ciclopes, Zeus venceu e condenou Cronos e os outros Titãs na prisão do Tártaro, depois de obrigar o pai a vomitar seus irmãos. Para a mitologia clássica, depois dessa destituição dos Titãs, um novo panteão de deuses e deusas surgiu. Entre os principais deuses gregos estavam os olímpicos. Prometeu (titã e irmão de Zeus) doou aos homens o fogo e as técnicas para acendê-lo e mantê-lo. Zeus, o soberano dos deuses, se enfureceu com esse ato, porque o segredo do fogo deveria ser mantido entre os deuses. Por isso ordenou a Hefesto que criasse uma mulher que fosse perfeita e que a apresentasse à assembleia dos deuses. Atena, a deusa da sabedoria e da guerra, vestiu essa mulher com uma roupa branquíssima e adornou--lhe a cabeça com uma guirlanda de flores, montada sobre uma coroa de ouro. Hefesto a conduziu pessoalmente aos deuses, e todos ficaram admirados; cada um lhe deu um dom particular. Ficou a chamar-se Pandora. Zeus entregou-lhe uma caixa bem fechada, e ordenou que ela a levasse como presente a Prometeu. Entretanto, ele não quis receber nem Pandora, nem a caixa, e recomendou a seu irmão, Epimeteu, que também não aceitasse nada vindo de Zeus. Epimeteu ficou encantado com a beleza de Pandora e a tomou como esposa. A caixa de Pandora foi então aberta por Pandora, devido à sua curiosidade, e de lá escaparam todos os males, que se espalharam pelo mundo e tomaram miserável a existência dos homens a partir de então. Pandora, arrependida do que fez, tentou fechar a caixa mas só piorou pois aprisionou a Esperança, a única coisa boa que estava dentro da caixa. Ariadne, a filha do rei Minos e da rainha Pasífae, era a senhora do Labirinto. Quando Teseu chegou a Creta, Ariadne apaixonou-se por ele. Ela pediu ao artesão Dédalo, que desenhara o labirinto onde o Minotauro estava preso, para lhe dar um novelo de lã. Como Ariadne estava apaixonada por Teseu, quando este estava a entrar no labirinto, ela deu-lhe o novelo de lã para o mesmo saber o caminho de volta. Teseu entrou no Labirinto e encontrou o Minotauro, na sua toca no centro do Labirinto. Ambos lutaram e Teseu matou o monstro com as suas próprias mãos. Depois segui a linha para poder encontrar o caminho de volta e sair do Labirinto. A caminho da pátria, Teseu, que não amava Ariadne, abandonou-a na ilha de Naxos e seguiu o seu caminho. Teseu tinha prometido a Egeu, seu pai, que quando voltasse, trocaria as velas pretas da nau por velas brancas da vitória. Na chegada a Creta, Teseu esqueceu-se de as mudar e Egeu, ao ver as velas pretas, atirou-se para o mar e morreu. A partir desse dia, esse mar passou a chamar-se Mar Egeu.
  • 46. 46 Sempre que olhamos para o céu quando está lusco fusco vemos um pontinho brilhante no céu. Esse pontinho brilhante frequentemente chamado por "primeira estrela da noite" é nada mais nada menos Vénus a refletir a luz solar, tal como faz a Lua. Mas se Vénus brilha, porque é que Mercúrio não brilha? Primeiro, Vénus é três vezes maior do que Mercúrio e está mais perto da Terra. Segundo, Vénus tem em redor de si uma fina camada de dióxido de carbono, que reflete boa parte da luz. E terceiro, Vénus tem atmosfera e Mercúrio não tem. Mercúrio e Vénus também têm fases como a Lua, visto que estão antes do Sol.
  • 47. 47 Em 1986, em plena subida, o vaivém Challenger explodiu, causando a morte a toda a tripulação. A 1 de fevereiro de 2003, a NASA sofre mais outra tragédia, com a desintegração do vaivém Columbia, ao reentrar na atmosfera após uma missão científica de 16 dias, transportando sete astronautas a bordo. A sonda espacial russa Phobos-Grunt, com destino à maior lua de Marte, Phobos, despenhou-se, a 15 de janeiro de 2012, no oceano Pacífico. Esta sonda espacial é uma das mais pesadas e mais tóxicas que já caíram na Terra, pois os tanques estavam cheios de combustível tóxico. I Vaivém Challenger, sonda Phobos- Grunt, vaivém Columbia.
  • 48. 48 A 6 de agosto de 2012, o robô Curiosity foi içado por um guindaste voador, que suavemente o colocou sobre a superfície enferrujada da Cratera Gale. Depois de deixar o veiculo em solo, com a liberação dos cabos que o prendiam ao Curiosity, o guindaste foi arremessado por seus próprios retrofoguetes para, pelo menos, 150 metros de distância. O Curiosity foi mandado para Marte para responder à questão que tem abalado as cabeças dos cientistas, se Marte já alguma vez suportou vida. Já se descobriu que este planeta já teve condições que permitiram ter vida e agora, o Curiosity anda à procura de restos fósseis de vida microbiana. Este rover marciano está equipado com várias câmaras e consegue analisar amostras de terreno marciano detalhadamente. O inverno marciano é um obstáculo difícil de ultrapassar. No caso do Spirit e do Opportunity, o problema foi outro: o facto de funcionarem a luz solar e, como há períodos muito escuros durante o inverno marciano, estes rovers fizeram uma "hibernação". Mas esse problema não acontece ao Curiosity, visto que ele funciona a plutónio. A primeira descoberta desta sonda foi um leito antigo de rio no seu local de pouso, entre o norte da cratera Gale e a base do monte Sharp, uma montanha dentro da cratera. Trata-se de um conglomerado de cascalho transportado por um fluxo de água no passado. A forma redonda das pedras indica que elas foram transportadas por longas distâncias e a quantidade de canais entre a margem e o depósito indica que o rio existiu por muito tempo.
  • 49. 49 Ao longo de milhões de anos, as nebulosas difusas colapsam lentamente em núcleos individuais (proto-estrelas), a partir das quais se formam estrelas. Normalmente estas nuvens escuras e frias são invisíveis, excepto quando estão em silhueta num fundo mais claro. Por vezes são perturbadas e, por serem relativamente densas começam a contrair-se sob a força da sua própria gravidade. Os ciclos de formação de estrelas em nuvens interestrelares podem ser causados por ondas de choque de uma explosão próxima de supernova, pela passagem de uma estrela errante ou pelas ondas de compressão que regularmente circulam dentro das galáxias espirais. Há dois tipos de nuvens proto-estelares escuras - grandes e irregulares - Objectos de Barnard, com dezenas de anos-luz de diâmetro, ou mais pequenos e esféricos- Glóbulos de Bok. Quando qualquer destes tipos de nuvens começa a colapsar, fragmentam-se em aglomerados mais pequenos. Estes aglomerados, várias vezes maiores que o Sistema Solar, são as sementes de estrelas individuais. A massa do material contido nestas proto-estrelas varia bastante, podendo dar origem desde uma simples anã até a uma maciça gigante. À medida que a proto-estrela se contrai lentamente, a sua temperatura e pressão internas aumentam. Ao tornar-se mais quente e mais denso, o seu interior liberta grandes quantidades de energia, mas por ser tão vasto mantém-se relativamente frio e emite somente luz vermelha e infravermelha. Na realidade. as proto-estrelas raramente são vistas à luz normal pois estão escondidas pela sua escura nebulosa. Somente as radiações infravermelhas (e de rádio) conseguem levantar este véu e revelar as estrelas que se encontram lá dentro. A velocidade de contracção da proto-estrela depende da sua gravidade e massa, e o colapso só para quando a temperatura no núcleo da estrela é suficiente para desencadear reacções nucleares. As poucas proto- estrelas de massa 100 vezes superior à do Sol, atingem essas temperaturas e pressões tão rapidamente que explodem sem nunca entrar na sequência principal. As estrelas gigantes normais levam uns 20 000 anos para começarem a brilhar, enquanto outras, tais como o Sol, demoram milhões de anos a atingir o mesmo estado. I Nascimento de estrelas na Nebulosa Carina, Os Pilares da Criação - Nebulosa de Águia, Região da Nebulosa Cabeça de Cavalo.
  • 50. 50 Um crepe é um tipo de panqueca feito à base de farinha de trigo, leite e ovos. A massa é preparada de forma que possa formar uma pequena camada no fundo de uma frigideira, pincelada com manteiga. O crepe é geralmente comido com recheio doce ou salgado. É associado à cozinha francesa, onde se tornou muito popular, apesar de agora já ser popular em todo o mundo.
  • 51. 51 A comida mexicana é uma das comidas melhores do mundo. Baseada em picantes, esta comida tem muitas influências. O guacamole é uma espécie de puré de abacate apimentado. Foi a tortilla que originou os tacos e os burritos. O taco é feito à base de milho, tal como a tortilla. Os burritos, também feitos com massa de tortilla, podem ser recheados com tudo. A quesadilla, também feita com massa de tortilla recheada de queijo. Os nachos são feitos com massa de tortilla frita e cobertos de queijo por cima. A comida brasileira, baseada no rodízio, tem como principais pratos a picanha e a maminha, as batatas fritas, salsichas, banana frita, ananás grelhado com canela arroz branco e feijão preto, além dos pratos que não se incluem no rodízio. I Bandeira Mexicana, taco com guacamole, burrito, quesadillas, olho baseado na bandeira brasileira, salsicha no rodízio brasileiro, picanha no rodízio. A comida brasileira, baseada no rodízio, tem como principais pratos a picanha e a maminha, as batatas fritas, salsichas, banana frita, ananás grelhado com canela arroz branco e feijão preto, além dos pratos que não se incluem no rodízio.
  • 52. 52 Os órgãos de tubos são usados frequentemente nas igrejas para tocar música sacra. As suas origens remontam à Grécia Antiga, no século III a.C., mas só no século XII d.C. é que estes instrumentos evoluíram para a capacidade de produzir diferentes timbres. O tocável mais antigo do mundo está na Suíça, na Basílica de Valère em Sion, tendo sido construído por volta de 1430. O maior e o órgão do Boardwalk Hall, em Nova Jérsia, EUA. É o mais ruidoso do mundo, produzindo 130 decibéis a um metro de distância e também é o que possui mais tubos: 33114 tubos. Um órgão produz som canalizando o sopro por uma série de tubos selecionados através de um teclado. São precisos vários tubos em grupos, cada um com timbre e volume comuns. Estes instrumentos musicais têm dois o mais teclados e uma pedaleira. O sopro contínuo produzido pelo fole permite-lhe suster notas enquanto são premidas as teclas correspondentes.
  • 53. 53 I Dalí: Sonho Causado Pelo Voo de uma Abelha ao Redor de Uma Romã um Segundo Antes de Acordar, O Grande Masturbador, Persistência da Memória, Tentação de Santo António; Miró: Pintura, Sorriso das asas flamejantes; Picasso: Guernica, Mulher Chorando, Monumento aos espanhóis que morreram pela França. Pablo Picasso nasceu em Málaga e foi um pintor e escultor espanhol. Foi reconhecidamente um dos mestres da arte do século XX. É considerado um dos artistas mais famosos e versáteis de todo o mundo. Foi o cofundador do Cubismo. Os seus quadros foram muito influenciados pela guerra, sendo mais conhecidos os das mulheres a chorar e o famoso Guernica, que retrata as tragédias da guerra e do sofrimento que inflige sobre os indivíduos, especialmente os civis inocentes. Este trabalho ganhou um status monumental, tornando-se uma lembrança perpétua das tragédias da guerra, um símbolo anti-guerra, e uma personificação da paz. Salvador Dalí foi um importante pintor catalão, conhecido pelo seu trabalho surrealista. O trabalho de Dalí chama a atenção pela incrível combinação de imagens bizarras, oníricas, com excelente qualidade plástica. O seu quadro mais famoso é o Persistência da Memória onde o tema é o tempo, desde os relógios de fusão para a decadência implícita pelas formigas que pululam. Retrata também as falésias douradas distantes da costa da Catalunha. Outros também conhecidos são o Grande Masturbador; o Sonho Causado Pelo Voo de uma Abelha ao Redor de Uma Romã um Segundo Antes de Acordar que figura uma mulher enquanto dorme numas rochas flutuando sobre o mar a apanhar sol durante um dia calmo quando um elefante com pernas incrivelmente longas e extremamente finas passa pelo horizonte do mar, transportando um topo de uma montanha e perto da mulher flutuam duas gotas de água e uma pequena romã e a partir desta vem um peixe que “cospe” um tigre de onde vem um outro tigre, enquanto na frente de esse existe uma espingarda apontada à mulher; e a Tentação de Santo António, onde está representado Santo António nu e as criaturas das quais Ele se protege, um cavalo e três elefantes. Joan Miró foi um escultor e pintor surrealista catalão. As suas obras mais conhecidas são a Pintura, que possui um caracol, uma mulher, uma flor e uma estrela e O sorriso das asas flamejantes.
  • 54. 54 I Azerbaijan Tower (1.ª e 2.ª) e Kingdom Tower (as restantes). A supremacia do Burj Khalifa está com os dias contados. Em 2017 vai oferecer o seu lugar mundial à Kingdom Tower, que está a ser construída em Jeddah. Esta foi projetada para ter 1600 metros de altura mas a falta de terreno obrigou-lhe a ter menos 600 metros, ou seja, a torre terá 1 km de altura. Em janeiro de 2012 começou a ser construída e vai ter apartamentos e escritórios, um hotel, um centro comercial e um observatório que ficará a quase 700 metros de altura. O prédio foi planeado para suportar tempestades de areia e outras intempéries existentes no deserto saudita. A forma aerodinâmica da torre ajudará a reduzir a sua resistência ao vento, enquanto as suas paredes exteriores foram desenhadas para minimizar o consumo de energia, através da redução das cargas térmicas. A forma elegante da torre foi inspirada nas dobras das jovens folhas que crescem na escassa vegetação do deserto árabe. A torre vai ter 157 andares e o arquitetos são Gordon Gill e Adrian Smith. Este edifício vai ter o seu lugar por pouco tempo, sendo que em 2019 a Azerbaijan Tower vai ficar com a sua altura final, 1050 metros de altura, mais 50 metros que a altura total da Kingdom Tower. A Azerbaijan Tower será construída nas ilhas Khazar, um arquipélago artificial que está a nascer no Mar Cáspio, junto à capital, Baku. A empresa que está a promover a construção da Azerbaijan Tower é a Avesta Group.
  • 55. 55 I Palm Islands - Palm Jebel Ali, Palm Jumeirah, The World e Palm Deira; Palm Jumeirah; construção da Palm Deira. Quando o Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum se apercebeu que o petróleo emiratense iria acabar em 2016, pensou numa outra fonte de renda e então apostou no turismo. Visto que a área marginal do Dubai era só de 60 quilómetros, o sheikh lembrou-se de mandar construir ilhas artificiais que tivessem praias perfeitas aumentando assim a extensão de praia para 965 km de areia. O grupo imobiliário estatal Nakheel contratou os melhores engenheiros europeus vindos da Holanda, a empresa Van Oord. Os trabalhos começaram. Todos os dias, camiões traziam areia do deserto para barcos que a atiravam para o mar. Primeiro fizeram-se os paredões, feitos de pedras e areia. Estes serviam para proteger a ilha das tempestades do mar do Golfo Pérsico de forma a que a ilha não se danificasse. Cada dia as ilhas aumentavam. Graças a fotos espaciais conseguia-se ver os centímetros e metros que a estrutura tinha ganhado. Depois do paredão estar feito, foram dragadas imensas quantidades de areia para formar as praias das ilhas em forma de palmeira. Foram escavados também no paredão canais que garantem a renovação da água a cada 13 dias. Para evitar a corrosão, a base das ilhas é reforçada por uma camada de geotêxteis que absorvem o impacto das ondas. As Palm Islands são a Palm Jebel Ali, a Palm Jumeirah, The World e a Palm Deira.
  • 56. 56 A população mundial superou em 2011 os 7 mil milhões e um quinto é população chinesa. Apesar da quebra da taxa de natalidade, há cada vez melhores condições de vida e as pessoas duram cada vez mais tempo. A questão que nos surge agora na cabeça é como vai ser o mundo em 2045, visto que a população mundial terá nove mil milhões de habitantes? No ano 1 eram 200 milhões, em 1800 eram 1000 milhões, em 1930 2 mil milhões, em 1960 3 mil milhões, em 1974 4 mil milhões, em 1987 5 mil milhões e em 1999 6 mil milhões. O crescimento explosivo deve-se à melhoria das condições de vida. A taxa de mortalidade desce, mas a taxa de natalidade demora a baixar. Assim, o crescimento populacional dispara.
  • 57. 57
  • 58. 58 O Hyundai i30 dispõe de 6 airbags de série, ABS, ESP, sistema de gestão de estabilidade, luzes de curva... Tem um motor a gasolina de 100 cavalos, com uma velocidade máxima de 182 km/h. As emissões de dióxido de carbono são de 130 g/km e consome 5,6 litros de gasolina por cada 100 quilómetros.
  • 59. 59 Para que um avião levante voo é necessário que algum tipo de força consiga vencer ou anular o seu peso. Quando um avião tem o vento a seu favor, temos uma soma vetorial. O empuxo também é bem utilizado, porém tendo como fluído o ar, pois o deslocamento de ar para trás irá causar uma força para frente, permitindo o avião levantar. Não era possível um avião levantar sem as asas planas por baixo e convexas por cima. Para o vento empurrar o avião para cima, precisa de alguma barreira que mude a sua direção, os flaps. O avião tem que ter primeiro autorização da torre de controlo para ir para a pista de descolagem. Aí vai alcançar uma certa velocidade e, quando atingir essa velocidade, o piloto levanta os flaps que o fazem descolar devido ao método atrás referido. I Airbus (três primeiras), interior de uma torre de controlo num aeródromo.
  • 60. 60 O Opel Mokka é o novo SUV da Opel. Tem um motor a gasolina de 140 cavalos. As emissões de dióxido de carbono são de 149 g/km e consome 6,4 litros de gasolina por cada 100 quilómetros. I Airbus (três primeiras), interior de uma torre de controlo num aeródromo.
  • 61. 61 O Opel Cascada é o novo descapotável da Opel. Tem um motor a gasolina de 140 cavalos. As emissões de dióxido de carbono são de 148 a 149 g/km e consome 6,3 litros de gasolina por cada 100 quilómetros. Tem três peculiaridades: os bancos de trás rebatem automaticamente; o carro tem faróis dentro da mala para evitar possíveis choques de noite numa estrada, visto que não se veem os outros e o cinto chega para a frente para ser mais fácil apanhá-lo quando se conduz. I Traseira descapotável, frente, traseira com capota, interior, faróis escondidos.
  • 62. 62 Teratomas da tiroide e teratoma dos ovários.I A ferrugem resulta da oxidação do ferro. Para a evitar basta tentar que o ferro não entre em contacto com oxigénio e água colocando, por exemplo, em cima um verniz. O enferrujamento ocorre tanto na presença de água como de oxigénio. É uma transformação física na qual diferentes partes da superfície de ferro atuam como elétrodos na reação de uma pilha. No ânodo, os átomos de ferro dissolvem-se em iões ferro e no cátodo, formam-se iões hidróxido. O enferrujamento é acelerado pela presença de impurezas no ferro e pela presença de ácidos ou de outros eletrólitos na água.
  • 63. 63 O coração é um órgão vital musculoso que bombeia o sangue. Está situado na cavidade torácica, ligeiramente inclinado para o lado esquerdo. As aurículas, na parte superior do coração, são mais pequenas e de paredes mais finas. Os ventrículos, na parte inferior do coração, são maiores e com paredes mais espessas. As aurículas comunicam com os ventrículos através de válvulas. O lado direito do coração está separado pelo lado esquerdo por um septo. Na parte direita só circula sangue venoso e na parte esquerda só circula sangue arterial. O coração funciona como uma bomba, impulsionando o sangue para os vasos sanguíneos. Quando o sangue entra nas aurículas, estas contraem-se e o sangue passa para os ventrículos. As válvulas auriculoventriculares fecham, impedindo o sangue de retornar. Os ventrículos contraem-se e o sangue vai para as artérias. As válvulas fecham, para impedir o retrocesso do sangue. Depois da contração dos ventrículos, o coração descansa umas décimas de segundo.
  • 64. 64 Quase todos os animais dormem. Uns dormem de dia, outros dormem de noite. Nós humanos dormimos à noite porque era mais seguro e produtivo para os nossos antepassados estarem ativos de dia, quando podiam ver melhor potenciais perigos. Nós precisamos de dormir de 7 a 9 horas e passamos um terço da vida a fazê-lo. Durante o sono há várias partes do cérebro que estão ativas como é o caso do córtex cerebral, dos centros de vigília, do mesocéfalo, do núcleo supraquiasmático e do núcleo pré-ótico ventrolateral. Durante uma parte do sono nós sonhamos. Os sonhos, que são entre 4 e 6 por noite, ocorrem durante o sono REM, quando o córtex cerebral fervilha de atividade, aparentemente consolidando memórias. Uma teoria diz que os sonhos são apenas uma tentativa do córtex compreender tudo. A primeira fase do sono, dos 0 aos 7 minutos, segundos antes de adormecer, o sono NREM (non rapid eye movement), caracterizado por ondas cerebrais de baixa frequência. A segunda fase, dos 7 aos 10 minutos, a pessoa desliga-se do mundo exterior. A terceira fase, dos 10 aos 25 minutos, entra no sono NREM profundo, caracterizado por ondas cerebrais lentas de alta amplitude. A quarta fase é uma continuação da terceira fase e ocorre dos 25 aos 90 minutos. A quinta fase, de 1,5 a 7,5 horas, atinge o sono REM (rapid eye movement), caracterizado por rápidas ondas cerebrais de baixa amplitude e sonhos. A sexta fase, de 7,5 a 8 horas, é quando as ondas delta e teta são substituídas por estados de consciência superiores.
  • 65. 65 A frequência cardíaca aumenta, o fígado segrega glicose, a glândula suprarrenal produz hormonas, os rins abrandam a produção de urina, os intestinos abrandam a digestão alimentar, o esfíncter da bexiga contrai-se, a visão altera-se, os brônquios dilatam-se, a boca fica seca, a traqueia fica aberta, o estômago produz enzima digestiva e os vasos sanguíneos contraem-se / dilatam-se, o que está a acontecer? É o nosso cérebro que está a avaliar o perigo. É o que acontece quando temos medo. Ficamos a transpirar, os joelhos tremem, ficamos arrepiados, a frequência cardíaca sobe, as pupilas dilatam, respiramos mais depressa e profundamente e gritamos. Isto acontece por causa da adrenalina, uma hormona cuja missão é provocar a oxigenação dos músculos. O medo também pode ser descontrolado e irracional - as fobias. Por exemplo: pteronofobia - medo de cócegas com penas; aracnofobia - medo de aranhas; parascavedecatriafobia - medo da sexta-feira 13; araquibutirofobia - medo da manteiga de amendoim se colar ao céu da boca; catisofobia - medo de sentar; automatonofobia - medo de bonecos; agirofobia - medo de atravessar a rua; pedofobia - medo de bebés e crianças; pogonofobia - medo de barbas; grafofobia - medo da escrita; apeirofobia - medo do infinito.
  • 66. 66 Símbolo deI radioatividade e tipos de radiação. A radiação é a propagação de energia. Algumas pessoas pensam que a radiação é má outras pensam que ela é boa. Na verdade, ela nem é boa nem é má, é uma realidade científica que existe à nossa volta. Ela pode curar pela radioterapia mas também pode fazer mal, como alterar o ADN fazendo mutações ou até matar, aos humanos e não só pois quando um humano está exposto a radiação ionizante forte sofre danos nas células. A radiação forte faz perder o cabelo, pode problemas temporários de fala, dores de cabeça, visão dupla, torna os linfócitos ultrassensíveis à radiação, insuficiência cardíaca, trato reprodutivo ou trato gastrintestinal. Há vários tipos de radiação: - Decaimento alfa: elementos pesados e instáveis como o urânio e o rádio emitem partículas alfa para equilibrar o rácio de neutrões para protões no núcleo. Ao perder essas partículas, o átomo "decaído" torna-se um novo elemento com um novo número atómico. As partículas alfa são suficientemente fracas para serem detidas por papel. - Decaimento beta: ocorre em átomos instáveis quando um neutrão se torna um protão, emitindo um eletrão no processo. O eletrão solto é uma partícula beta cuja energia e momento são partilhados por um neutrino sem massa. Visto que um átomo perde um neutrão e ganha um protão, decai para um elemento diferente. As partículas beta podem ser detidas por seis milímetros de alumínio. - Decaimento gama: os raios gama são fotões de alta energia sem massa ou carga, mas de grande potência. A energia vem do comprimento de onda exponencialmente curto do fotão, medido em minúsculas frações de nanómetros. Os raios gama são emitidos após o decaimento beta, se o núcleo transformado tiver energia para libertar. O chumbo é a única barreira eficaz contra os raios gama.
  • 67. 67 Sauna e banho turco.I A sauna é uma pequena sala fechada revestida com painéis de madeira usada para dois tipos principais de sessão de calor, cujo objetivo de ambos é induzir o suor e limpar a pele. Os dois tipos de calor são: seco (com temperaturas mais altas e com muito pouca humidade) e húmido (com temperaturas não tão altas mas com mais humidade). O calor é gerado por um aquecedor de pedras. As pedras, após estarem aquecidas, são molhadas por água perfumada para gerar grandes quantidades de vapor. As saunas surgiram na Finlândia e eram covas escavadas no chão onde era feito fogo para aquecer pedras. O banho turco consiste em permanecer num ambiente quente e cheio de vapor. Após algum tempo nesse ambiente, o banhista mergulha ou molha-se com água fria ou quente. Este tem a mesma função da sauna, induzir o suor para desobstrução de poros e hidratação da pele. Os banhos turcos já eram conhecidos na Grécia Antiga, sendo muito apreciados durante o império Romano. Foram depois adotados pelos árabes, turcos e outros povos islâmicos.
  • 68. 68 As ermidas são templos cristãos secundários que se encontram em locais isolados pois estes lugares são os melhores para meditar. Podem-se encontrar desde um sítio recôndito numa floresta, como é o caso da Ermida do Ecce Homo e da Ermida do Senhor no Horto, na Serra de Sintra, incluídas no Convento dos Capuchos, até dentro de um morro numa falésia, como é o caso da Ermida de Santa Justa, na Cantábria, ou até no topo de uma ilha ligada por uma ponte, como é o caso da Ermida de San Juan de Gaztelugatxe, no País Basco. O importante era localizarem-se num sítio bom para meditar onde houvesse pouca gente, como os exemplos atrás referidos. Ermida do Senhor no Horto, Convento dos Capuchos, Sintra I Ermida de Santa Justa, Ermida de San Juan de Gaztelugatxe, Ermida do Senhor no Horto, Ermida do Ecce Homo.
  • 69. 69
  • 70. 70
  • 71. 71
  • 72. 72