365 dias de Ação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,174
On Slideshare
1,069
From Embeds
105
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
18
Comments
0
Likes
3

Embeds 105

http://movimentomulher360.com.br 105

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 365 dias de ação
  • 2. Catadora de material reciclável da Cooperativa Aguapé, que atua no município de Manhumirim Foto: divulgação (MG), com o apoio da Johnson e Johnson. Foto: divulgação Artesanato em garrafa pet, produzido por integrantes do Coletivos Artes, do Coletivo Coca-cola. Loja de artesanato da Associação Mundaréu.Foto: divulgação Foto: Tomas Rangel Alunas do curso de capacitaçãoFoto: divulgação da Casa Bombril no dia de sua formatura. Integrante do Coletivo Coca-cola.
  • 3. Foto: divulgação Aula de capacitação do projeto Mulher Atuação, desenvolvido pela Kimberly Clark. Sumário Editorial 4 Mulher 360: O longo caminho da emancipação 6 Igualdade no século das mulheres 10 Mulheres com ações em rede 11 ONU Mulheres, presença em 80 países 12 Apresentação da pesquisa dos Grupos 1 e 3 14 A imagem da mulher na propaganda 16 Os pilares da transformação 18 Aspas 24 Empresas e organizações sociais e seus negócios inclusivos 26 A mulher no Brasil do século 21 30 Aluna do Coletivo Artes, do Coletivo Coca-cola. Aula do Coletivo Artes, do Coletivo Coca-cola.Foto: divulgação Foto: divulgação
  • 4. Foto: divulgação Foto: divulgação Um mundo mais feminino O século 21 vai consolidar a igualdade de gênero nas questões relativas ao trabalho e à cidadania. As mulheres já são o principal vetor de desenvolvimento global e as políticas pú- blicas voltadas para a igualdade têm um enorme poder de transformação social e econômica. Para as empresas, isto não é diferente. As mulheres estão contribuindo de forma decisiva para a transformação do perfil de muitas organizações. No Walmart Brasil, um maior equilíbrio de gênero, com a liderança de mulheres, está disseminando um melhor ambiente de trabalho e também gerando maior cumplicidade com as nossas consumidoras – que correspondem a 80% do total de clientes. Além de se tornarem mais justas e inclusivas, empresas que investem em um equilíbrio de gênero em seus quadros também ampliam sua vantagem competitiva, pois podem contar com uma maior diversidade de visões e ideias em seus negócios, uma vez que as mulheres respon- dem por uma parcela cada vez maior das decisões de compra. No Walmart Brasil, reforçamos a atuação do Conselho de Mulheres, que foca na promoção de um ambiente de trabalho mais inclusivo e que estimule o desenvolvimento de lideranças femininas. Com isto, as mulheres já ultrapassaram a marca de 35% dos cargos gerenciais na empresa e são mais de cinco mil líderes em toda a rede no país. Portanto, para o Walmart Brasil, apoiar o Movimento Mulher 360, e festejar o seu primeiro aniversário, é uma grande alegria e, ao mesmo tempo, uma oportunidade para mobilizar e apoiar mais empresas e organizações a acelerarem ações rumo a um mundo mais feminino, seja na gestão de negócios, na gerência de grandes empresas, na liderança de organizações sociais ou nos destinos de grandes países. Marcos Samaha Presidente e CEO Walmart Brasil Foto: divulgação
  • 5. 365 Foto: divulgação dias de atividades 41 empresas17 Mais de 100 milOrganizaçõessociais einstituiçõesparceiras mulheres envolvidas 40 Foto: divulgação reuniões realizadas
  • 6. Líderes reunidos no lançamento do Movimento Mulher 360, em dezembro de 2011.Foto: divulgação O longo caminho da emancipação As mulheres conseguiram no século 20 mais do que nos milênios anteriores em termos de reconhecimento de seus direitos e de sua cidadania. No Brasil, somente em 1932 conquistaram o direito de votar e, em 1933 uma mulher foi eleita deputada federal, a médica Carlota Pereira de Queirós. A partir daí, as conquistas foram crescentes, mas ainda hoje há muito a ser feito, principalmente em relação aos índices de desenvolvimento humano e redução da pobreza. Em 1950, 13,6% das mulheres em idade para o trabalho tinham empregos no Brasil, um número próximo a 53% em 2010. No entanto, o salário médio das mulheres ainda está cerca de 30% menor do que os salários dos trabalhadores homens. Dados da Organização Mundial do Trabalho mostram que o preconceito em relação a algumas funções também persiste e muitas atividades são vistas como reservadas apenas aos homens. 6
  • 7. Númerosrelevantes. São 57,3% A média dos salários dos entre os brasileiros trabalhadores é de com 15 anos ou mais de estudo. R$ 1.417,00 enquanto o das , trabalhadoras fica em As mulheres representam R$ 997,00 , 51,4% o que equivale a da população. 70,4% do rendimento masculino. A taxa de mulheres desocupadas  As mulheres dedicam que, em 2009, era de 275 58,3% caiu para horas por ano a mais que os homens em todas as tarefas. 51,8% , em 2011. Fonte: IBGE 7
  • 8. Na criação do Movimento Mulher 360, A situação das mulheres negras no mer- uma das principais metas estabelecidas pelo cado de trabalho do Brasil é também preo- grupo de quase 40 empresas, que se uniram cupante, pois representam 59% da força de em torno da ideia de valorização da mulher, trabalho feminina, mas concentram-se em foi de “impactar economicamente cem mil cargos de menor hierarquia. A pesquisa Perfil mulheres até o ano de 2015”. Impactar, se- Social, Racial e de Gênero das 500 Maiores gundo Marcos Samaha, presidente do Wal- Empresas mostra que a participação das mart Brasil, significa mulheres assumindo mulheres negras diminui na medida em que cargos de lideranças nas empresas partici- avança na hierarquia corporativa. Em 2010, pantes, como também o apoio a mulheres apenas 2,1% dos quadros de gerência e 0,5% que estão nas cadeias de valor das empresas, do quadro executivo das empresas eram que serão incentivadas a formalizar negócios ocupados por mulheres negras. e melhorar a qualidade de vida delas próprias Há dados alentadores em relação à in- e de suas famílias. serção das mulheres no mundo do trabalho. Uma pesquisa da consultoria McKinsey cal- cula que, ao reduzir as distâncias entre ho- Foto: divulgação mens e mulheres no mercado de trabalho, os países emergentes poderiam aumentar a renda per capita em 30% até 2030. Alinhado aos princípios de empodera- mento feminino da ONU Mulheres, o Mo- vimento Mulher 360 propõe trabalhar o equilíbrio de gênero e o empreendedorismo feminino de forma abrangente, internamen- te nas empresas, nas suas cadeias produtivas, Debate durante Esse movimento de empoderamento da nas comunidades e em esforços voltados para o lançamento do mulher conta com apoios importantes, além qualificar e valorizar a mulher na sociedade. Movimento das empresas signatárias, como do Institu- Para garantir a troca de informações e o Mulher 360, to Ethos, da Secretaria de Políticas para as acompanhamento de todas as ações do Movi- mediado pela Mulheres da Presidência da República, do mento, foi criado um portal de conteúdo com jornalista Glória Maria. Conselho Empresarial Brasileiro pelo De- informações sobre a atuação das mulheres senvolvimento Sustentável (Cebds), da ONU na sociedade. No endereço www.movimen- Mulheres e da Organização Internacional do tomulher360.com.br, o internauta encontra Trabalho (OIT). O engajamento das empresas material sobre a mulher em seus diversos na elaboração de programas e políticas de papéis, publicações, vídeos e depoimentos de inserção das mulheres é importante porque, formadores de opinião sobre o assunto. Há segundo dados da ONU Mulheres, apenas também publicações de entidades como a políticas governamentais de distribuição de Organização Internacional do Trabalho (OIT) renda não são capazes de transformar a par- e a ONU Mulheres, entrevistas e depoimentos ticipação social das mulheres, que seguem de mulheres executivas de grandes empresas, como figuras secundárias. Um exemplo disso entre outras mulheres de destaque. é que, entre o bilhão de seres humanos que O Movimento Mulher 360 tem garantido vivem em situação de extrema pobreza no às mulheres oportunidades que vão muito mundo, 700 milhões (ou 70%) são mulheres. além de políticas governamentais. Neste um Entre os 800 milhões de analfabetos, mais de ano de atividades, grande parte das empresas 500 milhões são mulheres. que firmaram o compromisso de agir em prol das mulheres apresentou avanço em seus nú- meros. Também, grande parte das empresas está apoiando projetos sociais ou de empre- Foto: divulgação endedorismo que beneficiam mulheres. Segundo Camila Valverde, diretora de sustentabilidade do Walmart Brasil, o Movi- mento está ainda na infância, mas pode con- tribuir para que o século 21 seja, de fato, o sé- Marcos Samaha, culo das mulheres: “O olhar feminino vê além presidente do dos desafios do cotidiano, enxerga o futuro Walmart Brasil. por meio dos sonhos das pessoas”, explica.8
  • 9. Desafios de gênero • O Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Ifad) indica que a porcentagem de  terra pertencente a mulheres é inferior a 2%. • Estima-se que no universo de mais de um bilhão de pessoas que vivem na extrema pobreza  no mundo, 70% sejam mulheres. Além disso, dois terços dos analfabetos do mundo também são do sexo feminino. • De acordo com pesquisa do governo dos Estados Unidos, todos os anos são traficadas 800  mil pessoas pelas fronteiras norte-americanas, sendo 80% mulheres e até 50% destas são menores de idade. • Estima-se que 72% dos 33 milhões de refugiados em todo o mundo sejam mulheres e crianças.  Avanços das mulheres • A revista The Economist estima que, ao longo da última década, o trabalho das mulheres  contribuiu mais para o crescimento global do que a China. •  ados da consultoria Catalyst mostram que empresas que têm mais mulheres em cargos D de liderança têm melhores resultados financeiros. •  agência Goldman Sachs indica que diversas regiões do mundo poderiam aumentar o A PIB se reduzissem a discrepância nas taxas de desemprego entre homens e mulheres: 13% na zona do Euro, 16% no Japão e 9% nos Estados Unidos. •  s mulheres já representam cerca de 40% da força de trabalho global. No Brasil, a A evolução é bastante significativa. Na década de 1970, as mulheres eram menos de 20% dos trabalhadores brasileiros, número que passou para 43,9% em 2009 e hoje já chega a 60%. 35% das famílias no Brasil são chefiadas por mulheres.Os quatro pilares estabelecidos para o Movimento Mulher 3601. Desenvolvimento das mulheres dentro das empresasO Movimento, dentro das empresas, fomentará iniciativas voltadas para a inclusão de mulheres, seu desenvolvimentoprofissional e a formação e promoção da liderança feminina.2. Desenvolvimento de mulheres na cadeia de valorN as cadeias de valor das empresas serão desenvolvidas ações direcionadas à ampliação da participação feminina em todo ociclo, por meio de iniciativas de desenvolvimento profissional da mulher e de valorização do empreendedorismo feminino.3. Inclusão social das mulheresN a área do investimento social, o Movimento buscará incentivar empresas a desenvolver ações que promovam ocrescimento das mulheres e valorizem sua atuação como agentes de transformação.4. Valorização da imagem da mulher na sociedadeE , para engajar toda a sociedade em um mesmo propósito, incentivaremos as empresas a incorporar mensagens devalorização do papel das mulheres em suas ações de comunicação. 9
  • 10. Foto: Shutterstock image Bank Igualdade no século das mulheres O Movimento Mulher 360 é um articulador da promoção de iniciativas para a valorização e participação das mulheres no segmento empresarial. Busca estender essa cultura de igualdade para a cadeia produtiva relacionada a cada uma das empresas. Colocar na agenda a igualdade entre mulheres e homens no mundo do trabalho Foto: divulgação é debate atual e ainda necessário. Afinal, é mais que hora de ampliar a presença das mulheres nos postos de decisão, incluir as mulheres negras com igualdade e superar diferenças salariais existentes entre mulheres e homens. Avançamos muito nos últimos anos. A participação popular por meio do diálogo com a sociedade, governo e o segmento empresarial nas conferências e outros mo- mentos de diálogo, mostra resultados impor- tantes, mas os desafios ainda são grandes. Quero parabenizar o Movimento e todas Eleonora Menicucci as empresas parceiras pelas ações e resulta- de Oliveira dos obtidos e finalizar retomando a frase da Ministra de Estado Chefe presidenta Dilma na abertura da Assembleia da Secretaria de Políticas Geral da ONU: “Tenho certeza de que este para as Mulheres será o século das mulheres”. Presidência da República10
  • 11. Mulheres com ações em redeO Ministério do Meio Ambiente mantém uma bem-sucedida Redede Mulheres pela Sustentabilidade, à qual o Movimento Mulher360 aderiu durante a Rio+20, ampliando a capacidade de açõesafirmativas dos dois movimentos.Conversamos com SamyraCrespo, secretária de ArticulaçãoInstitucional e CidadaniaAmbiental do MMA. Foto: divulgação Quais ainda são as maiores carências na equidade degênero na sociedade brasileira. A causa feminista é bastante antiga no Brasil. Come-çou com o movimento sufragista, pelo voto da mulher,no início dos anos 1930, e nos últimos anos ganhou forçacom a criação do Conselho Nacional da Mulher, que de-pois tornou-se uma secretaria especial e atualmente é umMinistério. A presidenta Dilma citou explicitamente a causada equidade de gênero em seu discurso de posse, e atual-mente existem mulheres em diversos escalões em quasetodos os ministérios. É importante não “departamentalizar”uma causa, mas sim torná-la transversal. No caso do Minis- lheres. É preciso trabalhar a comunicação dirigida a essastério do Meio Ambiente, que tem uma mulher à frente, a mulheres, para que elas possam fazer transformações noministra Izabella Teixeira, temos três linhas de ação focadas seu dia a dia e com isso ajudar a causa da sustentabilidadeem mulheres. A primeira é a de ações afirmativas para tirar e do desenvolvimento do Brasil.as mulheres da pobreza. Outra linha de ação está focadaem mulheres que atuam em cadeias da sociobiodiversida- Vocês buscam o engajamento das empresas parade, como as quebradeiras de cocos, produtoras de açaí ou contribuir com essa mudança de perfil?que trabalham com a produção e uso de fitoterápicos. Aterceira linha é a Rede Mulheres pela Sustentabilidade, que Buscamos principalmente as mulheres empresárias,busca fortalecer ações de eliminação da miséria, talvez o executivas, e por sua vez as empresas. No caso do Mu-principal objetivo deste governo. lher 360, foi a busca da empresa numa cadeia de valor. A adesão do Movimento Mulher 360, à Rede de Mulheres A ideia é utilizar essas mulheres já bem-sucedidas pela Sustentabilidade, foi muito importante porque já épara influenciar novos empreendimentos? um trabalho que vem sendo desenvolvido há um ano, já tem um grau de maturidade, e os objetivos do Mulher 360 A nossa ideia é “empoderar” a mulher para que ela são muito próximos do nosso objetivo. Eu acho que, se eupossa influenciar nos conselhos de administração das em- tivesse que resumir em uma palavra, o Mulher 360 mostrapresas. Levar para o coração do negócio tanto a equidade já no título que você faz uma ação afirmativa, que leva emde gênero como a sustentabilidade. Também é preciso consideração todos os aspectos. É importante a inclusãotrabalhar a comunicação de massa e não apenas peque- produtiva, a independência econômica da mulher, masnos grupos. O IBGE diz que somos cem milhões de brasi- principalmente que ela tenha um ganho de consciêncialeiros consumindo, e a maior parte, mais de 50%, é de mu- do papel que tem na sociedade. 11
  • 12. Foto: UN Photo/Tim McKulka ONU Mulheres, presença em 80 países As desigualdades entre homens e mulheres permanecem profundamente enraizadas em um grande número de sociedades. As mulheres deparam-se, muitas vezes, com a falta de acesso à educação e aos cuidados básicos, devem superar a segregação nos empregos e as diferenças de remuneração, estão sub-representadas nos processos de tomada de decisões e são vítimas de violências. São desafios que Michelle Bachelet, diretora executiva da ONU Mulheres, enfrenta com toda sua determinação, e nos conta nesta entrevista à jornalista Jasmina Šopova*. * Jornalista de O Correio da Unesco.12
  • 13. O número de mulheres eleitas para Em quantos países está presente a ONU assumir a direção de Estados, governos e Mulheres? agências da ONU tem aumentado nos úl- timos anos. Este fenômeno já apresentou Trabalhamos com todos os Estados- efeitos positivos sobre questões sensíveis -membros da ONU que solicitam os nossos relativas às mulheres em âmbito mundial? serviços, sejam eles países desenvolvidos ou em desenvolvimento. Atualmente, a ONU Em uma perspectiva histórica, foi reali- Mulheres está presente, em graus variáveis, zado um enorme progresso. Apesar de ainda em cerca de 80 países, e teremos de forta- existirem desafios a enfrentar, a igualdade de lecer nossa presença naqueles que têm ne- gênero entrou em uma dinâmica que nunca cessidade de nosso apoio. Vamos intervir de havia ocorrido no passado, tanto no plano in- forma gradual, à medida que desenvolver- ternacional como inter- mos nossas capacida- namente, na maior parte des e nossos recursos dos países. A razão disto de ordem institucional. Salvar maior é que as mulheres assu- Em cada país, uma das miram a defesa da igual- número de vidas no prioridades consistirá dade de gênero, assim momento do parto em atingir os grupos de como as questões mais mulheres mais margina- sensíveis em diversos exige conhecimentos lizadas. São elas que têm níveis, tanto no seio de básicos e meios mais necessidade do sua comunidade quanto pouco onerosos apoio da ONU Mulheres. na direção dos Estados. Cooperar com elas pode A existência de mulheres que poderiam ser a melhor maneira de líderes tem levado um estar disponíveis utilizar nossos recursos. número crescente de facilmente às Como o Unicef tem de- pessoas a compreender monstrado, o método que as mulheres devem mulheres de todos mais eficaz consiste em participar ativamente os países do mundo. investir na parcela da das atividades econômi- população mais margi- cas, que se deve acabar nalizada. com a violência contra as mulheres e que se deve utilizar a capacidade das mulheres para Qual é o lugar da igualdade de gênero que elas se tornem promotoras de mudanças nos Objetivos de Desenvolvimento do Milê- que vão beneficiar a todos. Para atingir es- nio (ODM)? ses objetivos, devemos fornecer os recursos e empreender as ações necessárias – como Conseguir a igualdade de gênero – ob- fizemos, em parte, ao criar a ONU Mulheres, jetivo número três dos ODMs – é primordial que é a “defensora” obstinada dos direitos das para a realização de todos os outros obje- mulheres no mundo. tivos. Vamos continuar a insistir, até 2015 (prazo final para a realização dos ODMs), no vínculo crucial existente entre a igualdade de gênero e todos os outros objetivos que Foto: divulgação dizem respeito à pobreza, à saúde, à edu- cação ou ao meio ambiente. Um dos pro- blemas prioritários relacionados à nossa missão é a mortalidade materna. No plano mundial, estamos longe de ter consegui- do um avanço satisfatório. Podemos – e devemos – obter melhores resultados. Sal- var maior número de vidas no momento do parto exige conhecimentos básicos e meios pouco onerosos que poderiam es- tar disponíveis facilmente em toda parte, se os governos e a comunidade internacional decidissem realmente reconhecer esta açãoMichelle Bachelet como prioritária. 13
  • 14. A mulher na empresa As empresas participantes do Movimento Mulher 360 responderam, neste primeiro ano de atividades, a três pesquisas que são uma verdadeira “lição de casa”. O objetivo era, principalmente, que cada empresa olhasse para si mesma com o enfoque do movimento, criando a percepção de quanto já avançou na integração da mulher em seus quadros, em cargos executivos e quanto ainda há por ser feito. Em média, entre os associados ao mo- res no quadro total de colaboradores, que vimento, as mulheres são 36,8% dos fun- tipo de programas de benefícios, focados cionários, sendo que 32,2% dos quadros de em suas funcionárias, a empresa mantém, liderança são ocupados por mulheres. Um quantas ocupam cargos executivos e quan- dado relevante é que 23,7% dos funcionários tas trabalham diretamente com a alta gestão que se reportam diretamente à presidência da empresa, além, é claro, de que empresas são mulheres. são presididas por mulheres. A maioria das empresas já conta com projetos voltados para o desenvolvimento Imagem da mulher social e econômico de mulheres, seja den- tro de seus quadros ou elaborados e execu- Outra pesquisa realizada foi sobre a ima- tados por organizações sociais. O número gem que a publicidade faz das mulheres e é expressivo: 63% das empresas investem como vem evoluindo a presença da mulher recursos para ampliar as oportunidades de nessa área. Os dados desta pesquisa mos- mulheres, contra apenas 37% que não têm tram que, mesmo com a evolução da ima- ainda nenhuma iniciativa nesta direção. gem e da presença da mulher na sociedade, As perguntas foram direcionadas ao au- a mídia ainda trabalha com inúmeros clichês. toconhecimento das empresas nas questões No entanto, há evolução na abordagem dos de gênero, tais como percentual de mulhe- diversos meios.14
  • 15. Foto: Shutterstock Image Bank Percentual de mulheres dentro Presença das mulheres na liderança do universo que se reportam dentro as empresas diretamente ao presidente 23,7% 32,2% Presença das mulheres dentro Projetos com foco em mulheres as empresas 63% têm projetos 36,8% voltados às mulheres 37% não têm projetos para as mulheres Fonte: Universo das Empresas do Movimento Mulher 360 15
  • 16. Foto: Shutterstock Image Bank A imagem da mulher na propaganda Por Carolina Roxo Nobre Barreira* Sabemos o quanto a propaganda reflete e vimos que esta é uma questão bastante “Existe uma os valores de uma sociedade e o espírito de polêmica e presente em diversos fóruns de evolução. Hoje um tempo. Também sabemos o quanto ela discussão, tanto acadêmicos quanto empre- a gente já vê atua, cada vez mais, como um instrumento sariais. mais negras nas de poder, ajudando a disseminar valores e Ao analisarmos a propaganda ao longo propagandas, influenciando comportamentos e modismos dos anos, observamos que houve uma gran- mulheres mais – pautando tanto modas quanto modos de de evolução no imaginário do feminino que velhas, cabelos ser e viver. Assim, para compreender a ima- acompanha o movimento de emancipação bem crespos. gem da mulher na sociedade hoje, é funda- da mulher na sociedade: se até a década de O Movimento mental analisar que tipo de imaginário do 1960 a mulher era retratada quase que exclu- Beleza Natural feminino vem sendo propagado pela comu- sivamente nos domínios do lar, responsável foi um marco na nicação atual. pelos cuidados da casa, dos filhos e do mari- propaganda e A proposta deste ano do GT4 (Grupo do, contando com a ajuda das novas facilida- esta é uma de Trabalho 4 do Movimento Mulher 360) des da modernidade (aspirador de pó, fogão necessidade foi justamente o de buscar compreender de a gás, etc.), a partir da década de 1970 obser- que existe que maneira a mulher brasileira vem sendo va-se a queda de prestígio da mulher no lar e até hoje.” retratada nas propagandas e realizar uma re- o aparecimento de novas representações do flexão sobre o tema, a partir de uma pesquisa feminino – o mito da dona de casa exemplar Sandra Soares, editora feita junto a especialistas do universo femini- dá lugar ao mito da beleza exemplar. do portal M de Mulher no e da comunicação. Discutimos o assunto A partir dos anos 1990, a comunicação com jornalistas, comunicadores, semioticis- amplia o seu leque de referências e passa a tas, sociólogos, economistas e educadores, retratar a mulher moderna em seus novos16
  • 17. papéis sociais, porém sem deixar de lado a “Não existe ‘uma nova mulher’, existem ‘várias novassua responsabilidade sobre o cuidado da mulheres’... Eu não acredito que exista uma linguagem única,casa – ainda que com novos contornos, não dá para colocar em caixinhas, já que hoje você temmais contemporâneos. A mulher passa a ser mulheres diferentes, de todos os tipos e com diferentes desejos.retratada assumindo outras funções e pro- E também tem várias coisas dentro de uma mulher só!”fissões e ganha independência emocionale financeira. Este movimento continua até Angélica Santa Cruz, editora da revista Lolahoje, no qual a comunicação busca espelharuma mulher cada vez mais poderosa e donade si, que tem que dar conta dos inúmeros “Eu acho que ainda falta trazer outros olhares para apapéis que desempenha, tanto dentro como mulher... Outras opções de família e de sexualidade, maiorfora de casa. diversidade de estéticas corporais, porque isso também No entanto, segundo os especialistas compõe a riqueza feminina.”pesquisados, mesmo que a propaganda te-nha se atualizado, acompanhando as evo- Tania Hoff, especialista em comunicação e professora da ESPMluções e ampliações dos papéis femininos,ainda peca por apresentar diversos clichêse substituir antigos modelos por novos, semcontribuir para uma “real emancipação” damulher na sociedade. Esta questão é apon-tada em diversos aspectos do feminino, quevão desde os padrões de beleza preconiza- “É importantedos até os modelos de mulher, mãe e profis- assumir asional, normalmente valorizados nas comu- complexidade.nicações das marcas. Mostrar que é Na percepção dos especialistas, exis- difícil mesmo,tem algumas marcas que conseguiram que não é tudoromper com estes modelos, como a Dove, cor-de-rosa...”com a campanha pela beleza natural, citadapor quase todos os pesquisados como um Regina Madalozzo,marco na propaganda, apresentando uma economistaruptura nos ideais de beleza que pregam a especializada nomagreza e a perfeição. Além da Dove, outras mercado de trabalhocampanhas são citadas como as da marca para mulheresNatura, que são consideradas muito positi-vas por valorizarem o feminino na sua diver-sidade e naturalidade, incluindo a beleza dasmulheres mais maduras. Porém, apesar do “oxigênio” trazido porestas e algumas outras campanhas citadas,a sensação dos pesquisados é que a maior “Se antes havia o modelo da dona de casa, hoje há o modeloparte da comunicação que se vê hoje ainda da mulher poderosa, que é uma superprofissional, que é lindabusca encaixar as mulheres em modelos e e ainda consegue ter uma família feliz... É o que eu chamopadrões, sem dar conta de toda a comple- de ‘a mulher sintética’, que é praticamente milagrosa, poisxidade e diversidade do feminino contem- sintetiza tudo: por um lado, toda moderna e independente e,porâneo – que engloba não apenas os de- pelo outro, romântica e sonhando em achar o parceiro ideal.”sejos das mulheres, mas igualmente as suasangústias, suas dificuldades e suas diferentes Denise Gallo, pesquisadora e profissional de comunicação e semióticaescolhas, quaisquer que sejam elas, incluin-do as afetivas e sexuais. Sendo assim, perce-be-se que ainda existe um longo caminho a “A partir dos anos 1970, a mulher já começa a ser retratadaser percorrido pelas marcas para que estas para além da dona de casa. Em propagandas de cigarro, vocêconsigam retratar de maneira mais autêntica tem aquelas mulheres maravilhosas e, a partir dos anos 1980,e efetiva a mulher contemporânea, conse- se intensifica a mulher como elemento de beleza e sedução,guindo assim estabelecer um diálogo mais principalmente nas propagandas de lingerie.”verdadeiro (e positivo) com suas própriasconsumidoras. Tânia Hoff, especialista em comunicação e professora da ESPM 17
  • 18. 1 Foto: Photodisc Desenvolvimento das mulheres dentro das empresas Desenvolvimento de mulheres na cadeia de valor 2Foto: Photodisc
  • 19. 3Inclusão social das mulheres Foto: divulgação Valorização da imagem da mulher na sociedade4 Foto: Shutterstock Image Bank
  • 20. Os pilares da transformação O Movimento Mulher 360 atua com base em pilares que sustentam os projetos e programas das empresas e organizações parceiras. São grandes linhas que permitem a estruturação de ações capazes de cumprir as metas de resultados de todo o Movimento. Desenvolvimento das mulheres dentro das empresas Demonstrar avanço quantitativo na participação de mulheres em posições de liderança, visando a alcançar o equilíbrio de gênero Capacitar, incentivar e possibilitar que menos mobilidade. A questão do networking cada vez mais mulheres assumam posições também precisa ser bastante trabalhada. O de liderança dentro das empresas e oferecer grupo permite que as empresas vejam bons condições para que exista equidade de gê- exemplos e se inspirem para replicar.” nero nas organizações. Este é o compromis- A percepção, de que a valorização do so assumido pelas empresas que assinam a papel da mulher é um objetivo comum, é adesão ao Movimento Mulher 360. também um legado positivo deixado pelo O cenário brasileiro é promissor. Pes- primeiro ano de ação. “A pesquisa vai nos quisas apontam que aumenta a cada ano a dar agora bases sólidas para trabalhar”, fina- presença feminina nos degraus mais altos da liza Adriana. hierarquia empresarial. Segundo um levanta- mento da consultoria Grant Thornton, divul- gado em 2012, 27% dos cargos de liderança das organizações do país são ocupados por mulheres, número superior aos 24% registra- dos em 2011 e aos 21% da atual média global. Para alavancar estes números, o primei- ro exercício feito pelas empresas signatárias foi olhar para dentro de suas organizações e entender, a partir de uma pesquisa, qual é a posição que as mulheres estão ocupando dentro de cada uma delas. “Queremos um diagnóstico das melhores práticas”, explica Foto: Shutterstock Image Bank Adriana Carvalho, gerente da Dow Química. Ao longo deste primeiro ano de ativida- des, foram realizadas reuniões do grupo de trabalho que discutiu o tema, que é o pilar número um do Movimento. A troca de ex- periências permitiu, segundo Adriana, que alguns pontos fossem destacados como principais desafios. “A mulher, principalmen- te após a maternidade, tem jornada dupla e20
  • 21. Foto: divulgação Camila Valverde, diretora de Desenvolvimento de mulheres na cadeia sustentabilidade do Walmart Brasil. de suprimentos Implementar políticas, diretrizes e/ou programas de desenvolvimento da mulher com seus fornecedores Desde que o Movimento Mulher 360 Assim se desenhou o pilar Desenvol- foi idealizado, o plano de empoderamento vimento de Mulheres na Cadeia de Supri- econômico e social das mulheres é o que mentos, que, após um ano de atividades, norteia aqueles que estão encarregados ganhou um novo nome: Desenvolvimento de transformar pensamentos em ações. Ao de Mulheres na Cadeia de Valor. “As empre- assinar o termo de adesão, as empresas si- sas que fazem parte do Movimento estão em nalizam sua disposição para quebrar para- segmentos totalmente diferentes. Então a digmas e se tornarem celeiros de práticas cadeia é diferente. Umas são indústrias que inovadoras. fornecem para indústrias, outras são empre- São atualmente 41 empresas, que agre- sas que lidam direto com o fornecedor ou gam milhares de mulheres em seus quadros cliente”, explica Camila Valverde, diretora de de funcionários. Porém, apesar desse grande sustentabilidade do Walmart Brasil. potencial, as instituições entendem que é A grande diversidade de segmentos que preciso ir além de seus muros. o Movimento conseguiu reunir é também o Foi no universo das enormes cadeias, principal desafio encontrado. “Tivemos que que se formam em torno de grandes corpo- amadurecer o tema e entender as dificulda- rações, que elas enxergaram a oportunidade des, para agrupá-las por semelhança. A gen- de dar escala ao impacto que as empresas te espera que em 2013 as empresas possam podem ter no desenvolvimento econômico fazer projetos compartilhados para o desen- da mulher. volvimento da mulher.”, acrescenta Camila. 21
  • 22. Inclusão social das mulheres As empresas se comprometem a, conjuntamente, gerar impacto positivo na vida de cem mil mulheres, por meio de investimento social privado e ações de responsabilidade social As empresas que se associaram ao Mo- vimento Mulher 360 estabeleceram como meta impactar cem mil mulheres com suas ações. Uma das primeiras iniciativas foi fazer uma pesquisa, em cada uma das associa- das, para identificar a situação das mulheres em seus próprios quadros, para em seguida adotar ações que garantam a inclusão plena das mulheres, conta João Santos, diretor da The Key. No grupo de trabalho do terceiro pilar, que discute as práticas de inclusão social, al- gumas das organizações já possuíam ações inclusivas bem estruturadas, como é o caso da campanha Bem Querer Mulher realiza- da pela ONU Mulheres em parceria com a Ao lado: João Santos, The Key. A iniciativa levanta a bandeira da diretor da The Key Não violência contra a mulher. “A campa- nha tem algumas vertentes. Uma delas é a Abaixo: Jefferson capacitação de mulheres, que são lideranças Correia, responsável comunitárias, para que elas possam apoiar, pela área de Assuntos esclarecer e orientar as mulheres vítimas de Corporativos da violência em seus bairros. Chamamos estas Kimberly-Clark. mulheres de Agentes Bem Querer Mulher”, explica Santos. ões ajudam as empresas a perceberem o que A campanha existe desde 2008 e, se- é preciso fazer e como fazer com qualidade.” gundo aponta o diretor da The Key, pode Outra iniciativa considerada referência servir de modelo para que outras organiza- para as demais empresas engajadas neste ções realizem ações semelhantes. “As reuni- pilar é o projeto Mulher Atuação, encabe- çado pela empresa Kimberly-Clark. A ação promove a conscientização de mulheres em comunidades nos entornos das fábricas da empresa. “São capacitações voltadas para a garantia de direitos, com base no Plano Na- cional de Politica para as Mulheres, do go- verno federal. Elas aprendem a trabalhar em rede e fazem um diagnóstico de quais são as principais carências da sua região”, conta Jefferson Correia, responsável pela área de Assuntos Corporativos da Kimberly-Clark. Para que todas as empresas do grupo tenham firmeza nos próximos passos que darão nesta caminhada, foram convidadas a responder um questionário sobre as ações que cada uma delas realiza. Em relação a esta pesquisa, os dois gestores são uníssonos ao declararem que “vai nos dar uma radio- grafia, que nos subsidiará no planejamento para o ano que vem”.22
  • 23. Valorização da imagem da mulher na sociedade Incorporar mensagens de valorização da mulher em campanhas de comunicação e/ou ações educativas Na televisão, nas revistas, nos jornais e no mercado de trabalho”, explica Liliany, que no ponto de ônibus. Em quase todos os mo- desenvolveu a tese de mestrado Imagem da mentos da vida, as pessoas estão expostas mulher na publicidade com foco no corpo a algum tipo de propaganda. Tamanha pre- feminino. sença no cotidiano torna a publicidade uma Atuante no grupo de trabalho deste poderosa arma na formação dos valores cul- pilar desde as primeiras reuniões, Liliany é turais de uma sociedade, capaz de direcionar otimista quando o assunto é a valorização olhares e significados. da mulher nas campanhas publicitárias. “A O objetivo do quarto pilar do Movimento gente pode ter algum viés que não é total- Mulher 360 é tornar essa força uma aliada na mente bom, mas, comparado à história, eu missão do empoderamento feminino. acho que a gente está caminhando a passos Segundo Liliany Samarão, supervisora largos”, ressalta. de atendimento e gestão da Agência África, A primeira ação do grupo de empresas observar a maneira como as mulheres são engajadas neste pilar foi a realização de uma retratadas na publicidade é observar a evo- pesquisa inédita, com o objetivo de mostrar lução do papel delas na sociedade. “Nos anos como a publicidade retrata a mulher. “Com 1960, a publicidade era machista. A mulher base nos resultados vamos agora fazer uma era retratada na cozinha e quem dava a co- nova pesquisa, para entender como a mulher zinha para ela era o homem. Nos anos 1980, gostaria de ser retratada. Esse material vai isso começou a mudar. Hoje em dia, o retra- nos dar subsídios para trabalhar as campa- to é de uma mulher inserida na sociedade e nhas publicitárias”, aponta Liliany. Liliany Samarão, supervisora deatendimento e gestão da Agência África. 23
  • 24. Me senti respeitada como mulher e senti que eu trabalho na empresa certa. Ficar gestante e ter um tempo de licença maternidade é uma condição natural da mulher e não é Pilar 1 impeditivo para termos as rédeas de Quando se fala de progressão da carreira da nossas carreiras. mulher e de liderança, os homens também exercem um papel fundamental. Eles trabalham Camila Valverde com muitas mulheres e têm muitas mulheres subordinadas. Assumiu no sétimo mês de gravidez É importante que eles estejam preparados para lidar com seu primeiro posto na área de assuntos essa transformação cultural, social e de negócios. Porque, na corporativos do Walmart Brasil. Hoje é hora que a mulher assume posições de destaque dentro de diretora de sustentabilidade da empresa organizações, da sociedade, de governos, a maneira como ela e mãe de dois filhos. se relaciona é bastante diferente, seja com os seus pares, seja com os subordinados. As companhias têm de estar preparadas para isso. Andréia Salgueiro Vice-presidente da área de produtos pessoais da Unilever Brasil e líder de diversidade e inclusão para a América Latina. Foi a primeira mulher a assumir no Brasil um cargo deste nível na empresa. O empoderamento financeiro ajuda a melhorar a autoestima dessas mulheres. Assim, elas conseguem sair, não só de uma classe social mais baixa , como também muitas vezes Pilar 3 A articulação promovida pelo Movimento, de uma submissão ou de uma condição não favorável, de aproximar as empresas das organizações e ser dona do seu que trabalham direto com as comunidades, próprio nariz. é fundamental. Se você não articula, tem gente inventando a roda e começando a fazer toda a Luciana Rego trajetória, para chegar em lugares em que já chegamos e às vezes pisando nas pedras que nós já Gerente de sustentabilidade conseguimos tirar da frente. da Bombril, falando do projeto Casa Bombril, que dá cursos de Lizete Prata capacitação e profissionalização para empregadas domésticas. Uma das fundadoras da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Associação Mundaréu, criada em 2001 para promover o desenvolvimento e a inclusão social de grupos de produtores artesanais de todo o país.24
  • 25. Não é uma competição entre homem e mulher.É algo que vai além da soma. Agente trabalha junto e agregaolhares diferentes para osclientes e para a gestão Pilar 4 A publicidade ocupa grande parteda empresa. da vida das pessoas e tem o poder de direcionar olhares e significados.Carla Bellangero Nos anos 1960, a publicidade era machista.Sócia diretora da empresa de A mulher era retratada na cozinha e quemconsultoria e auditoria KPMG. dava a cozinha para ela era o homem. NosHá quatro anos desenvolve um anos 1980, isso começou a mudar. Hoje emtrabalho de ampliação da presença dia o retrato é de uma mulher inserida nafeminina na organização. sociedade e no mercado de trabalho. Estamos caminhando a passos largos, mas ainda precisa melhorar. O Walmart teve uma grande ideia que se espalhou por outras grandes empresas. O primeiro ano é só um cheirinho do que vem por aí. Liliany Samarão Supervisora de atendimento e gestão na Agência África. Desenvolveu uma tese de mestrado intitulada Imagem da mulher na publicidade com foco no corpo feminino. O investimento que se faz em mulheres no Brasil ainda é muito tímido. Isto precisa mudar. E o movimento tem tudo para ser uma ponte para que isso aconteça. Os empresários precisam entender que o investimento nas mulheres é um dos investimentos com maior retorno. A mulher é agente de transformação da comunidade onde ela vive. Investindo na mulher, se investe na família, e os resultados se refletem na comunidade, na cidade e no Brasil como um todo. Veronica Marques Gerente de comunicação e desenvolvimento do ELAS Fundo de Investimento Social, instituição que há quase dez anos trabalha viabilizando investimento social voltado exclusivamente para a promoção do protagonismo de meninas, jovens e mulheres. 25
  • 26. Empresas e organizações sociaise seus negócios inclusivosColetivo Coca-Cola volvimento social e humano. Essa parceria possibilita a oferta dos produtos do Coletivos Coca-Cola em canais de comércio justo emSuperação, evolução e crescimento todo o país, além de melhorar o perfil de ren- da que pode ser gerada a partir de embala- Apoiar pessoas, principalmente mu- gens descartáveis.lheres, para que consigam superar desafios As matérias-primas vêm das própriaspara a inclusão social e o desenvolvimento comunidades, onde embalagens de PET e deeconômico. Este é o foco da ação social da Tetrapak são coletadas, higienizadas e trans-Cola-Cola, que desenvolveu uma inovadora formadas, pelas mãos das artesãs, em peçasforma de atuar, por intermédio de Coletivos, exclusivas como bolsas, carteiras e enfeitesque são espaços de encontro e aprendiza- de Natal. “São inúmeras as histórias de supe-do de portas sempre abertas. Lugares que ração, evolução, crescimento e vitória vindasacolhem a diversidade – para trocar ideias, de gente que, pouco antes, não acreditavapotencializar talentos, gerar oportunidades e no futuro e em si mesma, na possibilidade depreparar um futuro colaborativo. desenvolver uma carreira profissional”, conta O programa de Coletivos está em 400 Claudia Lorenzo, diretora superintendentecomunidades em 21 Estados, beneficiando do Instituto Coca-Cola Brasil.mais de 50 mil pessoas até o final de 2012. Ameta da empresa é ter, até 2014, cerca de 750unidades em funcionamento em todo o Brasil,beneficiando mais de 250 mil pessoas. Comoresultado, já se contabiliza 30% de emprega-bilidade, aumento médio de 50% da rendafamiliar e incremento da confiança no futuro. Um passo importante foi a parceria fir-mada entre o Coletivo Coca-Cola e a RedeAsta, um negócio social que oferece pro-dutos de organizações focadas em desen- Artesã do programa de Coletivos mantido pela Coca-Cola
  • 27. AmancoEspaços nunca antes ocupados A construção civil sempre foi um espaçomasculino. Profissões como pedreiros, mar-ceneiros, eletricistas e encanadores eramterritório exclusivo dos homens. Eram, por-que agora as mulheres avançam com muitacompetência e ocupam cargos em quasetodas essas atividades. Segundo a RelaçãoAnual de Informações Sociais (Rais) do Mi-nistério do Trabalho e Emprego, o númerode mulheres na construção civil aumentou65% na última década. Em 2000, elas erampouco mais de 83 mil, e oito anos depoischegavam a quase 138 mil profissionais emobras por todo o país. Para a Amanco, essa é uma realidadeque deve ser estimulada. Por meio de umaparceria com o Senai, a empresa tem apoia-do cursos em todo o Brasil, que são procura-dos por cada vez mais mulheres. “Nós finan-ciamos parte do curso, que é oferecido noBrasil inteiro, nos 27 Estados, em mais de 240unidades. Já treinamos mais de 50 mil pes-soas desde 2005”, conta Kátia Matias, gerentede Relacionamento da Mexichem, controla- Mundaréudora da Amanco. As empresas construtoras gostam, se- Acima: sede do Conkistart, costura e cidadaniagundo Kátia, da mão de obra feminina em projeto Conkistart.áreas que exigem capricho, como colocação O Jardim Conquista, periferia de São Abaixo: Paulo Paulo, é um lugar onde menos de 6% dosde piso. “Ela não tem força, então não vai tra- Mindlin, diretorbalhar em uma obra de estrutura, uma coi- trabalhadores têm emprego formal, menos do Institutosa pesada, mas em serviços mais leves não de 15% da população completou o ensino Walmart Brasil,existe nenhum limitador, porque a mulher com integrantes do fundamental e quase metade das mortes épresta mais atenção aos detalhes”, ressalta. projeto durante a provocada pela violência. Neste cenário de inauguração da sede ausência de equipamentos culturais e de la- do Conkistart. zer, a Associação Mundaréu desenvolve, em parceria com o Instituto Walmart, o projeto Conkistart, que desde 2007 atua com mu- lheres de 25 a 60 anos em uma linha de ca- pacitação e qualificação para a produção de sacolas e outros produtos de confecção. O trabalho da Mundaréu se dá em duas frentes: estruturação do grupo de mulheres que atuam na produção, qualificando nos aspectos técnicos, de organização e de ne- gócios, com foco em confecção de produtos com detalhes artesanais; e a implantação da oficina-escola para formar novos profissio- Kátia Matias, gerente de nais como alternativa de geração de renda e Relacionamento inclusão socioeconômica. da Mexichem, Ao integrar o Conkistart, as costureiras controladora passam por um processo de qualificação da Amanco. para melhorar o perfil de sua produção: 27
  • 28. •  omogeneização da qualidade do traba- H lho do conjunto do grupo; •  elhoria da organização do processo de M produção; • Criação de linha de produtos próprios; •  mpliação de clientela e encomendas. A Uma da áreas em que foi possível para a Associação Mundaréu fazer a diferença foi trabalhar para que a produção do projeto Conkistart tivesse um sentido social, de in- clusão mais efetiva. “Foram os conceitos do comércio justo que possibilitaram a comer- cialização por meio de uma cadeia produtiva adequada do ponto de vista social e ambien- tal”, explica Lizete Prata, uma das fundadoras da Associação Mundaréu. O projeto já bene- ficiou mais de cem mulheres e vai continuar ampliando seu alcance. Instalações dos projetos da Associação Mundaréu Natura Acolher um milhão de pessoas Apoiar iniciativas e projetos em prol do atuavam como voluntários em outros traba- desenvolvimento socioambiental já é uma lhos. “Visualizamos então uma oportunidade marca da trajetória que a Natura vem dese- de incentivar estas ações”, esclarece Tsukada. nhando desde a sua fundação. O Programa Em 2009, foi lançado o primeiro edital do Acolher foi a estratégia escolhida pela em- Programa Acolher. Desde então, 28 iniciativas presa para acolher os mais de um milhão de já receberam o financiamento, que varia de consultores ligados a ela, dos quais cerca de R$ 5 mil a R$ 15 mil por ano, e apoio técnico. 95% são mulheres, dentro deste universo. “São ações das mais variadas, que vão desde A ideia surgiu a partir do Movimento trabalhos com animais, até incentivo ao alei- Natura, que atua no engajamento e cons- tamento materno”, conta o analista. cientização de toda a força de trabalho da O processo de seleção destas iniciativas empresa. “Nós queríamos fazer com que as é também uma ferramenta de conscientiza- pessoas entendessem o porquê de a Natura ção. São os próprios funcionários da empre- apoiar determinados projetos, que não fosse sa que se candidatam e ajudam na escolha apenas uma decisão dos gestores”, comenta das ações. Para Tsukada, o Acolher incentiva Lyu Tsukada, analista de marketing do Movi- os consultores, pois eles visualizam a possi- mento Natura. bilidade de colocar ideias em prática. “É uma Ao realizar este exercício, a empresa maneira de desenvolver o protagonismo descobriu que muitos de seus consultores já destas pessoas”, enfatiza. desenvolviam os seus próprios projetos, ou28
  • 29. De mulherpara mulher O Fundo ELAS é o único fundo de inves-timento social no Brasil a investir apenas emprojetos que beneficiem e empoderem mu-lheres. Em mais de dez anos de existência, oFundo já apoiou cerca de 300 projetos emtodo o Brasil. As principais linhas de ação doELAS são:•  utonomia econômica e fim da pobreza A de mulheres e meninas;•  eio ambiente, desenvolvimento justo e M Marques, gerente de comunicação do ELAS. Integrantes do projeto sustentável; Um dado importante é que o Fundo Favela Point•  udança climática e seus impactos; M ELAS não exige que os parceiros dos proje-•  Não à violência contra mulheres; tos sejam organizações formais, mas sim que•  ultura, comunicação, arte e esportes; C seus gestores sejam mulheres e que os pro-•  ireitos sexuais e reprodutivos. D jetos beneficiem diretamente uma maioria de mulheres. Os recursos utilizados para o apoio a Outro dado importante é que o ELASprojetos vêm de empresas que decidem fa- nunca atua sozinho, sempre busca parceiroszer investimento social e buscam a parce- locais que possam ajudar a realizar os proje-ria do Fundo para a gestão de seus aportes. tos e fazer a gestão dos investimentos. Este é“Nós procuramos entender o que a empresa um dos fatores que ajudam a ampliar o cam-deseja, formatamos os editais e buscamos po de ação do Fundo para todas as regiõesonde aplicar os recursos”, explica Verônica do Brasil. 29
  • 30. Fotos: Shutterstock Image Bank A mulher no Brasil do século 21 O Brasil se tornou um país feminino: o número de mulheres supera o de homens e apenas na Amazônia as mulheres estão em minoria, mas, mesmo assim, há um quase equilíbrio Para cada cem brasileiras há 95,9 homens 37,7%, uma diferença de 24,7 pontos percen- e essa diferença se torna mais evidente nas tuais. Em 2011, essas proporções foram de regiões mais urbanizadas, onde, em estados 59,6% e de 40,4%, fazendo com que a diferen- como o Rio de Janeiro, Pernambuco e Brasí- ça diminuísse para 19,1 pontos percentuais. lia, a diferença sobe para quase dez homens Porém, o maior crescimento de participação a menos a cada cem mulheres. É, também, feminina aconteceu sem garantias trabalhis- um país onde as mulheres têm menos filhos e tas, no emprego sem carteira no setor priva- mais tardiamente, mas ainda amarga diferen- do (36,5% em 2003 para 40,5% em 2011). ças de tratamento dado às mulheres, princi- Outro dado que reforça a necessidade de palmente no mundo do trabalho, onde a ren- apoio às mulheres no mundo do trabalho é da média masculina é maior em quase 30%. o fato de que 63,9% das mulheres em idade Mesmo com as diferenças, há mais mu- de trabalhar estão inativas, contra 36,1% dos lheres empregadas atualmente do que no iní- homens. Neste caso, são pessoas que não cio do século 21, segundo levantamento do têm trabalho, mas estão dispostas a trabalhar, IBGE. As mulheres avançaram em quase to- e que, para isso, tomam alguma providência das as formas de trabalho entre 2003 e 2011. efetiva. Entre as mulheres negras e pardas, a Em 2003, por exemplo, a proporção de ho- taxa de desocupação caiu de 18,2%, em 2003, mens com carteira assinada no setor privado para 9,1% em 2011. Entre as brancas, o indica- era de 62,3%, enquanto a de mulheres era de dor teve redução de 13,1%, em 2003, para 6,1%.30
  • 31. Proporção de mulheres para Diferenças no salário médio por hora paradiferentes profissões homens e mulheres (em reais) 1989 2009 Homens Mulheres Diferença é significativa? Mecânicas 0,2 0,9 Mecânicos 5,36 5,14 Não Motoristas 0,4 1,2 Motoristas 6,31 13,37 Sim, favorece mulheres Policiais 7,0 9,5 Policiais 12,93 14,32 Sim, favorece mulheres Engenheiras 8,6 12,9 Engenheiros 30,67 24,30 Sim, favorece homens Advogadas 29,4 42,3 Advogados 31,13 20,97 Sim, favorece homens Médicas 29,6 40,4 Médicos 49,19 38,18 Sim, favorece homens Administradoras 30,8 36,0 Administradores 21,73 17,15 Sim, favorece homens Enfermeiras 89,0 86,4 Enfermeiros 12,98 15,27 Não Professoras 91,5 83,0 Professores 13,20 11,23 Sim, favorece homens Secretárias 95,0 97,2 Secretários 22,68 11,09 Sim, favorece homensFonte: PNAD 1989 e PNAD2009 (IBGE). Fonte: PNAD 1989 e PNAD2009 (IBGE).Tabulação própria. Tabulação própria. Violência contra a mulher A ação de organizações de governo e não governamentais, assim como de empre- sas, tem um papel relevante na proteção das mulheres em relação à violência em todas as suas formas. O Brasil ocupa, segundo a ONU Mulheres, o vergonhoso sétimo lugar no mapa global de homicídios contra a mulher, com 4,5 assassinatos para cada grupo de cem mil mulheres, ficando bem atrás de países como Chile e Peru, respectivamente com 1,0 e 0,4 homicídios para cada cem mil mulheres. Outro dado preocupante é que o local no qual a mulher está mais exposta à vio- Outro dado relevante para a ação foca- lência é no lar, onde ocorrem cerca de 41% da em mulheres é o fato de que 37,4% dos dos incidentes, enquanto, em relação aos lares têm uma mulher como pessoa de re- homens, menos de 15% são vitimados em ferência – o equivalente a 24,099 milhões casa. E a maior parte das mulheres vítimas de famílias de um total de 64,358 milhões. de violência no Brasil tem entre 15 e 29 anos. E estas mulheres são responsáveis pelo sus- Segundo a ONU Mulheres, organismo tento de filhos, parentes e agregados. Mesmo ligado às Nações Unidas e dirigido pela ex- ganhando menos, as mulheres têm uma es- -presidente do Chile, Michele Bachelet, as colaridade maior que a dos homens. Dados mulheres ainda sofrem discriminação em di- de 2011 mostram que a população que exer- versas partes do mundo, e sua plena e igual cia alguma atividade formal no país tinha participação na arena política e econômica em média 9,2 anos de estudo, no caso dos é fundamental para a democracia e a justiça homens, e 10,7 anos, entre as mulheres. No que se deseja em todo o mundo. A igualda- trabalho informal, a média era 6,1 anos e 7,3 de de direitos e oportunidades são a base de anos, respectivamente. sociedades e economias saudáveis. 31
  • 32. Parceiros
  • 33. ColaboradoresApoiadores
  • 34. ExpedienteMulher 360 é uma publicação do Movimento Mulher 360 realizada com o apoio do Walmart Brasil. Esterelatório foi preparado em dezembro de 2012 pelo Departamento de Sustentabilidade do Walmart Brasil.Coordenação – Camila Valverde Diagramação e Arte – Rafael RuschelSecretaria – Gladis Éboli Apoio – Fábio SalamaEdição – Dal Marcondes Produção Gráfica – Rachel FornisReportagem – Alice Marcondes Produção Editorial – Instituto EnvolverdeRevisão – Nanci Vieira
  • 35. Walmart Brasil Assuntos CorporativosAv. Tucunaré, 125 - Tamboré - CEP 06460-020 - Barueri - SP Telefone: (11) 2103.5800 www.walmartbrasil.com.br