Resumo técnologia da construção
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Resumo técnologia da construção

on

  • 1,730 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,730
Views on SlideShare
1,730
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
59
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Resumo técnologia da construção Resumo técnologia da construção Document Transcript

  • RESUMO TÉCNOLOGIA DA CONSTRUÇÃOALVENARIAAlvenaria: um conjunto coeso e rígido, de tijolos ou blocos (elementos de alvenaria) unidos entre si por argamassa.Quando a alvenaria é empregada na construção para resistir cargas, ela é chamada alvenaria resistente, pois além do seu pesopróprio, ela suporta cargas (peso das lajes, telhados, pavimento superior, etc)Quando a alvenaria não é dimensionada para resistir cargas verticais além de seu peso próprio é denominada alvenaria de vedação.Que devem possuir as seguintes características: Resistência mecânica, isolamento térmico e acústico, resistência ao fogo,estanqueidade e durabilidade.- ELEMENTOS DA ALVENARIA:- TIJOLO DE BARRO COZIDO:Tijolo Comum: moldados com arestas vivas e retilíneas, obtidos após a queima das peças em fornos contínuos ou periódicos comtemperaturas das ordem de 900 a 1000°C.Tijolo Furado: vazado, moldados com arestas vivas retilíneas. São produzidos a partir da cerâmica vermelha, tendo a suaconformação obtida através de extrusão. Existindo tijolos com furos cilíndricos e com furos prismáticos.Tijolo laminado (21 furos): Utilizado para executar paredes de tijolos à vista, o processo de fabricação é semelhante ao do tijolofurado.- TIJOLO DE SOLO DE CIMENTO:Material obtido pela mistura de solo arenoso - 50 a80% do próprio terreno onde se processa a construção, cimento Portland de 4 a10%, e água, prensados mecanicamente ou manualmente. São assentados por argamassa mista de cimento, cal e areia no traço1:2:8 ou por meio de cola.- BLOCOS DE CONCRETO:Peças regulares e retangulares, fabricadas com cimento, areia, pedrisco, pó de pedra e água. O equipamento para a execução dosblocos é a presa hidráulica- PAREDES DE ALVENARIA:- PAREDE DE TIJOLO MAÇIÇO:Depois de, no mínimo, um dia da impermeabilização, serão erguidas as paredes. O serviço é iniciado pêlos cantos após odestacamento das paredes (assentamento da primeira fiada), obedecendo ao prumo de pedreiro para o alinhamento vertical e oescantilhão no sentido horizontal.Os cantos são levantados primeiro porque, desta forma, o restante da parede será erguida sem preocupações de prumo ehorizontalidade, pois se estica uma linha entre os dois cantos já levantados.A argamassa de assentamento utilizada é de cimento, cal e areia no traço 1:2:8.- AMARRAÇAO DE TIJOLOS MAÇIÇOS:Os elementos de alvenaria devem ser assentados comas juntas desencontradas, para garantir uma maior resistência e estabilidadedos painéis. Podendo ser: Comum ou corrente, Frances e Inglês.- PILARES DE TIJOLOS MAÇIÇOS:São utilizados em locais onde a carga é pequena (varandas, muros etc...). Podem ser executados somente de alvenaria ou ealvenaria e o centro preenchido por concreto.- PAREDES COM BLOCO DE CONCRETO:São paredes executadas com blocos de concreto vibrado. Com o desenvolvimento dos artigos pré-moldados, se estendemrapidamente em nossas obras. O processo de assentamento é semelhante ao já descrito para a alvenaria de tijolos maciços. Asparedes iniciam-se pêlos cantos utilizando o escantilhão para o nível da fiada e o prumo.Vantagens:-Peso menor-Menor tempo de assentamento e revestimento, economizando mão-de-obra.- Menor consumo de argamassa para assentamento.- Melhor acabamento e uniformidade.Desvantagens:- Não permite cortes para dividi-los.- Geralmente, nas espaletas e arremates do vão, são necessários tijolos comuns.- Difícil para se trabalhar nas aberturas de rasgos para embutimento de canos e conduítes.- Nos dias de chuva aparecem nos painéis de alvenaria externa, os desenhos dos blocos. Isto ocorre devido à absorção daargamassa de assentamento ser diferente da dos blocos.- PAREDES DE TIJOLOS FURADOS:As paredes de tijolo furado são utilizadas com a finalidade de diminuir o peso das estruturas e economia, não oferecem granderesistência e, portanto, só devem ser aplicados com a única função de vedarem um painel na estrutura de concreto. Sobre elas nãodevem ser aplicados nenhuma carga direta.A amarração dos cantos e da parede interna com as externas se faz através de pilares de concreto, pois não se consegue umaamarração perfeita devido às diferenças de dimensões.- VÃOS EM PAREDE DE ALVENARIA:Na execução das paredes são deixados os vãos de portas e janelas. No caso das portas os vãos já são destacados na primeira fiadada alvenaria e das janelas na altura do peitoril determinado no projeto.Esquadrias de madeira: Porta = acrescentar 10 cm na largura e 5cm na altura, devido aos batentes. Janela = acrescentar 10cm nalargura e 10cm na altura.Esquadrias de ferro: como o batente é a própria esquadria, os acréscimos serão de 3cm tanto na largura como na altura.Sobre o vão das portas e sobre e sob os vãos das janelas devem ser construídas vergas. Quando trabalha sobre o vão, a sua funçãoé evitar as cargas nas esquadrias e quando trabalha sob o vão, tem a finalidade de distribuir as cargas concentradas uniformemente
  • pela alvenaria inferior. As vergas podem ser pré-moldadas ou moldadas no local, e devem exceder ao vão no mínimo 30cm ou 1/5do vão.OBS: Caso o vão exceda a 2,00m, deve-se calcular uma viga armada.- ARGAMASSA: PREPARO E APLICAÇÃO:Deve: unir solidamente os elementos de alvenaria, distribuir uniformemente as cargas, vedar as juntas impedindo a infiltração deágua e a passagem de insetos, etc.Pode ser preparada a mão ou com o uso da betoneira.Sua aplicação pode ser tradicional ou em cordão.COBERTURASPode ser dividida em dois grupos principais: lajes de concreto impermeabilizadas e coberturas em telhado.As coberturas em telhados possuem as seguintes características quando comparadas às lajes de concreto impermeabilizadas:Menor peso; melhor estanqueidade; maior durabilidade; menor participação estrutural; menos suscetibilidade às movimentaçõesdo edifício; necessidade de forro.- TELHAMENTO:- TELHAS CERAMICAS:As telhas cerâmicas são de uso mais corrente no Brasil, sobretudo em construções residenciais uni familiares.Em princípio, há dois tipos de telhas cerâmicas: as planas e as curvas. As telhas planas são do tipo Marselha, também conhecidaspor telhas francesas, e as telhas de escamas, pouco encontradas. As telhas francesas são planas, com encaixes laterais e nasextremidades, com agarração para fixação às ripas. Pesam aproximadamente 2 kg e são necessárias 15 peças por metro quadradode cobertura. Para a inclinação usual de 30º, isso corresponde a 22 peças por metro quadrado de projeção. As normas técnicasdividem as telhas cerâmicas tipo Marselha em duas classificações, conforme sua resistência a uma carga aplicada sobre o centroda telha, estando ela sobre dois apoios: 1 a categoria: resistência mínima de 85 kg; 2 a categoria: resistência mínima de 70 kg.As telhas de escamas são feitas para emprego em mansardas e telhados de ponto elevado, situação em que as telhas francesasescorregariam sob o efeito do vento. Essas telhas são simples placas planas com dois furos, pelos quais se passa arame paraprendê-las às ripas.A colocação das telhas deve ser feita por fiadas, iniciando-se pelo beiral e prosseguindo-se em direção à cumeeira.- TELHAS DE FIBROCIMENTO:Pelo baixo custo dos telhados executados com as telhas onduladas de fibrocimento, estas são bastante utilizadas em edifícioshabitacionais de padrão popular, inclusive uni familiares, embora não proporcionem adequado conforto, sobretudo térmico.Juntamente com as telhas de aço, são bastante empregadas em edifícios comerciais e industriais.A montagem das telhas deverá ser iniciada a partir do beiral para a cumeeira. Para uma montagem e utilização do sistema decobertura em telhas onduladas de fibrocimento eficientes, precisam ser seguidas as seguintes recomendações: não se pode pisardiretamente sobre as telhas; usar tábuas apoiadas em três terças, em coberturas muito inclinadas, amarrar as tábuas; utilizarferramentas manuais (serrote, arco de pua, etc.). Se houver a necessidade de utilização de serras elétricas, recomendam-se as debaixa rotação para evitar a dispersão do pó de amianto; procurar sempre realizar o trabalho ao ar livre; umedecer as peças defibrocimento antes de cortá-las ou perfurá-las.- TELHA DE CONCRETO:As telhas de concreto e suas peças complementares são compostas de aglomerantes, agregados e óxidos que são responsáveis pelasua coloração. Têm uso ainda limitado no Brasil, sendo empregadas, sobretudo em edifícios de médio e alto padrão.Esta telha apresenta uma espessura média de 12 mm, absorção de água entre 7 a 10% e resistência mínima à flexão de 300 kg.Para as montagens dessas telhas, inicia-se da direita para a esquerda e de baixo para cima.- TELHA ONDULADA DE POLIESTER:São chapas onduladas de poliéster reforçado com filamentos de vidro, apresentada em diversos perfis adaptáveis a telhas de outrosmateriais, como as de fibrocimento e metálicas (aço zincado).O peso varia de 1,4 kg/m2 a 1,8 kg/m2. São incolores, translúcidas, flexíveis, resistentes a gases industriais, óleo e agentesquímicos. Sua utilização básica é em coberturas, com o objetivo de aumentar a luminosidade (iluminação zenital) do ambiente.A colocação geralmente se inicia do beiral para a cumeeira, no sentido oposto ao dos ventos dominantes na região, regra essa queé válida para os demais tipos de telha.- TELHA DE AÇO:As telhas de aço têm uso predominante em edifícios comerciais e industriais e o material básico para a fabricação de seus perfis éa chapa de aço apropriada para moldagem a frio, zincada ou pintada com material sintético.A zincagem por imersão protege a chapa de aço contra a ação da corrosão sendo, em conjunto com os necessários acabamentos desuperfície, um excepcional fundo de aderência para um posterior revestimento com material sintético.-TELHA SHINGLE – ASFALTO E GRANULOS:Apresentando características bastante particulares e com uso ainda limitado no Brasil, as telhas de asfalto coberto por grânulosforam desenvolvidas para fazer do telhado um elemento construtivo que supere as funções básicas de proteções contra asintempéries, permitindo a utilização de várias águas sem emendas.São telhas à base de asfalto cobertas por grânulos em dimensões de 30,48 cm x 91,44 cm. Cada telha é composta por quatrocamadas, sendo a primeira de asfalto, a segunda de fibra de vidro impregnada por uma manta asfáltica impermeável, a terceira deasfalto e a quarta aparente composta por asfalto e grânulos. Os grânulos são de material cerâmico podendo ter diversas cores, oque permite a coloração da telha. Os grânulos são também responsáveis pela resistência à abrasão e ao fogo. Para evitar aproliferação de algas e fungos é necessário criar uma camada superficial de óxido de cobre.- ESTRUTURA:
  • A estrutura dos telhados tem como funções principais a sustentação e fixação das telhas e a transmissão dos esforços solicitantespara os elementos estruturais, garantindo assim a estabilidade do telhado. A estrutura dos telhados pode ser dividida em: estruturade apoio; trama.A trama é a estrutura que serve de sustentação e fixação das telhas. Para telhas com pequenas dimensões, tais como as telhascerâmicas e de concreto, a trama geralmente é constituída por terças, caibros e ripas de madeira.Para telhas de dimensões maiores, tais como as telhas metálicas, plásticas e de fibrocimento, é possível eliminar os caibros e ripas.- ESTRUTURA DE MADEIRA:Os elementos das estruturas convencionais dos telhados, especialmente os telhados de habitações residenciais, são construídos demadeira. Todos os elementos utilizam geralmente a peroba como madeira padrão, por ser mais resistente ao apodrecimento.A ligação da estrutura do telhado ao edifício pode ser feita através de amarrações, com aço de construção dobrado e torcido, comaço de construção dobrado e pregado ou com chapa metálica com uma haste parafusada ou pregada.- ESTRUTURA METÁLICA:As estruturas metálicas ou de concreto apresentam-se como alternativas às estruturas de madeira, principalmente devido àescassez e conseqüente aumento do preço da madeira e pressões da sociedade relativas à preservação do meio ambiente. Alémdisso, a utilização de peças pré-fabricadas potencialmente aumenta o grau de industrialização, otimizando a produtividade equalidade na construção de telhados.O uso de estrutura metálica é bastante comum em edifícios industriais e em galpões, seja sob a forma de treliças planas e vigas aelas perpendiculares (terças), usualmente feitas em aço, seja sob a forma espacial, constituída por elementos tubulares, em aço oualumínio.- SISTEMA DE CAPTAÇÃO DE AGUAS PLUVIAIS:A captação das águas pluviais constitui um projeto de drenagem à parte. Todavia, as superfícies devem ter declividadescompatíveis com aspectos tais como a rugosidade das telhas ou o seu formato (calha) para garantir a correta drenagem e evitarsobrecargas de lâminas d’água.Além disso, como regra, quanto maior o número de juntas, maior a declividade necessária. O comprimento da rampa é tambémfunção da intensidade de precipitação pluviométrica.São consideradas funções das instalações de águas pluviais a captação, condução, detenção e destinação ao local adequado dearmazenamento ou distribuição à rede pública.As coberturas podem ser drenadas por: saídas que se localizam externamente à cobertura (caixa de drenagem ligada diretamente aum condutor e condutores verticais); canais ou saídas internas à cobertura (calha de beiral, extravasor, rufos).Geralmente, para a construção residencial, os principais componentes dos sistemas de captação de água pluviais são: rufos, calhase condutores verticais.FORROSExistem vários tipos de forros: madeira, PVC, lajes, placas de gesso (acartonado ou não), termo acústicos, recicláveis, etc.- FORROS DE MADEIRA:Geralmente são lâminas de pinho, pinus, ipê, jatobá, muiracatiara, etc. e são pregadas em entarugamentos executados de 0,50 a0,50m, presos às lajes ou nas estruturas do telhado, por buchas e parafusos ou pendurados por tirantes.- LAJE PRÉ- FABRICADA COMUM:Vigota de concreto pré-fabricada; Enchimento entre as vigotas de tijolo cerâmico, elemento de concreto ou EPS; Capa de concreto(capeamento) de espessura e variável.- LAJE TRELIÇA:São lajes em que a viga pré-fabricada é constituída de armadura em forma de treliça, e após concretada, promove uma perfeitasolidarização, tendo ainda a possibilidade de utilizar armadura transversal.- PVC:Esta opção pode ser encontrada nos modelos rígidos ou flexíveis. Ambos são formados por painéis lineares encaixados pelosistema macho/fêmea e ficando com as emendas aparentes. As vantagens deste tipo de forro são: peso reduzido, que diminui ascargas da estrutura; rapidez na instalação executada, facilidade de transporte; absorção acústica de até 70%; resistência adetergentes, gases industriais, óleos, graxas, corrosão, fungos e bactérias; não é inflamável. Aceita perfeitamente a pintura, quasesempre descartada. Os forros de PVC podem ser fixados em estruturas de aço, alumínio ou madeira suspenso ao forro estruturalatravés de tirantes convencionais.- GESSO:Os forros de gesso estão entre os mais comuns de se encontrar em obras pelo Brasil atualmente. Ele é bastante prático e rápido defazer, e existem muitas empresas e autônomos especializados no assunto. Os forros de gesso possuem como vantagens o menorpeso, maior flexibilidade, boa aparência e versatilidade para revestimentoO sistema consiste de uma superfície de gesso presa por arames à cobertura ou a uma estrutura intermediária de forma que, porbaixo, o usuário veja apenas um plano liso. O forro de gesso está basicamente dividido em duas grandes opções: o forro em placase o forro de drywall.O forro em plaquinhas, mais antigo, costuma ser ligeiramente mais barato, mas é aquele tipo de forro de gesso conhecido pelagrande quantidade de sujeira que gera durante sua execução. O forro em plaquinhas também é mais pesado do que o forro dedrywall, além de possuir mais arames de sustentação, por conta da pequena dimensão das placas que o compõem. O perfeitoalinhamento entre as placas também demanda um ótimo instalador.O forro de drywall é executado com grandes placas de gesso que vêm envolvidas em um papel similar ao kraft. Esse tipo de forro,que ganha cada vez mais mercado, tem uma tecnologia maior do que o tradicional forro de plaquinhas. Seu sistema de aplicação ébem mais limpo também. Há uma facilidade maior para executar forros curvos e detalhes dessa natureza no teto. O sistema é omesmo utilizado para fazer paredes.- FORROS TERMO-ACUSTICOS:
  • Painéis de forro mineral; Forros de lã de vidro; Isopor; entre outros.ESQUADRIAS:As esquadrias são componentes da edificação que asseguram a proteção quando a penetração de intrusos, da luz natural e da água.Com a sua evolução, as esquadrias deixaram apenas de proteger e adquiriram também o lugar de decoração de fachadas.- ESQUADRIAS DE MADEIRA (CARPINTARIA)- PORTAS:Compõem-se de batente, que é a peça fixada na alvenaria, onde será colocada a folha por meio de dobradiças. A folha é a partemóvel que veda o vão deixado pelo batente e por fim a guarnição, que é um acabamento colocado entre o batente e a alvenariapara esconder as falhas existentes entre o batente e a alvenaria;- BATENTE:O batente é composto de dois montantes e uma travessa, que já devem vir montados para a obra. Podem ser fixo as alvenariaatravés de pregos, parafusos, espuma expansiva de poliuretano ou sobre contra marco.-FOLHA:É a peça que será colocada no batente por intermédio de, no mínimo, três dobradiças de 3x3 1/2" para as folhas compensadas equatro dobradiças para as folhas maciças recebendo posteriormente a fechadura. Podem ser lisas, com almofadas, envidraçadasetc.- GUARNIÇÃO:Na união do batente com a parede, o acabamento nunca é perfeito. Devemos utilizar a guarnição para dar arremate e esconderesse defeito.- JANELAS:As janelas sempre devem comunicar o meio interno com o externo, exceto nas varandas. O modelo da esquadria deve seradequado ao clima da região e os materiais que as compõe deverão ser de pouca absorção de calor. As janelas, mesmo tendoaberturas para passagem do ar, devem ser completamente estanques à passagem da água. Portanto, deverão ser previstosdispositivos que garantam a estanqueidade à água entre os perfis e partes fixas ou móveis, drenos nos perfis que compõe a travessainferior, de forma a permitir que a água escoe e seja lançada para o exterior.As janelas de madeira podem ser compostas apenas de caixilhos (podem ser de abrir, correr, basculantes ou guilhotina), ou aindajanelas com venezianas (permite ventilação mesmo quando fechada, podem ser de abrir ou correr), os batentes com diversasseções e as guarnições.Existem vários tipos de janelas de madeira: as compostas apenas de caixilhos (geralmente de correr), as compostas de caixilhos evenezianas (correr ou abrir), janela tipo ideal (vidraça e veneziana em dois painéis que são movimentados simultaneamente)- ESQUADRIAS DE METAL:- JANELAS:Podem ser:Fixas- só permitem a entrada de luz.Basculantes- permitem a entrada de luz e ventilação.Maxim-air (empurrar)- permite uma maior área de ventilação.Venezianas- duas venezianas de correr e duas venezianas fixas para o lado externo.