Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
  • Save
Diferenças entre AACR2 e RDA: exemplos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Diferenças entre AACR2 e RDA: exemplos

  • 72,485 views
Published

Palaestra apresentada no I Ciclo de Debates promovido pela FEBAB, abordando as diferenças do AACR e o RDA. Uma introdução básica sobre algumas das prováveis mudanças a serem trazidas pelo novo código …

Palaestra apresentada no I Ciclo de Debates promovido pela FEBAB, abordando as diferenças do AACR e o RDA. Uma introdução básica sobre algumas das prováveis mudanças a serem trazidas pelo novo código de catalogação.

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • RDA inovação
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • AACR2 x RDA
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • slides aacr2 x rda
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
72,485
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
14

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
3
Likes
72

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • 21.6C2. Se a responsabilidade for compartilhada por mais de três pessoas ou entidades, e a responsabilidade principal não for atribuída a uma, duas ou três delas, faça a entrada pelo título. Faça uma entrada secundária sob o cabeçalho estabelecido para a pessoa ou entidade mencionada em primeiro lugar no item que está sendo catalogado. Se os editores forem mencionados com destaque, faça uma entrada secundária sob o cabeçalho estabelecido para cada uma deles se não forema mais do que três. Se houver mais de três mencionados com destaque, faça uma entrada secundária pelo cabeçalho estabelecido para o principal coordenador e/ou para o primeiro mencionado.

    21.30B1. Se a entrada principal estiver sob o cabeçalho estabelecido para uma dentre duas ou três pessoas ou entidades colaboradoras, faça entrada secundária para as outras. Se a entrada principal tiver sido feita sob cabeçalho estabelecido para uma entidade ou pelo título, faça entradas secundárias para as pessoas que colaboraram, se não forem mais de três, ou para a que estiver mencionada em primeiro lugar, se forem quatro ou mais.

    6.27.1.3 Se a responsabilidade principal da obra não é indicada, construir o ponto de acesso autorizado que represente a obra utilizando o ponto de acesso autorizado que representa a primeira pessoa, família ou entidade coletiva citada, seguida do título preferido para a obra.

    19.2.1.3 Registrar um criador aplicando as orientações gerais sobre o registro de relações para pessoas, famílias e entidades coletivas associadas a um determinado recurso em 18.4.

    Nota: a política de quantos nomes serão incluídos na indicação de responsabilidade não correspondem automaticamente com a política de quantos pontos de acesso autorizados será dado. Você poderia dar [mais de quatro pessoas] nos campos 245 e 700, ou você poderia dar a todos no campo 245, mas nenhum no campo 700 campos, ou apenas alguns no campo 700.

Transcript

  • 1. Diferenças entre AACR2 e RDA: exemplos Baseado no texto de Maxwell, R. L. In Depht Differences Between RDA and AACR2. Brightom : Utah Library Association, 2010. Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições AACR2 x RDA : Novo cenário na catalogação? • Fernando Modesto • fmodesto@usp.br I CICLO De DEBATES - FEBAB São Paulo, 2010
  • 2. • Norma que substitui o AACR2. • Orientação sobre a catalogação de recursos digitais. • Auxilia o usuário: encontrar, identificar, selecionar e obter a informação desejada. • Agrupa registros bibliográficos visando mostrar relações entre obras e seus criadores. • Baseado sob dois modelos conceituais desenvolvidos pela IFLA: – Requisitos Funcionais para Dados Bibliográficos (FRBR) – Requisitos Funcionais para dados de Autoridade (FRAD) • Identificam as relações que uma obra pode ter com seu criador, assim como as relações com quaisquer traduções, interpretações, adaptações ou formatos físicos dessa mesma obra.
  • 3. FRBR Requisitos Funcionais para Registros Bibliográficos Modelo conceptual Entidades, relaciones, atributos Nueva terminología Versão em espanhol do modelo http://www.ifla.org/files/cataloguing/frbr/frbr-es.pdf Aplicado ás bases de dados, para implementar os elos existentes nos catálogos manuais, então representados pelas remissivas simples, cruzadas e explicativas, além do entendimento único das regras, minimizando as diferenças de interpretação. Santos, P. L. V. A. C.; Correia, R. M. R. Catalogação: trajetória para um código internacional. Niterói : Intertexto, 2009. Obra conteúdo intelectual e artístico Expressão Manifestação Item Disponível em Inglês Publicada em Livro, DVD Objeto físico específico a ser descritoDiagrama - Grupo 1 dos FRBR
  • 4. FRAD Requisitos Funcionais para dados de Autoridade http://www.ifla.org/files/cataloguing/frad/frad_2009-es.pdf Versão em espanhol do modelo Modelo conceitual para informação de autoridade O modelo abrange todos os tipos de dados de autoridade (inclusive entidades de assuntos). No momento está completa para dados de nomes (de pessoas, de famílias, de instituições e geográficos), nomes/títulos e de títulos. Os FRAD explicitam as tarefas: Mey, E.S.A.; Silveira, N.C. Catalogação no plural. Brasília : Briquet de lemos, 2009. Entidades bibliográficas Nomes e/ou identificadores Pontos de acesso controlados Conhecidas por Bases para Encontrar entidade(s) bibliográfica(s) Identificar entidade ou validar a forma do nome a ser usado como ponto de acesso Situar uma pessoa, entidade , obra em determinado contexto, nome pela qual é conhecida. Justificar a fonte para ponto de acesso, a razão de escolha da entrada.
  • 5. AACR2 X RDA • Aplicável àtodo tipo de material • Não adaptado aos recursos eletrônicos/digitais • Não se adapta às tecnologias de informação • Aplicável aos recursos de todo tipo de conteúdo e suporte • Adequado aos recursos digitais (e analógicos) • Adaptado às tecnologias de informação
  • 6. Organizado segundo FRBR (entidades e relacionamentos) Organização AACR2 parte I é organizado pelas áreas da ISBD
  • 7. RDA X AACR2 RDA (37 capítulos, 13 apêndices) AACR2 (20 capítulos, 5 apêndices) Introduction Section 1. Chapters 1-4 Recording attributes of manifestation and item (registro de atributo de manifestação e item) Section 2. Chapters 5-7 Recording attributes of work and Expression (registro de atributos de obra e expressão) Section 3. Chapters 8-11 Recording attributes of person, family, and corporate body (registro de atributos de pessoas, família e entidade coletiva) Section 4. Chapters 12-16 Recording attributes of concept, object, event and place (registro de atributos de conceito, objeto, evento e lugar) RECORDING ATTRIBUTES (Registro de Atributos) Introdução Capítulo 1 Regras Gerais Capítulo 2-12 Regras Específicas Capítulo 13 Análise PART I. DESCRIÇÃO Fernando Modesto. O divórcio do catalogador: AACR2 OU RDA. acesso em: http://migre.me/2zPQi
  • 8. RECORDING RELATIONSHIPS (Registro de Relações) Section 5. Chapter 17 Recording primary relationships between work, expression, manifestation, and item (registros de relações primárias entre obras, expressão, manifestação e item) Section 6. Chapters 18-22 Recording relationships to persons, families, and corporate bodies (registro de relações de pessoas, famílias e entidades coletivas associadas a um recurso) Section 7. Chapter 23 Recording relationships to concepts, objects, events, and places associated with a work (registro de relações de assunto) Section 8. Chapters 24-28 Recording relationships between works, expressions manifestations, and items (registro de relações entre obras, expressões, manifestações e itens) Section 9. Chapters 29-32 Recording relationships between persons, families, and corporate bodies (registros de relações entre pessoas, famílias e entidades coletivas) Section 10. Chapters 33-37 Recording relationships between concepts, objects, events, and places (registro de relações entre conceitos, objetos, eventos e lugares) Appendices A-M Glossary PARTE II. PONTOS DE ACESSOS, TÍTULOS UNIFORMES, REMISSIVAS Introduction Capítulo 21 Escolha dos Pontos de Acesso Capítulo 22 Cabeçalhos para Pessoas Capítulo 23 Nomes Geográficos Capítulo 24 Cebeçalhos para Entidades Capítulo 25 Títulos Uniformes Capítulo 26 Remissivas Apêndices A-E Apêndice á tradução Brasileira Índice Fernando Modesto. O divórcio do catalogador: AACR2 OU RDA. acesso em: http://migre.me/2zPQi
  • 9. Terminologia Termos do AACR2 • Cabeçalho • Cabeçalho autorizado • Entrada principal • Entrada secundária • Controle de autoridade • Título uniforme Termos do RDA • Ponto de Acesso • Ponto de Acesso adotado • Ponto de Acesso/criador da obra • Ponto de Acesso • Controle de Ponto de acesso • Título adotado Nome da obra (que inclui o nome do criador)
  • 10. Novos elementos • Elementos que não existem no AACR2 – Características do arquivo (recursos digitais) – Formato de vídeo – Informação sobre custódia (recursos arquivísticos) – Características de Braille – URLs – Identificadores de entidades (pessoas, entidades corporativas, obras) – Língua das pessoas, etc.
  • 11. RDA não prescreve nenhum tipo de apresentação (entende-se que a maioria das bibliotecas continuará a usar as ISBDs). RDA  Apêndice D estabelece diretrizes da ISBD, incluindo duas novas práticas não seguidas no AACR2. ISBD – pontuação AACR2 prescreve o uso de pontuação da ISBD.
  • 12. Título principal [designação geral do material] = Título equivalente : outras informações sobre o título / Primeira indicação de responsabilidade ; cada uma das indicações subsequentes de responsabilidade. – Indicação de Edição / Primeira indicação de responsabilidade relativa à Edição. – Detalhe específicos do material. – Primeiro Lugar de publicação etc. : Primeiro Editor etc., Data Publicação etc.. – Extensão do item : Outros detalhes físicos ; Dimensão. – (Título principal da Série / Indicação de responsabilidade relativa à Série, ISSN da Série ; Numeração dentro da série. Título da Subsérie, ISSN da Sub série ; Numeração dentro da Subsérie ). – Notas. – Número normalizado. ISBD – pontuação
  • 13. ISBD – pontuação Quando a área de um elemento termina com um ponto, a pontuação prescrita também é adicionada. Prática Corrente Prática Futura 2 ed. 2 ed.. Nota: O exemplo transcreve a abreviatura "ed.”. A palavra "edição" não é abreviada no RDA. Exemplo: Área de edição 2 edição. –
  • 14. Catalogadores são aconselhados a incluir qualquer elemento adicional que seja necessário (em certos casos) para diferenciar o recurso de um ou mais recursos identificados com suportes e/ou informações semelhantes (RDA 0.6.1) Também podem incluir outros elementos que, em sua opinião sejam necessários. Elementos essenciais no RDA http://www.rdatoolkit.org/constituencyreviewfiles/Phase1Chp0_10_22_08.pdf
  • 15. Transcrição de certas pontuações AACR2 manda substituir "..." e "[ ]" com “–" e "( )" RDA transcreve essa pontuação como aparece na manifestação. AACR2 245 10 $a Ein spatz in der Hand – : $b Sachgeschichten / $c Jeanette Lander. RDA 245 10 $a Ein spatz in der Hand ... : $b Sachgeschichten / $c Jeanette Lander.
  • 16. Elementos do Título Na descrição do segundo nível do AACR2 (1.0D2) os seguintes elementos são necessários: Título principal Título equivalente Outras informações sobre o título No RDA, apenas o título principal é um elemento essencial (1.3) http://www.rdatoolkit.org/constituencyreviewfiles/Phase1Chp1_10_23_08.pdf
  • 17. Elementos do Título AACR2 nível 2 245 12 $a O mínimo para você se sentir o máximo : $b pequeno guia dos alimentos / $c Soni [triângulo com inscrição] Hirsch. 245 12 $a O mínimo para você se sentir o máximo / $c Soni [triângulo com inscrição] Hirsch. RDA
  • 18. RDA introduz: Media Type (tipo de mídia) (3.2) Carrier Type (tipo de suporte) (3.3): elemento essencial (não opcional) Content Type (tipo de conteúdo) (6.9): elemento essencial (não opcional) Designação Geral do Material - DGM (1.1C1) AACR2 – Lista de denominações gerais do material a ser inserido após o título principal. http://www.rdatoolkit.org/constituencyreviewfiles/Phase1Chp3_11_2_08.pdf
  • 19. Media type • Audio • Computer • Microform • Microscopic • Projected • Stereographic • Unmediated • Video • Other • Unspecified Reflete a categorização geral do tipo de dispositivo de intermediação requerido para visualizar, jogar, rodar, etc., o conteúdo de um recurso (RDA 3.2.1). O tipo de mídia não é um elemento essencial.
  • 20. Media type Novo campo MARC 337 337 $a audio $2 marcmedia 337 $a other $2 marcmedia Pode ser repetido o dado se houver mais de um tipo de mídia. Repetindo o campo 337, ou repetindo só o subcampo $ a dentro do campo 337. Fernando Modesto. Tagarelices Tecárias sobre TAGS MARC 21 atualizadas. http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=498
  • 21. Carrier type Categorização do formato dos meios de armazenamento e de suporte, em combinação com o tipo de dispositivo de intermediação necessário para visualizar, jogar, executar, etc., o conteúdo de um recurso (RDA 3.3.1). O tipo de suporte é um elemento essencial. Alguns exemplos da lista • Audio disc • Computer card • Microfiche • Microscope slide • Film cassete • transparency • Stereograph card • Flipchart • Volume • Videodisc • Other • Unspecified
  • 22. Carrier type Novo campo MARC 338 338 $a audio disc $2 marccarrier 338 $a videodisc $2 marccarrier Pode ser repetido o dado se houver mais de um tipo de mídia. Repetindo o campo 338, ou repetindo só o subcampo $a dentro do campo 338. Fernando Modesto. Tagarelices Tecárias sobre TAGS MARC 21 atualizadas. http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=498
  • 23. Content type Categorização da forma de comunicação pela qual o conteúdo é expresso e através da qual é percebido pelo sentido humano (RDA 6.9.1). O tipo de conteúdo é um elemento essencial. Alguns exemplos da lista • Cartographic image • Notated music • Performed music • Spoken word • Still image • Text • Two-dimensional moving • Still image • Three-dimensional form • Other • Unspecified
  • 24. Content type Novo campo MARC 336 336 $a cartographic image $2 marccarrier 336 $a spoken word $2 marccarrier Pode ser repetido o dado se houver mais de um tipo de mídia. Repetindo o campo 336, ou repetindo só o subcampo $a dentro do campo 336. Fernando Modesto. Tagarelices Tecárias sobre TAGS MARC 21 atualizadas. http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=498
  • 25. DGM X Tipos AACR2 245 10 $a Panorama da catalogação no Brasil $h [recurso eletrônico] : da década de 1930 aos primeiros anos do Século XXI / $c Fernando Modesto. 300 $a 1 recurso online RDA 245 10 $a Panorama da catalogação no Brasil / $c Fernando Modesto. 300 $a 1 recurso online 336 $a Text (Texto) $2 marccontent 337 $a computer (Computador) $2 marcmedia 338 $a online resource $2 marccarrier http://www.eca.usp.br/prof/fmodesto/textos/2007PanoramaCatalogacao.pdf
  • 26. Ao elaborar uma descrição em segundo nível do AACR2, registra-se o primeiro titulo equivalente (1.1D2). Registre qualquer título equivalente subsequente que estiver em Inglês (Português). Títulos equivalentes não são essenciais. Eles podem ser registrados, mas não são necessários. Título Equivalente
  • 27. Título equivalente AACR2 nível 2 245 04 $a The orphan tsunami of 1700 : $b Japonese clues to a parent earthquake in North America = Minashigo Genroku tsunami : oya-jishin wa Hokubei nishi kaigan ni ita / $c Brian F. Atwater ... [et al.] RDA – omitindo título equivalente 245 04 $a The orphan tsunami of 1700 / $c Brian F. Atwater, Musumi-Rokkaku Satoko, Satake Kenji, Tsuji Yoshinobu, Ueda Kazue, David K. Yamaguchi. 245 04 $a The orphan tsunami of 1700 / $c Brian F. Atwater [e cinco outros]. ou Obs: o essencial no RDA não significa necessariamente ser mais curto do que o nível 2 do AACR2. Em um registro RDA MARC , ao contrário do AACR2 (onde a entrada principal é o título), Atwater será registrado como primeiro autor no campo de 100, e assim o primeiro indicador de 245 é 1
  • 28. 245 1 0 $a Equipes Zapp! = $b Empowered teams / $c Richard S. Wellins, William C. Byham, Jeanne M. Wilson. 246 3 1 $a Empowered teams. 245 1 0 $a Equipes Zapp! / $c Richard S. Wellins, William C. Byham, Jeanne M. Wilson. 246 3 1 $a Empowered teams. AACR2 RDA Título equivalente
  • 29. Título equivalente 1.1D1 (AACR) Registre títulos equivalentes na ordem indicada por sua sequência ou por seu leiaute na fonte principal de informação. RDA (2.3.3.2) Pegue títulos equivalentes de qualquer fonte de dentro do recurso. Os títulos equivalentes no RDA não precisam vir da fonte principal como no AACR2.
  • 30. Outras informações sobre o Título No RDA, outras informações sobre o título não são essenciais. Podem ser registradas, mas não são obrigatórias. No segundo nível de descrição do AACR2, fornecemos todas as outras informações sobre título (1.0D2).
  • 31. Outras informações sobre o Título AACR2 nível 2 245 10 $a Ed Mort : $b Todas as histórias / $c Luís Fernando Veríssimo. RDA 245 10 $a Ed Mort / $c Luís Fernando Veríssimo.
  • 32. Indicação de Responsabilidade No segundo nível de descrição do AACR2, fornecemos todas as indicações de responsabilidade. RDA: a indicação de responsabilidade relativa ao título principal é essencial. Havendo mais de uma responsabilidade, só o primeiro é obrigatório. Outras indicações de responsabilidade podem ser registradas, mas não são essenciais. Dar preferência aos criadores do conteúdo intelectual ou artístico, identificados (2.4.2.3).
  • 33. Indicação de Responsabilidade AACR 245 10 $a Diary, 1901 – 1969 / $c Kornei Chukovsky ; edited by Victor Erich ; translated by Michael Henry Heim. RDA 245 10 $a Diary, 1901 – 1969 / $c Kornei Chukovsky.
  • 34. Indicação de Responsabilidade 2.4.1.4 – RDA diz: transcrever uma indicação de responsabilidade na forma em que aparece na fonte de informação 1.1F7 – AACR2 limita a transcrição de títulos de nobreza, de tratamento, honorífico e de distinção, qualificações etc. Geralmente são omitidos.
  • 35. Indicação de Responsabilidade Regra dos três 1.1F5 – Quando uma única indicação de responsabilidade mencionar mais de três pessoas ou entidades exercendo a mesma função ou com o mesmo grau de responsabilidade, omita todos os nomes exceto o primeiro de cada grupo dessas pessoas ou entidades. Indique a omissão por meio de reticências (...) e acrescente, entre colchetes, et al. (ou seu equivalente em alfabeto não latino). 245 0 2 $a A inflação recente no Brasil e na América Latina / $c Aníbal Pinto ... [et al.].
  • 36. Indicação de Responsabilidade Regra dos três abolida 2.4.1.5 – Registrar uma indicação de responsabilidade com mais de uma pessoa, etc., como uma única indicação, independentemente de as pessoas, famílias ou entidade desempenharem a mesma função ou funções diferentes. 245 0 2 $a A inflação recente no Brasil e na América Latina / $c Aníbal Pinto, Héctor Assael, Arturo Núñez del Prado, Luiz Claúdio Marinho.
  • 37. Indicação de Responsabilidade 2.4.1.4 – Omissão opcional Abrevie uma indicação de responsabilidade somente se ela puder ser abreviada, sem perda de informações essenciais. Não use uma marca de omissão (...) para indicar essa omissão. Anote sempre o primeiro nome que aparece na indicação. Quando omitir nomes em uma indicação de responsabilidade com mais de uma pessoa, etc, aplicar as instruções 2.4.1.5 (Statement Naming More Than One Person, etc.) 245 0 2 $a A inflação recente no Brasil e na América Latina / $c Aníbal Pinto, Héctor Assael, Arturo Núñez del Prado, Luiz Claúdio Marinho.
  • 38. Indicação de Responsabilidade Omissão opcional 2.4.1.5 – Se uma indicação de responsabilidade para mais de três pessoas, famílias ou entidades executando a mesma função, ou com o mesmo grau de responsabilidade, omitir todos, menos o primeiro de cada grupo de pessoas, famílias, ou entidades. Indicar a omissão do que foi omitido por nota, no idioma adotado pela agência responsável da descrição. Inserir a anotação da omissão entre colchetes. 245 0 2 $a A inflação recente no Brasil e na América Latina / $c Aníbal Pinto [e outros três].
  • 39. Indicação de Edição AACR 1.2B1 – Transcreva a indicação de edição da maneira encontrada no item. Use abreviaturas de acordo com as instruções do apêndice B e numerais de acordo com o apêndice C. B.5A1 – Use abreviaturas para palavras ou substitua uma forma de abreviatura pela abreviatura prescrita na indicação de edição, de acordo com B.9-B.12, B.14-B15. C.2B1 – substitua algarismos romanos por algarismos arábicos...... Na indicação da edição. 2.5.1.4 – Transcreva a indicação de uma edição como aparece na fonte de da informação. RDA B.4 – Para os elementos transcritos, use apenas as abreviaturas encontradas nas fontes de informações prescritas para o elemento. 1.8.1 – Quando os números registrados, expressos em numerais ou palavras no elemento transcrito, transcreva na forma em que aparecem na fonte de informação.
  • 40. Indicação de Edição AACR 250 $a 4 ed. / $b revisada pelo autor. RDA 250 $a quarta edição / $b revisada pelo autor. Obs: A designação de edição e de revisão são essenciais. Outros elementos da indicação de edição são opcionais.
  • 41. • Abreviatura • Adiciona informações entre colchetes • Regras complexas para vários lugares e editores • Usar abreviaturas “s.l.” (sine loco) e quando o lugar ou editor é desconhecido “s.n.” (sine nomine) • Não abrevia • Transcreve como parece, não acrescenta informações • Registra nomes na ordem encontrada na fonte • Usa frases para indicar uma informação desconhecida Informações da Publicação
  • 42. Informações da Publicação Elementos essenciais no RDA Lugar de publicação Nome de editor Data de publicação (se desconhecida) data copyright Primeiro Lugar de distribuição Nome de distribuidor Data de distribuição Lugar de manufatura Nome de fabricante Data de manufatura
  • 43. 2.8.1.4 – Transcreva locais de publicação e os nomes dos editores, na forma em que eles aparecem na fonte de informação. 2.8.2.3 – Registre o local de publicação aplicando as instruções básicas sobre o registro de indicação de publicação segundo regra : 2.8.1 – Incluir tanto o nome do lugar (cidade, vila, etc.) e o nome da jurisdição ou jurisdições (província, estado Etc., e /ou país), se presentes na fonte de informação. 260 $a Princeton, N.J. : $b Princeton University Press, $c c1999. 260 $a Princeton, New Jersey : $b Princeton University Press, $c copyright 1999. AACR RDA Informações da Publicação
  • 44. Informações da Publicação Lugar de Publicação não identificado 2.8.2.6 – Se o local de publicação não é identificado no recurso, fornecer um local de publicação provável de publicação.... Se nem um lugar provável conhecido ou país, estado, província, etc. da publicação pode ser determinado, registre o lugar de publicação como não identificado. AACR2 260 $a [s.l. : $b s.n.], $c 1909 260 $a [Lugar de publicação não identificado] : $b [Editor não identificado], $c 1909 RDA
  • 45. 2.8.1.4 – Registre datas de publicação, aplicando as orientações gerais sobre os números expressos em algarismos ou palavras segundo regra 1.8 1.8.2 – Registre números na forma preferida pela agência de criação dos dados, a menos que a substituição torne a numeração pouco clara. Regra Alternativa: Registre os números na forma em que eles aparecem na fonte de informação. Nota: não há nenhuma regra no RDA para substituir números arábicos por algarismos romanos. Informações da Publicação
  • 46. Informações da Publicação Data fornecida  RDA 1.9.2 Data atual conhecido  [2010] Um ano ou outro consecutivos  [1983 ou 1984] Data provável  [1957?] Intervalo de datas prováveis  [entre 1906 e 1912?] AACR [ca. 1960] [1978- ] [18--] [não após 10 set. 1495] RDA [1960?] ou algo parecido [entre 1958 e 1963] [entre 1970 e 1979] [entre 1800 e 1889] [não após 10 de setembro de 1495] Nota: “ca.” (circa = cerca) não é permitida no RDA c2010 ©2010 ou copyright 2010  se o símbolo não puder ser reproduzido Na indicação de produção para materiais não publicados a inclusão de data de produção é essencial
  • 47. Descrição Física Tipo de Mídia e Suporte Os elementos da descrição física do suportes dos recursos são tratados no capítulo 3 do RDA  Describing Carriers Parte da descrição física é registrada no Tipo de Mídia (Media Type) e Tipo de Suporte (Carrier Type)  Já comentado Os elementos desta área, fornecem informações a respeito das características físicas do suporte e da formatação do conteúdo armazenada no mesmo, e do qual o usuário dependa para selecionar um recurso que satisfaça as suas necessidades. O usuário também pode se valer das características do suporte para identificar um recurso (por exemplo, distinguir recursos com características semelhantes).
  • 48. Descrição Física Extensão 3.4.1.3 Registre a extensão do recurso, informando o número de unidades e um termo apropriado para o tipo de suporte, constantes da lista  3.3.1.3 Se o recurso é composto por mais de um tipo de suporte, registre o número de cada tipo. 1 microfilm cassette 100 slides 2 audiotape reels 1 audio disc 1 video cassette 1 computer disc 1 online resource Nota: No AACR2 as denominações começando com sound/som , no RDA inicia começa com audio/áudio. Exceções Cartographic resources (impresso, manuscrito, gráfico, recurso ou tridimensional )  3.4.2 Notated music (manuscrito ou impresso)  3.4.3 Still images (desenhos, pinturas, gravuras, fotografias, etc.) 3.4.4 Text (impressos ou manuscrito)  3.4.5 Three-dimensional forms (recurso com uma ou mais formas tridimensionais)3.4.6
  • 49. 3.3.1.3 Registro dos Tipos de Suporte Audio carriers audio cartridge audio cylinder audio disc audio roll audiocassette audiotape reel sound-track reel Unmediated carriers card flipchart object roll sheet volume Video carriers video cartridge videocassette videodisc videotape reel Computer carriers computer card computer chip cartridge computer disc computer disc cartridge computer tape cartridge computer tape cassette computer tape reel online resource Microform carriers aperture card microfiche microfiche cassette microfilm cartridge microfilm cassette microfilm reel microfilm roll microfilm slip microopaqueProjected image carriers film cartridge film cassette film reel film roll filmslip filmstrip filmstrip cartridge overhead transparency slide Descrição Física http://www.rdatoolkit.org/constituencyreviewfiles/Phase1Chp3_11_2_08.pdf
  • 50. Use um termo de uso comum (incluindo um nome comercial, se for o caso) para designar o tipo de unidade: a) se o suporte está em um formato de desenvolvimento recente não abrangida na lista em 3.3.1.3 b) se nenhuma das condições enumeradas na regra 3.3.1.3 é adequado ou c) como uma alternativa para um termo listado em 3.3.1.3, se preferir pela agência que preparou a descrição. disco de áudio ou CD disco do computador ou CD-ROM, DVD-ROM, Photo CD videodisco ou DVD 3.4.1.5 Outros Termos para Designar o Tipo de Unidade Descrição Física
  • 51. Especifique o número de subunidades de acordo com as instruções 3.4.1.7.1 – 3.4.1.7.8, conforme o caso, se determináveis e consideradas importantes para a identificação ou seleção. Anote o número de subunidades, entre parênteses, após o termo que designa o tipo de unidade. 3.4.1.7 Número de Subunidades Descrição Física 1 DVD-ROM (184 imagens por sensoriamento remoto) 1 microficha (120 frames) 1 disco do computador (15 páginas, 150 mapas) 1 recurso online (68 páginas) 1 disco do computador (1 arquivo de audio, 3 arquivo de vídeo) 1 recurso online (36 fotografias) 1 recurso online (2 arquivos de vídeo)
  • 52. Descrição Física Exemplo de extensão para texto xvi, 323 p. [93] p. ca. 500 p. 3 v. (1457 p.) 45, [40] f. 257 [i.e. 257] p. 180 p., 30 v. folhas de lâminas [série incompleta] xvi, 323 páginas 93 páginas não numeradas cerca de 500 páginas 3 volumes (1457 páginas) 45 folhas, 40 folhas não numeradas 257, ou seja, 257 páginas 180 páginas, 30 volumes de folhas de lâminas.
  • 53. Descrição Física Prescreve o uso de métricas, mas a opção de registro da dimensão é o sistema adotado pela agência. unidade métrica considerada como símbolo (cm). abreviatura limitado às dimensões e à duração. sistema de medição prescrita, dependendo do material. Abreviação considerada para unidades métricas (cm.). Uso intenso de abreviaturas.
  • 54. Salvo indicação em contrário, o registro das dimensões em centímetros por centímetro inteiro, use o símbolo métrico centímetros (por exemplo, se a altura medidas é 17,2 centímetros, registre 18 cm). Descrição Física AACR2, unidades métricas são considerados abreviaturas e são seguidos por um ponto (por exemplo, cm.). RDA, elas são tratados como símbolos e não são seguidas de ponto (por exemplo: cm). Nota: ainda haverá momentos em que um ponto final segue uma unidade métrica, porque é a finalização da área segundo a ISBD que antecede a próxima área. AACR2, o sistema de medição utilizado para registrar as dimensões varia dependendo do tipo de recurso. RDA, as unidades métricas são utilizados, embora não haja uma alternativa para usar o sistema de medida preferida pela agência responsável da descrição (ver 3.5.1.3). Para o teste de RDA, a decisão sobre a alternativa é seguir as instruções RDA, exceto para o diâmetro dos discos, onde polegadas será usado. 3.5.1.3 Registro das Dimensões
  • 55. Se o recurso contém conteúdo ilustrativo, registra-se ilustração ou ilustrações, conforme o caso. As tabelas contendo apenas palavras e/ou números não são consideradas como conteúdo ilustrativo. Desconsidere páginas de títulos ilustradas, etc., e ilustrações de menor importância. Alternativa Registre o tipo de conteúdo ilustrativo no lugar de ou na adição do termo ilustração ou ilustrações, se for considerado importante para a identificação ou seleção, usando um ou mais termos apropriados a partir da lista 7.15 Conteúdo Ilustrativo Descrição Física charts coats of arms facsimiles forms genealogical tables graphs illuminations maps music photographs plans portraits samples
  • 56. Acréscimo Opcional Registre o número de ilustrações, se seu número puder ser verificado facilmente (por exemplo, quando as ilustrações são listadas e seus números declarados). 7.15.1.3 Registro de conteúdo ilustrativo Descrição Física 48 ilustrações 100 mapas 1 forma, 2 mapas, 10 fotografias
  • 57. Extensão - Comparação • AACR2 300 $a xxiii, 554 p. : $b il. ; $c 24 cm. 300 $a xv, 453 p., [16] p. de lâminas : $b il. (algumas col.), mapas (alguns col.) ; $c 24 cm. 300 $a ix, 120 p. : $b ill. (chiefly col.), digital, PDF file. • RDA 300 $a xxiii, 554 páginas : $b ilustração ; $c 24 cm 300 $a xv, 453 páginas, 16 páginas de lâminas não numeradas : $b ilustrações (algumas coloridas), mapas (alguns coloridos) ; $b 24 cm 300 $a 1 recurso online (ix, 120 páginas) : $b ilustrações (coloridas), digital, Arquivo PDF. Descrição Física
  • 58. Séries O título principal e a numeração na série são os elementos essências no RDA. A diferença substancial entre AACR2 e RDA é que não são usadas abreviações no RDA. O RDA não tem equivalentes para as regras do AACR2 de substituir números arábicos para romanos. Número (no) está abreviado na fonte 490 $a Arte para criança 490 $a Opera omnia / Dietrich von Freiberg ; $v tomus IV 490 $a Treaty series ; $v no. 66
  • 59. • AACR2 1.6G 490 $a Dictionary of literary biography ; $v v. 68 Numeração na fonte de informação: volume sessenta e oito: 490 $a B.C. geographical series ; $v no. 51 Numeração na fonte de informação : Número 51 • RDA 2.12.9 490 $a Dictionary of literary biography ; $v volume 68 490 $a B.C. geographical series ; $v número 51 Séries http://www.rdatoolkit.org/constituencyreviewfiles/Phase1Chp2_11_6_08.pdf
  • 60. Notas não são essências no RDA. Não há seção especial sobre as notas no RDA. Orientações sobre notas estão espalhadas por todo o documento. Os pontos de acesso do RDA não precisa ser justificado no corpo do registro, por isso notas dos catalogadores compostas segundo AACR2 simplesmente para justificar uma entrada adicional não precisa ser feita no RDA. Notas
  • 61. Ponto de Acesso - Vocabulário AACR2 • Cabeçalho • Remissivas • Autor • Título Uniforme • Entrada Principal RDA • Ponto de Acesso Autorizado • Ponto de Acesso variável • Criador • Título adotado ou Título Coletivo Convencional • Ponto de Acesso autorizado para Criador + Título adotado
  • 62. Creator / Criador • Criador é uma pessoa, família ou entidade responsável pela a criação de uma obra. • Criadores incluem pessoas, famílias ou entidade responsáveis pela criação de uma obra. • Pessoas, famílias, ou entidades co-responsáveis pela criação de uma obra que podem desempenhar o mesmo papel (por exemplo, como na colaboração entre dois escritores), ou podem desempenhar papéis diferentes (por exemplo, como na colaboração entre um compositor musical e letrista). Criador é elemento essencial. Se houver mais de um criador, só o primeiro criador mencionado é necessário. http://www.rdatoolkit.org/constituencyreviewfiles/Phase1Chp9_11_12_08.pdf http://www.rdatoolkit.org/constituencyreviewfiles/Phase1Chp0_10_22_08.pdf
  • 63. Não há nenhuma exigência para fornecer outros pontos de acesso, nem existe qualquer restrição. Isto fica a critério da política da agência ou da decisão do catalogador. Não há correspondência necessária entre os nomes registrados na indicação de responsabilidade e os pontos de acesso. O catalogador pode adicionar qualquer um ou todos os outros pontos de acesso como no exemplo. Criador
  • 64. AACR2 – Capítulo 21, prescreve como as entradas principais e secundárias devem (e não devem) ser feitas. RDA é muito menos prescritivo. O criador do recurso é essencial (0.6.6) Não há limitações para o que o AACR2 chama de entradas secundárias. Mudanças no Ponto de Acesso http://www.rdatoolkit.org/constituencyreviewfiles/Phase1Chp0_10_22_08.pdf
  • 65. Concluindo..... • RDA é um padrão de conteúdo. • Não é um padrão de apresentação e nem um esquema de metadados. • RDA é um conjunto de diretrizes que indica a forma de descrever um recurso, concentrando-se sobre os elementos da informação (ou atributos) que o usuário necessita saber. • Incentiva a descrição das relações entre os recursos e entre os recursos e as pessoas ou entidades que contribuíram para a criação desse recurso. Oliver , C. Changing to RDA. Feliciter , v.53, n. 7, 250-253, 2007. Disponível em: www.collectionscanada.gc.ca/jsc/docs/felicitervol53no7p250-253.pdf.
  • 66. Concluindo.... A catalogação é processo essencial para descrever e padronizar informações representadas, que se constrói a partir de regras que promovam ao máximo a uniformidade das interpretações individuais, visando garantir a unicidade do item tratado e, ao mesmo tempo, sua universalidade. Isso em qualquer idioma e em qualquer tipo de unidade de informação, por catalogadores e usuários nos mais diversos ambientes informacionais. Contexto no qual um Código Internacional de Catalogação torna-se necessário para viabilizar a construção de formas de representação que satisfação os usuários da informação. Santos, P. L. V. A. C.; Correia, R. M. R. Catalogação: trajetória para um código internacional. Niterói : Intertexto, 2009.
  • 67. Código de catalogação anglo-americano. Preparado sob direção do Joint Steering Committe for Revision of AACR. 2. ed. rev. 2002. São Paulo : FEBAB/Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004. Memória Ribeiro, A. M. C. Catalogação de recursos bibliográficos: AACR2R em MARC21. 3. ed. rev. amp. Brasília : do autor, 2006. Maxwell, R. L. In Depht Differences Between RDA and AACR2. Brightom : Utah Library Association, 2010. O código de catalogação para o Século 21. Trad. Profa. Lídia Alvarenga. Brasil : UFMG. Santos, P. L. V. A. C.; Correia, R. M. R. Catalogação: trajetória para um código internacional. Niterói : Intertexto, 2009. Mey, E.S.A.; Silveira, N.C. Catalogação no plural. Brasília : Briquet de lemos, 2009. Bibliografia
  • 68. É uma biblioteca, querido... Espécie de versão inicial da World Wide Web Obrigado!
  • 69. 69 Nascido em Campinas/SP. Bacharel e Mestre em Biblioteconomia e Documentação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUCCamp. Doutor em Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP. Pós-Doutorado pela Universidade Carlos III de Madrid, Espanha. Professor de Biblioteconomia na USP. Mais textos interessantes: http://www.ofaj.com.br José Fernando Modesto da Silva http://www.eca.usp.br/prof/fmodesto