Your SlideShare is downloading. ×
Energia eólica - Cenário e perspectivas no Brasil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Energia eólica - Cenário e perspectivas no Brasil

2,195
views

Published on

Este trabalho tem como objetivo apresentar cenários e perspectivas do aproveitamento da energia eólica – uma importante fonte de energia limpa e ainda pouco explorada no Brasil, para geração de …

Este trabalho tem como objetivo apresentar cenários e perspectivas do aproveitamento da energia eólica – uma importante fonte de energia limpa e ainda pouco explorada no Brasil, para geração de energia elétrica.
Trabalho para a disciplina Otimização Energética da Pós-graduação em Gestão Ambiental - Faculdade Área1

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,195
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
47
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Energia Eólica Este trabalho tem como objetivo apresentar cenários e perspectivas do aproveitamento da energia eólica – uma importante fonte de energia limpa e ainda pouco explorada no Brasil, para geração de energia elétrica. FACULDADE ÁREA 1 PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL Disciplina: Otimização Energética Professor: Raimundo Sousa Aluna: Mônica Maria da Silva 8/5/2013
  • 2. 1 1- INTRODUÇÃO A Agência Nacional de Energia Elétrica denomina a energia eólica como sendo a energia cinética contida nas massas de ar em movimento. Seu aproveitamento ocorre por meio da conversão da energia cinética de translação em energia cinética de rotação, com o emprego de turbinas eólicas, também denominadas aerogeradores, para a geração de eletricidade. Na década de 1970, foi iniciada a utilização dessa fonte para geração de energia elétrica, em larga escala, quando se acentuou a crise internacional de petróleo. Alguns países da Europa e EUA se preocuparam em buscar fontes alternativas para geração de eletricidade focando reduzir a dependência do petróleo e seus derivados. A energia eólica é tecnicamente aproveitável quando sua densidade é maior ou igual a 500 W/m2 , a uma altura de 50 metros, o que demanda uma velocidade mínima do vento de 7 a 8 m/s. Em apenas 13% da superfície terrestre o vento apresenta velocidade média igual ou superior a 7 m/s, a uma altura de 50 m. Essa proporção varia muito entre regiões e continentes, chegando a 32% na Europa Ocidental. No Brasil, foram realizados vários estudos e levantamentos do comportamento do vento através de mapas eólicos e estes apontam o Nordeste e Sul como as principais regiões com potencial eólico. O Nordeste principalmente tem uma das melhores jazidas do mundo, contam com boa velocidade de vento, baixa turbulência e uniformidade. O potencial total é estimado em 30 mil MW. Figura 1: Levantamento do Potencial Eólico Brasileiro Fonte: http://www.cresesb.cepel.br/publicacoes/index.php?task=livro&cid=1
  • 3. 2 2- CAPACIDADE INSTALADA NO MUNDO Ao longo de 16 anos o crescimento mundial da energia eólica foi bastante significativo. Destaca-se que entre 2004 e 2008 houve um aumento expressivo de aproximadamente 152% na capacidade instalada mundial de energia eólica (47,6 GW para 120 GW). Em 2011, a capacidade instalada mundial era de 238 GW. Atualmente a capacidade instalada no mundo gera 282 GW, o que corresponde a 20 vezes a geração de energia da hidroelétrica de Itaipu. Essa capacidade supre apenas 2,5% do consumo de energia global, mas a expectativa é que até 2020, algo entre 8 e 12% do consumo seja suprido pela energia eólica. Figura 2: Evolução da Capacidade Instalada Mundial ao Longo de 16 anos. Fonte: http://exame.abril.com.br/meio-ambiente-e-energia/energia/noticias/o-mercado-da-energia-eolica-no- mundo Em 2012, no mercado da energia eólica pode-se destacar a China, EUA e Alemanha como os três países detentores de 58% da capacidade global na geração de energia eólica. A Espanha está em 4º lugar produzindo 8,1% (22,8 GW) da capacidade mundial. O Brasil ocupa a 15ª posição global com 2,5 GW de capacidade instalada, mas sobe sua posição para 8ª posição como o país onde a energia eólica cresceu 2,4 % em 2012.
  • 4. 3 Figura 3: Capacidade Eólica Instalada nos dez Principais Parques Eólicos do Mundo. Fonte: http://exame.abril.com.br/meio-ambiente-e-energia/energia/noticias/o-mercado-da-energia- eolica-no-mundo 3- ENERGIA EÓLICA NO CONTEXTO NACIONAL No Brasil, a participação da energia eólica na geração de energia elétrica ainda é pequena. Seu emprego teve início com o Programa de Fontes Alternativas de Energias Renováveis (PROINFA) em 2004. Nos anos de 2005 a 2008 o investimento em energia eólica foi baixo, destaca-se que em 2007 não houve investimento voltado para esta fonte de energia. Mas a partir de 2012 o volume de investimento ganhou impulso devido principalmente ao modelo de financiamento proposto pelo BNDES e pelo BNB e incentivo de ICMS para instalação de parques eólicos. Com um investimento de R$ 3,5 bilhões, a potência eólica instalada no Brasil em 2012 foi de 2,5 GW.
  • 5. 4 Figura 4: Volume de Investimento Anual em Energia Eólica. Fonte: www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-investimento-em-energia-eolica Na América Latina o Brasil é líder na capacidade instalada o que corresponde a 72% da capacidade total. A capacidade de geração de energia eólica é suficiente para abastecer 7,5 milhões de habitantes e sua participação na matriz elétrica brasileira corresponde a 2% (atrás das hidroelétricas e térmicas e a frente das usinas nucleares). O Brasil possui 109 usinas instaladas e 77 parques em construção. A Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica) prevê que a capacidade eólica instalada cresça 141% em 2013, até 6 GW. Figura 4: Evolução da Capacidade Instalada no Brasil de 2005 a 2017. Fonte: http://exame.abril.com.br/meio-ambiente-e-energia/noticias/capacidade-de-geracao-de-energia-eolica- subiu-73-em-2012
  • 6. 5 4- PRINCIPAIS PARQUES EÓLICOS INSTALADOS São seis principais parques eólicos instalados no Brasil. Observa-se que cinco estão instalados na região Nordeste nos estados da Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte. A segunda maior usina está instalada no Rio Grande do Sul na cidade de Osório.  Complexo Eólico Alto Sertão I (BA): o maior parque gerador de energia eólica do Brasil e também da América Latina. Cerca de 30% de toda energia eólica gerada no Brasil. Possui a capacidade instalada 294 mW. Este parque foi construído pela Renova Energia e entregue em Abril/2013, mas a execução da linha de transmissão por parte da Chesf ainda não está pronta. Essa linha é o que interliga o parque ao sistema integrado nacional (SIN). Segundo o diretor de energia da Seinfra, Gilson Moraes “a Chesf atrasou a obra porque algumas áreas passam por lugares que necessitam de autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Inema e do Ibama, órgãos de licenças ambientais. Não há previsão de quando o parque Alto Sertão I entrará em funcionamento”.  Parque Eólico de Osório (RS): o segundo maior centro de geração de energia eólica no Brasil (em 2011) 150 mW.  Usina de Energia Eólica de Praia Formosa (CE): Possui a capacidade instalada de 104 mW.  Parque Eólico Alegria (RN): Possui a capacidade instalada de 51 mW.  Parque Eólico do Rio de Fogo (RN): Possui capacidade instalada de 41 mW.  Parque Eólico Eco Energy (CE). Possui capacidade instalada de 25 mW. 5- INICIATIVAS NO USO DE ENERGIA EÓLICA O emprego da energia eólica pode ser voltado para grandes empresas que dispõem de recursos financeiros para investir, assim como, para pequenos negócios, condomínios, prédios, escolas e propriedades rurais. O uso de aerogeradores nestes locais, graças ao desenvolvimento da tecnologia permite que cada vez mais estes estejam associados ao projeto arquitetônico. O uso racional da energia eólica para a geração de eletricidade além de uma fonte não-poluidora, é inesgotável, de baixo impacto ambiental e retorno financeiro a um curto prazo. Seguem abaixo algumas iniciativas de uso de energia limpa no Brasil: A fabricante de carros Honda anunciou a construção em 2014, de um parque eólico no Rio Grande do Sul. A empresa irá investir 100 milhões na instalação do parque e
  • 7. 6 espera-se uma redução de 40% na conta de energia. A Honda será 100% movida à energia limpa. Foi inaugurado em 2006, o Edifício Eólis em Porto Alegre o primeiro prédio comercial do Brasil a utilizar energia eólica, gerando 20% de toda a energia consumida pelas áreas comuns do condomínio. Na época, o custo do equipamento (importado dos Estados Unidos - o mais avançado do mundo) foi em torno de R$ 40 mil. Outro exemplo de iniciativa de uso de energia eólica com um baixo investimento foi o Edifício Via Barra (RJ) que em 2010 investiu pouco mais de R$ 12 mil para instalar um aerogerador para abastecer a garagem, as escadas e a área comum do condomínio. Este investimento proporcionou uma redução de 30% na conta de energia elétrica. A concessionária na época fez várias vistorias nas instalações do condomínio para buscar possíveis irregularidades como o “gato” na rede elétrica. O grupo HSBC (conhecido como a maior organização de serviços financeiros e bancários do mundo) inaugurou em 2011 no Maranhão um projeto-piloto de uma agência com aerogerador com capacidade de gerar 800 kWh por mês, que corresponde a 15% de toda energia elétrica consumida na unidade. O valor do investimento para instalar os aerogeradores foi aproximadamente R$ 30 mil. Temos o exemplo de instalação de aerogerador em um posto de gasolina em Petrolina que teve redução de seus custos mensais com eletricidade usando energia eólica. Em 2010, no Fórum Econômico Mundial de Davos foi apresentado o selo WindMade , cuja finalidade foi estimular o investimento em energia eólica através do aumento da demanda por produtos verdes e pela produção de itens com a utilização de energias renováveis. Hoje, o selo WindMade certifica, globalmente, empresas que obtem pelo menos 25% de sua energia de fontes eólicas. Uma iniciativa que vem atraindo grandes marcas globais como LEGO®, PWC® e Motorola®. 6- CONSIDERAÇÕES O Brasil é o país mais propício à geração de energia eólica do mundo, segundo avaliação do Global Wind Energy Council, organismo internacional que agrupa entidades e empresas relacionadas à produção de energia eólica. Atualmente, somente uma pequena parcela deste potencial é aproveitada, mas a energia alternativa tem ajudado a movimentar a economia brasileira. Empresas multinacionais estão se instalando no País e promovendo a criação de mais de um milhão de empregos diretos e três milhões indiretos. A energia eólica disputa
  • 8. 7 com outras fontes de energia e com o aumento da demanda seu custo em 2011 foi comercializado a R$ 99 o MWh – entre os menores do mundo e atraindo investidores. O Governo Federal espera que até 2020 os investimentos alcancem R$ 40 bilhões naquela que é a segunda energia mais competitiva do País. Ainda existem desafios e alvos a superar, mas a energia eólica no país apresenta um cenário muito positivo e conforme Jean-Paul Prates, diretor-geral do CERNE, seu sucesso dependerá de “um trabalho integrado entre empreendedores, fornecedores e governos para minimizar os impactos e traumas inevitavelmente causados pelas obras. Isso implica no planejamento de infra-estrutura de acesso, gestão logística adequada, e bom relacionamento com as comunidades. Trabalhando estes fatores integrada e efetivamente temos a certeza que estaremos construindo, de fato, a indústria dos ventos”. 7- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. Energia Eólica. Disponível na INTERNET via: http://www.mma.gov.br/clima/energia/energias-renovaveis/energia-eolica 2. Energia Eólica. Disponível na INTERNET via: http://www.brasil.gov.br/sobre/economia/energia/matriz-energetica/energia-eolica 3. Energia Eólica. Disponível na INTERNET via: www.energiapura.com/content/primeiro-edifício-no-brasil-funcionar-com-energia- eólica 4. Energia Eólica. Disponível na INTERNET via: http://www.institutocarbonobrasil.org.br/noticias3/noticia=728994 5. Energia Eólica. Disponível na INTERNET via: http://www.brasil.gov.br/sobre/economia/energia/matriz-energetica/energia-eolica 6. Energia Eólica. Disponível na INTERNET via: http://www.viex www.viex- americas.com/index.php?option=com_content&view=article&id=78:qa-energia-eolica- veio-para-ficarq&catid=35:entrevistas 7. Energia Eólica. Disponível na INTERNET via: www.aneel.gov.br/aplicacoes/atlas/pdf/06- energia_eolica(3).pdf

×