Psicanálise
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Psicanálise

on

  • 2,909 views

Estudo Psicanálise

Estudo Psicanálise

Statistics

Views

Total Views
2,909
Views on SlideShare
2,909
Embed Views
0

Actions

Likes
4
Downloads
244
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Psicanálise Psicanálise Presentation Transcript

  • Psicanálise O estudo do inconsciente humano Psicologia | Teorias e Sistemas Equipe: Fernanda, Micaella, Renata e Waydson
  • A Psicanálise Ÿ É um modo de Terapia e uma teoria cujos fundamentos foram estabelecidos por Freud, para tratar o comportamento anormal a partir da investigação do inconsciente; Ÿ seu método primário é a observação clinica voltada para o inconsciente. Psicanálise
  • Sigmund Freud (1856-1939) Ÿ Fundador da Psicanálise. Foi Médico Neurologista e nasceu na atual República Tcheca. Ÿ Os pressupostos básicos da psicanálise surgiram não só dos seus estudos em Neurologia como também de sua preocupação terapêutica com os doentes mentais, o que o levou a focalizar os aspectos anormais da personalidade. Ÿ As teorias de Freud foram derivadas da auto- observação e da observação dos seus pacientes submetidos à psicanálise. Psicanálise
  • Sigmund Freud Freud se utilizou da técnica considerada a mais significativa na evolução da psicanálise: a livre associação. Nessa técnica, o paciente deita num divã e é encorajado a falar aberta e espontaneamente, dando completa expressão a qualquer idéia, por mais embaraçosa, irrelevante ou tola que pareça, com a intenção de tornar conscientes os recessos mais ocultos da mente. Ÿ Freud explorou áreas ignoradas pelos psicólogos, como as forças motivadoras inconscientes, os conflitos entre essas forças e os efeitos desses conflitos sobre o comportamento humano. Psicanálise
  • Psicanálise = Psicologia / Ÿ A psicanálise não tinha vínculo direto com os movimentos das outras escolas de pensamento em psicologia, pois não surgira no âmbito da psicologia acadêmica. Ÿ A Psicologia acadêmica se esforçava por ser uma ciência pura, era centrada no método, e só queria trabalhar em termos específicos de estímuloresposta. Ÿ Já a psicanálise, não era um produto de estudo de academia nem uma ciência pura, estava centrada no problema. A preocupação de Freud era mais global — a personalidade humana total, em vez de funções especificas como a percepção e a aprendizagem. Psicanálise
  • Conceitos da Psicanálise freudiana Principais Psicanálise
  • Determinismo Ÿ Freud acreditava que nenhum processo mental ocorre por acaso. A cada ação correspondia sempre uma causa, sempre h av i a u m m o t i vo c o n s c i e n t e o u inconsciente. Há uma continuidade na vida mental. Psicanálise
  • Sistema da Personalidade Instinto Ÿ São pressões que dirigem o organismo para determinados fins. ŸPara Freud, os instintos são as únicas fontes de energia do comportamento e os fatores propulsores da personalidade. ŸNa perspectiva freudiana, desde o nascimento, os indivíduos são dotados de uma base biologicamente instintual: instintos sexuais e instintos agressivos que, inconscientemente, motivam cada coisa que os seres humanos pensam, dizem ou fazem durante suas vidas. Ÿ Freud denominou de libido a energia pela qual os instintos se manifestam. Psicanálise
  • Classificou os instintos em dois grupos: Ÿ Instintos de vida- servem à sobrevivência do homem e a propagação da raça. Por exemplo, a fome, a sede, a necessidade de contato sexual. Este último foi o instinto de vida no qual Freud prestou mais atenção. Instintos de morte- instintos destrutivos. Toda pessoa morre, o que levou Freud a pensar que a finalidade de toda vida é a morte. Convenceu-se, então, de que a pessoa tem, inconscientemente, o desejo de morrer. O impulso agressivo é um importante derivativo dos instintos de morte. Ÿ Psicanálise
  • Aspectos da Personalidade Considerado por alguns autores, o primeiro tópico da estrutura da personalidade, Freud apresenta em sua obra “A interpretação dos sonhos”(1900), uma tentativa de dividir a mente humana em três regiões: INCONSCIENTE - Nele concentram-se elementos instintivos, que não são acessíveis â consciência. Aí, estão as fontes de energia psíquica e instintos. Ÿ PRÉ-CONSCIENTE - É uma parte do inconsciente que pode tornasse consciente com facilidade; são as porções acessíveis da memória; Ÿ Ÿ e CONSCIENTE - Inclui tudo o que estamos cientes num dado momento; Psicanálise
  • Freud remodela o primeiro tópico e introduz o que alguns autores chamam de segundo tópico da estrutura da personalidade, em que apresenta três sistemas de funcionamento psíquico: o ID, o EGO e o SUPEREGO. Ÿ De acordo com esta teoria, id, ego e superego atuam entre si num sistema dinâmico, mas possuem diferentes funções. Ÿ Psicanálise
  • O ID Ÿ Opera de acordo com o PRINCÍPIO DO PRAZER; Ÿ Procura apenas a satisfação de suas necessidades instintivas, sem levar em conta as circunstâncias da realidade objetiva, como juízos de valor, o bem, o mal e a moral; Ÿ Todas as atividades do id são inconscientes: não temos consciência de nossos instintos e de seus profundos efeitos sobre nosso comportamento. Psicanálise
  • O EGO Ÿ Opera de acordo com o PRINCÍPIO DA REALIDADE; Ÿ Sistema que estabelece o equilíbrio entre as exigências do id, as exigências da realidade e as 'ordens' do superego; Ÿ Apresenta razão, em contraste às paixões cegas e insistentes do id; Ÿ Freud denominava o ego ich, traduzido como eu. Psicanálise
  • O SUPEREGO Ÿ Opera de acordo com o PRINCÍPIO DO DEVER. Ÿ O papel do superego é comparável ao de um juiz ou censor do ego. Sua ação se manifesta pela consciência moral, atitudes de autocrítica, proibição. Ÿ Representa mais o ideal do que o real. Desempenha as seguintes funções: - Inibir os impulsos do id; - Persuadir o ego; - Lutar pela perfeição. Ÿ O superego é o "defensor de um impulso rumo à perfeição". Psicanálise
  • O superego está evidentemente em conflito com o id. Ao contrário do ego, o superego não tenta apenas adiar a satisfação do id; ele tenta inibi-la por completo,o que causa um conflito interminável no interior da personalidade humana. O ego está numa posição difícil, sendo pressionado por todos os lados, cabendo a ele: 1. adiar os anseios e incessantes do id; 2. perceber e manipular a realidade para aliviar as tensões do instinto do id; 3. lidar com o anseio de perfeição do superego. Psicanálise
  • Ansiedade Sempre que o ego é submetido a uma pressão muito grande, resulta na ansiedade, que funciona como advertência que o ego está sendo ameaçado. A Ansiedade é uma força que induz a tensão do comportamento humano, motivando o indivíduo a agir para reduzir essa tensão. Freud sugeriu que o ego desenvolve algumas defesas protetoras contra a ansiedade, que são os mecanismos de defesa. Psicanálise
  • Mecanismos de Defesa Ÿ São os processos psíquicos cuja finalidade consiste em afastar um evento gerador de angústia da percepção consciente. Ÿ O ego, como sede da angústia, é mobilizado diante de um sinal de perigo e desencadeia uma série de mecanismos repressores que impedirão a vivência de fatos dolorosos, os quais o organismo não está pronto para suportar. Ÿ Todos os mecanismos de defesa negam, falsificam ou distorcem a realidade; operam inconscientemente, sem que a pessoa se dê conta. Psicanálise
  • Mecanismos de Defesa ŸIdentificação EX.: Exemplo: identificação com um ídolo. ŸRepressão Ex.: o marido traído que nega a traição. ŸSublimação Ex.:desejo muito ter filhos, como não posso me dedico às crianças carentes. ŸProjeção Ex.: quando se diz ‘‘ele me odeia’’ em vez de ‘‘eu o odeio’’ Psicanálise
  • Mecanismos de Defesa ŸFixação Ex.: Dormir com urso de pelúcia na idade adulta. ŸRegressão Ex.: Criança que começa a se comportar como bebê quando nasce um irmãozinho. ŸFormação Reativa Ex.: uma pessoa tem exagerada preocupação com organização, devido a inconsciente tendência ao desregramento. Psicanálise
  • Estágios Psicossexuais do Desenvolvimento da Personalidade Na teoria psicanalítica do desenvolvimento, a criança passa por uma série de estágios psicossexuais, os quais são: Ÿ Estágio oral - que vai até o segundo ano de vida, quando a estimulação da boca, como sugar, morder e engolir, é a fonte primária de satisfação erótica. Psicanálise
  • Ÿ Estágio anal - quando a gratificação vai da boca para o ânus, e as crianças derivam prazer da zona anal. Ÿ Estágio fálico - ocorre por volta do quarto ano de idade, quando a satisfação erótica se transfere para a região genital. Freud situou nesse estágio o desenvolvimento do complexo de Êdipo. Psicanálise
  • Ÿ Período da latência - que dura mais ou menos do quinto ao décimo segundo ano de vida, quando a energia da libido canalizada para atividades sociais. Ÿ Estágio Genital - quando o comportamento heterossexual se torna evidente. Prevalência de uma sexualidade genital. Psicanálise
  • Apesar das críticas de falta de rigor científico e de fraqueza metodológica, a psicanálise freudiana continua sendo uma importante força na psicologia moderna. Psicanálise