• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Ministério da Saúde passa a oferecer assistência integral a pacientes com AVC
 

Ministério da Saúde passa a oferecer assistência integral a pacientes com AVC

on

  • 1,187 views

Publicado novo protocolo que amplia a assistência aos pacientes com a doença, inclusive o fornecimento do trombolítico alteplase nos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS)

Publicado novo protocolo que amplia a assistência aos pacientes com a doença, inclusive o fornecimento do trombolítico alteplase nos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS)

Statistics

Views

Total Views
1,187
Views on SlideShare
1,056
Embed Views
131

Actions

Likes
1
Downloads
8
Comments
0

2 Embeds 131

http://farmaciaead2013.blogspot.com.br 119
http://farmaciaead2013.blogspot.com 12

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Ministério da Saúde passa a oferecer assistência integral a pacientes com AVC Ministério da Saúde passa a oferecer assistência integral a pacientes com AVC Presentation Transcript

    • Boletim informativo do Ministério da Saúde Ano 2 nº 71 Abril 2012 MINISTÉRIO DA SAÚDE PASSA A OFERECER ASSISTÊNCIA INTEGRAL A PACIENTES COM AVC Publicado novo protocolo que amplia a assistência aos pacientes com a doença, inclusive o fornecimento do trombolítico alteplase nos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) O Ministério da Saúde vai ampliar a assistência às vítimas de Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico e hemorrágico. A partir de agora, os pacientes com a doença passarão a ter assistência integral pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A garantia está prevista pela portaria 664/2012, publicada no Diário Oficial da União. O documento garante a incorporação de um novo medicamento, o trombolítico alteplase, além do fornecimento de serviços habilitados para assistência às vítimas de AVC. Outra portaria (665/2012) prevê a criação dos Centros de Atendimento de Urgência, classificados em três tipos, dependendo do porte e capacidade de atendimento. Eles desempenharão um papel de referência no tratamento aos pacientes com AVC. A criação dos centros será articulada entre governo federal, estados e municípios. O nosso esforço é ampliar a rede de atenção básica, de prevenção e de tratamento com o objetivo de reduzir casos e óbitos. A linha de cuidado do AVC é uma das nossas prioridades e a incorporação tecnológica de qualquer procedimento ou medicamentos tem padrões para ser realizada. É este conjunto de ações, estruturação e incorporação de medicamento, que irá ampliar a assistência Ministro Alexandre Padilha
    • INCORPORAÇÃO DO TROMBOLÍTICO – O medicamento será fornecido pelos hospitais habilitados e ajudará a reduzir os riscos de sequelas e de mortalidade. O alteplase diminui em 31% o risco de sequelas do AVC, isso significa a recuperação do quadro neurológico de mais pacientes comparando com aqueles que não recebem o tratamento com alteplase. O atendimento em Unidade de AVC com o uso do alteplase poderá reduzir em até 18% a mortalidade e 29% a chance do paciente ficar dependente de outra pessoa para as atividades diárias.ATENDIMENTO NO BRASIL – Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o AVC é a terceira maior causa de morte naturalna população adulta no mundo (atrás do câncer e do infarto) e a primeira no Brasil (cerca de 100 mil óbitos ao ano). No Brasil,somente em 2011, foram realizadas 172.298 internações por AVC (isquêmico e hemorrágico). Em 2010, foram registrados 99.159óbitos pela doença. De acordo com a nova portaria, a Linha do Cuidado do AVC deve incluir, necessariamente, a rede básica desaúde, SAMU, unidades hospitalares de emergência e leitos de retaguarda, reabilitação ambulatorial, ambulatório especializado,programas de atenção domiciliar, entre outros aspectos.INVESTIMENTOS – Até 2014, serão investidos R$ 437 milhões para ampliar a assistência a vítimas de AVC. Do total de recursos,R$ 370 milhões vão financiar leitos hospitalares. Serão criados 1.225 novos leitos nos 151 municípios onde se localizam os 231pronto-socorros, responsáveis pelo atendimento de urgência e emergência especializado em AVC. Outra parcela, R$ 96 milhões,será aplicada na oferta do tratamento com o uso de alteplase.