Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Brasil registra queda de 21% no número de mortes maternas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Brasil registra queda de 21% no número de mortes maternas

  • 539 views
Published

Rede Cegonha promove melhora no atendimento à gestante e reduz óbitos decorrentes de complicações na gravidez e no parto

Rede Cegonha promove melhora no atendimento à gestante e reduz óbitos decorrentes de complicações na gravidez e no parto

Published in Health & Medicine
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
539
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
6
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Boletim informativo do Ministério da Saúde Ano 2 nº 79 Maio 2012 BRASIL REGISTRA QUEDA DE 21% NO NÚMERO DE MORTES MATERNAS Rede Cegonha promove melhora no atendimento à gestante e reduz óbitos decorrentes de complicações na gravidez e no parto O Brasil registrou queda recorde nos números de mortes maternas em 2011, primeiro ano de funcionamento do programa Rede Cegonha, do Ministério da Saúde. Entre janeiro e setembro do ano passado, foram contabilizados 1.038 óbitos decorrentes de complicações na gravidez e no parto, o que representa queda de 21% em comparação ao mesmo período de 2010, quando 1.317 mulheres morreram por estas causas. Desde o lançamento do programa, o Ministério da Saúde já investiu R$ 2,5 bilhões para qualificar a assistência à mulher e ao bebê. A iniciativa já atende 36% das gestantes no Sistema Único de Saúde (SUS). Uma das melhorias é o avanço no acesso das mulheres às consultas de pré-natal – em 2011, mais de 1,7 milhão de mulheres fizeram, no mínimo, sete consultas pré-natais. Essa conquista é muito importante para o país, mas o desafio ainda existe. Vamos nos esforçar para impedir mortes maternas evitáveis, em parceria entre o governo federal, os estados e os municípios. A Rede Cegonha é uma importante aliada da mulher, pois oferece cuidados integrais à saúde da mulher e da criança Ministro Alexandre Padilha
  • 2. REDUÇÃO NOS ÓBITOS ENTRE 1990 E 2010 CAUSAS HIPERTENSÃO HEMORRAGIA INFECÇÕES ABORTO DOENÇAS DO APARE- ARTERIAL PÓS-PARTO LHO CIRCULATÓRIO PORCENTAGEM 66,1% 69,2% 60,3% 81,9% 42,7%ESTRATÉGIA – A Rede Cegonha prevê a expansão e qualificação de maternidades, leitos, Centros de Parto Normal,exames de pré-natal, o direito ao acompanhante no parto e acompanhamento das crianças até os dois anos de idade,entre outras ações. Todos os estados e o Distrito Federal já aderiram ao programa. PRÉ-NATAL – A Rede Cegonha auxilia as gestantes no deslocamento para as consultas de pré-natal. O programa já cadastrou gestantes em 59 municípios de 11 estados para receberam o auxílio de até R$ 50. Outra novidade é a distribuição de sonares para todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS). O equipamento serve para auscultar, ouvir e monitorar o coração do bebê ainda na barriga da mãe e verificar as condições físicas dele.SERVIÇO – O Ministério da Saúde também quer conhecer cada mulher que teve seu filho no SUS e saber como foio atendimento recebido durante toda gestação, parto e pós-parto. A Ouvidoria Geral do Ministério da Saúde estáligando para essas mães avaliarem os serviços prestados. Já existem mais de 75 mil mulheres cadastradas.