• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Fichamento do livro paulo freire p. trab. roberto 7 period.
 

Fichamento do livro paulo freire p. trab. roberto 7 period.

on

  • 2,425 views

Este trabalho é uma síntese das ideias relevantes de algumas páginas do livro, foi parafraseado nas ideias do autor.

Este trabalho é uma síntese das ideias relevantes de algumas páginas do livro, foi parafraseado nas ideias do autor.

Statistics

Views

Total Views
2,425
Views on SlideShare
2,425
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
12
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Fichamento do livro paulo freire p. trab. roberto 7 period. Fichamento do livro paulo freire p. trab. roberto 7 period. Document Transcript

    • AUTARQUIA EDUCACIONAL DE AFOGADOS DA INGAZEIRA FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE AFOGADOS DA INGAZEIRA DISCIPLINA: FUND. DA ED. INDÍGENA E DO CAMPO. DEPART. DE PEDAGOGIA; PERÍODO: 7° EQUIPE:OLGA LIMA DOS SANTOS E VERÔNICA ADRIANA PROF.: ROBERTO JUN-21-2013.1 Fichamento Fichamento apresentado ao prof. Roberto Gomes como requisito parcial à obtenção da nota da 2º unidade da disciplina Fund. da Ed. Indígena e do campo.
    • FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários á prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996, cap. 1, p. 30-35, (Coleção leitura). 1.3 – Ensinar exige respeito aos Saberes dos Educandos O docente deve respeitar os saberes já construídos pelos seus alunos, pois antes de frequentar a escola os alunos não chegam como sendo uma folha em branco, ela já traz seu saber construído através da interação no lar, na rua etc., é preciso levar em conta sua realidade sua diversidade cognitiva e sociocultural de cada um de seus alunos. O professor deve apropriar-se da realidade local, para fazer uma aula rica e proveitosa usando meios simples para aprofundar debates, procurar soluções junto a seus alunos, por exemplo, o professor está trabalhando meio ambiente, ao invés de fazer aulas monótonas tendo como recurso caderno, livro e lousa, ele pode reunir os alunos fazer uma aula passeio e usufruir do que as ruas oferecem para aprofundar mais sua aula. O autor defende uma prática com situações reais, com coisas reais que estão ao nosso dispor, ex. lixo em ruas e lagos, desperdício de água, etc. 1.4 – Ensinar exige criticidade A curiosidade leva a uma crítica e ao críticizar-seocorre cada vez mais a aproximação do indivíduo com o objeto cognoscível. É através da curiosidade que descobrimos novos conhecimentos, ela é uma inquietação,da curiosidade ingênuapodemos nos aproximar metodicamente do objeto cognoscível através de autocriticizar-se, dessa forma nossa curiosidade se torna epistemológica. 1.5 – Ensinar exige estética e ética A formação ética deve andar com a estética, a ética como a decência e a ética como o belo, pois somos seres éticos, para uma prática educativa que busca a mudança, é preciso pensar certo, dentro da ética, e praticar esse pensar certo para que esta prática educativa seja estética, linda.
    • 1.6 – Ensinar exige a corporeificação das palavras pelo exemplo O autor aponta para importância do pensar certo, que não basta o professor fazer um discurso lindo e pragmático enquanto que na sua prática com cidadão, como pessoa ele faz o contrário, não vale o ditado: faça o que eu digo, não faça o que eu faço. Quem pensa certo é seguro na sua argumentação, é coerente em sua fala e prática. Para pensar certo deve haver também generosidade e respeito por mais que discorde de outrem ou de seu aluno.