ANTROPOLOGIAA DIVERSIDADECULTURAL E RELIGIOSANA UMBANDA:A RELIGIÃOBRASILEIRA“É inviolável a liberdade de consciência ede c...
1. INTRODUÇÃOA Umbanda, é uma religião brasileira, a única considerada nacionalmente pura. Aindaque, seja de matiz african...
Figura 1 - Zélio Fernandino de Morais (Patrono da Umbanda)Fonte: A Gazeta de São Gonçalo (1929)Zélio fundou a primeira cas...
Kardecismo e das religiões indígenas. Com o tempo algumas vertentes, foram sendoincorporadas: orientais (chinesa, japonesa...
Figura 3 - Estrutura do TerreiroFonte: Revista Galileu Online (2007)Os cultos umbandistas são praticados em terreiros, que...
A Umbanda tem um panteão de orixás que são cultuados e o há sincretismo com ossantos do Catolicismo, por exemplo, Yansã é ...
Figura 5- Mapa dos Umbandistas No Brasil (Censo 2010)Fonte: IBGE (2010)6. ENGANOS COMUNS E O PRECONCEITOA Umbanda é muito ...
Na Umbanda não há sacrifícios de animais, as oferendas segundo o código de ética,devem ser feitas no terreiro. Se a entida...
Figura 7 - Oferenda para OxaláFonte: Blog Templo Umbandista Estrela Dourada (2010)“Ninguém será privado de direitos por mo...
A Umbanda e o Brasil, integraram em seu cerne elementos estrangeiros, que agregaramuma matriz cultural diversa, e assim, m...
BIBLIOGRAFIAAMANCIO, Iris Maria da Costa. África-Brasil-África: Matizes, Heranças e DiálogosContemporâneos. Belo Horizonte...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Umbanda

3,064

Published on

Diversidade religiosa e cultural na Umbanda, a religião brasileira.

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,064
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
170
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Umbanda

  1. 1. ANTROPOLOGIAA DIVERSIDADECULTURAL E RELIGIOSANA UMBANDA:A RELIGIÃOBRASILEIRA“É inviolável a liberdade de consciência ede crença, sendo assegurado o livreexercício dos cultos religiosos e garantida,na forma da lei, a proteção aos locais deculto e a suas liturgias”.(BRASIL. Constituição 1988, Inciso VI do Artigo 5º.).
  2. 2. 1. INTRODUÇÃOA Umbanda, é uma religião brasileira, a única considerada nacionalmente pura. Aindaque, seja de matiz africana e incorpore em sua essência diversos dogmas e práticas de outrasreligiões e seitas, ela nasceu no Brasil no final do século XIX e foi criada por um brasileironato, orientado por seu guia espiritual, um caboclo brasileiro. Essas raízes diversas será o alvodo estudo, essa gama cultural e religiosa que é paralelamente semelhante à identidade do Brasil.A mistura dos povos e dos credos que é a base étnica e cultural brasileira é também na Umbandauma característica fundamental.A Umbanda é uma religião nova, contudo carrega consigo um peso histórico relevanteem relação à sua própria origem e desenvolvimento, já que arraigada em seu credo está umpreconceito histórico em relação aos cultos afro-brasileiros e durante seu desenvolvimento aluta para ser aceita como uma religião independente e se livrar das polêmicas, muitas vezessenso comum, em torno de suas práticas.2. ETIMOLOGIAA palavra umbanda vem do dialeto africano quimbundo e significa "arte de curar". Háoutra versão em que a palavra seria uma homenagem ao médium e seu guia espiritual fundadorda religião, " a banda de um". E como a Umbanda tem uma linha oriental, há ainda a versãoque, o significado estaria ligado ao mantra sânscrito "Aum-Bhanda", que é a ligação entre oterreno e o divino.3. ORIGENSNo dia 15 de novembro de 1908, no Rio de Janeiro, o médium Zélio Fernandino de Moraisincorporou pela primeira vez o Caboclo das Setes Encruzilhadas (que segundo lenda seria ummestiço com sangue indígena e europeu) em um centro espírita kardecista. Lá o guia foirejeitado pelos espíritas por ser uma entidade inferior. Diante disso teria proferido os seguintesdizeres:“Levarei daqui uma semente e vou plantá-la nas neves, onde ela setransformará em uma árvore frondosa e chamar-se-á Umbanda”.
  3. 3. Figura 1 - Zélio Fernandino de Morais (Patrono da Umbanda)Fonte: A Gazeta de São Gonçalo (1929)Zélio fundou a primeira casa de Umbanda em 1948, na sua própria residência em SãoGonçalo-RJ, a tenda Nossa Senhora da Piedade (a casa foi vendida e demolida em 2011).Figura 2 - Tenda Nossa Senhora de Piedade (Berço Umbandista)Fonte: Extra Online (2008)Desde o seu surgimento, a Umbanda foi um credo misto, que misturava teologias, doCandomblé, do Catolicismo (manteve o sincretismo que já havia no Candomblé), do
  4. 4. Kardecismo e das religiões indígenas. Com o tempo algumas vertentes, foram sendoincorporadas: orientais (chinesa, japonesa, indiana ...), práticas do islamismo e até mesmoesoterismo europeu (ciganos, celtas ...).A Umbanda surgiu em uma época que os cultos de ascendência afroeram perseguidos. Até a realização do Concílio Vaticano II (1962-1965), a Igreja Católica tinha orientações explícitas contra o quechamava de baixo espiritismo. Havia, inclusive, uma ameaça deexcomunhão para quem participasse da "macumba".(ORTIZ, 1978, pg. 182).Mesmo diante das barreiras, a Umbanda foi se desenvolvendo, em 1939 foi fundada aFederação Espírita de Umbanda e em 1945, José Álvares Pessoa (dirigente de uma casa deUmbanda) obteve junto ao Congresso Nacional a legalização da prática da Umbanda.Em homenagem ao dia da primeira manifestação umbanda, a Lei nº. 16.244 de 16 demaio de 2012, institui o dia 15 de novembro como o Dia Nacional da Umbanda.4. PRÁTICAS E DOGMAS“A umbanda é uma organização descentralizada, ou seja, cada terreiroé independente para ditar suas próprias regras. Dependendo da casa, oritual pode ser mais católico, mais espírita, mais indígena ou mais docandomblé. O altar pode ter figuras de santos, orixás, entidades ou nãoter imagem alguma. Álcool, fumo e percussão, fundamental para muitosterreiros, são proibidos por outros. E é tudo umbanda, "a religiãobrasileira", variada como seu país”.(EMILIANO URBIN)
  5. 5. Figura 3 - Estrutura do TerreiroFonte: Revista Galileu Online (2007)Os cultos umbandistas são praticados em terreiros, que são protegidos por lei e isentosde tributação. As sessões são chamadas de "giras"e ocorrem no "congá". Os Ogãs dão o ritmo,a música e dança são marcas da alegre "descida dos santos", o Pai (Mãe) de Santo incorpora oorixá e de acordo com as diretrizes deste seguirá a sessão, em seguida, os Médiuns (vulgarmenteconhecidos como "cavalos") incorporam os espíritos para prestar consultas, os Cambonesauxiliam os santos e organizam os fiéis. As vestimentas dos membros são geralmente brancas.Se alguma outra entidade desejar se manifestar, a gira recomeça.Figura 4 - Disposição dos Participantes no CultoFonte: Revista Galileu Online (2007)
  6. 6. A Umbanda tem um panteão de orixás que são cultuados e o há sincretismo com ossantos do Catolicismo, por exemplo, Yansã é o espírito correspondente à Nossa Senhora, Oxaláé o espírito que representa Jesus Cristo, e tem grande importância hierárquica no cultoumbandista. A Umbanda é monoteísta, ainda que pareça paradoxal, eles creem que há um Deusúnico, Zambi e também na tricotomia (alma, corpo e espírito), na reencarnação, na lei do karma.Não há um livro sagrado, pois são os espíritos ancestrais quem aconselham através dos médiuns,mas existe os 10 Fundamentos e um Código de Ética aprovados pela Convenção Nacional deUmbanda pelos terreiros registrados. É uma religião de filosofia ecumênica universal, asentidades espirituais vão desde um indígena a um sábio chinês, inclusive há uma vertenteoriental que denominam Umbanda Esotérica, e as ramificações seguem de acordo com a matizmais enfocada por cada terreiro. Conforme exposto, a Umbanda tem dogmas que se aproximamdo Cristianismo, do Judaísmo, do Kardecismo, das religiões orientais (Budismo, Islamismo,Hindu, etc ...) e bastante marcante do Candomblé, paradoxalmente, as práticas mistas a tornamsingular.5. DADOS: FIÉIS QUE SÃO INFIÉIS?"Até hoje o catolicismo é uma máscara usada nas religiões afro-brasileiras, máscara queevidentemente as esconde também dos recenseamentos", afirma o sociólogo Reginaldo Prandiem seu livro Segredos Guardados: Orixás na Alma Brasileira.O número de Umbandistas, segundo Censo 2010 (IBGE), manteve o mesmo percentualem 10 anos, 0,3% e em comparação há 20 anos atrás houve perca de fiéis, 0,4%.Segundo os dados, a Umbanda tem fiéis com bom nível escolar, mulheres em suamaioria, e jovens (média de 32 anos), localizados nos centros urbanos com destaque para asregiões Sul e Sudeste. Mas, a pesquisa realizada pelo IBGE não é específica, estatiza oCandomblé juntamente com a Umbanda, e ainda não leva em consideração quem se dizfrequentador, mas é de outra religião (o que é muito comum no pais, o sincretismo). Comopersiste um preconceito velado e uma "perseguição “de alguns setores religiosos, muitos fiéisnão se declaram umbandistas por receio, e assim, a pesquisa não apresenta números reais.
  7. 7. Figura 5- Mapa dos Umbandistas No Brasil (Censo 2010)Fonte: IBGE (2010)6. ENGANOS COMUNS E O PRECONCEITOA Umbanda é muito confundida com o Candomblé, talvez porque tenha fortes origensnele. Todavia, é independente, assim como o Cristianismo tem suas raízes no Judaísmo mas éum credo totalmente autônomo. Há diversas diferenças entre Umbanda e Candomblé, mas oponto a destacar é que, o que na Umbanda é ponto fundamental, a incorporação de entidadesque falam diretamente com os fiéis, no Candomblé é uma prática inexistente (os orixás noCandomblé se comunicam através dos búzios).
  8. 8. Na Umbanda não há sacrifícios de animais, as oferendas segundo o código de ética,devem ser feitas no terreiro. Se a entidade pedir uma oferenda ao ar livre, as velas perto deárvores e em cima de pedras são proibidas, e depois do ritual a limpeza deve ser realizada, poisa natureza é vista como campo de energia vital que deve ser preservado.Figura 6 - Tirinha Oxalá e Deus - Sacrifício de AnimaisFonte: Carlos Ruas (Um Sábado Qualquer)Conforme dito anteriormente, as oferendas são uma espécie de agrado, são construídaspor itens como frutas, flores, moedas. Uma espécie de materialidade da devoção, não configuramagia negra, a doutrina preconiza que sejam singelas. Na figura acima, esses sensos comunsestão ilustrados: a fatídica e errônea ligação entre Umbanda e matança de animais, mas é curiosocomo o quadrinista demonstra que o Cristianismo/ Judaísmo também possui uma história como sacrifício de animais.
  9. 9. Figura 7 - Oferenda para OxaláFonte: Blog Templo Umbandista Estrela Dourada (2010)“Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou deconvicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se deobrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestaçãoalternativa, fixada em lei”(BRASIL. Constituição 1988, Inciso VIII do Artigo 5º.).7. CONCLUSÃO: A UMBANDA É BRASIL!A pluralidade ecumênica da Umbanda, é a sua característica singular. Assim como apopulação brasileira tem na diversidade sua qualidade fundamental. A Umbanda incorporaelementos de outros credos com magnanimidade, assim como historicamente a sociedadebrasileira conviveu e convive bem com a questão da imigração latente.
  10. 10. A Umbanda e o Brasil, integraram em seu cerne elementos estrangeiros, que agregaramuma matriz cultural diversa, e assim, mais tolerância e uma riqueza histórica. Vários povosconvivem pacificamente em terras tupiniquins, assim como no plano astral da Umbanda osdiversos tipos de cultos estão em plena harmonia.A visão senso comum de que a Umbanda é apenas feitiçaria ou um outro nome doCandomblé é uma das lutas pela seu reconhecimento como uma religião independente compráticas éticas e legais. Assim como o país luta pelo seu reconhecimento, enquanto naçãoindependente economicamente no cenário mundial, e não apenas local de samba e futebol.Em cada região há um sotaque, uma culinária, uma forma de se vestir diferentes; denorte a sul o país vai se modificando, sem abandonar seu status de nação. O mesmo fenômenoocorre na Umbanda, ela vai se ramificando e criando filosofias distintas conforme a região, masé genuinamente a "religião brasileira" em todos os seus diferentes retratos.Enquanto o país recebia os imigrantes japoneses, libaneses e turcos que contribuíramdemasiadamente para a indústria e comércio paulista, e foram se adaptando e incorporando seuscostumes aos nossos e vice-versa; na Umbanda, os espíritos ancestrais desses povos foramrecepcionados e agregados ao panteão umbandista. Nasceu assim por exemplo, o uso deturbantes pelos membros e a nuance esotérica, está muito popular entre os simpatizantes(frequentadores que sincronizam as práticas da Umbanda com sua outra religião primária).O Brasil tem se destacado no cenário geopolítico, e passou a ser nação de destaque.Paralelamente, a Umbanda está expandindo seus domínios para o exterior, já há templos commilhares de frequentadores nos Estados Unidos, México, Canadá e em alguns países europeus.A Umbanda está na moda, na música de Bezzera da Silva e de Dorival Caymmi, estápresente nas crendices populares e como um mata-borrão absorveu a miscigenação brasileira efoi também absorvida. É refutada por alguns segmentos religiosos que de forma retrógrada"materializam" nela os demônios a serem combatidos. Assim, a divulgação do estudo daUmbanda que é tão parco de literaturas e mídias é um passo importante para combater opreconceito e valorizar essa religião que é também um patrimônio cultural imaterial brasileiro.“Mais tarde eu saberia que certas experiências se partilham -atémesmo sem palavras – só com gente da mesma raça. O que nãosignifica nem cor, nem formato de olho, nem tipo de cabelo, mas oindefinível parentesco da alma”. (LYA LUFT)
  11. 11. BIBLIOGRAFIAAMANCIO, Iris Maria da Costa. África-Brasil-África: Matizes, Heranças e DiálogosContemporâneos. Belo Horizonte: Ed. PUC Minas, 2008.BRASIL. Constituição (1988) Constituição da República Federativa do Brasil.Brasília: Senado, 1988. Sítio eletrônico <planalto.gov>INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 2010.Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/ presidencia/noticias/imprensa/ppts/ 00000009352506122012255229285110.pdf> Acesso em: 20 nov. 2012.TOGNOLLI, Cláudio Júlio. Revista Galileu Online: A Nova Cara da Umbanda. Outubro de2007. Disponível em: <http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG79270-7942195-1,00-A + NOVA + CARA+DA+UMBANDA.html Out. 2007>. Acesso em: 20 nov.2012.LISSON, Pai. Blog Umbanda de Fé: Os 10 Mandamentos da Umbanda. Março de 2007.Disponível em: <http://umbandadefe.blogspot.com.br/2007/03/os-10-mandamentos-daumbanda.html>. Acesso em: 20 nov. 2012.FILHO, Herculano Barreto. Extra Online: Berço da Umbanda Destruído em São Gonçalo.Outubro de 2011. Disponível em: <http://extra.globo.com/noticias/religiao-e-fe/berco-daumbanda-destruido-em-sao-goncalo-2716043.html>. Acesso em: 20 nov. 2012.BUTTERFLY, Ka. Templo Umbandista Estrela Dourada: Oferendas. Outubro de 2010.Disponível em: <http://temploumbandistaestreladourada .blogspot. com.br/ 2010/10 /oferendas-basicas-umbandistas.html>. Acesso em: 20 nov. 2012.WIKIPEDIA: Umbanda. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Umbanda>. Acessoem: 20 nov. 2012.Michele C.S. Frison

×