29040004 catalogo geral 2011 2012-v03_rev. 01

3,313 views
3,000 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,313
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
40
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

29040004 catalogo geral 2011 2012-v03_rev. 01

  1. 1. C E RT I ISO 9001 : 2008 FI C A DA EMPRE S A RUMO AO FUTURO !
  2. 2. CATÁLOGO GERAL 2011 HISTÓRIA: Uma empresa construída com determinação. A empresa iniciou suas atividades em 1968 tendo o nome de Ferramentaria e Estamparia Cervantes Ltda., em um prédio de 2 60 m . Neste período, seus produtos eram: moldes para injeção de termoplásticos e ferramentas para estampagem. Quando começou a produzir antenas para os fabricantes de televisores, mudou sua razão social para Antenas Thevear Ltda. No ano de 1974, percebendo um mercado muito carente de produtos para distribuição de sinal de TV, pois só haviam produtos importados, iniciou a fabricação destes acessórios, tais como: amplificadores, boosters, tomadas, divisores, misturadores e filtros. Em 1982, ingressou no mercado de interfones, motivada pelos seus clientes antenistas, que queriam atender as solicitações dos condomínios passando a fabricar porteiros coletivos, centrais de portaria e porteiros residenciais. P assados 15 anos de atividade, em 1983, ocorreu um novo episódio de crescimento com a implantação de uma fábrica de 10.500 m2 de área construída que, em 1990, foi ampliada e hoje compreende 12.500 m2, em um terreno de 40.000 m2, localizado no município de Itaquaquecetuba, região metropolitana de São Paulo. S A C E RT ISO I 9001 : 2008 C A DA Thevear, no ano de 2007, foi certificada pelo padrão de gestão de qualidade ISO 9001:2000 e, no ano de 2010, ocorrera renovação com transição para ISO 9001:2008. FI A EMPRE No ano de 1997, passou a comercializar produtos para segurança eletrônica, como câmeras e monitores para CFTV, vídeo porteiros e gravadores de imagens e, em 2000 foi introduzida a linha de produtos digitais micro processados. Após 40 anos de existência, iniciou uma nova etapa, com o objetivo de atender as necessidades do mercado e satisfazer as expectativas dos clientes, ingressou no segmento de fios e cabos, adotando uma nova razão social, Thevear Eletrônica Ltda. Atualmente conta com 250 funcionários, 500 fornecedores e mais de 8.000 clientes espalhados pelo Brasil e América do Sul. Catálogo Geral - 01
  3. 3. ÍNDICE FIOS E CABOS 1.0 - LINHA DE CABOS PARA SEGURANÇA 2.0 - LINHA DE CABOS PARA TRANSMISSÃO DE DADOS 3.0 - LINHA DE CABOS PARA VHF, UHF, FM, CATV E PARABÓLICA 4.0 - LINHA DE CABOS PARA INTERFONIA 5.0 - LINHA DE CABOS AUTOMOTIVOS 03 08 08 10 12 ANTENAS / CATV 6.0 - APRESENTAÇÃO TV DIGITAL 7.0 - CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ANTENAS 8.0 - INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 9.0 - ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF E INTERNAS 10.0 - MISTURADORES, ACOPLADOR E COMBINADOR 12.0 - AMPLIFICADORES 13.0 - DIVISORES 14.0 - TOMADAS BLINDADAS 15.0 - SEPARADORES 16.0 - ATENUADORES 17.0 - FILTROS E FILTROS TUB-LINE 18.0 - MODULADORES 19.0 - AMPLIFICADORES PARA SATÉLITE SÉRIE TUB-LINE 16 17 19 31 37 41 53 55 56 57 58 61 62 KIT´s RESIDENCIAIS 20.0 - PORTEIROS ELETRÔNICOS RESIDENCIAIS - KIT´s 21.0 - INTERCOMUNICADOR IPANEMA 22.0 - INTERCOMUNICADOR PARA ELEVADORES - CÓDIGO: IT-40 23.0 - VÍDEO PORTEIRO RESIDENCIAL COLOR - CÓDIGO: TH8000 24.0 - FECHADURAS ELETROMAGNÉTICAS 12V/1A 30.0 - FECHOS ELETROMAGNÉTICOS 12V/1A 31.0 - FONTE PARA FECHADURA ELETROMAGNÉTICA 63 67 70 71 76 88 90 INTERFONIA - COLETIVOS E VIDEOS PORTEIROS 32.0 - INTERFONES - MODELOS: PLANALTO, HORIZONTE e IPANEMA 33.0 - PORTEIRO ELETRÔNICO COLETIVO - MODELO: DANÚBIO DOBRÁVEL 34.0 - MÓDULO DE ACOPLAMENTO - CÓDIGO: CAAPI 35.0 - CENTRAL DE PORTARIA DIGITAL - MODELO: CPD 36.0 - PLACA EXTERNA COLETIVA DIGITAL - CÓDIGO: PECPD 37.0 - PLACA EXTERNA DANÚBIO PORTEIRO DIGITAL - CÓDIGO: PCD-101 38.0 - PORTEIRO COLETIVO DIGITAL - MODELO: SMART 39.0 - VÍDEO PORTEIRO COLETIVO DIGITAL - MODELO: ELITHE 91 95 98 100 109 113 114 118 TELEFONIA - COLETIVOS E VIDEOS PORTEIROS 40.0 - CENTRAL AUTOMÁTICA DE TELECOMUNICAÇÃO - CÓDIGOS: CAT-FIXA0/16 e CAT-FIXA1/16 41.0 - CENTRAL AUTOMÁTICA DE COM. TELEFÔNICA - MODELO: CAT-48 42.0 - CENTRAL AUTOMÁTICA DE COM. TELEFÔNICA - CÓDIGOS: CAT-VOZ 48 e CAT-VOZ 128 43.0 - PLACAS COLETIVAS E INDIVIDUAL - CÓDIGOS: PCS-CAT, PCBS-CAT E PIS-CAT 44.0 - TERMINAL DE PORTARIA - CÓDIGO: TP-CAT 45.0 - APARELHOS TELEFÔNICOS 46.0 - VÍDEO PORTEIRO COLETIVO DIGITAL - MODELO: ELITHE PLUS 47.0 - PLACA COLETIVA PARA ELEVADORES 124 132 142 155 159 161 164 170 48.0 - REPRESENTANTES THEVEAR 171 171 49.0 - ASSISTÊNCIA TÉCNICA THEVEAR Catálogo Geral - 02
  4. 4. FIOS E CABOS 1.0 - LINHA DE CABOS PARA SEGURANÇA 1.1 - CABO BRANCO PARA ALARME 0,30 - COBRE NÚ É indicado na conexão de centrais de alarmes aos sensores. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,30 mm, tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE NÚ ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO em cores, conforme tabela abaixo. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO NRO. VIAS TH-10.140 04 3,00 TH-10.141 06 3,30 f (mm) CORES DA VEIA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) PRETO, VERMELHO, AMARELO e VERDE 0,93 PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL e CINZA 1,16 COR BRANCO 1.2 - CABO BRANCO PARA ALARME E INTERFONIA 0,40 - COBRE NÚ É indicado na conexão de centrais de alarmes aos sensores. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,142 mm, tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO em cores, conforme tabela abaixo. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.145 TH-10.146 TH-10.148 4,4 TH-10.149 5,0 BRANCO MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) PRETO e VERMELHO 0,93 04 3,8 CORES DA VEIA PRETO, VERMELHO, AMARELO e VERDE 1,30 06 3,2 TH-10.147 NRO. VIAS 02 3,0 COR PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL e CINZA PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM e BRANCO PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM, BRANCO, LARANJA e LILÁS 1,77 08 10 2,20 2,70 1.3 - CABO BRANCO PARA ALARME E INTERFONIA 0,40 - COBRE NÚ É indicado na conexão de centrais de alarmes aos sensores. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,40 mm, tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE NÚ ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO em cores, conforme tabela abaixo. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. Catálogo Fios e Cabos - 03
  5. 5. FIOS E CABOS 1.3 - CABO BRANCO PARA ALARME E INTERFONIA 0,40 - COBRE NÚ CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.150 TH-10.151 MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) PRETO e VERMELHO 0,75 04 3,3 CORES DA VEIA PRETO, VERMELHO, AMARELO e VERDE 1,00 06 2,8 TH-10.152 NRO. VIAS 02 2,6 COR PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL e CINZA PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM e BRANCO PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM, BRANCO, LARANJA e LILÁS 1,40 BRANCO TH-10.153 3,5 08 TH-10.154 3,9 10 1,70 2,00 1.4 - CABO BRANCO PARA ALARME E INTERFONIA 0,40 - COBRE ESTANHADO É indicado na conexão de centrais de alarmes aos sensores. Possue maior resistência á oxidação. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,40 mm ESTANHADO (Sn), CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE ELETROLÍTICO tempera mole. ISOLAÇÃO POLIETILENO em cores, conforme tabela abaixo. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.155 TH-10.156 TH-10.158 3,5 TH-10.159 PRETO e VERMELHO 0,75 PRETO, VERMELHO, AMARELO e VERDE 1,00 PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL e CINZA 1,40 08 PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM e BRANCO 1,70 10 3,9 BRANCO MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 04 3,3 CORES DA VEIA 06 2,8 TH-10.157 NRO. VIAS 02 2,6 COR PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM, BRANCO, LARANJA e LILÁS 2,00 1.5 - CABO BRANCO PARA ALARME E INTERFONIA 0,50 - COBRE NÚ É indicado na conexão de centrais de alarmes aos sensores. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,50 mm, tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE NÚ ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO em cores, conforme tabela abaixo. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.160 3,1 TH-10.161 3,6 Catálogo Fios e Cabos - 04 COR BRANCO NRO. VIAS CORES DA VEIA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 04 PRETO, VERMELHO, AMARELO e VERDE 1,40 06 PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL e CINZA 2,00
  6. 6. FIOS E CABOS 1.5 - CABO BRANCO PARA ALARME E INTERFONIA 0,50 - COBRE NÚ CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.162 TH-10.163 CORES DA VEIA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM e BRANCO 2,60 10 4,8 NRO. VIAS 08 4,2 COR PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM, BRANCO, LARANJA e LILÁS 3,10 BRANCO 1.6 - CABO BRANCO PARA ALARME E INTERFONIA 0,50 - COBRE ESTANHADO É indicado na conexão de centrais de alarmes aos sensores. Possue maior resistência á oxidação, indicado para locais de maior umidade. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE ELETROLÍTICO ESTANHADO (Sn) tempera mole. ISOLAÇÃO POLIETILENO em cores, conforme tabela abaixo. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO f 0,50 mm, Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA NRO. VIAS CORES DA VEIA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 3,1 04 PRETO, VERMELHO, AMARELO e VERDE 1,40 TH-10.166 3,6 06 PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL e CINZA 2,00 TH-10.167 4,2 08 PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM e BRANCO 2,60 TH-10.168 4,8 10 PRETO, VERMELHO, AMARELO, VERDE, AZUL, CINZA, MARROM, BRANCO, LARANJA e LILÁS 3,10 CÓDIGO f (mm) TH-10.165 COR BRANCO 1.7 - CABO PARALELO BRANCO PARA SEGURANÇA POLARIZADO É indicado na conexão de centrais de alarmes às sirenes, tendo uma das veias com cobre estanhado. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO (1) Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. (2) Fios de COBRE ELETROLÍTICO ESTANHADO (Sn), tempera mole. ISOLAÇÃO / CAPA PVC na cor branca. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CONDUTOR INTERNO CÓDIGO TH-10.170 TH-10.171 TH-10.172 FORMAÇÃO ESTANHADO (2) COBRE NÚ (1) f 0,16 mm 6 FIOS f 0,18 mm 7 FIOS f 0,23 mm 5 FIOS f 0,16 mm 6 FIOS f 0,18 mm 7 FIOS f 0,23 mm 5 FIOS TIPO 2 x 0,12 2 x 0,20 2 x 0,30 MEDIDA NOMINAL (mm) f 1,4 x 3,20 f 1,5 x 3,40 f 1,8 x 4,00 MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 0,60 0,70 1,10 Catálogo Fios e Cabos - 05
  7. 7. FIOS E CABOS 1.7 - CABO PARALELO BRANCO PARA SEGURANÇA POLARIZADO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CONDUTOR INTERNO CÓDIGO FORMAÇÃO ESTANHADO (2) COBRE NÚ (1) TH-10.173 12 FIOS TH-10.174 17 FIOS TH-10.174-1 22 FIOS TH-10.175 32 FIOS TH-10.176 54 FIOS f 0,23 mm f 0,23 mm f 0,23 mm f 0,23 mm f 0,23 mm MEDIDA NOMINAL (mm) TIPO f 0,23 mm 17 FIOS f 0,23 mm 22 FIOS f 0,23 mm 32 FIOS f 0,23 mm 54 FIOS f 0,23 mm f 2,3 x 5,00 f 2,4 x 5,20 f 2,5 x 5,40 f 3,3 x 7,00 f 3,55 x 7,40 2 x 0,50 12 FIOS MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 2 x 0,75 2 x 1,00 2 x 1,50 2 x 2,50 1,80 2,10 3,00 4,30 6,30 1.8 - CABO DE ALTA ISOLAÇÃO PARA CERCA ELÉTRICA Indicado à conexão da cerca elétrica à central. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO (1) Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO f 0,23 mm, tempera mole. (2) Fios de COBRE ELETROLÍTICO ESTANHADO (Sn) f 0,23 mm, tempera mole. ISOLAÇÃO POLIETILENO natural. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CÓDIGO TH-10.180 TH-10.181 TH-10.184 ESPEC. DO CONDUTOR ISOLAÇÃO CAPA EXTERNA f (mm) 3,70 5,0 5,0 BRANCO 5,80 7,0 AZUL COBRE NÚ (1) COBRE ESTANHADO (2) COR ACONDICIONAMENTO 40 KV PRETO 3,70 TENSÃO MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) ROLO 100 metros 50 KV DIÂMETRO NOMINAL (mm) ROLO 100 metros 2,50 2,50 4,40 OBS: ACONDICIONAMENTOS COM OUTRAS METRAGENS, SOB CONSULTA. 1.9 - CABO MANGA COM MALHA PARA CFTV - COBRE NÚ Usado em sistemas de CFTV, possui fio blindado para o sinal de vídeo, diminuindo assim a possibilidade de interferências externas. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Formado de 5 fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO f 0,160 mm, tempera mole. VEIA AMARELA Com malha de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. ISOLAÇÃO PVC na cor conforme tabela abaixo. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) COR NRO. VIAS CORES DA VEIA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) TH-10.290 2,80 BRANCO 2 PRETO e AMARELO C/ MALHA 1,38 Catálogo Fios e Cabos - 06
  8. 8. FIOS E CABOS 1.9 - CABO MANGA COM MALHA PARA CFTV - COBRE NÚ CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.291 TH-10.292 3,40 TH-10.293 BRANCO CORES DA VEIA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) PRETO, VERMELHO e AMARELO C/ MALHA 1,65 4 PRETO, VERMELHO, VERDE e AMARELO C/ MALHA 1,85 6 4,20 NRO. VIAS 3 3,10 COR PRETO, VERMELHO, VERDE, AZUL, CINZA e AMARELO C/ MALHA 2,40 1.10 - CABO COAXIAL PARA CFTV, SEGURANÇA E ELEVADORES - 75W - COBRE NÚ Ideal para ser utilizado nos sistemas de CFTV interligando a câmera de segurança ao dispositivo de recepção de sinal. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. MALHA Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. ISOLAÇÃO POLIETILENO. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. IMPORTANTE: PARA FACILITAR A INSTALAÇÃO UTILIZAR O MODELO COM BIPOLAR, COM ISTO A ALIMENTAÇÃO DA CÂMERA PASSA PELO MESMO CABO. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA BITOLA MALHA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) BRANCO 4,00 mm 67% 2,40 4,0 BRANCO 4,00 mm 80% 2,55 TH-10.319 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 26 67% 2,80 TH-10.321 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 26 80% 3,10 TH-10.325 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 26 67% 5,10 TH-10.327 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 26 96% 5,80 TH-10.328 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 22 67% 5,40 TH-10.329 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 22 96% 6,10 TH-10.331 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 26 67% 3,40 TH-10.333 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 26 80% 3,60 CÓDIGO f (mm) COR TH-10.313 4,0 TH-10.315 1.11 - CABO COAXIAL PARA CFTV E SEGURANÇA - 75W Ideal para ser utilizado nos sistemas de CFTV interligando a câmera de segurança ao dispositivo de recepção de sinal. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. MALHA Fios de ALUMÍNIO COBREADO. ISOLAÇÃO POLIETILENO. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. IMPORTANTE: PARA FACILITAR A INSTALAÇÃO UTILIZAR O MODELO COM BIPOLAR, COM ISTO A ALIMENTAÇÃO DA CÂMERA PASSA PELO MESMO CABO. Catálogo Fios e Cabos - 07
  9. 9. FIOS E CABOS 1.11 - CABO COAXIAL PARA CFTV E SEGURANÇA - 75W CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA BITOLA MALHA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) BRANCO 4,00 mm 67% 2,0 4,0 BRANCO 4,00 mm 80% 2,1 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 26 67% 2,2 4,0 BRANCO 4,00 mm + Bipolar 2 x 26 80% 2,3 CÓDIGO f (mm) COR TH-10.335 4,0 TH-10.337 TH-10.339 TH-10.341 2.0 - LINHA DE CABOS PARA TRANSMISSÃO DE DADOS 2.1 - CABO UTP - PAR TRANÇADO CAT5e Ideal na conexão de computadores à roteadores, hubs, switches, modems e ligações de câmeras de segurança. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,50 mm, tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE NÚ ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO em cores diferentes. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolos de 25, 50,100 e 305 metros, acondicionado em caixa especial. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA NRO. PARES MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) AZUL 4 3,0 5,0 PRETO 4 3,0 5,0 BRANCO 4 3,0 CÓDIGO f (mm) TH-10.200 5,0 TH-10.201 TH-10.202 COR 3.0 - LINHA DE CABOS PARA VHF, UHF, FM, CATV E PARABÓLICA 3.1 - CABO COAXIAL PARA CFTV, SEGURANÇA, HOME THEATER E ELEVADORES - 75W Ideal para ser utilizado no sistema de recepção/transmissão de sinais nas faixas de VHF, UHF, FM, ligação de Home Theater para vídeo e áudio de alta performance com mínimo de perda de sinal e sem interferências, utilizado adequadamente pode ser usado para câmeras em elevadores. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. MALHA Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. ISOLAÇÃO POLIETILENO natural. CAPA PVC cristal flexível. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.322 5,80 TH-10.323 5,80 Catálogo Fios e Cabos - 08 COR CRISTAL MALHA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 67% 4,10 96% 4,10
  10. 10. FIOS E CABOS 2.2 - CABO UTP - PAR TRANÇADO CAT5e Ideal na conexão de computadores à roteadores, hubs, switches, modems e ligações de câmeras de segurança. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,51 mm, tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE NÚ ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO em cores diferentes. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolos de 25, 50,100 e 305 metros, acondicionado em caixa especial. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CÓDIGO f (mm) CAPA EXTERNA COR NRO. PARES MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) TH-10.205 5,0 AZUL 4 3,0 TH-10.206 5,0 PRETO 4 3,0 TH-10.207 5,0 BRANCO 4 3,0 Catálogo Fios e Cabos - 08a
  11. 11. FIOS E CABOS 3.2 - CABO COAXIAL SÉRIE 59 CELULAR - 75W - 40% - 67% - 90% C/ BIPOLAR OU TRIPOLAR Ideal para ser utilizado no sistema de recepção/transmissão de sinais nas faixas de VHF, UHF, FM ou Parabólica. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fio de AÇO COBREADO f 0,81 mm, tempera mole. CONDUTOR BIPOLAR / TRIPOLAR Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO expandido. BLINDAGEM Fita de POLIESTER aluminizada, com malha de fios de ALUMÍNIO. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. f 0,40 mm, tempera mole. f 0,16 mm, tempera mole (FLEXÍVEL). IMPORTANTE: PARA FACILITAR A INSTALAÇÃO UTILIZAR O MODELO COM BIPOLAR OU TRIPOLAR, COM ISTO A ALIMENTAÇÃO PASSA PELO MESMO CABO. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO TH-10.350 TH-10.351 TH-10.352 TH-10.353 TH-10.354 TH-10.355 TH-10.359 TH-10.361 TH-10.365 TH-10.367 TH-10.370 TH-10.371 TH-10.372 TH-10.373 TH-10.375 TH-10.377 TH-10.378 TH-10.379 MEDIDA NOMINAL (mm) f f f f f f COR FORMAÇÃO MALHA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 6,00 PRETO CABO COAXIAL 40% 2,60 6,00 BRANCO CABO COAXIAL 40% 2,60 6,00 PRETO CABO COAXIAL 67% 2,80 6,00 BRANCO CABO COAXIAL 67% 2,80 6,00 PRETO CABO COAXIAL 90% 3,00 6,00 BRANCO CABO COAXIAL 90% 3,00 BRANCO CABO COAXIAL + BIPOLAR 2 x 26 67% 3,60 BRANCO CABO COAXIAL + BIPOLAR 2 x 26 90% 3,70 BRANCO CABO COAXIAL + TRIPOLAR 3 x 26 67% 3,70 BRANCO CABO COAXIAL + TRIPOLAR 3 x 26 90% 3,80 BRANCO CABO COAXIAL + BIPOLAR 2 x 26 67% 3,60 BRANCO CABO COAXIAL + BIPOLAR 2 x 26 90% 3,80 BRANCO CABO COAXIAL + TRIPOLAR FLEXÍVEL 3 x 26 67% 3,80 BRANCO CABO COAXIAL + TRIPOLAR FLEXÍVEL 3 x 26 90% 4,00 BRANCO CABO COAXIAL + BIPOLAR 2 x 26 67% 4,00 BRANCO CABO COAXIAL + BIPOLAR 2 x 22 90% 4,20 BRANCO CABO COAXIAL + BIPOLAR FLEXÍVEL 2 x 22 67% 3,80 BRANCO CABO COAXIAL + BIPOLARFLEXÍVEL 2 x 22 90% 4,00 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 f 6,00 x 8,50 Catálogo Fios e Cabos - 09
  12. 12. FIOS E CABOS 3.3 - CABO COAXIAL SÉRIE 6 CELULAR - 75W - 60% - 90% Ideal para ser utilizado no sistema de recepção/transmissão de sinais nas faixas de VHF, UHF, FM, CATV ou Parabólica, em situações onde se deseja uma perda menor de sinal devido a distância. DETALHES CONSTRUTIVOS f 1,02 mm, tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fio de AÇO COBREADO ISOLAÇÃO POLIETILENO expandido. BLINDAGEM Fita de POLIESTER aluminizada, com malha de fios de ALUMÍNIO. CAPA PVC na cor conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO MEDIDA NOMINAL (mm) TH-10.400 f 6,90 f 6,90 f 6,90 f 6,90 TH-10.401 TH-10.402 TH-10.403 FORMAÇÃO MALHA MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) PRETO CABO COAXIAL 60% 3,70 BRANCO CABO COAXIAL 60% 3,70 PRETO CABO COAXIAL 90% 4,30 BRANCO CABO COAXIAL 90% 4,30 COR 4.0 - LINHA DE CABOS PARA INTERFONIA 4.1 - CABO INTERFONIA 0,40 TRANÇADO - COBRE ESTANHADO É indicado na instalação de interfones em áreas internas, em pequenas e grandes distâncias. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,40 mm ESTANHADO (Sn), tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO colorido conforme norma. CAPA PVC nas cores conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. Catálogo Fios e Cabos - 10
  13. 13. FIOS E CABOS 4.1 - CABO INTERFONIA 0,40 TRANÇADO - COBRE ESTANHADO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.100 2,80 NRO. PARES COR CINZA TH-10.101 2,80 2,90 CINZA TH-10.103 2,90 BRANCO TH-10.104 3,60 CINZA TH-10.105 3,60 BRANCO TH-10.106 4,00 CINZA TH-10.107 4,00 BRANCO TH-10.108 4,80 CINZA TH-10.109 4,80 BRANCO TH-10.110 5,00 CINZA TH-10.111 5,00 0,84 01 BRANCO TH-10.102 MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) BRANCO 0,84 1,29 02 1,29 1,60 03 1,60 2,00 04 2,00 2,30 05 2,30 2,70 06 2,70 TH-10.112 6,00 CINZA TH-10.113 6,00 BRANCO TH-10.114 7,20 CINZA TH-10.115 7,20 BRANCO TH-10.116 7,50 CINZA 15 7,00 TH-10.117 8,70 CINZA 20 10,10 TH-10.118 9,50 CINZA 25 10,70 TH-10.119 11,20 CINZA 30 12,80 3,40 08 3,40 4,10 10 4,10 4.2 - CABO INTERFONIA 0,50 TRANÇADO - COBRE ESTANHADO É indicado na instalação de interfones em áreas internas, em pequenas e grandes distâncias. DETALHES CONSTRUTIVOS f 0,50 mm ESTANHADO (Sn), tempera mole. CONDUTOR INTERNO Fio sólido de COBRE ELETROLÍTICO ISOLAÇÃO POLIETILENO colorido conforme norma. CAPA PVC nas cores conforme tabela abaixo. ACONDICIONAMENTO Rolo de 100 metros, outra metragem sob consulta. Catálogo Fios e Cabos - 11
  14. 14. FIOS E CABOS 4.2 - CABO INTERFONIA 0,50 TRANÇADO - COBRE ESTANHADO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CAPA EXTERNA CÓDIGO f (mm) TH-10.120 3,00 NRO. PARES COR CINZA TH-10.121 3,00 3,20 CINZA TH-10.123 3,20 BRANCO TH-10.124 3,80 CINZA TH-10.125 3,80 BRANCO TH-10.126 4,20 CINZA TH-10.127 4,20 BRANCO TH-10.128 5,00 CINZA TH-10.129 5,00 BRANCO TH-10.130 5,20 CINZA TH-10.131 5,20 BRANCO TH-10.132 6,20 6,20 7,50 7,50 8,50 9,60 TH-10.138 10,10 TH-10.139 10,50 1,90 2,40 2,40 3,00 3,00 3,40 06 CINZA TH-10.137 1,90 05 BRANCO TH-10.136 1,40 04 CINZA TH-10.135 1,40 03 BRANCO TH-10.134 1,00 02 CINZA TH-10.133 1,00 01 BRANCO TH-10.122 MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 3,40 4,40 08 4,40 5,50 10 5,50 15 8,30 CINZA 20 10,70 CINZA 25 13,00 CINZA 30 15,30 OBS: ACIMA DE 10 PARES, SOB CONSULTA. 5.0 - LINHA DE CABOS AUTOMOTIVOS 5.1 - CABO AUTOMOTIVO 12 VOLTS - LINHA CHEAP São indicados para uso em circuitos automotivos (automóveis, caminhões, tratores, máquinas agrícolas, etc.). Cores: amarelo, azul, branco, laranja, marrom, preto, verde e vermelho. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. ISOLAÇÃO / CAPA PVC flexível. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CONDUTOR INTERNO CÓDIGO FORMAÇÃO TH-10.001 10 FIOS f 0,20 mm Catálogo Fios e Cabos - 12 ISOLAÇÃO TIPO DIÂMETRO NOMINAL (mm) ACONDICIONAMENTO MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 0,50 2,20 ROLO 100 metros 0,78
  15. 15. FIOS E CABOS 5.1 - CABO AUTOMOTIVO 12 VOLTS - LINHA CHEAP CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CONDUTOR INTERNO CÓDIGO TH-10.002 TH-10.004 TH-10.005 TH-10.006 TH-10.007 TH-10.008 3,40 4,00 3,30 6,00 102 FIOS f 0,23 mm 2,80 4,00 52 FIOS f 0,23 mm 68 FIOS f 0,23 mm 1,00 2,50 32 FIOS f 0,23 mm 0,94 2,50 1,50 20 FIOS f 0,20 mm 2,40 1,00 14 FIOS f 0,20 mm DIÂMETRO NOMINAL (mm) 0,75 12 FIOS f 0,20 mm TH-10.003 ISOLAÇÃO TIPO FORMAÇÃO 5,00 4,70 10,00 6,70 7,80 ACONDICIONAMENTO MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 1,30 2,20 ROLO 100 metros OBS: ACONDICIONAMENTOS COM OUTRAS METRAGENS, SOB CONSULTA. 5.2 - CABO AUTOMOTIVO 12 VOLTS - LINHA CHEAP (CRISTAL VERMELHO) São indicados na conexão da alimentação de dispositivos com um consumo grande de corrente (módulos de potência, amplificadores, uso residencial, comercial e automotivo). Cor: Cristal vermelho. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. ISOLAÇÃO / CAPA PVC cristal flexível. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CONDUTOR INTERNO CÓDIGO TH-10.020 TH-10.021 TH-10.022 TH-10.023 TH-10.024 TH-10.025 TH-10.026 TH-10.027 TH-10.028 TH-10.029 68 FIOS f 0,23 mm DIÂMETRO NOMINAL (mm) 4 52 FIOS f 0,23 mm ISOLAÇÃO TIPO FORMAÇÃO 4,0 ACONDICIONAMENTO MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 3,20 ROLO 100 metros 6 5,0 52 FIOS f 0,23 mm 4 4,0 6 5,0 102 FIOS f 0,23 mm 10 6,7 13 7,0 4,50 16 8,0 3,20 21 10,0 35 14,0 50 15,0 68 FIOS f 0,23 mm 140 FIOS f 0,23 mm 214 FIOS f 0,23 mm 264 FIOS f 0,23 mm 602 FIOS f 0,23 mm 960 FIOS f 0,23 mm 4,40 1,60 2,20 ROLO 50 metros 3,50 4,40 ROLO 25 metros 9,40 12,80 OBS: ACONDICIONAMENTOS COM OUTRAS METRAGENS, SOB CONSULTA. 5.3 - CORDÃO BICOLOR AUTOMOTIVO 12 VOLTS - LINHA CHEAP São indicados para conexão do som automotivo aos alto falantes, possibilitando a identificação visual dos pólos positivo e negativo por possuírem polaridade. Cor: cristal com tarja conforme tabela abaixo. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. ISOLAÇÃO / CAPA PVC cristal flexível. Catálogo Fios e Cabos - 13
  16. 16. FIOS E CABOS 5.3 - CORDÃO BICOLOR AUTOMOTIVO 12 VOLTS - LINHA CHEAP CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS TH-10.030 TH-10.031 TH-10.032 TH-10.033 TH-10.034 TH-10.035 TH-10.036 FORMAÇÃO ISOLAÇÃO TIPO CÓDIGO CONDUTOR INTERNO DIÂMETRO NOMINAL (mm) f 0,20 mm f 0,20 mm 12 FIOS f 0,20 mm 14 FIOS f 0,20 mm 20 FIOS f 0,20 mm 30 FIOS f 0,20 mm 46 FIOS f 0,20 mm 8 FIOS 0,35 10 FIOS 0,50 0,75 1,00 1,50 2,50 4,00 f 2,0 x 4,30 f 2,1 x 4,50 f 2,4 x 5,10 f 2,5 x 5,40 f 2,7 x 5,80 f 3,2 x 6,80 f 3,6 x 7,50 TARJA ACONDICIONAMENTO MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) LARANJA 1,17 AMARELA 1,35 VERDE 1,70 ROLO 100 metros VERMELHA 1,90 AZUL 2,38 MARROM 3,40 ROLO 50 metros BRANCA 2,38 OBS: ACONDICIONAMENTOS COM OUTRAS METRAGENS, SOB CONSULTA. 5.4 - CABO AUTOMOTIVO 12 VOLTS - LINHA BEST (CRISTAL VERMELHO) São indicados na conexão da alimentação de dispositivos com um consumo grande de corrente (módulos de potência, amplificadores, etc.). Cor: Cristal vermelho. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. ISOLAÇÃO / CAPA PVC cristal flexível. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CONDUTOR INTERNO CÓDIGO FORMAÇÃO TH-10.060 f 0,23 mm 102 FIOS f 0,23 mm 68 FIOS f 0,23 mm 102 FIOS f 0,23 mm 140 FIOS f 0,23 mm 238 FIOS f 0,23 mm 324 FIOS f 0,23 mm TH-10.061 TH-10.062 TH-10.063 TH-10.064 TH-10.065 TH-10.066 68 FIOS ISOLAÇÃO BITOLA DIÂMETRO NOMINAL (mm) 4,00 mm2 4,00 6,00 mm2 4,70 4,00 mm2 4,00 0,90 6,00 mm2 4,70 1,20 mm2 6,00 16,00 mm2 8,00 3,40 mm2 10,00 4,90 10,00 21,00 ACONDICIONAMENTO ROLO 100 metros ROLO 25 metros OBS: ACONDICIONAMENTOS COM OUTRAS METRAGENS, SOB CONSULTA. Catálogo Fios e Cabos - 14 MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) 3,50 5,10 1,90
  17. 17. FIOS E CABOS 5.5 - CORDÃO BICOLOR AUTOMOTIVO 12 VOLTS - LINHA BEST São indicados para conexão do som automotivo aos alto falantes, possibilitam a identificação visual dos pólos positivo e negativo por possuírem polaridade. Cor: cristal com tarja conforme tabela abaixo. DETALHES CONSTRUTIVOS CONDUTOR INTERNO Fios de COBRE NÚ ELETROLÍTICO, tempera mole. ISOLAÇÃO / CAPA PVC cristal flexível. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS TH-10.070 TH-10.071 TH-10.072 TH-10.073 TH-10.074 TH-10.075 TH-10.076 FORMAÇÃO f 0,23 mm 10 FIOS f 0,23 mm 16 FIOS f 0,23 mm 22 FIOS f 0,23 mm 32 FIOS f 0,23 mm 36 FIOS f 0,23 mm 58 FIOS f 0,23 mm 6 FIOS ISOLAÇÃO BITOLA CÓDIGO CONDUTOR INTERNO DIÂMETRO NOMINAL (mm) 0,35 mm2 0,50 mm2 0,75 mm2 1,00 mm2 1,50 mm2 2,50 mm2 4,00 mm2 f 2,0 x 4,30 f 2,1 x 4,50 f 2,3 x 5,10 f 2,5 x 5,40 f 2,8 x 6,00 f 3,4 x 7,20 f 4,0 x 8,30 TARJA ACONDICIONAMENTO MASSA LÍQUIDA NOMINAL (Kg/Rolo) LARANJA 1,10 AMARELA 1,40 VERDE VERMELHA ROLO 100 m. 2,00 2,50 AZUL 3,30 MARROM 4,40 BRANCA ROLO 50 m. 3,30 OBS: ACONDICIONAMENTOS COM OUTRAS METRAGENS, SOB CONSULTA. Catálogo Fios e Cabos - 15
  18. 18. APRESENTAÇÃO TV DIGITAL 6.0 - TV DIGITAL: O QUE É ? A TV aberta (terrestre) transmitida para os televisores existentes em 90% das residências brasileiras utilizam canais analógicos com largura de banda de 6 MHz. Na TV Digital a transmissão do áudio e do vídeo passa a ser feita através de sinais digitais que, codificados, permitem um uso mais eficiente do espectro eletromagnético, devido ao aumento da taxa de transmissão de dados na banda de frequências disponíveis. É possível desta forma transmitir: ! Som e imagem de melhor qualidade viabilizando a Televisão de Alta Definição (HDTV). A resolução da imagem na TV analógica que é de 480 x 320 pixels poderá ser de até 1920 x 1080 pixels. ! Mais canais (até 4) na mesma faixa de frequências utilizada por um canal analógico. A TV digital apresenta algumas funcionalidades que permitem uma interatividade entre o telespectador e a emissora possibilitando: ! O acesso à informações adicionais como por exemplo o menu de programação. ! A interação do usuário com a emissora, através de um canal de retorno via linha telefônica por exemplo, possibilitando a este votar ou fazer compras. 6.1 - RECEPTORES DE TV Com a introdução da tecnologia digital na radiodifusão de TV (TV Digital Terrestre), o usuário poderá optar por uma das seguintes situações: ! Continuar a receber a TV aberta da forma atual utilizando a sua TV analógica. ! Adquirir um conversor (Set-Top Box) que permitirá receber o sinal digital e convertê-lo para um formato de vídeo e áudio disponível em seu receptor de TV. ! Adquirir uma TV nova que já incorpore o conversor. ANTENA DE UHF CABO COAXIAL 75W TV CONVERSOR PARA TV DIGITAL Fig. 01 - Esquema de ligação utilizando conversor externo Catálogo Antenas / CATV - 16
  19. 19. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ANTENAS 7.0 - INTRODUÇÃO Antena coletiva é um conjunto de equipamentos (antenas receptoras, misturadores, boosters, amplificadores, divisores, tomadas etc.) que captam os sinais de TV e Rádio, amplificam, misturam e distribuem os sinais através de uma rede de distribuição a cada usuário (apto.), de forma que os sinais disponíveis na instalação sejam iguais em todos os pontos. Em outras palavras, que o primeiro andar tenha as mesmas condições de recepção que o último andar. 7.1 - CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ANTENAS 7.2 - FREQUÊNCIA DE TRABALHO É a frequência para a qual a antena apresenta rendimento máximo. Assim quando falarmos que uma antena é do "canal 5" queremos dizer que sua frequência de ressonância é a mesma deste canal e que nele apresentará o máximo rendimento. 7.3 - FAIXA Embora especificada para uma dada frequência, a antena poderá captar, com relativa eficiência, as frequência próximas destas. Assim uma antena para a frequência de 180 MHz, cuja faixa seja de 12 MHz, por exemplo, recebe frequência desde 174 até 186 MHz. 7.3.1 - FAIXA ESTREITA Dizemos que uma antena é de faixa estreita quando se destina a apenas um canal, abrangendo apenas 6MHz aproximadamente. 7.3.2 - FAIXA LARGA Por outro lado, a antena dita de faixa larga quando capaz de operar satisfatoriamente com vários canais. OBSERVAÇÃO: As frequências de trabalho das estações transmissoras de TV estão divididas em dois grupos: canais baixos e canais altos. CANAIS BAIXOS: São os canais de 2 a 6 CANAIS ALTOS: São os canais de 7 a 13 7.4 - GANHO E DIRETIVIDADE O ganho de uma antena é um dado comparativo. É a relação entre a energia captada por uma antena qualquer e a energia captada por uma antena padrão, nas mesmas condições de teste. O ganho é consequência da diretividade da antena, que é a capacidade de receber mais sinais vindos de uma direção preferencial que de outras. Quanto mais diretiva for a antena, maior seu ganho. A diretividade de uma antena depende da sua construção, ou seja, do tipo e do número de elementos utilizados. O ganho das antenas é normalmente expresso em decibéis (dB). Quanto maior o número de decibéis (dB) maior o ganho da antena. OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Nem sempre a antena de maior ganho é a mais indicada para uma determinada instalação. Tudo vai depender da localização da antena transmissora, do canal de televisão, em relação a antena receptora de nossa residência. Se a antena do canal de televisão estiver muito próxima da residência deve-se optar por uma antena receptora de baixo ganho, porque o sinal chega forte. Caso contrário vamos saturar (distorcer) o sinal na entrada do aparelho de televisão. Por outro lado se a antena do canal de televisão estiver muito longe, deve-se escolher uma antena receptora com ganho mais elevado, porque o sinal vai chegar muito fraco por causa da distância. Catálogo Antenas / CATV - 17
  20. 20. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ANTENAS 7.5 - IMPEDÂNCIA CARACTERÍSTICA Chamamos de impedância característica a resistência (impedância) da antena na frequência de trabalho na qual está sintonizada. Assim se uma determinada antena, por exemplo, para o canal 6, tem uma impedância de 300 Ohms para as frequências compreendidas entre 82 à 88 MHz (pois o canal 6 funciona nesta faixa de frequência, logo está sintonizada para estas frequências) dizemos que sua impedância característica é 300W. OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: A impedância característica é muito importante para que se obtenha a máxima transferência do sinal captado pela antena para a linha de transmissão (cabo da antena) e daí para o televisor. Para que haja a máxima transferência do sinal captado, é preciso que sejam iguais a impedância característica da antena, linha de transmissão (ou de descida) a do receptor de televisão. Quando isto ocorre, dizemos que o sistema está casado. Quando não houver um perfeito casamento entre a antena e a linha de transmissão surgirá ondas estacionárias que provocarão a formação de imagens duplas (fantasmas), que nada mais são que a sobreposição do sinal original com sua reflexão atrasada no tempo. 7.6 - RELAÇÃO FRENTE-COSTAS É a razão do sinal (tensão) captado com a antena orientada no sentido de máxima diretividade em relação ao sinal recebido com a antena virada no sentido oposto. Quanto maior for essa diferença, melhor será a nossa antena, porque ela capta muito mais energia pela frente do que por trás, o que é um fator essencial para eliminação de "fantasmas". A relação frente/costa é medida em decibéis (dB). Quanto maior o valor em dB, melhor a relação frente/costa da antena. 7.7 - ANTENAS INTERNAS As antenas internas geralmente resolvem o problema de recepção de forma econômica nas capitais onde o sinal é forte. Tem a vantagem de que com uma simples mudança de posição consegue-se uma imagem satisfatória. 7.8 - ANTENAS EXTERNAS MULTI-BANDA São basicamente de dois tipos: um para regiões urbanas e suburbanas e outro para recepção a longa distância. Há ainda variações entre esses modelos, conforme a particularidade da região onde se pretende instalar a antena. Essas antenas são dimensionadas para receber, da melhor forma possível, todos os canais de televisão e FM. 7.9 - ANTENAS EXTERNAS MONOCANAIS São construídas especificamente para receber os sinais de um único canal. 7.10 - ANTENAS EXTERNAS BI (canais 2, 3, 4, 5 e 6), BII (FM) e BIII (canais 7, 8, 9, 10, 11, 12 e 13) Nestas antenas se conseguiu unir as características de uma antena de faixa larga, com as de uma antena monocanal Yagi. Assim quando se tem vários canais de uma mesma banda, chegando de uma mesma direção, será possível captá-los com uma só antena. 7.11 - ANTENAS EXTERNAS DE UHF São antenas projetadas para as localidades que recebem os sinais de retransmissoras de UHF e para captação dos sinais da TV digital em UHF. 7.12 - ANTENAS EXTERNAS DE FM São normalmente do tipo Yagi, indicadas para médias e longas distâncias. A THEVEAR fabrica também um modelo para recepção local, uma antena circular do tipo omnidirecional. Catálogo Antenas / CATV - 18
  21. 21. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 8.0 - INTRODUÇÃO Um sistema de antena coletiva é constituído, basicamente, de duas partes: a cabeceira e a distribuição. ANTENAS DE VHF COLETIVAS ANTENA DE UHF CANAL 2 A cabeceira é a parte do sistema constituída pelas antenas, misturadores e amplificadores, e tem por função receber, combinar, equalizar e amplificar os sinais recebidos. Já a distribuição dos sinais é realizada por divisores e tomadas. Para projetar a cabeceira é preciso saber quais canais de TV vão ser distribuídos, de onde eles vêm e com que nível de sinal eles chegam. Por exemplo, os canais transmitidos em VHF e UHF são recebidos por antenas de VHF e UHF; canais transmitidos via satélite, são recebidos por antenas parabólicas e necessitam-se de receptores de satélite para recebê-los e modulá-los nas frequências dos canais em que eles vão ser distribuídos; os canais recebidos em UHF podem ser distribuídos em UHF mesmo ou, então, serem convertidos para a faixa de VHF, usando os conversores de UHF para VHF. Pode-se distribuir também sinais provenientes de DVD, Videocassete ou Circuito Fechado de TV. Basta modulá-los num canal e adicioná-los ao sistema de distribuição. Se algum canal chega fraco, com um nível de sinal baixo, pode ser preciso amplificá-lo usando um booster. CANAL 4 ANTENA DE FM CANAL 7 MISTURADOR CABO COAXIAL 75W MISTURADOR AMPLIFICADOR COBERTURA A etapa seguinte é combinar estes sinais usando misturadores e depois amplificá-los para então distribuí-los. O sistema de distribuição de sinais de antena coletiva e CATV em prédios de apartamentos é composto de uma ou mais prumadas (linhas de descida de sinal), da qual se extrai uma fração do sinal para fornecer ao usuário. Os componentes normalmente utilizados para fazer esta distribuição são as tomadas blindadas e divisores. 12º ANDAR 3m TOMADA 11º ANDAR 3m TOMADA 10º ANDAR Fig. 01 - Exemplo de instalação 8.1 - ANTENAS Normalmente a instalação de antenas nas capitais é feita sem maiores problemas, pois dispomos de sinais fortes. As coisas começam a complicar quando os sinais são muito fracos ou quando se trata de receber vários canais de direções diferentes. No caso da nossa coletiva, vamos utilizar antenas do tipo monocanal Yagi que apresentam uma série de vantagens sobre as antenas multicanais. Vamos utilizá-las, entre outros motivos, porque recebemos sinais de três regiões diferentes. Com uma antena multicanal teríamos que encontrar uma direção "média" de recepção o que seria impossível. Com uma antena independente para cada canal podemos direcionar cada antena corretamente, garantindo a recepção de sinais limpos, fortes e definidos. Permitirá ainda atenuarmos ou amplificarmos cada canal separadamente, colocando todos no mesmo nível. As antenas multicanais perdem também em comparação com as monocanais na relação frente/costa porque são mais sujeitas a recepção de imagens secundárias pela parte posterior da antena. Na antena multicanal a intensidade de recepção de cada canal é também muito variável. As antenas normalmente utilizadas em sistemas de antena coletiva são monocanais ou multibandas. As antenas monocanais de VHF são projetadas para recepção de um único canal de TV. Assim para receber um conjunto de 7 canais de VHF é necessário 7 antenas, uma para cada canal. Isso é feito para otimizar a recepção de cada canal. Assim é possível apontar cada antena para a direção do transmissor e ajustar individualmente o nível de cada canal. Já as antenas multibandas recebem todos os canais transmitidos numa mesma direção, não sendo possível ajustar um canal de forma independente dos demais. Catálogo Antenas / CATV - 19
  22. 22. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA Fig. 02 - Antena Banda I - cód. 415C Fig. 03 - Antena FM circular - cód. 525CL Fig. 04 - Antena Banda III - cód. 417C 8.2 - MISTURADORES São utilizados para misturar e equalizar sinais de TV provenientes de diversas antenas, moduladores, conversores, etc. O misturador de 8 entradas de VHF possui em cada entrada um filtro passa canal e um atenuador variável para ajustar o nível do sinal do canal na saída. Assim é possível obter um conjunto de canais, todos com o mesmo nível de sinal. Fig. 05 - Misturador 8.3 - MODULADORES Utilizados para modular uma portadora de R.F. através de sinais de áudio e vídeo provenientes de receptores de satélite, DVD, câmeras, videocassetes, etc. Os moduladores normalmente utilizados em sistemas de antena coletiva são do tipo DSB (double side band = banda lateral dupla), isto é, não filtram a banda lateral inferior do canal de TV. Portanto, eles não podem ser utilizados em sistemas que operam com canais adjacentes, tais como os sistemas de CATV. Fig. 06 - Modulador 8.4 - ATENUADORES São utilizados para reduzir os níveis de sinais às necessidades do sistema de distribuição de CATV ou antena coletiva. Podem ser de atenuação fixa ou variável. Fig. 07 - Atenuador 8.5 - BOOSTERS São amplificadores de ruído baixo, montados junto às antenas, para melhorar a relação sinal/ruído do sistema de recepção. Possui uma fonte separada que envia alimentação ao amplificador pelo próprio cabo de sinal. Existem vários modelos de boosters, para as faixas de VHF, de UHF ou para ambas as faixas, com diversas faixas de ganho. Fig. 08 - Fonte (uso interno) Catálogo Antenas / CATV - 20 Fig. 09 - Booster (uso externo)
  23. 23. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 8.6 - AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA Amplifica o sinal aplicado na sua entrada para que o nível na saída seja suficiente para compensar as perdas ocorridas no sistema de distribuição. Podem ser amplificadores para CATV, TV à Cabo, do tipo push-pull, ou para as faixas de VHF e UHF, utilizados em antenas coletivas. Os amplificadores de CATV empregam um módulo amplificador híbrido e possuem ajustes de nível e de inclinação, que serve para compensar a característica seletiva das perdas em cabos coaxiais. Para escolher qual amplificador é o mais adequado numa instalação, é preciso levar em conta a faixa de frequências de operação, ou seja, se é VHF, UHF ou então CATV, o ganho e a potência de saída. Para determinar a potência de saída, é preciso saber qual o nível de sinal que vai ser entregue nas tomadas e quanto é perdido na distribuição do sinal. Uma vez determinado o nível de sinal na saída, calcula-se o ganho necessário subtraindo-se o nível de sinal na entrada do amplificador. Fig. 10 - Amplificador VHF + UHF Fig. 11 - Amplificador CATV 8.7 - DIVISORES (POWER SPLITER) Utilizado na divisão e distribuição de um sinal para diversas saídas e também para combinar diversos sinais em uma única saída (quando utilizado ao contrário). Fig. 12 - Divisor 4 saídas Fig. 13 - Divisor 3 saídas Fig. 14 - Divisor 2 saídas 8.8 - TOMADAS BLINDADAS (TAP) Utilizada na distribuição dos sinais nas prumadas. É composto de um acoplador direcional que retira uma parcela do sinal que passa pela tomada. A característica que nomeia uma tomada é quanto de sinal ela acopla da linha principal. Existem tomadas de 4dB, 6dB, 9dB, 12dB, 16dB, 20dB, 24dB, 27dB e 30dB. Além do acoplamento, que é uma medida da atenuação da linha para a tomada ALT, outros parâmetros importantes das tomadas são: a atenuação de passagem AP e a atenuação de isolação AI. A figura que segue mostra como estas grandezas são medidas. AP VE Fig. 15 - Tomada blindada A LT VS VT AI Catálogo Antenas / CATV - 21
  24. 24. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 8.9 - ORDENADAÇÃO DAS TOMADAS BLINDADAS APARTAMENTO DE CIMA APARELHO DE TV / FM VE ( J+1 ) E TV S VT ( J+1 ) VS ( J+1 ) APARTAMENTO J+1 d J,J+1 = distância entre d J,J+1 tomadas Apto J e Apto J+1 Será considerada a situação em que o sinal é distribuído a partir da cabeceira do sistema, que fica no topo do prédio. O objetivo do projeto é determinar quais tomadas usar de modo que seja entregue aos usuários, aproximadamente, o mesmo nível de sinal. O sinal é máximo quando ele sai da cabeceira, e vai sendo atenuado à medida que ele é distribuído. Portanto é de se esperar que as tomadas dos apartamentos próximos da cabeceira tenham uma atenuação da linha para a tomada maior que a de um usuário que esteja mais distante, onde o sinal já está atenuado. Numa distribuição como a descrita acima, o nível de sinal na tomada do apartamento “j+1”, que fica acima do apartamento “j”, é dado por: VE(j+1) = VE(j) + AC.dJ, J+1 + AP(j+1) APARELHO DE TV / FM TOMADA VT(j+1) = VE(j+1) ALT(j+1) VE ( J ) TV S VT ( J ) [2] Onde: E VS ( J ) APARTAMENTO J [1] VE(j), VE(j+1) níveis de sinal na entrada das tomadas dos apartamentos “j” e “j+1” PERCURSO DO SINAL NO CABO DA ANTENA VT(j) - nível do sinal entregue ao usuário pela tomada do apartamento “j” APARELHO DE TV / FM TOMADA VE ( 3 ) AP(j) - atenuação de passagem da tomada do apartamento “j” E TV S VT ( 3 ) VS ( 3 ) APARTAMENTO 3 AC - atenuação do cabo coaxial na frequência em questão d 2,3 = distância entre tomadas Apto 2 e Apto 3 APARELHO DE TV / FM d 2,3 dJ, J+1 - comprimento do cabo entre os apartamentos “j” e “j+1” TOMADA VE ( 2 ) E TV S VT ( 2 ) VS ( 2 ) APARTAMENTO 2 d 1,2 = distância entre PAREDE d 1,2 tomadas Apto 1 e Apto 2 APARELHO DE TV / FM ALT(j) - atenuação da linha para a tomada do apartamento “j” TOMADA VE ( 1 ) Para se determinar quais tomadas utilizar em uma distribuição, começa-se pela tomada no final da linha, ou seja, no ponto j = 1, utilizando sempre que possível, a tomada de menor atenuação, que é a tomada de 6dB. Arbitra-se o nível de sinal entregue ao usuário e calcula-se, então, quanto de sinal deve existir na entrada da tomada 1. A escolha da atenuação da tomada é um processo interativo, onde se escolhe a tomada cujo nível de sinal entregue ao usuário 2 seja aproximadamente igual ao do usuário 1. A primeira tentativa é repetir a tomada do andar de baixo. Calcula-se o sinal entregue ao usuário 2 utilizando as expressões [1] e [2]. A segunda tentativa é a tomada seguinte de maior atenuação. Repete-se este procedimento até chegar ao último apartamento. E TV S VT ( 1 ) APARTAMENTO 1 CARGA Fig. 16 - Exemplo de instalação 8.10 - ROTEIRO DE CÁLCULO DA ORDENAÇÃO ! Escolhendo-se a tomada 1 de 6dB, o nível de referência na saída para a TV VT(1) = 0dB, a distância entre tomadas de d = 3m, e a atenuação do cabo AC = 0,133 dB/m. ! O nível na entrada da tomada 1 é VE(1) = VT(1) + ALT(1) = 0 + 6 = 6dB ! O nível na entrada da tomada 2 é VE(2) = VE(1) + AC.d1,2 + AP(2) ! O nível de sinal na saída para a TV na tomada 2 é VT(2) = VE(2) - ALT(2) ! A determinação da atenuação da tomada é interativa, ou seja, eu tenho que testar qual tomada fornece, na saída para a TV, um nível mais próximo do nível de referência. Primeiro faz-se cálculo com a tomada do andar anterior e depois com a seguinte: a) Tomada 2 de 6dB. ALT´(2) = 6dB e AP(2) = 2dB VE(2) = VE(1) + AC.d1,2 + AP(2) = 6 + 0,133x3 + 2 = 8,4dB VT(2) = VE(2) - ALT(2) = 8,4 - 6 = 2,4dB Catálogo Antenas / CATV - 22
  25. 25. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA b) Tomada 2 de 9dB. ALT"(2) = 9dB e AP"(2) = 1,3dB VE(2) = VE(1) + AC.d1,2 + AP"(2) = 6 + 0,133x3 + 1,3 = 7,7dB VT(2) = VE(2) - ALT"(2) = 7,7 - 9 = -1,3dB ! A tomada de 9dB será escolhida por apresentar na saída para a TV um nível mais próximo do nível de referência que é 0dB. Portanto VE(2) = 7,7dB ! O nível na entrada da tomada 3 é VE(3) = VE(2) + AC.d2,3 + AP(3) ! O nível de sinal na saída para a TV na tomada 3 é VT(3) = VE(3) - ALT(3) ! Primeiro faz-se o cálculo com a tomada do andar anterior e depois com a seguinte: a) Tomada 3 de 9dB. ALT'(3) = 9dB e AP'(3) = 1,3dB VE(3) = VE(2) + AC.d2,3 + AP`(3) = 7,7 + 0,133x3 + 1,3 = 9,4dB VT(3) = VE(3) - ALT'(3) = 9,4 - 9 = 0,4dB b) Tomada 3 de 12dB. ALT"(3) = 12dB e AP"(3) = 1,0dB VE(3) = VE(2) + AC.d2,3 + AP"(3) = 7,7 + 0,133x3 + 1,0 = 9,1dB VT(3) = VE(3) - ALT"(3) = 9,1 - 12 = -2,9dB ! A tomada de 9dB será escolhida por apresentar na saída para a TV um nível mais próximo do nível de referência que é 0dB. Portanto VE(3) = 9,4dB ! De uma maneira geral, para determinar a atenuação da tomada do apartamento "j+1", quando já se chegou no apartamento "j", procede-se da seguinte forma: ! O nível na entrada da tomada "j+1" é VE(j+1) = VE(j) + AC.dj,j+1 + AP(j+1) ! O nível de sinal na saída para a TV na tomada "j+1" é VT(j+1) = VE(j+1) - ALT(j+1) ! Primeiro faz-se o cálculo com a tomada do andar anterior e depois com a seguinte: a) Tomada "j+1" igual à tomada do andar anterior. Das especificações da tomada obtém-se ALT`(j+1) e AP`(j+1) VE(j+1) = VE(j) + AC.dj,j+1 + AP`(j+1) VT(j+1) = VE(j+1) - ALT`(j+1) b) Tomada "j+1" com atenuação maior que a do andar anterior. Das especificações da tomada obtém-se ALT"(j+1) e AP"(j+1) VE(j+1) = VE(j) + AC.dj,j+1 + AP"(j+1) VT(j+1) = VE(j+1) - ALT"(j+1) ! Escolhe-se a tomada ALT`(j+1) ou ALT"(j+1) que apresentar na saída para a TV um nível mais próximo do nível de referência que é 0dB. ! Este cálculo é repetido até que se chegar na última tomada. 8.11 - TABELAS DE ORDENAÇÃO DE TOMADAS BLINDADAS O projeto geral de ordenação de tomadas, onde a distância entre os pontos não é regular, deve ser calculado caso a caso. Já, numa instalação predial, onde cada prumada possui apenas um ponto por andar, e a distância de um ponto a outro é aproximadamente 3m, é possível gerar tabelas com a ordenação das tomadas blindadas. Como o cálculo da ordenação das tomadas depende do tipo de cabo coaxial e da frequência que ele é empregado, a tabela apresenta três colunas. Duas para cabo coaxial de 75 do tipo "Celular", RGC-59, nas frequências de 240 Mhz e 470 Mhz, e uma para cabo coaxial RG-59 em 240 Mhz. Estas tabelas simplificam o projeto de distribuições em prédios de apartamento, pois delas se obtém diretamente o valor da tomada para cada andar. ANDAR 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 RGC-59 240MHz 6 dB 9 dB 9 dB 12 dB 12 dB 12 dB 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB RGC-59 470MHz 6 dB 9 dB 9 dB 12 dB 12 dB 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB 20 dB RG-59 240MHz 6 dB 9 dB 9 dB 12 dB 12 dB 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB 20 dB ANDAR 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 RGC-59 RGC-59 240MHz 470MHz 16 dB 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 24 dB 20 dB 24 dB 24 dB 24 dB 24 dB 27 dB 24 dB 27 dB 24 dB 27 dB RG-59 240MHz 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 24 dB 24 dB 24 dB 27 dB 27 dB 27 dB ANDAR 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 RGC-59 240MHz 27 dB 27 dB 27 dB 27 dB 30 dB 30 dB 30 dB 30 dB 30 dB 30 dB RGC-59 470MHz 30 dB 30 dB 30 dB 30 dB 30 dB - RG-59 240MHz 30 dB 30 dB 30 dB 30 dB 30 dB - Catálogo Antenas / CATV - 23
  26. 26. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 8.12 - EXEMPLOS DE PROJETOS 8.13 - ANTENA COLETIVA EM PRÉDIO DE APARTAMENTO Vamos considerar um prédio de 12 andares, com 4 apartamentos por andar, onde cada apartamento é servido por uma prumada e possui um único ponto na sala. Deseja-se distribuir os canais de TV de VHF e UHF e entregar um sinal de aproximadamente 75dBmV para cada ponto. O cabo coaxial escolhido foi o RGC-59, por ser o que apresenta a melhor relação custo-desempenho. 8.14 - PROJETO DA CABECEIRA Vamos supor que o prédio onde a antena coletiva será instalada está na capital de São Paulo, onde existem 7 canais de VHF, FM, canais de UHF na Banda IV e Banda V. Além destes canais, serão distribuídos mais um canal de TV com sinal de vídeo do circuito fechado, obtido das câmeras que ficam na portaria. Serão usadas as seguintes antenas: Os canais 16 e 32 serão recebidos por uma única antena de UHF para Banda IV e os canais 40 e 42 serão recebidos por uma antena de UHF para a Banda V. Canal Emissora Código da Antena Faixa 2 4 5 FM 7 9 11 13 16 32 40 42 H TV Cultura SBT Rede Globo 88 a 108MHz Rede Record Rede TV Rede Gazeta Rede Bandeirantes CBI MTV Rede Vida Rede Mulher Circuito Fechado 520CL 522CL 523CL 525CL 526CL 528CL 530CL 532CL VHF VHF VHF FM VHF VHF VHF VHF 418C UHF 419C UHF Modulador VHF 8.15 - MASTROS As antenas serão distribuídas em 4 mastros. Alguns mastros terão 3 antenas e outros 2 antenas. Quando se colocam várias antenas num mesmo mastro, deve-se colocar na parte debaixo do mastro as antenas dos canais mais baixos, que são as antenas maiores, no caso as antenas da Banda I. Acima destas vão as antenas de VHF da Banda III, e acima destas é que são colocadas as antenas de UHF. Mastro 1 2 3 4 Canal 2 Canal 4 Canal 5 FM Antenas Canal 13 Canal 11 Canal 9 Canal 7 UHF-Banda V UHF-Banda IV 8.16 - MISTURADORES Para combinar os sinais das 7 antenas de VHF e da antena de FM será utilizado o misturador de VHF cód. 1050-E. Como este misturador não tem uma entrada para o canal H, gerado pelo modulador, será usado o acoplador cód. 1053-F, canal H, para acoplar este canal aos canais de VHF. Para combinar os sinais das antenas de UHF da Banda IV e da Banda V será usado o misturador cód. 8192E. E para combinar os sinais de VHF, incluindo o canal H, com os sinais de UHF da saída do misturador cód. 8192E, usa-se o misturador de VHF/UHF cód. 1020-F. 8.17 - INTENSIDADE DOS SINAIS O passo seguinte será conhecer a intensidade dos sinais que chegam no prédio onde vamos instalar a antena coletiva. Para isso será empregado um Medidor de Intensidade de Campo ou, simplesmente, um Medidor de Campo, que é um voltímetro seletivo. O valor da intensidade do sinal é lido diretamente no mostrador do equipamento em dBmV, mV, dBmV ou mV. Sem estes valores é impossível garantir que o projeto vai funcionar. A medida da intensidade de sinal é o ponto de partida para determinar: o 1 ) Se é possível instalar a antena no lugar desejado. o 2 ) Qual é o tipo de antena mais adequado à instalação (antena de alto ou baixo ganho) o 3 ) Se é necessário ou não amplificar o sinal recebido O apontamento correto da antena é aquele em que se obtém a máxima intensidade de sinal e a melhor qualidade de imagem. A tabela abaixo mostra os valores medidos do sinal no local de instalação. Catálogo Antenas / CATV - 24
  27. 27. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA Nível de Sinal (dBmV) Antena Código Faixa 520CL 522CL 523CL 525CL 526CL 528CL 530CL 532CL VHF VHF VHF FM VHF VHF VHF VHF 418CL UHF 419CL UHF 866-EA VHF Procedimento Canal Medido na Antena Desejado na saída do Misturador Diferença Solução 2 4 5 FM 7 9 11 13 16 32 40 42 H 60 45 78 96 97 90 94 82 86 80 52 56 80 78 78 78 78 78 78 78 78 78 78 78 78 78 -18 -33 0 +18 +19 +12 +16 +4 +8 +2 -26 -22 +2 Amplificar Amplificar Adequado Atenuar Atenuar Atenuar Atenuar Atenuar Atenuar Atenuar Amplificar Amplificar Atenuar Qualidade da Imagem Código do Booster 823-4ES14/24 823-4ES30/42 823-5ECABO - Alguns Chuviscos Com Chuviscos Boa Levemente Distorcida Cores Saturadas Limpa Levemente Distorcida Boa Boa Boa Alguns Chuviscos Alguns Chuviscos Boa O sinal da antena, ao passar pelo misturador, sofre uma atenuação, que deve ser levada em conta quando se deseja determinar com que nível de sinal todos os canais devem ficar. Somente os canais de VHF podem ser ajustados individualmente. Isso é possível porque se usa o misturador de VHF cód.1050-E, que possui entrada separada para cada antena e ajuste de atenuação para cada entrada. Analisando o nível dos sinais de VHF verifica-se que o mais razoável é amplificar os canais 2 e 4 e tomar o nível do canal 5 na saída do misturador, que é 78dBmV, como nível de referência. Quanto aos sinais de UHF, não é possível ajustá-los de forma independente. O que é possível fazer é um ajuste por banda, e isso é realizado utilizando-se um booster para amplificar os canais recebidos pela antena da Banda V. 8.18 - MODULADOR Para inserir o sinal de vídeo do circuito fechado, obtido das câmeras de segurança, na distribuição de antena coletiva, é preciso primeiro transformá-lo num canal de TV. Isso é realizado utilizando o modulador ágil cód. 866-EA. Foi escolhido um canal de VHF na Banda Média, o canal H ou canal 21 de CATV. Para juntar este canal aos demais canais de VHF foi preciso usar o acoplador cód. 1053-F, uma vez que já não existia mais entrada livre disponível no misturador cód. 1050-E. O ajuste do nível do canal H é feito no modulador, que possui um controle do nível do sinal de saída. 8.19 - PROJETO DAS PRUMADAS Este projeto pode ser retirado diretamente da tabela, na coluna do cabo RGC-59, na frequência de 470 Mhz. A última tomada da prumada é a de 20dB, isso quer dizer que a atenuação da prumada é aproximadamente ALT = 20dB. Portanto para entregar um sinal com o nível de VTV = 75dBmV em cada ponto de TV, é necessário um nível VPRUMADA = 95dBmV na entrada de cada prumada. Não se deve esquecer que na saída da tomada no primeiro andar deve ser colocado uma carga de 75W. VPRUMADA = VTV + ALT = 75dBmV + 20dB = 95dBmV 8.20 - PERDA NOS CABOS Para ligar o divisor até as tomadas dos apartamentos do andar 12, será preciso aproximadamente 10m de cabo coaxial RGC-59. Na frequência de projeto, 470 Mhz, a perda deste cabo é 0,2dB/m, o que vai adicionar uma perda de 2dB ao sinal que vai para as prumadas. ACABO = 10m x 0,2dB/m = 2dB 8.21 - AMPLIFICADOR DE POTÊNCIA Para determinar o nível de sinal necessário na saída do amplificador é preciso somar as perdas causadas pelo ponto de teste, divisor e cabo coaxial ao sinal necessário na entrada de cada prumada. VAMP = VPRUMADA + ACABO + ADIVISOR + AP-TOMADA = 95dBmV + 2dB + 7dB + 0,5dB = 104,5dBmV Catálogo Antenas / CATV - 25
  28. 28. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA Assim, na entrada do divisor é preciso um nível de sinal de 104,5dBmV. Arredondaremos este valor para 105dBmV. Este é o nível de sinal que deve ser fornecido pelo amplificador que vai ser empregado na cabeceira. Para calcular o ganho do amplificador basta subtrair do nível de sinal na saída VAMP o nível de sinal presente na entrada do amplificador VENTRADA: GAMP = VAMP - VENTRADA = 105 dBmV - 78 dBmV = 27dB O amplificador escolhido neste caso é o amplificador cód. 1064-30, que é um amplificador de 30dB de ganho para as faixas de VHF e UHF com ajuste de ganho independente para cada faixa. Para determinar o valor da tomada que será usada no ponto de teste, fazemos a subtração da potência que sai do amplificador menos a que é entregue para cada ponto de TV: APONTO-TESTE = VAMP VTV = 105 dBmV - 75 dBmV + = 30dB Portanto será empregada uma tomada de 30dB no ponto de teste. 8.22 - VERIFICAÇÃO DO PROJETO Agora vamos fazer uma verificação da coletiva projetada. Este procedimento é o mesmo que se usa quando o instalador chega numa instalação já feita e é preciso calcular qual é o nível que deveria ser entregue em cada tomada. Começamos com o nível de sinal na entrada do amplificador VENTRADA = 78dBmV. Somando a este nível o ganho do Amplificador GAMP=27dB, obtemos o valor do nível do sinal na saída VAMP = 105dBmV. Esta é a primeira linha da tabela. Na linha seguinte da tabela temos a tomada do ponto de teste, depois vem o divisor e a perda nos 10m de cabo coaxial que unem o divisor à tomada do andar 12. Na entrada da tomada do andar 12, o nível de sinal é VE(12)=95,5dBmV. O nível de sinal entregue para a TV nos apartamentos do andar 12 é o nível presente na entrada da tomada menos a atenuação da linha para a tomada, VTV(12) = VE(12) - ALT(12) = 95,5dBmV - 20dB = 75,5dBmV. Já no sinal que segue para os andares de baixo, ao passar pela tomada, ocorre uma perda de sinal devido a atenuação de passagem da tomada VS(12) = VE(12) - AP(12) = 95,5dBmV - 0,5dB = 95dBmV. Da saída da tomada do andar 12 até a entrada da tomada no andar 11 (na linha de baixo da tabela) existe a perda em 3 m de cabo coaxial. Portanto VE(11) = VS(12) - ACC = 95dBmV - 0,6dB = 94,4 dBmV. Repete-se este procedimento até chegar à última linha da tabela. TABELA DO CÁLCULO DO NÍVEL DE SINAL SINAL NA PRUMADA ANDAR Cabeceira Cabeceira Cabeceira Cabeceira 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 CÓDIGO Amplificador Ponto de Teste Divisor 4 saída Cabo Coaxial Tomada Tomada Tomada Tomada Tomada Tomada Tomada Tomada Tomada Tomada Tomada Tomada 1064-30 970-E30dB 1010-F RGC-59 970-E20dB 970-E20dB 970-E20dB 970-E16dB 970-E16dB 970-E16dB 970-E16dB 970-E12dB 970-E12dB 970-E9dB 970-E9dB 970-E6dB Catálogo Antenas / CATV - 26 NÍVEL DE SINAL NA SAÍDA ATENUAÇÃO ATENUAÇÃO NÍVEL DE LINHA PARA SINAL NA NO CABO TOMADA COAXIAL TV NÍVEL DE SINAL NA ENTRADA PRODUTO ITEM SINAL NO PONTO DE TIPO 30dB 10m 20dB 20dB 20dB 16dB 16dB 16dB 16dB 12dB 12dB 9dB 9dB 6dB ATENUAÇÃO DE PASSAGEM VE AP (dBmV) 78 105 104,5 97,5 95,5 94,4 93,3 92,2 91,0 89,8 88,6 87,4 85,8 84,2 82,3 80,4 (dB) G= -27 0,5 7 2 0,5 0,5 0,5 0,6 0,6 0,6 0,6 1,0 1,0 1,3 1,3 2,2 ACC=AC.d VS=VE-AP AC=0,2dB/m (d=3M) (dBmV) (dB) 105 104,5 97,5 95,5 95,0 0,6 93,9 0,6 92,8 0,6 91,6 0,6 90,4 0,6 89,2 0,6 88,0 0,6 86,4 0,6 84,8 0,6 82,9 0,6 81,0 0,6 78,2 0,6 ALT VTV= VE - ALT (dB) 30 20 20 20 16 16 16 16 12 12 9 9 6 (dBmV) 75 75,5 74,4 73,3 76,2 75,0 73,8 72,6 75,4 73,8 75,2 73,3 74,4
  29. 29. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 8.23 - MODELO DE PROJETO 522CL ( CANAL 4 ) 526CL ( CANAL 7 ) 530CL ( CANAL 11 ) 418C ( BANDA IV ) 419C ( BANDA V ) 520CL ( CANAL 2 ) 8234ES30/42 (BOOSTER) 523CL ( CANAL 5 ) 8234ES14/24 (BOOSTER) 532CL ( CANAL 13 ) 528CL ( CANAL 9 ) 8235ECABO ( BOOSTER ) 525CL FONTE FONTE FONTE 8192E (MISTURADOR) V A 866-EA (MODULADOR) 2 4 5 FM 7 9 11 13 CANAL SAÍDA H SAÍDA 1050-E (MISTURADOR) 1053-F (ACOPLADOR) CABO COAXIAL 75 W RGC-59 VHF C/ H 1020-F (MISTURADOR) VHF UHF 1064-30 (AMPLIFICADOR) 105 dBmV 30 dB PONTO TESTE - 75dBmV 1010-E (DIVISOR) 10 METROS CABO COAXIAL 75W RGC-59 95dBmV 12º ANDAR 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 11º ANDAR 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 10º ANDAR 20 dB 20 dB 20 dB 20 dB 9º ANDAR 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB 8º ANDAR 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB 7º ANDAR 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB 6º ANDAR 16 dB 16 dB 16 dB 16 dB 5º ANDAR 12 dB 12 dB 12 dB 12 dB 4º ANDAR 12 dB 12 dB 12 dB 12 dB 3º ANDAR 9 dB 9 dB 9 dB 9 dB 2º ANDAR 9 dB 9 dB 9 dB 9 dB 1º ANDAR 6 dB 6 dB 6 dB 6 dB CARGA 75W CARGA 75W CARGA 75W 75dBmV CARGA 75W Fig. 17 - Exemplo de instalação Catálogo Antenas / CATV - 27
  30. 30. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 8.24 - TABELA DE CABOS COAXIAIS DE 75W Na tabela abaixo, para saber a atenuação por metro de cabo basta dividir a atenuação dada por 100. CANAL FREQUÊNCIA 2 4 FM 8 15 24 36 45 55 65 75 83 - (MHz) 10 30 45 60 70 100 120 180 240 300 360 420 480 500 600 660 720 780 840 900 960 1000 1020 1080 1140 1200 1260 1320 1380 1440 1500 2000 Catálogo Antenas / CATV - 28 RGC-11 75 W 1,17 2,04 2,52 2,92 3,16 3,80 4,18 5,17 6,02 6,78 7,48 8,13 8,74 9,32 9,87 10,40 10,91 11,40 11,88 12,35 12,80 13,09 13,24 13,67 14,09 14,51 14,91 15,31 15,70 16,09 16,46 19,43 TABELA DE CABOS COAXIAIS DE 75 W ATENUAÇÃO (dB/100m) TF-53 RG-59 RGC-59 RG-11 75 W 75 W 75 W 75 W 2,36 1,65 2,12 3,59 4,17 2,88 3,76 6,30 7,77 5,15 3,55 4,66 5,99 4,11 5,43 9,01 4,44 6,50 5,91 9,03 7,86 5,34 7,17 11,81 8,68 5,86 7,93 12,97 10,83 7,23 9,94 16,13 12,66 8,40 11,70 18,85 14,30 9,44 13,30 21,26 15,91 10,37 14,78 23,54 17,37 11,27 16,18 25,65 18,74 12,06 17,51 27,63 20,06 12,88 18,979 29,52 21,32 13,62 20,02 31,33 22,54 14,34 21,20 33,07 23,71 15,02 22,36 34,75 24,86 15,66 23,48 36,86 25,97 16,32 24,58 37,97 27,06 16,94 25,65 39,51 28,12 17,55 26,70 41,02 28,66 17,94 27,40 42,07 29,16 18,13 27,74 42,47 30,18 18,71 28,75 43,93 31,18 31,18 29,75 45,34 32,16 19,82 30,73 46,73 33,13 20,35 31,70 48,06 34,07 20,88 32,66 49,44 35,03 21,36 33,60 50,76 35,95 21,90 34,53 52,06 36,87 22,40 35,45 53,31 43,75 26,25 42,78 63,54 TF-88 75 W 0,98 1,72 2,12 2,46 2,07 3,21 3,54 4,38 5,11 5,76 6,36 6,92 7,45 7,94 8,42 8,68 9,32 9,75 10,17 10,57 10,97 11,23 11,35 11,73 19,37 12,46 12,82 13,16 13,51 13,85 14,18 16,79 RTS-59 75 W 3,37 5,82 7,33 8,52 9,23 10,92 12,32 15,34 17,96 19,95 21,88 23,86 25,74 27,53 29,52 30,90 32,50 34,06 35,57 37,04 38,48 39,79 39,89 41,27 42,13 43,96 45,27 46,52 47,83 49,08 50,32 60,08 RGC-6 75 W 2,3 5,25 6,4 9,35 10,82 11,64 13,68 15,09 16,73 20,0 22,3 -
  31. 31. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 8.25 - TABELA DE CONVERSÃO DE dBmV em V A tabela apresentada fornece diretamente as tensões em mV, mV e V, correspondente aos níveis em dBmV. Inversamente a tabela fornece os níveis correspondentes as tensões. Exemplo: O nível de 60 dBmV corresponde a uma tensão de 1 mV. A tensão de 1V corresponde a um nível de 120 dBmV. TABELA DE CONVERSÃO DE dBmV em V NÍVEL EM dBmV 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 1 3,16 10 31,62 100 316,22 1 3,16 10 31,62 100 316,22 1 3,16 10 1,12 3,54 11,22 35,48 112,20 354,81 1,22 3,54 11,22 35,48 112,20 354,81 1,22 3,54 11,22 1,25 3,98 12,58 39,81 125,89 398,10 1,25 3,98 12,58 39,81 125,89 398,10 1,25 3,98 12,58 1,41 4,46 14,12 44,66 141,25 446,68 1,41 4,46 14,12 44,66 141,25 446,68 1,41 4,46 14,12 1,58 5,01 15,84 50,11 158,48 501,18 1,58 5,01 15,84 50,11 158,48 501,18 1,58 5,01 15,84 1,78 5,62 17,78 56,26 117,82 562,34 1,78 5,62 17,78 56,26 177,82 562,32 1,78 5,62 17,78 1,99 6,30 19,25 63,09 199,52 630,34 1,99 6,30 19,95 63,09 199,52 630,95 1,99 6,30 19,95 2,23 7,07 22,38 70,79 223,87 707,94 2,23 7,07 22,38 70,79 223,87 707,94 2,23 7,07 22,38 2,51 7,94 25,11 79,43 251,18 794,32 2,51 7,94 25,11 79,43 251,18 794,32 2,51 7,94 25,11 2,81 8,91 28,18 89,12 281,82 819,25 2,81 8,91 28,18 89,12 281,83 819,25 2,81 8,91 28,18 TENSÃO EM mV TENSÃO EM mV TENSÃO EM V 8.26 - TABELA DE FREQUÊNCIA DOS CANAIS TABELA DE FREQUÊNCIAS DOS CANAIS FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA Nº FREQ. DO PORT. DE PORT. DE DO CANAL - VÍDEO SOM CANAL MHZ MHZ MHZ VHF 2 3 4 5 6 FM 7 8 9 10 11 12 13 54-60 60-66 66-72 76-82 82-88 88-108 174-180 180-186 186-192 192-198 198-204 204-210 210-216 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 470-476 476-482 482-488 488-494 494-500 500-506 506-512 512-518 518-524 524-530 530-536 536-542 542-548 548-554 554-560 560-566 566-572 572-578 578-584 584-590 590-596 598-602 602-608 608-614 614-620 620-626 626-632 632-638 638-644 644-650 55,25 61,25 67,25 77,25 83,25 59,75 65,75 71,75 81,75 87,75 175,25 181,25 187,25 193,25 199,25 205,25 211,25 179,75 185,75 191,75 197,75 203,75 209,75 215,75 UHF 471,25 477,25 483,25 489,25 495,25 501,25 507,25 513,25 519,25 525,25 531,25 537,25 543,25 549,25 555,25 561,25 567,25 573,25 579,25 585,25 591,25 599,25 603,25 609,25 615,25 621,25 627,25 633,25 639,25 645,25 475,75 481,75 487,75 493,75 499,75 505,75 511,75 517,75 523,75 529,75 535,75 541,75 547,75 553,75 559,75 565,75 571,75 577,75 583,75 589,75 595,75 601,75 607,75 613,75 619,75 625,75 631,75 637,75 643,75 649,75 FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA Nº FREQ. DO PORT. DE PORT. DE DO CANAL - VÍDEO SOM CANAL MHZ MHZ MHZ 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 650-656 656-662 662-668 668-674 674-680 680-686 686-692 692-698 698-704 704-710 710-716 716-722 722-728 728-734 734-740 740-746 746-752 752-758 758-764 764-770 770-776 776-782 782-788 788-794 794-800 800-806 806-812 812-818 818-824 824-830 830-836 836-842 842-848 848-854 854-860 860-866 866-872 872-878 878-884 884-890 651,25 657,25 663,25 669,25 675,25 681,25 687,25 693,25 699,25 705,25 711,25 717,25 723,25 729,25 735,25 741,25 747,25 753,25 759,25 765,25 771,25 777,25 783,25 789,25 795,25 801,25 807,25 813,25 819,25 825,25 831,25 837,25 843,25 849,25 855,25 861,25 867,25 873,25 879,25 885,25 655,75 661,75 667,75 673,25 679,25 685,75 691,75 697,75 703,75 709,75 715,15 721,75 727,75 733,75 739,75 745,75 751,75 757,75 763,75 769,75 775,75 781,75 787,75 793,75 799,75 805,75 811,75 817,75 819,75 825,75 835,75 841,75 847,75 853,75 859,75 865,75 871,75 877,75 883,75 889,75 FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA Nº DO Nº DO FREQ. DO PORT. DE PORT. DE CANAL CANAL CANAL - VÍDEO SOM LETRA CATV MHZ MHZ MHZ BANDA MÉDIA A-5 A-4 A-3 A-2 A-I A B C D E F G H I 95 96 97 98 99 14 15 16 17 18 19 20 21 22 J K L M N O P Q R S T U V W 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 AA BB CC DD EE FF GG HH II JJ KK LL MM NN 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 90-96 96-102 102-108 108-114 114-120 120-126 126-132 132-138 138-144 144-150 150-156 156-162 162-168 168-174 91,25 97,25 103,25 109,25 115,25 121,25 127,25 133,25 139,25 145,25 151,25 157,25 163,25 169,25 95,75 101,75 107,75 113,75 119,75 125,75 131,75 137,75 143,75 149,75 155,75 161,75 167,75 173,75 SUPER BANDA 216-222 222-228 228-234 234-240 240-246 246-252 252-258 258-264 264-270 270-276 276-282 282-288 288-294 294-300 217,25 223,25 229,25 235,25 241,25 247,25 253,25 259,25 265,25 271,25 277,25 283,25 289,25 295,25 221,75 227,75 233,75 239,75 245,75 251,75 257,75 263,75 269,75 275,75 281,75 287,75 293,75 299,75 HIPER BANDA 300-306 306-312 312-318 318-324 324-330 330-336 336-342 342-348 348-354 354-360 360-366 366-372 372-378 378-384 301,25 307,25 313,25 319,25 325,25 331,25 337,25 343,25 349,25 355,25 361,25 367,25 373,25 379,25 305,75 311,75 317,75 323,75 329,75 335,75 341,75 347,75 353,75 359,75 365,75 371,75 377,75 383,75 FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA Nº DO Nº DO FREQ. DO PORT. DE PORT. DE CANAL CANAL CANAL - VÍDEO SOM LETRA CATV MHZ MHZ MHZ OO PP QQ RR SS TT UU VV WW XX YY ZZ 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 384-390 390-396 396-402 402-408 408-414 414-420 420-426 426-432 432-438 438-444 444-450 450-456 456-462 462-468 468-474 474-480 480-486 486-492 492-498 498-504 504-510 510-516 516-522 522-528 528-534 534-540 540-546 546-552 552-558 558-564 564-570 570-576 576-582 582-588 588-594 594-600 600-606 606-612 612-618 618-624 624-630 630-636 636-642 642-648 385,25 391,25 397,25 403,25 409,25 415,25 421,25 427,25 433,25 439,25 445,25 451,25 457,25 463,25 469,25 475,25 481,25 487,25 493,25 499,25 505,25 511,25 517,25 523,25 529,25 535,25 541,25 547,25 553,25 559,25 585,25 571,25 577,25 583,25 589,25 595,25 601,25 607,25 613,25 619,25 625,25 631,25 637,25 643,25 389,75 395,75 401,75 407,75 413,75 419,75 425,75 431,75 437,75 443,75 449,75 455,75 461,75 467,75 473,75 479,75 485,75 491,75 497,75 503,75 509,75 515,75 521,75 527,75 533,75 539,75 545,75 551,75 557,75 563,75 569,75 575,75 581,75 587,75 593,75 599,75 605,75 611,75 617,75 623,75 629,75 635,75 641,75 647,75 FAIXA DE FREQ. DA FREQ. DA Nº FREQ. DO PORT. DE PORT. DE DO CANAL - VÍDEO SOM CANAL MHZ MHZ MHZ 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 127 128 129 130 131 132 133 134 135 136 137 138 139 140 141 142 648-654 654-660 660-666 666-672 672-678 678-684 684-690 690-696 696-702 702-708 708-714 714-720 720-726 726-732 732-738 738-744 744-750 750-756 756-762 762-774 774-780 780-786 786-792 792-798 798-804 804-810 810-816 816-822 822-828 828-834 834-840 840-846 846-852 852-858 858-864 864-870 870-876 876-882 882-888 888-894 894-900 900-906 906-912 649,25 655,25 661,25 667,25 673,25 679,25 685,25 691,25 697,25 703,25 709,25 715,25 721,25 727,25 733,25 739,25 745,25 751,25 757,25 763,25 775,25 781,25 787,25 793,25 799,25 805,25 811,25 817,25 823,25 829,25 835,25 841,25 847,25 853,25 859,25 865,25 871,25 877,25 883,25 889,25 895,25 901,25 907,25 653,75 659,75 665,75 671,75 677,75 683,75 689,75 695,75 701,75 707,75 713,75 719,75 725,75 731,75 737,75 743,75 749,75 755,75 761,75 773,75 779,75 785,75 791,75 797,75 803,75 809,75 815,75 821,75 827,75 833,75 839,75 845,75 851,75 857,75 863,75 869,75 875,75 881,75 887,75 893,75 899,75 905,75 911,75 Catálogo Antenas / CATV - 29
  32. 32. INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE ANTENA COLETIVA 8.27 - TABELA DE CONVERSÃO DE dB Esta tabela abaixo nos dá diretamente o coeficiente multiplicador correspondente ao ganho de potência (coluna da direita), à atenuação (colunas da esquerda), expressos em decibéis (dB). - A tensão de saída de um amplificador de 30 dB de ganho é 31,622 vezes maior que a tensão da entrada, se esta tensão é de 20mV a tensão de saída é 31,622 x 20 = 632,440 mV. - As tensões na saída é um distribuidor, com atenuação de 3,5 dB de distribuição, será o resultado da multiplicação, dB tensão de entrada pelo coeficiente de 0,668, Se a tensão de entrada é de 300 mV, a tensão de saída será 0,668 X 300 = 200,4mV TABELA DE CONVERSÃO DE dB EM ATENUAÇÃO E GANHO dB ATENUAÇÃO GANHO dB ATENUAÇÃO GANHO dB ATENUAÇÃO GANHO 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 5,5 6 6,5 7 7,5 8 8,5 9 9,5 10 1 0,944 0,981 0,841 0,794 0,749 0,707 0,668 0,63 0,595 0,562 0,53 0,501 0,473 0,446 0,421 0,398 0,375 0,354 0,334 0,316 1 1,059 1,122 1,188 1,258 1,333 1,412 1,496 1,584 1,678 1,778 1,883 1,995 2,113 2,238 2,371 2,511 2,66 2,818 2,985 3,162 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 0,281 0,251 0,223 0,199 0,177 0,158 0,141 0,125 0,112 0,1 0,089 0,079 0,007 0,063 0,056 0,05 0,044 0,039 0,035 0,031 0,028 3,54 3,98 4,46 5,01 5,62 6,3 7,07 7,94 8,91 10 11,22 12,58 14,12 15,84 17,78 19,95 22,38 25,11 28,18 31,62 35,48 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 55 60 0,025 0,022 0,019 0,017 0,015 0,014 0,0125 0,011 0,01 0,0089 0,0079 0,007 0,0063 0,0056 0,005 0,0044 0,0039 0,0035 0,0031 0,0017 0,001 39,8 44,6 50,1 56,2 63 70,7 79,4 89,1 100 112,2 125,8 141,2 158,4 177,8 199,5 223,8 251,1 281,8 316,2 562,3 1,000 8.28 - SIMBOLOGIA DE C.A.T.V E M.A.T.V. M.A.T.V. - “MASTER ANTENNA TV”, SISTEMA DE ANTENA COLETIVA C.A.T.V. - “COMMUNITY ANTENNA TV” OU “CABLE TV” TV A CABO. Acoplador de linha Amplificador descompensador de linha variável Compensador de linha Estabilizador Isolador de C.C. Amplificador Antena circular Compensador de linha variável Filtro passa canal Misturador Amplificador variável Antena dipolo Conversor Filtro corta canal Modulador Amplificador ajustável Atenuador fixo Divisor de 2 saídas Filtro passa baixas Terra Amplificador com C.A.G Atenuador variável Divisor de 3 saídas Filtro passa altas Tomada Blindada Divisor de 4 saídas Fonte de alimentação Carga 75W Amplificador Compensador L Catálogo Antenas / CATV - 30 Balun
  33. 33. ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF E INTERNAS CÓDIGOS: 290A, 291A, 292A e 293A 9.0 - ANTENAS EXTERNAS MULTIBANDA PARA VHF - LINHA SELADA ANTENA RECEPTORA DE SINAL PARA TV, é um equipamento utilizado para receber ondas eletromagnéticas na faixa de VHF, a qual é enviada ao televisor através de uma linha de transmissão (cabos coaxiais de 75W). 9.1 - ANTENA TLS-8 - CÓD. 290A 9.2 - ANTENA TLS-11 - CÓD. 291A Figura 01 - Antena Selada de 8 Elementos Figura 02 - Antena Selada de 11 Elementos 9.3 - ANTENA TLS-15 - CÓD. 292A 9.4 - ANTENA TLS-18 - CÓD. 293A Figura 03 - Antena Selada de 15 Elementos Figura 04 - Antena Selada de 18 Elementos ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MODELO TLS-8 TLS-11 TLS-15 CÓDIGO Banda Canais Ganho Relação frente costa 290A 291A 292A Aplicações Número de elementos Comprimento Peso Frequência de trabalho Faixa Impedância R.O.E. BI 2a6 3 dB 10 dB BIII 7 a 13 5 dB 16 dB BI 2a6 5 dB 12 dB BIII 7 a 13 8 dB 20 dB BI 2a6 6 dB 14 dB TLS-18 293A BIII 7 a 13 9 dB 22 dB BI 2a6 8 dB 18 dB BIII 7 a 13 12 dB 23 dB Para regiões urbanas, onde o sinal recebido é relativamente forte Para regiões onde a intensidade do sinal é moderada mas com boas condições de recepção Para regiões onde a intensidade do sinal é baixa mas ainda há condições de recepção Para regiões onde a relação sinal / ruído é muito pequena com dificuldade de recepção 8 903 mm 1.075 g 11 1.284 mm 1.680 g 15 1.814 mm 2.040 g 18 2.724 mm 2.500 g 54 a 216 MHz larga 75W < 1,8 Catálogo Antenas / CATV - 31
  34. 34. ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF E INTERNAS CÓDIGOS: 290A, 291A, 292A e 293A TLS-11 TLS-8 COSTAS A 1 C B 1 2 B C 2 D 4 ELEMENTOS A-B-C-D Passivos 4 5 M1 FRENTE Ativos 3 E 3 D ELEMENTOS COSTAS A 1-2-3-4 Ativos Passivos Diretores FRENTE A-B-C-D-E 1-2-3-4-5 L1-M1 Figura 06 - Identificação dos elementos montados Figura 05 - Identificação dos elementos montados TLS-18 TLS-15 COSTAS A COSTAS A B 1 B C 2 C D 3 D 1 E 4 E 2 F 5 F 3 G 6 7 M1 G 4 H 5 I L1 FRENTE 6 7 M1 Ativos A-BC-D-E-F-G Passivos 1-2-3-4-5-6-7 L1-M1 Diretores Figura 07 - Identificação dos elementos montados Catálogo Antenas / CATV - 32 ELEMENTOS M2 ELEMENTOS L1 Ativos A-B-C-D-E-F-G-H-I 1-2-3-4-5-6-7 Passivos L1-L2-M1-M2 Diretores Figura 08 - Identificação dos elementos montados L1 L2 FRENTE
  35. 35. ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF E INTERNAS CÓDIGOS: 520CL, 521CL, 522CL, 523CL, 524CL, 525CL, 526CL, 527CL, 528CL, 529CL, 530CL, 531CL e 532CL 9.5 - ANTENAS MONOCANAIS DE VHF PARA COLETIVAS A linha de antenas coletivas série CL são fabricadas com materiais não ferrosos como alumínio, Iatão e nylon. Entre as principais vantagens de uma antena coletiva podemos destacar: ! Com o sistema coletivo desaparece a interferência em decorrência da proximidade de outras antenas que progressivamente, tende a perturbar a qualidade da imagem. ! O custo de uma antena coletiva de boa qualidade é distribuído entre diversos usuários. ! Excelente diretividade, alto ganho e baixa relação de onda estacionária. ! Conexões com contatos anti-oxidante e abraçadeiras com tratamento anti-ferrugem. 10º 20º 1 30 º 2 40 º 30 º 2 40 º 3 4 5 6 7 8 9 10 -5 º - 60 -5 º - 60 20º 70º 70º -70º 10º 1 º º 80º 80º 90º 90º -90º -80º 0º LÓBULO VERTICAL 10º 1 2 20º 30 º 40 º º 0º -5 º - 60 -10º 0º 10º 1 2 20º 30 º 40 º 70º 70º 3 4 5 6 7 8 9 10 º º -70º º -20 60 60 80º 80º 90º 90º -90º -80º º º 50 º 50 3 4 5 6 7 8 9 10 0º -4 -30 0º 0º -5 -10º - 60 º -20 -70º º -90º -80º -30 LÓBULO HORIZONTAL LÓBULO VERTICAL Figura 12- Lóbulos da antena para canais 7 ao 13 -5 0 º -60 0º 1 2 20º 30 º CABO COAXIAL 40 º PAINEL DA TAMPA TRASEIRA ANTENA 75W VHF/UHF 70º 3 4 5 6 7 8 9 10 10º º -70º º -10º -20 60 TELEVISÃO 80º 90º -90º -80º º -30 º 50 º 0º -4 CONECTOR “F” Figura 13 - Antena FM circular - cód. 525CL -10º Figura 10 - Lóbulos da antena monocanal para canais 2 ao 6 0º -4 Figura 11- Antena monocanal - canais 7 ao 13 º -20 60 60 LÓBULO HORIZONTAL Figura 09 - Antena monocanal - canais 2 ao 6 º º 50 º 50 3 4 5 6 7 8 9 10 0º -4 -30 0º 0º -70º -10º -90º -80º º -20 0º 0º -4 º -30 Fig. 14- Lóbulo da antena FM circular COMO CONECTAR A ANTENA NA SUA TV Figura 15 - Caixa de conexão ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 520CL 521CL 522CL 523CL 524CL 525CL 526CL 527CL 528CL 529CL 530CL 531CL 532CL CÓDIGO 5 13 3 7 8 6 9 10 FM 4 11 12 2 Canal Freq. de trabalho (MHz) 54-60 60-66 66-72 76-82 82-88 88-108 174-180 180-186 186-192 192-198 198-204 204-210 210-216 Comprimento (mm) 3.12 1.64 1.48 3.12 2.83 500 1.79 1.75 1.68 1.57 1.53 2.59 2.26 Peso (kg) 1.31 1.13 1.03 1.44 1.43 1.67 465 1.11 1.11 1.09 1.08 1.06 1.67 5 7 Número de elementos 1 9,5 dB 7 dB 0 dB Ganho monocanal (6 MHz) monocanal (6 MHz) Banda BII Ângulo horizontal 360º 43º 54º Ângulo vertical 360º 76º 52º Relação frente costa 25 dB 27 dB < 1,4 < 1,25 < 1,2 R.O.E. Impedância 75W Aplicação antena coletiva Catálogo Antenas / CATV - 33
  36. 36. ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF E INTERNAS CÓDIGOS: 415C, 416C e 417C 9.6 - ANTENAS EXTERNAS PARA VHF BANDA I, BANDA II e BANDA III Esta linha de antenas foi desenvolvida para as situações em que temos vários canais de uma mesma banda chegando de uma mesma direção sendo possível, portanto, captá-los com uma só antena. Todos esses modelos são fabricados com materiais não ferrosos como o alumínio, o latão e o nylon. São dotados de conexões anti-oxidantes, abraçadeiras com tratamento anti-ferrugem e possuem excelente diretividade, alto ganho e baixa R.O.E. 10º 20º 1 30 º 2 40 º º -5 0º º - 60 º 40 º 70º 70º -70º 30 2 º º 80º 80 º 90º 90º -90º -80º 20º 60 60 20º 30 º 2 40 º 10º 20º 30 º 2 40 º 3 4 5 6 7 8 9 10 60 º 60 º º 70º 70º 80º 80 º 90º 90º -90º -80º 0º 1 - 60 -5 0º º -10º º º - 60 º -20 50 50 -70º 0º -4 º -30 -5 0º 10º 1 -70º 0º -90º -80º º º -10 -20 LÓBULO VERTICAL Figura 19 - Lóbulos da antena Banda II - cód. 416C 0º -4 º º º -10 -20 0º 1 10º 20º 30 º 2 80 º 8 0º 90º 90º LÓBULO VERTICAL Figura 21 - Lóbulos da antena Banda III - cód. 417C ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS BANDA II BANDA I 416C 415C 2a6 FM 88 a 108 MHz 54 a 88 MHz 2.420 1.800 1.550 1.200 5 5 6,5 dB 6 a 7 dB BII BI 67º a 58º 60º 89º a 78º 80º 20 dB 20 a 22 dB < 1,25 < 1,3 75W 40 º 70º 70º 3 4 5 6 7 8 9 10 º º -90º -80º º -30 60 60 3 4 5 6 7 8 9 10 -5 0º 40 º - 60 30 º -70º 20º -90º -80º 2 10º º -5 0º 1 50 º 0º º - 60 º º -10 -20 50 -70º º -30 LÓBULO HORIZONTAL Catálogo Antenas / CATV - 34 10º 1 º º º -30 3 4 5 6 7 8 9 10 0º -4 MODELO CÓDIGO Canais Frequência de trabalho Comprimento (mm) Peso (Kg) Número de elementos Ganho Banda Ângulo horizontal Ângulo vertical Relação frente costa R.O.E. Impedância 0º LÓBULO VERTICAL LÓBULO HORIZONTAL Figura 20 - Antena Banda III - cód. 417C -10º Figura 17 - Lóbulos da antena Banda I - cód. 415C 0º -4 Figura 18 - Antena Banda II - cód. 416C º -20 3 4 5 6 7 8 9 10 LÓBULO HORIZONTAL Figura 16 - Antena Banda I - cód. 415C º 50 50 3 4 5 6 7 8 9 10 0º -4 -30 -5 0º 0º - 60 º º -10 -20 -70º º -90º -80º 0º -4 -30 BANDA III 417C 7 a 13 174 a 216 MHz 1.620 900 8 7 a 9 dB BIII 53º a 45º 68º a 55º 23 a 26 dB < 1,4
  37. 37. ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF E INTERNAS CÓDIGOS: 418C, 419C, 420C e 421C 9.7 - ANTENAS SUPER DIRECIONAIS SBTVD-T / UHF - HIGHT GD Comparada com outros modelos, verifica-se que a antena UHF SUPER DIRECIONAL é sem dúvida um grande avanço tecnológico na recepção de sinais de UHF. Nos seus quatro modelos - BANDA IV (código 418C), BANDA V (código 419C) e TODA FAIXA (códigos 420C ou 421C). Levam incorporada uma caixa de conexão que tem por finalidade: 1º Proteger os contatos e as ligações contra intempéries. 2º Transformar a impedância da antena 300W para 75W que é a impedância do cabo coaxial usado nas instalações de TV. As antenas códigos 418C1, 419C1 e 420C1 possuem um misturador de VHF e UHF incorporado na caixa de conexão. Assim é possível ligar o cabo que vem de uma outra antena de VHF e descer com os sinais de VHF e UHF num mesmo cabo. COMPATÍVEL COM TV DIGITAL COMPATÍVEL COM TV DIGITAL Figura 22 Antena Banda IV (UHF) 418C Antena Banda IV c/ misturador (VHF+UHF) 418C1 COMPATÍVEL COM TV DIGITAL Figura 23 Antena Banda V (UHF) 419C Antena Banda V c/ misturador (VHF+UHF) 419C1 Figura 24 Antena Toda Banda (UHF) 420C Antena Toda Banda c/ misturador (VHF+UHF) 420C1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 418C 418C1 419C 419C1 420C 420C1 421C CÓDIGO NÃO SIM NÃO SIM NÃO SIM NÃO Entrada VHF Frequência 470 à 580MHz 580 à 890MHz 470 á 890MHz 470 a 890MHz 14 ao 32 33 ao 83 14 ao 83 14 ao 83 Canais Relação frente costas 28 dB 29 dB 20 a 22 dB 20 a 22 dB Ângulo horizontal 31º 45º 45º 29º Ângulo vertical 53º 53º 39º 40º Comprimento (mm) 1600 1300 900 700 1400 585 2000 1700 Peso (g) Ganho 9 a 10 dB 10 a 11 dB 14 dB < 1,25 < 1,2 < 1,2 R.O.E. Impedância 75W - 300W 75W Figura 25 - Antena Toda Faixa UHF TV Digital 421C 9.8 - LÓBULOS HORIZONTAL DE RECEPÇÃO DAS ANTENAS 20º 30 º 2 40 º 10º 20º 30 º 2 40 º 3 4 5 6 7 8 9 10 º º 70º 70º 80 º 80 º 90º 90º -90º -80º 0º 1 º º º º -10 -20 60 60 - 60 º º º Figura 26 Figura 27 Lóbulo da antena código 421C 0º -4 º º º º -10 -20 0º 1 2 20º 30 º 40 º º 70º 3 4 5 6 7 8 9 10 10º 60 - 60 -30 º -5 0º 40 º -70º 30 º 70º 3 4 5 6 7 8 9 10 20º 80 º 80 º 90º 90º -90º -80º 2 10º 50 º 1 º - 60 0º 60 -70º º º -10 -20 º -90º -80º 0º -4 º -30 50 -5 0º Lóbulo das antenas código 419C e 419C1 Figura 28 0º -4 -30 50 50 3 4 5 6 7 8 9 10 -70º Lóbulo das antenas código 420C e 420C1 -5 0º 10º 1 - 60 0º -70º º º -10 -20 -90º -80º 0º -4 º -30 -5 0º Lóbulo das antenas código 418C e 418C1 Figura 29 Catálogo Antenas / CATV - 35
  38. 38. ANTENAS EXTERNAS VHF/UHF E INTERNAS CÓDIGOS: 356A, 367A e 369A 9.9 - ANTENA INTERNA ÍRIS COLOR - CÓD. 356A COMPATÍVEL COM TV DIGITAL CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: ! Não depende de técnicos especializados para fazer instalação; ! VHF, UHF, FM e SBTVD-T; ! Design moderno e decorativo; ! Ajuste através de controle circular; ! Dipolo de UHF; ! Hastes telescopias em latão cromado. MODELO CÓDIGO Peso Saídas Faixa Sintonia ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ÍRIS COLOR 356A 840 g única VHF - UHF - FM - SBTVD-T por comando giratório Figura 30 - Antena interna Íris Color - cód. 356A 9.10 - ANTENA INTERNA AMAPOLA - CÓD. 367A COMPATÍVEL COM TV DIGITAL CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: ! Não depende de técnicos especializados para fazer instalação; ! VHF, UHF, FM e SBTVD-T; ! Design moderno e decorativo; ! Ajuste através de controle circular; ! Dipolo de UHF; ! Hastes telescopias em latão cromado. MODELO CÓDIGO Peso Saídas Faixa Sintonia ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS AMAPOLA 367A 410 g única VHF - UHF - FM - SBTVD-T por comando giratório Figura 31 - Antena interna Amapola - cód. 367A 9.11 - ANTENA INTERNA COROLA - CÓD. 369A COMPATÍVEL COM TV DIGITAL CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: ! Não depende de técnicos especializados para fazer instalação; ! VHF, UHF, FM e SBTVD-T; ! Design moderno e decorativo; ! Ajuste através de controle circular; ! Dipolo de UHF acoplado na parábola; ! Hastes telescopias em latão cromado. MODELO CÓDIGO Peso Saídas Faixa Sintonia Figura 32 - Antena interna Corola - cód. 369A Catálogo Antenas / CATV - 36 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS COROLA 369A 370 g Única VHF - UHF - FM - SBTVD-T por comando giratório
  39. 39. MISTURADORES CÓDIGOS: 819E e 8213E 10.0 - INTRODUÇÃO AOS MISTURADORES Os misturadores da THEVEAR são construídos com um conjunto de filtros, que tem por finalidade isolar e misturar os diversos canais, ou grupos de canais, ou bandas, introduzindo o mínimo de perda possível no sinal. ANT. DE VHF BANDA I CÓD. 415C MISTURADOR CÓD. 819E ANT. DE VHF BANDA III CÓD. 417C Fig. 01 - Misturador mixer canal baixo + canal alto 75/75 - cód. 819E CABO COAXIAL 75W A THEVEAR produz uma extensa linha de misturadores para cobrir uma grande faixa de aplicações. Existem os misturadores de bandas, por exemplo: (banda I e banda II) + (banda III), (banda IV) + (banda V), de faixas, VHF + UHF e misturadores de canais em VHF e UHF. Os misturadores de faixas e de bandas são usados normalmente para residências em mini-coletivas. Por exemplo, o misturador 8211E (3+2) é usado para misturar os sinais de dois grupos de canais, um com 3 canais e outro com 2, vindos de duas direções diferentes, por exemplo canais (3-6-12) + (8-10). Fig. 02 - Exemplo de instalação 10.1 - MISTURADOR PARA VHF - CÓD. 819E Misturador para ser fixado externamente no próprio mastro da antena. Possui entrada para duas antenas de VHF e uma saída. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Número de entradas Faixa Impedância de entrada Impedância de saída R.O.E. Atenuação de passagem Atenuação entre bandas Dimensões Peso 2 VHF (banda I e banda II) + VHF (banda III) 75W ou 300W 75W < 1,5 < 2,0 dB > 35 dB 115 x 125 x 90 mm 310 g Pode ser empregado para: ! Misturar sinais da banda I (antena 415C) ou banda II (antena 416C) com os sinais da banda III (antena 417C). ! Misturar sinais de duas antenas de faixa larga códigos: 290A, 291A, 292A e 293A. Ideal para sistemas de antenas coletivas. Indicado para as antenas monocanais códigos 520CL à 532CL. 10.2 - MISTURADORES PARA VHF - CÓD. 8213E Os misturadores cód. 8213E são indicados quando se tem um grupo de canais, tanto altos como baixos, numa mesma direção de transmissão de TV e outro grupo de canais em outra, impossibilitando a utilização de misturadores comuns. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Número de entradas Faixa Impedância de entrada Impedância de saída R.O.E. (depende dos canais) Atenuação de passagem Atenuação entre entradas Atenuação entre canais a cortar Dimensões Peso 3 VHF + VHF + UHF 75W 75W < 2,0 4 dB (depende dos canais) > 26 dB > 30 dB 115 x 125 x 90 mm 310 g Caso seja necessário é possível fazer qualquer combinação de canais, sempre tendo em conta que os canais a serem misturados não sejam adjacentes. OBS: Quando os canais de uma determinada direção de transmissão são todos altos ou baixos devem-se utilizar uma antena banda I (cód. 415C) ou banda III (cód. 417C) para se obter um maior ganho, direcionalidade e atenuação entre entradas. Catálogo Antenas / CATV - 37
  40. 40. MISTURADORES CÓDIGOS: 8192E, 820E, 8201E e 1020-F 10.3 - MISTURADOR PARA UHF - CÓD. 8192E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Número de entradas 2 UHF (banda IV + banda V) Faixa Impedância de entrada 75W Impedância de saída 75W < 1,5 R.O.E. Atenuação de passagem < 1,0 dB Atenuação entre bandas > 40 dB Dimensões 115 x 125 x 90 mm 310 g Peso Misturador para ser instalado externamente no próprio mastro da antena. Possui entradas para duas antenas de UHF. Indicado para misturar os sinais da banda IV (antena cód. 418C) com os da banda V (antena cód. 419C). 10.4 - MISTURADORES PARA VHF E UHF - CÓD. 820E e 8201E Estes misturadores foram desenvolvidos para misturarem sinais de antenas de VHF e UHF. O misturador cód. 8201E foi criado para ser instalado internamente e o misturador cód. 820E para ser fixado no próprio mastro das antenas. ANTENA DE VHF MISTURADOR CÓD. 820E CABO COAXIAL 75W Fig. 03 - Misturador mixer externo - cód. 820E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CÓDIGO Dimensões Peso Atenuação de passagem Impedância de entrada Impedância de saída Número de entradas Faixa R.O.E. Atenuação entre bandas ANTENA DE UHF 820E 8201E 115 x 125 x 90 mm 70 x 65 x 24 mm 310 g 50 g 0,5 dB - VHF e 1 dB - UHF 1 dB 75W 75W ou 300W 75W 2 VHF e UHF < 1,5 > 40 dB Fig. 04 - Exemplo de instalação 10.5 - MISTURADOR DE VHF E UHF - CÓD. 1020-F O Misturador cód. 1020-F, é um misturador de duas entradas, para combinar sinais da faixa de VHF e UHF em uma única saída, todas com conectores F-fêmea. A caixa do misturador cód. 1020-F é blindada e selada, o que a torna imune a interferências externas e a intempéries. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Faixa de VHF 50 a 420 MHz Faixa de UHF 450 a 800 MHz < 1 dB Perda em VHF < 1,2 dB Perda em UHF Impedância de entrada e saída 75W < 1,5 R.O.E. Rejeição do sinal na faixa adjacente VHF - UHF > 28 dB UHF - VHF > 30 dB F-fêmea Conectores Dimensões 44 x 32 x 14 mm 21 g Peso Fig. 05 - Misturador VHF/UHF Blindado interno Catálogo Antenas / CATV - 38
  41. 41. MISTURADORES CÓDIGOS: 1050-E e 1055-F 10.6 - MISTURADORES DE CANAIS - CÓD. 1050-E e 1055-F Os misturadores códigos 1050-E e 1055-F são aparelhos utilizados em instalações coletivas, onde se deseja "somar", canais de diferentes frequências e origens, em uma única saída, ou seja, em um único cabo. O misturador cód. 1050-E possui 8 entradas e uma saída, sendo sete entradas para canais de TV e uma entrada para FM (3 canais na banda I, 1 entrada para FM e 4 canais na banda III). É possível sob encomenda, colocar canais de letra no misturador cód. 1050-E, obedecendo a configuração do item anterior, isto é, sai um canal da banda III e entra um de letra. O mesmo pode ser feito para se colocar um filtro de UHF (filtro passa altas). O misturador cód. 1055-F, também com 8 entradas e uma saída, é usado para misturar canais de letra, banda média e superbanda, e canais banda III. Estes misturadores possuem um atenuador variável de 0 a 20 dB na entrada de cada canal. Assim além de misturar, é possível ajustar independentemente o nível de sinal de cada canal. Os misturadores utilizam conectores do tipo F-fêmea, e são construídos em uma caixa metálica, o que lhes conferem uma ótima blindagem elétrica. Ao fazer o pedido de compra do misturador cód. 1050-E ou 1055-F, é necessário especificar os canais de entrada que se deseja misturar, pois o misturador é produzido especificamente para cada localidade ou cidade, em função dos canais presentes na região. ANTENAS DE VHF COLETIVAS CANAL 2 CANAL 7 CANAL 4 ANT. DE FM ANT. DE UHF MISTURADOR CÓD. 1050-E Fig. 06 - Misturador 7 canais blindado com conector "F" - cód. 1050-E MISTURADOR AMPLIFICADOR CABO COAXIAL 75W SAÍDA Fig. 07 - Misturador 7 canais blindado de letra - cód. 1055-F CÓDIGO Faixa de frequência R.O.E. Perda de Inserção Atenuação entre banda I e banda III Atenuação entre canais não adjacentes Atenuação ajustável Número de entradas Impedância de entrada - saída Dimensões Peso Fig. 08 - Exemplo de instalação ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1050-E VHF (banda I, III + FM) < 1,5 banda I < 3 dBc banda III < 8 dBc > 35 dB > 25 dB 1055-F 90 a 300 MHz < 1,4 banda média e banda III < 4 dB super banda < 6 dB > 20 dB de 0 à 20 dB 8 75W 90 x 48 x 240 mm 643 g Catálogo Antenas / CATV - 39
  42. 42. ACOPLADOR E COMBINADOR CÓDIGOS: 1053-F e 1054-F 11.0 - ACOPLADOR VHF/UHF MAIS CANAL DE LETRA - CÓD. 1053-F O acoplador cód. 1053-F é ideal para instalações onde se necessita somar, em um sistema coletivo ou Individual, circuito Interno de TV, câmera de vídeo e etc., à antenas de VHF/UHF ou cabo. O acoplador cód. 1053-F permite a entrada de um sinal de um modulador de áudio e vídeo na frequência de um canal de LETRA (A-3 até W) e também que este nível seja ajustado para equalizá-lo ao sistema. Montado em caixa metálica com conectores F-fêmea, sendo uma entrada para o canal de LETRA escolhido (com ajuste de nível), outra para banda de VHF/UHF na qual é rejeitado o canal de LETRA, evitando-se assim que interferências externas se somem ao canal do Modulador. Não deve ser usado em sistemas onde o canal de LETRA seja adjacente a outros canais. Exemplo, canal I (168 a 174 Mhz) na entrada de LETRA e canal 7 (174 a 180 Mhz) na entrada VHF/UHF. Fig. 01 - Acoplador VHF/UHF+LETRA CÂMERA MISTURADOR MODULADOR ACOPL. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 2 (1 para VHF/UHF e Número de entradas outra para canal de letra) Faixa de frequência LETRA do canal A-3 até W (102 a 300 MHz) 54 a 750 MHz Faixa de frequência VHF + UHF < 6 dB Perda de inserção (LETRA) Perda de inserção (VHF + UHF) < 3 dB em VHF e < 4 dB em UHF Ajuste do nível do canal de até -20 dB LETRA (± 1,5 dB) 75W Impedância de entrada e saída > 30 dB Isolação entre entradas 250 g Peso Dimensões 125 x 56 x 56 mm Fig. 02 - Exemplo de instalação 11.1 - COMBINADOR VHF+UHF - CÓD. 1054-F O combinador cód. 1054-F é usado para somar um canal (3 ou 4) ao sinal proveniente da antena, montado em uma caixa metálica e com conector F-fêmea, o que lhe confere uma ótima blindagem, possui duas entradas e uma saída. Uma das entradas é utilizada para a antena (VHF/UHF), na qual é rejeitado o canal 3 ou 4, (que deve ser especificado no pedido). A outra entrada permite entrar com o sinal do canal especificado, vindo de um vídeo-cassete ou decodificador de TV por assinatura (3 ou 4), e desta maneira, a saída para a TV apresenta os dois sinais combinados. As entradas possuem ajuste de atenuação de sinal independente. Fig. 03 - Combinador VHF/UHF+CANAL 3 ou 4 ANTENA DE VHF MODULADOR COMBINADOR CÓD. 1054-F Fig. 04 - Exemplo de instalação Catálogo Antenas / CATV - 40 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS entrada antena = VHF/UHF Faixa de frequência entrada canal = canal 3 ou 4 < 5,5 dB Perda de inserção Ajuste de atenuação até 13dB (canal) e até 14dB (antena) <2 R.O.E. Conectores F-fêmea Impedância de entrada e saída 75W 70g Peso Dimensões 51 x 80 x 19 mm

×