Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
  • Save
TERAPIA NUTRICIONAL
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

TERAPIA NUTRICIONAL

  • 5,127 views
Published

Treinamento realizado pela EMTN para as equipes de enfermagem do Hospital Casa de Saúde de Santos em Janeiro/2011.

Treinamento realizado pela EMTN para as equipes de enfermagem do Hospital Casa de Saúde de Santos em Janeiro/2011.

Published in Health & Medicine
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
5,127
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
1
Likes
4

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. TERAPIA NUTRICIONAL Janeiro - 2011
  • 2.
    • A intervenção nutricional pode ser capaz de reduzir o tempo de permanência no hospital, aumenta a rotatividade dos leitos, melhora os resultados clínicos e reduz os custos.
    Terapia Nutricional Waitzberg, 2002.
  • 3. Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional Define-se a EMTN, por um grupo formal e obrigatoriamente formado por pelo menos um profissional de cada área, médico, nutricionista, enfermeiro e farmacêutico. RDC nº 63, 2000.
  • 4. Profissionais da EMTN Nutrólogos Dr. Vitor Hugo Dr. Jone Robson Drª Ieda Maria Drª Francimary Drª Marilene Enfermeira – Thaisy Correia Guerra Nutricionista – Meryellen Cardoso Campos Farmacêutico – Munir Yussef
  • 5.
    • Atua na área de prevenção e tratamento dos distúrbios nutricionais (agudos e crônicos) associados a maior morbi-mortalidade, tempo de internação e ocorrências de complicações.
    A importância da EMTN
  • 6.
    • Ingestão controlada de nutrientes;
    • Na forma isolada ou combinada;
    • Composição definida ou estimada;
    • Especialmente elaborada por sonda ou via oral;
    • Utilizada de forma exclusiva ou parcial;
    • Conforme suas necessidades nutricionais;
    • Visando à síntese ou manutenção dos tecidos, órgãos ou sistemas ;
    Nutrição Enteral RDC nº 63, 2000.
  • 7. Vias de Administração
    • Sondas
    Nasogástrica Pós pilórica
    • Gastrostomia
    • Jejunostomia
    Waitzberg, 2002.
    • Via oral;
    ou
  • 8.
    • Ao receber o frasco, observar o tipo de dieta prescrita, integridade da embalagem e aspecto;
    • Agitar levemente o frasco antes de administrá-lo, para homogeneizar a dieta;
    • Não expor o frasco a incidência de luz solar direta ou fonte de calor;
    • Checar na prescrição, o horário da infusão da dieta;
      • É obrigatório o preenchimento completo do rótulo com letra legível (Nome do paciente, leito, nome da dieta, volume infundido, ml/h, data, horário, prontuário, confirmando estes dados na prescrição médica).
    Cuidados na instalação da dieta
  • 9.
    • O paciente deverá ser mantido em decúbito elevado (30-45);
    • Trocar a fixação diariamente, preferencialmente após o banho;
    • Observar e anotar rigorosamente número, e o aspecto do vômito, caso ocorrer, comunicar o enfermeiro;
    • Anotar rigorosamente, a quantidade e o aspecto das evacuações;
    Cuidados da Enfermagem com o paciente
  • 10.
    • Estimular a ingestão oral sempre que possível, registrando com precisão a aceitação do paciente;
    • Ao iniciar o desmame, quem deverá prescrever a suspensão da sonda é o médico do paciente;
    • Importante a realização do dextro, nos pacientes que estão com sonda.
    Atenção
  • 11. Custo da dieta enteral Dietas mais utilizada Volume Preço aprox. Nutrison Standard Pack – 1 Lt R$ 184,00 Peptamen Pack – 1 Lt R$ 350,00 Nutrison Advance Diason Pack – 1 Lt R$ 465,00 Frasco (água) --- R$ 3,00 Equipo Life Med --- R$ 180,00
  • 12.
    • Identifica os indivíduos desnutridos e principalmente os indivíduos com risco potencial para a desnutrição intra-hospitalar;
    • Os indivíduos em risco nutricional devem posteriormente serem submetidos a uma avaliação nutricional, para classificar o seu estado de nutrição e instituir uma estratégia para a terapia nutricional;
    Triagem Nutricional
  • 13. Principais Fatores de Risco Perda significativa de peso; Complicações gastrointestinais; Câncer e seus tratamentos; Alergias a alimentos; Ingestão inadequada de alimentos; Náusea, vômitos, constipação, diarréia; Disfagia; AIDS; Problemas de dentição, de cavidade oral; Perdas sensoriais (visão, gosto, olfato etc); Limitações ou incapacidade para se alimentar sozinho; Doença renal, hepática ou cardíaca crônica; Depressão do nível de consciência; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Prescrição de jejum ou dieta líquida por mais de 3 dias; Índice de massa corporal (IMC) fora da normalidade; Úlceras de pressão; Imobilidade, dependência, limitações para as atividades diárias;
  • 14.
    • É uma abordagem completa, realizada pelo nutricionista, para estimar o estado nutricional do indivíduo, detectando suas necessidades alimentares;
    • Existem diversos métodos que podem ser empregados na realização de uma avaliação nutricional. Para tanto, o nutricionista costuma analisar o consumo alimentar, medidas antropométricas e exames laboratoriais;
    Avaliação Nutricional
  • 15. Nutrição Parenteral
    • Solução ou emulsão, composta basicamente de carboidratos, aminoácidos e lipídios, vitaminas e minerais, estéril e apirogênica, acondicionada em recipiente de vidro ou plástico, destinada à administração intravenosa em pacientes desnutridos ou não.
    Portaria 272/98.
  • 16.
    • Conforme a portaria SVS/MS n° 272/98, a NP é inviolável até o término da sua administração.
    • O equipo deve ser trocado com a bolsa, ou seja, a cada 24 hs.
    Nutrição Parenteral Portaria 272/98.
  • 17.
    • Devem-se evitar alterações de velocidade durante a infusão;
    • O volume infundido deve ser rigorosamente controlado. Evitando assim oscilações do gotejamento e alterações nas concentrações séricas da glicose;
    • Não é recomendável ultrapassar 24 hs de infusão da NP. O risco de crescimento bacteriano ou fúngico, aumenta consideravelmente após 24 horas.
    Cuidados de enfermagem
  • 18.
    • Verificar a integridade da embalagem;
    • Observar a solução quanto à: homogeneidade, ausência de corpos estranhos e temperatura;
    • Conferir o rótulo: composição, osmolaridade, vias de acesso, volume total e velocidade de infusão;
    Cuidados ao receber a NP
  • 19. Custo da Nutrição Parenteral Nutrição Parenteral Vol. Preço aprox. Bolsa da NP 2000 ml R$ 1500,00 Equipo --- R$ 237,60
  • 20.
    • Registrar o controle diário da temperatura da geladeira e das bombas de infusão;
    • Solicitação de dieta – Mat./ Med;
    • Realizar o dextro conforme solicitado na prescrição dos nutrólogos;
    • Pacientes com NE que tenha previsão de alta, favor entrar em contato com a nutricionista da EMTN;
    VALE LEMBRAR
  • 21.