• Save
TERAPIA NUTRICIONAL
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

TERAPIA NUTRICIONAL

  • 4,926 views
Uploaded on

Treinamento realizado pela EMTN para as equipes de enfermagem do Hospital Casa de Saúde de Santos em Janeiro/2011.

Treinamento realizado pela EMTN para as equipes de enfermagem do Hospital Casa de Saúde de Santos em Janeiro/2011.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
4,926
On Slideshare
4,570
From Embeds
356
Number of Embeds
6

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
1
Likes
4

Embeds 356

http://merynutri.blogspot.com 205
http://merynutri.blogspot.com.br 143
http://www.merynutri.blogspot.com 4
http://merynutri.blogspot.pt 2
http://merynutri.blogspot.ru 1
http://merynutri.blogspot.mx 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. TERAPIA NUTRICIONAL Janeiro - 2011
  • 2.
    • A intervenção nutricional pode ser capaz de reduzir o tempo de permanência no hospital, aumenta a rotatividade dos leitos, melhora os resultados clínicos e reduz os custos.
    Terapia Nutricional Waitzberg, 2002.
  • 3. Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional Define-se a EMTN, por um grupo formal e obrigatoriamente formado por pelo menos um profissional de cada área, médico, nutricionista, enfermeiro e farmacêutico. RDC nº 63, 2000.
  • 4. Profissionais da EMTN Nutrólogos Dr. Vitor Hugo Dr. Jone Robson Drª Ieda Maria Drª Francimary Drª Marilene Enfermeira – Thaisy Correia Guerra Nutricionista – Meryellen Cardoso Campos Farmacêutico – Munir Yussef
  • 5.
    • Atua na área de prevenção e tratamento dos distúrbios nutricionais (agudos e crônicos) associados a maior morbi-mortalidade, tempo de internação e ocorrências de complicações.
    A importância da EMTN
  • 6.
    • Ingestão controlada de nutrientes;
    • Na forma isolada ou combinada;
    • Composição definida ou estimada;
    • Especialmente elaborada por sonda ou via oral;
    • Utilizada de forma exclusiva ou parcial;
    • Conforme suas necessidades nutricionais;
    • Visando à síntese ou manutenção dos tecidos, órgãos ou sistemas ;
    Nutrição Enteral RDC nº 63, 2000.
  • 7. Vias de Administração
    • Sondas
    Nasogástrica Pós pilórica
    • Gastrostomia
    • Jejunostomia
    Waitzberg, 2002.
    • Via oral;
    ou
  • 8.
    • Ao receber o frasco, observar o tipo de dieta prescrita, integridade da embalagem e aspecto;
    • Agitar levemente o frasco antes de administrá-lo, para homogeneizar a dieta;
    • Não expor o frasco a incidência de luz solar direta ou fonte de calor;
    • Checar na prescrição, o horário da infusão da dieta;
      • É obrigatório o preenchimento completo do rótulo com letra legível (Nome do paciente, leito, nome da dieta, volume infundido, ml/h, data, horário, prontuário, confirmando estes dados na prescrição médica).
    Cuidados na instalação da dieta
  • 9.
    • O paciente deverá ser mantido em decúbito elevado (30-45);
    • Trocar a fixação diariamente, preferencialmente após o banho;
    • Observar e anotar rigorosamente número, e o aspecto do vômito, caso ocorrer, comunicar o enfermeiro;
    • Anotar rigorosamente, a quantidade e o aspecto das evacuações;
    Cuidados da Enfermagem com o paciente
  • 10.
    • Estimular a ingestão oral sempre que possível, registrando com precisão a aceitação do paciente;
    • Ao iniciar o desmame, quem deverá prescrever a suspensão da sonda é o médico do paciente;
    • Importante a realização do dextro, nos pacientes que estão com sonda.
    Atenção
  • 11. Custo da dieta enteral Dietas mais utilizada Volume Preço aprox. Nutrison Standard Pack – 1 Lt R$ 184,00 Peptamen Pack – 1 Lt R$ 350,00 Nutrison Advance Diason Pack – 1 Lt R$ 465,00 Frasco (água) --- R$ 3,00 Equipo Life Med --- R$ 180,00
  • 12.
    • Identifica os indivíduos desnutridos e principalmente os indivíduos com risco potencial para a desnutrição intra-hospitalar;
    • Os indivíduos em risco nutricional devem posteriormente serem submetidos a uma avaliação nutricional, para classificar o seu estado de nutrição e instituir uma estratégia para a terapia nutricional;
    Triagem Nutricional
  • 13. Principais Fatores de Risco Perda significativa de peso; Complicações gastrointestinais; Câncer e seus tratamentos; Alergias a alimentos; Ingestão inadequada de alimentos; Náusea, vômitos, constipação, diarréia; Disfagia; AIDS; Problemas de dentição, de cavidade oral; Perdas sensoriais (visão, gosto, olfato etc); Limitações ou incapacidade para se alimentar sozinho; Doença renal, hepática ou cardíaca crônica; Depressão do nível de consciência; Doença pulmonar obstrutiva crônica; Prescrição de jejum ou dieta líquida por mais de 3 dias; Índice de massa corporal (IMC) fora da normalidade; Úlceras de pressão; Imobilidade, dependência, limitações para as atividades diárias;
  • 14.
    • É uma abordagem completa, realizada pelo nutricionista, para estimar o estado nutricional do indivíduo, detectando suas necessidades alimentares;
    • Existem diversos métodos que podem ser empregados na realização de uma avaliação nutricional. Para tanto, o nutricionista costuma analisar o consumo alimentar, medidas antropométricas e exames laboratoriais;
    Avaliação Nutricional
  • 15. Nutrição Parenteral
    • Solução ou emulsão, composta basicamente de carboidratos, aminoácidos e lipídios, vitaminas e minerais, estéril e apirogênica, acondicionada em recipiente de vidro ou plástico, destinada à administração intravenosa em pacientes desnutridos ou não.
    Portaria 272/98.
  • 16.
    • Conforme a portaria SVS/MS n° 272/98, a NP é inviolável até o término da sua administração.
    • O equipo deve ser trocado com a bolsa, ou seja, a cada 24 hs.
    Nutrição Parenteral Portaria 272/98.
  • 17.
    • Devem-se evitar alterações de velocidade durante a infusão;
    • O volume infundido deve ser rigorosamente controlado. Evitando assim oscilações do gotejamento e alterações nas concentrações séricas da glicose;
    • Não é recomendável ultrapassar 24 hs de infusão da NP. O risco de crescimento bacteriano ou fúngico, aumenta consideravelmente após 24 horas.
    Cuidados de enfermagem
  • 18.
    • Verificar a integridade da embalagem;
    • Observar a solução quanto à: homogeneidade, ausência de corpos estranhos e temperatura;
    • Conferir o rótulo: composição, osmolaridade, vias de acesso, volume total e velocidade de infusão;
    Cuidados ao receber a NP
  • 19. Custo da Nutrição Parenteral Nutrição Parenteral Vol. Preço aprox. Bolsa da NP 2000 ml R$ 1500,00 Equipo --- R$ 237,60
  • 20.
    • Registrar o controle diário da temperatura da geladeira e das bombas de infusão;
    • Solicitação de dieta – Mat./ Med;
    • Realizar o dextro conforme solicitado na prescrição dos nutrólogos;
    • Pacientes com NE que tenha previsão de alta, favor entrar em contato com a nutricionista da EMTN;
    VALE LEMBRAR
  • 21.