Dia da poesia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Dia da poesia

on

  • 1,989 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,989
Views on SlideShare
1,989
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
18
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Dia da poesia Dia da poesia Presentation Transcript

  • DIA DA POESIA
  • O Dia Nacional da Poesia é 14 de março
  • POETA “ Canta, poeta, os hinos, com que o silêncio acordas, A natureza — é uma harpa presa nas mãos de Deus. O mundo passa... e mira o brilho dessas cordas... E o hino?... O hino apenas chega aos ouvidos teus.” Castro Alves
  • O dia 14 de março foi escolhido “O Dia Nacional da Poesia” para homenagear o nascimento do grande poeta Castro Alves.
  • Poesia é uma forma de expressar e transmitir sentimentos, emoções e pensamentos através de versos e estrofes. É saber combinar as palavras, em linguagem escrita, de uma forma especial:
  • " Poesia é brincar com palavras / como se brinca com bola, papagaio e pião. / Só que bola, papagaio e pião se gastam / as palavras não ." José Paulo Paes CONVITE
  • O Dia da Poesia é um dia para nos envolvermos com a natureza, com os sentimentos e sensações do mundo ao nosso redor. E claro, um dia para conhecermos mais a poesia de nosso país que é elogiada no mundo inteiro.
  • Já o dia 21 de março foi proclamado pela UNESCO como o Dia Mundial da Poesia. A data escolhida é o início da primavera no hemisfério norte.
  • TRADUZIR-SE Uma parte de mim é todo mundo: outra parte é ninguém: fundo sem fundo. Uma parte de mim é multidão: outra parte estranheza e solidão. (...) Uma parte de mim é só vertigem: outra parte, linguagem. Traduzir uma parte na outra parte — que é uma questão de vida ou morte — será arte? FERREIRA GULLAR
  • Ricardo azevedo Ricardo Azevedo cresceu em uma casa onde ler e escrever livros era uma prática, aprendendo desde cedo a importância da literatura. Pai geógrafo, autor de diversas obras. Escreveu seu primeiro texto para crianças — que mais tarde acabou se transformando num de seus livros mais premiados, Um Homem no Sótão — com aproximadamente 17 anos.
  • Autor de mais de 90 livros para crianças e jovens em que o folclore é a palavra-chave. Aponta a maneira como o tema é tratado nas escolas como outro problema para a aprendizagem. “ A cultura popular não é uma coisa morta que precisa ser relembrada. Ela é viva, imensa e ocorre o tempo todo, em todos os lugares, todos os dias do ano”. (Ricardo Azevedo).
  • Imagem do Livro “Um homem no sótão”
  • Imagem do Livro “A casa do meu avô”
  • Recebeu quatro prêmios Jabuti e tem livros publicados na Alemanha, Portugal, México e Holanda. É mestre em Letras pela Universidade de São Paulo e doutorando em Teoria Literária (USP). É também pesquisador na área da cultura popular. Imagem do Livro “Uma velhinha de óculos, chinelo e vestido azul de bolinhas brancas”
  • O escritor encabeça ainda o projeto Fura-Bolo (1999), no qual escreve e ilustra — juntamente com outros autores — livros para serem distribuídos em escolas de comunidades carentes. Os integrantes do projeto ainda capacitam professores para trabalhar com os livros e formar leitores. O projeto Fura-Bolo já beneficiou mais de 70 mil crianças em todo o país. Imagem do Livro “Aula de Carnaval”
  • O escritor encabeça ainda o projeto Fura-Bolo (1999), no qual escreve e ilustra — juntamente com outros autores — livros para serem distribuídos em escolas de comunidades carentes. Os integrantes do projeto ainda capacitam professores para trabalhar com os livros e formar leitores. O projeto Fura-Bolo já beneficiou mais de 70 mil crianças em todo o país.
  • É um projeto maravilhoso, social e cultural, que realmente ajuda a formar leitores e do qual eu e todos que dele participam nos orgulhamos muito. O resultado: estamos contribuindo para formar novos leitores, capacitando professores a utilizar a literatura em sala de aula e distribuindo livros a crianças que antes só tinham acesso a livros didáticos. Não é pouco! Obviamente, nada disso é fácil, mas as dificuldades fazem parte, principalmente levando-se em conta um projeto dessa envergadura. www.mensagensvirtuais.com.br