As mulheres na sociedade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

As mulheres na sociedade

on

  • 2,619 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,619
Views on SlideShare
2,518
Embed Views
101

Actions

Likes
2
Downloads
68
Comments
0

3 Embeds 101

http://www.mensagensvirtuais.xpg.com.br 94
http://mensagensvirtuais.xpg.uol.com.br 5
http://www.mensagenspowerpoint.net 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

As mulheres na sociedade As mulheres na sociedade Presentation Transcript

  • AS MULHERES NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA Alessandra Schneider Coordenadora do Escritório Antena da UNESCO no RS Porto Alegre, 05/03/07
    • “ A cada ano, o Dia Internacional da Mulher é um momento para contabilizar o progresso e os desafios a serem enfrentados em relação ao cumprimento das metas do Sistema das Nações Unidas sobre a igualdade de gênero por meio do empoderamento da mulher.”
    • Koichiro Matsuura - Diretor-Geral da UNESCO (2006)
  • Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), sancionados por 189 países na Cúpula do Milênio das Nações Unidas, em setembro de 2000.
    • Garantir que, até 2015, todas as crianças, de ambos os sexos, terminem um ciclo completo de ensino básico.
    • Eliminar a disparidade entre os sexos no ensino primário e secundário, se possível até 2005, e em todos os níveis de ensino, a mais tardar até 2015.
    • Reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos.
    • Reduzir em três quartos, entre 1990 e 2015, a taxa de mortalidade materna.
    • Até 2015, ter detido a propagação do HIV/Aids e começado a inverter a tendência atual.
    • Estima-se que quase 50% dos portadores do HIV/AIDS sejam mulheres. Mais alarmantes são os índices de infecção entre mulheres jovens com idades entre 18 e 25 anos e acima de 50 anos.
  • No Brasil...
    • As mulheres têm, atualmente, níveis de escolaridade superiores aos dos homens,mantendo-se à frente deles
    • em praticamente todos os indicadores educacionais. Isso significa que os grandes entraves à promoção da igualdade de gênero e à autonomia feminina não se encontram no acesso ao ensino, mas em outros aspectos como a inserção no mercado de trabalho e na vida política ou a vulnerabilidade à violência doméstica e sexual.
  • PARA AS MULHERES, OBSTÁCULOS À IGUALDADE DE GÊNERO ESTÃO ALÉM DA EDUCAÇÃO FORMAL
    • No ensino médio e no superior, a proporção de mulheres é 25% maior que a dos homens;
    • Barreiras invisíveis interferem em escolhas no ensino superior (A distribuição nos cursos universitários remonta à divisão sexual, do trabalho,mas também do conhecimento:
    • Elas tendem a estender à formação profissional sua formação familiar,concentrando-se em áreas que remetem ao exercício dos cuidados e da atenção. Já os homens encontram-se, predominantemente, nos cursos das áreas de ciências exatas,que são considerados “mais difíceis” e “exigentes” e formam profissionais com maior reconhecimento social.)
    • Mulheres enfrentam dificuldades de inserção no mercado de trabalho ( Dupla discriminação: mulheres negras são as que se inserem em condições mais precárias no mercado de trabalho)
  • PARA AS MULHERES, OBSTÁCULOS À IGUALDADE DE GÊNERO ESTÃO ALÉM DA EDUCAÇÃO FORMAL
    • Embora mais escolarizadas, mulheres ganham menos ( A desigualdade aumenta à medida que se avança na escolaridade.)
    • Na política predomina a presença masculina, mas as mulheres avançam
    • Violência contra as mulheres: fenômeno nacional
    • A violência doméstica e sexual praticada contra mulheres é uma das principais formas de violação dos direitos humanos, atingindo-as em seus direitos fundamentais à vida, à saúde e à integridade física e psíquica.
    • Essa violência doméstica,que se manifesta cotidianamente das mais diferentes formas física,psíquica,sexual,patrimonial),
    • fundamenta-se em relações desiguais de poder e autoridade que se estabelecem entre homens e mulheres em todas as esferas da vida e,em particular, na esfera privada, podendo, portanto, ser reconhecida como uma violência de gênero.
  • Homens e mulheres experimentam a pobreza de maneiras distintas
    • A promoção da igualdade de gênero – o terceiro Objetivo de Desenvolvimento do Milênio – é essencial não só para a garantia da cidadania como também para a consecução da meta de redução da pobreza. As mulheres sofrem uma série de desvantagens, em comparação com os homens, que passam pela realização de atividades domésticas não-remuneradas, maior desemprego e discriminação salarial, assim como desigualdade no acesso, uso e controle dos recursos produtivos.
  • Homens e mulheres experimentam a pobreza de maneiras distintas
    • A vulnerabilidade econômica das mulheres está relacionada ao crescente desemprego feminino e à sua concentração em atividades de baixa qualificação e mal remuneradas, bem como às restrições de tempo e mobilidade, uma vez que elas têm de conciliar o trabalho remunerado com o trabalho reprodutivo (atividades domésticas e cuidado da família).
  • Capacidade de gerar recursos financeiros e tomar decisões sobre os gastos
    • Nas áreas urbanas observa-se que, em 2003, 36% das mulheres maiores de 16 anos careciam de renda própria, comparados com 18% dos homens. No caso das mulheres que vivem em zonas rurais essa dependência econômica é ainda maior (46% das mulheres não tinham renda própria). Essa condição se reflete na falta de autonomia econômica, o que potencializa as chances de essas mulheres tornarem-se ainda mais pobres ou enfrentarem a extrema pobreza, sobretudo se as circunstâncias familiares e conjugais forem modificadas (viuvez, rupturas matrimoniais).
  • AS MULHERES E OS DESAFIOS DO MILÊNIO
    • Nenhum desenvolvimento nacional poderá ser considerado satisfatório se
    • as mulheres não tiverem plena participação na vida da comunidade, da sociedade e no trabalho.
  • UNESCO cria Rede Internacional de Mulheres Filósofas
    • Foi anunciada no dia 08 de março de 2007
    • Objetivo é reunir o maior número possível de mulheres filósofas – artistas, escritoras, poetisas, etc – provenientes de todos os países de forma a integrá-las nos diferentes projetos e atividades da Organização sobre filosofia.
    • “ O papel crucial e indispensável das mulheres na reflexão filosófica e seu valiosíssimo aporte à compreensão cabal dos grandes desafios da nossa época.” (Pierre Sané – ADG Ciências Humanas e Sociais da UNESCO)