Your SlideShare is downloading. ×
PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

1,010
views

Published on

Published in: Education, Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,010
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE EDUCAÇÃO E SAÚDE UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA Cuité, Novembro de 2006
  • 2. EQUIPE RESPONSÁVEL Coordenação do Projeto José Carlos Oliveira Santos Coordenador do Curso de Licenciatura em Química Comissão de Elaboração do Projeto José Carlos Oliveira Santos Coordenador da Área Curricular – Ensino de Química Cláudia Patrícia Fernandes dos Santos Coordenador da Área Curricular – Química Analítica Marta Maria da Conceição Coordenadora da Área Curricular – Físico-Química Gecilio Pereira da Silva Coordenador da Área Curricular – Química Geral e Inorgânica Otávio Luís de Santana Coordenador da Área Curricular – Química Orgânica Danyel Judson Bezerra Soares Coordenador da Área Curricular – Física Anselmo Ribeiro Lopes Coordenador da Área Curricular – Matemática Marisa de Oliveira Apolinário Coordenadora da Área Curricular – Biologia Lucas Pereira da Silva Coordenadora da Área Curricular – Educação José Fabiano da Rocha Silva Representante Discente Jessé Geminiano Junior Representante Discente Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química i
  • 3. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE EDUCAÇÃO E SAÚDE UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO Reitor: Pró-Reitor de Ensino: Diretor do Centro: Vice-Diretor do Centro: Coordenador da Unidade Acadêmica: Coordenador do Curso de Química: Quadro Docente: Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química Thompson Fernandes Mariz Vicemário Simões Márcio de Matos Caniello Ramilton Marinho Costa João Batista da Silva José Carlos Oliveira Santos Ana Maria da Silva Angelo Roncalli F. Holanda Anselmo Ribeiro Lopes Cristiane Francisca da Costa Cláudia Patrícia Fernandes dos Santos Danyel Judson Bezerra Soares Denize Araújo Barbosa Eliane Cristina Araújo Evelise Márcia L. Sousa Everaldo Paulo de Medeiros Francisco José Victor Castro Gecílio Pereira da Silva Giuliana Cavalcante Vasconcelos Gleydson Chaves Ricarte Jacqueline Félix de Brito Joana Maria Farias Barros João Batista da Silva José Carlos Oliveira Santos José Fernando Leite Aires Lucas Pereira da Silva Luciano Barosi de Lemos Luiz Alberto Terrazos Javier Marcelo Carvalho Ferreira Márcia Cristina Silva Brito Marisa de Oliveira Apolinário Marta Maria da Conceição Otávio Luís de Santana Ramilton Marinho da Costa Vivian Monteiro Vladimir Soares Catão ii
  • 4. SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...................................................................................................................04 1. JUSTIFICATIVA.................................................................................................................05 2. HISTÓRICO.........................................................................................................................06 3. PERFIL DO CURSO............................................................................................................08 4. PERFIL DO EGRESSO.......................................................................................................10 5. CAMPOS DE ATUAÇÃO...................................................................................................11 6. HABILIDADES E COMPETÊNCIAS...............................................................................12 6.1. Habilidades e competências relacionadas à sua formação pessoal................................13 6.2. Habilidades e competências relacionadas à compreensão da Química.........................14 6.3. Habilidades e competências relacionadas à busca de informação e à comunicação e expressão....................................................................................................................................14 6.4. Habilidades e competências relacionadas ao trabalho em ensino de Química.............14 6.5. Habilidades e competências relacionadas à profissão....................................................15 7. PROPOSTA PEDAGÓGICA..............................................................................................15 7.1. Atividades Práticas............................................................................................................17 7.2. Estágio Curricular Supervisionado..................................................................................17 7.3. Trabalho de Conclusão de Curso.....................................................................................19 7.4. Atividades Complementares.............................................................................................19 8. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR.....................................................................................21 8.1. Áreas Curriculares.............................................................................................................21 8.2. Estruturação Curricular...................................................................................................21 8.3. Orientação para Integralização Curricular....................................................................23 8.4. Ementas...............................................................................................................................30 8.4.1. Componentes Curriculares Básicos e Profissionais (Obrigatórios)...........................30 8.4.2. Componentes Curriculares Complementares Obrigatórios.......................................52 8.4.3. Componentes Curriculares Optativos...........................................................................52 9. CONDIÇÕES DE OFERTA DO CURSO..........................................................................63 9.1. Formas de Ingresso............................................................................................................63 9.2. Recursos Humanos............................................................................................................64 9.3 Infra-Estrutura...................................................................................................................64 10. AVALIAÇÃO......................................................................................................................66 10.1. Avaliação Institucional....................................................................................................66 10.2. Avaliação das Condições de Ensino...............................................................................66 10.3. Avaliação do Processo Ensino-Aprendizagem..............................................................67 10.3.1. Avaliação de Desempenho Docente.............................................................................67 10.3.2. Avaliação e Acompanhamento Discente.....................................................................67 11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..............................................................................68 Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química iii
  • 5. APRESENTAÇÃO O presente documento apresenta o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química, sistematizado pelos professores, alunos e coordenações das Áreas Curriculares. O referido projeto foi elaborado em conformidade com as exigências da seguinte legislação: Lei 9.394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB); Lei 2.800/56, que cria o Conselho Federal de Química; Diretrizes Curriculares para os cursos de bacharelado e de Licenciado em Química (Resolução CNE/CES 8 de 11 de março de 2002, fundamentada no Parecer CNE/CES 1303/2001); Diretrizes da Resolução do CNE/CP 2/2002; e as recomendações dispostas nos princípios orientadores para os projetos pedagógicos dos cursos de licenciatura da UFCG (Resolução CONSEPE/UFPB 39/99, convalidada pela Resolução 08/2003 do Colegiado Pleno da UFCG). O compromisso do curso não é apenas ensinar Química, mas, sobretudo, despertar os alunos para suas vocações docentes, para que sejam capazes também de ensinar a aprender. O curso pretende ainda viabilizar uma proposta curricular ampla e flexível, em que o discente tenha opções para delinear o seu próprio percurso, assegurando uma formação que possibilite condições para o enfrentamento das questões presentes no cotidiano educacional. A proposta deste curso inserido na região do semi-árido paraibano tem impacto sobre a contextualização da realidade do futuro profissional de Química, permitindo sua inclusão social. E, além disso, contribuirá de maneira relevante para elevação do nível de escolaridade, com formação de multiplicadores, permitindo a redução das desigualdades sociais. As estratégias pedagógicas usadas recaem, diretamente, no planejamento e na construção de um currículo que fortaleça uma sólida formação, assegurando princípios da flexibilização e da interdisciplinaridade. Considera-se ainda, como marca deste projeto, a implementação de um processo de acompanhamento e avaliação institucional, permitindo atualização e implantação de melhorias permanentes desta proposta. Nessa perspectiva, a organização deste Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química configura-se num desafio acadêmico diante da tarefa de formar profissionais qualificados com acesso a informação, infra-estrutura, recursos materiais e humanos, entre outros, numa região carente com baixos índices de escolaridade. A este futuro profissional, entretanto, será dada a oportunidade de transformação pelos mecanismos de reflexão de sua prática, atuando na melhoria de sua qualidade de vida. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 4
  • 6. 1. JUSTIFICATIVA A exigência de responsabilidade e competência, atributos subjacentes à proposta de um curso superior é pressuposto inelutável, pois cabe à Universidade Pública responder às pressões emergentes no campo da formação do docente de Química para o ensino fundamental e médio; isto impõe à Instituição o diálogo com a sociedade, mais intensamente com as escolas, na busca de satisfazer à demanda de formação de quadros profissionais e de outros recursos humanos necessários ao seu desenvolvimento. Nessa perspectiva, busca-se assegurar princípios fundamentais, implícitos nas diretrizes curriculares nacionais, que asseguram a qualidade da formação do licenciado. Tal debate aponta como essencial, tomando por base os princípios inerentes ao desenvolvimento de vários saberes. Os nossos futuros profissionais devem ser regidos pelo conhecimento dos conteúdos de formação específica, pedagógica e integradora, além de pautar-se por princípios éticos (democracia, justiça, diálogo, sensibilidade, solidariedade, respeito à diversidade, compromisso). Devem também contextualizar, problematizar, criticar, questionar, refletir sobre a prática, transformar sua própria prática, propor soluções, atuar crítica e criativamente. As bases legais do presente projeto são: a Lei 9.394/96, que instituiu as Diretrizes e Bases da Educação Nacional; a Resolução 39/99 do CONSEPE/UFPB, que estabelece a sistemática de elaboração e reformulação dos Projetos Pedagógicos dos Cursos, convalidada pela Resolução 08/2003 do Colegiado Pleno da UFCG; a Portaria PRE/UFCG no 08/2007 que fixa prazo para apresentação do Projeto Pedagógico do Curso – PPC e dá outras providências; a Resolução CNE/CES 8, de 11 de março de 2002, que estabelece as Diretrizes Curriculares para os cursos de Bacharelado e Licenciatura em Química, fundamentada no Parecer CNE/CES 1.303/2001; a Resolução CNE/CP no 1/2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, fundamentada nos Pareceres CNE/CP no 9/2001 e 27/2001; a Resolução CNE/CP no 2/2002, que institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior, fundamentada no Art. 12 da Resolução CNE/CP 1/2002 e no Parecer CNE/CP 28/2001. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 5
  • 7. 2. HISTÓRICO A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) é uma instituição autárquica vinculada ao Ministério da Educação, com estrutura multi-campi e atuação nas cidades de Campina Grande, Cajazeiras, Sousa, Cuité, Patos e Pombal. A UFCG foi criada pela Lei 10.419, de 09 de abril de 2002, através do desmembramento da Universidade Federal da Paraíba. Após sua criação, a UFCG passou a ser sediada na Cidade de Campina Grande, abrangendo quatro campi universitários: o campus de Campina Grande, sede da Reitoria, além dos campi de Patos, Sousa e Cajazeiras. Respaldada por esse contexto, a Universidade Federal de Campina Grande envidou todos os esforços possíveis e fomentou uma discussão sobre a criação de novos cursos, ouvindo a sociedade civil e os poderes públicos constituídos nos diversos quadrantes do estado da Paraíba. O debate assim instalado resultou em mobilizações cujo saldo foi a proposição de parcerias para o compartilhamento de responsabilidades. Coincidindo com o início do programa de ampliação do parque universitário federal, empreendido pelo Ministério da Educação, a Universidade Federal de Campina Grande, sensível às demandas que se harmonizam com a necessidade de expansão do ensino público superior, realizou estudo sobre o acesso a esse nível de ensino na Paraíba. Concomitantemente à realização desse diagnóstico, debates públicos foram realizados com o objetivo de analisar o quadro existente e de orientar a busca de alternativas para a solução do problema: a divisão de responsabilidades entre os governos federal, estadual e municipal que foi, na ocasião, tema recorrente. Realizado o diagnóstico sobre o acesso à educação superior na Paraíba, a Universidade Federal de Campina Grande passa a elaborar as diretrizes do seu Plano de Expansão Institucional, analisando alternativas de localização onde novos campi poderiam ser instalados. Os Municípios de Sumé, Cuité, Pombal e Itaporanga foram, então, definidos como possibilidades a serem consideradas. Dando continuidade às ações atinentes a sua proposta de expansão, a Universidade Federal de Campina Grande realizou seminário que reuniu 19 prefeitos do Cariri, o Secretário de Desenvolvimento Territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário, os Secretários de Agricultura e Educação do Estado da Paraíba, a Associação dos Municípios do Cariri Paraibano, organizações governamentais e não governamentais, além de movimentos sociais. Nesse evento, foram discutidas ações conjuntas para a implementação da melhoria da educação na região. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 6
  • 8. Outra ação, visando à concretização da expansão do ensino público superior na Paraíba, foi ainda empreendida: a apresentação desse projeto, em sessão especial da Assembléia Legislativa do Estado da Paraíba, destacando-se como uma das iniciativas mais importantes para a consolidação do Plano de Expansão Institucional da Universidade Federal de Campina Grande, que, em seguida, foi também apresentado, nos Municípios de Itaporanga, Sumé, Pombal e Cuité. Em seguida, uma carta de intenção foi enviada ao Ministério da Educação que, analisando a proposta de expansão da Universidade Federal de Campina Grande, contemplou a criação de um campus, no Curimataú, em seu Programa de Expansão do Ensino Superior – Expandir até ficar do tamanho do Brasil. O desafio da Universidade Federal de Campina Grande representa apenas um pequeno, mas, importante passo a ser dado em direção à democratização do acesso ao ensino superior e à construção nacional que só a educação pode promover. Em resposta a pesquisas realizadas pela UFCG, que apontavam uma demanda no mercado que justificava a criação de cursos diurnos e noturnos no Campus de Cuité, o Curso de Licenciatura em Química teve sua criação oficializada através da Resolução 07/2005 da Câmara Superior de Ensino, apoiado, ainda, pelo Ministério da Educação, que estava incentivando a criação de novos campi, priorizando a interiorização do ensino superior. Outros cursos de licenciatura nas áreas de Física, Matemática e Biologia também foram criados, além dos bacharelados em Farmácia e Enfermagem. A nossa política universitária propõe uma reflexão aprofundada e um exame dos critérios educacionais que determinam sua necessidade, oportunidade e viabilidade, para apresentação e aprovação de proposta de criação do curso de graduação de Licenciatura em Química. O compromisso principal do curso ao delinear o perfil do formando foi o de incorporar reclamos e aspirações de setores da comunidade onde atua a UFCG, inspirada no princípio fundamental de uma instituição pública, na abrangência e indissociabilidade de sua tripla missão, ou seja, o ensino, a pesquisa e a extensão, buscando assim seu compromisso maior com a sociedade, que é a formação ético-profissional de cidadãos competentes, atendendo, subsidiariamente, por via de conseqüência, às demandas do mercado de trabalho. Nesse sentido, deve a Universidade sempre buscar qualidade profissional, intelectual, artísticocultural e sócio-econômica dos diversos setores sociais. Localizado na mesorregião da Borborema, agreste paraibano e agreste potiguar, o território polarizado por Cuité é formado por 31 municípios que constituem uma área de 8.161 km², envolvendo quatro microrregiões dos Estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte: o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 7
  • 9. Curimataú Ocidental, compreendendo Algodão de Jandaíra, Arara, Barra de Santa Rosa, Cuité, Damião, Nova Floresta, Olivedos, Pocinhos, Remígio e Sossego; o Curimataú Oriental, abrangendo Cacimba de Dentro, Casserengue, Dona Inês, Riachão, Solânea e Tacima; o Seridó Oriental, com os municípios de Baraúna, Cubatí, Frei Martinho, Nova Palmeira, Pedra Lavrada, Picuí, Seridó e Tenório; e o Trairí do Rio Grande do Norte, que abarca Campo Redondo, Coronel Ezequiel, Jaçanã, Japi, Lages Pintadas, Santa Cruz e São Bento do Trairí. O Município de Cuité é sede da 4ª Região Administrativa de Ensino, que integra 12 municípios entre Nova Floresta, Barra de Santa Rosa, Sossego, Baraúna, Picuí, Frei Martinho, Cubati, Pedra Lavrada e Nova Palmeira, no entanto, a taxa de analfabetismo na região é bastante alta, tanto na população de 15 e 17 anos (10,71%) quanto na de 18 a 24 anos (20,78%), chegando ao inadmissível percentual de 49,11% na população acima de 25 anos. Toda a região que compreende o Curimataú, Seridó e Trairí forma um conjunto em que as carências sócio-econômicas, refletivas no índice de escolaridade, são homogêneas, tendo o analfabetismo como principal problema a impedir a compreensão das origens da pobreza e a implantação de soluções que desencadeiem o desenvolvimento local. 3. PERFIL DO CURSO O Curso de Licenciatura em Química da Unidade Acadêmica de Educação, do Centro de Educação e Saúde – CES do Campus de Cuité tem estrutura curricular flexível, com oferta de 80 vagas, em duas entradas anuais, sendo 40 vagas para o turno diurno, cujas atividades foram iniciadas em setembro de 2006 e, 40 vagas para o turno noturno, cujas atividades foram iniciadas em fevereiro de 2007. Esta estrutura curricular flexível possibilitará o desenvolvimento de competências próprias à atividade docente, enfatizando os conhecimentos a seguir: • Preparação de substâncias químicas em diversos graus de pureza; • Análise química, elaboração de parecer, atestado, projeto de especialidade e sua execução, perícia civil ou judiciária, direção e responsabilidade de Laboratórios ou Departamentos Químicos da Indústria e Empresas Comerciais; • Magistério nas disciplinas de Química nos Ensinos Fundamental e Médio. A forma de acesso ao curso dar-se-á através de Processo Vestibular, contudo, outras formas de ingresso serão permitidas segundo legislação prevista nos Estatuto e Regimento da UFCG. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 8
  • 10. A carga horária mínima para integralização curricular é de 2880 horas (192 créditos), destinadas aos componentes curriculares, distribuídos segundo a seguinte composição: COMPONENTES POR NATUREZA Básicos e Profissionais (Obrigatórios) Complementares Optativos Atividades acadêmico-científico-culturais (Complementares Obrigatórios) Total da Carga Horária CARGA HORÁRIA (h) 2535 135 210 CRÉDITOS 169 09 14 % 88,0 4,7 7,3 2880 192 100 O Curso de Licenciatura em Química no turno diurno tem um prazo mínimo para sua conclusão de oito semestres e prazo máximo de doze semestres, sendo permitido ao aluno perfazer um mínimo de 240 horas (16 créditos) e um máximo de 390 horas (26 créditos) por período letivo, e no turno noturno tem um prazo mínimo para sua conclusão de nove semestres e prazo máximo de quatorze semestres, sendo permitido ao aluno perfazer um mínimo de 210 horas (14 créditos) e um máximo de 300 horas (20 créditos) por período letivo. Na busca de assegurar uma identidade própria no contexto da formação do Licenciado em Química, propomos uma organização curricular que possibilite: • Integração entre a Universidade e a escola básica; • Uso de novas tecnologias como mais uma possibilidade de construção/divulgação de conhecimentos e desenvolvimento da capacidade crítica e criativa; • Desenvolvimento da autonomia do professor, entendido como protagonista de seu desenvolvimento profissional e pessoal; • Atendimento à diversidade; • Superação das dicotomias entre conhecimentos específicos e conhecimentos pedagógicos; • Compreensão crítica da escola e seu contexto sócio-cultural e desenvolvimento da capacidade de atuar como agente transformador; • Formação pedagógica para criar, planejar, executar, gerir, e avaliar situações didáticas que favoreçam o desenvolvimento dos alunos; • Conhecimentos que capacitem o docente a realizar a transposição didática dos conteúdos específicos para as situações de ensino; • Conhecimentos sobre os diversos sujeitos aos quais a educação básica se dirige (crianças, adolescentes, jovens, adultos, portadores de necessidades especiais, entre outros); Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 9
  • 11. • Compreensão dos fundamentos sociais, históricos, psicológicos e pedagógicos da ação docente; • Conhecimento da normatização posta no âmbito da legislação da educação e do ensino, no que se refere à educação básica; • Incorporação de atividades, problemáticas, estudos, mini-cursos, disciplinas optativas, debates, que acolham interesses, inovações, temáticas emergenciais e polêmicas contemporâneas características da dinâmica social e do constante avanço do conhecimento. 4. PERFIL DO EGRESSO O curso de Licenciatura em Química tem como objetivo formar docentes para atuar na educação básica (séries finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio), enfatizando sua importância para a efetivação de uma ação docente em busca da formação cidadã. Objetiva, ainda, motivar para a iniciação à pesquisa, à produção de conhecimento, bem como a participação em programas e projetos de extensão relacionados à área do ensino da Química, além de qualificar discentes para contribuir em outras áreas do conhecimento, no debate interdisciplinar, prestando assessorias aos setores políticos, culturais, e em organizações não governamentais. O licenciado em Química possui competência para lecionar as disciplinas de Química no Ensino Fundamental e Médio. Cabe também ao Químico licenciado, na amplitude do exercício de sua profissão, realizar, entre outras atividades, a preparação de substâncias químicas em diversos graus de pureza, sua análise química, com elaboração de parecer atestando sua especialidade e execução precisa civil e jurídica, direção de responsabilidades em laboratórios ou departamentos de empresas comerciais ou industriais. (Art. 20 da Lei 2.800 de 18 de junho de 1956 que cria o Conselho Federal de Química). Com a implantação e implementação do currículo exposto no Projeto Pedagógico do Curso, pretende-se formar um profissional de Química cujo perfil esteja sintonizado com as necessidades da sociedade e que seja capaz de lidar com os desafios propostos pelo mercado de trabalho. Para isso, esse perfil necessita ser bem desenvolvido. Pelo exposto, pretende-se, por conseguinte, alcançar o perfil profissional do egresso norteado pelas diretrizes: • Formação baseada no desenvolvimento do senso crítico com foco no aprendizado em vez da mera aquisição de conhecimentos; Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 10
  • 12. • Formação com visão holística da Química e compreensão do seu papel de Ciência central e integradora, bem como sua inter-relação com outras áreas de fronteira; • Formação ampla e multidisciplinar alicerçada em conhecimentos sólidos de conceitos e princípios de Química, possibilitando uma ampla atuação profissional; • Capacidade de enxergar a Química como uma construção humana, compreendendo os aspectos históricos de sua produção e suas relações com o contexto cultural, sócioeconômico e político; • Formação humanística que manifeste, na sua prática como profissional e cidadão, flexibilidade intelectual, norteado pela ética em sua relação com o contexto cultural, sócioeconômico e político, inserindo-se na comunidade a que pertence; • Capacidade de identificar e fazer buscas nas fontes de informações úteis para suas atividades (pesquisa e desenvolvimento, ensino) pelos mais variados meios, bem como para sua contínua atualização técnica, científica e humanística. No caso do licenciado, pretende-se incorporar em seu perfil profissional os aspectos discriminados abaixo: • Percepção da importância do papel do educador no desenvolvimento de uma consciência cidadã como elemento fundamental para a construção de uma sociedade melhor; • Visão crítica dos problemas educacionais brasileiros e capacidade de propor soluções apropriadas e inovadoras; • Capacidade de manifestar-se com senso crítico diante dos movimentos educacionais e materiais didáticos, bem como em relação ao Ensino de Química; • Flexibilidade e predisposição às mudanças constantes de práticas pedagógicas; • Reconhecimento da importância de manter-se atualizado na pesquisa em Ensino de Química. 5. CAMPOS DE ATUAÇÃO Juntamente com uma mudança por parte do comportamento dos professores, notou-se uma tendência na maneira de preparar o aluno de Licenciatura em Química, não somente para o exercício do magistério, como também para a oportunidade de emprego e renda nos diversos setores produtivos existentes na região, onde o curso está inserido, satisfazendo assim os anseios da sociedade. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 11
  • 13. O Estado da Paraíba deve estar imbuído em programas de desenvolvimento sustentável, sendo perceptível o surgimento da indústria de pequeno porte em várias áreas. Portanto, se faz necessário formar um profissional que possa atuar nas áreas de pesquisa e educação, voltadas para estas fontes. O desenvolvimento e o aprimoramento do Curso de Licenciatura em Química não é somente uma exigência legal, mas também uma necessidade definida pela própria comunidade acadêmica e sociedade, onde se tem a oportunidade de aplicar as tendências das CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade). O Decreto-lei no 5.452/43 (CLT), nos Art. 325 a 351 discorre sobre o exercício da profissão de Químico, direitos e deveres. A Resolução Normativa CFQ no 36 de 25/04/1974, publicada no Diário Oficial da União de 13/05/1974, “dá atribuições aos profissionais da Química” e descreve as atividades desses profissionais: • Direção, supervisão, programação, coordenação, orientação e responsabilidade técnica no âmbito de suas atribuições respectivas; • Assistência, assessoria, consultoria, elaboração de orçamentos, divulgação e comercialização no âmbito das atribuições respectivas; • Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento de serviços técnicos, elaboração de pareceres, laudos e atestados, no âmbito das atribuições respectivas; • Exercício do Magistério respeitada a legislação específica; • Desempenho de cargos e funções técnicas, no âmbito das atribuições respectivas; • Ensaios e pesquisas em geral, pesquisas e desenvolvimento de métodos e produtos; • Análises química e físico-química, químico-biológica, bromatológica, toxicológica, biotecnológica e legal, padronização e controle de qualidade. 6. HABILIDADES E COMPETÊNCIAS A proposta curricular aqui apresentada é estruturada de modo a oferecer ao Licenciado em Química uma formação que possibilite o pleno exercício de suas atribuições profissionais. Para isso, é imprescindível que o Químico manifeste ou reflita, na sua prática como profissional e como cidadão, as habilidades pessoais e profissionais básicas descritas a seguir. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 12
  • 14. 6.1. Habilidades e competências relacionadas à sua formação pessoal • Possuir conhecimento sólido e abrangente na área de atuação com domínio das técnicas básicas de utilização de laboratórios, bem como dos procedimentos necessários de primeiros socorros, nos casos dos acidentes mais comuns em laboratórios de Química; • Possuir capacidade crítica para analisar de maneira conveniente os seus próprios conhecimentos; • Assimilar os novos conhecimentos científicos e/ou educacionais e refletir sobre o comportamento ético que a sociedade espera de sua atuação e de suas relações com o contexto cultural, sócio-econômico e político; • Identificar o processo de ensino-aprendizagem como processo humano em construção; • Ter uma visão crítica com relação ao papel social da Ciência, a sua natureza epistemológica, compreendendo o seu processo histórico de construção; • Saber trabalhar em equipe e ter uma boa compreensão das diversas etapas que compõem uma pesquisa educacional; • Ter interesse no auto-aperfeiçoamento contínuo, curiosidade e capacidade para estudos extracurriculares individuais ou em grupo, espírito investigativo, criatividade e iniciativa na busca de soluções para questões individuais e coletivas relacionadas com o ensino de Química, acompanhando as rápidas mudanças tecnológicas oferecidas pela interdisciplinaridade; • Ter interesse em prosseguir seus estudos em cursos de pós-graduação ou em programas de educação continuada; • Ter formação humanística que permita exercer plenamente sua cidadania e, enquanto educador, buscar melhor qualidade de vida para os que serão alvos de suas atividades; • Ter formação pedagógica para exercer a profissão de professor, com conhecimentos em Sociologia e Filosofia da Educação, Planejamento e Avaliação da Educação, Psicologia da Educação, Legislação do Ensino, Metodologia e Prática de Ensino; • Ter habilidades que o capacitem para a preparação e desenvolvimento de recursos didáticos e instrucionais relativos à sua prática e avaliação da qualidade do material disponível no mercado, além de ser preparado para atuar como pesquisador no ensino de Química; • Estar engajado na luta pela cidadania como condição para a construção de uma sociedade justa, democrática e responsável. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 13
  • 15. 6.2. Habilidades e competências relacionadas à compreensão da Química • Compreender os conceitos, leis e princípios da Química; • Conhecer as propriedades físicas e químicas dos principais elementos e compostos, que possibilitem entender e prever o seu comportamento físico-químico, aspectos de reatividade, mecanismos e estabilidade; • Acompanhar e compreender os avanços científico-tecnológicos e educacionais; • Reconhecer a Química como uma construção humana, compreendendo os aspectos históricos de sua produção e suas relações com o contexto cultural, sócio-econômico e político. 6.3. Habilidades e competências relacionadas à busca de informação e à comunicação e expressão • Saber identificar e fazer busca nas fontes de informações relevantes para a Química, inclusive as disponíveis nas modalidades eletrônica e remota que possibilite a contínua atualização técnica, científica, humanística e pedagógica; • Saber interpretar e utilizar as diferentes formas de representação; • Saber escrever e avaliar criticamente os materiais didáticos, como livros, apostilas, modelos, programas computacionais e materiais alternativos; • Demonstrar bom relacionamento interpessoal e saber comunicar corretamente os projetos e resultados de pesquisa na linguagem educacional, oral e escrita; • Ler, compreender e interpretar os textos científico-tecnológicos em idioma pátrio e estrangeiro (especialmente inglês). 6.4. Habilidades e competências relacionadas ao trabalho em Ensino de Química • Refletir de forma crítica a sua prática em sala de aula, identificando problemas de ensinoaprendizagem; • Compreender e avaliar criticamente os aspectos sociais, tecnológicos, ambientais, políticos e éticos relacionados às aplicações da Química na sociedade; • Saber trabalhar em laboratório e saber usar a experimentação em Química como recurso didático; Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 14
  • 16. • Possuir conhecimentos básicos do uso de computadores e sua aplicação em ensino de Química; • Possuir conhecimento dos procedimentos e normas de segurança no trabalho; • Conhecer teorias psicopedagógicas que fundamentam o processo de ensino-aprendizagem, bem como os princípios de planejamento educacional; • Conhecer os fundamentos, a natureza e as principais pesquisas de ensino de Química; • Conhecer e vivenciar projetos e propostas curriculares de ensino de Química; • Ter atitude favorável à incorporação, na sua prática, dos resultados da pesquisa em Ensino de Química, visando solucionar os problemas relacionados ao ensino-aprendizagem. 6.5. Habilidades e competências relacionadas à profissão • Ter consciência da importância social da profissão como possibilidade de desenvolvimento social e coletivo; • Ter capacidade de disseminar e difundir o conhecimento relevante para a comunidade; • Capacidade para atuar no magistério, em nível de ensino fundamental (séries finais) e médio, de acordo com a legislação específica, utilizando metodologia de ensino variada, contribuindo para o desenvolvimento intelectual dos estudantes, despertando o interesse científico; • Exercer a sua profissão com espírito dinâmico e criativo, na busca de novas alternativas educacionais, enfrentando como desafio as dificuldades do magistério; • Conhecer criticamente os problemas educacionais brasileiros; • Identificar no contexto da realidade escolar os fatores determinantes no processo educativo, tais como o contexto sócio-econômico, política educacional e fatores específicos do processo de ensino-aprendizagem de Química; • Assumir conscientemente as tarefas educativas, cumprindo o papel social de preparar os alunos para o exercício consciente da cidadania. 7. PROPOSTA PEDAGÓGICA Os processos formativos em Química possuem imensa carência de linhas de pesquisa na área de Educação. Por isso, a proposição dessa estrutura curricular se estabelece Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 15
  • 17. claramente fundamentada no fato de que um curso voltado para formação de professores deve ser rigoroso, tanto no que se refere aos conteúdos específicos, quanto ao pedagógico, buscando contribuir efetivamente para a formação do cidadão-educador. Na modalidade de Licenciatura em Química, o licenciado receberá ampla formação em matemática, física e química, além das práticas pedagógicas em ensino de química e componentes curriculares da área de ciências humanas, permitindo desta forma que o mesmo possa atuar de modo satisfatório e eficiente nos Ensinos Fundamental (séries finais) e Médio. Com uma formação mais abrangente, o licenciado em química passa a ter consideravelmente mais chances frente ao mercado de trabalho na área de ensino e em outras áreas. As características principais do Curso de Licenciatura em Química fundamentam-se no pressuposto de que o exercício do magistério na educação requer uma formação que contemple o domínio do conteúdo da área em que o futuro docente atuará articulado a outros saberes, habilidades e competências que conduzam à compreensão das diferentes dimensões da atividade educativa e extra-escolar. Em cumprimento à Resolução CNE/CP 2 de 19 de fevereiro de 2002, o projeto pedagógico deve enfatizar os conhecimentos nas áreas de cultura geral e profissional, e de formação. Na área de cultura geral e profissional os conhecimentos serão desenvolvidos na aprendizagem do ser humano, nas dimensões cultural, social e político-econômica da educação. Na área de formação básica serão desenvolvidos os conhecimentos específicos dos conteúdos obrigatórios na formação do futuro docente, abordando os conteúdos ao saber pedagógico, com uma didática integrada à psicologia educacional e voltada à política de ensino na gestão escolar. Em cumprimento ao que determina a resolução CNE/CP 2, de 19 de fevereiro de 2002, o Curso de Licenciatura em Química da UFCG será ofertado com 2880 horas, cursadas em componentes curriculares de caráter básico e profissional (obrigatório), opcional e atividades acadêmico-científico-culturais (complementares), incorporando às 400 horas de prática como componente curricular e às 400 horas de estágio curricular supervisionado. Para efetivação desta proposta é indispensável uma compreensão ampliada da prática que permita perceber sua integralização curricular de diversas formas e com a flexibilidade necessária ao atendimento das especificidades do curso e das peculiaridades dos diferentes tempos e espaços. De acordo com as orientações dos documentos legais que normatizam o tema, a dimensão prática deve ser trabalhada nos diferentes desenhos curriculares a partir de duas perspectivas: o componente curricular e o estágio curricular supervisionado. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 16
  • 18. 7.1. Atividades Práticas Segundo o Art. 12 da Resolução CNE/CP 1/2002 os cursos de formação de professores em nível superior terão a sua duração definida pelo Conselho Pleno, em parecer e resolução específica sobre sua carga horária. A Resolução CNE/CP 2/2002, fundamentada no Art. 12 da Resolução CNE/CP 1/2002, e no Parecer CNE/CP 28/2001, institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores, estabelecendo no inciso I do seu Art. 1º: “400 (quatrocentas) horas de prática como componente curricular, vivenciadas ao logo do curso”. A prática como componente curricular deve estar presente desde o início do curso, vivenciadas através de diferentes situações, dentre as quais: • No interior das áreas ou componentes curriculares, uma vez que todo conhecimento tem uma dimensão teórica e uma prática; • Atividades de observação e reflexão de situações contextualizadas, resolução de problemas, uso de tecnologias de informação, situações simuladas, estudo de casos; • Contatos com diversos tipos de realidades educacionais, buscando familiarizar o futuro professor com a organização, o clima, a rotina, as atividades curriculares, as interrelações, o projeto pedagógico, o planejamento e a avaliação; • Contato com órgãos gestores dos sistemas educacionais e entidades representativas; • Atividades que ofereçam ao aluno subsídios para um tratamento pedagógico para o conteúdo; • Análise de parâmetros curriculares e livros didáticos do ensino fundamental e médio; • Produção de material didático. 7.2. Estágio Curricular Supervisionado O estágio curricular supervisionado de ensino deve se realizar a partir do sexto período do curso diurno e oitavo período do curso noturno, cumprindo um total de 405 horas, é obrigatório e deve ocorrer em escola de Ensino Básico – compreendendo as séries finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. O estágio curricular supervisionado refere-se ao tempo de aprendizagem que, através de um período de permanência, alguém se demora em algum lugar ou ofício para aprender a prática do mesmo e depois poder exercer uma profissão. Assim, o estágio curricular supervisionado supõe uma relação pedagógica entre um Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 17
  • 19. profissional reconhecido em um ambiente institucional de trabalho e um estagiário. O estágio, condição para a obtenção da licença para o exercício da docência, oportuniza a vivência de situações reais em unidades escolares dos sistemas de ensino. É importante que a inserção do futuro professor em seu campo de estágio se dê de forma a preservar a integridade do projeto pedagógico da instituição que o recebe. O estagiário deve assumir efetivamente o papel de professor, testando suas competências por um determinado período. É necessário que haja um regime de colaboração entre a unidade escolar que acolhe o estagiário e a instituição formadora. Deve haver ainda uma contrapartida da Universidade no sentido de oferecer alguma modalidade de formação continuada aos professores das escolas campo de estágio. O estágio supervisionado em Ensino de Química está distribuído da seguinte forma: COMPONENTE CURRICULAR Estágio Supervisionado em Ensino de Química I Estágio Supervisionado em Ensino de Química II Estágio Supervisionado em Ensino de Química III Total CARGA HORÁRIA (h) 90 120 195 405 PERÍODOS DIURNO NOTURNO 6o 7o o 7 8o o 8 9o O Estágio Supervisionado em Ensino de Química I corresponde à observação para o exercício profissional da docência em química em ensino fundamental e médio. Nesse componente, o aluno terá a oportunidade de entrar em contato com a realidade das escolas de ensino básico, analisando e propondo discussões sobre temas relacionados à atividade escolar no que se refere ao ensino e a gestão da educação. O componente Estágio Supervisionado em Ensino de Química II deverá ser realizado por intermédio de atividades de ensino de química em escola de nível fundamental (séries finais). O componente de Estágio Supervisionado em Ensino de Química III, alocado no último período, terá o mesmo enfoque que os componentes anteriores, porém voltados para o ensino de Química no nível médio. Nestes componentes, o aluno será orientado e acompanhado continuamente nas atividades de planejamento pedagógico, elaboração de material didático, bem como na análise das atividades de regência em sala de aula. As atividades dos componentes de Estágio Supervisionado em Ensino de Química deverão ser realizadas em instituições de ensino, preferencialmente públicas municipais ou estaduais. O estudante será supervisionado no exercício efetivo de sua atividade profissional por docentes do Curso de Química, e apresentará ao final de cada estágio um relatório de suas atividades de ensino. Os alunos que exerçam atividades docentes regulares na educação básica poderão, para efeito de integralização curricular da carga horária de Estágio Supervisionado, obter o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 18
  • 20. aproveitamento de até 200 (duzentas) horas em atividade definida pelo supervisor de estágio, conforme Resolução CNE/CP 2/2002, bastando apresentar, além da documentação que comprove a sua atuação, relatório das atividades de regência de ensino. O Estágio Supervisionado será regulamentado por resolução específica do Colegiado do Curso. 7.3. Trabalho de Conclusão de Curso Para a obtenção do título de Licenciado em Química, será exigida a realização de um trabalho de conclusão de curso sob a forma de uma monografia, que será avaliada em sessão pública por uma comissão examinadora composta por três docentes, sendo o orientador o presidente. Todos os membros da comissão examinadora deverão ter, pelo menos, título de mestre. Será considerado aprovado o candidato com média igual ou superior a sete, computadas as notas dos membros da comissão examinadora. O Trabalho de Conclusão de Curso será regulamentado por resolução específica do Colegiado do Curso. 7.4. Atividades Complementares As atividades flexíveis podem ser consideradas como uma inovação curricular, pois além da carga horária em componentes curriculares obrigatórios, o aluno deverá cumprir, no mínimo 200 horas em Atividades Complementares de Graduação (Resolução CNE/CP 2/2002), de natureza acadêmico-científico-culturais, possibilitando a inserção do aluno em distintas situações de aprendizagem. No curso de Licenciatura em Química da UFCG, o aluno deverá cumprir pelo menos 210 horas de atividades acadêmico-científico-culturais, sendo de responsabilidade do aluno fazer, junto à Coordenação do Curso, a solicitação do credenciamento nestas atividades. Para realização dessas atividades, os alunos contam com o Programa de Bolsa de Iniciação Científica do PIBIC-CNPq e Programa de Iniciação à Docência, com orientação dos professores da Unidade Acadêmica de Educação. Além destas, podem ser consideradas como vivências nessa modalidade de estudo-formação, a participação em programas e projetos de extensão, seminários específicos da área de ensino de ciências, oficinas educacionais, congressos, semanas universitárias, dentre outras. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 19
  • 21. Para efeito de efetivação destas atividades complementares flexíveis como componente curricular, adotar-se-á os seguintes critérios: • Para cada oficina de ciência, será concedido um crédito, podendo constar até no máximo duas oficinas; • Cada seminário apresentado, extra-componente curricular, serão concedidos dois créditos, podendo constar no máximo seis seminários; • Para cada palestra ministrada será concedido um crédito, podendo constar até no máximo quatro palestras; • Cada semestre de iniciação científica serão concedidos dois créditos, podendo constar até no máximo dois semestres; • Para cada semestre de monitoria, serão concedidos dois créditos, podendo constar no máximo dois semestres; • Para cada participação em evento científico, será concedido um crédito, podendo constar no máximo até quatro eventos; • Para cada publicação de resumos em anais de eventos científicos, será concedido um crédito, podendo constar no máximo até seis publicações; • Para cada publicação de trabalho completo em anais de eventos científicos, serão concedidos dois créditos, podendo constar no máximo até quatro publicações; • Para cada publicação completa em periódico (nacional ou internacional), serão concedidos dois créditos, podendo constar até no máximo quatro publicações; • Para cada livro didático editado, serão concedidos quatro créditos, podendo constar no máximo dois livros; • Para cada elaboração de material didático será concedido um crédito, podendo constar até no máximo quatro elaborações de material didático; • Para cada visita de natureza científica, será concedido um crédito, podendo constar até no máximo quatro visitas de natureza científica; • Para cada mini-curso, serão concedidos dois créditos, podendo constar no máximo quatro mini-cursos; • Para cada curso de extensão, serão concedidos dois créditos. Para ter direitos aos créditos de que faz jus, o aluno deverá apresentar certificado ou certidão da instituição promotora do evento que ateste a realização da atividade. Ficando a coordenação do curso responsável pela contabilidade desses créditos. As Atividades Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 20
  • 22. Complementares de natureza acadêmico-científico-culturais serão regulamentadas por resolução específica do Colegiado do Curso. 8. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR 8.1. Áreas Curriculares As seguintes áreas curriculares compõem a estrutura do curso de graduação em Licenciatura em Química: Química Geral e Inorgânica; Química Orgânica; Química Analítica; Físico-Química; Ensino de Química; Biologia; Matemática; Física e Educação. 8.2. Estruturação Curricular A estruturação curricular do curso de Licenciatura em Química tem como elementos norteadores legais, as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Química e para os cursos de formação de professores. O Curso de Licenciatura em Química encontra-se estruturado de modo a contemplar componentes curriculares básicos e profissionais (obrigatórios) que priorizam os conteúdos gerais da química, da biologia, da física e da matemática e conhecimentos associados à formação pedagógica com início desde o primeiro período e distribuídos harmonicamente ao longo do curso. A distribuição dos componentes curriculares em básicas e profissionais (obrigatórios), atividades acadêmico-científico-culturais (complementares obrigatórios) e complementares optativos estão distribuídas nos Quadros seguintes. No BÁSICOS E PROFISSIONAIS COMPONENTE CURRICULAR (OBRIGATÓRIOS) C. H. Q01 Química Geral I T 60 P ─ Q02 Introdução à Prática em Ensino de Química 15 Q03 Princípios de Segurança em Laboratórios Q04 Psicologia e Educação Q05 Álgebra Vetorial e Geometria Analítica Q06 Metodologia Científica PRÉÁREA CURRICULAR REQUISITO ─ Química Geral e Inorgânica 30 ─ Ensino de Química 30 ─ ─ Química Analítica 60 ─ ─ Educação 60 ─ ─ Matemática 60 ─ ─ Educação Q07 História da Química 30 ─ ─ Ensino de Química Q08 Química Geral II 60 ─ Q01 Química Geral e Inorgânica Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 21
  • 23. Q09 Legislação da Educação Básica 45 ─ ─ Educação Q10 Pesquisa no Ensino de Química 30 15 Q06 Ensino de Química Q11 Informática Aplicada ao Ensino 15 45 ─ Ensino de Química Q12 Cálculo Diferencial e Integral I 90 ─ ─ Matemática Q13 Inglês Instrumental 60 ─ ─ Educação Q14 Filosofia e Sociologia da Educação 60 ─ ─ Educação Q15 Química Orgânica I 60 ─ Q01 Química Orgânica Q16 Química Experimental ─ 30 Q08 e Q03 Química Geral e Inorgânica Q17 Física Geral e Experimental I 45 15 Q12 Física Q18 Cálculo Diferencial e Integral II 60 ─ Q12 Matemática Q19 Química Inorgânica Descritiva 60 ─ Q08 Química Geral e Inorgânica Q20 Metodologia do Ensino de Química I 15 45 ─ Ensino de Química Q21 Química Inorgânica de Coordenação 60 ─ Q08 Química Geral e Inorgânica Q22 Química Orgânica II 60 ─ Q15 Química Orgânica Q23 Física II 60 ─ Q17 Física Q24 Química Analítica I 60 ─ Q08 Química Analítica Q25 Físico-Química I 60 ─ Q08 Físico-Química Q26 Metodologia do Ensino de Química II 15 45 ─ Ensino de Química Q27 Planejamento em Educação 30 15 Q04 Educação Q28 Estatística Descritiva 60 ─ ─ Matemática Q29 Química Inorgânica Experimental ─ 30 Q21 e Q03 Química Geral e Inorgânica Q30 Química Orgânica Experimental ─ 30 Q22 e Q03 Química Orgânica Q31 Química Analítica II 60 ─ Q24 Química Analítica Q32 Físico-Química II 60 ─ Q25 Físico-Química Q33 Instrumentação no Ensino de Química 15 45 ─ Ensino de Química Q34 Cinética Química 30 ─ Q08 Físico-Química Q35 Estágio Supervisionado em Ensino de Química I ─ 90 Q20 e Q26 Ensino de Química Q36 Química Analítica Experimental ─ 45 Q31 e Q03 Química Analítica Q37 Avaliação e Aprendizagem 30 15 Q04 Educação Q38 Físico-Química Experimental ─ 30 Q32 e Q03 Físico-Química Q39 Língua Brasileira de Sinais 45 15 ─ Educação Q40 Estágio Supervisionado em Ensino de Química II ─ 120 Q35 Ensino de Química Q41 Química Ambiental 30 ─ ─ Química Geral e Inorgânica Q42 Bioquímica Geral 60 ─ Q22 Biologia Q43 Estágio Supervisionado em Ensino de Química III ─ 195 Q40 Ensino de Química Q44 Trabalho de Conclusão de Curso 30 ─ ─ Ensino de Química 1680 855 TOTAL C. H. – Carga Horária; T – Teórica; P - Prática Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 22
  • 24. No COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIOS COMPONENTE CURRICULAR C. H. T Q45 Atividades Acadêmico-Científico-Culturais P PRÉÁREA CURRICULAR REQUISITO 210 TOTAL ─ Variável 210 C. H. – Carga Horária; T – Teórica; P - Prática No COMPLEMENTARES OPTATIVOS COMPONENTE CURRICULAR Q46 Matemática Elementar I C. H. T P 60 ─ ─ Matemática Q47 Mineralogia 45 ─ Q19 Química Geral e Inorgânica Q48 Química do Petróleo 45 ─ Q15 Química Orgânica Q49 Química de Alimentos 45 ─ ─ Química Orgânica Q50 Química Analítica Instrumental 45 ─ Q36 Química Analítica Q51 Fundamentos de Cromatografia 45 ─ Q31 Química Analítica Q52 Espectroscopia de Compostos Orgânicos 45 ─ Q22 Química Orgânica Q53 Análise Térmica 45 ─ Q31 Química Analítica Q54 Polímeros 45 ─ Q15 Química Orgânica Q55 Introdução à Química Quântica 45 ─ Q21 Físico-Química Q56 Ecologia Geral 60 ─ ─ Biologia Q57 Biologia Geral 60 ─ ─ Biologia Q58 Energia de Biomassa 45 ─ ─ Química Analítica Q59 Política e Educação 45 ─ ─ Educação Q60 Ética e Diversidade 45 ─ ─ Educação Q61 Ensino Inclusivo 45 ─ ─ Educação Q62 Profissão Docente 45 ─ ─ Educação Q63 Currículo Educacional 45 ─ ─ Educação Q64 Língua Portuguesa 60 ─ ─ Educação Q65 Gerenciamento de Resíduos 45 ─ ─ Química Analítica Q66 Introdução a Espectroscopia 45 ─ Q21 Físico-Química Q67 Química Inorgânica Avançada 60 ─ Q21 Química Geral e Inorgânica Q68 Tópicos Especiais em Química 45 ─ Q08 Variável TOTAL EXIGIDO PRÉÁREA CURRICULAR REQUISITO 135 C. H. – Carga Horária; T – Teórica; P - Prática 8.3. Orientação para Integralização Curricular O curso de licenciatura em Química no turno diurno tem o seguinte esquema de integralização curricular. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 23
  • 25. 1o PERÍODO No Q01 Q02 Q03 Q04 Q05 Q06 Q07 COMPONENTE CURRICULAR Química Geral I Introdução à Prática em Ensino de Química Princípios de Segurança em Laboratórios Psicologia e Educação Álgebra Vetorial e Geometria Analítica Metodologia Científica História da Química Total da Carga Horária CRÉDITOS 04 03 02 04 04 04 02 23 HORAS 60 45 30 60 60 60 30 345 PRÉ-REQUISITO        CRÉDITOS 04 03 03 04 06 04 24 HORAS 60 45 45 60 90 60 360 PRÉ-REQUISITO Q01  Q06    CRÉDITOS 04 04 02 04 04 04 22 HORAS 60 60 30 60 60 60 330 PRÉ-REQUISITO  Q01 Q08 e Q03 Q12 Q12 Q08 CRÉDITOS 04 04 04 04 04 04 24 HORAS 60 60 60 60 60 60 360 PRÉ-REQUISITO  Q08 Q15 Q17 Q08 Q08 2o PERÍODO No Q08 Q09 Q10 Q11 Q12 Q13 COMPONENTE CURRICULAR Química Geral II Legislação da Educação Básica Pesquisa no Ensino de Química Informática Aplicada ao Ensino Cálculo Diferencial e Integral I Inglês Instrumental Total da Carga Horária 3o PERÍODO No Q14 Q15 Q16 Q17 Q18 Q19 COMPONENTE CURRICULAR Filosofia e Sociologia da Educação Química Orgânica I Química Experimental Física Geral e Experimental I Cálculo Diferencial e Integral II Química Inorgânica Descritiva Total da Carga Horária 4o PERÍODO No Q20 Q21 Q22 Q23 Q24 Q25 COMPONENTE CURRICULAR Metodologia do Ensino de Química I Química Inorgânica de Coordenação Química Orgânica II Física II Química Analítica I Físico-Química I Total da Carga Horária Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 24
  • 26. 5o PERÍODO No Q26 Q27 Q28 Q29 Q30 Q31 Q32 COMPONENTE CURRICULAR Metodologia do Ensino de Química II Planejamento em Educação Estatística Descritiva Química Inorgânica Experimental Química Orgânica Experimental Química Analítica II Físico-Química II Total da Carga Horária CRÉDITOS 04 03 04 02 02 04 04 23 HORAS 60 45 60 30 30 60 60 345 PRÉ-REQUISITO  Q04  Q21 e Q03 Q22 e Q03 Q24 Q25 CRÉDITOS 04 02 06 HORAS 60 30 90 PRÉ-REQUISITO  Q08 Q20 e Q26 03 03 02 03 23 45 45 30 45 345 Q31 e Q03 Q04 Q32 e Q03 Variável CRÉDITOS 04 08 HORAS 60 120 PRÉ-REQUISITO  Q35 02 04 03 21 30 60 45 315  Q22 Variável CRÉDITOS 13 HORAS 195 PRÉ-REQUISITO Q40 02 03 18 30 45 270  Variável 6o PERÍODO No COMPONENTE CURRICULAR Q33 Instrumentação no Ensino de Química Q34 Cinética Química Q35 Estágio Supervisionado em Ensino de Química I Q36 Química Analítica Experimental Q37 Avaliação e Aprendizagem Q38 Físico-Química Experimental Optativa I Total da Carga Horária 7o PERÍODO No COMPONENTE CURRICULAR Q39 Língua Brasileira de Sinais Q40 Estágio Supervisionado em Ensino de Química II Q41 Química Ambiental Q42 Bioquímica Geral Optativa II Total da Carga Horária 8o PERÍODO No COMPONENTE CURRICULAR Q43 Estágio Supervisionado em Ensino de Química III Q44 Trabalho de Conclusão de Curso Optativa III Total da Carga Horária DURANTE TODOS OS PERÍODOS COM APROVEITAMENTO NO FINAL DO CURSO No COMPONENTE CURRICULAR CRÉDITOS HORAS PRÉ-REQUISITO Q45 Atividades Acadêmico-Científico-Culturais 14 210  Total da Carga Horária 14 210 O curso de Licenciatura em Química no turno noturno tem o seguinte esquema de integralização curricular. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 25
  • 27. 1o PERÍODO No Q01 Q02 Q03 Q05 Q06 Q09 COMPONENTE CURRICULAR Química Geral I Introdução à Prática em Ensino de Química Princípios de Segurança em Laboratórios Álgebra Vetorial e Geometria Analítica Metodologia Científica Legislação da Educação Básica Total da Carga Horária CRÉDITOS 04 03 02 04 04 03 20 HORAS 60 45 30 60 60 45 300 PRÉ-REQUISITO       CRÉDITOS 04 02 04 04 06 20 HORAS 60 30 60 60 90 300 PRÉ-REQUISITO   Q01   CRÉDITOS 03 04 04 02 04 03 20 HORAS 45 60 60 30 60 45 300 PRÉ-REQUISITO Q06  Q01 Q08 e Q03 Q12 Q04 CRÉDITOS 04 04 04 04 04 20 HORAS 60 60 60 60 60 300 PRÉ-REQUISITO  Q12 Q08  Q15 CRÉDITOS 04 04 04 04 02 02 20 HORAS 60 60 60 60 30 30 300 PRÉ-REQUISITO Q08 Q17 Q08  Q22 e Q03  2o PERÍODO No Q04 Q07 Q08 Q11 Q12 COMPONENTE CURRICULAR Psicologia e Educação História da Química Química Geral II Informática Aplicada ao Ensino Cálculo Diferencial e Integral I Total da Carga Horária 3o PERÍODO No Q10 Q13 Q15 Q16 Q18 Q27 COMPONENTE CURRICULAR Pesquisa no Ensino de Química Inglês Instrumental Química Orgânica I Química Experimental Cálculo Diferencial e Integral II Planejamento em Educação Total da Carga Horária 4o PERÍODO No Q14 Q17 Q19 Q20 Q22 COMPONENTE CURRICULAR Filosofia e Sociologia da Educação Física Geral e Experimental I Química Inorgânica Descritiva Metodologia do Ensino de Química I Química Orgânica II Total da Carga Horária 5o PERÍODO No Q21 Q23 Q24 Q26 Q30 Q41 COMPONENTE CURRICULAR Química Inorgânica de Coordenação Física II Química Analítica I Metodologia do Ensino de Química II Química Orgânica Experimental Química Ambiental Total da Carga Horária Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 26
  • 28. 6o PERÍODO No Q25 Q28 Q29 Q31 Q37 COMPONENTE CURRICULAR Físico-Química I Estatística Descritiva Química Inorgânica Experimental Química Analítica II Avaliação e Aprendizagem Optativa I Total da Carga Horária CRÉDITOS 04 04 02 04 03 03 20 HORAS 60 60 30 60 45 45 300 PRÉ-REQUISITO Q08  Q21 e Q03 Q24 Q04 Variável CRÉDITOS HORAS 04 60 04 60 06 90 PRÉ-REQUISITO Q25  Q20 e Q26 7o PERÍODO No Q32 Q33 Q35 Q36 COMPONENTE CURRICULAR Físico-Química II Instrumentação no Ensino de Química Estágio Supervisionado em Ensino de Química I Química Analítica Experimental Optativa II Total da Carga Horária 03 03 20 45 45 300 Q31 e Q03 Variável CRÉDITOS 02 02 04 08 HORAS 30 30 60 120 PRÉ-REQUISITO Q08 Q32 e Q03  Q35 04 20 60 300 Q22 8o PERÍODO No Q34 Q38 Q39 Q40 Q42 COMPONENTE CURRICULAR Cinética Química Físico-Química Experimental Língua Brasileira de Sinais Estágio Supervisionado em Ensino de Química II Bioquímica Geral Total da Carga Horária 9o PERÍODO No Q43 Q44 COMPONENTE CURRICULAR Estágio Supervisionado em Ensino de Química III Trabalho de Conclusão de Curso Optativa III Total da Carga Horária CRÉDITOS HORAS PRÉ-REQUISITO 13 195 Q40 02 03 18 30 45 270  Variável DURANTE TODOS OS PERÍODOS COM APROVEITAMENTO NO FINAL DO CURSO No COMPONENTE CURRICULAR CRÉDITOS HORAS PRÉ-REQUISITO Q45 Atividades Acadêmico-Científico-Culturais 14 210  Total da Carga Horária 14 210 O curso de licenciatura em Química nos turnos diurno e noturno tem os seguintes fluxogramas de integralização curricular. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 27
  • 29. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE – UFCG CENTRO DE EDUCAÇÃO E SAÚDE – CES UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO FLUXOGRAMA DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA – DIURNO 1o PERÍODO 2o PERÍODO 3o PERÍODO 4o PERÍODO 5o PERÍODO 6o PERÍODO 7o PERÍODO 8o PERÍODO Q01 04 Química Geral I Q08 04 Química Geral II Q14 04 Filosofia e Sociologia da Educação Q20 04 Metodologia do Ensino de Química I Q26 04 Metodologia do Ensino de Química II Q33 04 Instrumentação no Ensino de Química Q39 04 Língua Brasileira de Sinais Q15 04 Química Orgânica I Q21 04 Química Inorgânica de Coordenação Q08 Q22 04 Química Orgânica II Q27 03 Planejamento em Educação Q04 Q28 04 Estatística Descritiva Q34 02 Cinética Química Q40 08 Estágio Superv. em Ensino de Química II Q35 Q41 02 Química Ambiental Q43 13 Estágio Superv. em Ensino Química III Q40 Q44 02 Trabalho de Conclusão Curso Q01 Q02 03 Introd. a Prática em Ensino de Química Q09 03 Legislação da Educação Básica Q01 Q03 02 Princípios de Segurança em Laboratórios Q04 04 Psicologia e Educação Q10 03 Pesquisa no Ensino de Química Q06 Q11 04 Informática Aplicada ao Ensino Q05 04 Álgebra Vetorial e Geometria Analítica Q12 06 Cálculo Diferencial e Integral I Q06 Q13 04 Inglês Instrumental 04 Metodologia Científica Q16 02 Química Experimental Q08/Q03 Q17 04 Física Geral e Experimental I Q12 Q18 04 Cálculo Diferencial e Integral II Q12 Q19 04 Química Inorgânica Descritiva Q08 Q07 02 História da Química Q15 Q23 04 Física II Q17 Q24 04 Química Analítica I Q08 Q25 04 Físico-Química I Q08 Q29 02 Química Inorgânica Experimental Q21/Q03 Q30 02 Química Orgânica Experimental Q22/Q03 Q31 04 Química Analítica II Q24 Q32 04 Físico-Química II Q08 Q35 06 Estágio Superv. em Ensino de Química I Q20/Q26 Q36 03 Química Analítica Experimental Q31/Q03 Q37 03 Avaliação e Aprendizagem Q04 Q38 02 Físico-Química Experimental Q32/Q03 03 Optativa I 03 Optativa III Q42 04 Bioquímica Geral Q22 03 Optativa II Q25 Q45 14 Atividades acadêmico-científico-culturais Código Créditos Componente Curricular Pré-requisito Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 28
  • 30. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE – UFCG CENTRO DE EDUCAÇÃO E SAÚDE – CES UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO FLUXOGRAMA DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA – NOTURNO 1o PERÍODO 2o PERÍODO 3o PERÍODO Q01 04 Química Geral I Q04 04 Psicologia e Educação Q10 03 Pesquisa no Ensino de Química Q06 Q13 04 Inglês Instrumental Q02 03 Introd. a Prática em Ensino de Química Q03 02 Princípios de Segurança em Laboratórios Q05 04 Álgebra Vetorial e Geom. Analítica Q06 04 Metodologia Científica Q09 03 Legislação da Educação Básica Q07 02 História da Química Q08 04 Química Geral II Q01 Q11 04 Informática Aplicada ao Ensino Q12 06 Cálculo Diferencial e Integral I Q15 04 Química Orgânica I Q01 Q16 02 Química Experimental Q08/Q03 Q18 04 Cálc. Diferencial e Integral II 12 Q27 03 Planejamento em Educação Q04 Q45 4o PERÍODO Q14 04 Filosofia e Sociologia da Educação Q17 04 Física Geral e Experimental I Q12 Q19 04 Quím. Inorgânica Descritiva Q08 Q20 04 Metodologia do Ens. de Química I Q22 04 Química Orgânica II Q15 5o PERÍODO 6o PERÍODO 7o PERÍODO 8o PERÍODO 9o PERÍODO Q21 04 Quím. Inorgânica de Coordenação Q08 Q23 04 Física II Q25 04 Físico-Química I Q32 04 Físico-Química II Q34 02 Cinética Química Q08 Q25 Q08 Q28 04 Estatística Descritiva Q33 04 Instrumentação no Ens. de Química Q29 02 Química Inorg. Experimental Q21/Q03 Q31 04 Química Analítica II Q24 Q37 03 Avaliação e Aprendizagem Q04 03 Optativa I Q35 06 Estágio Superv. em Ens. Química I Q20/Q26 Q36 03 Quím. Analítica Experimental Q31/Q03 03 Optativa II Q38 02 Físico-Química Experimental Q32/Q03 Q39 04 Língua Brasileira de Sinais Q43 13 Estágio Superv. Ens. Química III Q40 Q44 02 Trabalho de Conclusão de Curso 03 Optativa III Q17 Q24 04 Química Analítica I Q08 Q26 04 Metodologia do Ens. de Química II Q30 02 Quím. Orgânica Experimental Q22/Q03 Q41 02 Química Ambiental Q40 08 Estágio Superv. Ens. Química II Q35 Q42 04 Bioquímica Geral Q22 14 Atividades acadêmico-científico-culturais Código Créditos Componente Curricular Pré-requisito Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 29
  • 31. 8.4. Ementas As ementas dos componentes curriculares básicos e profissionais, complementares e optativos encontram-se listados nos quadros seguintes. 8.4.1. Componentes Curriculares Básicos e Profissionais (Obrigatórios) COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA GERAL I CARGA HORÁRIA: 60 H CRÉDITOS: 04 ÁREA CURRICULAR: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA No Q01 PRÉ-REQUISITO: NENHUM NATUREZA: OBRIGATÓRIA OBJETIVO: Discutir a utilização de modelos na construção do conhecimento na ciência Química. EMENTA: Matéria e sua composição. Estrutura do átomo. Classificação periódica dos elementos e Propriedades. Ligações químicas. Teorias de Ligação e Geometria Molecular. Estados de Agregação da Matéria: Estudo dos gases, interações intermoleculares em sólidos e líquidos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ATKINS, P.; JONES, L. Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3.ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. BROWN,T. L. Química – a ciência central. 9. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BRADY, J. E.; HUMISTON, G. E. Química Geral. 2.ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999. Vol. 1. e 2. BRADY, J.E.; RUSSEL, J.W., HOLUM, J. R. Química – a matéria e suas transformações. 3.ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Vol. 1 e 2. EBBING, D. Química Geral. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999. Vol. 1. e 2. KOTZ, J.C.; TREICHEL, P. Química e Reações Químicas. 2.ed. Rio de Janeiro: Thomson Learning, 2005. Vol. 1. e 2. MAHAN, M. Química Um Curso Universitário. 4.ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2000. COMPONENTE CURRICULAR: INTRODUÇÃO À PRÁTICA EM ENSINO DE QUÍMICA No Q02 CARGA HORÁRIA: 45 H CRÉDITOS: 03 PRÉ-REQUISITO: NENHUM ÁREA CURRICULAR: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA OBJETIVO: Proporcionar o conhecimento das diversas áreas da química, contemplando aspectos históricos, tendências atuais, seus diferentes campos de estudo e perspectivas. EMENTA: Aspectos da evolução da ciência e sua influência no desenvolvimento da Química Moderna. A química e o papel do químico. Legislação do profissional da química. Caracterização do curso de Licenciatura em Química. O educador em química: aspectos do trabalho docente. Prática de ensino. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHAGAS, A. P. Como se Faz Química. 2.ed. Campinas: UNICAMP, 2006. CHRISPINO, Á. O Que é Química. São Paulo: Brasiliense, 1995. FARIAS, R. F. Química, Ensino e Cidadania – Pequeno Manual para Professores e Estudantes de Prática de Ensino. São Paulo: Ieditora, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ARTIGOS CIENTÍFICOS DAS REVISTAS: Journal of Chemical Education, Enseñanza de las Ciencias, Journal of Research in Science Teaching, Química Nova, Química Nova na Escola, Education in Chemistry. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 30
  • 32. COMPONENTE CURRICULAR: PRINCÍPIOS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS No Q03 CARGA HORÁRIA: 30 H CRÉDITOS: 02 PRÉ-REQUISITO: NENHUM ÁREA CURRICULAR: QUÍMICA ANALÍTICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA OBJETIVO: Desenvolver no aluno uma visão ampla dos princípios de segurança no âmbito do trabalho em laboratório e suas relações com outras áreas e contextos experimentais. EMENTA: Segurança do trabalho. Acidentes de trabalho. Legislação de segurança do trabalho. Riscos de segurança. Procedimentos de primeiros socorros. O trabalho experimental de laboratório. Manuais de segurança. Operações no laboratório. Noções de projetos e gerenciamento de laboratórios. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CARVALHO, P. R. Boas Práticas Químicas em Biossegurança. Rio de Janeiro: Interciência, 1999. CIENFUEGOS, F. Segurança no Laboratório. Rio de Janeiro: Interciência, 2001. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BESLER, K.; NEDER, A. V. F. Química em Tubos de Ensaio – Uma Abordagem para Principiantes. São Paulo: Edgard Blücher, 2003. Manuais de legislação Atlas: Segurança e Medicina do Trabalho. 59. ed. São Paulo: Atlas, 2006. PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO Q04 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Refletir a respeito do âmbito psicológico do processo pedagógico, suas dimensões e especificidades a partir da análise das principais abordagens teóricas do campo da Psicologia. EMENTA: Educação como processo social e tendências pedagógicas. Desenvolvimento humano (infância, adolescência, jovem e adulto) e aprendizagem. Aspectos psicológicos da relação pedagógica e mitos do fracasso escolar: diferenças individuais, ideologia e contexto sócio-econômico e histórico. Temas atuais em desenvolvimento humano e implicações para a educação. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALVES, N. Formação de Professores: pensar e fazer. São Paulo, Cortez, 1996. BEE, H. A Criança em Desenvolvimento. 3. ed. São Paulo: Harbra, 1989. CAMPOS, D. M. S. Psicologia da Aprendizagem. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 1985. MIZUKAMI, M. G. M. Ensino: as Abordagens do Processo. São Paulo: EPU, 1986. MOYSÉS, L. Aplicações de Vygotsky à Educação Matemática. Campinas: Papirus, 1997. TANAMACHI, E. Psicologia e Educação: desafios teórico-práticos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000. VYGOTSKY, L. S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR CARRAHER, T. Na Vida Dez, na Escola Zero. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2006. LEONTIEV, A. O Desenvolvimento do Psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978. PIAGET, J. O Nascimento da Inteligência na Criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1980. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 31
  • 33. COMPONENTE CURRICULAR: ÁLGEBRA VETORIAL E GEOMETRIA ANALÍTICA No Q05 CARGA HORÁRIA: 60 H CRÉDITOS: 04 PRÉ-REQUISITO: NENHUM ÁREA CURRICULAR: MATEMÁTICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA OBJETIVO: Capacitar os alunos para a resolução de problemas da geometria plana e espacial usando o método analítico. EMENTA: Álgebra de vetores no plano e no espaço tridimensional. Retas. Planos. Cônicas e quádricas. Sistemas de coordenadas polares, cilíndricas e esféricas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CAMARGO, I.; BOULOS, P. Geometria Analítica. 3. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. LIMA, E. L. Geometria Analítica e Álgebra Linear. Rio de Janeiro: IMPA, 2001. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR REIS, G. L. Geometria Analítica. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1996. METODOLOGIA CIENTÍFICA Q06 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Instrumentalizar os alunos para a iniciação da pesquisa, propondo um estudo sobre os aspectos que envolvem esse processo, desde a utilização das técnicas de pesquisa até a elaboração do Projeto de Pesquisa. EMENTA: O problema metodológico da Pesquisa. Comunicação e conhecimento científico. O fenômeno da observação. O projeto de pesquisa. Pesquisa bibliográfica, pesquisa descritiva e pesquisa experimental. O problema. A Hipótese. A Amostragem. Coleta, análise e interpretação de dados. Pesquisa e trabalho científico. A construção dos instrumentos de pesquisa. Elaboração do relatório de pesquisa. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALVES, Rubem. Filosofia da Ciência: Introdução ao jogo e suas regras. 13 ed. São Paulo: Brasiliense, 1990. BERVIAN, P. A., CERVO, A. L. Metodologia Científica. 4. ed. Makron Books, 1996. GIL, Antonio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social . São Paulo: Atlas, 1999. HESSEN, J. Teoria do Conhecimento. São Paulo: Martins Fontes, 1999. LAKATOS, E. M., MARCONI, M. A. Metodologia Científica. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1991. LAKATOS, E. M., MARCONI, M. A. Metodologia do Trabalho Científico. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1995. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR MACHADO, R.Ciência e Saber. A Trajetória da Arqueologia de Foucault. 2. ed. São Paulo: Graal, 1988. REY, L. Planejar e Redigir Trabalhos Científicos. 2. ed. São Paulo: Edgar Blücher, 1993. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 32
  • 34. HISTÓRIA DA QUÍMICA Q07 COMPONENTE CURRICULAR: No 30 H 02 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Apresentar o desenvolvimento dos conceitos de Química em uma visão histórico-educacional. EMENTA: Aspectos histórico-filosóficos da ciência. Abordagem epistemológica da história da Química, com ênfase nos principais conceitos químicos. Análise no valor pedagógico e do significado cultural da história da Química na perspectiva do ensino médio de Química. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHASSOT, A. A Ciência Através dos Tempos. São Paulo: Moderna, 1994. FARIAS, R. F. Para Gostar de Ler a História da Química. São Paulo: Átomo, 2004. Vol. 1 FARIAS, R. F. Para Gostar de Ler a História da Química. São Paulo: Átomo, 2005. Vol. 2 e 3. MAAR, J. H. Pequena História da Química. Florianópolis: Papa Livros, 1999. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR VIDAL, B. História da Química. Lisboa: Edições 70, 1995. BENSAUDE-VICENT, B.; STENGERS, I. História da Química. Lisboa: Instituto Piaget, 1992. COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA GERAL II No Q08 60 H 04 Q01 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Desenvolver os aspectos qualitativos e quantitativos envolvendo as transformações químicas. EMENTA: Reações Químicas. Cálculos Químicos e Estequiometria. Soluções e Propriedades Coligativas. Termodinâmica das Reações Químicas. Noções de Cinética Química. Equilíbrio Químico. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ATKINS, P.; JONES, L. Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. BROWN, T. L. Química – a ciência central. 9. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. EBBING, D. Química Geral. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999. Vol. 1. e 2. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BRADY, J. E.; HUMISTON, G. E. Química Geral. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999. Vol. 1. e 2. BRADY, J.E.; RUSSEL, J.W., HOLUM, J. R. Química – a matéria e suas transformações. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Vol. 1. BRADY, J.E.; RUSSEL, J.W.; HOLUM, J. R. Química – a matéria e suas transformações. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2002. Vol. 2. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 33
  • 35. LEGISLAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA Q20 COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Identificar a educação básica e seus condicionantes políticos na legalidade do sistema educacional. EMENTA: Princípios de Direito e Legislação. Políticas públicas e legislação da educação. O público e o privado no sistema educacional. Organização, financiamento e funcionamento da educação básica. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CURY, C. R. J. Legislação Educacional Brasileira. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. DOURADO, L. F. Financiamento da Educação Básica. Campinas: Autores Associados, 1999. FARENZA, N. A Política de Financiamento da Educação Básica. Porto Alegre: UFRGS, 2006. MENESES, J. G. C. Estrutura e Funcionamento da Educação Básica. São Paulo: Thomson Pioneira, 2001. OLIVEIRA, D. A. Educação Básica. Petrópolis: Vozes, 2000. OLIVEIRA, R. P. Gestão, Financiamento e Direito à Educação. São Paulo: Xamã, 2002. ZIBAS, D. Ensino Médio e a Reforma da Educação Básica. Brasília: Plano, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BRZEZINSKI, I. LDB Interpretada: diversos olhares se entrecruzam. São Paulo: Cortez, 1997. PESQUISA NO ENSINO DE QUÍMICA COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q06 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q10 OBJETIVO: Proporcionar o conhecimento das diversas áreas da pesquisa em Ensino de Química, contemplando aspectos históricos, tendências atuais, seus diferentes campos de estudo e perspectivas. EMENTA: Questões epistemológicas e metodológicas ligadas à natureza da investigação em Ensino de Química. A lógica do processo de investigação. Estrutura dos projetos de investigação. Análise global das fases do processo de elaboração de um projeto de investigação em Ensino de Química. As formalidades nos projetos de investigação. Mediação interdisciplinar na construção de um Projeto de Ensino de Química. Concepção, elaboração e produção de trabalhos científicos em Ensino de Química. BIBLIOGRAFIA BÁSICA GONSALVES, E. P. Conversas Sobre Iniciação à Pesquisa Científica. Campinas: Alínea, 2001 SEABRA, G. F. Pesquisa Científica: o método em questão. Brasília: Editora da UnB, 2001. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ECO, U. Como se faz uma Tese. 18. ed. São Paulo: Perspectiva, 2002. ISKANDAR, J. I. Normas da ABNT - Comentadas para Trabalhos Científicos. Curitiba: Juruá, 2004. LAVILLE, C.; DIONNE, J. A Construção do Saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas / UFMG, 1999. MARQUES, M. O. Escrever é Preciso: o princípio da pesquisa. 4. ed. Ijuí: Editora da Unijuí, 2003. ARTIGOS CIENTÍFICOS DAS REVISTAS: Journal of Chemical Education, Journal of Research in Science Teaching, Química Nova, Química Nova na Escola, Education in Chemistry, Science Education. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 34
  • 36. INFORMÁTICA APLICADA AO ENSINO Q11 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Conhecer conceitos básicos, terminologias e as principais tecnologias da Informática que podem ser utilizadas pelo professor na elaboração e exposição de conteúdos de ensino. EMENTA: Apresentação dos componentes de um computador: Hardware e Software. Arquitetura e funcionamento do computador. Internet. Utilização de computadores no processo de ensino. O computador como máquina de ensinar. O computador como ferramenta educacional. Laboratório eletrônico de ensino. Utilização da telemática como forma de aquisição e disseminação do conhecimento. Prática de Ensino. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CAPRON, H. L.; JOHNSON, J. A. Introdução à Informática. 8. ed. São Paulo: Pearson/Prentice Hall, 2004. LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999. VALENTE, J. A. Computadores e Conhecimento: Repensando a Educação. Campinas: UNICAMP, 1993. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR LÉVY, P. As Tecnologias da Inteligência – O Futuro do Pensamento na Era da Informática. São Paulo: Editora 34, 1995. MEYER, M.; BABER, R.; PFAFFENBERGER, B. O Nosso Futuro e o Computador. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2000. CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I Q12 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: MATEMÁTICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Desenvolver a habilidade de calcular e adquirir a compreensão intuitiva dos problemas, apresentando ao aluno as primeiras aplicações do calculo diferencial associado a noção de derivada e aos problemas de integração. EMENTA: O conceito de função e suas representações. Funções de uma variável real: Limite e continuidade. Diferenciação. Aplicações de Derivada. Integral Indefinida. Integral Definida. Teorema Fundamental do Cálculo. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ÁVILA, G. Cálculo das funções de uma variável. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2003. GUIDORIZZI, H. L. Um Curso de Cálculo. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. THOMAS, G. B. Cálculo. 10. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2005. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR STEWART, J. Cálculo. 5. ed. São Paulo: Adison Wesley, 2002. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 35
  • 37. INGLÊS INSTRUMENTAL Q13 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Desenvolver nos alunos a habilidade de compreender textos escritos em Língua Inglesa. EMENTA: Leitura crítica de gêneros textuais autênticos das esferas jornalística e acadêmica. Análise da estruturação argumentativa do discurso e das estruturas lingüístico - textuais que compõem os diversos gêneros. Estratégias interpretativas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA OLIVEIRA, E. On the road to reading comprehension. João Pessoa: CCHLA/ UFPB, 1998. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR LONGMAN DICIONÁRIO ESCOLAR – Inglês- Português/ Português-Inglês. São Paulo: Longman, 2002. LONGMAN GRAMÁTICA ESCOLAR DA LÌNGUA INGLESA. São Paulo: Longman, 2004. COMPONENTE CURRICULAR: FILOSOFIA E SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO No CARGA HORÁRIA: 60 H CRÉDITOS: 04 PRÉ-REQUISITO: NENHUM ÁREA CURRICULAR: EDUCAÇÃO NATUREZA: OBRIGATÓRIA Q14 OBJETIVOS: Desenvolver uma discussão crítica acerca dos conceitos fundamentais da filosofia e da sociologia. EMENTA: O papel do conhecimento filosófico e sociológico na atividade do educador. Conceitos. Filosofia e o conhecimento, as correntes filosóficas do conhecimento. Sociologia como ciência. Objeto, características, métodos e histórico da sociologia. Sociologia e sociedade de classes. Enfoque teórico em sociologia da educação. Nova sociologia da educação. A problemática contemporânea. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALVES, R. Filosofia da Ciência: introdução ao jogo e suas regras. São Paulo: Brasiliense, 1981. BASTIDE, R. Sociologia e Psicanálise. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1974. BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. A Construção Social da Realidade. Petrópolis: Vozes, 1983. COULSON, M.; RIDDELL, D. Introdução Crítica à Sociologia. Rio de Janeiro: Zahar, 1979. DA MATTA, R. Explorações: ensaios de sociologia interpretativa. Rio de janeiro: Rocco, 1986. KAUFMANN, F. Metodologia das Ciências Sociais. São Paulo: Francisco Alves, [s.a]. LAPLANTINE, F. Aprender Antropologia. São Paulo: Brasiliense, 1987. LOWY, M. Ideologia e Ciência Social. São Paulo: Cortez, 1985. MARTINS, C. B. O que é Sociologia. São Paulo: Brasiliense, 1985. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BRANDÃO, C. R. O que é o método Paulo Freire. São Paulo: Brasiliense, 1983. CALDAS, W. Cultura. Rio de Janeiro: Global, 1989. ROMÃO, J. E. Poder Local e Educação. São Paulo: Cortez, 1992. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 36
  • 38. QUÍMICA ORGÂNICA I COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q01 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q15 OBJETIVO: Introduzir conhecimentos fundamentais da Química Orgânica Clássica a partir do estudo das várias classes de compostos, relacionando estruturas moleculares às propriedades e à reatividade química pela compreensão dos mecanismos de reação. EMENTA: História da Química Orgânica. Valência e tipos de ligações. Teoria de Kössel-Langmuir. Propriedades físicas. Moléculas orgânicas. Fundamentos de estereoquímica. Moléculas quirais. Isomeria óptica. Quiralidade. Enantiômeros. Ressonância. Ligações localizadas e deslocalizadas. Caráter aromático. Noções das principais funções orgânicas: Definição, estrutura, classificação, notação, nomenclatura, ocorrência, preparação, propriedades físicas, químicas, comportamento químico. BIBLIOGRAFIA BÁSICA SOLOMONS, T. W. G.; FRYHLE, C. B. Química Orgânica. 8. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2005. Vol.1 e 2. VOLHARD, K. P.; SCHORE, N. E. Química Orgânica: Estrutura e Função. São Paulo: Bookman, 2004 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ALLINGER, N. L. Química Orgânica. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1976. MCMURRY, J. Química Orgânica. 6. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2005. Vol. 1 e 2 BRUICE, P. Y. Química Orgânica. 4. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006. Vol. 1 e 2. MORRISON, R. T.; BOYD, R. N. Química Orgânica. 13. ed. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1996. QUÍMICA EXPERIMENTAL Q16 COMPONENTE CURRICULAR: No 30 H 02 Q08 e Q03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Desenvolver no aluno a capacidade de observação e interpretação de fenômenos químicos através da realização de experimentos. EMENTA: Materiais de Laboratório. Operações de laboratório. Técnicas Básicas: Pesagem, Medição de Volumes, Dissolução, Filtração, Destilação, Titulação, Preparação de soluções. Realização de experimentos sobre temas que reforcem o aprendizado de conceitos fundamentais de Química, tais como: reações químicas, ácidos e bases, oxidação e redução, equilíbrio químico, cinética química. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALMEIDA, P.G. V. Química Geral: Práticas Fundamentais. Viçosa: Editora UFV, 2005. SZPOGANICZ, B.; DEBACHER, N.A.; STADLER, E. Experiências de Química Geral. Florianópolis: UFSC, 2001. MORITA, T.; ASSUMPÇÃO, R. M. V. Manual de Soluções, Reagentes e Solventes: Padronização, Preparação e Purificação. São Paulo: Edgard Blücher, 1972. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ATKINS, P.; JONES, L. Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. KOTZ, J.C.; TREICHEL, P. Química e Reações Químicas. 2.ed. Rio de Janeiro: Thomson Learning, 2005. Vol. 1. e 2. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 37
  • 39. FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I COMPONENTE CURRICULAR: CARGA HORÁRIA: 60 H 04 CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: FÍSICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: No Q17 Q12 OBJETIVO: Identificar e compreender os fenômenos físicos relacionados aos princípios básicos da Mecânica. EMENTA: Cinemática da partícula: Movimento no Plano e no Espaço. Dinâmica da Partícula: Leis de Newton. Trabalho e Energia. Leis de Conservação: Energia, Momento Linear e Momento Angular. Prática Experimental em Mecânica. BIBLIOGRAFIA BÁSICA KELLER, F. J.; GETTYS, W. E.; STOVE, M. J. Física. São Paulo: Makron Books, 1997. Vol. 1. RESNICK, R; HALLIDAY, D.; WALKER, J. Fundamentos de Física: Mecânica. Rio de Janeiro:LTC, 2003. NUSSENZVEIG H. M. Curso de Física Básica: Mecânica. São Paulo: Edgard Blücher, 2002. Vol. 1. SEARS, F; ZEMANSKY, M.W; YOUNG, H.D. Física 1: Mecânica. Boston: Addison Wesley, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR TIPLER, P. A. Física para Cientistas e Engenheiros. Mecânica. Rio de Janeiro: LTC, 1995. Vol. 1. CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q12 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: MATEMÁTICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q18 OBJETIVO: Proporcionar ao aluno o trabalho com aplicações da integral. EMENTA: Aplicações da Integral Definida. Funções Transcendentes Elementares. Técnicas de Integração. Formas Indeterminadas. Integrais Impróprias. Séries de Taylor e de Maclaurin. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ÁVILA, G. Cálculo das funções de uma variável. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2003. GUIDORIZZI, H. L. Um Curso de Cálculo. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. THOMAS, G. B. Cálculo. 10. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2005. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR STEWART, J. Cálculo. 5. ed. São Paulo: Adison Wesley, 2002. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 38
  • 40. QUÍMICA INORGÂNICA DESCRITIVA Q19 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q08 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Fornecer uma abordagem descritiva sobre as propriedades físicas e químicas dos elementos dos blocos s e p da tabela periódica. EMENTA: Propriedades físicas e químicas, métodos de obtenção e aplicação dos principais elementos dos blocos s e p da tabela periódica. Química Nuclear. BIBLIOGRAFIA BÁSICA LEE, J. D. Química Inorgânica Não Tão Concisa. 4. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1996. SHRIVER, D. F.; ATKINS, P. W. Química Inorgânica. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ATKINS, P.; JONES, L. Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. METODOLOGIA DO ENSINO DE QUÍMICA I Q20 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Desenvolver a capacidade de análise das dificuldades cognitivas dos alunos do Ensino Básico no aprendizado de conceitos químicos. EMENTA: Visão geral sobre a origem, evolução, importância e campo atual de estudo da área de ensino de química. Abordagem e discussão de questões fundamentais relativas ao ensino básico de química: objetivos, conteúdos e processo ensino-aprendizagem. Análise da concepção de química e do trabalho científico em química e seus reflexos no ensino. Química, ensino e cotidiano. Ensino de química e senso comum. Análise crítica de currículos e programas de química no ensino básico. A formação inicial e continuada de professores de química. Dificuldade de aprendizagem de conceitos básicos de química, origens e conseqüências para o ensino. Prática de ensino. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CHASSOT, A. Alfabetização Científica: Questões e Desafios para a Educação. Ijuí: UNIJUÍ, 2001. CHASSOT A. I. A Educação no Ensino de Química. Ijuí: Unijuí, 1990. FARIAS, R. F. Química, Ensino e Cidadania: pequeno manual para professores e estudantes de prática de ensino. São Paulo: Ieditora, 2002. MACHADO, A. O. Aula de Química: Discurso e Conhecimento. Ijuí: Unijuí, 1999. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR AXT, R. O Papel da Experimentação no Ensino de Ciências. In: Tópicos em Ensino e Ciências; Marco Antônio Moreira e Rolando Axt (org.). Porto Alegre: Sagra, 1991. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 39
  • 41. QUÍMICA INORGÂNICA DE COORDENAÇÃO Q21 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q08 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Introduzir os conceitos fundamentais da química de coordenação, dando ênfase à formação e propriedades dos complexos, fornecendo uma abordagem descritiva sobre as propriedades físicas e químicas dos elementos do bloco d e f da tabela periódica. EMENTA: Complexos: características gerais, interpretação de Werner, isomeria, estereoquímica e estabilidade. Teoria da ligação de valência. Desdobramento dos orbitais d em campos de simetria octaédrica, tetraédrica e quadrado planar. Propriedades físicas e químicas e principais compostos dos metais de transição. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BRADY, J.E.; RUSSEL, J.W.; HOLUM, J. R. Química: a matéria e suas transformações. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2002. Vol. 1. LEE, J. D. Química Inorgânica Não Tão Concisa. 4. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1996. SHRIVER, D. F.; ATKINS, P. W. Química Inorgânica. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ATKINS, P., JONES, L. Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. QUÍMICA ORGÂNICA II COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q15 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q22 OBJETIVO: Estudar as várias classes de compostos orgânicos, relacionando estruturas moleculares às propriedades físicas e à reatividade química pela compreensão dos seus mecanismos de reação. EMENTA: Conceitos fundamentais de reatividade química. Intermediários de Reações orgânicas. Efeitos Químicos e Correlações de Estrutura e Reatividade. Ácidos e Bases Orgânicas. Reações de Adição Eletrofílica: Reações dos Alquenos e Alquinos. Reações de adição à ligação dupla e tripla ligação. Reações de Substituição Nucleofílica Alifática. Reações de Eliminação. Reações de Substituição Eletrofílica Aromática; Mecanismo de substituição eletrofílica em aromáticos; Halogenação; Alquilação, Reações de Friedel-Crafts; Nitração; Sulfonação. Reações Via radicais Livres. Reações de Adição na Carbonila, Reações de Substituição nucleofílica a Carbonila, estereficação, saponificação. Compostos Heterocíclicos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA MORRISON, R. T.; BOYD, R. N. Química Orgânica. 13. ed. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1996. SOLOMONS, T. W. G.; FRYHLE, C. B. Química Orgânica. 8. ed. Vol. 2. Rio de Janeiro: LTC, 2006. VOLHARD, K. P.; SCHORE, N. E. Química Orgânica: Estrutura e Função. São Paulo: Bookan, 2004. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ALLINGER, N. L. Química Orgânica. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1976. BRUICE, P. Y. Química Orgânica. 4. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006. Vol. 1 e 2. MCMURRY, J. Química Orgânica. 6. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2005. Vol. 1 e 2 Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 40
  • 42. FÍSICA II COMPONENTE CURRICULAR: 60 H 04 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: FÍSICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: No Q23 Q17 OBJETIVO: Identificar e compreender o comportamento dos fenômenos relacionados com oscilações mecânicas, ondas e propagação do som; mecânica dos fluidos, calor e gases. EMENTA: Oscilações. Ondas. Gravitação. Estática e Dinâmica dos Fluídos. Temperatura. Transferência de Calor. Calor e a Primeira Lei da Termodinâmica. Teoria Cinética dos Gases. Entropia e a Segunda Lei da Termodinâmica. Máquinas Térmicas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA KELLER, F. J; GETTYS, W. E.; STOVE, M. J. Física. São Paulo: Makron Books, 1997. Vol. 1. NUSSENZVEIG H. M. Curso de Física Básica. São Paulo: Edgard Blücher, 2002. Vol. 1 e 2. RESNICK, R; HALLIDAY, D.; WALKER J. Fundamentos da Física. Rio de Janeiro: LTC, 1996. Vol. 1 e 2. SEARS, F.W.; ZEMANSKY, M.W.; FREEDMAN, R.A. Física 2. São Paulo: Addison Wesley, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR TIPLER, P. A. Física para Cientistas e Engenheiros. Rio de Janeiro: LTC, 1995. Vol. 2. QUÍMICA ANALÍTICA I COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q08 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ANALÍTICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q24 OBJETIVO: Proporcionar o desenvolvimento de conceitos e fundamentos teóricos da química analítica clássica inferindo sobre os aspectos qualitativos e quantitativos do equilíbrio químico. EMENTA: Introdução e Tendências Atuais da Química Analítica. Soluções Eletrolíticas. Equilíbrios Químicos: Equilíbrios em Sistemas Homogêneos; Equilíbrio Ácido-base; Formação de Complexos; Sistemas Oxidaçãoredução; Equilíbrios Heterogêneos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. Tradução: BONAPACE, J. A. P.; BARCIA, O.E. 6. ed., Rio de Janeiro: LTC, 2005. BACCAN, N.; ANDRADE, J. C.; GODINHO, O. E. S.; BARONE, J. S. Química Analítica Quantitativa Elementar. 3. ed. Campinas: Edgard Blücher, 2001. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ALEXÉEV, V. Análise Qualitativa. Porto: Lopes da Silva, 1982. KOTZ, J.C.; TREICHEL, P. Química e Reações Químicas. 2.ed. Rio de Janeiro: Thomson Learning, 2005. Vol. 1. e 2. VALCARCEL, M. Princípios de Química Analítica. Barcelona: Springer, 1999. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 41
  • 43. FÍSICO-QUÍMICA I COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q08 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: FÍSICO-QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q25 OBJETIVO: Capacitar o aluno para a compreensão dos fundamentos e aplicações da Físico-Química. EMENTA: Estudo dos Gases. Termodinâmica. Termoquímica. Espontaneidade e Equilíbrio. Equilíbrio Químico. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ATKINS, P. W. Físico-Química. 7. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2004. Vol. 1. ATKINS, P. W. Físico-Química: Fundamentos. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2003. MOORE W. J. Físico-Química. 4. ed. Rio de Janeiro: Edgard Blücher, 2000. Vol. 1. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR CASTELLAN, G. W. Fundamentos de Físico-Química. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1986. CHAGAS, A. P. Termodinâmica Química. Campinas: Editora da Unicamp, 1999. METODOLOGIA DO ENSINO DE QUÍMICA II Q26 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Favorecer a concepção de uma visão crítica com relação ao papel social da ciência e a sua natureza epistemológica, compreendendo o processo histórico-social de sua construção. EMENTA: Objetivos gerais do ensino de química, respostas tradicionais e tendências recentes. Função social do ensino de química. Epistemologia e a formação docente em química. Modelos tradicional e alternativo do processo de ensino-aprendizagem. A LDB e os Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino de química. A LDB e os Parâmetros Curriculares Nacionais do ensino de ciências para o ensino fundamental. A linguagem do ensino de química. Princípios para a organização e seleção de conteúdo. Avaliação do Ensino de ciências e construção de instrumentos de avaliação. Atividades para o aperfeiçoamento da aprendizagem de Química. Prática de ensino. BIBLIOGRAFIA BÁSICA GIL-PERÉZ, D., CARVALHO, A. M. P. Formação de Professores de Ciências: Tendências e Inovações. Coleção Questões da Nova Época. São Paulo: Cortez, 1995. Vol. 26. MOL, G. S., SANTOS, W. L. P. Química na Sociedade. Vol.1. Módulos 1 e 2. Brasília: UnB, 1998. NARDI, R. Questões Atuais no Ensino de Ciências. São Paulo: Escrituras, 1998. ROMANELLI, L. I., JUSTI, R. S. Aprendendo Química. Ijuí: Unijuí, 2000. SANTOS, W.L.P.; SCHNETZIER, R. P. Educação em Química: Compromisso com a Cidadania. 2. ed., Ijuí: Unijuí, 2000. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais - Cadernos de Introdução da 5a a 8a séries. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Média e Tecnologia, Brasília, 2001. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais - Cadernos dos Temas Transversais. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Média e Tecnologia, Brasília, 2001. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio, Ministério da Educação. Secretaria da Educação Média e Tecnologia. Brasília, 1999. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 42
  • 44. PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q04 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q27 OBJETIVO: Compreender o planejamento como preparação substancial de processos pedagógicos de formação. EMENTA: Tempos e espaços de planejamento e respectivas aplicabilidades em educação. Gestão, projetos, planos, programas, técnicas e alternativas de instrumentação em processos pedagógicos. Estratégias didáticas consoantes a conteúdos curriculares e desenvolvimento cognitivo BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALVES-MAZZOTTI, A. J. Linguagens, espaços e tempos no ensinar e aprender. Rio de Janeiro: DPA, 2000. COLOMBO, S. S. Gestão educacional. Porto Alegre: Artmed, 2004. FARIA, W. Aprendizagem e planejamento de ensino. São Paulo: Ática, 1989. GANDIN, D. Planejamento como prática educativa. São Paulo: Loyola, 1995. LINHARES, C. F. Ensinar e aprender: sujeitos, saberes e pesquisas. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. LUCK, H. Gestão educacional – uma questão paradigmática. Petrópolis: Vozes, 2006. MARIN, A. J. Didática e trabalho docente. Araraquara: Junqueira & Marin, 2005. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR KUENZER, A.Z. Cultura, linguagem e subjetividade no ensinar e aprender. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. MORIN, E. Educar na era planetária – o pensamento complexo como método. São Paulo: Cortez, 2003. ESTATÍSTICA DESCRITIVA Q28 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: MATEMÁTICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Proporcionar ao aluno uma visão introdutória das técnicas de Estatística Descritiva útil na análise exploratória de dados. EMENTA: Representação Tabular e Gráfica. Distribuições de Freqüências. Medidas de Tendência Central, Dispersão e Achatamento. Box-Plots. Análise bidimensional. Introdução ao Controle Estatístico de Qualidade. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BARBETA, P. A. Estatística Aplicada às Ciências Sociais. Florianópolis: Editora da UFSC, 1994. BUSSAB, W. O.; MORETTIN, P. A. Estatística Básica. São Paulo: Atual, 1986. MEYER, L. Probabilidade: aplicações à estatística. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1983. MORETTIN, P. A. Estatística Básica. 3. ed. São Paulo: Atual, 1997. TOLEDO, G. L.; OVALLE, I. I. Estatística Básica. São Paulo: Atlas, 1987. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR CRESPO, A. A. Estatística Fácil. São Paulo: Saraiva, 1990. FREUND, J. E.; SIMON, G. A. Estatística Aplicada: economia, administração e contabilidade. 9. ed. Porto Alegre: Bookman, 2000. KUME, H. Métodos Estatísticos para a Melhoria da Qualidade. São Paulo: Gente, 1993. TRIOLA, M. F. Introdução à Estatística. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC. 1999. VIEIRA, S. Princípios de Estatística. São Paulo: Pioneira. 1999. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 43
  • 45. QUÍMICA INORGÂNICA EXPERIMENTAL Q29 COMPONENTE CURRICULAR: No 30 H 02 Q21 e Q03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Proporcionar evidências experimentais sobre os métodos de obtenção de alguns compostos inorgânicos. EMENTA: Aulas práticas sobre: Hidrogênio, metais alcalinos e alcalinos terrosos. Boro, alumínio e elementos do grupo 13. Carbono, silício e elementos do grupo 14. Nitrogênio, fósforo e elementos do grupo 15. Oxigênio e água. Halogênios e metais de transição. BIBLIOGRAFIA BÁSICA FARIAS, R. F. Química Inorgânica Experimental. Natal: Átomo, 2006. FLACH, S. E. Introdução à Química Inorgânica Experimental. Santa Catarina: UFSC, 1985. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR LEE, J. D., Química Inorgânica Não Tão Concisa. 4. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1996. SHAKHASHIRI, B. Z. Chemical Demonstrations. Madison: University of Wiscosin press, 1986. SHRIVER, D. F.; ATKINS, P. W. Química Inorgânica. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003. MORITA, T.; ASSUMPÇÃO, R. M. V. Manual de Soluções, Reagentes e Solventes: Padronização, Preparação e Purificação. São Paulo: Edgard Blücher, 1972. QUÍMICA ORGÂNICA EXPERIMENTAL Q30 COMPONENTE CURRICULAR: No 30 H 02 Q22 e Q03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Introduzir e ilustrar as técnicas usualmente empregadas em Química Orgânica para obtenção, isolamento, purificação e caracterização de compostos orgânicos. EMENTA: Abordagem integrada das principais técnicas básicas de laboratório usualmente utilizadas na síntese, isolamento, purificação e caracterização de compostos orgânicos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA DEMUNER, A. J. Experimentos de Química Orgânica. Viçosa: Editora da UFV, 2000. GONÇALVES, D. Química Orgânica Experimental. São Paulo: McGraw-Hill, 1988. SOARES, B. G. Química Orgânica: Teoria e Técnicas de Preparação, Purificação e Identificação de Compostos Orgânicos. Rio de Janeiro: Guanabara Dois, 1988. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ALLINGER, N. L. Química Orgânica. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1976. MCMURRY, J. Química Orgânica. 6ª ed. São Paulo: Thomson Learning, 2005. MORITA, T.; ASSUMPÇÃO, R. M. V. Manual de Soluções, Reagentes e Solventes: Padronização, Preparação e Purificação. São Paulo: Edgard Blücher, 1972. VOLHARD, K. P.; SCHORE, N. E. Química Orgânica: Estrutura e Função. São Paulo: Bookman, 2004. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 44
  • 46. QUÍMICA ANALÍTICA II COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q24 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ANALÍTICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q31 OBJETIVO: Promover o desenvolvimento dos fundamentos teórico-práticos da química analítica clássica e dos princípios da análise instrumental. EMENTA: O processo analítico. Erros e avaliação estatística de dados analíticos. Amostragem. Preparação de amostras. Métodos gravimétricos. Métodos titrimétricos. Princípios da Análise Instrumental. BIBLIOGRAFIA BÁSICA HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. 6. ed., Rio de Janeiro: LTC, 2005. MENDHAM, J.; NENNEY, R.C.; BARNES, J.D.; THOMAS, M.J.K. VOGEL - Análise Química Quantitativa. Rio de Janeiro: LTC, 2002. SKOOG, D. A.; HOLLER, F. J.; NIEMAN; T.A. Princípios de Análise Instrumental. 5. ed., Porto Alegre: Bookman, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ALEXÉEV, V. Análise Quantitativa. Porto: Lopes da Silva, 1983. BACCAN, N.; ANDRADE, J. C.; GODINHO, O. E. S.; BARONE, J. S. Química Analítica Quantitativa Elementar. 3. ed. Campinas: Edgard Blücher, 2001. EWING, G. W. Métodos Instrumentais de Análise Química. São Paulo: Edgard Blücher 1972. Vol. 1 e 2. VALCARCEL, M. Princípios de Química Analítica. Barcelona: Springer, 1999. FÍSICO-QUÍMICA II COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q25 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: FÍSICO-QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q32 OBJETIVO: Capacitar o aluno para a compreensão dos pressupostos e aplicações da Físico-Química. EMENTA: Transformações Físicas de Substâncias Puras. Diagramas de Fase. Soluções Não-Eletrolíticas e Eletrolíticas. Fenômenos de Superfície. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ATKINS, P. Físico-Química. 7. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2004. Vol. 2. ATKINS, P.W. Físico-Química: Fundamentos. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2003. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR CASTELLAN; G. W. Fundamentos de Físico-Química. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1986. MOORE W. J. Físico-Química. 4. ed. Rio de Janeiro: Edgard Blücher, 2000. Vol. 2. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 45
  • 47. INSTRUMENTAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA Q33 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Capacitar o aluno para a preparação e desenvolvimento de recursos didáticos e paradidáticos relativos à sua prática e avaliação da qualidade do material disponível no mercado. EMENTA: Análise do papel da experimentação na construção de conceitos químicos. Análise do papel dos recursos didáticos no ensino básico na concepção construtivista. Análise crítica de recursos didáticos utilizados no ensino básico de Química. Estudo de pressupostos educacionais e da proposta metodológica de projetos inovadores de ensino de Química. Realização de experimentos inseridos nos projetos de ensino de Química, com vistas a analisá-los crítica e diagnosticamente. Elaboração de estratégias e confecção de materiais de ensino. O papel dos paradidáticos no ensino básico de Química. Multimídia e ensino de Química. BIBLIOGRAFIA BÁSICA GEPEQ. Interações e Transformações: Química para o 2o Grau. Livro do aluno e guia do professor. Vol. 1, 2 e 3. São Paulo: EDUSP, 1995. HESS, S. Experimentos de Química com Materiais Domésticos. São Paulo: Moderna, 1997. LUTFI, M. Cotidiano e Educação Química. Ijuí: Editora da Unijuí, 1988. MOL, G. S.; SANTOS, W. L. P. Química na Sociedade. Brasília: UnB, 1998. Vol. 1 e 2. MORTIMER, E. F. Introdução ao Estudo da Química: Propriedades dos Materiais, Reações Químicas e Teoria da Matéria. Belo Horizonte: CEMIG, 1996. PRETTO, N. D. L. A Ciência nos Livros Didáticos. Campinas: UNICAMP/UFBA, 1985. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR AMBROGI, A.; VERSOLATO, E.F.; LISBÔA, J.C.F. Unidades Modulares de Química. São Paulo: Hamburg, 1987. ROMANELLI, L.; JUSTI, R. S. Aprendendo Química. Ijuí: Editora da Unijuí, 1998. ARTIGOS CIENTÍFICOS DAS REVISTAS: Journal of Chemical Education. Journal of Research in Science Teaching. Química Nova. Química Nova na Escola. Education in Chemistry. International Journal of Science Education. Science Education e outros periódicos voltados ao Ensino de Química. CINÉTICA QUÍMICA COMPONENTE CURRICULAR: No 30 H 02 Q08 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: FÍSICO-QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q34 OBJETIVO: Introduzir conceitos fundamentais da cinética de reação. EMENTA: Definições. Fatores que afetam a velocidade da reação. Leis empíricas. Mecanismos de reação. Teoria das Colisões. Teoria do Complexo ativado. Noções de Catálise e Fotoquímica. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ATKINS, P. W. Físico-Química. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2004. Vol. 3. ATKINS, P.W. Físico-Química: Fundamentos. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2003. MOORE W. J. Físico-Química. 4. ed. Rio de Janeiro: Edgard Blücher, 2000. Vol. 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR CASTELLAN; G. W. Fundamentos de Físico-Química. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1986. LEVINE, I. N. Physical Chemistry. 5. ed. New York: McGraw-Hill, 2001. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 46
  • 48. ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE No Q35 QUÍMICA I 06 Q20 e Q26 CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA COMPONENTE CURRICULAR: 90 H CARGA HORÁRIA: ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Possibilitar que o aluno analise as diversas metodologias de ensino empregadas nas escolas de Ensino Básico. EMENTA: Identificação, análise e interpretação das formas de atuação do professor de Química no nível básico. Observação de aulas de Química, com reflexão crítica. Vivência no ensino de Química na educação formal e/ou informal, por meio da regência de classe ou em projetos especiais. Análise da regência vivenciada. BIBLIOGRAFIA BÁSICA FRIZZO, M. N. Prática de Ensino e Estágio Supervisionado. Ijuí: Editora da Unijuí, 1985. PIMENTA, S. G. O Estágio na Formação de Professores: Unidade Teoria e Prática. São Paulo: Cortez, 1994. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR CARVALHO, A. M. P. A Formação do Professor e a Prática de Ensino. São Paulo: Pioneira, 1988. GIL-PEREZ, D.; CARVALHO, A. M. P. Formação de Professores de Ciências. São Paulo: Cortez, 1993. QUÍMICA ANALÍTICA EXPERIMENTAL Q36 COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q31 e Q03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ANALÍTICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Inferir sobre as técnicas analíticas empregadas nos ensaios de identificação e quantificação de espécies químicas em amostras de alimentos, agroindustrial ou ambiental. EMENTA: Operações no laboratório. Amostragem e preparação de amostras. Análise qualitativa de cátions e/ou anions. Determinações gravimétricas e titrimétricas. Métodos instrumentais de análise espectrofotométrica e potenciométrica. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BACCAN, N.; ANDRADE, J. C.; GODINHO, O. E. S.; BARONE, J. S. Química Analítica Quantitativa Elementar. 3. ed. Campinas: Edgard Blücher, 2001. MENDHAM, J.; NENNEY, R.C.; BARNES, J.D.; THOMAS, M.J.K. VOGEL - Análise Química Quantitativa. Rio de Janeiro: LTC, 2002. VOGEL, A. I.Química Analítica Qualitativa. 5. ed. São Paulo: Mestre Jou, 1981. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ALEXÉEV, V. Análise Qualitativa. Porto: Lopes da Silva, 1982. ALEXÉEV, V. Análise Quantitativa. Porto: Lopes da Silva, 1983. HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. Tradução: BONAPACE, J. A. P.; BARCIA, O.E. 6. ed., Rio de Janeiro: LTC, 2005. MORITA, T.; ASSUMPÇÃO, R. M. V. Manual de Soluções, Reagentes e Solventes: Padronização, Preparação e Purificação. São Paulo: Edgard Blücher, 1972. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 47
  • 49. AVALIAÇÃO E APRENDIZAGEM COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q04 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: Q37 OBJETIVO: Delimitar referências que subsidiem na re-elaboração conceptual da avaliação em processos pedagógicos de formação. EMENTA: Práticas e desafios da avaliação educacional. Políticas, critérios e implicações da avaliação do/no sistema educacional. Metodologias de avaliação do ensino e da aprendizagem consoantes a conteúdos curriculares e desenvolvimento cognitivo. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALMEIDA, F. J. Avaliação educacional em debate: experiências no Brasil. São Paulo: Cortez, 2005. ANTUNES, C. A avaliação da aprendizagem escolar. Petrópolis: Vozes, 2002. BELLONI, I. Metodologia de avaliação em políticas públicas. São Paulo: Cortez, 2000. BEYER, H. O. Inclusão e avaliação na escola. Porto Alegre: Mediação, 2005. CLARILZA, P. S. Avaliação do rendimento escolar. Campinas: Papirus, 1995. ESTEBAN, M. T. Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BARLOW, M. Mitos e realidades. Porto Alegre: Artmed, 2006. FÍSICO-QUÍMICA EXPERIMENTAL Q38 COMPONENTE CURRICULAR: No 30 H 02 Q32 e Q03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: FÍSICO-QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Capacitar o aluno para observar e interpretar fenômenos físico-químicos através da realização de experimentos. EMENTA: Determinação experimental de grandezas físico-químicas em substâncias puras, misturas não reativas e reações químicas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BUENO, W.; DEGREVE, L. Manual de Laboratório de Físico-Química. São Paulo: MacGraw Hill, 1980. MIRANDA-PINTO, C.O.B. Manual de Trabalhos Práticos de Físico-Química. Belo Horizinte: UFMG, 2006. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ATKINS, P. Físico-Química. 7. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2004. Vol. 1 e 2. DANIELS, F. Experimental Physical Chemistry. São Paulo: McGraw - Hill, 1970. SHOEMAKER, D. P.; GARLAND C.W. Experiments in Physical Chemistry. New York: McGraw-Hill; 1989. MORITA, T.; ASSUMPÇÃO, R. M. V. Manual de Soluções, Reagentes e Solventes: Padronização, Preparação e Purificação. São Paulo: Edgard Blücher, 1972. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 48
  • 50. LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS Q39 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Proporcionar o aprendizado da linguagem brasileira de sinais através de vivências interativas. EMENTA: Noções gerais sobre os aspectos lingüísticos, sociais, culturais da Libras. Uso do alfabeto digital. A Libras na educação bilíngüe-bicultural de surdos. Introdução ao aprendizado da Libras, através de vivências interativas, com enfoque em seus aspectos gramaticais, textuais e culturais. BIBLIOGRAFIA BÁSICA FELIPE, T. A. Libras em contexto: curso básico, livro do professor e do estudante cursista. Brasília: Programa Nacional de Apoio à Educação dos Surdos, MEC; SEESP, 2001. FELIPE, T. A. Introdução a Gramática da Libras. I: Brasil, Língua Brasileira de Sinais. Brasília: SEESP, série atualidades pedagógicas, vol. III, 1997. QUADROS, R., KARNOPP, L. B. Língua Brasileira de Sinais: estudos lingüísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR COUTINHO, D. LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa: semelhanças e diferenças. João Pessoa: Idéia, 1996. COUTINHO, D. LIBRAS e Língua Portuguesa: semelhanças e diferenças. João Pessoa: Arpoador, vol. II, 2000. . ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE No Q40 QUÍMICA II 120 H 08 Q35 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: COMPONENTE CURRICULAR: OBJETIVO: Possibilitar que o aluno ministre aulas de Química no Ensino Fundamental, visando proporcionar o exercício da competência técnica e do compromisso com a realidade do país, a fim de se constituir em instrumento de integração, em termos de treinamento prático, aperfeiçoamentos técnico-cultural, científico e de relacionamento humano. EMENTA: Realização avançada de atividades integradas de aprendizagem social, cultural e profissional atinentes ao Licenciado em Química, no contexto real de sua atuação. Análise da regência vivenciada no Ensino Fundamental. BIBLIOGRAFIA BÁSICA FRIZZO, M. N. Prática de Ensino e Estágio Supervisionado. Ijuí: Editora da Unijuí, 1985. PIMENTA, S. G. O Estágio na Formação de Professores: Unidade Teoria e Prática. São Paulo: Cortez, 1994. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR CARVALHO, A. M. P. A Formação do Professor e a Prática de Ensino. São Paulo: Pioneira, 1988. GIL-PEREZ, D.; CARVALHO, A. M. P. Formação de Professores de Ciências: Tendências e Inovações. São Paulo: Cortez, 1993. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 49
  • 51. QUÍMICA AMBIENTAL Q41 COMPONENTE CURRICULAR: No 30 H 02 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Promover uma visão geral sobre o meio ambiente com ênfase nos processos químicos. EMENTA: Química das águas, atmosfera e solos. Ciclos biogeoquímicos. Poluição ambiental. Química de produção e transformação de poluentes e seus efeitos sobre a saúde, vegetação e materiais. Efeitos de mudanças climáticas em ecossistemas terrestres. Legislação ambiental. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BAIRD, C. Química Ambiental. Porto Alegre: Editora Bookman, 2002. ROCHA, J.C. Introdução a Química Ambiental. Porto Alegre: Editora Bookman 2004. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR TRIGUEIRO, A. Meio Ambiente no Século 21. Rio de Janeiro: Editora GMT, 2003. BIOQUÍMICA GERAL COMPONENTE CURRICULAR: 60 H 04 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: BIOLOGIA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: No Q42 Q22 OBJETIVO: Proporcionar aos alunos conhecimentos básicos sobre as principais classes de moléculas biológicas, incluindo estrutura e função, com ênfase na relação estrutura-função de enzimas, compreendendo a dinâmica e regulação das reações metabólicas celulares. EMENTA: Introdução à Bioquímica. Estudo das Biomoléculas: Carboidratos, Lipídeos, Aminoácidos, Peptídeos, Proteínas e Ácidos Nucléicos. Noções de Bioenergética. Coenzimas e Enzimas e vitaminas. Metabolismo dos carboidratos, dos lipídios e das proteínas. Hormônio. Ciclo de Krebs, Cadeia respiratória e fosforilação oxidativa. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BERG, J. M.; TYMOCZKO, J. L.; STRYER, L. Bioquímica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. DEVLIN, T. M. Manual de Bioquímica. 4. ed. São Paulo: Editora Blücher, 1998. LEHNINGER, A.L.; NELSON, D. L.; COX, M. M. Princípios de Bioquímica 3.ed. São Paulo: Sarvier, 2002. STRYER, L. Bioquímica. 4.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996. TORRES, B. B.; MARZZOCO, A. Bioquímica Básica. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999. VOET, D; VOET, J. G. Bioquímica. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. VOET, D; VOET, J. G.; PRATT, C. W. Fundamentos da Bioquímica. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR RADLER, F.; NUNES, D. S. S.. Cromatografia: Princípios Básicos e Técnicas Afins. Rio de Janeiro: Interciência, 2003. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 50
  • 52. COMPONENTE CURRICULAR: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III 195 H 13 Q40 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: No Q43 OBJETIVO: Possibilitar que o aluno ministre aulas de Química no Ensino Médio, visando proporcionar o exercício da competência técnica e do compromisso com a realidade do país, a fim de se constituir em instrumento de integração, em termos de treinamento prático, aperfeiçoamentos técnico-cultural, científico e de relacionamento humano. EMENTA: Realização avançada de atividades integradas de aprendizagem social, cultural e profissional atinentes ao Licenciado em Química, no contexto real de sua atuação, Análise da regência vivenciada no Ensino Médio. BIBLIOGRAFIA BÁSICA FRIZZO, M. N. Prática de Ensino e Estágio Supervisionado. Ijuí: Editora da Unijuí, 1985. PIMENTA, S. G. O Estágio na Formação de Professores: Unidade Teoria e Prática. São Paulo: Cortez, 1994. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR CARVALHO, A. M. P. A Formação do Professor e a Prática de Ensino. São Paulo: Pioneira, 1988. GIL-PEREZ, D.; CARVALHO, A. M. P. Formação de Professores de Ciências: Tendências e Inovações. São Paulo: Cortez, 1993. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Q44 COMPONENTE CURRICULAR: No 30 H 02 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: ENSINO DE QUÍMICA NATUREZA: OBRIGATÓRIA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Desenvolver uma monografia sobre um tema de livre escolha por parte do aluno, na área de Química, ou sugerido pelo orientador ou pelos professores responsáveis pelos componentes curriculares. EMENTA: Elaboração e execução de projeto de monografia que se configure como contribuição para consolidar a visão do papel do educador em Química, em consonância com o perfil profissional almejado no curso. Apresentação formal do projeto à banca examinadora e ao público. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ECO, U. Como se faz uma Tese. São Paulo: Perspectiva, 1989. SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 17. ed. São Paulo: Cortez, 1991. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ARTIGOS CIENTÍFICOS DAS REVISTAS: Journal of Chemical Education, Química Nova, Química Nova na Escola, Education in Chemistry, International Journal of Science Education, Science Education. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 51
  • 53. 8.4.2. Componentes Curriculares Complementares Obrigatórios COMPONENTE CURRICULAR: ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS No Q45 210 H 14 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: VARIÁVEL NATUREZA: COMPLEMENTAR ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Promover e incentivar atividades culturais e/ou extra-curriculares, permitindo ampliar a visão sistêmica do aluno na construção do conhecimento, além de interagir com outras áreas de interesse. EMENTA: Participação em seminários e palestras, mini-cursos, congressos, colóquios, oficinas, elaboração de trabalhos didáticos, elaboração de livros ou capítulos de livros, publicação de resumos, artigos científicos ou notas técnicas, atividades de extensão, atividades de monitoria, programas de iniciação científica, dentre outras atividades científicas cuja sistemática de aproveitamento está definida no Projeto Pedagógico do Curso. BIBLIOGRAFIA BÁSICA A ser definida de acordo com a atividade desenvolvida. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR Anais de eventos científicos. Jornais, Revistas e Periódicos Científicos. 8.4.3. Componentes Curriculares Optativos COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA ELEMENTAR I No Q46 CARGA HORÁRIA: 60 H CRÉDITOS: 04 PRÉ-REQUISITO: NENHUM ÁREA CURRICULAR: MATEMÁTICA NATUREZA: OPTATIVA OBJETIVO: Proporcionar ao aluno uma revisão e discussão crítica de tópicos estudados no ensino médio regular levando ao desenvolvimento dos conceitos relacionados. EMENTA: Conjuntos. Conjuntos Numéricos: N, Z, Q, R. Sistema de numeração decimal. O conceito de função e suas representações. Funções elementares. Função inversa. Funções Logarítmica e Exponencial. Trigonometria e funções trigonométricas. Funções Hiperbólicas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CARMO, M. Trigonometria e Números Complexos. 4. ed. Rio de Janeiro: SBM, 2002. GUIDORIZZI, H. L. Um curso de Cálculo. 5. ed. Rio de Janeiro: LCT, 2001. Vol.1. LIMA, E. L. Logaritmos. 2. ed. Rio de Janeiro: SBM, 1991. LIMA, E. L. Temas e Problemas Elementares. Rio de Janeiro: SBM, 2005. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR LIMA, E. L. A Matemática do Ensino Médio. 5. ed. Rio de Janeiro: SBM, 2002. Vol. 1. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 52
  • 54. MINERALOGIA COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q19 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q47 OBJETIVO: Proporcionar o desenvolvimento de uma abordagem geral sobre as características físicas e químicas dos minerais e sobre o uso das técnicas de identificação dos elementos presentes nos mesmos. EMENTA: Cristalografia. Mineralogia Física e Química. Ensaios dos elementos em minerais. Sistemática. BIBLIOGRAFIA BÁSICA HURLBUT Jr, C. S. Manual de mineralogia. Rio de Janeiro: LTC, 1969. Vol. 2. KLOCKMANN, F.; RAMDOHR, P. Tratado de mineralogia. 2. ed. Rio de Janeiro: Gustavo Gili, 1961. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR KLEIN, C.; HURLBUT Jr, C. S. Manual of mineralogy. 21. ed.,. New York: John Wiley & Sons Inc., 1993. QUÍMICA DO PETRÓLEO COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q15 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ORGÂNICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q48 OBJETIVO: Possibilitar ao aluno a compreensão de fundamentos sobre a química do petróleo. EMENTA: Petróleo e derivados. Composição e características físico-químicas. Transformações físicas, químicas e biológicas sofridas pelo petróleo no meio ambiente. Efeitos de poluição por petróleo e derivados. BIBLIOGRAFIA BÁSICA NEIVA, J. Conheça o Petróleo. 6. ed. São Paulo: Editora Expressão e Cultura, 1993. SZKLO, A. S. Fundamentos do Refino de Petróleo. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2005. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR SOUZA, R.G. Petróleo histórias das descobertas e o potencial brasileiro. São Paulo: Editora de Textos, 1997. QUÍMICA DE ALIMENTOS Q49 COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ORGÂNICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Possibilitar ao aluno a constatação da composição química dos alimentos. EMENTA: Componentes dos alimentos e sua importância tecnológica. Propriedades físico-químicas e funcionais dos alimentos. Reações e transformações de componentes durante condições de processamento e armazenamento de alimentos. Noções de análise de alimentos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ARAÚJO, J. M. A. Química de Alimentos: Teoria e Prática. 2. ed. Viçosa: Editora UFV, 2001. BOBBIO, F. O. Introdução à Química de Alimentos. São Paulo: Varela, 1989. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BOBBIO, P. A. Química do Processamento de Alimentos. São Paulo: Varela, 1992. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 53
  • 55. COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA ANALÍTICA INSTRUMENTAL 45 H 03 Q36 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ANALÍTICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: No Q50 OBJETIVO: Abordar os conceitos, fundamentos teóricos dos principais métodos instrumentais de análise química com ênfase em suas potencialidades, limitações e aplicações à análise química. EMENTA: Introdução aos métodos instrumentais de análise. Métodos espectroanalíticos. Métodos eletroanalíticos. Aplicações e tendências atuais. BIBLIOGRAFIA BÁSICA SKOOG, D. A.; HOLLER, F. J. Princípios de Análise Instrumental. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2002. VALCARCEL, M. Princípios de Química Analítica. Barcelona: Springer, 1999. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2005. MENDHAM, J.; NENNEY, R. C.; BARNES, J. D.; THOMAS, M. J. K. VOGEL: Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. FUNDAMENTOS DE CROMATOGRAFIA COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q31 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ANALÍTICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q51 OBJETIVO: Fornecer os fundamentos das técnicas de planejamento e otimização de experimentos com ênfase na abordagem de problemas experimentais relacionadas ao ensino de ciências. EMENTA: Introdução às técnicas de planejamento de experimentos. Métodos de planejamento de experimentos. Modelos empíricos. Metodologia de superfície de resposta. Modelagem de misturas. Otimização de experimentos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA COLLINS, C. H.; BRAGA, G. L.; BONATO, P. S. Introdução a Métodos Cromatográficos. 7 ed., Campinas: Unicamp, 1997. SKOOG, D. A.; HOLLER, F. J.; NIEMAN; T.A. Princípios de Análise Instrumental. 5a ed., Porto Alegre: Bookman, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. 6 ed., Rio de Janeiro: LTC, 2005. MENDHAM, J.; NENNEY, R. C.; BARNES, J. D.; THOMAS, M. J. K. VOGEL: Análise Química Quantitativa. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 54
  • 56. ESPECTROSCOPIA DE COMPOSTOS ORGÂNICOS COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q22 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ORGÂNICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q52 OBJETIVO: Estudar as técnicas espectrométricas de ressonância magnética nuclear e espectroscopias na região do infravermelho e ultravioleta/visível e a espectrometria de massa relacionando às estruturas moleculares das diversas classes de compostos orgânicos. EMENTA: Princípios básicos, interpretação de dados e aplicação das principais técnicas espectroscópicas: ultravioleta/visível, infravermelho, ressonância magnética do 1H, ressonância magnética do 13C e espectrometria de massa na determinação de estruturas moleculares de compostos orgânicos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA SILVERSTEIN, R. M., WEBSTER, F. X. Identificação Espectrométrica de Compostos Orgânicos. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR DYER, R. D. Aplicação da espectroscopia de absorção aos compostos orgânicos. Boston: Allyn, 1966. PAVIA, D. L.; LAMPMAN, G. M.; KRIZ Jr., G. S. Introduction to spectroscopy: A Guide for Students of Organic Chemistry. 2. ed. New York: Saunders College Publishing, 1996. ANÁLISE TÉRMICA COMPONENTE CURRICULAR: 45 H 03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: QUÍMICA ANALÍTICA ÁREA CURRICULAR: No Q53 Q31 PRÉ-REQUISITO: NATUREZA: OPTATIVA OBJETIVO: Conhecer os fundamentos básicos da Análise Térmica como técnica de caracterização e quantificação de materiais. EMENTA: Definições. Classificação das Técnicas Termoanalíticas. Aplicações. Fatores que afetam os resultados. Fundamentos das Principais Técnicas. Instrumentação. Técnicas Múltiplas. Interpretação de curvas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA MOTHÉ, C. G.; AZEVEDO, A. D. Análise Térmica de Materiais. São Paulo: Ieditora, 2002. SKOOG, D. A.; LEARY, J. J. Princípios de Análise Instrumental. 5. ed. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR VOGEL, A.; MENDHAN, M. A. Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 55
  • 57. POLÍMEROS COMPONENTE CURRICULAR: 45 H 03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: QUÍMICA ORGÂNICA ÁREA CURRICULAR: No Q54 Q15 PRÉ-REQUISITO: NATUREZA: OPTATIVA OBJETIVO: Identificar a constituição das macromoléculas sintéticas (polímeros) e seu impacto na sociedade. EMENTA: Aspectos históricos. Propriedades dos polímeros. Polimerização por condensação e por adição. Estereoquímica. Aplicações dos Polímeros. BIBLIOGRAFIA BÁSICA MORRISON, R. T. Química Orgânica. 13. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1996. SOLOMONS, T. W. G. Química Orgânica. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Vol. 1 e 2. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ALLINGER, N. L. Química Orgânica. 2. ed. Rio de janeiro: Guanabara Dois, 1978. INTRODUÇÃO A QUÍMICA QUÂNTICA COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q21 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: FÍSICO-QUÍMICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q55 OBJETIVO: Introduzir conceitos fundamentais da Mecânica Quântica, demonstrando como a teoria é utilizada para explicar a estrutura e as propriedades de átomos e moléculas. Apresentar as teorias da Ligação de Valência e do Orbital Molecular. EMENTA: Quantização da energia. Postulados da Mecânica Quântica. Equação de Schrödinger e sua interpretação. Átomo de Hidrogênio. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ATKINS, P. W. Físico-Química. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Vol. 2. SOUZA, A. A. Elementos de Química Quântica. Natal: Átomo, 2007. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR LEVINE, I. R. Quantum Chemistry. 4. ed. New Jersey: Prentice Hall, 1991. MCQUARRIE, D.A. Physical Chemistry: Molecular Approach. New York: University Science Books, 1997. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 56
  • 58. ECOLOGIA GERAL COMPONENTE CURRICULAR: 60 H 04 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: BIOLOGIA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q56 No NENHUM OBJETIVO: Introduzir o aluno ao conhecimento e aos conceitos gerais da ecologia, às leis que regem a natureza, às interações ecológicas e adaptações dos organismos ao ambiente físico, à evolução dos ecossistemas e às conseqüências das interferências humanas no meio ambiente. EMENTA: Introdução ao estudo da Ecologia. Histórico da Ecologia. Conceitos fundamentais em ecologia. Biosfera, ecosfera e noosfera. Habitat, Nicho ecológico e Guilda. Níveis de organização dos sistemas ecológicos. A noção de fator ecológico. Condições, recursos e adaptações ao ambiente físico. Ciclos biogeoquímicos. Fluxo de energia e metabolismo na natureza. Níveis tróficos e Pirâmides ecológicas. Populações e comunidades. Evolução dos Ecossistemas. O homem e os ecossistemas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ÁVILA-PIRES, F.D.Princípios de Ecologia Médica. Florianópolis: Editora da UFSC, 2000. DAJÓZ, R.Princípios de Ecologia. 7. ed., Porto Alegre: Artmed, 2005. ODUM, E.P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1983. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR MARGALEF, R. Ecologia. Barcelona: Ômega, 1974. PIANKA, E. R. Ecologia Evolutiva. Barcelona: Ômega, 1982. BIOLOGIA GERAL COMPONENTE CURRICULAR: 60 H 04 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: BIOLOGIA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q57 No NENHUM OBJETIVO: Iniciar o estudo da ciência Biologia através de conceitos, histórico e relação com outras ciências. EMENTA: Introdução ao estudo da Biologia. Características gerais dos seres vivos. Estrutura, organização, divisão e diferenciação celular. Genética e evolução humana. Biologia das plantas e animais: diversidade biológica e ecologia. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CURTIS, H. Biologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1977. RAVEN, P.H.; EVERT, R.F.; EICHORN, S.E. Biologia Vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan., 2001. RIDLEY, M. Evolução. 3. ed. São Paulo: Artmed, 2006. DAJOZ, R. Princípios de Ecologia. 7. ed. São Paulo:Artmed. 2005. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ORR, R.T. Biologia dos Vertebrados. 5. ed. São Paulo: Roca. 1986. RUPPERT, E.E.; FOX, R.S.; BARNES, R.D. Zoologia dos Invertebrados. 7. ed. São Paulo: Roca, 2005. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 57
  • 59. ENERGIA DE BIOMASSA Q58 COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Apresentar os fundamentos das principais fontes de energia de biomassa e seus aspectos econômicos, sociais e ambientais. EMENTA: Matriz energética. Fontes renováveis de energia. Biomassa. Processos de transformação e utilização da energia da biomassa. Aspectos econômicos, sociais e ambientais. Obtenção, caracterização e aplicações do biodiesel. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ACIOLI, J. L. Fontes de energia. Brasília: UNB, 1994. ROTHMAN, H. Uso da biomassa e produção de energia na indústria brasileira. Campinas: Unicamp, 2005. SEVÁ FILHO, B. Renovação e sustentação da produção energética. Rio de Janeiro: Cortez. 1998. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR GREGOIRE, J. A. Viver sem petróleo. São Paulo: Europa-América, 1980. VASCONCELLOS, G. F. Biomassa: A eterna energia do futuro. São Paulo: SENAC, 2002. POLÍTICA E EDUCAÇÃO COMPONENTE CURRICULAR: 45 H 03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q59 No NENHUM OBJETIVO: Discutir a implementação de políticas educacionais para o ensino superior e a educação básica. EMENTA: Política neoliberal e projetos educacionais. Sistema educacional e efetivação de projetos políticos/educacionais. Estratégias políticas e currículo prescrito. BIBLIOGRAFIA BÁSICA CABRAL NETO, A. Política educacional. Porto Alegre: Sulina, 2004. FREIRE, P. Política e educação. São Paulo: Cortez, 2003. NEVES, L. M. W. Educação e política no Brasil de hoje. São Paulo: Cortez, 1999. OLIVEIRA, D. A.; ROSAR, M. F. F. Política e gestão da educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. PARO, V. H.; DOURADO, L. F. Políticas públicas e Educação Básica. São Paulo: Xamã, 2001. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ANTUNES, R. A desertificação neoliberal no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2004. ASSMAN, H. Idolatria do mercado. Petrópolis: Vozes. CHOMSKY, N. Neoliberalismo e ordem global. Porto: Notícias, 2000. SNATOME, J. T. Educação em tempos de neoliberalismo. Porto Alegre: Artmed, 2003. TORRES, C. A.; BURBULES, N. C. Globalização e educação. Porto Alegre: Artmed, 2003. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 58
  • 60. ÉTICA E DIVERSIDADE COMPONENTE CURRICULAR: 45 H 03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q60 No NENHUM OBJETIVO: Compreender o princípio do respeito à diversidade como um pressuposto ético e essencial. EMENTA: Fundamentos éticos da formação humana. Relação entre valores morais e educação. Diversidade física, ideológica, psíquica, étnico-cultural e sócio-econômica como pressupostos éticos. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BITTAR, E. C. B. Ética, educação, cidadania e direitos humanos. São Paulo: Manole, 2004. CHASSOT, A. Ciência, ética e cultura na educação. São Leopoldo: Unisinos, 1998. D'AMBROSIO, U. Temas transversais e educação em valores humanos. São Paulo: Peirópolis, 1999. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR FAGUNDES, M. Aprendendo valores éticos. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. HERMANN, N. Pluralidade e ética em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. ENSINO INCLUSIVO COMPONENTE CURRICULAR: 45 H 03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q61 No NENHUM OBJETIVO: Conhecer tendências do ensino inclusivo a partir de relações entre prática pedagógica e pesquisas em educação. EMENTA: Questões éticas e políticas de integração escolar de sujeitos com necessidades educativas específicas. Conceitos, mudanças paradigmáticas e propostas pedagógicas para educação especial. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BUENO, J. G. S. Educação especial brasileira. São Paulo: Educ, 2004. CARVALHO, R. E. Temas em educação especial. Rio de Janeiro: WVA, 1998. CORRER, R. Deficiência e inclusão social. Bauru: Edusc, 2003. GLAT, R. Questões atuais em educação especial. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2004. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ARANTES, J. Programa especial de educação. Rio de Janeiro: MAUAD, 1998. BOLONHINI JUNIOR, R. Portadores de necessidades especiais. São Paulo: ARX, 2004. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 59
  • 61. PROFISSÃO DOCENTE COMPONENTE CURRICULAR: 45 H 03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q62 No NENHUM OBJETIVO : Discutir processos de formação e produção de identidade social e profissional da docência. EMENTA: Desenvolvimento profissional docente. Problemática do saber docente e desafios educacionais. Ética, poder e relações interpessoais em ambientes educacionais. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALMEIDA, J. S. Estudos sobre a profissão docente. São Paulo: UNESP, 2001. GERALDI, C.M.G. Cartografias do trabalho docente. Campinas: Mercado de Letras, 1998. SINISCALCO, M. T. Perfil estatístico da profissão docente. São Paulo: Moderna, 2003. TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2004. VORRABER, M. C. Trabalho docente e profissionalismo. Porto Alegre: Sulina, 1996. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR ANDRE, M. Papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas: Papirus, 2005. ASSMANN, H. Reencantar a educação: rumo à sociedade aprendente. Petrópolis: Vozes, 2004. ESTRELA, T. Viver e construir a profissão docente. Porto: Porto, 1997. SACRISTAN, J. G. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artmed, 1999. CURRÍCULO EDUCACIONAL COMPONENTE CURRICULAR: 45 H 03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: EDUCAÇÃO NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q63 No NENHUM OBJETIVO: Refletir sobre mecanismos curriculares de concepção de projetos e processos educacionais. EMENTA: Teoria do currículo. Relação entre política e currículo educacional. Estruturação curricular, cognição e cotidiano. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALVAREZ, M. N. Valores e temas transversais no currículo. Porto Alegre: Artmed, 2002. ALVES, N. Criar currículo no cotidiano. São Paulo: Cortez, 2002. DEWEY, J. Escola e a sociedade e a criança e o currículo. Porto: Relógio Dágua, 2002. ESTEBAN, M. T. Escola, currículo e avaliação. São Paulo: Cortez, 2003. SENNA, L. A. O currículo na Escola Básica: caminhos para a formação. Rio de Janeiro: Qualitymarky, 2000. SILVA, T. T.; MOREIRA, A. F. B. Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 2001. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR APLLE, M. W. Ideologia e currículo. Porto: Porto, 2002. CORAZZA, S. M. Que quer um currículo? Pesquisas pós-críticas em educação. Petrópolis: Vozes, 2001. YOUNG, M. F. D. O currículo do futuro. Campinas: Papirus, 2000. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 60
  • 62. COMPONENTE CURRICULAR: LÍNGUA PORTUGUESA No Q64 CARGA HORÁRIA: 60 H CRÉDITOS: 04 PRÉ-REQUISITO: NENHUM ÁREA CURRICULAR: EDUCAÇÃO NATUREZA: OPTATIVA OBJETIVO: Ampliar o uso da língua portuguesa nas modalidades oral e escrita em diferentes instâncias, utilizando adequadamente diferentes registros. EMENTA: Funcionamento da Língua Portuguesa em sua interface oral e escrita com ênfase na leitura crítica, estruturação e produção de gêneros textuais acadêmicos e técnico-científicos (resumos, resenhas, fichamentos, seminários, entre outros), na estruturação argumentativa do discurso e nas estruturas lingüístico-textuais que compõem os diferentes gêneros. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BECHARA, E. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003. BLIKSTEIN, I. Técnicas de Comunicação Escrita. São Paulo: Ática, 1999. KLEIMAN, A. Oficina de leitura. Campinas: Pontes/UNICAMP, 1993. KOCH, I. G. V. A coesão textual. 12. ed. São Paulo: Contexto, 1999. KOCH, I. G. V; TRAVAGLIA, . C. A coerência textual. 8. ed. São Paulo: Contexto, 1999. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR MACHADO, A. R. Resenha. São Paulo: Parábola Editorial, 2004. MACHADO, A. R. Resumo. São Paulo: Parábola Editorial, 2004. MEDEIROS, J. B. Correspondência: técnicas de comunicação criativa. 18. ed. São Paulo: Atlas, 2006. MEDEIROS, J.B. Redação Científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2006. ORLANDI, E. P. Discurso & Leitura. São Paulo: Cortez, 1988. TERRA, E. Práticas de linguagem: leitura e produção de textos: ensino médio. São Paulo: Scipione, 2001. GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS Q65 COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 NENHUM CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA ANALÍTICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Capacitar o aluno na aplicação de técnicas de gerenciamento de resíduos gerados e disposição final. EMENTA: Definição e classificação. Legislação. Geração e coleta dos resíduos. Métodos de tratamento, reuso e/ou disposição de resíduos. Levantamento sócio-econômico-ambiental. Procedimentos de gerenciamento. BIBLIOGRAFIA BÁSICA GUNTER, F. Introdução aos Problemas da Poluição Ambiental. Rio de Janeiro: EPU, 2006. SISINNO, C.L.V. Resíduos Sólidos, Ambiente e Saúde. 2. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2004. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2005. MENDHAM, J.; NENNEY, R. C.; BARNES, J. D.; THOMAS, M. J. K. VOGEL: Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 61
  • 63. INTRODUÇÃO A ESPECTROSCOPIA COMPONENTE CURRICULAR: No 45 H 03 Q21 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: FÍSICO-QUÍMICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: Q66 OBJETIVO: Introduzir conceitos fundamentais da Mecânica Quântica, demonstrando como a teoria é utilizada para explicar a estrutura e as propriedades de átomos e moléculas. Apresentar o formalismo utilizado na espectroscopia vibracional, rotacional e eletrônica, bem como suas utilizações na obtenção de informações sobre a identidade e a estrutura de compostos. EMENTA: Fundamentos de Mecânica Quântica. Aspectos gerais sobre Espectroscopia. Espectro vibracional, rotacional, roto-vibracional e eletrônico. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ATKINS, P. W. Físico-Química. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Vol. 2. SOUZA, A. A. Elementos de Química Quântica. Natal: Átomo, 2007. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR BARROW, G. M. Introduction to Molecular Spectroscopy. New York: McGraw-Hill, 1962. LEVINE, I. R. Quantum Chemistry. 4. ed. New Jersey: Prentice Hall, 1991. LEVINE, I. R. Molecular Spectroscopy. 4. ed. New York: Wiley & Sons, 1975. MCQUARRIE, D. A. Physical Chemistry: Molecular Approach. New York: University Science Books, 1997. QUÍMICA INORGÂNICA AVANÇADA Q67 COMPONENTE CURRICULAR: No 60 H 04 Q21 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: QUÍMICA GERAL E INORGÂNICA NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: OBJETIVO: Fornecer um suporte teórico aprofundado sobre as teorias de ligações de formação dos complexos, fazendo uma análise comparativa entre elas e a partir desta abordagem estudar as propriedades dos complexos. EMENTA: Complexos dos metais de transição: Teoria do campo cristalino e do campo ligante. Teoria do orbital molecular. Espectros eletrônicos, estabilidade termodinâmica e cinética. Mecanismos das reações. BIBLIOGRAFIA BÁSICA LEE, J. D. Química inorgânica não tão concisa. 4. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1996. SHRIVER, D. F.; ATKINS, P. W. Química Inorgânica. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR MAHAN, M. Química um curso universitário. 4. ed. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2000. SOUZA, A. A. Elementos de Química Quântica. Natal: Átomo, 2007. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 62
  • 64. TÓPICOS ESPECIAIS EM QUÍMICA COMPONENTE CURRICULAR: 45 H 03 CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: PRÉ-REQUISITO: VARIÁVEL NATUREZA: OPTATIVA ÁREA CURRICULAR: No Q68 Q08 OBJETIVO: Estudo e discussão de temas atuais e relevantes para desenvolvimento da Química. EMENTA: Conteúdo aberto a ser definido de acordo com as necessidades do corpo discente e as características do quadro docente. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ATKINS, P.; JONES, L. Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. BROWN, T. L. Química – a ciência central. 9. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. EBBING, D. Química geral. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999. Vol. 1. e 2. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2005. LEE, J. D. Química inorgânica não tão concisa. 4. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1996. MAHAN, M. Química um curso universitário. 4. ed. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2000. MENDHAM, J.; NENNEY, R. C.; BARNES, J. D.; THOMAS, M. J. K. VOGEL: Análise Química Quantitativa. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. MORRISON, R. T. Química Orgânica. 13. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1996. SHRIVER, D. F.; ATKINS, P. W. Química Inorgânica. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003. SOLOMONS, T. W. G. Química Orgânica. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002. Vol. 1 e 2. SOUZA, A. A. Elementos de Química Quântica. Natal: Átomo, 2007. VOET, D; VOET, J. G.; PRATT, C. W. Fundamentos da Bioquímica. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002. 9. CONDIÇÕES DE OFERTA DO CURSO 9.1. Formas de Ingresso O ingresso no Curso de Licenciatura em Química da Unidade Acadêmica de Educação do Centro de Educação e Saúde, UFCG, far-se-á mediante classificação através de processos seletivos, como concurso vestibular, transferência voluntária, ingresso de graduado, reingresso, reopção. (Art. 55 do Regimento Geral da Universidade Federal de Campina Grande). Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 63
  • 65. 9.2. Recursos Humanos A Unidade Acadêmica de Educação, a qual o Curso de Licenciatura em Química é vinculado, conta hoje com um quadro de pessoal que envolve docentes e técnicos administrativos. No que se refere ao quadro docente, a Unidade Acadêmica conta hoje com 30 (trinta) professores efetivos dos quais 17 (dezessete) são doutores e 13 (treze) mestres. O curso de Licenciatura em Química conta com um número de professores da área específica de Química insuficientes que, embora muito dedicados, não serão em longo prazo a melhor opção para sanar as dificuldades das atividades de ensino, com a implantação desta proposta curricular, pois haverá um acréscimo na quantidade de componentes curriculares durante o transcorrer do Curso. Desse modo, será imprescindível a contratação de novos docentes para todas as áreas da Química. No tocante aos técnicos em laboratório, vale salientar que a Unidade Acadêmica de Educação não possui nenhum técnico de laboratório da área de Química. Portanto, é necessário envidar esforços para contratação destes profissionais com formação técnica em Química para auxiliar nas aulas práticas da graduação. 9.3. Infra-Estrutura Por se tratar de um campus novo, encontra-se atualmente em fase final de construção no Centro de Educação e Saúde 02 (dois) blocos de salas de aula com 14 salas de aula cada um, ambiente para professores, biblioteca setorial e central de laboratórios (Figura 1). Figura 1. Representação esquemática do Centro de Educação e Saúde Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 64
  • 66. Dentro da estrutura acadêmica, o Curso de Licenciatura em Química contará com cinco (05) laboratórios e ambientes didáticos (sala de apoio pedagógico), com seus equipamentos que possibilitarão diversas formas de articulação curricular. Os blocos didáticos da Unidade Acadêmica de Educação possuem 28 salas com capacidade para 50 alunos cada. As salas dispõem dos seguintes materiais didáticos pedagógicos: retro-projetor, sistema de TV e vídeo, computador e projetor multimídia. Entretanto, faz-se necessário a adequação destas salas à utilização das facilidades de Internet. No referido bloco, há 02 banheiros (masculino e feminino) e 02 bebedouros com água gelada. As aulas práticas serão ministradas em 05 laboratórios nas dependências da Unidade Acadêmica de Educação, situados na Central de Laboratórios, que está em fase final de construção. Os laboratórios são: Laboratório de Química Geral e Inorgânica, Laboratório de Química Orgânica, Laboratório de Química Analítica, Laboratório de Físico-Química e Laboratório de Ensino de Química; todos eles, podendo acomodar 16 alunos por turma. Estes laboratórios disporão de centrais analíticas, equipadas com instrumentos e equipamentos de última geração, que apoiarão a parte experimental de equipamentos do Curso nas disciplinas experimentais. Um laboratório necessário que será situado na Sala B03 funcionará uma Oficina de Metodologia e Didática de Ensino de Química, onde os alunos poderão desenvolver sua natureza criativa aplicada ao ensino de nível fundamental e médio. Esta oficina terá por finalidade atender aos componentes curriculares da formação pedagógica, devendo estabelecer estreitas relações com a futura prática profissional do aluno. O curso dispõe de um Laboratório de Informática, voltado para o ensino de ciências, que tem por finalidade atender às demandas didáticas solicitadas pelas componentes curriculares mais específicos do campo do ensino, oferecendo como suporte equipamentos de informática, possibilitando ao aluno desenvolver habilidades digitais que são requeridas como competências para determinadas disciplinas do curso, bem como desenvolver competências de professor-pesquisador através do uso da internet como local de busca de informações. O Curso de Licenciatura em Química da Universidade Federal de Campina Grande será apoiado pela Biblioteca Central, tendo a Biblioteca Setorial do Centro de Educação e Saúde, como suporte principal para o aluno. A biblioteca setorial conta com uma literatura bastante atualizada em todas as áreas da Química. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 65
  • 67. 10. AVALIAÇÃO A avaliação permanente do Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química, a ser implementado com esta proposta, é importante para aferir o sucesso do currículo para o curso, como também detectar falhas e sugerir alterações futuras que venham a melhorar este projeto, vez que o projeto é dinâmico e deve passar por constantes avaliações. A periodicidade de avaliação do Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química darse-á de quatro em quatro anos, ou na medida que forem surgindo normas regulatórias que possam aferir mudanças no referido projeto. 10.1. Avaliação Institucional Os mecanismos a serem utilizados deverão permitir uma avaliação institucional e uma avaliação do desempenho acadêmico - ensino/aprendizagem, de acordo as normas vigentes, viabilizando uma análise diagnóstica e formativa durante o processo de implementação do referido projeto. Deverão ser utilizadas estratégias que possam efetivar a discussão ampla do projeto mediante um conjunto de questionamentos previamente ordenados que busquem encontrar suas deficiências, se existirem. O curso será avaliado também e fundamentalmente pela sociedade através da ação-intervenção docente/discente, expressa na produção científica e nas atividades concretizadas no âmbito da extensão universitária. 10.2. Avaliação das Condições do Ensino Os roteiros propostos pelo SINAES e pelo INEP/MEC para a avaliação das condições do ensino integram procedimentos de avaliação e supervisão em atendimento ao artigo 9º, inciso IX, da Lei nº 9.394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. A avaliação em questão contempla os tópicos: • Organização didático-pedagógica: administração acadêmica, projeto do curso, atividades acadêmicas articuladas ao ensino de graduação; • Corpo docente: formação acadêmica e profissional, condições de trabalho; atuação e desempenho acadêmico e profissional; • Infra-estrutura: instalações gerais, biblioteca, instalações e laboratórios específicos. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 66
  • 68. 10.3. Avaliação do Processo Ensino-Aprendizagem 10.3.1. Avaliação de Desempenho Docente A avaliação do desempenho docente será efetivada pelos alunos/disciplinas, fazendo uso de formulário próprio e de acordo com o processo de avaliação institucional. 10.3.2. Avaliação e Acompanhamento Discente Deverá ser realizada a avaliação do desempenho discente nas disciplinas, seguindo as normas em vigor na Instituição. Assim, analisando, dinamizando e aperfeiçoando todo esse conjunto de elementos didáticos, humanos e de recursos materiais, o curso poderá ser aperfeiçoado visando alcançar os mais elevados padrões de excelência educacional e, conseqüentemente, da formação inicial dos futuros profissionais da área. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 67
  • 69. 11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Lei N°2.800/56. Cria o Conselho Federal de Química. BRASIL. Lei No 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES. CFQ. Resolução Normativa No 36. Datada de 25/04/74 do Conselho Federal de Química. ForGRAD – Fórum de Pró-Reitores das Universidades Brasileiras. Concepções e Implementação da Flexibilização Curricular. ForGRAD, 2003. ForGRAD – Fórum de Pró-Reitores das Universidades Brasileiras. Do pessimismo da razão para o otimismo da vontade: Referências para a construção dos projetos políticos pedagógicos nas IES brasilieras. ForGRAD, 1999. GALIAZZI, M. C. Educar pela Pesquisa Ambiente de Formação de Professores de Ciências. Ijuí: Editora da Unijuí, 2003. LUDKE, M. Avaliação institucional: formação de docentes para ensino fundamental e média (As licenciaturas). Cadernos CRUB, Brasília, v.1, n. 4, 1994. MEC. Lei Nº 9.394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB. MEC. Parecer CNE/CES 1303/2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Química, aprovado em 06/11/2001. MEC. Parecer CNE/CP 009/2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. MEC. Parecer CNE/CP 027/2001. Dá nova redação ao item 3.6, alínea c, do Parecer CNE/CP 9/2001. MEC. Parecer CNE/CP 028/2001. Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. MEC. Parecer CNE/CP No 2/2002. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica do Conselho Nacional da Educação, em 16 de fevereiro de 2002. MEC. Portaria MEC 2051/2004. Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, instituído na Lei Nº 10.861, de 14 de abril de 2004. MEC. RESOLUÇÃO CNE/CP 1/2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 68
  • 70. MEC. Resolução CNE/CP 2/2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior.2002. PACHECO, J. A. Área de Projeto: Uma Componente Curricular Não-Disciplinar. In: Lopes, A. C.; Macedo, E. (Orgs.). Disciplinas e Integração Curricular: História e Políticas. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2000, p. 177-220. REBOUÇAS, M. V., PINTO, A. C., ANDRADE, J. B. Qual é o Perfil do Profissional de Química que Está Sendo Formado? Esse é o Perfil de que a Sociedade Necessita? Química Nova, vol 28, 2005. UFPB. Resolução no 39/99 do CONSEPE da UFPB. Aprova a sistemática de elaboração e de reformulação do Projeto Político Pedagógico dos Cursos de Graduação da UFPB, 16 de setembro de 1999. ZUCCO, C. A Graduação em Química: um novo Químico para uma nova era. Química Nova, vol. 28, 2005. ZUCCO, C.; PESSINE, F.B.T., ANDRADE, J.B. Diretrizes Curriculares para os Cursos de Química. Química Nova, vol. 22, p. 454-461, 1999. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química 69