Europa no século xix

2,417 views
2,186 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,417
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
296
Actions
Shares
0
Downloads
67
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Europa no século xix

  1. 1. Inglaterra • Hegemonia inglesa no século XIX; • Pax Britannica da Era Vitoriana; • Movimento operário: Cartismo. • Sociedade Fabiana (movimento político)
  2. 2. Cartismo • Sufrágio universal masculino (o direito de todos os homens ao voto); • Voto secreto através da cédula; • Eleição anual; • Igualdade entre os direitos eleitorais; • Participação de representantes da classe operária no parlamento; • Remuneração aos parlamentares.
  3. 3. Sociedade Fabiana • Os fabianistas eram tidos como socialistas utópicos, pois negavam a necessidade da luta de classe por parte do proletariado, bem como da revolução socialista. • Segundo este pensamento, a transição do Capitalismo para o Socialismo se daria através de pequenas reformas e mudanças paulatinas na sociedade.
  4. 4. França
  5. 5. • Não deve ser visto como parte da Revolução Francesa, mas sim consequência direta dela. • Momento de triunfo e consolidação da burguesia no poder. • Napoleão sepultou as duas ameaças que ainda pairavam sobre a burguesia: a reação absolutista e o radicalismo jacobino. • O período Napoleônico (1799-1815) é dividido em três fases: Consulado, Império e Governo dos Cem Dias. • Áustria, Rússia e Prússia, foram sucessivamente derrotadas por Napoleão.
  6. 6. • O Consulado inicia com o Golpe de 18 de Brumário. • Durante o Império, Napoleão tenta conquistar a Inglaterra, militarmente. Não conseguiu. • Decretação do Bloqueio Continental. • A corte portuguesa, protegida pela marinha inglesa, foge para o Brasil. • A Rússia, que resolveu romper o bloqueio, foi invadida por Napoleão. Puro desastre. O inverno russo praticamente derrotou Napoleão. • Derrotado, Napoleão foi exilado na Ilha de Elba. • Fugiu de Elba e voltou à França, iniciando o Governo dos Cem Dias. • Derrotado em Waterloo, na Bélgica, foi exilado na Ilha de Santa Helena, onde morreu, em 1821.
  7. 7.  O objetivo era restabelecer o equilíbrio político do continente europeu.  Ideologicamente, o Congresso de Viena estabeleceu o Princípio da Legitimidade, que definia que as antigas casas monárquicas deveriam ser restauradas, começando pela própria França, e as antigas fronteiras deveriam ser respeitadas, uma vez que Napoleão tinha mexido em todas.
  8. 8. • Restauração Francesa, 1815-1830; • Dinastia dos Bourbons retoma o poder com Luís XVIII, reimplantando o absolutismo;
  9. 9. • Período de Instabilidade Política; • Disputa entre Ultrarealistas X Bonapartistas X Radicais. • Carlos X assume o trono; • Revolução liberal de 1830, ou Revolução de Julho; • Jornadas Gloriosas; • Carlos X foge da França; • Governo Liberal de Luís Felipe
  10. 10. Monarquia de Julho (1830 - 1848) • Luís Felipe (Rei burguês) assume o trono; • Reforma da Constituição e fortalecimento do liberalismo; • Eleições censitárias; • Aprofundamento das insatisfações (bonapartistas, republicanos, socialistas) • Grandes manifestações contra o rei (política dos banquetes); • 1848, Explode a Revolução – Proclamação da República; • Começa um surto revolucionário pelo mundo: “Primavera dos Povos”;
  11. 11. Segunda República (1848 – 1852) • Convocação de uma Assembléia Constituinte e de um governo provisório; • Abolição da pena de morte e implantação do sufrágio universal; • Temendo a volta do “Terror” a burguesia prepara um golpe;
  12. 12. Segundo Império (1852 - 1870) • Luis Bonaparte, sobrinho de Napoleão é eleito com 73% dos votos; • Ao final do ano de 1851, fechou o parlamento e estabeleceu uma ditadura; • Concentrou poderes em suas mãos e mudou o nome para Napoleão III; • Por conta da pressão da burguesia, fez concessões.
  13. 13. • Promoveu expansão econômica; • Deu início a uma nova colonização (Indochina e norte da África); • Apoiou a Unificação Italiana; • Após a pressão da Igreja, mudou de lado; • Participação desastrosa na Guerra da Criméia (1854-1856, contra a Rússia) • Tentou intervir no México em 1862; • Acabou sendo preso na guerra Franco- Prussiana, em 1870
  14. 14. Terceira República (1870 - 1940) • Começa em Crise. Thiers (1º ministro) foge por conta do avanço dos alemães); • O Povo de Paris se revolta; • Em março de 1871 é proclamada a Comuna de Paris! • Durou até 1872 e foi sufocada pelos alemães
  15. 15. Itália • Risorgimento (Um jornal, disseminava a Ideologia que levou a unificação Italiana); • Os Carbonários (sociedade secreta) esteve intimamente ligado ao movimento; • Monarquistas e Republicanos lutam pela unificação • Durante a luta pela unificação, as diferenças entre os grupos surgem.
  16. 16. Camisas Vermelhas • Tropas populares lideradas por Garibaldi; • Através da luta armada conquistam a Sicília e o sul da península; Monarquistas • Ao norte, a conquista foi realizada pelos monarquistas;
  17. 17. • Giuseppe Garibaldi, liderava os republicanos; • Conde de Cavour, liderava os monarquistas; • O processo de unificação acabou sendo liderado pelos monarquistas; • Reino de Piemonte-Sardenha, ao norte da Itália, que contava com a presença de uma burguesia dinâmica ligada a Industria têxtil; • 1860: França (Napoleão III) apóia a batalha contra os Austriacos;
  18. 18. Unificação do Movimento • Buscando fortalecer a luta pela unificação, Garibaldi (camisas vermelhas / republicanos) cedeu a direção da luta para Cavour e Vitor Emanuel II (monarquistas);
  19. 19. Napoleão III, muda de lado! • Para defender os territórios da Igreja, Napoleão III (pressionado na França) se aproxima da Áustria e garante a defesa armada de Roma; • Napoleão III também temia uma Itália unifica de forte;
  20. 20. Impasse para a Unificação • Veneza estava sob o controle da Áustria, sem apoio externo não havia como superá-la; • Atacar Roma seria considerada declaração de Guerra a França;
  21. 21. Guerra das Sete Semanas • Prússia lança um intervenção militar contra a Áustria. Veneza que estava sob domínio austríaco passa para a mão dos unificadores.
  22. 22. Guerra Franco-Prussiana • Com a vitória dos Germânicos sobre os Franceses, estava aberto o caminho para a ocupação dos territórios papais.
  23. 23. Questão Romana • O Papa Pio IX não reconheceu a unificação italiana e se declarou prisioneiro em Roma. • Apenas em 1929, o Papa Pio XI assinou com Mussolini o Tratado de Latrão, criando o Vaticano independente da Itália.
  24. 24. • O atual território alemão era, até o século XIX, composto por vários pequenos estados e principados; alguns deles administrados pela Igreja Católica. • Estes estados estavam divididos entre estados católicos e protestantes, havendo a união entre Estado e Igreja, portanto uma religião oficial: • Áustria: Católica • Prússia: Protestante
  25. 25. Unificação Alemã • Confederação do Reno (Criado por Napoleão I); • Confederação Germânica (Criada após o congresso de Viena – Principal influência: Império Austríaco) • Prússia se destaca na confederação por ter participado da luta contra Napoleão e pela sua economia que está em rápido desenvolvimento.
  26. 26. Disputas • Prússia e Áustria passam a disputar a hegemonia; • A Burguesia prussiana buscava uma unificação dos estados, visando ampliar suas atividades econômicas; • Alguns aristocratas eram a favor da unificação, porém se opunham a um Estado nos moldes liberais.
  27. 27. Zollverein • Em 1834 é criado o Zollverein, uma união alfandegária para o livre comércio. Uma vitória da burguesia da Prússia
  28. 28. Guerras • Guerra dos Ducados, contra a Dinamarca. (1864) • Guerra das Sete Semanas, contra a Áustria. (1866) • Guerra Franco-Prússiana, contra a França. (1870)
  29. 29. Otto von Bismark • Otto von Bismark foi o grande estrategista que lutou pela unificação Alemã; • Preparou um forte exército; • Promoveu guerras para exaltar o sentimento nacionalista.
  30. 30. II Reich • Em 1870, no palácio de Versalhes, em Paris, Guilherme I é declarado Kaiser (imperador) da Alemanha, agora unificada.

×