Escandinávia        Dinamarca     Guia Mauro Friedrich       Dezembro de 2010maurofriedrich@gmail.com
   Área territorial: 43 mil                    Principais cidades:    km2 (península da Jutlândia, na    fronteira norte...
Dinamarca
   Os dinamarqueses são descendentes diretos dos                Vikings e até o século X eram politeístas, mas           ...
   POVOS VIKINGS               Os povos vikings habitaram a Escandinávia entre                o ano 400 e 1000 DC. Eram ...
   A Dinamarca tem suas         Histórico    origens na pré-    história, sendo    também considerada           Séculos...
   A Dinamarca dominou          Histórico    politicamente a    Noruega e a Suécia por    1397 a 1814 - A “União de Kalm...
   Os monarcas escandinavos mais destacados:      950 – 985 – Haroldo Dente Azul, rei viking que unificou os povos escand...
   O rei Cristiano IV (1588 – 1648) governou a Dinamarca e                       Noruega, quando empenhou-se financeirame...
   Até o século XII - Copenhague era um    porto local e tinha o nome apenas de Haun    na era Viking ou de Hafnia (em la...
Dinamarca – Copenhague         1167 – 1176 – O bispo Absalão funda a cidade                                e constrói seu...
Dinamarca – Copenhague –Palácio Christianborg    O atual Palácio abriga 179 parlamentares eleitos na Dinamarca desde a Co...
Dinamarca – Copenhague – Borsen (a Bolsa)    O prédio da Bolsa de     Copenhague (Borsen) foi     construído no século 16...
Dinamarca – Copenhague – Palácio Rosenborg    Palácio das     Rosas    1606 – 1624 – Foi     construído pelo rei Cristia...
   O complexo de 4    palácios que são a                                         Dinamarca –    residência de inverno    ...
Dinamarca – Copenhague – A Pequena Sereia    Um dos mais conhecidos     símbolos da cidade de     Copenhague e da     Din...
Dinamarca – Copenhague – Parque Tivoli    1843 – Georg     Carstensen projeta um     parque temático e de     lazer públi...
Dinamarca – Copenhague – Prefeitura (Radhus)                                      1905 – Construído em estilo            ...
Dinamarca – Copenhague – Nova Glyptoteka Carlsberg                                     O museu de esculturas de          ...
Dinamarca – Copenhague – Fonte de Gefion    A escultura da fonte, data de 1908, está no Parque Langeline e representa a d...
Dinamarca – Copenhague – Stroget    É a principal rua de comércio e de pedestres da cidade de Copenhague que liga a Praça...
Dinamarca – Copenhague – IgrejaLuterana de Nosso Salvador    1682 – 1695 – Construção da     igreja em estilo barroco hol...
Dinamarca – Copenhague –Castelo de Kronborg   O rei Erick da Pomerâmia construira em 1420 duas fortificações em cada lado...
Dinamarca – Copenhague –Castelo de Kronborg –Hamlet, o príncipe da Dinamarca                                              ...
Dinamarca – Copenhague –Castelo Fredensborg   O castelo de Fredensborg (o Castelo da Paz) foi construído em 1722, as    m...
Dinamarca –Copenhague –CasteloFredericksborg                    O mais magnífico dos palácios barrocos da Dinamarca,     ...
Somente em 1847, com a chegada de ferrovias                                                    à Roskild ligando a Copenha...
Dinamarca – Roskild- Vikingeskibsmuseet   Roskild foi a cidade mais importante e centro    político da era viking no sécu...
Dinamarca – Roskild -Domkirkken   1170 até o século XV – Construção pelo Bispo Absalão da    Catedral de Roskild (Domkirk...
Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Túmulo da rainha Margarete I  Túmulo da Rainha Margarete I – (atrás do altar principal, ...
Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Túmulos reaisTúmulo do rei Cristiano IV – Assumiu o trono aos 11 anos de idade,        T...
Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Túmulo de Cristiano ITúmulo de Cristiano I –(no chão) (1426 – 1481 falecido em Copenhagu...
Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Túmulo do rei Frederico IX e da rainha IngridO único mausoléu real que está localizado n...
Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Relógio Mecânico de São Jorge                                Um dos mais interessantes  ...
Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Altar mór da catedral                        Esta peça de madeira folheada a            ...
Dinamarca – Roskild – Domkirkken –A Reforma Protestante de Martim Lutero              O frei agostiniano Marim Lutero (fot...
Dinamarca – PonteStore BaeltÉ a maior ponte túnel do mundo,   ligando a ilha da Zelândia a ilha de   Finn, num total de 18...
   É a menor das 3 maiores ilhas    dinamarquesas, sendo considerada    como a Ilha Jardim.   População: 300 mil habitan...
Dinamarca - Odense   Origem do nome:    adotado na Idade Média e    derivado do nome da    divinidade máxima da    mitolo...
Dinamarca – OdenseHans Christian Andersen, o contadorde estórias   2/04/1805 – Nascimento em Odense, filho de uma família...
Dinamarca – Península da Jutlândia   População: 2,5 milhões habitantes (2008)   É o território continental da Dinamarca,...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Veijle                       Veijle é uma pequena cidade,                        por...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Billund                                Localizada a apenas 30 Km de Veijle          ...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Legoland   A Legoland e a empresa Lego tiveram que adaptar-se aos novos gostos das c...
Dinamarca – Península da                          População: 270 mil habitantes                                           ...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Aahrus                                        CATEDRAL        DE       AARHUS       ...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Aahrus                          PREFEITURA (RADHUS) - Projetada por Arne            ...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Aahrus                           CONCERT HALL - é uma estrutura coberta de          ...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Randers        População: 65 mil               habitantes.       Cidade medieval de...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Ebeltoft   Cidade balneária às margens da Baía de Ebeltoft no mar Báltico    foi imp...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Ebeltoft   FRAGATA    JYLLAND            –    construída       em    madeira        ...
Dinamarca – Península da Jutlândia - Aalborg                                   Aalborg      tem      160     mil         ...
Dinamarca – Península daJutlândia – AalborgJomfru Ane Gade(Rua da Virgem Ana)    Próxima ao antigo porto da cidade,     e...
Dinamarca – Península da                                                   Jutlândia – Aalborg                            ...
   A igreja    homenageia um        Dinamarca – Península    santo inglês, seus    alicerces datam                       ...
 O Monastério do Espírito                                                   Santo (Holy Ghost), datado                   ...
Dinamarca – Península da jutlândia – Aalborg –Moller parkvej                     O parque foi estabelecido entre 1933 e 1...
Aalborg tour
Dinamarca – Península da Jutlândia –Norresundby – Lindholm Hoje                                                           ...
   Os povos vikings usavam 24 símbolos                              gráficos, dispostos em pedras, na forma              ...
Dinamarca – Península daJutlândia - Blokhus                              È uma cidade balneária ao norte da              ...
Dinamarca – Península da Jutlândia – Hirthals Haun Cidade ao norte da península da Jutlândia, distante cerca de 1  hora d...
Dinamarca – Península da Jutlândia – Estreito de Skagerrak                                    O estreito tem 140 km de la...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Escandinávia dinamarca 2010

2,083 views
1,843 views

Published on

Denmark tour for Brazilians

Published in: Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,083
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • A região da Escandinávia compreende a Dinamarca, a Noruega, a Suécia e a Groenlândia. A Finlândia por ter sido colonizada por povos não vikings, mas posteriormente dominada pelos suecos por quase 6 séculos, passou a ser considerada informalmente como parte da Escandinávia também.
  • A Dinamarca é considerada uma das mais antigas monarquias do mundo, e o sistema monárquico conseguiu adaptar-se aos tempos modernos e continua a ser adotado no governo do país.
  • Devido a sua estratégica posição territorial, localizada na entrada do Mar Báltico, a Dinamarca consolidou o seu poder militar e comercial controlando as rotas de navegação entre o Mar Báltico e o Oceano Atlântico. Os vikings, povo que deu origem ao país, já eram exímios navegadores desde a Antiguidade, o que facilitou a consolidação do poder dos dinamarqueses, com conquistas de várias cidades na Europa.
  • A atual Dinamarca é modelo de alto padrão de vida, bem estar social, e pacifismo. O país consegue manter o equilíbrio entre a tradição cultural e a modernidade, sem grandes confrontos sociais.
  • Os vikings deixaram suas marcas na cultura dinamarquesa, mas já vai longe o tempo das batalhas sangrentas e das conquistas a custas de saques e roubos das cidades européias. A Dinamarca de hoje é composta por um povo educado e pacífico, mais preocupado com a conservação do meio ambiente do que em produzir armas ou destruição de outros países.
  • O legado do antigo rei Haroldo Dente Azul, um viking que se tornou cristão e adotou esta religião para todo o seu povo, provocou ao longo do tempo uma completa transformação da identidade dos povos escandinávos.
  • As principais rotas de comércio na Idade Média eram feitas por caravanas do Oriente e por navegações no Mar Mediterrâneo. O mar Báltico era também uma excelente opção de acesso às rotas do Oriente, a partir de países do norte europeu. Os alemães através da Liga Hanseática (espécie de cooperativa de mercadores alemães) foram os primeiros a explorar estas rotas bálticas, fazendo com que os países escandinavos buscassem também a sua forma de atuar neste negócio. A União de Kalmar foi a primeira tentativa dos escandinavos contra a Hansa, mas as rotas marítimas do Atlântico iriam abrir ao mundo novas opções, dando fim a era das navegações comerciais nos mares do Mediterrâneo e no Báltico.
  • O sistema monárquico foi adotado também pelo cristianismo, fazendo do rei (ou rainha) uma figura quase que sagrada para seu povo. Cabia ao Papa (ou ao Bispo, seu representante) celebrar a cerimônia de coroação de um novo rei (ou rainha), dando então o “aval” religioso aos seus atos e decisões políticas. Por outro lado, os monarcas sabiam que deveriam prestar certo grau de obediência ao Papa, assim como faziam contribuições financeiras à Igreja católica. Somente com o movimento da Reforma, surgido em 1536, os monarcas passam a apoiar os líderes religiosos protestantes, objetivando diminuir a influência papal em seus reinos.
  • As grandes obras realizadas pelos monarcas nas cidades só eram possíveis por que na época havia o entendimento que o rei era uma espécie de “pai da nação”. Os interesses do rei eram necessáriamente os interesses do país. A curiosa citação do rei francês Luis XV que afirmou: “O Estado sou eu!” dá a dimensão do pensamento generalizado na época sobre o uso de verbas públicas na construção de palácios e prédios suntuosos (que hoje são apreciados pelos turistas). Tal sentimento, embora em outras proporções, ainda persistem nos governos de muitos países modernos.
  • Copenhague foi o porto que centralizou os depósitos de mercadorias transportadas pelas frotas comerciais dinamarquesas, tornando-se um importante pólo gerador de riquezas para o país.
  • O Palácio de Christianborg está localizado numa ilha onde iniciou-se a construção do primeiro castelo do Bispo Absalão em 1167, que é considerado o ponto de fundação da cidade de Copenhague.
  • Os monarcas atuais da Dinamarca são apenas coroados no salão principal do Palácio, mas sua residência em Copenhage está no complexo de palácios de Amelienborg.
  • O estilo renascentista, adotado nos palácios e prédios de Copenhague, era uma tendência importada de Amsterdã. Há notáveis semelhanças de traços arquitetônicos em prédios das duas cidades, construídos na mesma época.
  • Na mitologia viking, o paraíso era o Vahala que era alcançado através da morte do guerreiro em batalha, que seria conduzido para lá pelas Valquírias (deusas míticas). Odin era o deus supremo; Thor, filho de Odin era também a divinidade da guerra e do trovão; Lott, outro filho de Odin, era a divinidade da maldade. A era viking durou de 700 a 1050 DC, quando o rei viking Haroldo Dente Azul impôs a forla de espada a cristianização dos vikings, encerrando o período da mitologia viking.
  • Escandinávia dinamarca 2010

    1. 1. Escandinávia Dinamarca Guia Mauro Friedrich Dezembro de 2010maurofriedrich@gmail.com
    2. 2.  Área territorial: 43 mil  Principais cidades: km2 (península da Jutlândia, na fronteira norte com a Alemanha, ilhas  Copenhague (Kobe Haun, “ porto de Finn, Zelândia, Borhnholm – no dos mercadores”) – Capital do país – meio do mar Báltico e outras 406 ilhas 2,7 milhões de habitantes (2009) na menores, das quais apenas 98 são área metropolitana. habitadas). População: 5,2 milhões de  Arhus (cidade industrial) – 2ª. Maior habitantes. cidade do país – 450 mil habitantes. Regime de governo: Monarquia Constitucional – Rainha  Odense – 3ª. maior cidade - 280 Margarete II (desde 1972) mil habitantes  Aalborg – 4ª. Maior cidade – 160 mil habitantes.  Roskild (antiga capital da Dinamarca) – 5ª. Maior cidade - 54 mil habitantes (2004)Dinamarca
    3. 3. Dinamarca
    4. 4.  Os dinamarqueses são descendentes diretos dos Vikings e até o século X eram politeístas, mas por imposição do Rei Haroldo Dente Azul , entre 960 e 980, adotaram o cristianismo.  O Luteranismo (oriundo da reforma religiosa liderada pelo monge alemão Martim Lutero) é a religião oficial do estado desde 1536. Cerca de 92% dos dinamarqueses se apresentam como luteranos, porém a prática da religião não é muito incentivada na população.  Cerca de 50% da população de Copenhague trabalha para o governo.  Os impostos sobre a renda anual dos dinamarqueses são de 31 a 38% em média (um das mais altas taxações fiscais do mundo).Dinamarca
    5. 5.  POVOS VIKINGS  Os povos vikings habitaram a Escandinávia entre o ano 400 e 1000 DC. Eram agricultores, nômades e de grande coragem. Na Idade Média fizeram muitas conquistas de cidades na Europa, sendo considerados “bárbaros terríveis”. Sua maior vantagem nas batalhas era o domínio da arte de construção de embarcações ligeiras e de navegação.  A imagem popular dos vikings com capacetes de chifres surgiu com a obra operística de Richard Wagner (Leipzig 1813 – Veneza 1883), Tetralogia, libreto de 4 óperas baseadas em lendas escandinávas. Na obra “ As Valquírias” (1852-1856), Wagner que era adepto do teatro místico, resolve colocar em cena vikings com capacetes com enormes chifres (que historicamente não existiam), marcando para sempre a imagem e o ícone dos vikings.Dinamarca
    6. 6.  A Dinamarca tem suas  Histórico origens na pré- história, sendo também considerada  Séculos VII e VIII – o território da uma das mais antigas Escandinava descongelou-se. monarquias do mundo.  Século VII – Data de sua fortaleza mais antiga e da origem do alfabeto Em vários momentos de sua história, rúnico, usado pelos Vikings. dominou territórios da Inglaterra, Noruega,  980 – O rei Haroldo Dente Azul Suécia e Islândia e (foto) unifica o reino da Dinamarca. parte de territórios na atual Alemanha.  1157 – O Bispo Absalão , meio- O país está localizado irmão do rei Waldemar, o Grande, na entrada do Mar recebe a posse das terras da cidade Báltico, acessível por de Copenhague, e constrói ali uma navegação maritima fortaleza, fundando a cidade em apenas por 3 estreitos dinamarqueses. 1167.Dinamarca
    7. 7.  A Dinamarca dominou  Histórico politicamente a Noruega e a Suécia por 1397 a 1814 - A “União de Kalmar” unificou mais de 4 séculos, o sob um só reinado a Dinamarca, a Noruega que explica em parte a e a Suécia (por algum tempo). Desta semelhança dos forma os povos escandinavos conseguiram idiomas dinamarquês, se fortalecer frente aos comerciantes norueguês e sueco, alemães da Liga Hanseática, nas rotas comerciais do mar Báltico. embora sejam línguas diferentes entre si. 1492 – 1500 – Com a descoberta de novas rotas marítimas, feitas por portugueses e A Noruega, entre os 3 espanhóis, as rotas do Báltico vão países, foi o que perdendo a sua importância econômica e conquistou sua política. É a era das Grandes Descobertas. independência plena somente em 1905, já no século XX. A Dinamarca teve colônias em ilhas e até mesmo em lugares da Ásia, que lhe permitiu um bom acúmulo de riquezas.Dinamarca
    8. 8.  Os monarcas escandinavos mais destacados: 950 – 985 – Haroldo Dente Azul, rei viking que unificou os povos escandinávos e os cristianizou (a força de espada). 1157 – 1182 – Waldemar I, o Grande (1131 a 1182), entregou as terras de Copenhague a seu meio irmão o Bispo Absalão, que fundou a cidade, atual capital do país. 1375 -1412 – Rainha Margarete I (1353 a 1412) (foto), filha do rei Waldemar IV, casou-se aos dez anos de idade , em 1363, com o rei da Noruega, Haakon VI, assumindo o trono em 1375 e unificando os 3 reinos escandinavos. Foi a introdutora da União de Kalmar em 1397 que durou até 1814, pacto que uniu os 3 países sob o mesmo reinado. Foi dela a iniciativa de trocar o Latim pela língua dinamarquesa para uso dos textos administrativos do seu governo. 1412 – Eric da Pomerânia, príncipe alemão que era rei também da Dinamarca desde 1396 até 1412 junto com a rainha (sua tia-avó), sucede Margarete I no trono como o primeiro rei da União de Kalmar e transfere a capital da Dinamarca de Roskild para Copenhague em 1416. Em 1429, o rei Eric implanta postos de coleta de impostos dos navios que entravam no Mar Báltico pelo estreito de Helsingfor, gerando uma substanciosa fonte de receitas para a Dinamarca (que durou até 1857). 1588 – 1648 – Cristiano IV, filho e sucessor do rei Frederico II, incentivador de grandes obras nas cidades da Dinamarca e Noruega, no estilo renascentista. Oslo foi renomeada em sua homenagem, como Christiania entre 1624 e 1924, quando voltou ao nome original. Assumiu o trono aos 11 anos de idade (1588) e reinou por 60 anos, tornando-se o soberano que mais tempo ficou no poder na Dinamarca.Dinamarca
    9. 9.  O rei Cristiano IV (1588 – 1648) governou a Dinamarca e Noruega, quando empenhou-se financeiramente em construir grandes prédios e palácios renascentistas em Copenhague (como o antigo prédio da Bolsa de Mercadorias –foto – e o Christianborg, atual palácio do parlamento da Dinamarca) e em Oslo (que na época teve seu nome mudado para Cristiania, em homenagem ao rei).  Assumiu o trono quando o país se recuperava da Guerra dos 7 anos (1563 – 1570) contra a Suécia, mas na Guerra dos 30 anos (1618-1648), os suecos conseguem separar- se da Dinamarca, mas a Noruega permanece sob o reino da Dinamarca até 1814.Dinamarca – Copenhague – Rei Cristiano IV
    10. 10.  Até o século XII - Copenhague era um porto local e tinha o nome apenas de Haun na era Viking ou de Hafnia (em latim) 1150 – a vila tinha uma população de 200 a 500 habitantes. 1157 - a pequena vila foi dada pelo Rei Waldemar, o Grande (1154 a 1182) a seu meio-irmão, o Bispo Absalão que ali construiu a primeira fortaleza – SLOTSHOLMEN (1167 - 1176); que se considera o marco de fundação da cidade. A vila era alvo de constantes ataques de noruegueses, e dos comerciantes alemães da Liga Hanseática. 1254 – foi elevada à condição de cidade.  1412 – Morre a rainha Margarete I, que dera 1400 - O nome mudou para Copenhague ou início à chamada “União de Kalmar” (1397 a em dinamarquês – Koben Haun – porto dos 1814), tratado que unificou a Noruega e a mercadores. Suécia sob o comando do reino da Dinamarca. Nihaun (porto novo) – foto ao lado  1416 – A capital da mais antiga monarquia do mundo é transferida de Roskild para Copenhague.Dinamarca - Copenhague
    11. 11. Dinamarca – Copenhague  1167 – 1176 – O bispo Absalão funda a cidade e constrói seu castelo na ilha Slotsholmen,– Palácio Christianborg local do atual palácio.  1369 – A Liga Hanseática toma e destrói o castelo. O bispo de Roskild ordena a reconstrução e o denomina Castelo de Copenhague.  1417 – Erick da Pomerânia que foi rei da Dinamarca, Suécia e Noruega entre 1389 e 1439, passa residir no castelo.  1588 -1648 – Cristiano IV, rei da Dinamarca e Noruega, constrói a Torre Azul no palácio, que tornou-se numa prisão.  1733 – 1745 – Cristiano VI assume o trono e manda construir o primeiro palácio Christianborg com 348 quartos.  1794 – primeiro grande incêndio do palácio.  1803 – 1828 – Construção do 2º. Palácio de Cristianborg, no local do primeiro.  1849 – O Parlamento Dinamarquês é sediado no palácio.  1884 – segundo grande incêndio do palácio. Sede do Parlamento da  1907 – 1928 - Construção do 3º. e atual Dinamarca palácio de Cristianborg, no mesmo local.
    12. 12. Dinamarca – Copenhague –Palácio Christianborg  O atual Palácio abriga 179 parlamentares eleitos na Dinamarca desde a Constituição de 1849, mas a sala do trono é usada nas cerimônias de gala, recepções e na coroação dos monarcas do país. O parlamento abre seus trabalhos no mês de Outubro.
    13. 13. Dinamarca – Copenhague – Borsen (a Bolsa)  O prédio da Bolsa de Copenhague (Borsen) foi construído no século 16, sendo uma das mais antigas edificações ainda em uso contínuo na cidade.  Sua torre, em forma espiralada, tem a altura de 160 metros.
    14. 14. Dinamarca – Copenhague – Palácio Rosenborg  Palácio das Rosas  1606 – 1624 – Foi construído pelo rei Cristiano IV, tendo sido usado como residência da família real da Dinamarca até 1710.  1794 – Depois do incêndio que destruiu o Cristianborg, o Rosenborg voltou a ser residência dos reis por um período.  1801 - Quando tropas inglesas ocuparam Copenhague, o Rosenborg voltou a ser residência provisória dos monarcas dinamarqueses.  O pequeno palácio abriga hoje o Museu das Jóias da coroa, do século XV ao século XIX, como a coroa do rei Cristiano IV (foto).
    15. 15.  O complexo de 4 palácios que são a Dinamarca – residência de inverno da família real em Copenhague – Copénhague são Palácio chamados genéricamente de Amalienborg Palácio Amalienborg, em homenagem a rainha Sophie Amalie, esposa do rei Frederick III. 1664 – Construção dos jardins dos palácios. 1669 – 1673 – Construção dos palácios, inicialmente como residências de nobres. 1794 – com a destruição do Cristianborg no 1º.  Os 4 prédios do complexo do Palácio de Amalienborg são: Grande incêndio, os  Palácio de Cristiano VII (aberto ao público) palácios de  Palácio de Cristiano VIII (aberto ao público) Amalienborg foram comprados para servir  Palácio de Cristiano IX de residência dos  Palácio de Frederick VIII (foto ao lado) monarcas.  Diariamente troca da guarda às 11,30 hs.
    16. 16. Dinamarca – Copenhague – A Pequena Sereia  Um dos mais conhecidos símbolos da cidade de Copenhague e da Dinamarca é a estátua da Pequena Sereia (escultura de Edvard Ericksen de 1913 , localizada em cima de uma pedra no porto de Copenhague).  O escritor dinamarquês Hans Christian Andersen (1805 -1875) notabilizou-se pelos contos infantis, entre eles as histórias do Patinho feio e da Pequena Sereia, entre outras histórias de contos de fadas.  A estátua de H.C. Andersen está ao lado da Prefeitura da cidade.
    17. 17. Dinamarca – Copenhague – Parque Tivoli  1843 – Georg Carstensen projeta um parque temático e de lazer público, para todas as classes sociais.  O nome do parque é a frase “I LOVE IT”, lido de trás para frente.  O desenhista e animador norte- americano WALT DISNEY inspirou-se no conceito de parque do Tivoli para criar a sua primeira Disneylândia, em Anehein, Califórnia, em 1953.
    18. 18. Dinamarca – Copenhague – Prefeitura (Radhus)  1905 – Construído em estilo romântico nacional pelo arquiteto Martin Nyrop, sendo ornamentada com a estátua do Bispo Absalão (fundador da cidade).  Em seu interior está exposto o famoso relógio astronômico de Jen Olsen, que foi completado entre 1943 e 1955.  O relógio astronômico (foto) tem 12 mostradores, 14 mil peças, e levou 50 anos para ser concebido e 12 anos para ser construído. Ele mede a hora local e a hora solar, assim como outras vertentes de cálculo de tempo, como os calendários (e feriados) dos próximos 2.500 anos, com máxima precisão matemática.
    19. 19. Dinamarca – Copenhague – Nova Glyptoteka Carlsberg  O museu de esculturas de Copenhague tem mais de 10 mil obras de arte, em sua maior parte doadas à cidade em 1888 por CARL JACOBSEN (1842 – 1914), colecionador de arte e filho do fundador da Cervejaria Carlsberg (uma das mais importantes do país).  Há obras da arte antiga Mediterrânea e até mesmo da arte moderna (como a famosa escultura O Pensador de Rodin).  O prédio da Glyptoteka está próximo ao Tivoli Parque, tendo sido construído no final do século XIX, com fachada em estilo renascentista veneziano.  2006 – O museu recebeu reformas e ampliou suas atividades culturais.
    20. 20. Dinamarca – Copenhague – Fonte de Gefion  A escultura da fonte, data de 1908, está no Parque Langeline e representa a deusa mitológica viking GEFION, que segundo a lenda teria transformado seus 4 filhos em bois para arar a terra da Dinamarca, pois Odin (o deus máximo da mitologia viking) lhe daria toda a terra que pudesse arar em apenas 1 dia. O trabalho foi completado e Gefion ganhou as terras da ilha de Bornholm (ilha dinamarquesa no meio do mar Báltico), cujas terras teriam sido retiradas da Suécia, pois lá existe um grande lago cuja a forma é semelhante ao contorno da ilha de Bornholm.  Ao lado da fonte, temos a torre da Igreja de Saint Albans, construída pelos ingleses anglicanos.
    21. 21. Dinamarca – Copenhague – Stroget  É a principal rua de comércio e de pedestres da cidade de Copenhague que liga a Praça da Prefeitura (Radhustorv) até a Nova Praça do Rei (Kongens nytorv), passando pelo centro da Praça Amagertorv (foto), onde se destaca a fachada do prédio da famosa fábrica de porcelana Royal Copenhaguen, de estilo renascentista, e em funcionamento até hoje.
    22. 22. Dinamarca – Copenhague – IgrejaLuterana de Nosso Salvador  1682 – 1695 – Construção da igreja em estilo barroco holandês, projjeto de Lambert von Haven.  1747 /1749 até 1752 – Construção da torre em forma de espiral anti-horário, projeto de Lauritz de Thurah. Também é chamada de Torre Saca Rolhas. Tem 90 metros de altura e suas escadarias dão 4 voltas completas na torre.  28 AGO 1752 – Inauguração da torre, com a subida do rei Frederico V ao topo da torre.  Seu órgão (foto ao lado) tem 4 mil tubos e foi montado na igreja entre 1698 e 1700.
    23. 23. Dinamarca – Copenhague –Castelo de Kronborg O rei Erick da Pomerâmia construira em 1420 duas fortificações em cada lado do canal de acesso entre o Oceano Atlântico e o Mar Báltico, como postos de coleta de impostos dos navios que passavam por ali, em troca de segurança para suas mercadorias. Em Helsingor, onde estava um destes postos de coletas no território dinamarquês, o rei Frederico II construiu o primeiro Kronborg em 1574, que foi destruído por um incêndio em 1629. Foi reconstruído pelo rei Cristiano IV, filho de Frederico II, entre 1629 e 1639 numa homenagem a seu pai. O castelo foi residência real até 1785, quando tornou-se num quartel militar.
    24. 24. Dinamarca – Copenhague –Castelo de Kronborg –Hamlet, o príncipe da Dinamarca Ser ou não ser..., eis a questão !  O famoso castelo dinamarquês ficou notabilizado como cenário da mais longa peça teatral escrita pelo não menos famoso autor inglês, William Shakespeare (foto), entre 1599 e 1601, “A Tragédia de Hamlet, o príncípe da Dinamarca”. Também considerada a mais popular das obras escritas por ele.  O fato curioso é que o autor jamais esteve no castelo pessoalmente. Sua obra foi inspirada em sagas dinamarquesas antigas. O personagem Hamlet é princípe da Dinamarca e sobrinho do então rei Claudius, e o castelo em Elsinore (nome antigo da cidade) era a residência dos monarcas. Anualmente, há um ferstival de peças do autor inglês no Kronborg.
    25. 25. Dinamarca – Copenhague –Castelo Fredensborg O castelo de Fredensborg (o Castelo da Paz) foi construído em 1722, as magens do lago Esrum, no norte da ilha da Zelândia, a pedido do rei Frederico IV. O estilo arquitetônico é o barroco francês, bastante em voga entre 1720 e 1726, e foi adotado pelo arquiteto Johan Cornelius Krieger. A idéia era construir um pequeno palácio de lazer numa fazenda, afastada de Copenhague. Atualmente, o palácio é usado como residência de verão da família real dinamarquesa. Visitas públicas internas só são possíveis no mês de julho, das 13 às 17 horas.
    26. 26. Dinamarca –Copenhague –CasteloFredericksborg  O mais magnífico dos palácios barrocos da Dinamarca, localizado na cidade de Hillerod, construído sobre 3 ilhas ligadas por pontes. O nome do palácio é uma homenagem, ao rei Frederico II, feita pelo seu filho o rei Cristiano IV, que construiu o palácio entre 1602 e 1622. Sua capela imperial, de culto luterano (foto ao lado), até hoje é usada em celebrações. Em 1859, o interior do palácio (exceto a capela) foi destruído por um incêndio.  O prédio foi restaurado com apoio financeiro das Cervejarias Carlsberg e eraberto em 1878 como Museu Nacional de História. Não há iluminação elétrica no castelo para não alterar as características originais do palácio.
    27. 27. Somente em 1847, com a chegada de ferrovias à Roskild ligando a Copenhague (foto daDinamarca – Roskild estação ferroviária da cidade), a cidade voltou a crescer. Suas casas ainda mantém os traços da arquitetura medieval, mas sua universidade Roskild foi a cidade mais importante e centro é uma das mais importantes do país e conta político da era viking no século X. com 6 mil estudantes. População: 54 mil habitantes (2004) (5ª. maior cidade do país), mas na Idade média já tinha entre 5 a 10 mil habitantes, A cidade é famosa pelo seu festival de música tamanha a importância de Roskild pop, realizado anualmente em junho desde Está a 27 km de Copenhague no Fjord de 1971, considerado como um dos mais Roskild, na Ilha da Zelândia. importantes da Europa. O de 2009 reuniu 110 mil espectadores. 05/09/998 – Fundação de Roskild pelo rei Haroldo Dente Azul no apogeu da era viking. Antiga capital e uma das mais antigas cidades do país, que foi centro religioso (tinha 14 paróquias e 5 conventos e monastérios) e político de maior importância no norte da Europa, na Idade Média. 1416 – Quatro anos após a morte da rainha Margarete I, e já sob o reinado de Eric da Pomerânia, Rosklid deixa de ser a capital da Dinamarca, que fora transferida para Copenhague definitivamente em 1443. 1536 – O poder religioso da Igreja Catóilico é abalado pela reforma protestante na Escandinávia.
    28. 28. Dinamarca – Roskild- Vikingeskibsmuseet Roskild foi a cidade mais importante e centro político da era viking no século X. 1000 - Barcos vikings foram afundados em Skudelev, no fjord de Roskild para protegerem a cidade contra invasões inimigas. As grandes embarcações de madeira foram cobertas por lama, que acabou conservando a madeira por quase mil anos. O museu guarda o mais antigo barco viking do mundo que se conhece, o Oseberg. Foi construído 1962 – Escavações arqueológicas trouxeram no ano 820. a tona embarcações 5 vikings: 2 barcos de guerra (um deles construído na aldeia de Dublin em 1050), 2 barcos comerciais e 1 barco de pesca. 1969 – Para abrigar as embarcações, foi construído o Museu dos Barcos Vikings de Roskild, instituição nos mesmo moldes do Museu de Barcos Vikings de Oslo que data do século XIX. 1997 – a Ilha do Museu foi inaugurada, como extensão para abrigar a coleção de cerca de 40 embarcações escandinavas.
    29. 29. Dinamarca – Roskild -Domkirkken 1170 até o século XV – Construção pelo Bispo Absalão da Catedral de Roskild (Domkirkken) (foto ao lado) com 85 metros de comprimento e 27 metros de altura no topo de seus arcos (a primeira de estilo gótico construída em tijolos no norte da Europa), no local onde o rei Haroldo Dente Azul havia construído a primeira igreja católica da Dinamarca, em madeira, em 990 (quando converteu os vikings ao catolicismo). Ali estão enterrados 38 reis e rainhas escandinavos, incluindo Frederico IX, pai da atual rainha da Dinamarca, Margarete II (desde 1972), o único túmulo do lado externo da igreja. A primeira rainha da Dinamarca, Margarete I, falecida em 1412 tem seu túmulo aqui (que nunca foi aberto), mas acredita-se que seus restos mortais tenham sido levados a Copenhague. Em 1416, Roskild perde seu poder político e a capital passa a Copenhague. 1010 a 1536 - A Igreja Católica manteve-se no poder político e religioso na Dinamarca a eclosão da Reforma Protestante que varreu a Escandinávia, estatizou a religião e desapropriou as igrejas católicas e seus representantes. Todas as igrejas católicas da Dinamarca tornaram-se na época em Luteranas.
    30. 30. Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Túmulo da rainha Margarete I Túmulo da Rainha Margarete I – (atrás do altar principal, em mármore negro, com figuras de alabastro) – Falecida em 1412, foi enterrada na igreja em 1413. Acredita-se que com a mudança da capital para Copenhague em 1416, seu corpo também tenha sido trasladado para lá. Filha do rei Valdemar IV, casou-se em 1397, aos 10 anos de idade, com o rei da Noruega, Haakon VI. Num casamento que seria mais um tratado político, foi a primeira rainha da Escandinávia que assumiu o poder de fato (haiva contestações sobre seus direitos de sucessão ao trono), e inicia a unificação dos 3 reinos escandinavos, processo conhecido como União de Kalmar. Seu sucessor, foi seu sobrinho- neto, o príncipe alemão Eric da Pomerânia, que tornou-se o primeiro rei da União de Kalmar.
    31. 31. Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Túmulos reaisTúmulo do rei Cristiano IV – Assumiu o trono aos 11 anos de idade, Túmulos do rei Frederico III quando o país se recuperava da Guerra dos Sete Anos contra a Suécia (falecido em 1670) (foto (1563-1570) e reinou por 60 anos na Dinamarca e na Noruega (1588 a acima), filho de Cristiano IV, e 1648). Seu reinado foi marcado por grandes obras (melhorias urbanas, o túmulo de sua esposa, construção de palácios e castelos) em Copenhague, Cristiania (Oslo) e em outras localidades da Dinamarca e Noruega. Problemas políticos e rainha Sophia Amalia de religiosos culminaram em nova guerra contra a Suécia (Guerra dos 30 Brunswick (falecida em anos – 1618 a 1648), que separou-se do reino. Nesta época, somente 1685) (foto abaixo). Em seu a Noruega permaneceu como parte da Dinamarca, até às guerras reinado introduziu a napoleônicas em 1814, quando a Dinamarca cedeu o território monarquia absoluta na norueguês à Suécia. No quadro mural de 1866, vemos o rei Cristiano Dinamarca. IV, ferido no olho, a bordo do navio Trinity, numa batalha contra os suecos em 1644. Ao lado do túmulo do rei, está o túmulo de sua esposa Anna Catherine de Brandenburg (falecida em 1612).
    32. 32. Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Túmulo de Cristiano ITúmulo de Cristiano I –(no chão) (1426 – 1481 falecido em Copenhague) – era membro de uma família alemã que herdou o trono da Dinamarca na metade do século XV, por que em 1448 o rei Cristovão da Baviera morrera sem deixar herdeiros ao trono da Dinamarca e muitas dívidas no reino para serem pagas. Sua capela apresenta afrescos dos séculos XI e XII. Aqui veremos a única coluna original que sobrou da igreja desde os tempos vikings, onde estão registradas marcas das alturas de visitas ilustres: entre eles Pedro, o Grande (czar da Rússia).Ao seu lado, está a tumba de sua esposa a rainha Dorotéia de Brandemburg (falecida em 1495). Curiosamente seu túmulo é bem simples, em relação aos demais. Durante seu reinado, a Dinamarca passou por dificuldades financeiras, o que o obrigou a aumentar impostos dos suecos (gerando grandes revoltas na Suécia) e pedir dinheiro empresatdo pagando altos juros. Ele mesmo se reconhecia um administrador sofrível.
    33. 33. Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Túmulo do rei Frederico IX e da rainha IngridO único mausoléu real que está localizado na parte externa da Catedral de Roskild é do Rei Frederico IX (1899 – 1972), que não queria ser enterrado dentro da catedral. Ele assumiu o trono da Dinamarca em 1947 até 1972, sendo então sucedido pela sua filha a atual rainha Margarete II. Lá também está o túmulo de sua esposa, com quem casou em 1935, rainha Ingrid (1910 -2000), que era uma princesa da casa real sueca.Frederico IX e Ingrid tiveram 3 filhas, e a lei de sucessão ao trono da Dinamarca foi alterada em 1953, permitindo que Margarete II se tornasse a 2ª. mulher a assumir o trono da Dinamarca, após a morte do pai em 1972. Tal mudança, que deu mais prestígio social as mulheres dinamarquesas, só foi possível graças ao carisma de Frederico IX e sua família junto aos súditos.
    34. 34. Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Relógio Mecânico de São Jorge Um dos mais interessantes trabalhos de arte é o relógio mecânico de São Jorge, construído no século XVI mas ainda funciona, localizado na parte superior interna do portal da igreja. O relógio é composto por figuras animadas por um complexo mecanismo, que na marcação das horas, faz com que a figura de São Jorge ataque o Dragão, enquanto as demais figuras marcam as horas e quartos de hora.
    35. 35. Dinamarca – Roskild – Domkirkken –Altar mór da catedral Esta peça de madeira folheada a ouro foi feita em Antuérpia, na atual Bélgica, em 1560. Ela foi comprada pelo rei Cristiano IV de um capitão de navio espanhol que a transportava para Danzig, por que a achou muito bonita e bem barata. Os navios que entram no Mar Báltico passam por Elsinore (atual localização do Castelo de Kronborg) e na Idade Média, os capitães de navio declaravam um valor para as mercadorias que levavam a fim de cálculo dos impostos alfandegários na Dinamarca. Uma lei garantia ao rei da Dinamarca a adquirir qualquer mercadoria pelo valor declarado, caso achasse o valor apresentado compensador. O altar foi inicialmente colocado na Capela Imperial do Palácio de Fredericksborg, tendo sido doado depois à Catedral de Roskild. As figuras esculpidas apresentam passagens do Novo Testamento.
    36. 36. Dinamarca – Roskild – Domkirkken –A Reforma Protestante de Martim Lutero O frei agostiniano Marim Lutero (foto), nascido em Eisleben na Alemanha em 1483 e falecido na mesma cidade em 1546, jamais visitou os países escandinavos, mas suas idéias atravessaram fronteiras e influenciaram por completo a história da Escandinávia. Lutero era professor de Teologia na Universidade de Wittemberg em 1508, um ano após ter sido ordenado padre da Igreja Católica. Em 1510, numa viagem a Roma, ele volta decepcionado com o que viu em relação às práticas das autoridades eclesiásticas católicas. Filósofo e doutor em Teologia em 1512, ele publica suas 95 teses em 1517 na porta da igreja do castelo de Wittemberg, na Alemanha, onde propõe discutir a validade de venda de indulgências pela Igreja Católica. Em apenas 2 semanas, suas idéias espalharam-se pela Alemanha e em dois meses, por toda a Europa. O Papa Leão X excomungou Lutero em 1520, eo Imperador Carlos V o proscreveu em 1521, considerando-o um fugitivo e um herege. As idéias de Lutero receberam a simpatia dos nobres alemães e da nobreza da Dinamarca muito influenciada pelos nobres alemães, já cansados de enviarem ao Papa grande parte de suas riquezas. Em 1536, a Reforma Protestante atinge a Escandinávia, apoiada pelos nobres e monarcas, que tornaram o Luteranismo a religião do estado, e desapropriaram os bens da Igreja Católica na Escandinávia.
    37. 37. Dinamarca – PonteStore BaeltÉ a maior ponte túnel do mundo, ligando a ilha da Zelândia a ilha de Finn, num total de 18 quilômetros de extensão (sendo 8 km sobre o mar), e 6,79 metros de largura.1990 - 14/06/1998 – período de sua construção e inauguração.Duas gigantescas pilastras de 254 metros de altura máxima sustentam o vão central da a ponte (é o ponto mais alto da Dinamarca). Cruza-se a ponte em apenas 15 minutos, contra os 50 minutos de viagem de ferry até 1998.O pedágio para ônibus custa Euros 144 em 2010.
    38. 38.  É a menor das 3 maiores ilhas dinamarquesas, sendo considerada como a Ilha Jardim. População: 300 mil habitantes. Localizam-se em Fyn (Funen) a maior parte das fazendas dinamarquesas que produzem frutas e vegetais no país. A ilha também é grande produtora de cevada, principal insumo da fabricação da cerveja local ALBANY. Sua maior cidade é Odense, centro industrial do país, com 280 mil habitantes, e a 3ª. maior cidade do país.Dinamarca – Ilha de Fyn (Funen)
    39. 39. Dinamarca - Odense Origem do nome: adotado na Idade Média e derivado do nome da divinidade máxima da mitologia viking: Odin  Odense tem suas origens em aldeia de vikings localizada nos antigos caminhos que cruzavam a ilha de Fyn. Na foto acima, População: 280 mil o Museu da Cidade num prédio da Idade Média. habitantes (3ª. maior cidade do país)  18/03/988 – O nome da cidade é mencionado pela primeira vez Centro industrial da Ilha numa carta do imperador alemão Otto III, concedendo isenções de Fyn fiscais às igrejas da cidade. É considerada a data de fundação da cidade. Sede da Cervejaria  10/07/1086 – O rei Canuto é assassinado por insurgentes na Albany, uma das cidade. Foi santificado poucos anos depois e na cidade foi erguida a maiores do país. igreja de São Canuto, que existe até hoje.  1482 – Foi impresso na cidade o primeiro dos 2 livros em idioma dinamarquês que surgiram no país. Terra natal do mais  1853 – Com a chegada de linhas ferroviárias à Odense, a cidade famoso escritor da passa a ter sistema de distribuição de água encanada e fábrica de literatura dinamarquesa: gás (é a primeira cidade dinamarquesa a ter tais serviços). Hans Christian  1966 – Fundada a Universidade de Odense, a 3ª. maior do país Andersen.
    40. 40. Dinamarca – OdenseHans Christian Andersen, o contadorde estórias 2/04/1805 – Nascimento em Odense, filho de uma família muito pobre. 1815 - Órfão de pai, aos 10 anos de idade, passa viver com a mãe, uma lavadeira da cidade. 1819 – aos 14 anos de idade, vai tentar a carreira de bailarino no corpo de balé do teatro nacional em Copenhague. Tentou também ser ator de teatro, mas não obteve sucesso. Começa então a escrever peças teatrais, embora tivesse pouca escolaridade 1822 - aos 17 anos de idade, obteve uma bolsa de estudos e completa a escolaridade que tanto precisava.  H.C .Andersen (foto) criou 1822 a 1834 - Escreve cerca de 30 peças teatrais estórias infantis completamente desconhecidas pelo público, mas faz diversas mundialmente conhecidas: viagens pela Europa. Branca de Neve, o Patinho 1834 – Escreve seu primeiro sucesso, em Roma, “O Feio, a Pequena Sereira, Improvisador”, uma história baseada em sua infância pobre Tumbelina e muitas outras. mas como se fosse em Roma. O livro foi traduzido para 8  Seu estilo de escrever idiomas, incluindo o russo. histórias em forma de diálogos (como scripts de 1835– Publica seu primeiro livro de contos de fadas, contando teatro) inovou a literatura 4 estórias que havia ouvido quando criança. infantil mundial, tornando-a 04/08/1875 – Morre em Copenhague, após estar doente por muito fácil à comprenssão 3 anos. Era mundialmente conhecido e rico. dos leitores infantis e o fez famoso e rico.
    41. 41. Dinamarca – Península da Jutlândia População: 2,5 milhões habitantes (2008) É o território continental da Dinamarca, no extremo norte do continente europeu. A Península da Jutlândia cobre 400 quilometros de extensão, cerca de 30 mil km2 de área (no trecho da península que pertence à Dinamarca, pois há territórios na Alemanha), apresentando quase todos os tipos de terrenos existentes na Europa, em forma de miniatura. Nota-se a grande influência alemã na região, devido a proximidade com a fronteira norte daquele país. A ocupação humana deste território é muito antiga, data da Era do Ferro e da Era do Bronze (período áureo da civilização viking). Duas das maiores cidades dinamarquesas estão na península da Jutlândia: ARHUS (cidade industrial e a 2ª. maior cidade do país com 450 mil habitantes, e AALBORG (com 160 mil habitantes, a 4ª. maior cidade dinamarquesa).
    42. 42. Dinamarca – Península da Jutlândia - Veijle  Veijle é uma pequena cidade, porém um importante terminal portuário às margens do fjord de Veijle, assim como um centro de turismo, liderado pelo Hotel Munckbierg (distante cerca de 6 km do centro da cidade), construído em 1967 com 148 apartamentos, e onde está o Casino da cidade (que funciona das 19 às 4 hs da manhã). Prefeitura de 1878  O prédio mais antigo de Veijle é a igreja gótica do século XII denominada São Nicolau (Luterana) (foto ao lado), onde estão expostos os restos arqueológicos de um corpo de mulher que viveu a 500 anos antes de Cristo, e foi descoberto na região no século XIX.Stroget de Veijle
    43. 43. Dinamarca – Península da Jutlândia - Billund  Localizada a apenas 30 Km de Veijle está a cidade industrial de Billund, onde surgiu um dos mais famosos brinquedos infantis do mundo e é a sede mundial da companhia Lego.  Década de 1930 – o artesão Oleg Kirk Christiansen cria bloquinhos de madeira que se encaixam e formam diversas figuras, partindo de uma idéia bem simples. O brinquedo inicialmente era para atender a seu filho, mas foi um sucesso entre as crianças e educadores. Foi criada a indústria LEGO que começou a fabricar os bloquinhos em matéria plástica.  1968 – Famoso em todo mundo, o brinquedo Lego é usado para construir um parque infantil, nos molde daLego, em Disneylandia (que surgiu em 1955).dinamarquês Feita com 90 milhões de bloquinhossignifica “brinque de plástico, surgiu a LEGOLAND, quemuito” está aberta diariamente das 10 às 18 horas, a partir de 2 de abril.
    44. 44. Dinamarca – Península da Jutlândia - Legoland A Legoland e a empresa Lego tiveram que adaptar-se aos novos gostos das crianças do século XXI, criando brinquedos mais sofisticados e incorporando elementos eletrônicos nos brinquedos (que não existiam na versão original do conceito de brinquedos da Lego). Por conta disso, a empresa Lego franqueou sua marca para uso em 4 parques temáticos, sendo 3 deles localizados na Europa (Billund, o primeiro na Dinamarca; Gunzburg, na Alemanha, entre Stugarrt e Munique; Windsor, na Inglaterra; e 2 parques nos EUA, na Califórnia e na Flórida.
    45. 45. Dinamarca – Península da População: 270 mil habitantes  (2ª. maior cidade do país). TemJutlândia - Aahrus 1,2 milhões de habitantes na área metropolitana (23% dos dinamarqueses moram ali).  A cidade é um centro industrial do setor alimentício e o maior terminal de containers da Dinamarca.  Foi uma vila viking até a Idade Média, mas sua população diminuiu muito com as constantes guerras entre a Dinamarca e Suécia e pelos efeitos da Peste Negra que alastrou-se em todo a Europa.  Hoje, é importante centroNo verão, os bares da cidade são muito universitário, com uma populaçãofrequentados pelos jovens que jovem de mais de 30 milcomemoram suas festas de formatura do habitantes.meio de ano. A cidade, pela suaimportância, é considerada extra-  DEN GAMLE BY (Distritooficialmente como a “capital da Jutlândia”. histórico) (foto) – são mais de 70É banhada pelo rio A, e Aahrus significa casas e construções da Idade“delta do rio”. Média (muitas com mais de 500 anos de existência), reunidas numa vila museu, próximo ao centro e ao Jardim Botânico.
    46. 46. Dinamarca – Península da Jutlândia - Aahrus  CATEDRAL DE AARHUS (DOMKIRKE) – é a mais alta das catedrais dinamarquesas e a segunda mais alta do norte da Europa. Foi construída em 1200 em estilo romanesco, mas depois sofreu um grande incêndio que a destruiu. Foi reconstruída no século XV em estilo gótico. O Teatro de Aahrus é o maior da cidade
    47. 47. Dinamarca – Península da Jutlândia - Aahrus  PREFEITURA (RADHUS) - Projetada por Arne Jacobsen e Erik Molle, foi inaugurada em 1941, com fachada em mármore. É um dos marcos arquitetônicos da cidade, e sua torre de 60 metros de altura não fazia parte do projeto original. Só foi acrescida depois, a pedido da comunidade, que não entendia como o prédio da prefeitura não teria uma torrre com relógio, como é o prédio da Prefeitura de Copenhague. O antigo prédio da Prefeitura (1856) foi usado como prefeitura, tribunal , penitenciária, delegacia policial até 1984, quando tornou-se sede do Museu das Feministas.
    48. 48. Dinamarca – Península da Jutlândia - Aahrus  CONCERT HALL - é uma estrutura coberta de vidros, construída em 1982, dispondo de 3 áreas para concertos e exibições de arte.
    49. 49. Dinamarca – Península da Jutlândia - Randers  População: 65 mil habitantes. Cidade medieval de Randers data de 1035 e está localizada na foz do rio Guedenaa (o mais extenso da Dinamarca) no fjord de Randers. É um porto pesqueiro e sua economia está baseada na indústria de curtume, construção de máquinas, e processamento de alimentos. Sua igreja maior data do século XV (foto) e a Casa do Espírito Santo foi construída em 1436, e sua Radhus (prefeitura) é uma casa branca em destaque na cidade.
    50. 50. Dinamarca – Península da Jutlândia - Ebeltoft Cidade balneária às margens da Baía de Ebeltoft no mar Báltico foi importante vila viking há mais de 1 mil anos passados. No verão de 1659 foi palco de sangrentas batalhas contra os suecos, mas os habitantes da cidade ganharam muito dinheiro reconstruindo 40 navios destruídos nesta guerra. Ebeltoft (o pomar de maçãs) é considerada uma das mais belas cidades da Riviera Dinamarquesa com um conjunto de casas com mais de 200 anos de existência. O prédio da Prefeitura, data de 1789, tem um museu com 1 só sala e acredita-se que seja a menor prefeitura do mundo. O museu do Vidro (foto ao lado) tem peças feitas por 400 artesãos e localiza-se no antigo prédio da Aduana.
    51. 51. Dinamarca – Península da Jutlândia - Ebeltoft FRAGATA JYLLAND – construída em madeira de carvalho entre 1857 e 1860 e ficou em atividade na Marinha até 1887. É o mais comprido e o último dos navios construído em madeira pela Marinha Dinamarquesa. Foi navio de guerra e depois iate real. Está exposta no porto de Ebeltoft desde 1960, tendo recebido um grande trabalho de restauração em 1994.
    52. 52. Dinamarca – Península da Jutlândia - Aalborg  Aalborg tem 160 mil habitantes (4ª. maior cidade da Dinamarca), localizada na margem sul do Limfjord, originada numa antiga vila viking. Na Idade Média era importante porto de pesca do arenque. Sua fortaleza Aalborghus, construída em 1550 pelo rei Cristiano III (1539 – 1555), jamais foi usada com propósito militar.  Foi destruída por ataques na II Guerra Mundial e reconstruída.  A indústria da cidade baseia-se na produção de cimento e de AQUAVIT (a “cachaça” dinamarquesa feita de cascas de batata). Seu centro cultural é muito concorrido.
    53. 53. Dinamarca – Península daJutlândia – AalborgJomfru Ane Gade(Rua da Virgem Ana)  Próxima ao antigo porto da cidade, está a rua dos bares e restaurantes de Aalborg, JOMFRU ANE GADE.  A rua era habitada por mercadores n a Idade Média, e o nome foi uma homenagem à freira Ane Viffert, que viveu nos arredores em 1568.  O primeiro restaurante aberto na rua foi o Gaslight em 1967, dando início à tradição de rua mais badalada da Dinamarca.
    54. 54. Dinamarca – Península da Jutlândia – Aalborg Jens Bangs Stenhus Com 5 andares, este prédio renascentista datado de 1624 pertenceu ao comerciante local Jens Bangs, e é considerada a maior casa particular da época da Renascença em toda a Escandinávia. No primeiro andar, há mais de 300 anos, funciona uma farmácia e um bar para degustação de vinhos. Caberá ao turista escolher qual o “remédio” que prefere tomar.
    55. 55.  A igreja homenageia um Dinamarca – Península santo inglês, seus alicerces datam da Jutlândia – Aalborg – da era viking Catedral de Saint Budolf (1100), mas o prédio atual data de 1400. Sofreu vários incêndios e sua reconstrução deu-se em 1770. Seu carrilhão tem 48 sinos, e o mais antigo data de 1681. O altar de 1689 (foto à direita) apresenta a escultura da Santa Ceia em estilo barroco. O púlpito de estilo renascentista (foto ao centro) data de 1692. E o órgão de 1749 é decorado em estilo rococó, tendo sido restaurado em 1959 pelo alemão FROBENIUS.
    56. 56.  O Monastério do Espírito Santo (Holy Ghost), datado de 1431, e localizado ao lado da Catderal de Saint Budolf, é uma das mais antigas instituições de trabalhos sociais da Dinamarca, ainda hoje dedicada ao amparo de velhinhos doentes.  São quase 6 séculos de atuação ininterrupta de atendimento à velhice, num país em que a média de vida da população ultrapassa os 77 anos (em média).Dinamarca – Península da jutlândia – Aalborg – Monastério do Espírito Santo (Holy Ghost)
    57. 57. Dinamarca – Península da jutlândia – Aalborg –Moller parkvej  O parque foi estabelecido entre 1933 e 1935, no alto de uma montanha que permite uma boa vista da cidade, do fjord e da cidade de Han Herred.  No interior do parque está o Zoo de Aalborg, estabelecido em 1934, com 800 animais.  Na entrada do parque temos a escultura de C. J. Bonnesen, de 1925, chamada “A Barganha”, com um homem carregando dois animais.
    58. 58. Aalborg tour
    59. 59. Dinamarca – Península da Jutlândia –Norresundby – Lindholm Hoje  Localizado na margem norte do fjord Limforjd está o Museu das Runas Vikings (Lindholm Hoje), com suas 700 runas (tumbas vikings), um dos mais importantes achados arqueológicos da Dinamarca.  Foram descobertas a 4 metros abaixo do solo da colina de Voerbjerg (região de uma antiga vila viking) em escavações arqueológicas de 1952 a 1958. Cobertas por camadas de areia, as pedras ficaram conservadas até o século XX.  Os vikings habitaram a região entre As runas (cercado de pedras para uma fogueira) eram usadas os anos 400 e 1000 DC. No topo da pelos vikings para incinerar seus mortos, pois não tinham o costume de enterrá-los (hábito que só adotaram após terem sido colina estão as runas mais antigas e cristianizados a partir do século X). as mais recentes estão localizadas na As mulheres eram cremadas em runas em formato circular, as parte mais baixa da colina. crianças falecidas em runas de formato triangular, e os homens (considerados guerreiros) tinham runas em formato de barcos, com grandes pedras marcando a proa e popa da embarcação.
    60. 60.  Os povos vikings usavam 24 símbolos gráficos, dispostos em pedras, na forma circular, que usavam como forma de escrita mas também com aspectos místicos e religiosos.  Cada símbolo tem uma referência a uma entidade mítica da cultura pagã viking, que era politeísta, tendo Odin como deusRunas Vikings (símbolos supremo.gráficos sagrados)  Tais influências perduram até hoje em místicos europeus.
    61. 61. Dinamarca – Península daJutlândia - Blokhus  È uma cidade balneária ao norte da penísula da Jutlândia, banhada pelo Mar do Norte (Oceano Atlântico).  Bastante próxima da fronteira alemã, o local é visitado no verão pelos turistas alemães.  A praia também é um dos tradicionais locais da prática de nudismo entre seus frequentadores.  Este é um dos curiosos aspectos da vida cotidiana da Dinamarca.
    62. 62. Dinamarca – Península da Jutlândia – Hirthals Haun Cidade ao norte da península da Jutlândia, distante cerca de 1 hora de viagem rodoviária de Aalborg. Porto de embarque no ferry boat da Color Line, Superspeed1, para a travessia do estreito de Skagerak, no mar Báltico, durante 2h30m, em direção ao porto de Christiansand, na Noruega.
    63. 63. Dinamarca – Península da Jutlândia – Estreito de Skagerrak  O estreito tem 140 km de largura e cerca de 240 km de comprimento.  Como é a única entrada do Mar Báltico, o controle da navegação do estreito foi disputado pelos alemães na I e II Guerra Mundiais. Entre 31 de maio e 1 de junho de 1916, travou-se ali a Batalha de Jutlândia, um dos mais duros combates da I Guerra Mundial.  Por conta disso, a região tem muitos destroços de navios afundados.

    ×