• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
 Gerenciamento de Resíduos Sólidos
 

Gerenciamento de Resíduos Sólidos

on

  • 11,106 views

www.masterambiental.com.br

www.masterambiental.com.br
Palestra de resíduos sólidos e gerenciamento de resíduos realizada pela Master Ambiental. Para maiores informações acesse nosso site.www.masterambiental.com.br

Statistics

Views

Total Views
11,106
Views on SlideShare
11,032
Embed Views
74

Actions

Likes
11
Downloads
0
Comments
9

4 Embeds 74

https://cursosrapidosonline.com.br 42
https://www.cursosonlinecursos.com.br 20
https://cesbonline.com.br 6
https://www.xn--cursosonlinedaeducao-7yb1g.com.br 6

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

19 of 9 previous next Post a comment

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Fiquei muito satisfeito com o material. Gostaria de disponibiliza-lo em minha biblioteca digital. Como faço?
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Olá, gostei muito da apresentação, gostaria que me enviasse por email: vanessasilvaoliveirav@gmail.com

    desde ja agradeço.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Material show de bola muito bom mesmo gostaria de recebe-lo por email se fosse possivel

    everaldo.santo.safety@monsanto.com

    um abraço
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Este material é muito bom, se possível gostaria de recebê-lo por email: luceliabatalha@gmail.com. Desde já agradecida!
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Bom dia realmente este material é 10 gostaria também de receber este material marqueline.alves@insolo.com.br
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

     Gerenciamento de Resíduos Sólidos Gerenciamento de Resíduos Sólidos Presentation Transcript

    • FERNANDO JOÃO RODRIGUES DE BARROS Engenheiro Civil - CREA - RJ 27.699/D Especialista em Planejamento e Gestão Ambiental Mestre em Engenharia de Edificações e Saneamento - UELPresidente do Conselho Municipal do Maio Ambiente de Londrina
    • INDONÉSIA – UMA DAS ILHAS CANDIDATAS A DESAPARECER...
    • Macau - RN Lençóis Maranhenses - MACascata do Caracol - RSItajubá-MG Parintins - AM
    • PEIXE-BOI - AM GRALHA-AZUL- PRPIRAPUTANGA - MT TUCANO – PQ FOZ DE IGUAÇU-PR
    • O que agride a NATUREZA, agride ao homem!• O HOMEM É O ÚNICO ANIMAL QUE MODIFICA A NATUREZA,MUITAS VEZES DE FORMA IRREVERSÍVEL;• FAZ ISSO DESDE QUE APRENDEU A CONSTRUIR SUA CASA, CULTIVAR OS ALIMENTOS, DOMESTICAR OS ANIMAIS E EXPLORAR OS MINERAIS.• A SOCIEDADE INTENSIFICA DE FORMA TÃO ALARMANTE ESSE PROCESSO QUE COMPROMETE A VIDA NO PLANETA.
    • Aumento da população ao longo dos anos no mundo
    • São Paulo São Paulo Favela Morumbi - SPFonte:www.centrodametropole.org.b Acúmulo de pessoas nas cidades r
    • Contraste na urbanização: Favela de Paraisópolis ao lado do edifício no Morumbi
    • ROCINHA - RJCOMPLEXO DA MARÉ - RJ
    • http://www.estadao.com.br/fotos/transitorio292.jpgCongestionamentos
    • Centro urbano de comércio popularRua 25 de Março Ladeira Porto Geral - SP
    • Praia na China
    • COMO ESTAMOS TRATANDONOSSOS RIOS...
    • Rio Tietê – Marginal Tietê Rio Tietê - Pirapora do Bom Jesus - SP Poluição dos rios e mares Lixão do PacíficoFonte: www.unicamp.br
    • PoluiçãoHídrica
    • TARTARUGA DEFORMADA POR UM ANEL PLÁSTICO AVE IMPREGUINADA COM PETRÓLEO“LIXO” ENCONTRADO NOESTÔMAGO DE UMA AVE
    • Resíduos
    • LIXÃO
    • Mulheres e porcos vasculham um lixão em São Paulo
    • Desmatamentos AM AM MT MS
    • Fonte: IMAFLORA, André de Freitas Produção de madeira na Amazônia
    • Esgotamento dos Recursos Naturais Desmatamento das florestas e uso de madeiras ilegais; Seca e contaminação dos rios;
    • DÉCADA DE 90: MUDANÇA DE HÁBITOProtocolo de kyoto;Agenda 21; Declaração do Rio;Declaração de Princípios sobre o Uso das Florestas;Convênio sobre a Diversidade Biológica; Convenção sobre Mudanças Climáticas.
    • Consciência Ecológica
    • Importância da segregação
    • • Estatísticas• O Brasil produz 260.000 toneladas de lixo por dia. Setenta e seis por cento (76%) são depositados a céu aberto em lixões, 13% são depositados em aterros controlados, 10% são depositados em aterros sanitários, 0,9% são compostados em usinas e 0,1% são incinerados.Projeto Lixo Seletivohttp://www.marcelosilva.com.br/projeto_lixo-03.htm
    • LEGISLAÇÃO• Decreto Federal 99.274/90 em seu artigo 34, dispõe que, serão impostas às multas ali previstas nas infrações em que emitir ou despejar efluentes ou resíduos sólidos, líquidos ou gasosos causadores de degradação ambiental, em desacordo com o estabelecido em resolução ou licença especial;• Decreto Federal 3.179/99 em seu artigo 41, que incorrerá nas multas ali previstas, quem lançar resíduos sólidos, líquidos ou gasosos ou detritos, óleos ou substâncias oleosas em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou regulamentos;• Resolução do CONAMMA 275/01, estabelece que a reciclagem deva ser incentivada, facilitada e expandida, para a redução do consumo de matérias-primas, recursos naturais não-renováveis, energia e água pela comunidade;• Lei Estadual 12.493/99 dispõe que é responsabilidade do gerador a correta destinação dos resíduos;• Resolução CONSEMA 011/2006 Considerando o artigo 192, da Lei Orgânica do Município, que obriga a fonte geradora a selecionar, tratar e destinar corretamente toda espécie de lixo, e a necessidade de prolongar a vida útil do aterro controlado, fica determinado que residências, comércio e indústrias separarem e entreguem o lixo seco (reciclável) aos catadores, a partir de 1º de janeiro 2007.• Legislação municipal especifica quanto à quantidade permitida para ser enviada ao aterro. Decreto 1050/2009
    • RESÍDUO: (Latim residuu) remanescente; Aquilo que resta dequalquer substância: resto[...];Resíduos Hospitalares;Resíduos Industriais;Resíduos Domiciliares;Resíduos ComerciaisResíduos de Portos, Aeroportos, Terminais Rodoviários e Ferroviários;Resíduos Público;Resíduos Agrícola; Resíduos orgânicos / Resíduos recicláveis / rejeitos
    • TIPO DE RESÍDUO / RESPONSÁVEL Domiciliar Prefeitura Comercial(*) Gerador* Público Prefeitura Serviços de saúde Gerador (hospitais ...) Industrial Gerador (indústrias) Portos, aeroportos e terminais Gerador (portos ...) Agrícola Gerador (agricultor) Entulho Gerador• TIPO DE RESÍDUO RESPONSÁVEL: (*) a prefeitura é corresponsável por pequenas quantidades, especificando conforme sua legislação a quantidade permitida a ser enviada ao aterro municipal.(abaixo 600 l semanais)
    • DECRETO 1050 DE 7 DE DEZEMBRO DE 2009.Art. 3º Para efeito deste decreto, são adotadas as seguintes definições:I. Resíduos Orgânicos são mos resíduos constituídos exclusivamente de matéria orgânica degradável, passível de compostagem;II. Rejeitos são os resíduos que não possuem tecnologia disponível para reciclagem, restando o tratamento e a destinação final adequados;III. Geradores são pessoas, físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, responsáveis por atividades ou empreendimentos que gerem os resíduos definidos neste decreto;IV. Gerador Doméstico ou pequeno gerador são pessoas, físicas ou jurídicas, que gerem resíduos provenientes de habitações unifamiliares ou em cada unidade das habitações em série ou coletivas, cuja coleta é regular, limitada à quantidade máxima de 600 litros por semana disponível à coleta pública;
    • Reciclagem de Materiais no Brasil São gerados 115.000 ton de lixo por dia no Brasil Cerca de 30% deste lixo é reciclável 1000Kg de papel reciclado = 20 árvores poupadas 1000Kg de vidro reciclado = 1300Kg de areia extraída poupada 100ton de plástico reciclado = 1 ton de petróleo poupados 1000Kg de alumínio reciclado= 5000Kg de minérios extraídos poupados
    • Três Razões para Reciclar• Primeira: Econômica - As ONG’s de Reciclagem em Londrina arrecadam cerca de 300 mil Reais por mês O resíduo vale dinheiro e vem sendo enterrado, uma vez que a grande maioria é enviado aos aterros. Apenas cerca de 11% vão para a reciclagem
    • • Segundo: Poluição do Solo e da ÁguaRIO CITARUM / INDONÉSIA
    • •Terceiro: Poupar insumos naturais Quando se recicla alumínio , evitamos o uso de insumo natural – Bauxita 50% do custo para transformar a Bauxita em latas é com Energia Elétrica
    • A Lei Ambiental é Nova,Desconhecida e DescumpridaA responsabilidade pela destinação correta dos resíduos é do Gerador Entregar para Empresa Licenciada ou Indústria de Transformação
    • Grandes Geradores:•São obrigados, por Lei, a dar destinação adequada a seus resíduos : Todos devem fazer a segregação na fonte e entregar seus resíduos SHOPPINGS devidamente separados.
    • Separação de ResíduosResolução CONAMA 275/01 Simbologia dos Resíduos
    • Tipos de ResíduosOrgânicos Rejeitos
    • Papéis Recicláveis PlásticosMetais Isopor
    • PlásticoExistem 7 tipos de resinas plásticas:- PET: polietileno tereftalato: Frascos de refrigerantes etc;- PEAD: polietileno de alta densidade: Embalagens para cosméticosetc;- PVC: cloreto de polivinila: tubos e conexões de encanamento etc;- PEBD: polietileno de baixa densidade:Embalagens de alimentos, sacos industriais etc;- PP: polipropileno: potes de margarina,seringas descartáveis etc:- PS: poliestireno: Copos descartáveis, placas isolantes,aparelhos de som e tv etc;Outros. Número Resina Origem: Petróleo
    • PEAD: polietileno de alta densidade PP: polipropilenoPET: polietileno tereftalato PS: poliestireno PEBD: polietileno de baixa densidade: EmbalagensPVC: cloreto de polivinila Outros: EVA, ABS/SAN, PA e PC
    • CICLO DO PLÁSTICO
    • PAPEL A reciclagem consome 50 vezes menos água e a metade daenergia para a produção a partir da madeira.
    • CICLO DO PAPEL
    • VIDROO vidro é 100% reciclávelOrigem : Areia
    • CICLO DO VIDRO
    • MetalNo Brasil de cada 100 latinhas – 85 são recicladasO Brasil é o campeão mundial na reciclagem de latinhasde alumínio
    • CICLO DO METAL
    • Lâmpadas99% dos elementos constituintes nas lâmpadassão recicláveis:- O vidro, o alumínio e o mercúrio são 100%recicláveis.- O único componente não reciclável é oisolamento baquelítico existente nasextremidades das lâmpadas.
    • Pilhas e Baterias Contaminados
    • Pneus - 523 kg de óleo - 110 kg de aço1 tonelada de pneu inservível reciclado rende - 314 kg de “negro de fumo” - 44 kg de gás
    • Óleos de CozinhaDevem ser corretamente encaminhados às empresas licenciadas 01 litro de óleo POLUI 01 milhão de litros de água.
    • Óleos lubrificantes • Tipos de resíduos sólidos contaminados: - Embalagens plásticas de óleo; - Filtros de óleos usados; - Serragem, estopa,pano e papelão; - Resíduos de caixa separadora de água e óleo. Destinação Final- Quanto à classificação podem ser encaminhados para:* Reciclagem;* Aterro Industrial;* Coprocessamento ;
    • Óleo forma um filme sobre as águas dos rios, impedindo que a luz do sol penetre normalmente, prejudicando todos osorganismos vivos que vivem neste ambiente aquático.
    • Classificação dos Resíduos:• Existem várias formas possíveis de se classificar: Ex.: Por sua natureza física: seco ou molhado;• Por sua composição química: matéria orgânica ou inorgânica;• Pelos riscos potenciais ao meio ambiente: perigosos, não-inertes e inertes (NBR 10004)
    • A classificação quanto à NBR 10004 da ABNT,os resíduos sólidos podem ser identificados como: Classe I ou perigosos – aqueles que, em função de suas características intrínsecas de inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade ou patogenicidade, apresentam riscos à saúde pública por meio do aumento da mortalidade ou da morbidade, ou ainda provocam efeitos adversos ao meio ambiente quando manuseados ou dispostos de forma inadequada.
    •  Classe II A não-inertes – resíduos que podem apresentar características de combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade, com possibilidade de acarretar riscos à saúde ou ao meio ambiente, não se enquadrando nas classificações dos outros resíduos. Classe II B ou inertes – aqueles que, por suas características intrínsecas, não oferecem riscos à saúde e ao meio ambiente, e que, quando amostrados de forma representativa, segundo a norma NBR 10007, e submetidos a um contato estático ou dinâmico com água destilada ou deionizada, à temperatura ambiente, conforme teste de solubilização segundo a norma NBR 10006, não tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a concentrações superiores aos padrões de potabilidade da água, conforme listagem n.º 8 (Anexo G da NBR 10004), excetuando-se os padrões de aspecto, cor, turbidez e sabor.
    • LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A CADA CASO: NORMAS LEGAIS para REGULAMENTAÇÃO• NBR 7500/02 Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos;• NBR 7501/83 Transporte de cargas perigosas;• NBR 7503/82 Ficha de emergência para transporte de cargas perigosas;
    • • NBR 10004/87 Resíduos sólidos – Classificação;• NBR 10005/87 Lixiviação de resíduos – Procedimento;• NBR 10006/87 Solubilização de resíduos – Procedimento;• NBR 10007/87 Amostragem de resíduos – Procedimento;
    • • NBR 10.157/87 Aterros de resíduos perigosos – Critérios para projetos, construção e operação;• NBR 11174/89 Armazenamento de resíduos classes II A (não-inertes) e II B (inertes);• NBR 11.175/90 Incineração de resíduos sólidos perigosos – Padrões de desempenho (antiga NB 1265);• NBR 12235/87 Armazenamento de resíduos sólidos perigosos;
    • • NBR 12807/93 Resíduos de serviço de saúde – Terminologia;• NBR 12809/93 Manuseio de resíduos de serviços de saúde – Procedimentos;• NBR 13221/94 Transporte de resíduos – Procedimento;• NBR 13463/95 Coleta de resíduos sólidos – Classificação;• NR-25 Resíduos industriais;
    • • CONTRAN 404 Classifica a periculosidade das mercadorias a serem transportadas;• Res. CONAMA 05/93 Estabelece normas relativas aos resíduos sólidos oriundos de serviços de saúde, portos, aeroportos, terminais ferroviários e rodoviários;• Res. CONAMA 06/88 Dispõe sobre a geração de resíduos nas atividades industriais;• Res. CONAMA 09/93 Dispõe sobre uso, reciclagem, destinação rerrefino de óleos lubrificantes;
    • • Res. CONAMA 275/01 Simbologia dos Resíduos;• Res. CONAMA 283/01 Dispõe sobre o tratamento e destinação final dos RSS – Resíduos de serviço de saúde;• Port. MINTER 53/79 Dispõe sobre o destino e tratamento de resíduos;• Dec. Federal 96.044/88 Regulamenta o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos;
    • • Resíduo domiciliar• É aquele originado da vida diária das unidades familiares, constituídos por restos de alimentos, tais como: cascas de frutas, verduras, produtos deteriorados, restos de alimentos, jornais, revistas, garrafas plásticas e de vidro, embalagens em geral, papel higiênico, fraldas descartáveis, entre outros.
    • • Resíduo comercial• É aquele originado dos diversos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços.• Ex. Supermercados, estabelecimentos bancários, lojas, bares, hotéis, restaurantes, etc. O grupo de lixo comercial, assim como os entulhos de obras, pode ser dividido em subgrupos chamados de "pequenos geradores" e "grandes geradores".• O regulamento de limpeza urbana do município poderá definir precisamente os subgrupos de pequenos e grandes geradores.
    • • Resíduo público:• São aqueles resultantes dos serviços:• De limpeza de vias públicas (varrição manual, varrição mecânica, limpeza especial), limpeza de córregos e canais, de terrenos, restos de podas de árvores e limpeza de praças e jardins, limpeza das áreas de realização de feiras-livres.
    • • RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE• São os resíduos produzidos em hospitais, clínicas, laboratórios, farmácias, clínicas veterinárias e postos de saúde entre outros.• Tipos de resíduos gerados:• agulhas, gazes, seringas, bandagens, algodão, órgãos e tecidos removidos, meios de cultura e animais usados em testes, sangue coagulado, luvas descartáveis, remédios vencidos, e uma gama de outros resíduos.• Assépticos: papéis, restos da preparação de alimentos, e outros materiais que não entraram em contato direto com pacientes, podendo ser considerados como domiciliares.• Sépticos que contêm ou potencialmente podem conter germes• patogênicos, entram em contato direto com enfermos;
    • • Resíduo de Portos, Aeroportos, Terminais Rodoviários e Ferroviários:• Os resíduos produzidos nestes locais são de características sépticas ou assépticas.• Sépticas: Provoca infecção. Contém germes patogênicos. Basicamente originam-se de material de higiene, asseio pessoal e/ou restos de alimentos que podem veicular doenças provenientes de outras cidades, estados ou países.• Assépticos: Isento de germes patogênicos, são considerados como domiciliares.
    • • Resíduo Industrial• É originário das diferentes atividades industriais, portanto apresentam características e composição muito variada, pode ser um resíduo inerte ou altamente tóxico.• Composição do resíduo: cinzas, lodos, óleos, resíduos alcalinos ou ácidos, plástico, papel, madeira, fibras, borracha, metal, escórias, vidros, cerâmicas, etc.
    • • Resíduo Agrícola• São os resíduos sólidos das atividades agrícolas e da pecuária, como embalagens de adubos, ração, restos de colheitas e esterco de animal (grande escala).• Entulho/Caliça• São resíduos da construção civil como demolições e restos de obras, solos e escavações.• Este material geralmente é inerte e sendo assim, passível de reaproveitamento.
    • O que é um PGRS?• Indicador que visa subsidiar os diversos empreendimentos quanto à geração e segregação de seus resíduos apontando e descrevendo as ações relativas ao seu manejo.• contempla os aspectos referentes à minimização na geração, segregação, acondicionamento;• identificação, coleta e transporte interno, armazenamento temporário, tratamento interno;• armazenamento externo, coleta e transporte externo, tratamento externo e disposição final.• O PGRS deve ser elaborado e submetido à análise do órgão ambiental
    • QUAL A FUNÇÃO?• minimizar a geração de resíduos na fonte;• adequar a segregação na origem;• controlar e reduzir riscos ao meio ambiente ;• assegurar o correto manuseio e disposição final, em conformidade com a legislação vigente.
    • ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO:IDENTIFICAÇÃO DO GERADORRazão Social; CNPJ; Endereço completo; Área total; Número total de funcionários (próprios e terceirizados); Responsável legal; Responsável técnico pelo PGRS; Tipo de atividade.
    • • RESÍDUOS GERADOS – Quantificação e qualificação; – Resíduos; – Classe; – Unidade e equipamento gerador; – Acondicionamento/armazenagem; – Tratamento adotado; – Frequência de geração; – Estoque.• PLANO DE MOVIMENTAÇÃO DE RESÍDUOS – Tipo de resíduo; – Data de entrada; – Quantidade; – Local de estocagem temporário; – Data prevista para saída; – Transporte a ser utilizado; – Destinação final.
    • MANEJO TRATAMENTO E DESTINO FINAL AOS RESÍDUOS• Manejo dos resíduos no âmbito interno dos estabelecimentos:• Segregação• Armazenamento temporário;• Tratamento;• Sistema de Destinação Final• Disposição Final dos resíduos
    • IMPLANTAÇÃO:• TREINAMENTO DOS FUNCIONÁRIOS;• PROGRAMA DE REDUÇÃO NA FONTE;• ADEQUAÇÃO DO IMOBILIÁRIO;• ORIENTAÇÃO AOS FORNECEDORES E CLIENTES;• PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL CONSTANTE.
    • LixeirasRECICLÁVEL REJEITOS
    • Supermercado:Resíduos Segregação DestinaçãoPlásticos R E C IC L Á V E L reciclável Empresa de transformação (licenciada)Vidros reciclável Empresa de transformação (licenciada) R E C IC L Á V E LPapel R E C IC L Á V E L reciclável Empresa de transformação (licenciada)Varrição (rejeitos) rejeitos Rejeitos – aterro sanitário REJEITO SPapel de banheiro rejeitos Rejeitos – aterro sanitário REJEITO SMetal Empresa de transformação (licenciada) R E C IC L Á V E L reciclávelPapel engordurado rejeitos REJEITO S Rejeitos – aterro sanitárioPilhas e baterias Resíduos Devolução ao fabricante perigososRestos de orgânico Compostagemalimentos
    • Restaurante:Resíduos Segregação DestinaçãoPlásticos R E C IC L Á V E L reciclável Empresa de transformação (licenciada)Vidros Empresa de transformação (licenciada) R E C IC L Á V E L reciclávelPapel Empresa de transformação (licenciada) R E C IC L Á V E L reciclávelVarrição (rejeitos) Rejeitos – aterro sanitário rejeito REJEITOSResíduos de Rejeitos – aterro sanitáriobanheiro rejeito REJEITO SMetal Empresa de transformação (licenciada) R E C IC L Á V E L reciclávelPapel Rejeitos – aterro sanitárioengordurado rejeito REJEITO SRestos de Compostagemalimentos orgânico
    • Estudo de casos
    • a) Resíduos recicláveis ( ) papéis de escritóriob) Resíduos orgânicos ( ) plásticos de comida ( ) papel higiênicoc) Rejeitos ( ) cascas de frutas ( ) papelãod) Resíduos perigosos ( ) restos de comidas ( ) vidros ( ) papel engordurado ( ) resíduos de varrição ( ) papel de banheiro ( ) pilhas ( ) lâmpadas ( ) lata de tinta ( ) estopa com óleo ( ) isopor
    • PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO COMPLEXO INDUSTRIAL COCAMAR MARINGÁ - PR
    • Custos Redução dos Custos Atuais Otimizados Custos Observações (mensais) (mensais) (mensal) Cinzas da Caldeira e R$ 10.010,00 8.008,00 R$ 2.002,00 Disposição sobre o Solo Fornalha Lodo da ETE R$ 585,00 R$ 0,00 R$ 585,00 CompostagemResíduos Orgânicos do R$ 133,00 + frete R$ 0,00 R$ 133,00 Compostagem Restaurante Gasto somente com Rejeitos.Orgânicos + Rejeitos + Estima –se que R$ 2337,00 + frete R$ 1.402,00 R$ 935,00 Recicláveis representem aprox. 60% do volume atual.Sólidos Contaminados R$ 1320,00 R$ 924,00 R$ 396,00 Com redução de 30% Sólidos sem Novas empresas que recebam R$ 1090,00 R$ 0,00 R$ 1.090,00 Contaminação o material sem custos. Produtos Químicos R$ 997,00 R$ 0,00 R$ 997,00 Gerenciamento adequado. Vencidos Lâmpadas R$ 787,00 R$ 0,00 R$ 787,00 Devolução aos fornecedores. Pilhas e Baterias R$ 193,00 R$ 0,00 R$ 193,00 Devolução aos fornecedores.Embalagens plásticas, condicionado ao lubrificantes, envio de R$ 0,00 R$ 0,00 Devolução aos fornecedores. aditivos e fluidos materiais para diversos a Nortevisual TOTAL R$ 17.452,00 R$ 10.334,00 7.118,00
    • Incremento na Receitas Atuais Receitas Otimizadas Porcentagem do RESÍDUO Receita (mensais) (mensais) incremento ( mensais)Borra de Soja Oleosa R$ 112.000,00 R$ 319.760,00 R$ 207.760,00 186% Papelão R$ 1.881,04 R$ 3.328,00 R$ 1.446,96 77%Embalagem Cartonada R$ 1.659,45 R$ 2.553,01 R$ 893,56 54% (TetraPak) Papel Branco R$ 1.293,53 R$ 1.580,98 R$ 287,45 22% Papel kraft/Enepack R$ 279,53 R$ 357,17 R$ 77,64 28% Fitas Plásticas R$ 0,00 R$ 220,00 R$ 220,00 100% Valor a ser informado Pallets R$ 1.635,30 A ser verificado - após visitas. Valor a ser informado Plásticos em Geral R$ 261,25 A ser verificado - após visitas. TOTAL R$ 119.010,10 R$ 327.799,16 R$ 210.685,61 177%O incremento na Receita estimado para o novo Programa de Gerenciamentode Resíduos Sólidos do Complexo Industrial COCAMAR é de R$ 2.614.000,00
    • RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO CONAMA Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002Estabelece diretrizes, critérios eprocedimentos à gestão dosresíduos da construção civil.
    • III - Classe C - são os resíduos para os quais não foramdesenvolvidas tecnologias ou aplicações economicamenteviáveis que permitam a sua reciclagem/recuperação, taiscomo os produtos oriundos do gesso;IV - Classe D - são os resíduos perigosos oriundos doprocesso de construção, tais como: tintas, solventes, óleos eoutros, ou aqueles contaminados oriundos de demolições,reformas e reparos de clínicas radiológicas, instalaçõesindustriais e outros.Art. 4º Os geradores deverão ter como objetivo prioritário anão-geração de resíduos e, secundariamente, a redução, areutilização, a reciclagem e a destinação final.[...]
    • [...]Art. 3º Os resíduos da construção civil deverão serclassificados, para efeito desta Resolução, da seguinte forma:I - Classe A - são os resíduos reutilizáveis ou recicláveis comoagregados, tais como:a) de construção, demolição, reformas e reparos depavimentação e de outras obras de infraestrutura, inclusivesolos provenientes de terraplanagem;b) de construção, demolição, reformas e reparos deedificações: componentes cerâmicos(tijolos, blocos, telhas, placas de revestimentoetc.), argamassa e concreto;c) de processo de fabricação e/ou demolição de peças pré-moldadas em concreto (blocos, tubos, meios-fios etc.)produzidas nos canteiros de obras;II - Classe B - são os resíduos recicláveis para outrasdestinações, tais como:
    • RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE:Resíduos Grupo A – Resíduos com riscos de contaminação Biológica;Resíduos Grupo B - Resíduos com riscos de contaminação Química;Resíduos Grupo C – Resíduos Radioativos;Resíduos Grupo D – Resíduos Comuns / equiparados aosdomiciliares, conforme RDC 306/2004, 13.2.1 - Para os resíduos do GrupoD, destinados à reciclagem ou reutilização, a identificação deve ser feita nosrecipientes e nos abrigos de guarda de recipientes, usando código de cores e suascorrespondentes nomeações, baseadas na Resolução CONAMA nº 275/2001, esímbolos de tipo de material reciclável :•azul - PAPÉIS•amarelo - METAIS•verde - VIDROS•vermelho - PLÁSTICOS•marrom - RESÍDUOS ORGÂNICOSResíduos Grupo E – Resíduos Perfurocortantes e Escarificantes.
    • GRUPO AResíduos com a possível presença de agentes biológicos que, por suascaracterísticas de maior virulência ou concentração, podem apresentar risco deinfecção. Estes resíduos não podem ser reciclados, reutilizados ou reaproveitados, inclusive para alimentação animal.O Grupo A apresenta a seguinte subdivisão:A1:Culturas e estoques de microrganismos; Resíduos resultantes de atividadesde vacinação com microrganismos vivos ou atenuados ; Resíduos resultantesda atenção à saúde de indivíduos ou animais; Bolsas transfusionais contendosangue ou hemocomponentes; Sobras de amostras de laboratório contendosangue ou líquidos corpóreos;A2: Carcaças, peças anatômicas, vísceras e outros resíduos provenientes deanimais submetidos a processos de experimentação com inoculação demicroorganismos;A3: Peças anatômicas (membros) do ser humano:A4: Kits de linhas arteriais, endovenosas e dialisadores; Filtros de ar e gasesaspirados de área contaminada; Sobras de amostras de laboratório e seusrecipientes contendo fezes, urina e secreções; Resíduos de tecidos; A5 - Órgãos, tecidos, fluidos orgânicos, materiais perfurocortantes ouescarificantes e demais materiais resultantes da atenção à saúde de indivíduosou animais;
    • GRUPO BResíduos contendo substâncias químicas que podem apresentar risco àsaúde pública ou ao meio ambiente, dependendo de suas característicasde inflamabilidade, corrosividade, reatividade e toxicidade.Produtos hormonais e produtos antimicrobianos; citostáticos;antineoplásicos; imunossupressores; digitálicos; imunomoduladores;antirretrovirais, quando descartados por serviços desaúde, farmácias, drogarias e distribuidores de medicamentos ouapreendidos, e os resíduos e insumos farmacêuticos dos Medicamentoscontrolados pela Portaria MS 344/98 e suas atualizações:Resíduos de saneantes, desinfetantes, desinfestantes; resíduoscontendo metais pesados; reagentes para laboratório, inclusive osrecipientes contaminados por estes;Efluentes de processadores de imagem (reveladores e fixadores);Efluentes dos equipamentos automatizados utilizados em análisesclínicas;
    • GRUPO CQuaisquer materiais resultantes de atividades humanas quecontenham radionuclídeos em quantidades superiores aoslimites de isenção especificados nas normas do ConselhoNacional de Energia Nuclear - CNEN e para os quais areutilização é imprópria ou não-prevista.Enquadram-se neste grupo os rejeitos radioativos oucontaminados com radionuclídeos, provenientes delaboratórios de análises clínicas, serviços de medicinanuclear e radioterapia, segundo a resolução CNEN-6.05.
    • GRUPO DResíduos que não apresentem risco biológico, químico ou radiológico àsaúde ou ao meio ambiente, podendo ser equiparados aos resíduosdomiciliares. Citam-se entre eles:Papel de uso sanitário e fralda, absorventes higiênicos, peçasdescartáveis de vestuário, resto alimentar de paciente, material utilizadoem antissepsia e hemostasia de venóclises, equipo de soro e outrossimilares não-classificados como A1;Sobras de alimentos e do preparo destes;Resto alimentar de refeitório;Resíduos provenientes das áreas administrativas;Resíduos de varrição, flores, podas e jardins;Resíduos de gesso provenientes de assistência à saúde;Resíduos recicláveis.
    • A segregação e a destinação adequada dosresíduos, além de ser uma obrigação legal, é certificação de estarmos garantindo às futuras gerações, saúde ambiental e preservação de insumos naturais.
    • OBRIGADO
    • • EMPRESAS: