Your SlideShare is downloading. ×

A Arte de Coordenar a Catequese

5,224

Published on

Metodologia Catequética …

Metodologia Catequética
Autora : Irmã Mary Donzellini MJC
http://marydonzellinimjc.blogspot.com

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
5,224
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
87
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Metodologia Catequética Autoria de ir. Mary Donzellini, mjc http://marydonzellini.mjc.blogspot.comA ARTE DE COORDENAR A CATEQUESE"Necessitamos de coordenadores"! Este grito ressoa em diversos campos: social, comercial, político e religioso. Muitos problemas religiosos e, principalmente os da catequese, provêm da falta de coor-denação. A Bíblia nos ajuda a pensar na importância da coordenação e liderança, aconselhando-nosa fazer o seguinte: "Escolha entre o povo homens capazes e tementes a Deus, que sejam seguros e inimigos do suborno:estabeleça-os como chefes de mil, de cem, de cinquenta e de dez. Eles administrarão regularmente a justiçapara o povo: os assuntos graves, eles trarão a você; os assuntos simples, eles próprios resolverão. Se vocêfizer assim e Deus lhe der as instruções, você poderá suportar a tarefa, e o povo voltará para casa em paz"(Êxodo 18,21-23). Para realizar a missão catequética com eficiência, é necessário que o grupo de catequistastenha uma coordenação. A palavra "coordenação" vem do latim "coordenactio" que significa dispor a ordem, or-ganizar. Portanto, coordenar é organizar o conjunto, pôr em ordem o que está desordenado. E acooperação, a co-responsabilidade entre os iguais. Coordenar é fazer com que as atividades catequéticas tenham começo, meio e fim paraque haja maior aproveitamento do grupo. Não há receitas prontas; é necessário viver acoordenação, treinar a coordenação. Os líderes devem ser escolhidos pela comunidade para formar a equipe de coordenação. Ocoordenador nunca poderá trabalhar sozinho. A equipe de coordenação dá espaço para que todos participem com suas opiniões, facili-tando o trabalho do grupo e ajudando as pessoas a se tornarem co-responsáveis.EQUIPE DE COORDENAÇÃO ESTÁ A SERVIÇO:  O das pessoas: acolhe, anima, confia, faz crescer; compartilha a vida, escuta as alegrias e dificuldades, valoriza as pessoas; elimina o medo e é solidária.  O da comunidade catequizadora: interessa-se, sente-se participante; conhece, articula, preocupa-se pela formação de todos os catequistas.  O da reunião: prepara a reunião, anima, coloca técnicas e dinâmicas de grupo, exigindo responsabilidade e participação dos catequistas. Numa reunião, a falta de coordenação causa perda de tempo, desperdícios e frustações.Descubra o COORDENADOR que está dentro de você O coordenador é aquele que acredita na missão de comunicador e transmite a mensagemcom entusiasmo contagiante, fazendo com que todos os membros da equipe tenham coragem,tomem decidamente iniciativa e consigam vencer as dificuldades inerentes ao empreendimento. O coordenador é um animador. E o animador é uma pessoa e não um instrumento detrabalho. Animar significa dar vida, criar ambiente propício para o crescimento das pesso-
  • 2. Metodologia Catequética Autoria de ir. Mary Donzellini, mjc http://marydonzellini.mjc.blogspot.com as e para que a comunidade alcance os objetivos próprios. Animar significa incentivar ocrescimento da amizade entre as pessoas do grupo. O coordenador é aquele que tem conhecimento não só das qualidades das pessoas, comotambém da vida da Igreja. Por isso, tem confiança que, propondo e abrindo caminhos para aesperança, sustenta a ação. Para acontecer tudo isso, deve procurar participar de treinamentos,buscando uma crescente formação na arte de ser coordenador.  Elaborar, de maneira participativa, pequeno projeto para a catequese, destacando o objetivo, planejamento participativo, as ações concretas, as reuniões de formação, as diversas celebrações e avalições periódicas.  Promover bom relacionamento entre as pessoas para que caminhem de mãos unidas. Valorizar as experiências pessoais e grupais, promovendo novos líderes dentro do grupo.  Atenuar os conflitos entre catequistas e os membros da comunidade e os pais dos catequizandos, estando sempre aberta para o pluralismo e para enfrentar as resistências.  Incentivar toda a comunidade para que os seus membros se sintam responsáveis, assumindo também a missão cate-quizadora.  Preparar, junto com com o pároco e com os catequistas, um programa de formação e acompanhamento dos catequistas.  Estabelecer critérios para a missão e formação dos catequistas.  Refletir com os catequistas, com os pais e com a comunidade sobre as necessárias mudanças do planejamento.  Providenciar o material necessário para o bom andamento da catequese.  Ser presença, força, apoio, estímulo aos catequistas novos e jovens.  Fortalecer a criatividade: ter amor criativo para fazer crescer a catequese comunitária.Portanto:  coordenar é servir, em lugar de dominar;  coordenar é buscar os pontos comuns em função da unidade;  coordenar é incentivar a participação de todos;  coordenar é articular pessoas, estruturas e atividades;  coordenar é administrar os conflitos e as tensões. Para refletir: 1. Analise os dois desenhos e descubra as diferenças entre eles. 2. É importante para os catequistas os trabalhos planejados e coordenados? 3. Quais os valores da coordenação que vocês encontram na comunidade? E quais os contra valores?Pesquisar:  A Bíblia nos apresenta algumas referências sobre a qualidade exigida do administrador do evangelho. A equipe de coordenação da catequese reforça a sua liderança à luz da Palavra de Deus.  Vamos conferir. Mt 13,44-50; 17,22-27; Mc 4,1-9; 10,17-31; Lc 7,36-50; 9,1-6; 10, 17- 24; Jo 15, 1-6; ICor 1,10; 12,12-31; 2 Cor 9,1-15; Fil 1,23. Autoria de ir. Mary Donzellini, mjc Publicado na Revista ECOando – Ed. Paulus Seção - Formação Metodológica – p. 20-21 Ano 1 – n. 4 (dezembro de 2003, janeiro e fevereiro de 2004)

×