Apresentação TV Digital
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apresentação TV Digital

on

  • 1,409 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,409
Views on SlideShare
1,362
Embed Views
47

Actions

Likes
0
Downloads
31
Comments
0

3 Embeds 47

http://bibliotvdigital.blogspot.com 30
http://bibliotvdigital.blogspot.com.br 13
http://bibliotvdigital.blogspot.pt 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apresentação TV Digital Apresentação TV Digital Presentation Transcript

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INTRODUÇÃO AO PROCESSAMENTO DE DADOS MAT 115 Docente: Vaninha Vieira Discentes: Ana Paula Teixeira Ana Valéria Marília Lessa
  • TV DIGITAL: CONCEITOS, APLICAÇÕES E COMPARAÇÃO DO MODELO BRASILEIRO COM O RESTO DO MUNDO.
  • História
    • Televisão Mecânica
    • Televisão eletrônica
    Paul Nipkow Os primeiros aparelhos de televisão eram rádios com um dispositivo que consistia num tubo de néon com um disco giratório mecânico (disco de Nipkow) que produzia uma imagem vermelha do tamanho de um selo postal.
  • Aparelhos de TV até 1940 1928 1935 1939
  • A Segunda Guerra Mundial, de certa maneira, ajudou a alavancar o desenvolvimento dos aparelhos e tecnologias de transmissão. Gato Félix
  • Brasil -1950 Assis Chateaubriand Rede Tupi
    • Três tipos de sistemas de projeção são usados em televisão :
    • Tubos de raios catódicos (CRT);
    • LCD - cristal líquido;
    • Circuitos integrados ( chips  ) de imagem refletida;
  • Sistemas de teledifusão Televisão terrestre NTSC, PAL, PAL-M, PAL2, SECAM usam o sinal analógico DVB, ATSC, ISDB usam o sinal digital Sistemas de transmissão do som NICAM, MTS Via satélite usando sinal digital ou sinal analógico . TV a cabo
  •  
  • Impacto Social
    • Instrumento de informação;
    • Entretenimento ;
    • Oportunidade de trabalho;
    • Ensino à distância ;
    • Fortalece a pesquisa;
    • Crescimento da Indústria;
    • Desenvolvimento Tecnológico;
  • Panorama Mundial Panorama Nacional (2002)
    • 530 milhões de lares com recepção de TV
    •  
    • 81,6 milhões de lares com recepção de TV Digital:
    • 29 milhões – TV a Cabo
    • 50 milhões – Satélite
    • 1,6 milhões - Radiodifusão Terrestre
    • O Brasil possui 54 milhões de TVs
    • ~90% dos lares têm TV (1,4 TV / lar), dos quais:
    • 79% só recebem via radiodifusão terrestre
    • 27% são apenas monitores de 14 polegadas
    • 37% são apenas monitores de 20 polegadas
    • 47% com antena interna
    • > 149 milhões de brasileiros não têm acesso aos serviços da Internet.
    •  
    • 3,6 milhões de assinantes de TV por assinatura: 60% por cabo, 34% satélite e 6% MMDS.
  • TV por satélite?
  • TV Digital o que é? A TV digital é uma evolução da TV analógica, proporcionando uma melhoria na qualidade das transmissões de vídeo e áudio, além de oferecer interatividade com os telespectadores, recepção do sinal em aparelhos móveis e a possibilidade de uma mesma emissora transmitir, em um único canal, diversos programas.
  • O que muda com a TV Digital?
    • Recepções móveis, ou seja, recepção em meios de transportes ou em objetos portáteis.
    • Gravação de programas, que possibilita o armazenamento em disco rígido dentro do aparelho para exibição posterior.
    • Acesso a internet.
    • Sistemas computacionais.
    • Jogos eletrônicos.
  • Vendo a diferença
  • Padrões da TV digital ATSC – PADRÃO AMERICANO DVB – PADRÃO EUROPEU ISBD – PADRÃO JAPONÊS
  • O Brasil e o padrão Japonês
    • Deve levar em conta o pagamento de royalties:
    • Os japoneses e europeus usam para áudio e vídeo o MPEG-2,
    • programa cujo royalty custa cerca de US$ 2,50 por cada televisor.
    • Já os americanos usam essa tecnologia apenas no vídeo e optaram
    • pelo sistema Dolby para o áudio, que sai a US$ 5 o pacote
    • Os três sistemas usam tecnologias diferentes para os softwares que permitirão a interatividade. Os royalties cobrados por estes programas custam de US$ 7 a US$ 20.
  • O Brasil e o padrão Japonês
    • O decreto Nº 4.901, de 26 de novembro de 2003, que instituiu o Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD).
    • Promover a inclusão social, a diversidade cultural do País por meio do acesso à tecnologia digital, visando à democratização da informação;
    •   Estimular a pesquisa e o desenvolvimento e propiciar a expansão de tecnologias brasileiras e da indústria nacional relacionadas à tecnologia de informação e comunicação;
    • Planejar o processo de transição da televisão analógica para a digital, de modo a garantir a gradual adesão de usuários a custos compatíveis com sua renda;
  • É evidente que o decreto além de estabelecer diretrizes para a transição do sistema analógico para o digital, deixa claro que o avanço tecnológico não se restringe a apenas a troca de equipamentos, visando também à inclusão social.
  • Equipamentos
    • Conversor (Set-Top Box).
  • Equipamentos
    • Antena UHF.
  • Tipos de telas
    • TV de tubo (CRT- Cathode Ray Tube ) : utiliza tubos de raios catódicos para "pintar" a imagem na tela.
  • Tipos de telas LCD ( liquid crystal display ): é um dispositivo eletrônico, composto por um determinado número de pixels, preenchidos com cristais líquidos e dispostos em frente a uma fonte de luz para produzir imagens em cores ou preto e branco.
  • Tipos de telas Plasma: As telas possuem um gás que, ao passar por um processo de ionização, assume o estado de plasma. O plasma gera raios ultravioletas, que atingem a superfície externa da tela, formando a imagem.
  •  
  • Tipos de telas LED TV: É uma TV LCD com iluminação traseira modificada, tornando a qualidade de imagem ainda maior. Em vez de lâmpadas fluorescentes atrás da tela de cristal líquido da TV LCD convencional, a TV de LED usa um painel de diodos emissores de luz (os chamados LEDs).
  • LCD LED
  • LED em New York
  • Tipos de telas 3D : A tecnologia 3D capta as imagens através de duas lentes, que simulam os olhos do ser humano. Por isso, as imagens parecem borradas e só ficam “perfeitas” com o auxílio de óculos especiais.
  • Elaborado pelas autoras. TI PO DE TV VANTAGENS DESVANTAGENS Tubo (CRT)
    • Excelente ângulo de visão;
    • Pode-se esperar pelo menos cinco anos até que a qualidade da imagem comece a se degradar;
    • Relativamente barata.
    • Volumosa e pesada;
    • Maior consumo de energia;
    • Nas de tela curva, tela maior significa curva maior.
    LCD
    • Tela plana;
    • Consome menos energia;
    • Cansa menos a vista.
    • Tamanho da tela é limitado (40 polegadas);
    • A resolução não é constante, com perdas de 50% em imagens em movimento (em modelos mais antigos).
    Plasma
    • Melhor ângulo de visão;
    • Melhor uniformidade da luz em todas as partes da tela;
    • Maior emissão eletromagnética – luz ultra-violeta;
    • Aparelho com maior profundidade e mais pesado.
    LED TV
    • Economia de energia, em até 40% ;
    • Maior uniformidade da luz traseira, permitindo maior brilho (pretos mais profundos);
    • Modelos são ainda mais finos, já que os LEDs ocupam menos espaço no interior dos aparelhos.
    • Baixa resolução em vídeo composto analógico;
    • Alto custo de aquisição e manutenção.
    TV 3D
    • Oferece recursos disponíveis em modelo de alta definição.
    • Proporciona uma imagem mais próxima da realidade da visão humana, em três dimensões.
    • Alto custo;
    • Após muitas horas assistindo à TV, o telespectador pode ficar com a vista muito cansada.
  • Resolução
    • A resolução é o elemento que garante a nitidez da imagem e podem ser:
    • Entrelaçada (i);
    • Progressiva (p);
  • Qualidade de imagem e som
      • HD Ready : Indica que um aparelho de TV pode receber sinais digitais em (720p ou 720i);
      • Full HD : Fornece melhor qualidade das imagens de alta definição (1.920 x 1.080p), porém é necessário possuir aparelhos com sinal de padrão 1080. Ex: Blu Ray, playstation 3;
      • Quad Full HD : Proporciona resoluções quatro vezes maiores que um televisor Full HD. Apresenta 3840 X 2160p dentro da tela, somando mais de oito milhões de pontos.
  • Interatividade É a possibilidade de trocar dados e realizar operações em funções do conteúdo exibido (comprar produtos, consultar serviços, responder a enquetes etc).
  • As aplicações interativas possibilitam ao telespectador (ou usuário):
  • A Google em parceria com a Sony, produzem aparelhos de TV com tecnologias como o Android 2.2 e o navegador Chrome.
  • Futuro da TV “ Dentro de cinco anos, quando você sentar no sofá, poderá estalar os dedos para ligar um aparelho de TV fino como um papel, que vai ocupar toda a parede e pedir a ele que ligue no seu canal de esportes favorito para que assista ao jogo de beisebol do dia em 3D - sem precisar de óculos.” (R7 NOTÍCIA, 2010).
  • Referências
    • FONSECA, Willian . O Full HD já está ficando ultrapassado! Confira a nova tecnologia em resolução de televisores . 2009. Disponível em:<http://www.baixaki.com.br/tecnologia/2462-o-full-hd-ja-esta-ficando-ultrapassado-confira-a-nova-tecnologia-em-resolucao-de-televisores.htm>. Acesso em: 29 nov. 2010.
    • NENO, Mylène . Saiba como escolher sua TV de alta definição para a Copa do Mundo . Disponível em: <http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2010/04/saiba-como-escolher-sua-tv-de-alta-definicao-para-copa-do-mundo.html> Acesso em: 1 dez 2010.
    • R7 NOTÍCIA... 2010. Especialistas dizem que TV do futuro será ligada com um estalar dedos . Disponível em:<http//noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/especialistas-dizem-que-tv-do-futuro-sera-ligada-com-um-estalar-dedos-20101203.html>. Acesso em: 3 dez 2010.
    • BRAIN, Marchall . Como funciona a TV digital. Disponível em:< http://eletronicos.hsw.uol.com.br/televisao-digital7.htm>. Acesso em: 3 dez. 2010.
    • LETHBRIDGE, Tiago . O Google vai à guerra . Exame, São Paulo, v. 44, n. 14, p. 20-30, ago. 2010.
  • Referências Entenda os diferentes tipos de transmissão da TV de alta-definição. 2004. Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u17459.shtml>. Acesso em: 06 dez. 2010. Padrões de Middleware para TV Digital: Conclusões. Disponível em:< http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialtvdpadrao/pagina_5.asp> Acesso em: 06 dez. 2010.     FERNANDES Jorge; LEMOS, Guido; SILVEIRA, Gledson . Introdução à Televisão Digital Interativa:Arquitetura, Protocolos, Padrões e Prática. 2004. Apresentado na Jornada de Atualização em Informática do Congresso da Sociedade Brasileira de Computação. Salvador. Anais do JAI—SBC.   OLIVEIRA, Etienne César Ribeiro de; ALBUQUERQUE, Célio Vinícius Neves de. TV Digital Interativa: Padrões para uma nova era. Instituto de Computação. Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói, RJ – Brasil. SAIBEL, Celso Alberto; VILAR, Antonio Carlos . Desenvolvimento de aplicações para TV Digital Interativa com Ginga : Abordagem Procedural e Abordagem Declarativa. Disponível em: <http://www.tvdi.inf.br/index.php?s=artigos>. Acesso em: 07 dez. 2010 BAIXAKI , 2010. Disponível em: < http://www.baixaki.com.br/tecnologia/2397-historia-da-televisao.htm#topo >. Acesso em: 07 dez. 2010. BOURDIUE, Pierre. Sobre televisão . Madrid: Anagrama, 1997
  • Obrigada!