O gestor e a evolução da gestão

6,698 views
6,382 views

Published on

Marketing - Ensino a distancia - E-learning Instituto Politecnico de Leiria

Published in: Business
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,698
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O gestor e a evolução da gestão

  1. 1. Instituto Politécnico de Leiria Escola Superior de Tecnologia e Gestão“O Gestor e a Evolução da Gestão” João António Vaz Marketing - Ensino a Distância
  2. 2. João António Vaz | Marketing Tarefa 2 - 2.1. – Identifique e caracterize as quatro funções da Gestão. As 4 funções da Gestão são: Na minha óptica e procuro sempre b) ORGANIZAÇÃO  Para se aplicar os conhecimentos adquiridos juntando a conseguir atingir os objectivos propostos é a. PLANEAMENTO minha experiência empresarial, procuro em 1º necessário estabelecer relações formais entre b. ORGANIZAÇÃO lugar diferenciar e dar conta à equipa de pessoas e entre estas e os recursos, criando c. DIRECÇÃO colaboradores que não se deve confundir assim uma organização. d. CONTROLO OBJECTIVOS com EXPECTATIVAS. É necessário pois definir QUEM-FAZ- É através destas 4 funções que todos os Posto isto, os objectivos são tratados numa O-QUÊ-E-QUANDO definindo as relações eesforços realizados dentro da organização, em lógica de planeamento, onde se define o Guia interacções entre as pessoas e os grupos, bemtodas as áreas e a todos os níveis da gestão de Acção (PLANO). De acordo com os como afectar os recursos e meios às pessoas e(institucional, intermédio e operacional) que Objectivos o Guião é assim um manual para os aos grupos.os objectivos produzem resultados! gestores e restantes membros da Organização, numa lógica de manter o foco! a) PLANEAMENTO  È o processo PLANO de determinar antecipadamente o que Os objectivos definidos enquanto deve ser feito e como fazê-lo. gestor de uma organização são sempre claramente especificados, mensuráveis, ORGANIZAÇÃO Objectivos alcançáveis, realizáveis e temporizáveis, no sentido em que não podem ser vagos, devem Diagrama Funcional de Afectação de recursos de ser perfeitamente quantificados e balizados PLANEAMENTO no tempo para que possamos com os nossos recursos disponíveis alcançar os objectivos propostos servindo-nos do PLANEAMENTO c) DIRECÇÃO Processo de fazer PLANO recorrendo a ferramentas de simulação e de com que as pessoas façam previsão (ex: Plano de negócios em Excel) . 2
  3. 3. João António Vaz | Marketing Entende-se como COMUNICAÇÃO, Diagrama Funcional de Afectação de recursos o processo pelo qual se procede à transferência de ideias, de informação, de conceitos ou de DIRECÇÃO sentimentos entre os elementos e as relações que se estabelecem. Comunicação Motivação ACÇÃO A comunicação é sobretudo feita a ligar pessoas, daí a importância dos eventos ou seja, um processo de determinar , Liderança organizados internamente visando o incentivoinfluenciar, afectar o comportamento dos como forma de criar espírito de equipa.outros através de Motivação, Liderança E Conforme Tom Peters, fez notar na sua tácticaComunicação. nº 6. Sem comunicação não existe cultura empresarial, é comum ver organizações Entende-se como MOTIVAÇÃO, o desperdiçar capital (humano e material) cujos Objectivosreforço da vontade das pessoas se empenharem níveis de gestão não comunicam. Comunicaçãonos objectivos da organização o que implica a é a base das relações humanas e como se sabe Entende-se como LIDERANÇA, aconvergência dos objectivos individuais de no fundo empresas são pessoas. capacidade de conseguir, de levar os outros acada elemento humano da organização com os fazer aquilo que o líder quer que elas façam, Resumindo, a comunicação é aobjectivos globais da organização, ou seja a liderança é uma característica e aspecto da capacidade de transmitir aos outros o quecapacidade de fazer com que os outros gostem DIRECÇÃO. A Categoria dos Gestores é pretendemos.do que fazem definida pelo seu estilo de liderença! 3
  4. 4. João António Vaz | Marketing d) CONTROLO  Processo de O controlo é exercido sobre o Plano, a objectivos estabelecidos. A função docomparação do actual desempenho da Organização e a Direcção, e pode obrigar a Controlo, no fundo é através de constantesorganização c/ standards e objectivos pré- reformulação dos Planos, do organigrama informações (contabilidade por ex.) definindoestabelecidos apontando as eventuais acções organizacional ou das formas de gestão de as acções necessárias para corrigir os desvios ecorrectivas exigindo feedback e controlo modo manter o foco ou seja o “equilíbrio” evitá-los no futuro. O controlo pode serperante todo o tipo de perturbações. tendo em conta A acção para atingir os exercido através de acções de carácter pedagógico, educativo ou formativo. CONTROLO ACÇÃO CONTROLO Plano Organização Direcção 4
  5. 5. João António Vaz | Marketing 2.2. Comente a figura 1.1 do Livro A (Teixeira, S. (2005). A Gestão das Organizações. 2ª edição, McGraw-Hill. Lisboa.) A fig. 1.1 do Livro “A Gestão das organizações” de SebastiãoTeixeira demonstra a interdependência das Funções da Gestão, masdeixando de fora as variáveis externas que também influenciam agestão (mas não temos capacidade de intervenção)... no entanto seobservarmos a fig. l.1 do Livro B “ Int. à gestão das Organizações” aquestão da influência do ambiente externo já é abordada e ondetambém Direcção é substituída por Liderança.Mas foquemo-nos na Fig.1.1 do livro A de Sebastião Teixeira, quenos remete para a INTERDEPENDÊNCIA e INTERACÇÃO dasquatro funções da Gestão de forma a alcançar os seus objectivos. Defacto a Gestão de empresas consiste em “Interpretar os objectivospropostos e transformá-los em acção empresarial através doplaneamento, organização, direcção e controlo de todos os esforçosrealizados em todas as áreas e em todos os níveis da empresa, a fimde atingir tais objectivos de maneira eficiente e eficaz” (Chianenato,1994). Fig. 1.1 – Funções da Gestão, Sebastião Teixeira, Gestão das Organizações 5
  6. 6. João António Vaz | Marketing-Planear definindo as funções de cada elemento na organização - A organização depende do tipo de planeamento efectuado.-Planear definindo as competências (Quem faz o quê, Quando e Como?) - A organização rende mais ou menos consoante o estilo de direcção-Planear implica escolher pessoas certas no lugar certo, no timing certo. implementado e a motivação que esta transmite-O plano é o guião da Organização, implica Acção - A organização e os seus elementos, devem esforçar-se por cumprir o- Planear implica delegar, mas delegar sempre com controlo! planeamento definido no seu tempo correcto- Planear implica a existência de controlo, i.e., O que foi planeado, deve -as suas acções devem ir ao encontro dos objectivos pré-estabelecidos noser planeado, verificar o plano e corrigir em andamento. plano.- Existem 2 tipos de Planeamento (Planeamento Específico – aquele que - A organização depende do Objectivo e das estratégias definidas.uma vez atingido o objectivo deixa de ser utilizado e Planeamento Geral, - Através da Organização estabelece-se a divisão e subdivisão do trabalhoque é usado de forma permanente. - Materializa-se no organigrama e descrições de funções PLANEAR ORGANIZAÇÃO o orgânicas (funções técnicas e administrativas) - As informações levam a melhor os planos futuros - O estilo da Direcção depende do tipo de DIRIGIR CONTROLAR - O Controlo é exercido consoante o estilo de organização direcção - A direcção necessita das ferramentas de controlo, - O rigor do Controlo depende dos métodos, meios e ferramentas para saber se o seu Plano está a ser executado e fazer alterações adoptadas pela Organização. correctivas - Comparar Metas e Objectivos pré-estebelecidos com os planeados (Plano base ou Baseline), apontando as correcções. -dar informações para um melhor Planeamento futuro. 6
  7. 7. João António Vaz | Marketing 2.3. Quais as principais aptidões dos gestores e quais os principais níveis de Gestão? De que forma serelacionam?As principais aptidões e competências compreensão das funções a desempenhar, informaçãoconsideradas essenciais num gestor para ser nomeadamente a capacidade para seleccionar a • RELAÇÕES HUMANAS – Estãoeficaz e eficiente dever possuir e desenvolver tecnologia apropriada, desenvolver novos relacionadas com a compreensão das outrasaptidões Conceptuais e Analíticas, Técnicas, processos operacionais e gerir orçamentos. È pessoas na empresa, nomeadamente a capacidadeDe tomada de Decisão, Computacionais, e de particularmente importante nos gestores de 1ª para interagir com os colegas, motivar osRelações Humanas: linha onde se enquadram os problemas do dia-a- subordinados e dirigir projectos em equipa. dia• CONCEPTUAIS e ANALÍTICAS – Estão Para Sebastião Teixeira, a actuação dos gestores • DE TOMADA DE DECISÃO – Qualquerrelacionadas com a compreensão da interacção avalia-se geralmente por padrões de eficiência e gestor tem de tomar decisões que determinam aentre o meio envolvente e a empresa, eficácia. sua eficácia, estas decisões estão normalmenteapresentando ideias gerais ou abstractas, A eficiência é a relação proporcional entre a relacionadas com as suas aptidões e visãonomeadamente a capacidade para formar uma quantidade de inputs e a quantidade de outputs analíticavisão alargada das questões, ter uma perspectiva produzidos;de longo prazo e tomar decisões complexas, • COMPUTACIONAIS – O domínio de A eficácia é a medida em que os outputsutilizando abordagens metodológicas e técnicas ferramentas computacionais ajudam nas tarefas produzidos pelo processo se aproximam dosde gestão. do gestor e conferem-lhe uma visão mais objectivos propostos.• TÉCNICAS – Estão relacionadas com a alargada, pela quantidade e tratamento da O gestor será então aquele que consegue resultados (coisas feitas) com o trabalho de outrem, planeando, organizando, dirigindo e controlando. No entanto é comum ver Pessoas eficientes sem qualquer eficácia 7
  8. 8. João António Vaz | MarketingOs Principais Níveis da Gestão são: 3NÍVEL INSTITUCIONAL Nível Institucional Nível Operacional Nível IntermédioCaracterizado por forte componente de GESTÃO GESTÃO TÉCNICA GESTÃO TÁCTICAgestão estratégica, pela definição das ESTRATÉGICA ou OPERACIONALpolíticas gerais a médio e longo prazo, do (curto prazo) (longo Prazo) (Dia-a-dia)rumo a seguir, e é exercida por membros do NívelConselho de Administração, Gerência, etc e Institucionalseu âmbito e abrangência é toda aorganização SecçãoNÍVEL INTERMÉDIO Área DivisãoCaracterizado por uma predominância da Toda a Secçãocomponente táctica da Gestão, centrada no Nível Organizaçãoque fazer a curto prazo? Que planos e intermédioProgramas específicos? Reporta Área Divisão Secçãonormalmente a Directores de divisão,directores de departamento, etcNÍVEL OPERACIONAL A importância relativa das funções de gestão é por demais evidenteCaracterizado por uma componente técnica nos 3 níveis de gestão, pois qualquer gestor tem de dedicarbaseada na execução de procedimentos e Nível Operacional TEMPO e acção aos diferentes níveis consoante a função que estárotinas do dia-a-dia pré-estabelecidos e a exercer. Qualquer que seja o Nível, implica uma tomada dereporta normalmente a supervisores de área, decisão. E decidir é a essência da Gestão.chefes de serviço, chefes de secção, chefesde turno, etc 8
  9. 9. João António Vaz | Marketing 2.4. Resolva o caso de fim de capítulo do livro A. baseia alguns princípios nesta escola, a saber, O comando e a autoridade é exercida de cima para baixo segundo uma escala hierárquica e um reduzidoCom base no caso exemplo do Dr. David Peixoto extraído do livro "Gestão ou limitado números de subordinados. A Organização era entendida comodas Organizações" de Sebastião Teixeira (1998 - Pags. 17 - 19), Mc GrawHill um todo existindo no entanto distinção entre as funções ou seja estava já subjacente o principio da especialização. A escola Clássica diverge1. Não foi uma boa escolha para Administração da empresa, pois nãoreunia as aptidões necessárias, principalmente a de relações humanas. fundamentalmente da Escola Comportamental / relações Humanas, na medida em que esta introduz, na sequência de diversos estudos e experiências de Hawthorme, o conceito de Produtividade do trabalho e a2. As tarefas de gestor em que ele tinha mais dificuldades são Direcção econtrolo influência que o ambiente e as condições de trabalho nele exercem, indo para além dos clássicos que somente se preocupavam com as condições3. Não reunia as capacidades para gerir. físicas e materiais de trabalho numa lógica mecanicista. Ou seja, era o fim do “homem económico” da escola clássica para o”homem Social”, pois4. Noutra empresa não teria tido sucesso, pois o problema era qualquer homem tem necessidades sociais, e deseja relacionamentosestruturalmente dele. compensadores do seu posto de trabalho. Nasce então a preocupação da função DIRECÇÃO, pelo bem-estar dos trabalhadores, pela sua interacção TAREFA 4 nos grupos de trabalho, procurando a sua eficiência e produtividade através da liderança, da motivação e da comunicação. 4.1. Reflicta sobre os principais pontos divergentes entre a 4.2. Apresente as principais ideias da Teoria Quantitativa.Escola Clássica e a Escola Comportamental / Relações Humanas. A Escola Quantitativa, também conhecida por MANAGEMENT A Escola Clássica, é assim designada por ter sido a primeira a SCIENCE baseia-se em pesquisas Operacionais (PO) suportadas poraparecer no seio da Gestão ditando regras e manuais específicos para asorganizações em geral e empresas em particular. A gestão actual, hoje 9
  10. 10. João António Vaz | Marketingtécnicas matemáticas para criação de modelos, análise e solução de pessoas, as tarefas e a gestão são interdependentes o qualquer mudançaproblemas de administração, i.e., que suportem tomadas de decisão. numa delas afecta o todo) que surgiu juntamente com a abordagem contingencial dando conta que as organizações não actuem isoladamente, O seu aparecimento está directamente relacionado com o estando sujeitas a contingências, ou seja ocorrências incertas que não seaparecimento do poder computacional que a informática trouxe ao mundo. explicam pela razão, mas pela experiência e pela evidência. A Abordagem As funções de CONTROLO e de PLANEAMENTO devem contingencial vem acrescentar o tópico que não é possível gerir asimenso a esta forma de gestão, pois o aparecimento de ferramentas de organizações todas da mesma forma, cada organização é um caso e requerestratégias, de previsão e simulação, de gestão de stocks, veio colocar a um tipo de gestão própria. As conclusões dos estudos procuraram medir oabordagem quantitativa no seio da gestão ao quantificar variáveis ou impacto ambiental sobre as organizações.(re)formular fenómenos e viabilizá-los! Hoje em dia a sua importância é tal 4.4. Caracterize a teoria da “Gestão pela Qualidade Total”.que já não se concebe a gestão sem a sua ajuda tal a quantidade deinformação que é necessário guardar e gerir. A gestão para a qualidade total (GQT ou no inglês TQM Total Quality Management) é um modelo de gestão que envolve a participação 4.3. Relacione as abordagens Sistémica e Contingencial. de todos os membros de uma organização e resulta da procura permanente R: com o avanço e exigências dos tempos modernos, depressa os baseada na introdução de melhorias contínuas e graduais nos processos jágestores se aperceberam das limitações da escola clássica e da escola existentes focando-se na satisfação das necessidades dos clientes eComportamental, daí tenha aberto espaço para o nascimento da abordagem visando a excelência da Qualidade percebida pelo Cliente!sistémica (A organização como um sistema aberto a influências, onde as 10

×