Apresentação de trabalho graminsci

1,034 views
911 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,034
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
35
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação de trabalho graminsci

  1. 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃOESCOLA COMO ESPAÇO DE EMANCIPAÇÃO SOCIAL: UMA LEITURA A PARTIR DE ANTONIO GRAMSCI MESTRANDA MARICLEI PRZYLEPA ORIENTADOR PROF. DR. PAULO GOMES LIMA
  2. 2. OBJETIVOS Apreender as políticas educacionais, a partir da década de 1990. Função da escola dentro da sociedade capitalista.Evidenciar a concepção de educação em Gramsci e suas proposições para a organização da instituição escolar
  3. 3. MetodologiaTrata-se de um estudo que possui caráter qualitativo, sustentado pela pesquisa bibliográfica.
  4. 4. PROBLEMATIZA Dois olhares: Neoliberal e Gramsciano,sobre a educação com cerne no espaço escolar impulsionaram à seguinte indagação: Como é e como deve ser a escola, lócus de reprodução do sistema ou lócus de emancipação social?
  5. 5. O estudo pautou-se• O referencial teórico de autores que já se dedicaram a explorar o objeto de estudo em questão e a obra de Antônio Gramsci: Os intelectuais e a organização da cultura foi a mais recorrente.• O eixo epistemológico que parte de referências teóricas presentes nos escritos de Gramsci possibilitaram refletir sobre proposições políticas e práticas libertárias/ emancipatórias de cultura e educação que efetivadas nas instituições escolares representam uma possibilidade de superação e/ou transformação das relações sociais capitalistas.
  6. 6. Políticas educacionais a partir da década de 1990• Pressupostos neoliberais na educação significa efetivar políticas educacionais pautadas na reforma do Estado que visa à legitimação da acumulação do capital e para tanto, tem-se um Estado mínino para as políticas públicas sociais, e “máximo” para o mercado. • Silva e Gentili (1999): Políticas Educacionais implementadas pelas administrações neoliberais, notadamente a partir dos nos de 1990, restringem-se às reformas educacionais que buscam por um lado estabelecer mecanismo de controle e avaliação da qualidade dos serviços educacionais promovendo e garantindo a materialização dos princípios meritocráticos e competitivos.
  7. 7. O papel da Escola no Contexto da Sociedade Capitalista: manutenção ou emancipação social? Foram introduzidos, na instituição escolar, métodos de trabalho semelhante odesenvolvido na empresa capitalista, havendo uma divisão do trabalho pedagógico.Ampliando-se, assim, no espaço escolar, a burocracia e reduzindo a dimensão política naadministração escolar. A função social da escola está, restringida, em preparar o indivíduo para o trabalhoque tem significado sempre preparação para o mercado, com prejuízo da formação humana,ética e política, ou seja, preparação da mão-de-obra para a acumulação do capital, conforme“denunciou” e, também, chamou para a “luta,”contrária. Preparação para o trabalho tem significado sempre preparação para omercado, com prejuízo de funções mais elevadas da escola. Isso precisa sercombatido de forma veemente, pois trata-se de arrebatar a escola (seus fins epropósitos) das mãos do capital, ou pelo menos fazer o máximo nessesentido.(PARO, 1999)
  8. 8. A ESCOLA EM GRAMSCIA escola para Gramsci, é ao mesmo tempo o lócus quereproduz a sociedade capitalista, mas, também, é o lócusque instrumentaliza o proletariado, através do acesso àcultura e que possibilita a cada cidadão se tornar umgovernanteA educação escolar apresenta-se como força de transformação social.A classe proletária deve apropriar-se da ciência, da tecnologia, dafilosofia, da arte e de todas as conquistas culturais realizadas pelahumanidade em seu desenvolvimento histórico. Esse conhecimentoapreendido e compreendido pela classe dominada, “(...) serve comoelemento de sua afirmação e emancipação cultural na luta peladesarticulação do poder capitalista e pela organização de uma novaordem social.” (PARO 1986, p.105)
  9. 9.  Entende-se que Gramsci acreditava na força transformadora da escola, idealizada, por ele, como escola unitária. O autor não acreditava em uma escola que está a “serviço” do mercado capitalista: passiva, acrítica, descontextualizada e fragmentada do real, despolitizada e com predominância da racionalidade técnica sob a formação humana, como é concebida e materializada, pelo neoliberalismo, a escola de hoje (século XXI). Na compreensão gramisciana de educação, a escola de hoje não leva a emancipação social, muito, pelo contrário só serve para a reprodução do sistema.
  10. 10. PROBLEMATIZAÇÃO INICIAL:COMO É E COMO DEVE SER A ESCOLA, LÓCUS DE REPRODUÇÃO DO SISTEMA OU LÓCUS DE EMANCIPAÇÃO SOCIAL? Evidenciou-se que a escola do século XXI, assim como está concebida e materializada, é lócus de reprodução do sistema capitalista.A partir dos apontamentos de Gramsci, entende-se que a escola pode e deve ser um espaço de luta social, de desvelamento das contradições gestada pelo capitalismo, e de construção de homens e mulheres que imbuídos de uma consciência crítica e de espírito de luta tenham a coragem de buscar construir uma sociedade justa, fraterna e igualitária.
  11. 11. MARICLEI PRZYLEPAQue a escola seja um espaço de emancipação humana

×