O Que é CurríCulo1

20,140 views
19,870 views

Published on

Esta apresentação aborda aspectos relacionados ao currículo escolarizado ao longo da História até os dias atuais.

Published in: Technology, Travel
2 Comments
10 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
20,140
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
43
Actions
Shares
0
Downloads
761
Comments
2
Likes
10
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Que é CurríCulo1

  1. 1. O que é currículo Sob qual concepção você quer que se defina currículo?
  2. 2. É importante refletir que : <ul><li>O currículo constitui significativo instrumento utilizado por diferentes sociedades tanto para desenvolver os processos de conservação, transformação e renovação dos conhecimentos historicamente acumulados como para socializar as crianças e jovens segundo valores tidos como desejáveis. </li></ul><ul><li>(Moreira, Antonio Flávio Barbosa pág. 11, 2003) </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Não há consenso acerca do que se deve entender por CURRÍCULO </li></ul>
  4. 4. DIVERGÊNCIAS E COMPLEXIDADES <ul><li>a) É uma construção cultural, histórica e socialmente determinada; </li></ul><ul><li>b) Se refere a uma “prática” condicionadora do mesmo e de sua teorização </li></ul>
  5. 5. Pode-se definir como: <ul><li>Conhecimento escolar </li></ul><ul><li>e </li></ul><ul><li>experiência de aprendizagem </li></ul>
  6. 6. Conhecimento escolar ( Vigente ao longo do tempo na História ) <ul><li>O currículo é visto como o conhecimento tratado pedagógica e didaticamente pela escola e que deve ser aprendido pelo aluno </li></ul><ul><li>O que deve um currículo conter? Como organizar os conteúdos? </li></ul>
  7. 7. Experiência de aprendizagem <ul><li>Conjunto de experiências a serem vivenciadas pelo estudante sob a orientação da escola </li></ul><ul><li>Como selecionar as experiências de aprendizagem a serem oferecidas? Como organizá-las relacionando-as aos interesses e ao desenvolvimento do aluno? </li></ul>
  8. 8. Experiência do aluno Delineamento - Séc. XVIII visões de escola e pedagogia <ul><li>Mudanças sociais, econômicas, políticas e culturais </li></ul>
  9. 9. Experiência do aluno Delineamento - Séc. XVIII (cont.) <ul><li>Currículo como a totalidade das experiências vividas pelo aluno como o próprio ambiente em ação </li></ul><ul><li>(Objetivo: compreender as experiências que ocorrem no ambiente escolar buscando considerá-las e aproveitá-las em atividades pedagógicas que promovam crescimento individual e social) </li></ul>
  10. 10. Influência da psicologia comportamental (1970) <ul><li>Currículo = Plano </li></ul><ul><li>O que deve um plano conter? </li></ul><ul><li>Como elaborá-lo? </li></ul>
  11. 11. 1970 <ul><li>Currículo = objetivos escolares </li></ul><ul><li>Currículo é uma série estruturada de resultados pretendidos de aprendizagem. O currículo prescreve (ou pelo menos antecipa) os resultados do ensino. Não prescreve os meios, isto é as atividades, os materiais ou o conteúdo do ensino que devem ser utilizados para aa consecução dos resultados. Johnson (1980, apud Moreira, 2003, 13) </li></ul>
  12. 12. Currículo em ação/oculto <ul><li>A partir da década de 70, Inglaterra e Estados Unidos </li></ul><ul><li>Contradições, conflitos e resistências desempenham papel relevante </li></ul>
  13. 13. Imagem-Metáfora <ul><li>Dom Quixote e o Moinho de Vento </li></ul>
  14. 15. <ul><li>De quem são os significados reunidos e distribuídos através dos currículos declarados e ocultos nas escolas? (Apple, 1982) </li></ul>
  15. 16. Década de 1980 <ul><li>Teoria crítica do currículo: compreensão das conexões entre currículo e relações de poder na sociedade; </li></ul><ul><ul><li>Giroux (os professores como intelectuais); </li></ul></ul><ul><ul><li>Apple </li></ul></ul><ul><ul><li>Young </li></ul></ul>
  16. 17. Década de 1990 <ul><li>Expansão e reestruturação do trabalho iniciado na década anterior; </li></ul><ul><li>Influência do pensamento pós-moderno: </li></ul><ul><li>Mudança em direção a um conjunto de condições sociais que estão reconstituindo os mapas social, cultural e geográfico do mundo e produzindo, ao mesmo tempo, novas formas de crítica cultural; </li></ul>
  17. 18. Influência do pensamento pós-moderno <ul><li>Analisam-se as questões de significado, identidade e política sob novo prisma; </li></ul><ul><li>Acentua-se o caráter socialmente construído da linguagem; </li></ul><ul><li>Passa-se a interpretar os objetos culturais como textos; </li></ul>
  18. 19. Na pós-modernidade <ul><li>Quem é o sujeito do currículo? </li></ul><ul><li>Alunos, </li></ul><ul><li>Professores, </li></ul><ul><li>Gestores, pais </li></ul><ul><li>Visibilização do aluno – produtores de conhecimento </li></ul><ul><li>Visibilização da escola – de sua identidade </li></ul><ul><li>Fortalecimento dos pais e aproximação de pais, filhos, escola; </li></ul>
  19. 20. <ul><li>Currículo: concebido como um todo significativo, como um texto , como um instrumento privilegiado de construção de identidades e de subjetividades; </li></ul><ul><li>Essa nova visão inclui: Planos e propostas (o currículo formal); </li></ul><ul><li>O que de fato acontece nas escolas e nas salas de aula (o currículo oculto) </li></ul>
  20. 21. Formas de sistematização/documentação do currículo : <ul><li>Registros, desenvolvimento de pesquisas acerca da própria prática, reflexão na ação; documentários, produção de conhecimento por parte de alunos e professores; </li></ul>
  21. 22. Como se trabalha o currículo na pós-modernidade <ul><li>Memória </li></ul><ul><li>Cartografias da sala de aula (Amaral, 2007) </li></ul><ul><li>Auto-Biografia, História de vida; registros; narrativas de formação </li></ul><ul><li>Pesquisa-ação/participante tanto para o aluno quanto para o professor e gestores: Problemáticas da vida cotidiana. </li></ul><ul><li>Reflexão e intervenção na realidade </li></ul><ul><li>Interdisciplinaridade; </li></ul><ul><li>Abordagem Rizomática (Deleuze e Guatari) </li></ul><ul><li>Eixos de significado: realidade local, global, histórica </li></ul>
  22. 23. Currículo <ul><li>Deve integrar um projeto emancipatório, no qual a luta contra a dominação constitui parte de um projeto educacional de cunho político </li></ul><ul><li>(Moreira, Antonio Flávio Barbosa, p. 11, 2003) </li></ul>
  23. 24. (Algumas) REFERÊNCIAS <ul><li>APPLE, M. Ideologia e Currículo. Brasilense, São Paulo, 1982. </li></ul><ul><li>GIROUX, H. O Pós-Modernismo e o Discurso da Crítica Educacional. IN: T. T. Silva (org.) Teoria Educacional crítica em Tempos Pós-Modernos. Artes Médicas. Porto Alegre, 1993 </li></ul><ul><li>MCLAREN, P. Pós-Modernismo, Pós-Colonialismo e Pedagogia In: T. T. Silva (org.) Reoria Educacional Crítica em Tmpos Pós-Modernos. Artes Médicas, Porto Alegre, 1993. </li></ul><ul><li>MOREIRA, A. B. (ORG) Currículo: Questões Atuais. Papirus, 2003, Campinas, SP. </li></ul><ul><li>SANTOMÉ, Jurjo Torres. Globalização e Interdisciplinaridade: O Currículo Integrado. Artes Médicas, Porto Alegre, 1998. </li></ul>

×