SIDIII 1º versão artigo lúcia soares

503
-1

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
503
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

SIDIII 1º versão artigo lúcia soares

  1. 1. Programa Doutoral em Didática e Formação SID III – sala C.3.27 10/02/2012
  2. 2. O BABEL TIMORENSE – À PROCURA DASLÍNGUAS QUE CHEIRAM A SÂNDALO. Lúcia Vidal Soares
  3. 3. Revue Intercompreensão – Redinter número 4Coordonné par:Patrick Chardenet (Université de Franche Comté) etChristian Ollivier (Université de La Réunion )
  4. 4. Estrutura• Introdução: • Gestão do multi/plurilinguísmo – Políticas Educativas – Contextualização do tema • “(…) propomo-nos analisar, neste artigo, a relação entre a paisagem sociolinguística – Questões objeto timorense e os discursos que orientam a sua da nossa política linguística educativa, procurando investigação responder às seguintes questões: - Qual o lugar das línguas no sistema educativo de um país plurilingue como Timor Leste? - De que forma são encaradas pelos documentos reguladores das práticas educativas as línguas que constam dos currículos, nos 6 primeiros anos de escolaridade? E as restantes línguas nacionais ?
  5. 5. Corpo do trabalho 2. Interessa-nos agora perceber de que forma paisagem linguística de Timor1. A situação geopolítica e a Leste (…)é considerada nos documentos reguladores do sistema paisagem sociolinguística educativo deste país, nomeadamente: de Timor Leste. o Plano do Currículo Nacional do Ensino Primário (PCEP) (2005); os Programas de Tétum (CT) e de Português (CP) para o Ensino Primário2. Paisagem linguística (2005), ditos “Currículos”; e a Lei de educativa e a perspetiva Bases da Educação (LBE) (2008). dos documentos Realizaremos esta análise, em dois reguladores: grandes blocos: um relativo às línguas consideradas no processo de ensino e um outro relativo à operacionalização curricular.
  6. 6. 2. Paisagem linguística educativa e a 2.1. Estatutos funções:perspetiva dos documentos reguladores CP – Ø – CPLP; restantes: PT e TT como2.1 As línguas mencionadas, seus línguas oficiais; línguas de instrução; estatutos e funções. línguas de ensino. 2.1.1. Operacionalização Tétum + línguas nacionais “auxiliares pedagógicos”- “”património a proteger, curricular: finalidades escolares promover e a respeitar” das línguas. TT – instrumento de comunicação e elemento identitário-transmissor cultural.2.2. Operacionalização curricular: finalidades escolares das línguas. 2.2 – CP – a língua –”descoberta e compreensão do mundo”; CT – 2.2.1. Operacionalização questões identitárias. CP – perspetiva curricular abordagens funcional; CT – Perspetiva metodológicas integradas. comunicativa. PT+TT – Transversalidade da língua (PCEP,LBE:art.35.8)
  7. 7. Conclusão : • Coabitação entre o tétum , as línguas• À laia de conclusão: nacionais e o português (inverso é – Conclusões decorrentes da falso) análise dos documentos reguladores das práticas • O Tétum “é ensinado através do educativas método global e bilingue”. – Enquadramento da política linguística de Timor Leste • Definição da situação sociolinguística, numa tipologia de políticas inspirada no modelo de Diki-Kidiri linguísticas em países (2004:28) plurilingues saídos da colonização. • “Bilinguismo convivial de estado” – Questão levantada pelo (Diki-Kidiri;2004:34) Projeto de Educação Multilingue Baseado na Língua • Guerra de línguas entre o lobby Materna, proposto pelo C.N.E anglófono e lusófono + blocos e da UNICEF/Timor Leste. geopolíticos.
  8. 8. • Bibliografia • Diki - Kidiri, M. (2004). Multilinguisme et politiques linguistiques en Afrique. In Actes(No que respeita à pesquisa de fontes e à du Colloque Développement durable : leçons et perspectives, organizado pela Université avaliação criteriosa das mesmas, tendo em de Ouagadougou, pela Agence universitaire de la Francophonie (AUF) e l’Agence conta o reduzido número de investigadores intergouvernementale de la Francophonie, Burquina- Fasso, Junho de 2004, (27-36) nesta área, é relativamente fácil identificar Visitado no sitio : www.francophonie- durable.org/.../colloque-ouaga- os autores de referência e associar os programme.pdf (19 de Maio de 2010) restantes a centros de investigação, também • Durand, Fr. (2010) Timor-Leste - País no Cruzamento da Ásia e do Pacífico - Um Atlas pode facilitar a nossa tarefa. ) Histórico-Geográfico, Lisboa, Lidel. • Durand, Fr. (2011) Timor Leste-Premier État du 3ème millénaire, Paris, Éditions Belin

×