SIDIII 1º versão artigo ana rita

499 views
457 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
499
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

SIDIII 1º versão artigo ana rita

  1. 1. Seminário de Investigação em Didática 3º ano Doutoranda: Ana Rita Costa Sob a orientação de: Filomena Martins Sob a co-orientação de: Ana Isabel Andrade & Ana Sofia Pinho
  2. 2. Estrutura da apresentação: <ul><li>1 . Introdução </li></ul><ul><li>2. Seleção da revista científica </li></ul><ul><li>3. Apresentação do artigo </li></ul><ul><li>3.1 Abstract </li></ul><ul><li>3.2 Introdução </li></ul><ul><li>3.3. Quadros teóricos de referência </li></ul><ul><li>3.4 Enquadramento metodológico </li></ul><ul><li>3.5 Análise dos resultados </li></ul><ul><li>3.6 Discussão </li></ul><ul><li>4. Considerações finais </li></ul><ul><li>5. Bibliografia </li></ul>
  3. 3. 1.Introdução <ul><li>Projeto de doutoramento </li></ul><ul><li>Título : Ensino do Inglês e diversidade linguística no ensino secundário – </li></ul><ul><li>Que possibilidade de desenvolvimento plurilingue e intercultural? </li></ul><ul><li>Objectivos: </li></ul><ul><ul><li>Compreender o papel do inglês no desenvolvimento da competência plurilingue dos alunos no ensino secundário português. </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><ul><li>Conceber, implementar e avaliar um programa de educação plurilingue em aula de inglês. </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><ul><li>Identificar indícios de desenvolvimento da competência plurilingue nos alunos de inglês no ensino secundário . </li></ul></ul>Relembrando…
  4. 4. 1.Introdução Estudo empírico: projeto de intervenção pedagógico-didática a desenvolver numa turma do 10º ano de uma escola de Aveiro. 1º módulo O sujeito e as línguas 2º módulo Um mundo de muitas línguas 3º módulo O futuro das línguas novembro/ dezembro 2011 fevereiro/ março 2012 maio 2012 Unit 2 A world of many languages Unit 3 A world of communication Unit 4 The technological world
  5. 5. 1.Introdução Objectivos do Módulo 1 Módulos Objectivos investigativos Objectivos educativos Módulo 1 O sujeito e as línguas <ul><li>Identificar representações dos alunos em relação à língua inglesa e à sua aprendizagem; </li></ul><ul><li>Identificar representações dos alunos em relação às línguas e à sua aprendizagem; </li></ul><ul><li>Levar o aluno a: </li></ul><ul><li>Reflectir sobre o papel da língua inglesa no mundo em relação a outras línguas e culturas; </li></ul><ul><li>Reflectir sobre o futuro da língua inglesa; </li></ul><ul><li>Reflectir sobre o seu percurso linguístico; </li></ul>
  6. 6. 1.Introdução Neste contexto surge a seguinte proposta: <ul><li>Título do artigo: </li></ul><ul><li>“ English is all around.” - Pupils´ representations about languages in secondary school. </li></ul><ul><li>Objetivo do artigo: </li></ul><ul><ul><li>Apresentar a análise preliminar dos dados recolhidos durante o primeiro módulo do plano de intervenção pedagógico-didática; </li></ul></ul>
  7. 7. 2. Seleção da revista científica <ul><li>Nome: Language Learning Journal </li></ul><ul><li>Factor de Impacto: 0,984 </li></ul><ul><li>Algumas das áreas temáticas de interesse são: </li></ul><ul><li>práticas pedagógicas em sala de aula em contextos menos formais; </li></ul><ul><li>ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras em todos os níveis, desde os 1ºs anos até à educação superior e educação de adultos; </li></ul><ul><li>práticas de sala de aula; </li></ul><ul><li>questões metodológicas do ensino e da investigação; </li></ul><ul><li>multilinguismo e multiculturalismo; </li></ul><ul><li>Política editorial: Esta revista é publicada 3 vezes por ano por Routledge Taylor & Francis . </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>É uma revista baseada no sistema de peer-review. </li></ul>
  8. 8. 3.1 Abstract <ul><li>Apresentação do problema, da sua definição e dos objetivos de investigação – explicitar o assunto do artigo de forma clara e completa, tendo em conta o seu valor teórico e prático. </li></ul><ul><li>Referência aos quadros teóricos de referência; </li></ul><ul><li>Breve descrição do desenho metodológico – descrição das técnicas de recolha de dados; </li></ul><ul><li>Apresentação do contexto e dos participantes; </li></ul><ul><li>Apresentação dos principais resultados e conclusões; </li></ul><ul><li>Referência à relevância do estudo no âmbito do projecto de doutoramento. </li></ul><ul><li>(Tuckman, 2002) </li></ul>
  9. 9. 3.2 Introdução <ul><li>Apresentação de uma explicação fundamentada do estudo ( rationale ), da problemática e do contexto; </li></ul><ul><li>(Provenzale & Stanley, 2006) </li></ul><ul><li>Apresentação da estrutura do artigo; </li></ul>
  10. 10. 3.3 Quadros teóricos de referência Revisão critica da literatura
  11. 11. 3.3 Quadros teóricos de referência
  12. 12. 3.4 Enquadramento metodológico Apresentação do desenho metodológico : Projeto de doutoramento : Estudo de caso Coutinho & Chaves, 2002; Pardal & Correia, 1995;Yin, 1994 Objetivo: comprender Projeto de intervenção pedagógico-didática: Com características de investigação-ação Moreira, 2004; Latorre, 2003 Objectivo: intervir numa determinada realidade para a estudar
  13. 13. 3.4 Enquadramento metodológico <ul><li>Recolha de dados: </li></ul><ul><li>Vídeo-gravação das aulas; </li></ul><ul><li>Fichas de trabalho realizadas pelos alunos e suas biografias linguísticas; </li></ul><ul><li>Grelhas de observação de aulas; </li></ul>Análise dos dados: Análise de conteúdo (Bardin, 2008; Guerra, 2006)
  14. 14. 3.4 Enquadramento metodológico (Andrade & Araújo e Sá, 2006; Andrade, 1997) Categorias   Subcategorias       Língua como objeto de aprendizagem pragmático/utilitário sócio/afectivo de poder de mediação entre línguas de mediação cultural de construção do real   Razões para a sua aprendizagem   objectivos práticos objectivos formativos objectivos culturais objectivos políticos
  15. 15. 3.5 Análise dos resultados <ul><li>Representações em relação à língua inglesa: </li></ul><ul><li>Em relação ao contacto que os alunos estabelecem com as línguas, o Inglês é a língua que apresenta mais registos (25 registos), principalmente em contexto de educação formal (24 registos). </li></ul><ul><li>Os alunos consideram o inglês uma língua fácil (16 registos), enquanto outros alunos a acham difícil (3 registos). A língua inglesa é também considerada mais interessante do que outras línguas por alguns alunos (7registos). </li></ul><ul><li>Alguns alunos referem gostar da língua inglesa (9 registos), justificando as suas respostas pelo facto de ser uma língua fácil e útil . Um menor número refere não gostar da língua inglesa (3 registos), por causa da gramática , afirmando que esta é uma língua difícil. </li></ul>
  16. 16. 3.5 Análise dos resultados <ul><li>Representações em relação à língua inglesa: </li></ul><ul><li>A grande maioria dos alunos considera a língua inglesa uma língua útil (23 registos), por julgarem que é uma língua falada em todo o mundo (9 registos) e pela sua importância a nível profissional (7 registos). Outras razões apontadas prendem-se com o facto de alguns alunos quererem estudar no estrangeiro (4 registos), que o inglês permite a comunicação (4 registos) e pela sua utilidade em contexto de viagem (3 registos). </li></ul><ul><li>Razões para aprendizagem da língua: o facto de ser uma língua importante falada em todo o mundo (7 registos); de ser uma língua importante para o futuro (7 registos); de permitir a comunicação (5 registos). Outros alunos referem ainda que é uma língua fácil (3 registos); que é uma língua importante para uma carreira profissional , ou o facto de ter sido primeira língua aprendida (2 registos). </li></ul><ul><li>Alguns alunos consideram que mesmo sabendo inglês é necessário saber outras línguas (19 registos). </li></ul>
  17. 17. 3.6 Discussão <ul><li>Em curso… </li></ul><ul><li>Os alunos não se mostram muito conscientes dos seus contactos linguísticos (cf. Senos, 2011; Simões, 2006). </li></ul><ul><li>As imagens sobre as línguas são muito próximas de outros estudos, evidenciando as tendências de mudança dos últimos anos (Senos, 2011; Schmidt, 2011; Pinto, 2005). </li></ul><ul><li>Será necessário criar condições para que ao alunos possam reflectir sobre os seus percursos linguísticos e revisitar as suas ideias sobre esta temática ao longo do ano. </li></ul>
  18. 18. 4. Considerações finais <ul><li>A análise dos dados recolhidos permitirá: </li></ul><ul><li>Conhecer os intervenientes em relação às suas representações sobre as línguas em geral e sobre o inglês em particular. </li></ul><ul><li>Reflectir sobre as possibilidades didácticas do ensino/aprendizagem do inglês no âmbito de uma educação plurilingue (Simões e Araújo e Sá, 2006). </li></ul>
  19. 19. 5. Bibliografia Bardin, L. (2008). Análise de conteúdo. 19ª Ed. Lisboa/Portugal: Edições 70. Brutt- Giffler, J. (2002). World English: a Study of its Development. Clevedon: Multilingual Matters. Castellotti, V. & Moore D. (2002). Représentations sociales des langues et enseignements. Strasbourg: Council of Europe. Coste, D., Moore, D. & Zarate, G. (2009). Plurilingual and Pluricultural Competence. Strasbourg: Language Policy Division, Council of Europe. Coutinho, C. P. & Chaves, J. H. (2002). O estudo de caso na investigação em tecnologia educativa em Portugal. Revista Portuguesa de Educação , vol. 15, nº 001. Braga: Universidade do Minho. Pp. 221 – 243 Crystal, D. (2003). English as a Global Language. Cambridge: Cambridge University Press. Forlot, G. (2010). Place de l´anglais et paradoxes des apprentissages langagiers à l´école. Les Cahiers de l´Acedle Volume 7 , 97 - 124. Guerra, I. C. (2006). Pesquisa Qualitativa e Análise de Conteúdo - Sentidos e formas de uso (1ª edição ed.). Cascais: Princípia Editora Graddol, D. (2006). English Next. London: British Council. House, J. (2003). English as a Lingua Franca: A Threat to Multilingualism? Journal of Sociolinguistics, 7, 556-578. Jenkins, J. (2000). The Phonology of English as an International Language. Oxford: Oxford University Press. Latorre, A. (2003). La Investigación-acción. Conecer y cambiar la práctica educativa. Barcelona: Graó. Moore, D. (2001). Les représentations des langues et de leur apprentissage: itinéraires théoriques et méthodologiques. In D. Moore (Coord.), Les représentations des langues et de leur apprentissage. Références, modèles, données et méthodes. Paris: Didier, (pp.7-22). Moreira, G. (2006). Globality and Interculturality in the Teaching of English. In R. Bizzaro (Ed.), A Escola e a Diversidade Cultural Multiculturalismo, Interculturalismo e Educação. Lisboa: Arial Editores. (pp. 190-200) Moreira, M. A. (2004). A Investigação-Acção na Formação em Supervisão no Ensino do Inglês – processo de (co-)construção do conhecimento profissional. Tese de Doutoramento. Universidade do Minho.
  20. 20. 5. Bibliografia Pardal, L. & Correia, E. (1995). Métodos e Técnicas de Investigação Social . Porto: Areal Editores. Pennycook, A. (2004). Critical Moments in a TESOL Praxicum.I n B. Norton and K. Toohey (Eds) Critical Pedagogies and Language Learning. Cambridge: Cambridge University Press. Phillipson. R. (2003). English- Only Europe? Challenging Language Policy. London: Routledge Pinto S. (2005). Imagens das línguas estrangeiras de alunos universitários portugueses. Dissertação de Mestrado. Aveiro: Universidade de Aveiro. Projecto Imagens – Imagens das línguas na comunicação intercultural: contributos para o desenvolvimento da competência plurilingue . Projecto Sapiens POCTI/CED/ 45494/2002, coordenado por Maria Helena Araújo e Sá, Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa, Universidade de Aveiro. Senos, S. (2011). A cultura linguística dos alunos do 9º ano do Concelho de Aveiro . Dissertação de mestrado. Aveiro: Universidade de Aveiro. Simões, A. R. & Araújo e Sá, M. H. (2006). Para uma intervenção escolar sobre o mal/bem-tequero de alunos no final da escolaridade obrigatória: jardinando imagens das línguas e culturas. In A. I. Andrade & M. H. Araújo e Sá (Coord), Imagens das línguas em contextos de educação e formação linguística, Cadernos do Lale, Série Reflexões Nº.2. Aveiro: Universidade de Aveiro, Centro de Investigação Didáctica e Tecnologia na Formação de Formadores, (pp. 41-55). Simões, A.R. (2006). A cultura linguística em contexto escolar: um estudo no final da escolaridade obrigatória . Tese de doutoramento. Aveiro: Universidde de Aveiro. Tuckman, B. (2002) - Manual de investigação em educação: como conceber e realizar o processo de investigação em educação . 2.ª ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Schmidt, A. (2006). Imagens das línguas e afectividade no ensino de alemão. Tese de Doutoramento. Aveiro: Universidade de aveiro. Yin, R. K. (2005). Estudo de Caso. Planejamento e Métodos (3ª Edição). Porto Alegre: Bookman.
  21. 21. Obrigada pela atenção!

×