• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Religiões africanas
 

Religiões africanas

on

  • 3,901 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,901
Views on SlideShare
3,901
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
152
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Religiões africanas Religiões africanas Presentation Transcript

    • Umbanda A palavra umbanda vem de m'banda, que em quimbundo significa "sacerdote" ou "curandeiro". Não se sabe muito bem como e onde se originou as raízes da umbanda. Segundo alguns umbandistas, ela foi criada pelo Médium Zélio Fernandino de Moraes em 1908, sob a influência do Caboclo das Sete Encruzilhadas. Antes disso, já havia o trabalho de guias em simples manifestações religiosas e rituais que envolviam louvor aos orixás. Mas, foi através de Zélio que se organizou uma religião com rituais bem definidos que mais tarde passou a ser chamada de umbanda. Nesta época, não havia liberdade religiosa. Todas as religiões que faziam rituais afros eram perseguidas, os terreiros destruídos e os praticantes eram presos.
    • No ano de 1945, José Álvares Pessoa, dirigente de uma das sete casas de umbanda, conseguiu, junto ao Congresso Nacional, a legalização da prática da umbanda. A partir dai, muitas tendas que não seguiam os rituais da umbanda, passaram a dizer-se umbandistas, para fugir da perseguição policial. Foi então que a religião começou a perder seus contornos bem definidos e se misturou com outros tipos de manifestações religiosas. Hoje, a umbanda natural é praticada em pouquíssimas casas. Existem diversas ramificações onde podemos encontrar a umbanda, como as indígenas (Umbanda de Caboclo), as africanas (Umbandomblé, Umbanda traçada) e diversas outras. Existe também a "Umbanda popular onde o sincretismo (associação de santos católicos aos orixás africanos) é muito comum.
    • Orixá é um poder divino em si mesmo que atua na vida dos seus cultuadores como uma energia viva e divina, capaz de realizar ações que modificam a vida do ser. Orixá Orisha é uma palavra ioruba que significa ser sobre-humano, um deus. Todo o universo surge de Olorum(Deus) através das energias que são dadas em orixás.
    • Os orixás não são originários da umbanda, muito antes eles já eram reverenciados nas terras africanas por diversas tribos. Muitos deles não se tornaram conhecidos aqui no Brasil, e até mesmo nas tribos africanas cada uma possuía seu orixás e desconhecia outros que eram cultuados em tribos diferentes. Quando começou o tráfico de escravos, muitos negros de tribos diferentes foram vendidos juntamente, deste jeito os diversas orixás de tribos distantes se encontraram em terras brasileiras e formaram o grande terreiro do Candomblé.
    • O orixá é como um ancestral que todos tinham em comum. Geralmente é considerado como o próprio fundador da tribo e tinha grande influência por suas características de liderança, poderes espirituais e grande habilidade de caça. A tribo tinha no orixá um símbolo da união, pois acreditavam que todos eram filhos diretamente desse grande ancestral.
    • PRINCIPAIS ORIXÁS ELEMENTO PERSONALIDADE SÍMBOLO EXU: Mensageiro entre homens e deuses. Só através dele é possível invocar os orixás. Fogo. Atrevido e agressivo. Ogó ( um bastão adornado com cabaças e búzios). OXÓSSI: Deus da caça. Florestas. Intuitivo e emotivo. Rabo de cavalo e chifre de boi. OBALUAIÊ: Deus da peste, das doenças de pele e atualmente da AIDS. Terra. Tímido e vingativo. Xaxará (feixe de palha e búzios). OXUM: Deus da água doce, do ouro, da fecundidade, búzios e do amor. Água. Materno e tranqüilo. Abebê(leque espelhado). IANSÃ: Deusa dos ventos e das tempestades. Fogo. Impulsiva e imprevisível. Espada e rabo de cavalo ( representando a realeza). OGUM: Deus da guerra , do fogo da tecnologia . Ferro. Impaciente e obstinado. Espada. OSSAIM: Deus das folhas e ervas medicinais. Matas . Instável e emotivo. Lança com pássaros na forma de leque e feixe de folhas. NANÃ: Deus da lama do fundo do rios. Terra. Vingativa e mascarada. Ibiri (cetro de palha e búzios). OXUMARÉ: Deus da chuva e do Arco-íris. Água. Sensível e tranqüilo. Cobra de metal. IEMANJÁ: Deusa dos mares e oceanos. Água. Materna e tranqüila. Leque e espada. OXALÁ: Deus da criação. É o orixá que criou os homens. Ar. Equilibrado e tolerante. Oparoxó (cajado de alumínio com adornos).
    • Médium Médium é uma pessoa que, segundo a Doutrina Espírita, tem a capacidade de se comunicar com espíritos, seja pela incorporação, pela vidência (ver), pela audiência (ouvir) ou pela psicografia (escrever movido pela influência de espíritos). A umbanda crê que o médium tem o compromisso de servir como um mensageiro de espíritos superiores. Os médiuns devem se preparar através de estudos, desenvolvendo a sua mediunidade, sempre respeitando a aprendizagem conceitual, a prática da umbanda e os guias e orixás. Devem também ter compromisso com sua casa, ter caridade em seu coração, amor e fé em sua mente e espírito, e saber que a umbanda deve ser praticada no dia-a- dia, e não apenas no terreiro.
    • Uma das regras básicas da umbanda sobre a mediunidade é que ela não deve ser vivenciada como um dom ou poder concedido ao médium, mas sim como um compromisso e uma oportunidade que lhe foi dada. Por isso não deve ser encarada como um fardo ou como uma forma de ganhar dinheiro, mas como uma oportunidade valiosa para praticar o bem e a caridade. O médium deve tocar sua vida como sendo um mensageiro de Deus, dos orixás e guias. Ter um comportamento moral e profissional dignos, ser honesto em suas atitudes, pois do contrário acaba atraindo forças negativas ou espíritos revoltados que vagam pelo mundo espiritual atrás de encarnados desequilibrados que estejam na mesma faixa vibracional que eles.
    • Candomblé Candomblé é uma palavra que vem da língua bantu e significa "lugar de costume dos negros. Outra interpretação informa que kandombele significa "adorar“. A origem do Candomblé se deu na cidade de Ife, na África. O candomblé é uma religião com uma cultura e rica em doutrinas. É necessária dedicação e anos de estudo para se chegar a um conhecimento profundo dessa religião. Suas doutrinas são todos os fundamentos e qualquer um pode se dedicar ao seu estudo e aproveitar seus benefícios. Existe muita energia positiva no candomblé, e o seu culto pode trazer paz e felicidade.
    • Hoje o candomblé é reconhecido como uma religião, mas no passado essa religião teve seus dias de marginalidade. Entre 1937 e 1945, foi proibido por lei, seus adeptos eram perseguidos e presos pela polícia. Há diferenças entre todas as nações que contribuíram na formação dos terreiros e do candomblé, eles são povos que falam línguas diferentes e cultuam seus próprios deuses. O terreiro africano possui inúmeros Orixás, dos quais somente 16 são cultuados no nosso país. São eles: Essú, Ogum, Osossi, Osanyin, Obalúayé, Òsùmàré, Nàná Buruku, Sàngó, Oya, Obá, Ewa, Osun, Yemanjá, LogunEde, Oságuian e Osàlufan.