• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content

Loading…

Flash Player 9 (or above) is needed to view presentations.
We have detected that you do not have it on your computer. To install it, go here.

Like this presentation? Why not share!

Turno 2

on

  • 1,805 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,805
Views on SlideShare
1,695
Embed Views
110

Actions

Likes
1
Downloads
12
Comments
0

2 Embeds 110

http://eusouempreendedor.wordpress.com 106
http://www.slideshare.net 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Turno 2 Turno 2 Presentation Transcript

    • Direito das Organizações Curso Profissional de Técnico de Gestão 11ºL Trabalho Realizado por:  Joana Pinho Nº11  Olívia Pereira Nº14  Solange Dias Nº17 A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Fundação da Juventude Fundação Calouste Gulbenkian Fundação Luso-Americana A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Apoio à Vitima Associações dos Amigos dos Animais no Porto Associação Para o Planeamento da Família A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • http://www.flad.pt/ A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  O apoio da Fundação é canalizado de diversas formas, incluindo concessão de bolsas, apoio a projectos institucionais e programas de formação e intercâmbio (Bolsas e Projectos). Uma parte importante da actividade da Fundação consiste no lançamento de projectos próprios, que gere individualmente ou em parceria com outras instituições.  A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento é uma instituição portuguesa, privada e financeiramente autónoma.  Pretende contribuir para o desenvolvimento de Portugal, através do apoio financeiro e estratégico a projectos inovadores e através do incentivo à cooperação entre a sociedade civil portuguesa e a americana. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  Criada em 1985, nasce da decisão do Estado português de criar uma instituição de direito privado que de forma perene, flexível e autónoma, promova as relações entre Portugal e os Estados Unidos, visando, com este intercâmbio, o desenvolvimento económico, social e cultural português. O seu património inicial constituiu-se através de transferências monetárias feitas pelo estado Português, e provenientes do Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os EUA (1983). Foi dotada com um capital de 85 milhões de euros e, desde 1992, vive exclusivamente do rendimento do seu património. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Conselho Consultivo : O Conselho Consultivo é constituído por dez membros designados pelo Primeiro Ministro e com um mandato de três anos. Sete membros em representação dos sectores empresarial e científico portugueses e três em representação dos sectores empresarial e científico dos Estados Unidos da América, estes últimos indicados pelo respectivo Embaixador em Portugal. Concelho Executivo: Concelho Directivo: Ao Conselho Executivo cabe a administração da Fundação e é composto por três membros, com mandatos de três anos. Os membros deste Conselho O Conselho Directivo, composto por um mínimo de sete e um são designados pelo Primeiro Ministro, sendo dois máximo de nove membros, tem competência para traçar a eleitos pelo Conselho Directivo. política geral da Fundação e aprovar o seu orçamento e contas anuais. Os membros deste conselho, com um mandato de seis Rui Machete, Presidente anos, são designados pelo Primeiro-Ministro, sendo dois deles Charles Buchanan previamente indicados pelo Embaixador dos Estados Unidos da Mário Mesquita América em Portugal. Teodora Cardoso, Presidente A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • A Fundação Luso-Americana é uma instituição portuguesa, criada em 20 de Maio de 1985 (decreto-lei n.º 168/85). Tem como objectivo contribuir para o desenvolvimento económico e social português, através da promoção da cooperação entre Portugal e os Estados Unidos da América nos domínios empresarial, educativo, científico, tecnológico e cultural. http://www.flad.pt/documentos/1215106185B1eVL2gr7Ax86XX6.pd f A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A Colecção de Arte da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento teve início em 1986 e constituiu-se como um pólo cultural, integrado na estratégia global da Fundação.  Ao longo de quase vinte anos foi constituído um acervo que conta com cerca de 950 obras representativas de áreas da criação artística portuguesa, como desenho, pintura, escultura, gravura, fotografia, vídeo e instalação. Mais de dois terços correspondem a obras sobre papel.  A Fundação tem contribuído para a divulgação da arte contemporânea portuguesa, através de uma estratégia de descentralização das mostras em que participa, tanto em Portugal como no estrangeiro. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Morada Serviços Administrativos Colecção de Arte Rua Sacramento à Luísa Gomes João Silvério Lapa, 21 luisa.gomes@flad.pt silverio@flad.pt 1249-090 Lisboa Portugal Serviços Financeiros Centro de Documentação Tel.: (+351) 213 935 800 Fernanda David Leonor Roquette Fax.: (+351) 213 963 358 fernanda.david@flad.pt leonor.roquette@flad.pt e-mail: fladport@flad.pt A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • http://www.gulbenkian.pt/ A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A Fundação Calouste Gulbenkian é uma instituição portuguesa de direito privado e utilidade pública, cujos fins estatutários são a Arte, a Beneficência, a Ciência e a Educação. Criada por disposição testamentária de Calouste Sarkis Gulbenkian, os seus estatutos foram aprovados pelo Estado Português a 18 de Julho de 1956.  A Fundação tem a sua sede em Lisboa. As instalações da Sede e Museu, projectadas pelos arquitectos Ruy Athouguia, Pedro Cid e Alberto Pessoa, foram inauguradas em 1969. Integram, para além das áreas reservadas à administração e aos serviços, um Grande Auditório, espaços para exposições temporárias, uma zona de congressos, dispondo de vários auditórios e salas, e um edifício próprio que alberga o Museu Calouste Gulbenkian, os serviço educativos do Museu e a Biblioteca de Arte.  A Fundação tem ainda uma Delegação no Reino Unido (UK Branch) e um Centro em Paris (Centro Cultural Calouste Gulbenkian). A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  Calouste Gulbenkian nasceu em Scutari, Istambul, a 23 de Março de 1869, filho de Sarkis e Dirouhie Gulbenkian, membros de uma ilustre família arménia cujas origens remontam ao século IV.  Geração após geração, durante os quatro séculos que permaneceu na Capadócia, a família Gulbenkian sempre se dedicou ao mecenato das artes e a obras de beneficência. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  Além dos espectáculos da Temporada de Música, em que a Orquestra e o Coro Gulbenkian desempenham um papel central e das exposições permanentes das colecções do Museu Calouste Gulbenkian e do Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, a Fundação desenvolve ainda diversas outras actividades directas e indirectas na área estatutária da Arte. Museu http://www.museu.gulbenkian.pt/main.asp?lang=pt A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A acção da Fundação no quadro da finalidade estatutária Beneficência tem sido desenvolvida, fundamentalmente, através do Serviço de Saúde e Desenvolvimento Humano.  Atento às tendências e aos desafios que se lhe vão colocando numa sociedade em constante evolução, o Serviço orienta a sua actividade no sentido de contribuir para o desenvolvimento da Medicina e das condições de saúde em Portugal, bem como para a redução das desigualdades sociais, tendo como objectivo primordial a defesa dos valores fundamentais da dignidade humana. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  Calouste Sarkis Gulbenkian foi um importante MECENAS, com um grande contributo para o fomente da cultura em Portugal.  A sua Herança esteve na origem da constituição da Fundação Calouste Gulbenkian. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Serviço de Saúde e Desenvolvimento Humano Subsídios Saúde Fundação Calouste Gulbenkian Joana Leitão Av. de Berna, 45 A (+351) 21 782 32 07 1067-001 LISBOA CODEX jleitao@gulbenkian.pt E-mail: saude@gulbenkian.p t Subsídios Integração Social Direcção Madalena Queiroz e Melo Manuel Rodrigues Gomes (+351) 21 782 32 09 Luísa Valle mmelo@gulbenkian.pt Maria Hermínia Cabral Anabela Salgueiro (+351) 21 782 32 30 (+351) 21 782 35 44 asalgueiro@gulbenkian.pt Apoio Administrativo Sónia Brito Subsídios Programa de Ajuda (+351) 21 782 32 02 ao Desenvolvimento sbrito@gulbenkian.pt Maria Carvalhosa Empis Colóquios e Conferências (+351) 21 782 35 28 Cristina Elias Monteiro mcarvalhosa@gulbenkian.pt (+351) 21 782 35 60 cmonteiro@gulbenkian.pt A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • http://www.fjuventude.pt/ A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A Fundação da Juventude é uma pessoa colectiva de direito privado, criada por escritura notarial a 25 de Setembro de 1989, pela mão de 21 instituições públicas e privadas e declarada instituição de utilidade pública, em Março de 1990. De âmbito nacional, a Fundação da Juventude tem Sede na cidade do Porto, contando com Delegações nas Regiões de Lisboa e Vale do Tejo, no Algarve e na Região Autónoma da Madeira.  A Fundação da Juventude é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que tem como objectivo facilitar a integração dos jovens na vida activa. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A Fundação da Juventude tem como principais objectivos realizar ou apoiar iniciativas destinadas a promover a integração dos jovens na vida activa e profissional, e designadamente através do apoio ou realização de: • Programas de apoio ao lançamento e promoção de jovens artistas; • Incentivos a jovens cientistas, criadores e investigadores; • Formação técnica e profissional; • Programas para a criação de empresas de jovens; • Bolsas de investigação e estágios profissionais; • Promoção e apoio à realização de debates sobre temáticas de interesse para a Juventude; • Publicações e guias informativos; • Serviços de acompanhamento e aconselhamento de jovens; • Clube de emprego. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Rua das Flores 69 4050 São Nicolau Porto Fundação da Juventude A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Conselho de Administração Conselho Consultivo • Carlos Abrunhosa de Brito, Presidente • António Trigo , Vice-Presidente • Vasco Faria, Presidente • Júlio Machado Vaz, Vice-Presidente • Vítor Milícias • José António Moreira da Silva, Administrador • Virgílio Folhadela • Filipe Manuel Araújo, Administrador • Nuno Grande • Luís Braga da Cruz Conselho Fiscal • Luís Adão da Fonseca • Sérgio Lopes, Presidente • Luís Santos Filipe • Paulo Figueiredo, Vogal (ROC) • Alexandre Quintanilha • José Manuel Costa Amorim, Vogal • Paulo Nunes de Almeida • João Paulo Rebelo Concelho de Fundadores • José Manuel Castro • 35 Fundadores A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • http://www.apfn.com.pt/associacao.php A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  Somos um grupo de casais com três ou mais filhos, acreditamos nos valores da família, defendemos o direito à vida desde o momento da concepção até à morte natural e sentimos a necessidade de apoiar as famílias numerosas.  À semelhança do que já acontece noutros países europeus, criámos uma Associação, de âmbito nacional, para defesa dos direitos naturais, próprios e legítimos das famílias numerosas. Esta Associação, criada no dia 22 de Abril de 1999 no âmbito do D/L 268/98, obteve, no dia 3 de Outubro de 2003 o estatuto de "Associação de Família de Representatividade Genérica" - Lei 9/97, de 12 de Maio. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  Portugal tem desde 1982, valores do índice sintético de fecundidade que se situam abaixo dos níveis de reposição da população. (2.1)  Esta situação tem conduzido a um défice demográfico, que a cada ano se agrava e acentua e que gera no país visíveis consequências.  Estas consequências já visíveis tenderão a agravar-se no curto prazo, gerando no país insustentabilidade económica e social.  Contudo, os portugueses têm manifestado o desejo de ter mais filhos (Inquérito à Família e Fecundidade INE ).  Curiosamente o número de filhos necessário para haver reposição da população.  Havendo em Portugal uma forte penalização das famílias, especialmente dos pais casados com filhos, pretendemos contribuir para a consciencialização desta situação e pretendemos a sua alteração. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Os principais objectivos desta Associação são: • Defesa dos legítimos interesses das famílias numerosas, designadamente em matéria fiscal, de habitação, saúde e educação; • Defesa do princípio do rendimento "per capita"; • Promoção de acções de solidariedade e apoio mútuo entre famílias numerosas; • Obtenção de facilidades e descontos para os associados; • Desenvolvimento de iniciativas de carácter sociocultural e de divulgação dos valores da família. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • http://www.aaaporto.com/ A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A Associação de Amigos dos Animais do Porto é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 1991, e tem como objectivo a defesa e protecção de animais doentes, feridos, abandonados e maltratados, assim como a defesa do ambiente.  A AAAP sobrevive com muitas dificuldades pois conta apenas com donativos e as quotas dos sócios para fazer face às despesas efectuadas nos tratamentos veterinários, na alimentação, transporte e alojamento destes animais, não tendo qualquer subsídio estatal. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A AAAP - Associação dos Amigos dos Animais do Porto tem por missão a defesa e protecção de animais doentes, feridos, abandonados e maltratados, assim como a defesa do ambiente.  Devido ao grande número de pedidos de ajuda a AAAP desenvolve diariamente uma campanha de adopção através de anúncios colocados no Hospital Veterinário do Porto e neste Web site, procurando donos que reúnam condições para adoptar estes animais.  O facto de não possuir canil torna-se o maior obstáculo ao trabalho desta associação pois não tem um lugar para recuperação de animais que requerem tratamentos e cuidados especiais, devido a operações ou doenças, para poderem depois ser adoptados com saúde e condições físicas. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A Associação tem à sua disposição uma excelente equipa…. • Laura Ferreira 939532942 • Mónica Areoso 938482085 A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • http://www.apav.pt/portal/ A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) é uma instituição particular de solidariedade social, pessoa colectiva de utilidade pública, que tem como objectivo estatutário promover e contribuir para a informação, protecção e apoio aos cidadãos vítimas de infracções penais.  É, em suma, uma organização sem fins lucrativos e de voluntariado, que apoia, de forma individualizada, qualificada e humanizada, vítimas de crimes, através da prestação de serviços gratuitos e confidenciais. Fundada em 25 de Junho de 1990, é uma instituição de âmbito nacional, localizando-se a sua sede em Lisboa. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  É num contexto de crescente tomada de consciência dos direitos da vítima de crime e visando colmatar a inexistência de qualquer estrutura de apoio a esta nos referidos moldes que, por iniciativa de um grupo de 27 Associados Fundadores nasce em 25 de Junho de 1990 a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima reconhece-se enquanto organização:  de SOLIDARIEDADE SOCIAL SEM FINS LUCRATIVOS;  de VOLUNTARIADO SOCIAL com presença NACIONAL, integrada nas redes internacionais de COOPERAÇÃO à escala EUROPEIA e GLOBAL;  INDEPENDENTE e AUTÓNOMA dos poderes políticos e de outras instituições;  APOLÍTICA e NÃO CONFESSIONAL;  que se rege pelo princípio da IGUALDADE DE OPORTUNIDADES e de TRATAMENTO;  que se rege pelo princípio da NÃO DISCRIMINAÇÃO em função do género, raça ou etnia, religião, orientação sexual, idade, condição sócio económica, nível de escolaridade, ideologia ou outros. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • APAV - Serviços de Sede Rua José Estêvão, 135 A, Piso 1 1150-201 Lisboa Portugal tel. 21 358 79 00 fax 21 887 63 51 email: apav.sede@apav.pt A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • http://apf.pt/ A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  Pioneira em Portugal na promoção do  Ao longo da sua existência, a APF tem planeamento familiar, na criação de trabalhado no sentido de se conseguirem serviços para jovens, na formação de alcançar alterações legais e políticas no profissionais, na educação sexual nas âmbito do planeamento familiar, da escolas, a APF orgulha-se de um educação sexual e dos direitos sexuais e percurso de trabalho já longo e iniciado reprodutivos. Neste sentido, o seu com um grupo de pessoas que entre contributo para a mudança tem-se feito os anos de 1967 e 1972 fundaram e através da investigação, da elaboração contribuíram para a implementação da de estudos diversos e do levantamento Associação enquanto IPSS de relevo regular de problemas existentes nestas na sociedade portuguesa. áreas da tomada de posições públicas. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • Ajudar as pessoas a fazerem escolhas livres e responsáveis na sua vida sexual e reprodutiva! A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    •  Ajudar as pessoas a fazerem escolhas livres e conscientes no âmbito da vida sexual e reprodutiva;  Contribuir para a promoção da igualdade de direitos e oportunidades entre homens e mulheres;  Permitir à Mulher o controle da sua fecundidade e assim contribuir para a sua emancipação;  Promover a educação e o aconselhamento sobre sexualidade, o acesso à contracepção e a orientação de problemas de infertilidade;  Promover a formação e o treino de profissionais de saúde, educação e intervenção comunitária para a abordagem das questões ligadas ao Planeamento Familiar e à Educação Sexual. A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • APF Sede Nacional Rua Artilharia Um, nº 38, 2º Dto 1250-040 Lisboa T. 21 385 39 93 F. 21 388 73 79 A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • A Dinâmica do Associativismo Social - Trabalho de Grupo
    • ASSOCIAÇÃO ACREDITAR ASSOCIAÇAO DAS FAMILIAS NUMEROSAS ASSOCIAÇÃO ESTER JANZ ASSOCIAÇÃO PERDIDOS & ACHADOS
    • A Acreditar luta para que cada momento seja de Esperança! ...“O objectivo desta associação é que todas as crianças com cancro, tenham as mesmas oportunidades, não só de sobrevivência, mas também de conquistar a saúde psicológica e física, e crescer tornando-se adultos de pleno direito."
    • Projectos: Revisão da escolaridade de todas as crianças da Acreditar; Realização de Cursos de Voluntariado a nível nacional, bem como a publicação do Guia do Voluntariado da Acreditar a nível nacional; Realização de um evento dedicado ao Voluntário da Acreditar; Comemoração do Dia Internacional da Criança com Cancro em todos os núcleos;
    • Submissão de propostas de alteração da legislação relativa às crianças com cancro e ao apoio às respectivas famílias; Publicação de um "Livro dos Irmãos"; Promoção, com uma base regular, de actividades lúdicas e educativas nas Casas da Acreditar; Formação de Grupos de Voluntariado específicos para crianças sem companhia e promoção de apoio psicológico a esses grupos; Realização de um Encontro de Pais a nível nacional, com um tema específico.
    • Associação: Esta associação é constituída por um grupo de casais com três ou mais filhos, que acreditam nos valores da família, defendendo o direito à vida sentindo assim, a necessidade de apoiar famílias numerosas. À semelhança do que já acontece noutros países europeus, este grupo de pessoas generosas criou uma Associação, de âmbito nacional, para defesa dos direitos naturais, próprios e legítimos das famílias numerosas. Esta Associação, foi criada no dia 22 de Abril de 1999.
    • Valores: Esta associação acredita que: A vida humana deve ser respeitada, reconhecida e protegida desde o momento da concepção até à morte natural; A Família é a primeira comunidade natural da sociedade, anterior ao próprio Estado, pelo que este deve estar ao serviço da Família.
    • A associação Ester Janz é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos e de Utilidade Pública, foi fundada em 1982, tendo como principal objectivo inicial a Educação e Formação dos filhos dos colaboradores do grupo das Empresas JANZ. Posteriormente, em 1990, o seu âmbito foi alargado ao público em geral.
    • Missão: Educar e formar os Filhos dos Colaboradores do Grupo das empresas Janz e as Crianças da comunidade envolvente. Grupo das empresas Janz
    • Valores: Espírito de Solidariedade; Trabalho em Equipa; Civismo e Transmissão dos Comportamentos Democráticos; Respeito pela Igualdade de Oportunidades sem preconceitos; Respeito pelo Meio Ambiente e Intervenção Activa na sua Preservação e Melhoria; Envolvimento com a Comunidade.
    • Em 1999 foi criada uma associação de protecção de animais, a Perdidos & Achados (mais tarde descobriram esta passagem em A caverna, de José Saramago) esta Associação de protecção dos animais abandonados de Aveiro, faz com que haja uma mudança para melhor, uma mudança de atitude mas, acima de tudo, uma criação de formas de minorar o sofrimento dos animais.
    • Valores: Esta associação apostou em criar nesta associação porque acreditam que é sempre possível fazer mais e melhor. Citando Gandhi (1869-1947), defensor dos direitos dos homens e dos animais, “A grandiosidade de uma nação e o seu progresso moral podem ser julgados pelo modo como os seus animais são tratados”. Missão: Não deixar de lutar pelos direitos dos animais, de forma a poder coabitar neste planeta condignamente.
    • Buita…Não conseguiram salvar de uma estranha doença que a impedia de comer e de viver. ninhada adoptada
    • Presidente de Mesa da Assembleia Geral António Galhardo Presidente da Direcção Isabel Segadães Vice-Presidente Vice-Presidente Madalena Correia Maria Emília Costa
    • FUNDAÇÃO DO GIL; FUNDAÇÃO DO MUSEU NACIONAL FERROVIÁRIO; FUNDAÇÃO BISSAYA BARRETO.
    • Mascote da Expo’98, o Gil, tornou-se um símbolo de respeito pela vida dos oceanos e do ambiente de todo o Planeta. Esta figura foi criada no final do ano de 1999 por iniciativa da Expo 98 e pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade, através do Instituto para o Desenvolvimento Social. A Fundação do Gil tem como fins principais contribuir para o bem estar, das crianças e dos jovens que, por razões de natureza diversa, se encontram internados, por períodos prolongados, em unidades hospitalares, prisionais ou outras. Para concretizar os seus projectos, a Fundação promove a realização, participação ou patrocínio de acções de carácter cultural, educativo, artístico, científico, social e de assistência.
    • O ano de 2004 foi um ano decisivo para o arranque da Casa do Gil, pois graças à Direcção Geral de Património e Ministério da Saúde, que cedeu uma casa abandonada no Parque da Saúde, em Lisboa, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e da RTP, que lançou os Swatch Ursinhos e o Swatch A Casa do Gil (modelo Touch), cuja parte das receitas financiaram a construção da Casa do Gil. A primeira pedra foi lançada em 21 de Junho de 2005 e a inauguração teve lugar no dia 11 de Julho de 2006.
    • História: O Professor Doutor Bissaya Barreto tinha consciência da sua temporalidade mas também a noção de que a grandiosidade da sua Obra exigia continuidade para se expandir. Assim, a 26 de Novembro de 1958, na cidade de Coimbra a Fundação particular de utilidade pública e fins de assistência, foi destinada a continuar a obra criada e mantida durante mais de meio século pelo Prof. Doutor Bissaya Barreto, quer como cidadão quer como orientador de organismos assistenciais. Como justa homenagem e devida gratidão às altas qualidades e serviços prestados à sociedade no vastíssimo campo da sua actividade, a Fundação adoptou o nome daquele eminente professor médico-cirúrgico.
    • Obra: A vida longa do Professor Bissaya Barreto é marcada por um enorme poder de realização no campo da assistência pública. Da sua vasta obra é de salientar as seguintes realizações: Escola de Enfermagem "Bissaya Barreto“; 1 Creche/Preventório para filhos de leprosos; 1 Hospital Pediátrico; Casa da Mãe (Figueira da Foz)…
    • Depois de várias décadas de trabalho esforçado, foi instituída a Fundação Museu Nacional Ferroviário Armando Ginestal Machado, que tem como Fundadores o Estado Português, a Câmara Municipal do Entroncamento, a CP, a REFER e várias Empresas privadas, do sector. Esta Fundação não tem fins lucrativos, e o Decreto-Lei que a institui reconhece-a como de utilidade pública.
    • Esta associação tem por fim o estudo, a conservação e a valorização do património histórico, cultural e tecnológico ferroviário português, e como fim específico a instalação e gestão do Museu Nacional Ferroviário e dos respectivos núcleos museológicos. Objectivos: Institucionais, projectos e eventos.
    • http://www.acreditar.org.pt http://www.apfn.com.pt/ http://esterjanz.no.sapo.pt/ http://www.perdidos-e-achados http://www.fundacaodogil.pt/ http://www.fundacaomuseuferroviario.org.pt/ http://www.fbb.pt/
    • Marina Dias - nº13 Paula Soares - nº15 Susana valente - nº18 Curso Profissional – Técnico de Gestão 11º L
    • Escola Secundária de Estarreja Curso Profissional Técnico de Gestão Direito das Organizações Trabalho realizado por: • Jorge Barbosa Nº12 • Paula Morais Nº 16 • Tatiana Couras Nº19 11ºL
    • Com este trabalho pretendemos mostrar a importância de algumas associações ao conferirem respostas aos problemas da sociedade. O associativismo tem que ser visto como um caminho para agir, intervir e viver de forma plena a nossa cidadania. Neste trabalho, mostramos alguns exemplos de Associações e Fundações que representam o espírito solidário Português.
    • ~
    • ~
    • Associação Bracarense Amigos dos Animais ABRA é uma associação sem fins lucrativos formada em Braga, em Março de 2005. Promove e sensibiliza a população para a esterilização dos seus animais com vista à diminuição dos animais de rua; O seu grande objectivo é ajudar o canil municipal no intuito de arranjar o maior número de adopções para os animais abandonados ou dados pelos donos para abate e minimizar o seu sofrimento. Promove e incentiva a adopção dos animais abandonados através de exposições a realizar periodicamente; Promover campanhas de sensibilização da população, sobretudo a juvenil, para a defesa e protecção dos animais; Denunciar às autoridades competentes as situações de maus tratos e de abandono dos animais; … Estatutos Voltar
    • Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral Foi fundada em Lisboa, por um grupo de Pais e Técnicos, no ano de 1960; Sensibiliza a opinião pública para a problemática da Paralisia Cerebral, sua prevenção e necessidade de detecção e intervenção precoces; Defende o direito à reabilitação da pessoa com Paralisia Cerebral através do desenvolvimento máximo das suas capacidades; Desenvolve actividades de recreação, desporto, cultura e lazer; Fomenta a criação de unidades de apoio à Pessoa com grave incapacidade e dependente; Desenvolver acções formação para técnicos, pais e cuidadores; Fomenta a investigação e a especialização na área da Paralisia Cerebral; Defende o direito da Pessoa com deficiência, à educação, formação profissional e ao trabalho, bem como à sua realização afectiva e inclusão social com participação em igualdade de oportunidades; Estatutos Voltar
    • Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral Foi fundada em Lisboa, por um grupo de Pais e Técnicos, no ano de 1960; Sensibiliza a opinião pública para a problemática da Paralisia Cerebral, sua prevenção e necessidade de detecção e intervenção precoces; Defende o direito à reabilitação da pessoa com Paralisia Cerebral através do desenvolvimento máximo das suas capacidades; Desenvolve actividades de recreação, desporto, cultura e lazer; Fomenta a criação de unidades de apoio à Pessoa com grave incapacidade e dependente; Desenvolver acções formação para técnicos, pais e cuidadores; Fomenta a investigação e a especialização na área da Paralisia Cerebral; Defende o direito da Pessoa com deficiência, à educação, formação profissional e ao trabalho, bem como à sua realização afectiva e inclusão social com participação em igualdade de oportunidades; Estatutos Voltar
    • Associação Portuguesa de Franchise É uma Associação privada sem fins lucrativos, constituída em Março de 1988; Estuda, divulga e promove o Franchising enquanto técnica de desenvolvimento empresarial e como solução para a criação e expansão de PME's. Proteger a indústria do Franchising, adoptando e promovendo um Código de Ética; Influenciar e encorajar o desenvolvimento do Franchising em Portugal; Representar os interesses da indústria do Franchising em Portugal e no estrangeiro; Tem como presente o Código de Deontologia que visa estabelecer um conjunto de regras essenciais de boa conduta e de bons costumes dirigidas àqueles que operam em franchising no território europeu; Este código é reconhecido pelo Comité Europeu do Comércio e Distribuição como o modelo de deontologia a seguir na prática do Franchising; Estatutos Voltar
    • Promover e defender por todos os meios legais, os interesses, direitos, liberdades, e legítimas situações dos seus associados, quando decorrentes da sua ampla condição de árbitro ou daí resultantes e compatíveis com os princípios e os interesses globais da APAF; Desenvolver e apoiar a formação dos sócios; Participar na defesa dos associados sempre que lhes tenha sido instaurado processo de inquérito, disciplinar ou similares, bem como noutras situações congéneres; Exercer, nos termos dos estatutos, toda a actividade que vise a defesa e a realização dos interesses e direitos dos filiados; Intervir na elaboração de toda a legislação desportiva e acompanhar a sua aplicação e fiscalização, sempre que a mesma diga respeito aos associados; Promover ou participar na organização de iniciativas que favoreçam o aproveitamento dos tempos livres dos filiados e dos respectivos agregados familiares; Estatutos Voltar
    • Fundação Calouste Gulbenkian Gulbenkian é uma instituição portuguesa de direito privado e utilidade pública, cujos fins estatutários são a Arte, a Beneficência, a Ciência e a Educação. A Fundação tem a sua sede em Lisboa; A Fundação desenvolve uma vasta actividade em Portugal e no estrangeiro no quadro dos seus fins estatutários, Dispõe de uma Orquestra e de um Coro que actuam ao longo do ano no âmbito de uma temporada regular; Realiza exposições individuais e colectivas de artistas portugueses e estrangeiros; Promove conferências internacionais, colóquios, cursos; distribui subsídios e concede bolsas de estudo para especializações e doutoramentos em Portugal e no estrangeiro; Apoia programas e projectos de natureza científica, educacional e artística; Desenvolve uma intensa actividade editorial, sobretudo através do seu plano de edições. Estatutos Voltar
    • Fundação Portugal Telecom Promove os incentivos para a construção da Sociedade da Informação no nosso país através do apoio a projectos e iniciativas, próprias ou em parceria, que aproximem os cidadãos destas tecnologias permitindo- lhes, através da sua utilização, uma melhor qualidade de vida; Desempenha um papel fundamental na produção de riqueza e na contribuição para o bem-estar e qualidade de vida dos cidadãos. Tem como mercenários: Associação Novo Futuro, a Associação Florinhas da Rua, a LPDM – Liga Portuguesa de Deficientes Motores, a ACREDITAR, a CAIS, a AFID – Associação das Famílias para a Integração da Pessoa Deficiente, ASBIHP – Associação Spina Bifida e Hidrocefalia de Portugal, o Hospital de Aveiro, o Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, o Centro de Paralisia Cerebral de Lisboa, entre outros; Estatutos Voltar
    • Fundação Mário Soares Foi constituída em 12 de Setembro de 1991; É uma fundação de direito privado sem fins lucrativos e de utilidade pública; Gerar iniciativas e projectos que alcançam diversificados e vastos públicos, Desenvolveu e executou uma multiplicidade de projectos em diferentes áreas justificando apoios, patrocínios e parcerias de entidades públicas e privadas; Por outro lado, tem um objectivo mobilizador da sustentabilidade do prosseguimento dos seus fins estatutários; Seus mecenas: Estatutos Voltar
    •  Entre os diversos actores da sociedade civil estão os movimentos sociais que lutam pela resolução de problemas sociais, favorecendo o exercício da democracia e da cidadania. São estas e muitas outras Associações existentes em Portugal, que reúnem indivíduos interessados em efectivar a sua condição de cidadãos de uma forma activa, isto é, que pretendam agir e intervir na sociedade procurando, deste modo, transformá-la.  As fundações actuam em áreas em que os recursos são sempre escassos e são consideradas instrumentos de execução de politicas de responsabilidade social.