O infante, Mensagem, Fernando Pessoa

11,618
-1

Published on

O infante, Mensagem, Fernando Pessoa, 9º ano

Published in: Education
0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
11,618
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O infante, Mensagem, Fernando Pessoa

  1. 1. Fernando Pessoa, in Mensagem O Infante Deus quer, o homem sonha, a obra nasce. Deus quis que a terra fosse toda uma, Que o mar unisse, já não separasse. Sagrou-te, e foste desvendando a espuma, E a orla branca foi de ilha em continente, Clareou, correndo, até ao fim do mundo, E viu-se a terra inteira, de repente, Surgir, redonda, do azul profundo. Quem te sagrou criou-te português. Do mar e nós em ti nos deu sinal. Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez. Senhor, falta cumprir-se Portugal!
  2. 2. O INFANTE, Fernando Pessoa, Mensagem  À semelhança de Camões, Fernando Pessoa propõe-se glorificar os heróis nacionais.  Dedica o poema ao infante D. Henrique  O grande acontecimento são os Descobrimentos  Deus é a entidade responsável por esse acontecimento  “sagrou” = verbo que significa investir em ações sagradas, benzer; Sagres é o lugar de partida para esse acontecimento histórico  “Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez“ - indica a glória desse acontecimento, mas também a decadência que se lhe seguiu.
  3. 3. O Infante, p. 131 do manual Ponto e Vírgula9, Texto Editora  1. Ideia de unidade “Deus quis que a terra fosse toda uma, que o mar unisse, já não separasse” E viu-se a terra inteira, de repente, Surgir, redonda do azul profundo”  Ideia de claridade “foste desvendando a espuma” “a orla branca foi de ilha em continente, clareou[…]”
  4. 4. O Infante, p. 131 do manual Ponto e Vírgula9, Texto Editora  2. A forma verbal perifrástica “foste desvendando” é importante no poema porque transmite a ideia de descoberta associada ao acontecimento histórico em que o Infante participou, ou seja, os descobrimentos, que revelaram o que até então permanecia desconhecido.  3. Sabendo que “o Império se desfez”, faltará a Portugal encontrar outro meio de se evidenciar no mundo. Da vontade divina e do sonho do homem nasce a obra. É preciso que Deus volte a querer, que os portugueses voltem a sonhar – daí nascerá, certamente, a obra necessária a um novo ciclo histórico de grandeza.

×