Your SlideShare is downloading. ×
Henry Jenkins - Cultura da Convergência
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Henry Jenkins - Cultura da Convergência

3,904
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,904
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Henry Jenkins CULTURA DA CONVERGENCIAquinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 2. HENRY JENKINS − Professor de Ciências Humanas e fundador e diretor do programa de Estudos de Mídia Comparada do MIT – Massachusetts Institute of Technology. − A instituição sedia o C3 – Convergence Culture Consortium, instituto que tem como patrocinadores: MTV Networks, Grupo Turner, Yahoo INC., GSDM&Idea City e Fidelity Capital.quinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 3. HENRY JENKINS − Autor e/ou editor de 11 livros: − Youtube: Online video and participatory culture (2009) − Cultura da Convergência (2008) − Fans, Bloggers and Gamers – Midia Consumers in a Digital Age (2006) − The Wow Climax: tracing the emotional impact of popular cultures (2006) − Democracy and New Media (2004) − From Barbie to Mortal Kombat (2000) − The Childrens culture reader (1998) − Publicação mensal em revistas como: Technology Review e Computer Games − Mantém um blog de ensaios em: www.henryjenkins.orgquinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 4. IMPORTÂNCIA DO AUTOR “O progresso tecnológico está transformando todo o planeta, reduzindo-o às proporções de uma aldeia.” (Marshall McLuhan) Essa transformação é vista atualmente quando o público, dentro das novas mídias, deixa de ser um simples receptor de informações. E este mesmo público está apto a transmitir conhecimento. Ao investigar o alvoroço das novas mídias, Henry Jenkins apresenta um insight crucial sobre o inesperado futuro do mundo em que vivemos.quinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 5. CONVERGÊNCIA Fluxos de conteúdos através de múltiplos suportes midiáticos, à cooperação entre múltiplos mercados midiáticos e ao comportamento migratório dos públicos dos meios de comunicação, que oscilam entre diversos canais em busca de novas experiências de entretenimento. Tríade de Jenkins: Convergência midiática Inteligência Coletiva Cultura Participativaquinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 6. CONCEITOSquinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 7. CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA PROCESSO CULTURAL, NÃO TECNOLÓGICO. O processo tecnológico (criação de novas plataformas midiáticas) existe por haver uma necessidade e um apelo das pessoas para isso. A falácia da caixa preta: engano de achar que a convergência ocorre por meio de aparelhos multifuncionais. Narrativa transmidiática como referencial da noção de convergência. Exige maior envolvimento do público, o conteúdo espalhado em diferentes canais midiáticos deve ser seguido, proporciona uma maior recepção na experiência de entretenimento. Storytelling: a partir das diferentes mídias contar uma história, em diferente espaço de tempo e em formato.quinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 8. CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA ARGS: Batman (desenvolvimento de uma Gotham online), Walking Dead (zumbi em estádios de futebol) e Matrix (Site, Gibi, jogo e episódios Animatrix).quinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 9. INTELIGÊNCIA COLETIVA Conhecimento = Poder Uma nova fonte de poder, para todos e não para um. Várias pessoas colaboram com fragmentos de conhecimento, ou seja, mais pessoas tem poder. O conhecimento não é mais individual, pertence ao coletivo. Refere-se à uma nova forma de consumo. Expert: deixa de ser uma pessoa, um corpo limitado e se torna o coletivo. Que sempre evolui e adquire mais conhecimento.quinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 10. CULTURA PARTICIPATIVA Positivo ou negativo? Fãs de filmes e seriados criam histórias alternativas às contadas nas telas. EXEMPLO: Star Wars e Harry Potter. Positivo: essas pessoas criam essas histórias por gostarem da original, serem apaixonadas. Negativo: os diretos e donos de negócio podem achar que as pessoas estão denegrindo a imagem, ou desvirtuando a história, e começar a censurar os fãs. Ocorre o bizarro embate entre fãs x ídolos.quinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 11. CULTURA PARTICIPATIVA Autor critica conservadores cristãos que atacam a globalização e a lógica da convergência midiática que sustentam a ideia que as pessoas não podem perder tempo criando universos ficcionais, e sim enfrentar os problemas do mundo real. As pessoas buscam uma maior conexão com aquilo que consomem. Crowdfounding (www.catarse.me) Exemplos: Lost, Canon Photo Chains, Survivor e Dont Tell Ashton.quinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 12. CONCLUSÃO Convergência midiática traduz mudanças no relacionamento do público com os meios de comunicação. Estamos experimentando uma reconfiguração através da nossa relação com a cultura popular e o entretenimento comercial. Essas habilidades adquiridas durante esse processo de convergência vai acabar implicando em mudanças no jeito como trabalhamos, aprendemos e como participamos de procedimento político. Habilidades desenvolvidas no entretenimento comercial aplicadas no: Trabalho → Coworking, Crowdsourcing Financiamento de projetos: Crowd Founding Político/Social → criação de ferramentas com objetivo dentro da concepção políticaquinta-feira, 2 de junho de 2011
  • 13. OBRIGADOquinta-feira, 2 de junho de 2011

×