Micro3 demandaelasticidade eloi

3,031 views
2,911 views

Published on

1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
3,031
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
170
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Micro3 demandaelasticidade eloi

  1. 1. Introdução à Economia Prof. MSc. Elói Martins Senhoras
  2. 2. Noções de Microeconomia Elasticidade
  3. 3. Figura A elasticidade de várias curvas de demanda.
  4. 4. Figura A elasticidade de várias curvas de demanda.
  5. 5. Figura A variação da elasticidade ao longo de uma reta de demanda.
  6. 6. Figura Determinando a receita ao longo de demanda linear.
  7. 7. Figura Determinando a receita ao longo de demanda linear.
  8. 8. Figura A elasticidade de várias curvas de oferta.
  9. 9. Elasticidades Exemplos na Microeconomia: Elasticidade-preço da demanda : Variação percentual na quantidade demandada, dada a variação percentual no preço do bem, ceteris paribus . Elasticidade-renda da demanda : Variação percentual na quantidade demandada, dada uma variação percentual na renda, ceteris paribus .
  10. 10. Elasticidades Exemplos na Microeconomia: (cont.) Elasticidade-preço cruzada da demanda : Variação percentual na quantidade demandada, dada a variação percentual no preço de outro bem, ceteris paribus . Elasticidade-preço da oferta : Variação percentual na quantidade ofertada, dada uma variação percentual no preço do bem, ceteris paribus .
  11. 11. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Variação percentual na quantidade demandada , dada uma variação percentual no preço do bem , ceteris paribus . Mede a sensibilidade , a resposta dos consumidores, quando ocorre uma variação no preço de um bem ou serviço. E pd = % q d % preço = q 1 – q 0 q 0 p 1 – p 0 p 0 q d q d p p = = p q d q d p x
  12. 12. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda E pd = p q d q d p x >0 <0 Lei Geral da Demanda A Elasticidade-preço da demanda é sempre negativa. Seu valor é expresso em módulo ( |E pd | = 1,5 que equivale a E pd = -1,5 ).
  13. 13. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Exemplo: Calcule a Elastici- dade-preço da demanda em um ponto específico. P 0 = preço inicial = R$ 20,00 P 1 = preço final = R$ 16,00 Q 0 = quantidade demandada, ao preço p 0 = 30 Q 1 = quantidade demandada, ao preço p 1 = 39 0 15 30 39 50 Preço do Bem (R$) 30 20 16 8 0 Quantidade demandada D p 1 p 0
  14. 14. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Solução: p 1 – p 0 p 0 p p = Variação Percentual (%) = 16 - 20 20 = - 0,2 = 20% q 1 – q 0 q 0 q q = = 39 - 30 30 = 0,3 = 30% E pd = 30% -20% = -1,5 ou | E pd | = 1,5 Para uma queda de 20% no preço,a quantidade demandada aumenta em 1,5 vezes os 20%, ou seja, 30%.
  15. 15. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Classificação: Demanda Elástica, inelástica e de elasticidade unitária. Demanda Elástica: | E pd | > 1 - Ex: |E pd | = 1,5 Significa que, dada uma variação percentual, por exemplo, de 10% no preço, a quantidade demandada varia, em sentido contrário, em 15%, ou seja, 50% a mais, ceteris paribus . Isso revela que a quantidade é bastante sensível à variação de seu preço.
  16. 16. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Demanda Inelástica: | E pd | < 1 - Ex: | E pd | = 0,4 Neste caso, os consumidores são pouco sensíveis a variações de preço: uma variação de, por exemplo, 10% no preço leva a uma variação na demanda des- se bem de apenas 4% (sem sentido contrário).
  17. 17. Elasticidades Demanda de elasticidade unitária: | E pd | = 1 ou E pd = - 1 Se o preço aumenta em 10%, a quantidade cai também em 10%, ceteris paribus. Elasticidade-preço da demanda
  18. 18. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Exemplo: Seja as elasticidades-preço da demanda dos bens A e B; E pd A = -2 e E pd B = -0,8 . Neste caso, e supondo que o com- sumo dos dois bens é independente, o bem A apresenta uma demanda mais elástica que o bem B, pois um aumento de 10% no preço de ambos levaria a uma queda de 20% na quantidade demandada do bem A , e de apenas 8% na do bem B , ceteris paribus . Os consumidores são mais sensíveis, reagem mais a variações de preços no bem A do que no bem B.
  19. 19. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Fatores que afetam : Disponibilidade de bens substitutos Essencialidade do bem Importância relativa do bem no orçamento do consumidor Horizonte de tempo
  20. 20. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Disponibilidade de bens substitutos Quanto mais substitutos Mais elástica a demanda Pois dado um aumento de preços, o consumidor tem mais opções para “fugir” do consumo desse produto, provocando uma queda em sua demanda mais que proporcional à varia- ção do preço. Assim, quanto mais específico o mercado, maior a elasticidade. Ex: Elasticidade do Guaraná > Refrigerante .
  21. 21. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Essencialidade do bem Quanto mais essencial Mais inelástica a demanda Esse tipo de bem não traz muitas opções para o consumidor “ fugir” do aumento de preços. Ex: Sal, açúcar .
  22. 22. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Importância relativa do bem no orçamento do consumidor Quanto maior o peso no orçamento Mais elástica a demanda A importância relativa, ou peso do bem no orçamento, é dada pela proporção de quanto o consumidor gasta no bem, em relação a sua despesa total. O consumidor é muito afetado, por alterações nos preços, quanto mais gasta com o produto, dentro de sua cesta de consumo. Ex. Elasticidade da Carne > Fósforo.
  23. 23. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Horizonte de tempo Quanto maior o horizonte de tempo Mais elástica a demanda Dependendo do horizonte de tempo de análise, um intervalo de tempo maior permite que os consumi- dores de determinada mercadoria descubram mais formas de substituí-la, quando seu preço aumenta.
  24. 24. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Interpretação geométrica A elasticidade-preço da demanda varia, ao longo de uma mesma curva de demanda. Quanto maior o preço do bem, maior a elas- ticidade. Preço do Bem (R$) Quantidade demandada a b c |E pd | ponto b > 1 (elástica) |E pd | ponto a = 1 (unitária) |E pd | ponto c < 1 (inelástica)
  25. 25. Preço do Sal (R$) Qtd adquirida de sal Preço do CD´s (R$) Qtd adquirida de CD´s Inclinação acentuada : As compras variam pouco com o aumento dos preços. (Insensível aos preços) (Inelástica) Inclinação pequena : As compras variam muito com o aumento dos preços. (Sensível aos preços) (Elástica) Elasticidades Elasticidade-preço da demanda
  26. 26. Preço do Bem (R$) Qtd adquirida do Bem Inclinação Infinita : As compras não variam com o aumento dos preços. Perfeitamente Inelástica: (Ex.: Bens Essenciais) Inclinação zero : As compras variam muito com o aumento dos preços. Sensível aos preços. Perfeitamente Elástica: (Ex.: Mercados perfeitamente compe- titivos. Elasticidades Elasticidade-preço da demanda Casos Extremos E pd = 0 Preço do Bem (R$) Qtd adquirida do Bem E pd = 00
  27. 27. Elasticidades Relação entre a Receita Total do vendedor (ou dispêndio total do consumidor) e Elasticidade-preço da demanda Receita Total = RT = preço unitário x quantidade comprada do bem RT = p . q O que pode acontecer com a receita total (RT), quando varia o preço de um bem ?
  28. 28. Elasticidades Relação entre a Receita Total do vendedor (ou dispêndio total do consumidor) e Elasticidade-preço da demanda Resposta: Vai depender da elasticidade-preço da demanda a) Se E pd for elástica % q d > % preço RT segue o sentido da quantidade (prepondera a variação da quantidade sobre a variação do preço). - se p aumentar, q d cairá, e a RT diminuirá. - se p cair, q d aumentará, e a RT aumentará.
  29. 29. Elasticidades Relação entre a Receita Total do vendedor (ou dispêndio total do consumidor) e Elasticidade-preço da demanda b) Se E pd for inelástica % q d < % preço RT segue o sentido do preço (prepondera a variação do preço sobre a variação da quantidade). - se p aumentar, q d cairá, e a RT aumentará. - se p cair, q d aumentará, e a RT cairá.
  30. 30. Elasticidades Relação entre a Receita Total do vendedor (ou dispêndio total do consumidor) e Elasticidade-preço da demanda c) Se E pd for unitária % q d = % preço Tanto faz p aumentar ou cair, que a receita total (RT) permanece constante .
  31. 31. Elasticidades Relação entre a Receita Total do vendedor (ou dispêndio total do consumidor) e Elasticidade-preço da demanda Conclusão: Demanda inelástica É vantajoso aumentar o preço (ou diminuir a produção) Até onde E pd = -1 Pois, embora a quantidade caia, O aumento de preço mais que compensa a queda na quantidade, e a RT aumenta. Ex.: Produtos agrícolas. (principalmente os essenciais). Se, o aumento do preço for muito elevado pode acabar caindo no ramo elástico da demanda e assim, gerando a queda na receita total (RT).
  32. 32. Elasticidades Elasticidade-preço cruzada da Demanda Variação percentual na quantidade demandada , dada a variação percentual no preço de outro bem , ceteris paribus . E pd AB = p B q A q A p B x E pd AB > 0 => A e B são substitutos (o aumento do preço de y aumenta o consumo de x, ceteris paribus). E pd AB < 0 => A e B são complementares (o aumento do preço de y diminui o consumo de x, ceteris paribus).
  33. 33. Elasticidades Elasticidade-renda da Demanda Variação percentual na quantidade demandada , dada uma variação percentual na renda do consumidor, ceteris paribus . E Rd = R q q R x E Rd > 1 => Bem superior (ou bem de luxo) : dada uma variação da renda, o consumo varia mais que proporcionalmente. E Rd > 0 => Bem normal : o consumo aumenta quando a renda aumenta.
  34. 34. Elasticidades Elasticidade-renda da Demanda E Rd = R q q R x E Rd < 0 => Bem inferior : a demanda cai quando a renda aumenta. E Rd = 0 => Bem de consumo saciado: variações na renda não alteram o consumo do bem.
  35. 35. Elasticidades Elasticidade-renda da Demanda Obs.: Normalmente, a elasticidade-renda da demanda de produtos manufaturados é superior à elasticidade-renda de produtos básicos, como alimentos. Mais elevada a renda Maior consumo de manufaturados (ex.: carro, eletrônicos), relativamente aos alimentos.
  36. 36. Elasticidades Elasticidade-preço da oferta E po = p q o q o p x E po > 1 => Bem de oferta elástica. Variação percentual na quantidade ofertada , dada uma variação percentual no preço do bem , ceteris paribus . E po < 1 => Bem de oferta inelástica. E po = 1 => elasticidade-preço de oferta unitária.
  37. 37. Elasticidades Elasticidade-preço da oferta E po > 1 => Bem de oferta elástica. E po < 1 => Bem de oferta inelástica. E po = 1 => elasticidade-preço de oferta unitária. Obs.: Corrente estruturalista da inflação: A oferta de produtos agrícolas seria inelástica a estímulos de preços, em virtude da baixa produtividade da agri- cultura, provocada pela estrutura agrária. Não responderia ao aumento da demanda de alimentos, aumentando assim os custos de produção e com- seqüente repasse aos preços dos produtos. Preço do Bem Quantidade do Bem. E po > 1 E po = 1 E po < 1

×