Your SlideShare is downloading. ×
Curso Superior de Tecnologia
em Gerenciamento de Redes de Computadores

Marcelo Medeiros Soares

SOFTWARE LIVRE
Implantaçã...
Marcelo Medeiros Soares

SOFTWARE LIVRE
Implantação de software livre na empresa
D'CasaNova Consultoria Imobiliária ltda

...
Dedico esse trabalho à minha querida Starry.
Obrigado por me incentivar a fazer esse curso
e por me apoiar, e muito obriga...
LISTA DE SIGLAS
BSD - Berkeley Software Distribution;
CTSS - Sistema De Tempo Compartilhado;
FDDI - Fiber Distributed Data...
ÍNDICE DE TABELAS
Tabela 1: Cronograma do Projeto de Pesquisa Monográfica..............................................34
...
ÍNDICE DE FIGURAS
Figura 1: Cartão perfurado.................................................................................
ÍNDICE DE QUADROS
Quadro 1: Desenvolvimento do UNIX..........................................................................
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO.........................................................................................................
8.9 Demais aplicações sugeridas......................................................................................32
9 ...
10
1 INTRODUÇÃO
“Se persistires em buscar a sabedoria como a
prata e continuares a buscar isso como a tesouros
escondidos,...
11
2 TEMA
“Seja a mudança que você deseja ver no
mundo”
Mahatma Gandhi

Atualmente verifica-se a utilização do Linux como ...
12
3 FORMULAÇÃO DO PROBLEMA DA PESQUISA
"A coincidência é a forma escolhida por
Deus para permanecer anônimo."
Albert Eins...
13
4 REFERENCIAL TEÓRICO
“É a simples meditação que nos conduz a um
terreno quase que real.”
Francisco Lindovan

4.1 Neces...
14
utilizavam o sistema operacional OS/360, escrito em Assembly. Com o OS/360
surgiu um novo conceito de multiprogramação,...
15

Quadro 1: Desenvolvimento do UNIX
Fonte: Elaboração do próprio autor

Com o sucesso do trabalho dos dois programadores...
16

Quadro 2: Variações do Unix
Fonte: Elaboração do próprio autor

4.3 O Surgimento do MINIX
Em 1983, percebendo a grande...
Tanenbaum, o

MINIX

foi

criado

para

uso

educacional

e

17
adicionar tais

implementações aumentaria o tamanho do sis...
18
Segundo Morimoto, (2006) em 1983, Richard Stallman criava a Free Software
Foudation, que mais tarde criou a licença GNU...
19
verdade o kernel Linux acompanhando de um conjunto de programas e scripts de
configuração que facilitam a instalação do...
20
4.9 O Ubuntu Linux
Segundo declaração no site do sistema operacional Ubuntu (www.ubuntu.com),
o projeto é descrito com ...
21
Richard Stallman na década de 80 e continua com a ideia de compartilhamento e
crescimento. Parte deste caminho iniciado...
22
13.04 e a 13.10 com previsão de lançamento em outubro de 2013.
VERSÃO

DATA DE LANÇAMENTO

4.10
5.04
5.10
6.06 LTS19
6....
23
5 JUSTIFICATIVAS
“Uma pessoa com Ubuntu está aberta e
disponível aos outros, assegurada pelos
outros, não se sente inti...
24
6 OBJETIVOS
“A filosofia do Linux é ‘Ria na face do perigo’.
Ôpa. Errado. ‘Faça você mesmo’. É, é essa.”
Linus Torvalds...
25
7 CONHECENDO A D'CASANOVA CONSULTORIA IMOBILIÁRIA
7.1 Área de serviço
Consultoria imobiliária em geral – Aluguel, compr...
26
➢ Nero Burnig Rom - Para cópia e backup dos arquivos da empresa em DVD's
e CD's;
➢ PhotoFiltre - Programa para edição e...
27
dentro dos padrões de cabeamento estruturado, sendo que a nossa proposta é
apenas a substituição da parte lógica da red...
28
8 PROGRAMAS LIVRES SUGERIDOS PARA INSTALAÇÃO NA D'CASANOVA
CONSULTORIA IMOBILIÁRIA
8.1 Sistema Operacional
A versão esc...
29
8.2.1 Processador de texto - Writer
O Writer é um poderoso processado de texto, o qual poderá ser utilizado para
produç...
30
8.2.5 Bancos de Dados - Base
O LibreOffice possui para criação e gestão de bancos de dados o Base, que
muito embora não...
31
Visto se tratar se um programa multiplataforma, fácil de usar e eficiente, o
Filezilla continua como opção para atualiz...
32
incluindo agenda, no entanto, é uma opção interessante por ser livre e
multiplataforma. Para quem deseja uma opção mais...
33
9 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS DA PESQUISA

“Nossa maior fraqueza está em desistir. O
caminho mais certo de vencer é ten...
10 CRONOGRAMAS
"É impossível haver progresso sem mudança, e
quem não consegue mudar a si mesmo não muda
coisa alguma.”

Ge...
10.2 Cronograma da Monografia
Tabela 2: Cronograma da Elaboração da Monografia
CRONOGRAMA DE TODO O TRABALHO DE PESQUISA
P...
36
11 ORÇAMENTO
"A ordem é o prazer da razão. A desordem, a
delícia da imaginação."
André Malraux

Com a elaboração desse ...
37
12 CONSIDERAÇÕES FINAIS
"A riqueza nos influencia como a água do
mar: quanto mais bebemos, mais sede
temos."
A. Schopen...
38
REFERÊNCIAS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e
documentação: Referências: elaboração. Rio...
39
PAUL, Ryan. Ars olha para trás em 20 anos de Linux. [S.l.: s.n.], 2011. Disponível
em: <http://arstechnica.com/informat...
40
GLOSSÁRIO
FORTRAN – O nome é um acrônimo da
expressão
“IBM
Mathematical
FORmula
TRANslation
System.
Linguagem
de
progr...
41

MEMORIAL

Memorial - MARCELO MEDEIROS SOARES

O autor, MARCELO MEDEIROS SOARES, tem objetivos de
Aperfeiçoamento da qu...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Proj. pesq. ibes-pim - marcelo soares - implantação de software livre na empresa d'casa nova - 2013-11-18

230

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
230
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Proj. pesq. ibes-pim - marcelo soares - implantação de software livre na empresa d'casa nova - 2013-11-18"

  1. 1. Curso Superior de Tecnologia em Gerenciamento de Redes de Computadores Marcelo Medeiros Soares SOFTWARE LIVRE Implantação de software livre na empresa D'CasaNova Consultoria Imobiliária ltda Salvador – Ba 2013
  2. 2. Marcelo Medeiros Soares SOFTWARE LIVRE Implantação de software livre na empresa D'CasaNova Consultoria Imobiliária ltda Projeto de Pesquisa apresentado pelo aluno Marcelo Medeiros Soares à Disciplina Projeto Integrado Multidisciplinar (I, II, III e IV) (PIM I, II, III e IV), do Curso Superior de Tecnologia em Gerenciamento de Redes de Computadores da IBES, dirigido pelo Professor José Vicente Cardoso Santos, como requisito parcial para a conclusão do curso. Salvador – Ba 2013
  3. 3. Dedico esse trabalho à minha querida Starry. Obrigado por me incentivar a fazer esse curso e por me apoiar, e muito obrigado por acreditar e apostar em mim. Te amo muito!!!
  4. 4. LISTA DE SIGLAS BSD - Berkeley Software Distribution; CTSS - Sistema De Tempo Compartilhado; FDDI - Fiber Distributed Data Interface; FORTRAN - Formula Translation System; FTP - File Transfer Protocol; GCC - Gnu Compiler Collection; GNU - Gnu Não É UNIX; GUI - Graphical User Interface; HTML - Hyper Text Markup Language; IEEE - Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos; IMAP - Internet Message Access Protocol; MIT - Massachusetts Institute of Technology; MULTICS - Multiplexed Information And Computing Service; PDF - Portable Document Format; POP - Post Office Protocol; POSIX - Portable Operating System Interface (Interface Portável entre Sistemas Operacionais); RSS - Really Simple Syndication (RSS 2.0); UNIX - Uniplexed Information and Computing Service; XHTML - eXtensible Hypertext Markup Language; XML - eXtensible Markup Language.
  5. 5. ÍNDICE DE TABELAS Tabela 1: Cronograma do Projeto de Pesquisa Monográfica..............................................34 Tabela 2: Cronograma da Elaboração da Monografia.........................................................35 Tabela 3: Orçamento e Fontes de Financiamento...............................................................36
  6. 6. ÍNDICE DE FIGURAS Figura 1: Cartão perfurado...................................................................................................13 Figura 2: Linux Kurumin - Interface gráfica KDE Fonte: Carlos E. Morimoto, 2006............19 Figura 3: Área de trabalho do Ubuntu 13.04 ......................................................................20 Figura 4: Gráfico mostrando o tempo de suporte as versões do Ubuntu ..........................21
  7. 7. ÍNDICE DE QUADROS Quadro 1: Desenvolvimento do UNIX..................................................................................15 Quadro 2: Variações do Unix ..............................................................................................16 Quadro 3: Lançamentos do Ubuntu e seus codinomes .....................................................22 Quadro 4: Computadores disponíveis na D'CasaNova Imobiliária ....................................27 Quadro 5: Outros equipamentos disponíveis na D'CasaNova Imobiliária .........................27 Quadro 6: Equipamentos sugeridos ...................................................................................27
  8. 8. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO..................................................................................................................10 2 TEMA.................................................................................................................................11 3 FORMULAÇÃO DO PROBLEMA DA PESQUISA............................................................12 4 REFERENCIAL TEÓRICO................................................................................................13 4.1 Necessidade e surgimento dos primeiros sistemas operacionais..............................13 4.2 Desenvolvimento do Unix e suas variantes – o problema das diversificações e a criação de um padrão POSIX.....................................................................................14 4.3 O Surgimento do MINIX..............................................................................................16 4.5 Surge o Linux..............................................................................................................17 4.6 O que é o Linux?.........................................................................................................18 4.7 O nome Linux..............................................................................................................18 4.8 As Distribuições Linux.................................................................................................18 4.9 O Ubuntu Linux............................................................................................................20 5 JUSTIFICATIVAS..............................................................................................................23 6 OBJETIVOS......................................................................................................................24 6.1 Objetivo Geral..............................................................................................................24 6.2 Objetivos Específicos..................................................................................................24 7 CONHECENDO A D'CASANOVA CONSULTORIA IMOBILIÁRIA....................................25 7.1 Área de serviço............................................................................................................25 7.2 Fornecedores e Parceiros...........................................................................................25 7.3 Quais serviços e produtos o cliente utiliza..................................................................25 7.4 Conhecendo os departamentos da empresa..............................................................26 7.4.1. Setor de Consultoria.............................................................................................26 7.4.2. Captação de imóveis e serviços...........................................................................26 7.4.3. Análise e Pesquisa de Crédito..............................................................................26 7.4.4. Web design e Documentação...............................................................................26 7.4.5. Setor financeiro.....................................................................................................26 7.4.6. Gerência...............................................................................................................26 7.5 Rede anteriormente existente na D'CasaNova Consultoria Imobiliária......................26 7.6 Equipamentos existentes na Imobiliária......................................................................27 8 PROGRAMAS LIVRES SUGERIDOS PARA INSTALAÇÃO NA D'CASANOVA CONSULTORIA IMOBILIÁRIA.............................................................................................28 8.1 Sistema Operacional...................................................................................................28 8.1.1 Requisitos para instalação dos Sistemas Operacionais..........................................28 8.2 Pacote de escritório.....................................................................................................28 8.2.1 Processador de texto - Writer...................................................................................29 8.2.2 Planilha de Cálculos - Calc......................................................................................29 8.2.3 Apresentações - Impress..........................................................................................29 8.2.4 Gráficos vetoriais - Draw..........................................................................................29 8.2.5 Bancos de Dados - Base..........................................................................................30 8.2.6 Editor de Fórmulas Matemáticas - Math..................................................................30 8.2.7 Vantagens do uso do LibreOffice.............................................................................30 8.3 Editor de páginas web NVU........................................................................................30 8.4 Programa FTP - Filezilla..............................................................................................30 8.5 Gravador de CD's e DVD's - Brasero..........................................................................31 8.6 Editor e criador de imagens – GIMP – GNU Image Manipulation Program...............31 8.7 Navegador web – Firefox............................................................................................31 8.8 Correio eletrônico – Thunderbird.................................................................................31
  9. 9. 8.9 Demais aplicações sugeridas......................................................................................32 9 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS DA PESQUISA...............................................33 9.1 Classificação da Pesquisa, Métodos e Técnicas de Abordagem...............................33 10 CRONOGRAMAS...........................................................................................................34 10.1 Cronograma do Projeto de Pesquisa........................................................................34 10.2 Cronograma da Monografia......................................................................................35 11 ORÇAMENTO.................................................................................................................36 12 CONSIDERAÇÕES FINAIS............................................................................................37 REFERÊNCIAS....................................................................................................................38 GLOSSÁRIO........................................................................................................................40 MEMORIAL..........................................................................................................................41 Memorial - MARCELO MEDEIROS SOARES..................................................................41
  10. 10. 10 1 INTRODUÇÃO “Se persistires em buscar a sabedoria como a prata e continuares a buscar isso como a tesouros escondidos, neste caso entenderá o temor a Jeová e acharás o próprio conhecimento de Deus.” Provérbios 2:4,5 A opção de escolha faz parte da vida do ser humano, temos a liberdade para decidir o que vamos usar, comer, para onde ir e que vamos ser. A liberdade de escolha também está disponível no mundo da informática em geral, e base desse trabalho é esclarecer e tornar conhecido uma outra opção de sistema operacional, livre, fácil de aprender e extremamente seguro. Trata-se do Sistema Operacional Linux. Para os que já ouviu falar e até teve uma certa familiaridade com o sistema deve ter percebido que há muita diferença entre o Sistema Operacional Windows da Microsoft® e um Sistema Operacional Linux. As diferenças existem e remonta desde a criação de ambos os sistemas até os nossos dias atuais, sendo o Windows totalmente voltado para interesses comerciais, e o Linux, criado como um despretensioso projeto de estudo, mas que se tornou em poucos anos um forte concorrente no âmbito comercial do Windows. Segundo Tanenbaum, (2009) o Linux foi criado com base no MINIX que por sua vez foi criado com a base do UNIX, sendo esse, um clone propriamente dito do UNIX, mas não tendo nenhuma parte de código do UNIX. A visão de um sistema operacional robusto, de fácil acesso, livre e que fosse possível ser modificado era o que muitos programadores e usuários de computadores desejavam em oposição às licenças custosas e ao monopólio da Microsoft através do Windows. Todos esses detalhes formaram a base perfeita para o crescimento do interesse do uso do Linux em várias áreas. Com o aparecimento do Ubuntu em 2004, baseado na distribuição Linux Debian, o Linux ganhou ainda mais força. O Ubuntu Linux, uma distribuição Linux voltada ao usuário final, ganhou destaque por ser de fácil manuseio, crescendo em popularidade à frente das distribuições já existentes como o próprio Debian, o Fedora, a Mandriva e aqui no Brasil, o Kurumin e o Big Linux. O crescimento constante do Ubuntu Linux e as diversas tecnologias implantadas pela Canonical (empresa desenvolvedora do Ubuntu), deixam o Ubuntu cada vez mais atraente como opção ideal ao uso de sistemas operacionais pagos.
  11. 11. 11 2 TEMA “Seja a mudança que você deseja ver no mundo” Mahatma Gandhi Atualmente verifica-se a utilização do Linux como uma ferramenta de trabalho que denota segurança podendo ser utilizado em máquinas que vão desde celulares, notebooks até supercomputadores (TANENBAUM, 2010), e por ter o seu códigofonte totalmente livre, possibilita que o mesmo seja alterado, personalizado e redistribuído sem nenhum custo, diferente de sistemas operacionais proprietários, nos quais há licenças que limitam e restringem a quantidade de equipamentos em que o mesmo possa ser instalado, limitam o uso completo do sistema, além da impossibilidade de sequer acessar o seu código fonte. Visando esse ponto de vista, muitas empresas estão migrando as suas plataformas de trabalho para o sistema operacional Linux, a título de exemplo, podemos citar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, o Metrô de São Paulo, entre muitas outras (REZENDE, 2007). Além da redução do custo da empresa com a aquisição de várias licenças para uso, podemos citar também a questão da segurança da informação, uma vez que os sistemas unix-like são seguros por natureza contra invasão, totalmente diferente das vulnerabilidades de sistemas operacionais pagos, pois além do custo da licença do sistema operacional, há também o custo da licença do sistema antivírus. Ainda que o custo com instalação e treinamento de funcionários no uso do sistema operacional Linux seja necessário, a longo prazo esse custo será visto como um investimento lucrativo em contrapartida com o valor gasto com licenças para aquisição de sistemas operacionais pagos, sem falar que o Linux é menos exigente na questão de performance de hardware para a execução e utilização de forma confortável do sistema operacional, representando assim, mais uma redução de custo em aquisição de equipamentos.
  12. 12. 12 3 FORMULAÇÃO DO PROBLEMA DA PESQUISA "A coincidência é a forma escolhida por Deus para permanecer anônimo." Albert Einstein Atualmente os sistemas mais usados como servidores domésticos ou em pequenas empresas são os da família Windows (MORIMOTO, 2008), quer seja porque as pessoas se sintam mais à vontade com esse sistema, quer seja pelo comodismo e não terem tempo de aprender a usar outros sistemas, ou até mesmo por desconhecer a existência de outros sistemas operacionais que podem executar as mesmas coisas que poderiam executar no Windows de forma gratuita e em alguns casos, de forma melhor e mais segura (TANEMBAUM, 2010). Mas será que há alguma distribuição Linux que possa ser fácil de usar e ao mesmo tempo intuitiva a ponto de substituir um sistema veterano como o Windows e suas variantes nos desktops de usuários comuns e empresariais? Como objetivo de mostrar que um sistema operacional Linux pode sim substituir o Windows e suas variantes, incentivamos ao diretor de uma imobiliária a substituir o sistema operacional atualmente existente nos computadores da empresa pela distribuição Linux Ubuntu e a usar softwares livre equivalentes aos proprietários usados no dia a dia na imobiliária.
  13. 13. 13 4 REFERENCIAL TEÓRICO “É a simples meditação que nos conduz a um terreno quase que real.” Francisco Lindovan 4.1 Necessidade e surgimento dos primeiros sistemas operacionais Segundo Tanenbaum, (2010) nos primórdios da computação, não havia sistemas operacionais como conhecemos hoje, antes, os computadores eram apenas máquinas para gerar cálculos, além disso, usavam mais de 20.000 válvulas e os programas eram de forma rudimentar, através de fios ligados a painéis. Na década de 50, válvulas foram substituídas por transistores e foram construídos computadores mais eficientes e confiáveis. A linguagem de programação passou a ser Assembly ou FORTRAN, feita através de cartões perfurados. No entanto, demorava-se muito com o processamento das informações, o que permitiu o surgimento do processamento em lotes (batches system). Para o processamento em lotes, dois computadores eram usados, um menos eficiente para ler todos os cartões perfurados e gravar as informações em fita magnética para a partir daí o computador principal compilar o programa que passou a estar na fita gerada pelo computador menos eficiente. Figura 1: Cartão perfurado Fonte Linux - Redes e Servidores Guia Prático, 2006 A IBM lançou no início da década de 60, os computadores System/360, que o
  14. 14. 14 utilizavam o sistema operacional OS/360, escrito em Assembly. Com o OS/360 surgiu um novo conceito de multiprogramação, sendo que o processo ainda era muito lento (TANEMBAUM, 2010). Com o objetivo de reduzir o tempo de processamento das informações e melhorar o conceito de multiprogramação, o M.I.T. desenvolveu o sistema CTSS (sistema de tempo compartilhado). Com o CTSS, cada usuário tinha um terminal online. Segundo Tanembaum (2010), os processos mais rápidos eram executados em primeiro plano e tinha a prioridade, enquanto os mais longos eram colocados em segundo plano. 4.2 Desenvolvimento do Unix e suas variantes – o problema das diversificações e a criação de um padrão POSIX Com base no CTSS, a MIT juntou-se a Bell Labs – laboratório pertencente à AT&T - e a General Eletrics para o desenvolvimento de um projeto de um computador que suportaria centenas de usuários simultaneamente, surgindo a partir daí o MULTICS (MULTiplexed Information and Computing Service – Serviço de Computação e Informação Multiplexado), muito embora fosse escrito em linguagem de alto nível, desenvolvida pela IBM, ainda era uma linguagem muito pesada e não funcionava muito bem. Em 1969, segundo Tanenbaum, (2010) Ken Thompson, pesquisador da Bell Labs, reescreveu o MULTICS utilizando a linguagem de montagem Assembly, o que resultou em um sistema funcional e foi chamado por Brian Kernighan, também pesquisador da Bell Labs, de UNIX (UNIplexed Information and Computing Service – Serviço de Computação e Informação Uniplex) e depois recebeu o nome de UNIX. A limitação do UNIX era a sua linguagem de programação, o Assembly, limitando a sua portabilidade para outras arquiteturas. Denis Ritchie, outro programador da Bell Labs, passou a aperfeiçoar a linguagem de programação B, originalmente escrita pelo Thompson, dando origem a linguagem de programação C, a partir de então, ambos passaram a reescrever o UNIX em C. A linguagem C também foi utilizada no desenvolvimento de outros sistemas operacionais (TANEMBAUM, 2010).
  15. 15. 15 Quadro 1: Desenvolvimento do UNIX Fonte: Elaboração do próprio autor Com o sucesso do trabalho dos dois programadores, muitas universidades mostraram interesse no sistema, solicitando assim, cópias do mesmo para uso. O Unix era fornecido com o código-fonte completo o que permitia que qualquer pessoa pudesse fazer vários tipos de experimentos com ele, dessa forma, pode-se dizer que a evolução do Unix se deu através do uso para estudo no meio acadêmico, o que deu origem as suas variantes. Uma das universidades a obter uma cópia do Unix foi a Universidade de Berkeley, como o código-fonte do Unix estava disponível, possibilitou o seu estudo, análise, correção de falhas, otimizado e até portado para outras arquiteturas, como de fato aconteceu. Berkeley conseguiu desenvolver uma versão para o pequeno computador VAX, incluiu um sistema de memória virtual paginada, aumentou de 14 para 255 a extensão dos nomes dos arquivos e implementou o protocolo de rede TCP/IP, protocolo utilizado atualmente na internet, além da inclusão de programas utilitários. Em virtude de todas essas melhorias, o UNIX de Berkeley passou a ser o mais procurado por vendedores de computadores da época, estabelecendo-se também nas áreas acadêmicas, de pesquisa e de defesa (TANEMBAUM, 2010). Além da versão UNIX da Universidade de Berkeley, outras surgiram, como AIX da IBM, XENIX da Microsoft, HP-UX da Hewlett Packard, entre outros. Em paralelo ao desenvolvimento dessas variações do UNIX, a AT&T continuava com o desenvolvimento do UNIX original, o que acabou com um certo tempo, gerando vários sistemas UNIX incompatíveis entre si, e com isso, vários problemas passaram a surgir, pois programas desenvolvidos para um não eram compatíveis com os outros e vice-versa. Para acabar com essas variações do Unix e estabelecer um padrão a fim de manter a compatibilidade entre os sistemas, foi criado o padrão POSIX (Portable Operational System-IX), e mais tarde se tornou um padrão internacional (International Standard) (TANEMBAUM, 2010).
  16. 16. 16 Quadro 2: Variações do Unix Fonte: Elaboração do próprio autor 4.3 O Surgimento do MINIX Em 1983, percebendo a grande aceitação do UNIX, não somente no meio acadêmico, mas também em ambientes corporativos, a AT&T decide comercializar o UNIX System IV a um alto custo, e com isso, a partir da versão 7, a licença do UNIX passou a proibir que o seu código fonte fosse estudado em cursos e universidades. Um renomado professor de Ciências da Computação chamado Andrew S. Tanenbaum percebeu o problema e passou a desenvolver um sistema operacional pequeno escrito em C, e em 1987 surgiu a primeira versão de um pequeno sistema operacional que passou a chamar de MINIX (mini-UNIX). Muito embora o MINIX fosse totalmente compatível com o UNIX e também estar dentro do padrão POSIX, o MINIX com suas 11.800 linhas de código em C e 800 linhas em código Assembly, não tem nenhuma linha de código do UNIX (TANEMBAUM, 2010) Conforme Tanembaum (2010), o MINIX ficou muito conhecido no meio acadêmico e sua aceitação foi instantânea, pois muito embora fosse compatível o UNIX original, não tinha nenhuma linha de código deste, podendo ser distribuído sem se ter problemas com a AT&T, além disso, tinha o seu código-fonte legível e poderia ser estudado a fundo. O desenvolvimento do MINIX estava bastante ativo a ponto de em 2004, a atenção ser focada na segurança e integridade do sistema, assim, o MINIX passou a ser tornar autoreparador, reparava as suas falhas automaticamente, ainda que ocorressem vários erros de software, o MINIX continuava funcionando corretamente. Com o crescimento do sucesso do MINIX, muitas pessoas passaram a sentir necessidade de mais implementações no sistema, solicitando ao seu criador que fossem introduzidos mais recursos e aplicações. No entanto, na visão de
  17. 17. Tanenbaum, o MINIX foi criado para uso educacional e 17 adicionar tais implementações aumentaria o tamanho do sistema, além de sua complexidade, dessa forma, tais implementações não foram adicionadas (TANEMBAUM, 2010). 4.5 Surge o Linux Segundo Tanenbaum, (2010) a solicitação de maior robustez no MINIX (mais compatibilidade e programas) e a negação constantes de seu desenvolvedor, visto o sistema ser para uso educacional e não comercial, levaram ao descontentamento de muitos usuários, e Linus Torvalds, foi um desses usuários que não se contentavam com a falta de recursos do MINIX. Linus Benedict Torvalds foi um estudante de Ciências da Computação da Universidade de Helsinki, na Finlândia, nasceu em Helsínquia capital da República da Finlândia no dia 28 de dezembro de 1969; por hobby, passou a dominar a linguagem de programação C e estudar e compreender a fundo o código-fonte do MINIX com a intenção de desenvolver um sistema mais poderoso que o próprio MINIX. Em 1991 Linus, através de uma mensagem na USENET, avisa ao mundo o nascimento do Linux e coloca à disposição de todos os que tem interesse em programação a estudar e melhorar o código-fonte do seu recém-criado sistema operacional na versão 0.02. “Você sente falta dos dias do Minix/1.1 quando homens eram homens e escreviam seus próprios drivers? Você está sem nenhum projeto legal e está ansioso para mexer num sistema operacional que você possa modificar para atender às suas necessidades? Você está achando chato quando tudo funciona no Minix? Não ficar mais a noite inteira um programa legal? Então esta mensagem pode ser para você. Como eu disse há um mês (?) atrás, eu estou trabalhando numa versão grátis dum similar para o Minix, para computadores AT-386. Ela finalmente atingiu o estágio onde já é usável (apesar de talvez não ser, dependendo do que você quer), e eu estou a fim de colocar (online) o código fonte para uma distribuição melhor. É apenas a versão 0.02 (com mais um patch) mas eu já rodei bash/gcc/gnu-make/gnu-sed/compress dentro dela. Códigos fontes para este hobby meu podem ser encontradas em nic.funet.fi (128.214.6.100) no diretório /pub/OS/Linux. O diretório também contem alguns arquivos README e um conjunto de arquivos para permitir trabalho no Linux (bash, update e GCC, o que mais você queria? O código-fonte do kernel está disponível por inteiro, porque nenhum do código do Minix foi usado. Os códigos-fontes das bibliotecas são apenas parcialmente abertos, portanto não podem ser distribuídos. O sistema pode compilar “como está” e é provado que funciona. (hehehe). Código-fonte dos programas (bash e gcc) podem ser encontrados no mesmo FTP em /pub/gnu...(MARTINELLI, 2006)”.
  18. 18. 18 Segundo Morimoto, (2006) em 1983, Richard Stallman criava a Free Software Foudation, que mais tarde criou a licença GNU e toda a filosofia em volta dos softwares Livres, além disso, a Free Software Foudation criou um conjunto de ferramentas como o editor Emacs de texto repleto de recursos e ferramentas úteis para programadores e o compilador GCC que permite transformar o código escrito nele em executáveis. Com isso, Stallman pretendia criar um sistema operacional completo, mas faltava uma peça fundamental, o kernel, que é na verdade o coração e o cérebro do sistema operacional. Como estava muito longe da Free Software Foundation desenvolver esse kernel, o Linux veio como essa peça que faltava, visto que o kernel Linux sozinho não serve pra nada, mas juntos formavam um conjunto perfeito, um sistema operacional completo. 4.6 O que é o Linux? O Linux é um sistema operacional livre, e é uma reimplementação das especificações POSIX (Portable Operating System Interface - padrão usado pelas estações UNIX), ou seja, segue as indicações do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers) para sistema abertos e portabilidade para sistemas com extensões System V e BSD. Isso significa que o Linux é bem parecido com o UNIX original, mas deriva do UNIX e foi escrito de forma diferente. 4.7 O nome Linux Segundo Paul (2011), Linus Torvalds no início, pensou em batizar o seu projeto com o nome de Freax, uma mistura de free (livre) com freak (esquisito) e para fazer referência ao UNIX adicionou ao final da palavra a x. No entanto, o programador Ari Lemmke, funcionário da Universidade de Tecnologia de Helsinki (HUT), não gostava do nome que Linus adotou, quando sugeriu a Linus disponibilizar o projeto na rede para torná-lo mais acessível, criou uma pasta FTP com o nome “Linux” (mistura de Linus com UNIX), a partir de então o sistema operacional ficou mundialmente conhecido por Linux. 4.8 As Distribuições Linux Segundo Morimoto (2006), as primeiras distribuições Linux começaram a surgir a partir de 1994. Mas que são distribuições Linux? As distribuições Linux são na
  19. 19. 19 verdade o kernel Linux acompanhando de um conjunto de programas e scripts de configuração que facilitam a instalação do sistema operacional Linux. Algumas das distribuições que surgiram nesse período foram a Slackware, a Debian e Red Hat. Em 1997 já existiam muitas distribuições Linux fáceis de usar e com um conjunto completo de softwares, sendo esses para diversas atividades, desde processador de texto e planilhas eletrônicas a editores de vídeo. O crescimento do Linux nos anos seguintes foi espantoso, deixando de lado o paradigma de ser um sistema feio, difícil de usar e que era reconhecido apenas por ser estável. Com o surgimento do KDE e do Gnome, duas interfaces de área de trabalho belíssimas e funcional com ferramentas de configuração automática e vários aplicativos, incluindo a compatibilidade com outros programas de outras plataformas, além de jogos, acabou ganhando ainda mais usuários (MORIMOTO, 2006). Figura 2: Linux Kurumin - Interface gráfica KDE Fonte: Carlos E. Morimoto, 2006
  20. 20. 20 4.9 O Ubuntu Linux Segundo declaração no site do sistema operacional Ubuntu (www.ubuntu.com), o projeto é descrito com as seguintes palavras: “Nosso trabalho é conduzido por uma crença de que software deve ser livre e acessível a todos. Acreditamos que cada usuário do computador: 1. Devem ter a liberdade para fazer o download, executar, copiar, distribuir, estudar, compartilhar, alterar e melhorar seu software para qualquer propósito, sem pagar taxas de licenciamento; 2. Deve ser capaz de usar seu software na língua de sua escolha; 3. Deve ser capaz de usar todo o software, independentemente da deficiência; 4. Nossa filosofia é refletida no software que produzimos, na nossa forma de distribuí-lo e em nosso termo de licenciamento (CANONICAL, 2013).” O Ubuntu Linux surgiu em 2004, sendo sua primeira versão a Warty Warthog, é um sistema operacional desenvolvido em comunidade, ou seja, seu desenvolvimento recebe participação de várias pessoas em volta do globo, no entanto, a Canonical Ltd, é a empresa que detém o sistema através de seu fundador Mark Shuttleworth. A Canonical tem a sua sede na Ilha de Man, na África do Sul (CANONICAL, 2013). Figura 3: Área de trabalho do Ubuntu 13.04 Fonte: Elaboração do próprio autor Segundo Carmo do Val, (2012) a aplicação da filosofia do Ubuntu se funde com outra filosofia: a filosofia por trás do código-fonte aberto (Open Source), iniciado por
  21. 21. 21 Richard Stallman na década de 80 e continua com a ideia de compartilhamento e crescimento. Parte deste caminho iniciado no início dos anos 90 com Linus Torvalds ao criar o Linux. Pode-se adquirir uma cópia gratuita do Ubuntu Linux através de download da versão mais recente em seu site na web no seguinte endereço: www.ubuntu.com. A Canonical Ltd, lança uma versão do Ubuntu Linux a cada seis meses, sendo o número de cada versão seguido do ano e mês de lançamento, os quais geralmente ocorrem nos meses de abril e de outubro de cada ano (CARMO DO VAL, 2012). As versões do Ubuntu Linux são divididas em dois tipos, a LTS – Long Term Suporte (suporte de longo prazo) as quais são lançadas a cada dois anos e tem seu suporte estendido por 36 meses para desktops e 60 meses para servidores, e as versões não-LTS, lançadas a cada 6 meses com suporte de 18 meses, sendo que a partir da versão 13.04, o suporte em versões não-LTS foi alterado de 18 meses para 9 meses apenas (CARMO DO VAL, 2012). Figura 4: Gráfico mostrando o tempo de suporte as versões do Ubuntu Fonte: Ubuntu – Guia do Iniciante 2.0 Aos entusiastas e fanáticos pelas novas versões dos programas liberados pelos seus respectivos desenvolvedores, fica as versões semestrais com suporte de apenas 9 meses, mas para empresas e pessoas que preferem segurança e estabilidade, o mais recomendável são as versões LTS com suporte de 60 meses. No Quadro 3, temos a relação de versões lançadas desde 2004, sendo a atual
  22. 22. 22 13.04 e a 13.10 com previsão de lançamento em outubro de 2013. VERSÃO DATA DE LANÇAMENTO 4.10 5.04 5.10 6.06 LTS19 6.10 7.04 7.10 8.04 LTS 8.10 9.04 9.10 10.04 LTS 10.10 11.04 11.10 12.04 LTS 12.10 13.04 13.10 20 de outubro de 2004 8 de abril de 2005 13 de outubro de 2005 1 de junho de 2006 26 de outubro de 2006 19 de abril de 2007 18 de outubro de 2007 24 de abril de 2008 30 de outubro de 2008 23 de abril de 2009 29 de outubro de 2009 29 de abril de 2010 10 de outubro de 2010 28 de abril de 2011 13 de outubro de 2011 26 de abril de 2012 18 de outubro de 2012 25 de abril de 2013 25 de outubro de 2013 SUPORTADO ATÉ PCS SERVIDORES Warty Warthog 30 de abril de 2006 Hoary Hedgehog 31 de outubro de 2006 Breezy Badger 13 de abril de 2007 Dapper Drake 14 de julho de 2009 1 de junho de 2011 Edgy Eft 25 de abril de 2008 Feisty Fawn 19 de outubro de 2008 Gutsy Gibbon 18 de abril de 2009 Hardy Heron 12 de maio de 2011 9 de maio de 2013 Intrepid Ibex 30 de abril de 2010 Jaunty Jackalope 23 de outubro de 2010 Karmic Koala 30 de abril de 2011 9 de maio de 2013 abril de 2015 Lucid Lynx 10 de abril de 2012 Maverick Meerkat 28 de outubro de 2012 Natty Narwhal 9 de maio de 2013 Oneiric Ocelot Precise Pangolin abril de 2017 abril de 2014 Quantal Quetzal janeiro de 2014 Raring Ringtail julho de 2014 Saucy Salamander CODINOME Quadro 3: Lançamentos do Ubuntu e seus codinomes Fonte: Elaboração do próprio autor Por causa das facilidades incorporadas tanto no processo de instalação quanto na administração do sistema, além da estabilidade, o Ubuntu Linux foi a distribuição escolhida para o nosso estudo de caso, o qual será a implantação de uma rede de computadores em uma imobiliária, além da utilização de outros softwares livre para administração diária dessa imobiliária.
  23. 23. 23 5 JUSTIFICATIVAS “Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível aos outros, assegurada pelos outros, não se sente intimidada que os outros sejam capazes e bons, para ele ou ela ter própria autoconfiança que vem do conhecimento que ele ou ela tem seu lugar no grande todo.” (Arcebispo Desmond Tutu) A opção de escolha de softwares livres para utilização em um escritório imobiliário visa em primeiro lugar, como forma de economia nos custos de uma empresa, uma vez que não haverá gastos com aquisições de licenças para utilização de determinado software. Em segundo lugar, com software livre a empresa terá controle e certeza de que todos os seus arquivos, gerados com ferramentas livres serão de propriedade da empresa, não ficando refém de aplicativos que no futuro não sejam mais atualizados e fiquem sem suporte. Um outro ponto que favorece a escolha do software livre é a rapidez que o mesmo é atualizado quando falhas são descobertas. Por ser produzido de forma colaborativa mundialmente, rapidamente problemas com segurança, travamentos e lentidão são solucionados e distribuídos ao público de forma rápida.
  24. 24. 24 6 OBJETIVOS “A filosofia do Linux é ‘Ria na face do perigo’. Ôpa. Errado. ‘Faça você mesmo’. É, é essa.” Linus Torvalds 6.1 Objetivo Geral Melhorar a rede de computadores da empresa: aspecto físico, tráfego de rede, segurança e confiabilidade das informações administradas pela empresa e redução de custo com licenças. 6.2 Objetivos Específicos São objetivos específicos da pesquisa: ➢ Não ter custos com aquisição de licenças de programas proprietários; ➢ Segurança e desempenho de uma rede Linux; ➢ Redução na aquisição de equipamento mais robustos para uso dos sistemas operacionais atuais; ➢ Melhorar a comunicação, facilidade na busca de informações através de pesquisas na internet, transações financeiras, bem como divulgação dos imóveis captados no site da empresa, possibilidade de novos serviços.
  25. 25. 25 7 CONHECENDO A D'CASANOVA CONSULTORIA IMOBILIÁRIA 7.1 Área de serviço Consultoria imobiliária em geral – Aluguel, compra, venda, permuta, avaliação e abertura de financiamento imobiliário junto a agentes financeiros (Caixa Econômica Federal, Banco Bradesco S.A., etc.) 7.2 Fornecedores e Parceiros ➢ Caixa Econômica Federal; ➢ Banco Bradesco S.A.; ➢ CRECI-BA - Conselho Regional dos Corretores de Imóveis; ➢ COFECI - Conselho Federal dos Corretores de Imóveis; ➢ SINDIMÓVEIS - Sindicato dos Corretores de Imóveis ➢ Locaweb Serviços de Internet S/A; ➢ Global Village Telecom LTDA - GVT; ➢ Jornal À Tarde; ➢ Jornal Correio da Bahia; ➢ TIM - Prestadora de telefonia celular - fornece via contrato pacotes de voz e dados, além de uma quantia de aparelhos celulares com desconto. ➢ Barcelo's Contabilidade - Serviços contábeis e legal. 7.3 Quais serviços e produtos o cliente utiliza ➢ Provedor de acesso à internet - NET; ➢ Serviço de hospedagem web - Locaweb; ➢ Servidor de e-mail - hospedado pela Locaweb; ➢ Sistema operacional Windows XP Professional em todas as máquinas; ➢ Pacote de Escritório - Outlook, Word, Excel, Power Point; ➢ Sistema IMOV para controle imobiliário; ➢ Programa Dreanweaver para criação e edição das páginas do site da empresa, utilizado para divulgação dos imóveis e dos serviços da empresa; ➢ Programa Filezilla - Programa FTP para atualização do site da empresa;
  26. 26. 26 ➢ Nero Burnig Rom - Para cópia e backup dos arquivos da empresa em DVD's e CD's; ➢ PhotoFiltre - Programa para edição e tratamento das imagens dos imóveis para divulgação no site da empresa; ➢ Pesquisas aos órgão financeiros (Bancos em geral) e de créditos (SPC / Serasa); ➢ Skype - Comunicação via VOIP e mensagens de texto para reuniões ou conferências com os fornecedores, clientes, colaboradores ou parceiros. 7.4 Conhecendo os departamentos da empresa A D'CasaNova Consultoria Imobiliária é uma empresa nova no mercado imobiliário, com apenas quatro anos de atuação, não dispondo ainda de nenhuma filial. Ainda assim, a empresa está dividida nos seguintes departamentos: 7.4.1. Setor de Consultoria - área voltada para os atendimentos aos clientes - via telefone e presencial; 7.4.2. Captação de imóveis e serviços - busca por imóveis e serviços - externo e interno (pesquisa em jornal, na internet ou via telefone ou Skype com outras imobiliárias parceiras); 7.4.3. Análise e Pesquisa de Crédito – Responsável pelas pesquisas de crédito, abertura e acompanhamento dos financiamentos imobiliários junto aos agentes financeiros para os clientes interessados na aquisição dos imóveis e registro de imóveis junto aos órgão competentes; 7.4.4. Web design e Documentação - Responsável pela criação, edição e divulgação das páginas do site da empresa, contendo informativos ou anúncios de imóveis, além da geração dos contratos diversos; 7.4.5. Setor financeiro - Responsável pelos pagamentos e recebimentos diversos; 7.4.6. Gerência - Responsável pela coordenação, supervisão, controle e recrutamento e seleção. Os serviços da área Contábil e RH e Despachantes são terceirizados. 7.5 Rede anteriormente existente na D'CasaNova Consultoria Imobiliária Na D'CasaNova Consultoria Imobiliária já existe uma rede de computadores
  27. 27. 27 dentro dos padrões de cabeamento estruturado, sendo que a nossa proposta é apenas a substituição da parte lógica da rede, ou seja, a sugestão de programas proprietários por soluções livres que desempenham o mesmo papel. 7.6 Equipamentos existentes na Imobiliária Foi observado e relacionado os equipamentos constantes na imobiliária D'CasaNova, conforme segue: QTD CONFIGURAÇÃO MARCA FREQUÊNCIA MEMÓRIA PLACA DE REDE ESTADO DE CONSERVAÇÃO COMPUTADOR 3 PENTIUN 4 2.3Ghz 2Gb SIM BOM COMPUTADOR 2 PENTIUN 4 2.5Ghz 2Gb SIM BOM EQUIPAMENTO Quadro 4: Computadores disponíveis na D'CasaNova Imobiliária Fonte: Elaboração do próprio autor. QTD CONFIGURAÇÃO MARCA ESTADO DE CONSERVAÇÃO IMPRESSORA 1 JATO DE TINTA BOM IMPRESSORA 1 LASER BOM FAX 1 SAMSUNG BOM ROTEADOR 1 DLINK BOM SWITCH 1 DLINK 16 PORTAS BOM EQUIPAMENTO Quadro 5: Outros equipamentos disponíveis na D'CasaNova Imobiliária Fonte: Elaboração do próprio autor. QTD CONFIGURAÇÃO MARCA ESTADO DE CONSERVAÇÃO IMPRESSORA 1 JATO DE TINTA BOM IMPRESSORA 1 LASER BOM FAX 1 SAMSUNG BOM ROTEADOR 1 DLINK BOM SWITCH 1 DLINK 16 PORTAS BOM RACK DE PISO PATCH PANEL 1 1 BOM BOM NOBREAK 1 ROTEADOR WIRELESS 1 SERVIDOR 1 10U X 600MM PRETO 16 SAÍDAS LAN E POE NHS COMPACT PLUS III 1200 VA BIVOLT DLINK XEON DUAL CORE 2Ghz E 4Gb de RAM E HD's EM RAID EQUIPAMENTO Quadro 6: Equipamentos sugeridos Fonte: Elaboração do próprio autor. BOM BOM BOM
  28. 28. 28 8 PROGRAMAS LIVRES SUGERIDOS PARA INSTALAÇÃO NA D'CASANOVA CONSULTORIA IMOBILIÁRIA 8.1 Sistema Operacional A versão escolhida para instalação do servidor foi o Ubuntu Server 12.04, isso porque se trata de uma versão que terá suporte por um período maior de tempo, ou seja 5 anos, fazendo dessa versão uma das mais estáveis e seguras Além do servidor, para as demais estações foi escolhido o Ubuntu 12.04 versão desktop. A curto prazo teremos um total de seis instalações do Ubuntu Linux, sendo 5 estações de trabalho e um servidor, podendo a longo prazo, ser inseridos mais estações de trabalho de acordo com a necessidade da empresa. Por se tratar de software livre, quem se interessar poderá adquirir uma cópia do Ubuntu através do endereço web: http://www.ubuntu.com/download/server. 8.1.1 Requisitos para instalação dos Sistemas Operacionais O sistema operacional Linux em geral funciona bem com mínimas configurações, a depender do ambiente gráfico utilizado. No caso do Ubuntu, a configuração mínima para instalação e uso eficiente do sistema é: • Processador: 1,6Ghz ou superior; • Memória RAM: 1GB ou mais (2GB para 64Bits); • Espaço em disco rígido (HD): 15GB. 8.2 Pacote de escritório Como opção de pacote de escritório temos a suíte LibreOffice que se encontra atualmente na versão 4.1.2.3. Segundo Parker e Weber, (2011) o LibreOffice é um pacote de produtividade de escritórios totalmente funcional e disponível gratuitamente. Seu formato de arquivo nativo é o OpenDocument, um padrão de formato aberto que está sendo adotado, por governos do mundo inteiro, como um formato necessário para a publicação e aceitação de documentos. O LibreOffice também pode abrir e salvar documentos em muitos outros formatos, incluindo aqueles utilizados por várias versões do Microsoft Office. O LibreOffice inclui os seguintes componentes:
  29. 29. 29 8.2.1 Processador de texto - Writer O Writer é um poderoso processado de texto, o qual poderá ser utilizado para produção de livros, relatórios, cartas, monografias e qualquer outro arquivo de texto, inclusive esse trabalho de conclusão de curso foi produzido utilizando-se essa ferramenta. Assim como o Word da Microsoft, nos arquivos gerados pelo Writer pode-se inserir desenhos, gráficos, tabelas entre outros. Com o Writer, pode-se exportar os arquivos gerados nos formatos HTML, XHTML, XML, Portable Document Format (PDF) da Adobe, além de exportar para as várias versões do Word da Microsoft. Há também a funcionalidade de conexão com o programa de e-mail para envio de arquivos. 8.2.2 Planilha de Cálculos - Calc O Calc é a ferramenta do LibreOffice utilizado para criação e gestão de planilhas de cálculos. Possui todas as funcionalidades avançadas de análise de gráficos e para tomada de decisões que são esperadas de uma avançada ferramenta de planilha eletrônica, além de gerar gráficos 2-D e 3-D, que podem ser integrados dentro de outros documentos do LibreOffice. Devido a compatibilidade, pode-se também abrir e trabalhar com planilhas do Microsoft Excel e salvá-las no formato do Excel. Assim como o Writer, o Calc pode exportar planilhas para os formatos PDF da Adobe e HTML. 8.2.3 Apresentações - Impress Assim como PowerPoint da Microsoft, o Impress tem todos os recursos necessários para criação de excelentes apresentações, além de também ser capaz de visualizar e editar os arquivos gerados pelo PowerPoint. 8.2.4 Gráficos vetoriais - Draw O Draw é uma ferramenta de desenho vetorial capaz de criar desde simples diagramas e fluxogramas até artes em 3-D. Devido a integração com as demais ferramentas que compõem o LibreOffice, todas as criações geradas pelo Draw pode ser utilizada nos arquivos gerados por essas outras ferramentas. O Draw tem a capacidade de importar gráficos de muitos dos formatos mais comuns e salvá-los em mais de 20 formatos, incluindo PNG, HTML, PDF e Flash.
  30. 30. 30 8.2.5 Bancos de Dados - Base O LibreOffice possui para criação e gestão de bancos de dados o Base, que muito embora não seja tão poderoso quanto o Access da Microsoft, possui muitas funcionalidades interessante como criar e editar formulários, relatórios, requisições, tabelas, visualizações e relacionamentos, portanto, administrar seu banco de dados é bem semelhante a outras aplicações de bancos de dados conhecidas. O Base oferece muitas funcionalidades novas, tais como a capacidade de analisar e editar relacionamentos a partir de um diagrama. O Base incorpora o HSQLDB como seu motor padrão de bancos de dados relacionais. Também pode ser utilizado o dBASE, o Microsoft Access, o MySQL, ou o Oracle, ou qualquer outro banco de dados compatíveis com ODBC ou JDBC. O Base também oferece suporte ao subconjunto SQL ANSI-92 8.2.6 Editor de Fórmulas Matemáticas - Math Para criação de fórmulas e equações matemáticas simples ou complexas o LibreOffice conta com o Math. O uso do Math é interessante quando precisamos criar equações que incluem símbolos ou caracteres não disponíveis nos conjuntos de fontes padrão. 8.2.7 Vantagens do uso do LibreOffice Algumas das vantagens para escolha do LibreOffice como suíte de escritório e do seu conjunto de ferramentas detalhadas acima que podemos citar são: sem taxa de licenciamento, código-fonte aberto, multiplataforma, extenso suporte de idiomas, integração entre as ferramentas do próprio LibreOffice e compatibilidade com uma variedade de arquivos. 8.3 Editor de páginas web NVU O NVU (pronúncia niu-viu), é um programa para criação de páginas web HTML. O NVU possui código livre e é produzido pela Linspire. Trata-se de um programa multiplataforma, ou seja, está disponível para Linux, MacOS X e Windows. O objetivo dos seus criadores é desenvolver um equivalente ao Microsoft FrontPage e ao Dreamweaver, de livre uso e distribuição. 8.4 Programa FTP - Filezilla
  31. 31. 31 Visto se tratar se um programa multiplataforma, fácil de usar e eficiente, o Filezilla continua como opção para atualização das páginas web da imobiliária. 8.5 Gravador de CD's e DVD's - Brasero Para gravação de CD's e DVD's o Ubuntu conta com o Brasero, sendo esse um aplicativo simples para gravar, copia e apagar CD e DVD: áudio, vídeo ou dados. Possui entre outros recursos: • Gravação direta; • Suporte a multissessão; • Conversão dinâmica de listas de reprodução em todos formatos com suporte pelo GStreamer. 8.6 Editor e criador de imagens – GIMP – GNU Image Manipulation Program O GIMP é programa para criação e edição de figuras avançado, melhorar e retocar fotos além de criação de desenhos. O GIMP possui uma grande coleção de ferramentas de edição e filtros com qualidade profissional similares às encontradas no Photoshop. Vários ajustes finos e funcionalidades como camadas caminhos, máscaras e scripts que dão total controle sobre a edição das imagens. 8.7 Navegador web – Firefox Para navegação na internet a sugestão é o Firefox, excelente navegador web que já vem integrado ao Sistema Operacional Ubuntu. O Firefox permite navegação web de forma fácil e com muita segurança, com interface já muito familiar, visto que por ser multiplataforma, mantém a mesma interface da versão Windows. Funcionalidades de segurança, incluindo proteção contra roubo de identidade e procura integrada para poder desfrutar ao máximo a internet sem demasiadas preocupações. Outra opção para navegação web é o Google Chrome, o navegador criado pelo Google, que vem ganhando muita popularidade. 8.8 Correio eletrônico – Thunderbird O Thunderbird é um poderoso cliente de e-mail e RSS. Rápido e fácil de configurar e usar. Possui suporte a diferentes tipos de conta de e-mail com POP e IMAP. O Thunderbird não possui todos os recursos do Outlook da Microsoft,
  32. 32. 32 incluindo agenda, no entanto, é uma opção interessante por ser livre e multiplataforma. Para quem deseja uma opção mais próxima em recursos do Outlook, poderá optar pelo Evolution que também é gratuito e muito fácil de instalar e configurar. 8.9 Demais aplicações sugeridas 1. Skype - Comunicação via VOIP e mensagens de texto para reuniões ou conferências com os fornecedores, clientes, colaboradores ou parceiros. 2. IMOV-PLAN - Controle Imobiliário - Base de dados desenvolvida no LibreOffice para cadastro e controle de imóveis em geral.
  33. 33. 33 9 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS DA PESQUISA “Nossa maior fraqueza está em desistir. O caminho mais certo de vencer é tentar mais uma vez.” Thomas Edison 9.1 Classificação da Pesquisa, Métodos e Técnicas de Abordagem Foi tomado com método de pesquisa o estudo de caso de uma imobiliária, a saber, a D'CasaNova Consultoria Imobiliária, sendo essa uma empresa voltada ao ramo imobiliário, localizada na cidade de Lauro de Freitas, Bahia. Concomitantemente, usamos o método histórico para rever o surgimento e desenvolvimento do sistema operacional Linux, sendo esse um dos principais sistemas sugeridos para uso na D'CasaNova Imobiliária. Por fim, usamos o método da correlação como base para correlacionar todos os aplicativos usados antes pela D'CasaNova Imobiliária e os equivalentes em software livre.
  34. 34. 10 CRONOGRAMAS "É impossível haver progresso sem mudança, e quem não consegue mudar a si mesmo não muda coisa alguma.” George Bernard Shaw 10.1 Cronograma do Projeto de Pesquisa Tabela 1: Cronograma do Projeto de Pesquisa Monográfica CRONOGRAMA DO PROJETO DE PESQUISA – PIM I Período 2013 FASE Jan Fev Mar Abr Mês 1 1 ª 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª 4 ª Mês 2 Mês 3 3 ª 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª 4 ª 1 ª X X X X X X X X X X X X X 2. Descrição da historicidade da propositura X X X X X 2.1 Descrição da relevância do tema X X X X X 3. Descrição da metodologia da pesquisa X X X X X 3.1 Definição do tipo de pesquisa X X X X X 3.2 Definição do tipo de instrumento X X X X X 3.3 Definição do tipo de coleta de dados* X X X X X 3.4 Def. do tipo de tratamento dos dados* X X X X X 3.5 Def. dos instrumentos de pesquisa* X X X X X 3.6 Def. dos procedimentos operacionais* X X X X X 3.7 Definição do itinerário metodológico X X X X X 4, Descrição dos objetivos do projeto X X X X X 5. Proposta de revisão de literatura X X X X X 5.1 Hipótese(s) X X X X X 5.2 Objeto(s) de estudo(s) X X 6. Digitação do Projeto de Pesquisa X X 7. Revisão do Projeto de Pesquisa X X 8. Entrega do Projeto de Pesquisa X X Aplicáveis somente quando a investigação do for de natureza teórico empírica. Jul Mês 4 2 ª * 3 ª Jun 1 ª 1. Reflexão sobre o Projeto de Pesquisa 2 ª Mai 2 ª 3 ª Ago Mês 5 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª Set Mês 6 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª Out Mês 7 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª Nov Mês 8 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª Mês 9 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª Obs. Dez Mês 10 4 ª 1 ª 2 ª 3 ª 4 ª
  35. 35. 10.2 Cronograma da Monografia Tabela 2: Cronograma da Elaboração da Monografia CRONOGRAMA DE TODO O TRABALHO DE PESQUISA Período 2012 FASE PIM I Jan Fev 2 ª 1. Leituras e Reflexões Sobre o Tema 2. Entrega do Projeto de Pesquisa 1 ª Mar 2 ª 1 ª PIM II Abr 2 ª X Mai Jun 1 ª X 2 ª X 1 ª X 2 ª X 1 ª X X X X X X X Ag o Jul Set PIM III Out 3. Coleta dos acervos 3.1 Bibliográfico 3.2 Documental 3.3 Eletrônico 3.4 Seleção dos acervos 4. Revisão Bibliográfica 2 ª X 1 ª X 2 ª X 1 ª X 2 ª X 1 ª X 2 ª X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X 1 ª 2 ª X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X 1 ª 2 ª 1 ª 2 ª 1 ª 2 ª 1 ª X Jun Ag o Jul Set 2 ª 1 ª 2 ª 1 ª 2 ª 1 ª 2 ª X X X X Out X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X 8. Ajustes e Correções ao Texto da Introdução X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X 15. Elaboração da Conclusão X X X X X X 16. Ajustes e Correção do Texto da Conclusão X X X X X X X X X X X 2 ª X 11. Elaboração dos Instr. da Coleta de Dados* 1 ª X 10. Ajustes da Fundamentação Teórica 2 ª X 9. Elaboração da Fundamentação Teórica 1 ª X X 2 ª X 6. Elaboração de Resumos (Fichamentos) 1 ª X X 2 ª Dez X X 5. Ajustes ao Projeto de Pesquisa 1 ª Nov X X 2 ª Mai X X 1 ª Abr X X 2 ª Mar X X 1 ª Fev X X 4.2 Leitura analítica 2 ª Jan X X Dez X X Nov X X 4.1 Leitura seletiva 1 ª PIM IV X X Obs. 2013 4.3 Leitura interpretativa 7. Elaboração do Texto Preliminar da Introdução 12. Aplicação dos Instr. da Coleta de Dados* 13 Tabulação dos Instr. da Coleta de Dados* 14 Análise e Interpretação dos Resultados X X X X X 17. Elaboração dos Elementos Pré-Textuais X X X X X X 18. Elaboração dos Elementos Pós-Textuais X X X X X X X X X X X X X X X 21. Reprodução de Cópias X X 22. Encadernação X X 19. Revisão do Vernáculo 20. Elaboração da Ficha Catalográfica X 23. Entrega da Monografia 24. Ensaios de Defesa da Monografia 25. Defesa da Monografia * Aplicáveis somente quando a investigação do for de natureza teórico empírica. X X X X X X X X X X X X X X Apre. Oral (50 min)
  36. 36. 36 11 ORÇAMENTO "A ordem é o prazer da razão. A desordem, a delícia da imaginação." André Malraux Com a elaboração desse projeto, foram levantados os custos com materiais e serviços realizados, conforme segue: Tabela 3: Orçamento e Fontes de Financiamento Componentes da Despesa Alimentação Borracha Caneta CD Encadernação em Capa Dura Encadernação em Espiral Fotocópias Lápis Livros Placa de vídeo para o computador Papel Participação em Encontros Participação em Seminários Pen-drive Transporte Kit (Placa-mãe+Processado+Memória) Totais: Quantidade 15 1 4 6 3 4 6 2 2 1 3 4 2 2 35 1 Valor Unitário 5 0,50 0,60 0,75 50,00 4,50 0,15 1,00 50,0 150,00 11,00 15,00 15,00 20,00 2,40 340,00 Valor Total 120,00 0,50 2,40 4,50 150,00 18,00 36,00 2,00 100,00 150,00 33,00 60,00 30,00 40,00 84,00 340,00 1.170,40
  37. 37. 37 12 CONSIDERAÇÕES FINAIS "A riqueza nos influencia como a água do mar: quanto mais bebemos, mais sede temos." A. Schopenhauer A ideia de que software livre não é confiável e que não presta está ficando pra trás, como já apresentado nesse documento, há várias ferramentas que desempenha seu papel tão bem quanto soluções proprietárias que custam muito dinheiro. Empresas grandes e famosas já provaram que o uso de software livre é algo seguro e rentável, visto que não irão ter custo com licenças para uso e que esses mesmos softwares poderão ser adaptados às suas necessidades, uma vez que elas têm total acesso ao código-fonte dessas aplicações. A verdade é que se exige um pouco mais de pesquisa em fóruns na internet e busca de tutoriais de configuração quando algo dá errado ou não funciona como queremos, diferente do suporte técnico via telefone que os softwares proprietários dispõem, no entanto, após a fase de adaptação o nível de conhecimento dos aplicativos e do seu funcionamento se torna gratificante, pois os usuários observaram que passam a ter controle sobre sua rede e demais recursos envolvidos.
  38. 38. 38 REFERÊNCIAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: Referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002. ______. NBR 6024: informação e documentação: Numeração progressiva das seções de um documento escrito: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. ______. NBR 6027: informação e documentação: Sumário: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. ______. NBR 10520: informação e documentação: Citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. ______. NBR 14724: informação e documentação: Trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2006. ______. NBR 15287: informação e documentação: Trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2006. TANENBAUM, Andrew. S. Sistemas Operacionais Modernos. São Paulo: Pearson, 2010. REZENDE, Sérgio Machado. 7o Fórum Internacional de Software Livre. Revista Linux Magazine. São Paulo: n. 20, p. 72-73, 2006. MORIMOTO, Carlos. Eduardo. Redes – Guia Prático. São Paulo: GDH Press, 2008. MORIMOTO, Carlos Eduardo. Linux – Entendendo o Sistema. São Paulo: GDH Press, 2006. CARMO DO VAL, Carlos Eduardo. Ubuntu – Guia do iniciante 2.0. Espírito Santo: Orgulho Geek, 2012. PARKER, H. et al. LibreOffice – Guia do iniciante. São Paulo, [s.n.], 2011. CANONICAL. Ubuntu – Nossa Filosofia. [S.l.: s.n.], 2013. Disponível em http://www.ubuntu.com/about/about-ubuntu/our-philosophy. Acesso em 14nov2013. MARTINELLI, Cláudio. O que é um sistema operacional. [S.l.: s.n.], 2006. Disponível em: <http://pt.wikibooks.org/wiki/Utilizador:Cl%C3%A1udio_Martinelli>. Acesso em: 07nov2013.
  39. 39. 39 PAUL, Ryan. Ars olha para trás em 20 anos de Linux. [S.l.: s.n.], 2011. Disponível em: <http://arstechnica.com/information-technology/2011/08/march-of-the-penguinars-looks-back-at-20-years-of-linux/>. Acesso em: 15nov2013.
  40. 40. 40 GLOSSÁRIO FORTRAN – O nome é um acrônimo da expressão “IBM Mathematical FORmula TRANslation System. Linguagem de programação desenvolvida a partir da década de 1950. Ainda hoje é utilizada é utilizada na Ciência da Computação e Análise numérica. GNU – Gnu Não é Unix – Projeto iniciado em 1984 por Richard Stallman com o intuito de que os utilizadores de programas pudessem gozar de mais liberdade, e não serem reféns de empresas que os vendem. GPL – Licença Pública Gera; Licença pública usada na maioria dos programas livres. Essa licença visa garantir a liberdade de compartilhar e modificar os softwares livres para assegurar que o software seja livre para todos os usuários. IEEE – Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (pronúncia I-3E) – Organização profissional sem fins lucrativos, fundada em 1963 nos Estados Unidos. Um dos seus papéis mais importantes e o estabelecimento de padrões para formatos de computadores e dispositivos. POSIX – Interface Portável entre Sistemas Operacionais. Família de normas definidas pelo IEEE que tem com garantia a portabilidade do código-fonte a partir de um sistema operacional dentro das normas POSIX para outro sistema POSIX. UNIX-LIKE - Sistemas operacionais derivados do Unix USENET – Espécie de antecessora da internet, baseada na troca de mensagens.
  41. 41. 41 MEMORIAL Memorial - MARCELO MEDEIROS SOARES O autor, MARCELO MEDEIROS SOARES, tem objetivos de Aperfeiçoamento da qualificação profissional, através de treinamentos cursos e especializações, no intuito de acompanhar as novas tendências do mercado. Reside na Rua Arlete Batista, nº 05 E, 1º andar, bairro de Nova Sussuarana, na cidade do Salvador no estado da Bahia e atende aos telefones (71) 3306-4386 / 9265-8740 mantendo contato eletrônico através do e-mail: marcelomsoares01@gmail.com, trabalhou entre os anos de 1999 e 2003 na empresa Bompreço S.A, onde obteve os primeiros contatos direto na área de informática através das vendas de computadores pessoais, em meados de 2003 recebeu e aceitou uma proposta comercial para trabalhar na ContDados Consultoria Contábil, na área de Assistente de Setor Pessoal, o que o levou a fazer um curso avançado do pacote de escritório Microsoft Office (Word, Excel, Outlook e Access) na atualmente extinta Byte Centro Educacional Microsoft, nos quais se aprofundou em Excel e Access. Em 2005 começou a fazer o curso Técnico em Transações Imobiliárias e em 2006 já formado na área de TTI recebeu a proposta comercial para trabalhar na DcasaNova Consultoria Imobiliária como Consultor Imobiliário, onde nessa mesma empresa, desenvolveu uma base de dados em Access para o controle e cadastro dos imóveis adquiridos por essa imobiliária. Em 2010 através da prestação de serviço de avaliação de imóveis para um engenheiro da Le Biscuit S.A., recebeu a proposta comercial para trabalhar na referida empresa exercendo a função de assistente de controle de custo de obras, nessa empresa, após tomar conhecimento das rotinas do setor de engenharia e planejamento, aperfeiçoou, automatizou e aumentou a segurança nas planilhas de controle utilizadas na empresa, facilitando o controle e o acesso às informações de forma prática e eficiente. Atualmente está cursando Gerenciamento de Redes de Computadores na IBES – Instituto Bahiano de Eduaução Superior, afim de aumentar o seu conhecimento na área de redes e poder exercer a profissão dentro dos próximos anos.

×