Realidade aumentada na publicidade e propaganda
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Realidade aumentada na publicidade e propaganda

on

  • 1,911 views

Artigo Científico Apresentado no IESP 26/10/2011

Artigo Científico Apresentado no IESP 26/10/2011

Statistics

Views

Total Views
1,911
Views on SlideShare
1,775
Embed Views
136

Actions

Likes
0
Downloads
31
Comments
0

4 Embeds 136

http://marcelljam.blogspot.com.br 65
http://marcelljam.blogspot.com 63
http://www.marcelljam.blogspot.com 4
http://marcelljam.blogspot.pt 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Realidade aumentada na publicidade e propaganda Realidade aumentada na publicidade e propaganda Document Transcript

    • Instituto de Educação Superior da Paraíba Publicidade e Propaganda Profº. Augusto Vaz Teoria e Metodologia da Pesquisa CientíficaRealidade Aumentada na Publicidade e Propaganda Autor Marcell Mendonça João Pessoa, 13 de Junho de 2011.
    • Resumo A intensa presença das tecnologias trouxeram grandes modificações no cotidianodas pessoas, principalmente com o advento do computador, da internet e dosdispositivos móveis. Tudo se tornou mais acessível, comunicar-se, ler, estudar e atémesmo adquirir algum produto ou obter um serviço. Com isto, as pessoas têm buscadosatisfazer suas vontades e desejos, que são cada vez mais exigentes. A publicidade epropaganda têm utilizado as tecnologias para conquistar o público consumidor e assim,satisfazerem essas vontades e desejos. Um dos exemplos é o uso da tecnologiaRealidade Aumentada (RA). Para investigar sobre esta tecnologia RA e sua aplicação napublicidade e propaganda foram utilizados como embasamento bibliográfico, osseguintes autores: Tori Romero; Cláudio Kirner e Robson Siscoutto (2006), Rosa MariaCosta e Marcos Wagner Ribeiro (2009), Henry Jenkins (2009), Pierre Lèvy (200 e2001), Cláudio Torres (2009), Nellie Rego Santee e Suely Henrique de Aquino Gomes(2010), SBEIC – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação –(2010), Alberto Rabaça e Gustavo Barbosa (2001), Aurélio Buarque de HolandaFerreira (2004). Wikipédia (2011), IAB Brasil - Interactiv Advertising Bureau – (2011)e Rafael Biriba (2011). Mais do que uma maneira de atender os anseios ou fixar umamarca ou produto na mente dos consumidores através das tecnologias, as ações depublicidade e propaganda, envolvem entretenimento e informação. Nesse contexto, aRealidade Aumentada surge como um recurso gráfico capaz de unir interatividade,entretenimento e informação para conquistar o público. Palavras chaves: Tecnologia; Publicidade e Propaganda; Realidade Aumentada.
    • Abstract The massive presence of technology brought about great changes in daily life,especially with the advent of computers, the Internet and mobile devices. Everythinghas become more accessible, to communicate, read, study and even purchase anyproducts or obtain a service. With this, people have sought to satisfy their wants anddesires, which are increasingly demanding. Advertising and promotion have usedtechnology to conquer the consuming public and thus satisfy those wants and desires.One example is the use of technology Augmented Reality (AR). To inquire about thistechnology and its application in RA publicity and advertising were used as foundationliterature, the following authors: Tori Romero; Cláudio Kirner e Robson Siscoutto(2006), Rosa Maria Costa e Marcos Wagner Ribeiro (2009), Henry Jenkins (2009),Pierre Lèvy (200 e 2001), Cláudio Torres (2009), Nellie Rego Santee e Suely Henriquede Aquino Gomes (2010), SBEIC – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinaresda Comunicação – (2010), Alberto Rabaça e Gustavo Barbosa (2001), Aurélio Buarquede Holanda Ferreira (2004). Wikipédia (2011), IAB Brasil - Interactiv AdvertisingBureau – (2011) e Rafael Biriba (2011). More than one way to meet the desires or fix abrand or product in the minds of consumers through technology, the actions ofadvertising, entertainment and information involved. In this context, augmented reality,appears as a graphic resource capable of uniting interactivity, entertainment andinformation to win the public. Keywords: Technology; Advertising; Augmented Reality.
    • Introdução Com o advento das tecnologias e suas evoluções, surgiram as mídias digitais.Neste sentido, uma das tecnologias onde as mídias digitais estão totalmente presente éna Realidade Aumentada (RA). Esta tecnologia vem se desenvolvendo e sendo cada vezmais utilizadas nos anúncios publicitários, gerando informação de forma interativa.Sendo assim, há uma necessidade de investigar o uso desta tecnologia aplicada napublicidade e propaganda. No referencial teórico deste trabalho, é abordado todaevolução tecnológica, ou seja, da sua etimologia à sua definição, passando por seus usose funções. Destaca-se, neste sentido, a tecnologia Realidade Aumentada aplicada àPublicidade e Propaganda, definindo cada um dos termos. O desenvolvimento segueesta linha de pensamento, buscando abranger toda a evolução tecnológia e o que elaproporcionou ao longo dos tempos, como já foi citado, o surgimento das mídias digitais.São apresentados dados que comprovam o crescimento destas mídias na sociedade,proporcionando a criação de um ciberespaço, que é outro conceito apresentado. Paraleloa tudo isto, surge a realidade virtual (RV) e a convergência tecnológica, ou seja, novasperspectivas na sociedade e na área de comunicação, onde é destacado os anúnciospublicitários. A publicidade e propaganda é uma das áreas da comunicação que mais sebeneficiam com toda essa evolução tecnológica. A tecnologia abordada é a realidadeaumentada (RA), descrevendo sua definição, suas funções, bem como o uso destatecnologia na publicidade e propaganda. Esta aplicação é descrita como uma forma deconquistar o público com informação e entretenimento. Como exemplo, sãorelacionados alguns links com cases que mostram a aplicação da RA na publicidade epropaganda.
    • Referencial Teórico Mas, afinal o que tecnologia? Consultando o termo tecnologia no Novo Dicionário Aurélio da LínguaPortuguesa, Ferreira (2004) define como: “Conjunto de conhecimentos, esp. princípioscientíficos, que se aplicam a um determinado ramo de atividade.” (FERREIRA, 2004,p. I925) Já no site Wikipédia, sua terminologia e definição são descritas da seguinteforma: Tecnologia (do grego τεχνη — "técnica, arte, ofício" e λογια — "estudo") é um termo que envolve o conhecimento técnico e científico e as ferramentas, processos e materiais criados e/ou utilizados a partir de tal conhecimento. (WIKIPÉDIA, 2011, p. 1) A tecnologia é o conhecimento técnico acumulado. Esses conhecimentos setornam essenciais para o progresso do homem, criando e transformando materiais erecursos, tornando-os úteis no dia-a-dia. A tecnologia torna-se cada vez mais útil para fazer coisas práticas. Os esforçoscientíficos, especialmente nos tempos modernos, dependem de tecnologias específicasque permitam aos seres humanos estudar e melhorar a sociedade de forma mais precisa. A publicidade, também é uma das áreas que a tecnologia influencia, com fortesmudanças e contribuições. Estas vêm principalmente com as tecnologias da informaçãoe comunicação, TV’s, computadores, internet, aparelhos móveis, etc. Tudo isso, fezcomo que toda forma de criação e anúncio dentro da publicidade fosse modificado, paraatingir seus objetivos que são: chegar onde o cliente está e conquistá-lo, convencendo-osobre um produto, serviço ou marca. O Novíssimo Dicionário de Economia, Sandroni (2001), define publicidadecomo: Divulgação paga e planejada de mensagens veiculadas em revistas, jornais, televisão e outros meios de comunicação, com o objetivo de persuadir as pessoas a comprar determinado produto ou utilizar determinado serviço. (SANDRONI, 2005, p. 503) Levando em consideração a definição anteriormente apresentada, publicidade noseu sentido comercial, seria a divulgação de mensagens por meio de anúncios, com ofim de influenciar o público como consumidor, levando-os, ao consumo, a compra.Quando se cria um anúncio de um produto ou uma marca com o intuito de vender, ouseja, gerar uma troca de valores em capital, este anúncio levou as pessoas a consumiremeste produto ou o(s) produto(s) desta marca, então estamos fazendo publicidade.
    • Rabaça e Barbosa (2001), no Dicionário de Comunicação, diferenciam ostermos propaganda de publicidade e define publicidade da seguinte forma: Já a palavra publicidade, calcada no fr. publicité e proveniente do lat. publicus, "público", foi registrada pela primeira vez em línguas modernas (pelo dicionário da Academia Francesa) com sentido jurídico (publicidade de debates). Designando a princípio o "ato de divulgar, tornar público", a publicidade adquiriu, no séc. XIX, também um significado comercial: qualquer forma de divulgação de produtos, serviços, através de anúncios geralmente pagos e veiculados sob a responsabilidade de um anunciante identificado, com objetivos de interesse comercial. (RABAÇA e BARBOSA, 2001, p. 598) Ou seja, é uma ação de comunicação paga, com anunciante identificado, queobjetiva, através da utilização dos meios de comunicação, persuadir um determinadopúblico. A publicidade se apropria das tecnologias para anunciar de forma mais eficienteum produto, serviço ou marca. Uma dessas tecnologias é a realidade aumentada, queenriquece o ambiente natural com elementos virtuais, tornando assim um anuncio maisdinâmico, interativo e atrativo. Pois, além de gerar curiosidade para descobrir o que estápra trás de uma projeção computacional ou de um simples papel impresso, oconsumidor acessa informações projetadas numa imagem, objeto, papel ou até mesmo,como já foi citado, no ambiente natural do consumidor. Kirner e Siscoutto (2007)apresentam algumas definições de forma bem objetiva, sobre o que é esse tipo detecnologia, em seu livro realidade virtual: conceitos, projetos e aplicações. A realidade aumentada é definida de várias maneiras: a) é o enriquecimento do ambiente real com objetos virtuais, usando algum dispositivo tecnológico, funcionando em tempo real; b) é uma melhoria do mundo real com textos, imagens e objetos virtuais, gerados por computador; c) é a mistura de mundos reais e virtuais em algum ponto completamente reais a ambientes completamente virtuais; d) é um sistema que suplementa o mundo real com objetos virtuais gerados por computador, parecendo coexistir no mesmo espaço e apresentando as seguintes propriedades: combina objetos reais e virtuais no ambiente real, executa interativamente em tempo real, alinha objetos reais e virtuais entre si, aplica-se a todos os sentidos, incluindo audição, tato e força e cheiro. (KIRNER e SISCOUTTO, 2007, p. 10) Baseado nestas definições é possível entender a aplicação desta tecnologia napublicidade. Pois, nesse contexto, a realidade aumentada surge como um recurso gráfico
    • capaz de unir interatividade, entretenimento e informação através de dispositivostecnológicos móveis e computacionais.
    • Por meio das ciências os seres humanos adquiriram conhecimentos necessáriospara construir coisas úteis. Alguns povos ou culturas iniciaram certas inovações naexploração da natureza e na busca pela sobrevivência (Ex.: descoberta do fogo). Até hoje, a tecnologia é parte importante dessas inovações, sendo bastante útilpara nossa sobrevivência e a nossa vida cotidiana. Ela afeta, todos os dias, nosso modode viver. Num cenário geral, as inovações tecnológicas costumam ser empregadas, emsua maioria, na engenharia, na medicina, no ramo militar e na informática. Com isso, asociedade, acaba se beneficiando, seja de forma direta ou indireta. Nos tempos atuais, com as inovações tecnológicas em evidência, surgem asmídias digitais, que a SBEIC (2010) - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinaresde Comunicação - na Enciclopédia INTERCOM de Comunicação, vai definir como: Mídias Digitais (novas tecnologias ou em rede) – meios provenientes das ibertecnologias, a partir do século XXI, para a comunicação on line que se caracterizam, entre outros fatores, pela coparticipação do receptor da mensagem através da interatividade e/ou tele presença. (SBEIC, 2010, p. 817) Essas mídias têm ocupado cada vez mais novos espaços e tem sido cada dia maisusadas pelas pessoas e as empresas. Grande parte dos instrumentos tecnológicos dehoje, envolvem essas mídias, onde se destacam: computador, notebook, netebook,tablet, telefone celular, smartphone, leitores digitais de áudio e vídeo, internet e WorldWide Web, televisão digital, jogo eletrônico e outras mídias interativas. O IAB Brasil (2011) - Interactiv Advertising Bureau - disponibiliza em seu site,www.iabbrasil.ning.com, uma pesquisa chamada de “Indicadores de Mercado IABBrasil”. Esta pesquisa mostra projeções sobre o crescimento das tecnologias digitais: A internet que em dezembro de 2009 tinha 67,5 milhões de pessoas no Brasil (16 anos e mais) já se consolidou como uma MÍDIA DE MASSA fechando 2010 com 73,7 milhões de pessoas (IBOPE). A telefonia móvel atingiu a marca de 205 milhões de celulares em Fevereiro de 2011 (Anatel) para uma população de 190,7 milhões (IBGE). A Mídia Digital Interativa cresceu 28%(Jan a Dez/09 x Jan a Dez/10). A Mídia Digital interativa deve continuar a crescer em 2011, mais acentuadamente nos equipamentos móveis: celulares e tablets. (IAB Brasil, 2011, p. 01) Influenciado por essas mídias digitais as pessoas passaram a viver em umciberespaço, o que Levy (2000), em seu livro Cibercultura, chama de:
    • ...espaço de comunicação aberto pela interconexão mundial de computadores e das memórias dos computadores. Essa definição inclui o conjunto de sistemas de comunicação eletrônicos (aí incluídos os conjuntos de redes hertzianas e telefônicas clássicas), na medida em que transmitem informações provenientes de fontes digitais ou destinadas a digitalização. (LEVY, 2000, p. 92) Nesse ciberespaço não há diferença entre, estar on ou off line, ou seja,conectado a rede de computadores (internet) ou em contato com o nosso cotidiano. Este,passou a ser desempenhado na rede, pois basta um simples clique e já estamosconversando com alguém, em contato com outras culturas ou conhecendo outro país. Adistância, deixou de ser tão longe como parece, o espaço deixou de ser um obstáculo e“não há mais fronteiras” há ser descobertas. Pois o ciberespaço cria uma realidade quenão é diferente ou distante do real, a realidade virtual. Essa realidade é citada tambémpor Levy (2001), em seu livro O que é o Virtual?: A palavra virtual vem do latim virtualis, derivado por sua vez de virtus, força, potência. Na filosofia escolástica, é virtual o que existe em potência e não em ato. Em termos rigorosamente filosóficos, o virtual não se opõe ao real, mas ao atual: virtualidade e atualidade são apenas duas maneiras de ser diferentes. (LEVY, 2001, p. 5) Essa realidade cria um novo processo de comunicação na sociedade e namaneira com que o ser humano desempenha sua função e seus papéis. Principalmente,na forma como as pessoas interagem umas com as outras. Levy (2001), quando vai falarsobre virtualização, no livro anteriormente citado, descreve sobre essa nova maneira deinteração entre as pessoas: A virtualização reinventa uma cultura nômade, não por uma volta ao paleolítico nem às antigas civilizações de pastores, mas fazendo surgir um meio de interações sociais onde as relações se reconfiguram com um mínimo de inércia. (LEVY, 2001, p. 20-21) Essa realidade virtual, a evolução e a globalização das tecnologias, sejam dainformação, da comunicação ou digitais, unem-se com a finalidade de facilitar a vidadas pessoas, oferecendo informações e serviços que permitam a elas buscarem, dequalquer lugar e através de qualquer meio de comunicação, essas informações eserviços. Esta união gerou, o que Jenkins (2009), vai chamar de convergência, em seulivro Cultura da Convergência: ...fluxo de conteúdos através de múltiplos suportes midiáticos, à cooperação entre múltiplos mercados midiáticos e ao comportamento migratório dos públicos dos meios de comunicação, que vão a quase
    • qualquer parte em busca das experiências de entretenimento que desejam. (JENKINS, 2009, p. 27) Essa convergência é uma tendência mundial de integração das mídiasprincipalmente as digitais. A convergência já é uma realidade em todas as áreas eclasses da sociedade, ultrapassando as fronteiras do analógico para o digital, abrindoinfinitas possibilidades, como as proporcionadas pelos dispositivos móveis. Através dessa convergência, todo o comportamento do ser humano foiautomaticamente modificado. Sua forma de comunicar-se, de buscar informações, deouvir músicas, buscar entretenimento, até mesmo fazer compras houve umainterferência positiva. E é por meio dela, também, que as informações podem serpassadas através de dispositivos moveis (celulares, iPods ou ainda pela televisão móvel)ou fixos, (computadores de mesa, TV digital de tela plana ou plasma, vídeos e jogos)oferecendo dados, áudios, imagens e texto. Ao passo que não existe mais diferenças entre o mundo real e o mundo virtual e,ou mesmo tempo que influencia a vida das pessoas, influencia também, as formas decomunicação de modo geral, um dos exemplos são os anúncios publicitários. A publicidade surge com o objetivo de anunciar um produto, serviço ou marca,comunicando de forma eficiente, buscando conquistar o público de modo geral,fazendo-os adquirir tal produto, serviço ou marca. Em um contexto histórico, apublicidade não tinha esse objetivo, como Rabaça e Barbosa (2010) descrevem noDicionário de Comunicação: Já a palavra publicidade, calcada no fr. publicité e proveniente do lat. publicus, "público", foi registrada pela primeira vez em línguas modernas (pelo dicionário da Academia Francesa) com sentido jurídico (publicidade de debates). (RABAÇA e BARBOSA, 2001, p. 598) Posteriormente, a publicidade assume o papel comercial e passa a ser uma ação decomunicação paga, com anunciante identificado, que objetiva, através da utilização dosmeios de comunicação, persuadir um determinado público. Na EnciclopédiaINTERCOM de Comunicação, a SBEIC (2010) descreve muito bem esse novo conceitode publicidade: ...o termo tinha sentido jurídico e referia-se a publicidade de audiência e debate, antes de assumir um sentido comercial no século XIX com a industrialização e o desenvolvimento dos mercados de grande consumo. (SBEIC, 2010, p 980)
    • Os anúncios publicitários, diante de toda evolução tecnológica, passam a entrartambém nesse mundo virtual, e vai se adaptando as novas tecnologias digitais, como porexemplo, inicialmente, na rede mundial de computadores, a internet. Torres (2010), em seu livro Guia Prático de Marketing na Internet para PequenasEmpresas, descreve essa mudança do consumidor e consequentemente dos meios eformas de publicidade e propaganda: Os consumidores têm agora ferramentas de busca poderosas, que permitem localizar estabelecimentos comerciais próximos ao local onde estão naquele momento. O e-commerce se popularizou, ao ponto que qualquer empresa recém-criada, pode competir, na venda por produtos e serviços, tanto com as grandes redes quanto com os estabelecimentos comerciais que investiram tanto em lojas bem localizadas. (TORRES, 2010, p. 6) Baseado na pesquisa feita pelo IAB Brasil (2011), perceber-se a evolução do E-commerce (Comércio Eletrônico, ou seja, compra e venda pela internet), como mostraos dados: “São milhões de e-consumidores, um crescimento de 40% em relação a 2009. Osegmento faturou R$ 6,7 bilhões no 1º semestre de 2010” (IAB Brasil, 2011, p. 1). Percebe-se nitidamente essa migração não só dos consumidores, mas tambémdos anúncios publicitários para esse espaço virtual, onde a própria publicidade passa aser criada e anunciada de formal virtual e digital. As tecnologias móveis ganham cada vez mais adeptos e colocam em xequeformatos tradicionais de mídia. É irreversível o impacto da mídia on-line na vida dosconsumidores e na publicidade. Uma pergunta que poderia ser feita é: o anúncio de 30segundos na televisão, que sempre foi o padrão no mercado da propaganda, está mesmocom os dias contados? O declínio das mídias tradicionais em prol de novos formatosseria inevitável frente ao avanço do acesso à internet e das tecnologias em aparelhosmóveis. O IAB Brasil (2011), apresenta essa realidade virtual no mundo da publicidade: A Internet é cada vez mais popular: 52,8% da população que acessa a internet pertence às classes CDE. As classes AB juntas representam hoje 47,2%. Ao final de 2011, os investimentos em mídia irão crescer 25%. Isso representará 1,55 bilhões de reais em publicidade online. Em um universo de 202 milhões de celulares, a mobilidade será cada vez maior seja no celular, notebooks e tablets. (IAB Brasil, 2011, p. 1) Esses dados mostram que a Internet é uma mídia de massa e que tem umdiferencial importante, o de ser interativa. Ela pode ser acessada por meio de
    • computadores, notebooks, tablets, celulares, smartphones, etc., fazendo parte da culturade todos, tanto para informação, como para educação, diversão, comunicação eexpressão pessoal. Assim, a partir das tecnologias e sua evolução, computador, internet, mídiasdigitais, dispositivos móveis, ciberespaço, realidade virtual, paralelo a tudo isso, aconvergência tecnológica e suas consequências, surgiu a realidade aumentada. Uma dasáreas da comunicação que mais se beneficia desta tecnologia é a própria publicidade epropaganda. A tecnologia realidade aumentada ou RA, combina elementos do mundo realcom elementos virtuais em 2D ou 3D, permitindo a interatividade entre objetos (reais evirtuais) em tempo real. Mais especificamente consiste na sobreposição – realizada pormeio de algum dispositivo tecnológico – de objetos virtuais tridimensionais (geradospor computador) num ambiente real. Mas como ela surgiu? Santee e Gomes (2010) descrevem a evolução histórica de como surgiu a RA: O primeiro sistema funcional de realidade aumentada foi construído em 1968 por Ivan Sutherland. (AZUMA, 1995, p. 1). Nas décadas seguintes, com subsídio das Forças Armadas dos EUA, as pesquisas se concentraram na geração de informações gráficas interativas, assim como de imagens mais realistas e melhores sistemas de rastreamento (tracking) principalmente nos centros de estudo de tecnologia (EKENGREN, 2009, p. 5) (HÖLLERER; FEINER, 2004, p. 2). Foi somente na década de 90 que o conceito de sobreposição de objetos virtuais sobre a realidade se solidificou e recebeu o nome de Realidade Aumentada. Em 1993, pesquisadores da Universidade a Califórnia desenvolveram um sistema móvel de RA para ambientes externos baseados no GPS (Global Positioning System – Sistema de posicionamento global), que servia como assistente de navegação a deficientes visuais, sobrepondo comandos de voz à imagem captada. (SANTEE e GOMES, 2010, apud AZUMA, 1995, p. 1; EKENGREN, 2009, p. 5; HÖLLERER e FEINER, 2004, p. 2) Como funciona a RA? Ela exige apenas três componentes básicos: um objeto real com algum tipo demarca de referência, que possibilite a interpretação e criação do objeto virtual; câmaraou dispositivo capaz de captar e transmitir a imagem do objeto real; software capaz deinterpretar o sinal transmitido pela câmara ou dispositivo. Apesar da grande maioria das investigações da RA estarem direcionadas para ofuncionamento da tecnologia em espaços abertos, esta também pode ser utilizada em
    • espaços fechados, como por exemplo, centros comerciais ou supermercados,proporcionando ao utilizador a obtenção de informações diversas, sobre as lojas eprodutos que são reconhecidos pelo software. Atualmente, uma forma bem difundida de utilizar a realidade aumentada é com ouso de “marcadores” e câmeras de dispositivos móveis ou webcams. Esses marcadoressão códigos 2D, mais conhecidos como QR-Code, que transmitem a aplicação e todas asinformações necessárias, desde o tipo de objeto que está armazenado, até as interaçõesdisponíveis. Birida (2009), em seu blog, descreve detalhadamente o que é e como funcionaessa tecnologia de RA em 2D: O QR Code é uma matriz ou um código de barras bidimensional, cujo código pode ser interpretado rapidamente. É bastante utilizado no Japão. Através de um programa de computador, ou até mesmo um aplicativo para celular, é possível de decifrar o código QR, até mesmo uma câmera VGA de baixa resolução para capturar a imagem. Capacidade de Armazenamento: numérica – Max. 7.089 caracteres; alfanumérica – Max. 4.296 caracteres; binário (8 bits) – Max. 2.953 bytes. (BIRIBA, 2009, p. 1) Nos links abaixo, há cases publicitários onde são usados os códigos 2D e 3D daRA, em anúncios publicitários. Alguns links mostram o que é e como usar estatecnologia: 1. http://www.youtube.com/watch?v=i6DcbZJoYkg 2. http://www.youtube.com/watch?v=--b2GBE-tKA 3. http://www.youtube.com/watch?v=fgAnCylS7kM&feature=related 4. http://www.youtube.com/watch?v=rsePK4jT_Bc 5. http://www.youtube.com/watch?v=k1LYIKBYRYw&feature=related 6. http://www.youtube.com/watch?v=CLn5WscLoGs 7. http://www.youtube.com/watch?v=iUws-njzYJM&feature=related
    • Considerações Finais Concluo este trabalho acreditando que toda esta globalização e democratizaçãoda tecnologia dará continuidade a evolução tecnológica, permitindo a todos estaremcada vez mais próximos uns dos outros, executar atividades do dia-dia com maisfacilidade, ter acesso e gerar informações com mais rapidez, bem como suprirdeterminadas necessidades e desejos, como: produtos, serviços, músicas, filmes, etc.Pois concordo e colaboro com o papel que a tecnologia exerce na sociedade, que é a defacilitar a vida das pessoas em todos os sentidos. Todas as consequências e influências geradas pela tecnologia fizeram com quemudássemos, totalmente, o nosso comportamento. Trocamos informações por e-mail ouredes sociais, buscamos nos atualizar pela internet e até o celular nos permite fazermosou pagarmos compras, ou seja, estamos quase que 24h do dia conectados. Esta mudançade comportamento foi gerada pelas mídias digitais, que nos levaram a viver nesseciberespaço ou espaço cibernético. Essa realidade do mundo virtual, que nos permite emuitas vezes nos obriga a estar diariamente online integrou, em nossa opinião, de formapositiva, todas as tecnologias. Esta integração nos faz realizar tudo o que já foianteriormente citado, e ao mesmo tempo buscar muitas outras coisas em um só lugar.Um exemplo prático disto são os anúncios publicitários, pois ao mesmo tempo em quevimos um anúncio, interagimos com ele e adquirimos, ou não, o que nos é ofertado. Istose tornou possível, com o surgimento da realidade aumentada aplicada na publicidade epropaganda, como foi descrito no nosso trabalho. Acredito que esta tecnologia seja umadas formas mais eficaz para conquistar o público consumidor. Pois, o que as pessoasmais procuram, hoje em dia, é estar conectados buscando informação, interação,entretenimento e relacionamento. Acredito que esta tecnologia proporciona tudo istonos anúncios publicitários, como foi descrito nos links listados no desenvolvimento dotrabalho.
    • Referências BibliográficasROMERO, Tori; KIRNER, Cláudio; SISCOUTTO, Robson. Fundamentos e Tecnologia deRealidade Virtual e Aumentada. Rio Grande do Sul: Sociedade Brasileira de Computação –SBC, 2006.COSTA, Rosa Maria; RIBEIRO, Marcos Wagner. Aplicações de Realidade Virtual eAumentada. Rio Grande do Sul: Sociedade Brasileira de Computação – SBC, 2009.JENKINS, Henry. Cultura da convergência: a colisão entre os velhos e novos meios decomunicação / Henry Jenkins ; tradução Susana Alexandria. – 2a ed. – São Paulo: Aleph,2009.LÈVY, Pierre, O que é o virtual?, 2º Ed., Coimbra, Quarteto, 2001.LÈVY, P. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2ª Edição. Ed. 34 Ltda, SãoPaulo, 2000.TORRES, Cláudio. Guia Prático de Marketing na Internet para Pequenas Empresas .Novatec Editora. São Paulo, 2009.SANTEE, Nellie Rego e GOMES, Suely Henrique de Aquino. Realidade Aumentada:Origem, Funcionalidade e Usos. Goiás, GO. Universidade Federal de Goiás, 2010.Enciclopédia INTERCOM de Comunicação. – São Paulo: Sociedade Brasileira de EstudosInterdisciplinares da Comunicação, 2010.SANDRONI, Paulo. Novíssimo Dicionário de Economia. 7ª ed. São Paulo: 2001.RABAÇA, Alberto e BARBOSA, Gustavo. Dicionário de Comunicação – 2. Ed. Ver. EAtualizada. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2008 – 8ª impressão, 2001.FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Aurélio da LínguaPortuguesa/Aurélio Buarque de Holanda Ferreira. 3ª Ed., Curitiba, Positivo, 2004.http://pt.wikipedia.org/wiki/Tecnologia - Acessado em 01/06/2011http://www.iabbrasil.ning.com/ - Acessado em 01/06/2011.http://www.rafaelbiriba.com/2009/03/12/qr-code-codigo-de-barras-do-presente.html -Acessado em 01/06/2011.