Índice <ul><li>Política Regional da União Europeia </li></ul><ul><li>Objectivos </li></ul><ul><li>Situação Regional </li><...
A Política Regional da UE <ul><li>A União Europeia efectua diversas políticas, nos mais variados temas; </li></ul><ul><li>...
Objectivos <ul><li>Reduzir as disparidades entre países e regiões; </li></ul><ul><li>Apoiar as regiões mais pobres; </li><...
Situação Regional PIB per capita medido segundo o Índice de Paridade do Poder de Compra (2008)
 
Uma Europa de Contrastes Região mais rica – Centro de Londres, Reino Unido Região mais pobre – Severozapaden, Bulgária
Modos de Actuação <ul><li>Todos os países contribuem para um sistema de apoios; </li></ul><ul><li>Estes apoios vão financi...
Comité das Regionais <ul><li>É um órgão consultivo da U.E. </li></ul><ul><li>Todas as decisões do domínio da política regi...
Classificação das Regiões <ul><li>As regiões são classificadas e dadas objectivos diferentes consoante as suas necessidade...
Classificação das Regiões <ul><li>Regiões Competitividade </li></ul><ul><li>Regiões Phasing-in </li></ul><ul><li>Regiões P...
 
 
Política Transfronteiriça <ul><li>A UE também beneficia a dádiva de subsídios a regiões além fronteiras; </li></ul><ul><li...
 
 
Críticas <ul><li>Impossibilidade de criar uma Europa plenamente igualitária; </li></ul><ul><li>A entrada de novos países; ...
Situação de Portugal <ul><li>Quando entrou na U.E, o nosso país encontrava-se uma situação deficitária; </li></ul><ul><li>...
Apoios Disponíveis em Portugal <ul><li>Tecnologias de Informação  Comunicação </li></ul><ul><li>Inovação, investigação e d...
Situação actual de Portugal <ul><li>Nos dias de hoje, Portugal recebe menos, em detrimento de ajudar os novos países; </li...
Classificação das Regiões
Tratado de Lisboa <ul><li>Modernização e reformação; </li></ul><ul><li>Necessidade de intervenção da U.E; </li></ul><ul><l...
Eficácia <ul><li>Modernização. </li></ul><ul><li>São simplificado os métodos de trabalho e os processo da tomada de decisã...
Democracia <ul><li>“ Direito de iniciativa popular” – 1 milhão de cidadãos da união poderão lançar uma iniciativa europeia...
Transparência <ul><li>O Tratado de Lisboa coloca ênfase não só no “o que” a U.E. faz mas também no “como” a U.E. o faz. </...
Segurança <ul><li>Carta dos direitos fundamentais. </li></ul><ul><li>Política de imigração – tráfico humano  </li></ul><ul...
União na Política Externa <ul><li>Novo cargo de Alto Representante para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança...
Conclusão
Fontes <ul><li>http://www.elojas.com.pt/artigos/informacao-sobre-apoios-da-uniao-europeia-programa-mais </li></ul><ul><li>...
Trabalho Realizado por: <ul><li>Madalena Daniel, Nº12 </li></ul><ul><li>Rui Rodrigues, Nº21 </li></ul><ul><li>Disciplina: ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Trabalho de Geografia A, As Regiões Portuguesas e a Política Regional da U.E - Madalena Daniel e Rui Rodrigues

4,941 views
4,644 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,941
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
24
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho de Geografia A, As Regiões Portuguesas e a Política Regional da U.E - Madalena Daniel e Rui Rodrigues

  1. 2. Índice <ul><li>Política Regional da União Europeia </li></ul><ul><li>Objectivos </li></ul><ul><li>Situação Regional </li></ul><ul><li>Modos de Actuação </li></ul><ul><li>Comité das Regiões </li></ul><ul><li>Classificação das Regiões </li></ul><ul><li>Política transfronteiriça </li></ul><ul><li>Críticas </li></ul><ul><li>Situação de Portugal </li></ul><ul><li>Tratado de Lisboa </li></ul>
  2. 3. A Política Regional da UE <ul><li>A União Europeia efectua diversas políticas, nos mais variados temas; </li></ul><ul><li>O espaço comunitário é caracterizado por ter elevadas disparidades; </li></ul><ul><li>Os apoios dados pela U.E são orientados com base nas regiões; </li></ul>
  3. 4. Objectivos <ul><li>Reduzir as disparidades entre países e regiões; </li></ul><ul><li>Apoiar as regiões mais pobres; </li></ul><ul><li>Promover a competitividade; </li></ul><ul><li>Implementar o intercâmbio de boas práticas e trocas de bens entre regiões; </li></ul><ul><li>Melhorar as condições de vida das populações; </li></ul>
  4. 5. Situação Regional PIB per capita medido segundo o Índice de Paridade do Poder de Compra (2008)
  5. 7. Uma Europa de Contrastes Região mais rica – Centro de Londres, Reino Unido Região mais pobre – Severozapaden, Bulgária
  6. 8. Modos de Actuação <ul><li>Todos os países contribuem para um sistema de apoios; </li></ul><ul><li>Estes apoios vão financiar projectos que beneficiem a Economia e a qualidade de vida dos países; </li></ul><ul><li>Os subsídios são organizados através da politica de coesão; </li></ul><ul><li>Os apoios provêem de fundos estruturais, tais como o FEDER, FSE,… </li></ul>
  7. 9. Comité das Regionais <ul><li>É um órgão consultivo da U.E. </li></ul><ul><li>Todas as decisões do domínio da política regional têm que passar por este comité. </li></ul><ul><li>É composto por membros locais e regionais dos Estados-membros </li></ul>
  8. 10. Classificação das Regiões <ul><li>As regiões são classificadas e dadas objectivos diferentes consoante as suas necessidades especificas; </li></ul><ul><li>Esta classificação vai determinar que apoios vão receber. </li></ul>
  9. 11. Classificação das Regiões <ul><li>Regiões Competitividade </li></ul><ul><li>Regiões Phasing-in </li></ul><ul><li>Regiões Phasing-out </li></ul><ul><li>Regiões Convergência </li></ul>
  10. 14. Política Transfronteiriça <ul><li>A UE também beneficia a dádiva de subsídios a regiões além fronteiras; </li></ul><ul><li>Proporciona o aproveitamento de potencialidades e a resolução de problemas comuns; </li></ul><ul><li>Estes apoios estendem-se aos mais diversos domínios; </li></ul><ul><li>Exemplo: Galiza e Região Norte de Portugal. </li></ul>
  11. 17. Críticas <ul><li>Impossibilidade de criar uma Europa plenamente igualitária; </li></ul><ul><li>A entrada de novos países; </li></ul><ul><li>A má gestão dos fundos. </li></ul>
  12. 18. Situação de Portugal <ul><li>Quando entrou na U.E, o nosso país encontrava-se uma situação deficitária; </li></ul><ul><li>Portugal beneficiou de muitos apoios; </li></ul><ul><li>Os apoios ajudaram no desenvolvimento do país, em vários sectores. </li></ul><ul><li>Tentativa de desenvolver interior. </li></ul>Adesão de Portugal à U.E, 1986
  13. 19. Apoios Disponíveis em Portugal <ul><li>Tecnologias de Informação Comunicação </li></ul><ul><li>Inovação, investigação e desenvolvimento </li></ul><ul><li>Formação, Recrutamento e Emprego </li></ul><ul><li>Os portugueses podem-se candidatar a estes apoios livremente. </li></ul>
  14. 20. Situação actual de Portugal <ul><li>Nos dias de hoje, Portugal recebe menos, em detrimento de ajudar os novos países; </li></ul><ul><li>No entanto, continua a recorrer aos apoios do fundo de coesão; </li></ul><ul><li>Ainda há um grande caminho a percorrer para se conseguir o nível dos outros países europeus. </li></ul>
  15. 21. Classificação das Regiões
  16. 22. Tratado de Lisboa <ul><li>Modernização e reformação; </li></ul><ul><li>Necessidade de intervenção da U.E; </li></ul><ul><li>Aumentar a coerência a nível externo; </li></ul>
  17. 23. Eficácia <ul><li>Modernização. </li></ul><ul><li>São simplificado os métodos de trabalho e os processo da tomada de decisão. </li></ul><ul><li>Melhorar a vida dos cidadãos europeus. </li></ul>
  18. 24. Democracia <ul><li>“ Direito de iniciativa popular” – 1 milhão de cidadãos da união poderão lançar uma iniciativa europeia. </li></ul><ul><li>Parlamentos nacionais têm mais oportunidade de participar nas actividades da U.E. </li></ul>
  19. 25. Transparência <ul><li>O Tratado de Lisboa coloca ênfase não só no “o que” a U.E. faz mas também no “como” a U.E. o faz. </li></ul><ul><li>As posições defendidas pelos governos nacionais no conselho de ministros passarão a estar sujeitas a votação pública. </li></ul>
  20. 26. Segurança <ul><li>Carta dos direitos fundamentais. </li></ul><ul><li>Política de imigração – tráfico humano </li></ul><ul><li>Combate ao terrorismo. </li></ul><ul><li>Catástrofes naturais. </li></ul><ul><li>Inter-ajuda. </li></ul>
  21. 27. União na Política Externa <ul><li>Novo cargo de Alto Representante para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança. </li></ul><ul><li>A personalidade europeia jurídica. </li></ul>Catherine Ashton (Reino Unido)
  22. 28. Conclusão
  23. 29. Fontes <ul><li>http://www.elojas.com.pt/artigos/informacao-sobre-apoios-da-uniao-europeia-programa-mais </li></ul><ul><li>http://europa.eu/legislation_summaries/employment_and_social_policy/job_creation_measures/g24230_pt.htm </li></ul><ul><li>http://ec.europa.eu/regional_policy/sources/docgener/informat/pdf/nsrf_cover_pt.pdf </li></ul><ul><li>http://www.qren.pt/item3.php?lang=0&id_channel=34&id_page=211 </li></ul><ul><li>http://acegis.wordpress.com/2010/03/31/portugal-selecciona-programas-de-politica-de-coesao-acima-da-media-revela-a-ce/ </li></ul><ul><li>http://europa.eu/institutions/consultative/cor/index_pt.htm </li></ul><ul><li>http://www.qren.pt/ </li></ul><ul><li>http://europa.eu/lisbon_treaty/index_pt.htm </li></ul>
  24. 30. Trabalho Realizado por: <ul><li>Madalena Daniel, Nº12 </li></ul><ul><li>Rui Rodrigues, Nº21 </li></ul><ul><li>Disciplina: Geografia A </li></ul><ul><li>Professor: João Paulo Curto </li></ul>

×