Construa carteiras sinérgicas e maximize o resultado de seu portfólio

  • 1,573 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,573
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
66
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Construa carteiras sinérgicas e maximize o resultado de seu portfólio Alexandre Mattos de Andrade Outubro de 2009
  • 2. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Como estruturar uma carteira de projetos sinérgica e alinhada a estratégia  Os desafios que envolve a implantação de uma estratégia  O conceito de grupo sinérgico de projetos  A análise do portfólio de projetos utilizando o modelo hierárquico e análise estrutural  A importância do monitoramento estratégico para solução de problemas 2
  • 3. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. O conteúdo desta apresentação está ancorado na experiência da Macroplan e seus consultores nos seguintes projetos: 1. Plano de Desenvolvimento do Espírito Santo 2025 (2005-2007) e Pró-Gestão (2008) 2. Gestão Estratégica Orientada para Resultados – Sistema Sebrae (2003-2006) 3. Gestão Estratégica Orientada para Resultados – APEX-Brasil (2005-2006) 4. Plano Mineiro de Desenvolvimento e Projetos Estruturadores do Governo de Minas Gerais (2003-2006) 5. Projetos Estratégicos do Governo de São Paulo (2005) 6. Programa Brasil em Ação (1996-1997) 7. Plano Avança Brasil (1998-2002) 8. Implantação da gestão estratégica para Inovação na Suzano Papel e Celulose (2006 – 1007) 9. Plano Estratégico Petrobras (2005) 3
  • 4. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Sumário 1 Os desafios da implantação da estratégia O conceito de projeto estratégico e grupo 2 sinérgico A análise da carteira de projetos utilizando o 3 modelo hierárquico e análise estrutural 4 A importância do monitoramento estratégico 4
  • 5. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Visão, estratégia e projetos Objetivos de Médio Prazos Objetivos de Longo Prazos Futuro desejado Estratégias e Projetos Estratégicos Visão B E1 E2 E1 En En Cenários mais A prováveis Onde estamos? Cenários possíveis Como evoluiremos da situação atual (A) Aonde poderemos chegar? à situação desejada (B)? Fonte: Macroplan 5
  • 6. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Os desafios da implantação de uma estratégia 1. Fazer os resultados acontecerem, em várias dimensões: econômica, organizacional, cultural, mercadológica, tecnológica e institucional 2. Múltiplos atores, com interesses diversos e várias fontes de recursos 3. Adaptação constante às mudanças 4. Necessidade de superação de restrições que exigem atenção sistemática e monitoramento e gerenciamento intensivo 6
  • 7. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Sumário 1 Os desafios da implantação da estratégia O conceito de projeto estratégico e grupo 2 sinérgico A análise da carteira de projetos utilizando o 3 modelo hierárquico e análise estrutural 4 A importância do monitoramento estratégico 7
  • 8. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Composição da carteira de projetos para uma estratégia de longo prazo Desempenho Empresarial ou Transformação Social Projetos estratégicos Projetos de melhoria operacional Ano 1 20XX 8
  • 9. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Grupo Sinérgico de Projetos  O que é: articulação e organização dos projetos para potencializar suas complementariedades em função de resultados finalísticos (outcomes ) Não se trata da simples soma ou junção de projetos com naturezas semelhantes ! 9
  • 10. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Realização da Estratégia de Desenvolvimento Transformações na Área de Resultado Resultados finalísticos Grupo de Projetos Grupo de Projetos Estruturadores Estruturadores Produtos Ações Recursos
  • 11. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Modelo ilustrativo do Grupo de Projeto Estruturadores Resultados Projetos Estruturadores com Sinergia de Resultados Projetos Associados
  • 12. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Caso do Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado e Portfolio de Projetos Estruturadores Desdobramento da estratégia por dimensão e território Objeto Referenciados no território Dimensão Econômica Dimensão Dimensão Social Ambiental Dimensão Institucional Infra Informação e e em escala temporal t Estrutura conhecimento
  • 13. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Cenários para o Estado de Minas Gerais 2006-2023 BRASIL Desenvolvimento sustentado da economia nacional DESPERDÍCIO de CONQUISTA do oportunidades melhor futuro MINAS GERAIS II I Ambiente mineiro Ambiente mineiro • Conservador • Criativo • Ineficiente IV III • Competitivo • Excludente • Inclusivo DECADÊNCIA e “SUPERAÇÃO de empobrecimento adversidades Economia nacional em ritmo intermitente
  • 14. Cenário I - CONQUISTA do melhor futuro Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Elevado Forte crescimento Crescimento empreendedorismo e da economia econômico inovação do setor Crescimento Fortalecimento de MG Elevado volume de empresarial, e política econômico acelerado no cenário nacional mundial e amplo sustentado, com Macro I investimentos agressiva de atração (5 a 6%): agregação acesso do Brasil aos inclusão social e utilização racional dos fortemente de investimentos de valor e inovação mercados recursos naturais (4 a estruturadores em todos os setores internacionais (3,5 a 4,5% a.a.) 5% aa) Enfrentamento aos principais gargalos ao desenvolvimento (salto nos níveis educacionais, infra-estrutura Adequação, expansão Salto na escolaridade média da eficiente, gestão pública e fiscal de qualidade, e manutenção da população, formada em um Salto de qualidade de redução da burocracia, menor informalidade, infra-estrutura sistema eficiente, com altos vida em todo o reforma trabalhista, redução e simplificação da (transportes, energia, níveis de eqüidade e orientado estado carga tributária e juros baixos) saneamento e por padrões internacionais de telecom) qualidade Elevada eficiência Consolidação do do Estado e dos equilíbrio fiscal e mecanismos de Desenvolvimento de aprofundamento simplificação, regulação, potencialidades e do choque de parcerias, formação Forte redução da pobreza e das geração de gestão Serviços públicos de redes desigualdades socioeconômicas e regionais oportunidades nas de alta qualidade regiões de baixo (saúde, segurança, dinamismo, com forte Saúde: acesso universalizado à atenção educação e integração aos mercados primária, especializada e ao saneamento redução da Elevados padrões Robustez e pobreza) Recuperação e conservação dos ativos de liderança e qualidade das ambientais articulação da instituições classe política Redução e controle da violência e da criminalidade Desenvolvimento de uma rede de cidades Capital Social: Elevado grau de protagonismo empresarial e dinâmicas e controle social da RMBH legenda Mundo Brasil Minas Gerais
  • 15. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Integração Territorial Competitiva
  • 16. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Conjunto de Estratégias de Longo Prazo Integração Territorial Competitiva Sustentabilidade Equidade e Ambiental Bem-estar Perspectiva Integrada do Capital Humano Investimento e Rede de Cidades negócios Estado para Resultados
  • 17. MINAS: O MELHOR ESTADO Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. PARA SE VIVER Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. PLANO MINEIRO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO – 2007/2023 Perspectiva Integração Investimento e Eqüidade e Sustentabilidade Integrada do Territorial Rede de Cidades Negócios Bem-estar Ambiental Capital Humano Competitiva ESTADO PARA RESULTADOS ÁREAS DE RESULTADOS Educação de Valor Agregado da Redução da Redes de Cidades Qualidade Produção Pobreza e e Serviços QUALIDADE E INOVAÇÃO Inclusão QUALIDADE FISCAL EM GESTÃO PÚBLICA Produtiva Inovação, Tecnologia Qualidade Vida Saudável e Qualidade Ambiental Desenvolvimento do Logística de Norte de Minas, Protagonismo Jequitinhonha, Integração e Defesa Social Juvenil Mucuri e Rio Doce Desenvolvimento DESTINATÁRIOS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS PESSOAS INSTRUÍDAS, JOVENS EMPRESAS DINÂMICAS EQÜIDADE ENTRE CIDADES SEGURAS E SAUDÁVEIS E PROTAGONISTAS E INOVADORAS PESSOAS E REGIÕES BEM CUIDADAS QUALIFICADAS
  • 18. PMDI – Instrumentosde Resultado de Gestão Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Áreas Número de Número de Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Projetos Indicadores Estratégica Educação de Qualidade 5 7 Documentos internos Protagonismo Juvenil 4 6 Valor Agregado da Produção 6 6 Inovação, Tecnologia e Qualidade 4 7 Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce 4 6 Logística de Integração e Desenvolvimento 7 5 Rede de Cidades e Serviços 5 4 Vida Saudável 5 5 Defesa Social 5 5 Redução da Pobreza e Inclusão Produtiva 5 5 Qualidade Ambiental 4 4 Total 55 60 Número de Número de Estado para Resultado Projetos Indicadores Qualidade e Inovação em Gestão Pública 4 3 Qualidade Fiscal 3 6 Total 7 9
  • 19. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce Participação das Regiões no PIB Estadual (2003) Dinâmicas Espaciais de Desenvolvimento Investimentos Produtivos Privados no Norte de Minas, Noroeste Jequitinhonha/Mucuri e Rio PIB: R$2,5 bilhões Norte Doce PIB per capita: R$7.176 PIB: R$5,7 bilhões Pop.: 346.205 PIB per capita: R$3.665 - Pop.: 1.546.206 R$ 8,5 bilhões Jequitinhonha/Mucuri Jequitinhonha/Mucuri Investimentos PIB: R$2,9 bilhões PIB: R$2,9 bilhões privados, PIB per capita: R$2.922 micronegócios e R$ 4,4 3,9% Pop.: 980.205 Pop.: 980.205 acesso a mercados bilhões Investimentos privados, Agronegócio: micronegócios e 1,9% agregação de acesso a mercados Alto Paranaí ba ba Alto Paranaí Central valor, serviços PIB: R$5,2 bilhões PIB: R$5,2 bilhões PIB: R$65 bilhões PIB per capita: R$8.400 1,7% - PIB per capita: R$9.721 e logística de 2005 Meta Pop.: 620.323 Pop.: 620.323 Pop.: 6.685.982 alta capacidade 2011 Rio Doce 12,7% 3,6% PIB: R$10,6 bilhões 44,9% 7,3% PIB per capita: R$6.751 Pop.: 1.563.423 4,3% CentroOeste Triângulo PIB: R$6,3 bilhões PIB: R$18,3 bilhões PIB per capita: R$6.053 PIB per capita: R$13.491 7,5% Pop.: 1.039.121 Integração Pop.: 1.359.302 internacional e Sul Sul Minas de de Minas 11,9% Zona da Mata insumos básicos e PIB: R$17,2 bilhões PIB: R$17,2 bilhões PIB: R$10,9 bilhões logística de alta PIB per capita: R$6.870 PIB per capita: R$5.191 capacidade Pop.: 2.104.364 Integração de cadeias Pop.: 2.506.043 Pop.: 2.506.043 produtivas da indústria de transformação, serviços e Fonte: FJP Elaboração Macroplan logística de valor agregado Participação das Regiões no PIB Estadual Taxa de analfabetismo (2000) 100,0% 2,0% 2,1% 2,0% 2,0% 2,0% Em % da população 38,0 97,5% 29,8 4,1% 4,1% 4,1% 4,0% 3,9% 20,9 95,0% 19,1 13,2 14,6 9,4 10,0 11,5 12,1 92,5% 90,0% 7,0% 7,2% 7,3% 7,1% 7,3% Alto Paranaíba Centro Oeste Mata Rio Doce Norte Jequitinhonha Central Noroeste Triângulo Sul / Mucuri 87,5% 86,9% 86,6% 86,7% 86,8% 86,8% 85,0% 1999 2000 2001 2002 2003 Demais Regiões Rio Doce Norte de Minas Jequitinhonha / Mucuri Fonte: FJP Fonte: Atlas de Educação de Minas Gerais
  • 20. Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Objetivos Estratégicos do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Divulgação, Cópia e uso Agenda Setorial do Choque de Gestão  Desenvolver a produção local com ênfase na formação profissional, alfabetização, no  Criar na entidade de promoção de investimentos uma empreendedorismo e no acesso a mercados unidade específica para as regiões de baixo dinamismo  Atrair investimentos produtivos privados para as regiões de baixo dinamismo econômico com destaque para o Agronegócio  Mudar radicalmente a lógica de concepção e gestão dos  Aumentar a produtividade no campo por meio da promoção do empreendedorismo, projetos de produção irrigada, a partir do mercado com dos micronegócios e da extensão rural empresas âncoras, enfoque na comercialização e  Promover a inserção regional dos investimentos públicos e privados, mediante a associação de pequenos produtores capacitação da mão de obra local, fornecimento local, logística e gestão ambiental  Reduzir as disparidades em educação, saúde e saneamento  Aprimorar os sistemas de informações estatísticas para  Inserir a região nas três dinâmicas territoriais de desenvolvimento do estado monitorar o desenvolvimento da região e permitir a gestão com base em resultados Resultados Finalísticos*  Implantar a solução institucional para a execução do projeto Vida no Vale Situação Atual 2011 2023 13,2% Elevar a participação das regiões no PIB mineiro 14,0% 15,7% (FJP, 2003) Projetos Estruturadores 4,4  Projeto 1 - Desenvolvimento da Produção Local e Acesso a Aumentar o volume de investimentos produtivos (estimativa de 8 17 Mercados privados por ano na região (em R$ bilhões de 2005) 2005)  Projeto 2 - Promoção de Investimentos e Inserção Regional Norte 73,4 / 27,9 (inclusive Agronegócio) 79 / 50 95 / 75 Aumentar o Índice de Jequitinhona- 65,3 / 41,6 Atendimento de Água/Esgoto: Mucuri 98 / 98 98 / 98  Projeto 3 - Vida no Vale 71,9 / 65 75 / 70 90 / 88 Rio Doce (IBGE,2000)  Projeto 4 - Aceleração do Aprendizado na Região Norte 43,8 / 44,8 Reduzir a taxa de distorção 30 / 30 15 / 15 Projetos Associados Jequitinhona- 54,1 / 51,7 idade-série (8a série EF / 3a série 38 / 38 20 / 20 Mucuri 41,1 / 40,5 EM) 30 / 30 15 / 15 Rio Doce (SEE, 2003)  Projeto 1 - Expansão e Adensamento da Rede de Formação Profissional Reduzir a taxa de mortalidade Jequitinhona 18,4 16 10 infantil nas Macrorregiões de Leste 19,3 16 10  Projeto 2 – PCPR Saúde: Norte de Minas 15,4 13,5 10 Fonte: SIMSINASC/DIE/SE (2005)  Projeto 3 – Projeto Jaíba Nordeste 23,2 16 10 *memória de cálculo disponível em meio eletrônico
  • 21. Educação de Qualidade – Desafios prioritários Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. em Língua Média de Desempenho Portuguesa – SAEB 2003  Aos 18 anos de idade, a 400  As desigualdades 350 população mineira 300 regionais em Minas apresenta escolaridade 250 Gerais também são Pontos 200 média de 8,4 anos de 150 visíveis no sistema de estudo, ocupando a 10a 100 ensino, implicando em 50 posição no ranking 0 disparidades de 4a s érie 8a s érie 3a s érie /EM nacional e ainda distante escolaridade ao longo do Brasil Sudeste MG Meta 2011 dos padrões Média mínima satisfatória território. internacionais. Fonte: INEP Escolaridade média da população (em  Mesmo Escolaridade média da população com 25 anos ou mais anos de estudo) registrando 8 desempenho 1991 Minas Gerais Referências Internacionais 2004 superior à média 7 Anos de estudo População com 18 (População com idade entre 25 e 64 18 anos) 2000 anos de idade nacional nos 6 13,9 13,2 exames de 5 12,6 12,6 11,8 12 proficiência 4 >10 educacional, a 3 avaliação média 2 8,4 de Minas Gerais Mineiro/Alto Vale do Vertentes Norte Oeste Mucuri Central Sul/Sudoeste Vale do Rio Jequitinhonha Triângulo Doce Zona da Mata Campo das Noroeste RMBH se encontra abaixo da média Situação ção Meta Média Reino Canadá Noruega Japão Coréia 2004 2011 OCDE Unido mínima satisfatória. Fonte: OCDE (2005) e SEDU (2005) Fonte: IPEAdata
  • 22. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão.Educação de Qualidade Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Objetivos Estratégicos Agenda Setorial do Choque de Gestão  Promover um salto na escolaridade média da população, formada em um sistema eficiente, com  Aprimorar o modelo de gestão do sistema educacional altos níveis de eqüidade e orientado por padrões internacionais de custo e qualidade para obtenção de melhores resultados  Reduzir as disparidades regionais de aprendizado em Minas Gerais • Melhorar a gestão nas escolas  Promover um salto de qualidade no ensino, orientado por padrões internacionais • Desenvolver a cultura da qualidade e de resultados • Ampliar parcerias para a participação do terceiro Resultados Finalísticos* setor • Definir modelo de gestão da escola em tempo integral Situação Atual 2011 2023 • Implantar sistema de custos e de auditoria Aumentar a escolaridade média dos jovens aos 15 e aos 18 6,6 / 8,4 anos de idade (2004) 7,5 / 10 9 / 12  Certificar professores e gestores escolares e os superintendentes regionais • Melhorar a qualidade de ensino aferida por SAEB/Prova Port / Mat Port / Port / Brasil 183,0 / 195,8 Mat Mat • Quarta série/ quinto ano do Ensino Fundamental 232,1 / 250,8 200 / 200 220 / 230 • Oitava série / nono ano do Ensino Fundamental 273,1 / 291,7 266 / 275 300 / 310 • Terceira série do Ensino Médio (2003) 312 / 325 350 / 375 Projetos Estruturadores • Redução das desigualdades regionais entre as S.R.E, calculado pela diferença ΔX=IQEmáx-IQEmín dos Índices de Qualidade de Ensino ΔX (2006) 66,67% ΔX 50% ΔX Projeto 1 - Sistemas de Avaliação da Qualidade do • Quarta série/ quinto ano do Ensino Fundamental ΔX (2006) 66,67% ΔX 50% ΔX Ensino e das Escolas • Oitava série / nono ano do Ensino Fundamental ΔX (2006) 66,67% ΔX 50% ΔX • Terceira série do Ensino Médio Projeto 2 - Escola em Tempo Integral • Elevar o percentual de docentes do Ensino Básico com Projeto 3 - Desempenho e Qualificação de Professores curso superior 51% (2005) 70% 90% • 1a a 4a série 86,9% (2005) 97% 100% Projeto 4 - Ampliação do Acesso à Pré Escola • 5a a 8a série 93,4% (2005) 100% 100% • Ensino Médio Projeto 5 - Nova Gestão das Escolas Elevar o percentual de professores / gestores escolares com 40% / 90% / 0 % / 0% (2006) certificação ocupacional 100% 100% Projetos Associados Aumentar a taxa de conclusão do Ensino Fundamental / 100% / 65,3% / 46,1% (2005) 80% / 70% Médio 100% • Projeto 1 - Escolas em Rede Reduzir a taxa de distorção idade-série no Ensino 23,3% / 39,7% (2005) 10% / 20% 3% / 5% Fundamental Médio
  • 23. Protagonismo Juvenil - Desafios Prioritários Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Evasão no Ensino Médio Uso de drogas na juventude Gravidez precoce Taxas de evasão e repetência escolar em 2003 Faixa de idade de início para o uso de drogas1 Percentual de adolescentes do sexo feminino em MG– Dados de 2005 entre 15 e 17 anos com filhos (2000) 72,40% 30% 25% 8,4 20% 8,1 7,5 15% 6,9 10% 6,1 5% 12,30% 0% 10,20% 1s EF 2s EF 3s EF 4s EF 5s EF 6s EF 7s EF 8s EF 1s EM 2s EM 3s EM 2,00% 0,40% Repetência Evasão 0 a 11 12 a 17 18 a 24 25 a 39 Acima de 40 Fonte: Centro de Acolhimento SOS Drogas - MG(2006) 1- Nota: Pesquisa realizada entre março de 2004 à julho de 2005 Fonte: INEP com 537 usuários de drogas atendidos pelo Centro Brasil RJ ES SP MG Violência nos grupos etários jovens Taxa de Homicídios em MG por grupos de idade 50 Grupo etário de Taxa de homicídios por 15 a 19 anos 100 mil habitantes 40 Grupo etário de 30 20 a 24 anos 20 Média MG 10 0 1990 1993 1996 1999 2002 Fonte: DATASUS Fonte: Censo, 2000
  • 24. Protagonismo Juvenil Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Objetivos Estratégicos Agenda Setorial do Choque de Gestão  Promover a capacidade realizadora e a contribuição social dos jovens mineiros  Criar coordenação para conduzir a Aliança Social  Mobilizar a sociedade civil para a realização das ações de protagonismo juvenil Estratégica pelo Jovem, vinculada ao Vice-Governador  Reduzir a evasão escolar no Ensino Médio  Implantar um amplo arranjo de parcerias com entidades da sociedade civil e setor privado para empreender,  Prevenir a violência, o uso de drogas, as doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez precoce mediante um programa mobilizador, a Aliança Social Estratégica pelo Jovem Resultados Finalísticos* Situação 2011 2023 Projetos Estruturadores Atual Projeto 1 - Aliança Social Estratégica pelo Jovem Aumentar o número de jovens participantes nos grupos estruturados e ativos da Aliança NA 100 mil jovens NA Projeto 2 - Poupança Jovem Social Estratégica pelo Jovem Projeto 3 - Expansão da Conclusão do Ensino Médio 47 Projeto 4 - Escola Viva e Comunidade Ativa Reduzir as taxas de homicídios entre jovens de (CRISP, 25 7 15 a 24 anos (por 100 mil jovens) 2004) Nota: A estruturação da Aliança Social Estratégica pelo Jovem poderá indicar a necessidade de divisão em 46,1% subprojetos Aumentar a taxa de conclusão do Ensino Médio 70% 100% (SEE,2005) Aumentar o percentual de jovens de 15 a 17 anos cursando o ensino médio 65,78% Projetos Associados (taxa de escolarização líquida: percentual do 75% 85% total de jovens entre 15 e 17 anos cursando o (SEE,2006) ensino médio)  Projeto 1 - Prevenção ao Uso de Drogas, Doenças Sexualmente Transmissíveis e Gravidez Precoce Aumentar o percentual de jovens de 15 a 17 anos matriculados no ensino básico 91,4% 94,0% 96,5% (taxa de atendimento escolar: percentual de (SEE, 2006) jovens de 15 a 17 anos matriculados na escola) *memória de cálculo disponível em meio eletrônico
  • 25. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Sumário 1 Os desafios da implantação da estratégia O conceito de projeto estratégico e grupo 2 sinérgico A análise da carteira de projetos utilizando o 3 modelo hierárquico e análise estrutural 4 A importância do monitoramento estratégico 25
  • 26. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Análise da Carteira de Projetos Análise multicritério para:  Avaliação da coerência dos projetos com a estratégia  Determinação da intensidade de gerenciamento dos projetos  Avaliação e otimização da alocação de recursos  Identificação dos pontos de melhoria na qualidade dos projetos 26
  • 27. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Casos  Governo do ES: Identificação dos projetos com alta necessidade de monitoramento e gerenciamento  97 projetos  11 carteiras  APEX-Brasil: Identificar medidas de gestão para melhoria da qualidade das carteiras de projetos  55 projetos  3 carteiras 27
  • 28. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Estratégia de Desenvolvimento do Espírito Santo no Horizonte 2006-2025 Recuperação e Desenvolvimento da Conservação dos Logística Recursos Naturais Agregação de valor à Produção, Adensamento das Cadeias Produtivas e Diversificação Econômica Capital Social e Desenvolvimento da Desenvolvimento do Espírito Santo Redução da Violência e Qualidade das Rede de Cidades Capital Humano 2025 da Criminalidade Instituições Capixabas Erradicação da Pobreza e Redução das Desigualdades Interiorização do Inserção Estratégica Desenvolvimento Regional Fortalecimento da Identidade e Melhoria da Imagem Capixaba
  • 29. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Ferramenta: análise estrutural de projetos e carteiras 1. Identifica e dimensiona as relações de influenciação e causalidade entre projetos ou carteiras:  Com que intensidade o projeto “i” contribui para o bom desempenho e/ou os resultados do projeto “j” ? 2. Hierarquiza os projetos (ou carteiras) em função da intensidade dessas relações  Plano motricidade x dependência 29
  • 30. FAE – Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com&expressaEstrutural Ferramenta de Análise citação da fonte. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia Gestão. Divulgação, Plano Motricidade x Dependência – Carteiras de Projetos do ES 2025 Carteiras mais motrizes 100 90 Capital Institucional Desenvolvimento da 80 Logística Capital Humano Rede de Cidades 70 Interiorização do Motricidade (%) 60 Desenvolvimento 50 Inserção Estratégica Regional 40 Controle da Aumento do Valor Agregado Erradicação da 30 Violência Pobreza 20 Recuperação e Identidade e Carteiras mais conservação de Imagem Capixaba 10 dependentes Recursos Naturais 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 30 Dependência (%)
  • 31. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Estrutura de fatores de análise dos projetos do ES 2025
  • 32. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte.
  • 33. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte.
  • 34. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte.
  • 35. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Análise Estratégica dos Projetos do ES Capacidade de Transformação 14 projetos com alta intensidade de Alta gerenciamento 48 3 47 58 71 68 5 74 79 4 9 Moderada 77 13 31 Custos 0 100.000 (R$ milhões) Risco 35
  • 36. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Sumário 1 Os desafios da implantação da estratégia O conceito de projeto estratégico e grupo 2 sinérgico A análise da carteira de projetos utilizando o 3 modelo hierárquico e análise estrutural 4 A importância do monitoramento estratégico 36
  • 37. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Monitoramento  Atividade sistemática que visa provocar decisões para eliminar obstáculos à implantação dos projetos Informação Análise e Tomada gerencial sinalização de decisão 37
  • 38. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Fatores críticos de sucesso: 1. Sistema de informações gerenciais operando em tempo real 2. Equipe dedicada ao monitoramento para  Produzir informações sintéticas, interpretadas e tempestivas  Fazer a avaliação situacional e identificar riscos  Identificar e propor medidas preventivas e corretivas  Acionar a cadeia decisória quando necessário 3. Disciplina de trabalho 38
  • 39. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Caso: Governo de São Paulo - 2005  Problema: Até 2005, o ajuste fiscal “congelou” a capacidade de gasto do Governo de São Paulo. Após obtenção do equilíbrio das contas, foi necessário recuperar a capacidade de investir  Medidas:  Seleção de 46 projetos prioritários em uma carteira de 200, por meio de uma combinação de quatro variáveis. Efeito estruturante (alavancagem do desenvolvimento), valor, capacidade de execução  Implantação do gerenciamento intensivo para acelerar a tomada de decisão, com gerentes, núcleo de monitoramento e remoção de restrições sistêmicas 39
  • 40. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Caso do Gov do Estado de São Paulo Execução orçamentário-financeira* mensal da Carteira de Projetos Estratégicos em Período com Gerenciamento Intensivo 432,3 376,8 350,1 319,7 285,4 282,0 198,1 Média Jun Jul Ago Set Out Nov Jan-Mai * Valores liquidados mais Restos a Pagar 2004 pagos.
  • 41. Direitos reservados à Macroplan - Prospectiva, Estratégia & Gestão. Divulgação, Cópia e uso do Conteúdo permitido apenas com expressa citação da fonte. Mensagem final  O projeto é um instrumento poderoso de mobilização organizacional para concretização de uma estratégia  Carteiras de projetos organizadas e geridas em função de outcomes são mais complexas, portanto, demandam forte intensidade de gerenciamento e monitoramento  Utilização das ferramentas de priorização não só para priorizar projetos, mas também para avaliar a intensidade de gerenciamento e monitoramento e melhorar a qualidade da carteira Gerir para resultados não é por ordem é dar vida aos processos! 41