Salão universitário 2012 tweet noticioso a forma da notícia no twitter

492 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
492
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Apontar apenas o objetivo de cada parte do Trabalho! 1 º ) REVISÃO BIBLIOGRÁFICA: explorou o modelo técnico padrão de constituição da notícia (enunciado jornalístico padrão), a linguagem jornalística padrão e as novas possibilidades técnicas advindas com o ciberespaço e com as ferramentas de mídia social como o Twitter. 2 º ) ESTUDO DE CASO: analisou 134 enunciados jornalísticos veiculados no Twitter.
  • Salão universitário 2012 tweet noticioso a forma da notícia no twitter

    1. 1. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS SALÃO UNIVERSITÁRIO 2012 TWEET NOTICIOSO:a forma da notícia no Twitter Orientadora: Profa. Dra. Raquel Recuero Mabel Oliveira Teixeira
    2. 2. # INTRODUÇÃO  A LINGUAGEM JORNALÍSTICA EM SITES DE REDES SOCIAIS (SRSs)DISSERTAÇÃO TESE TÉCNICA/JORNALISMO TÉCNICA/JORNALISMO ESFERA de ATIVIDADE ESFERA de ATIVIDADE ENUNCIADO ENUNCIADO GÊNEROS DISCURSIVOS GÊNEROS DISCURSIVOS Tipificação dos Tweet Conversacional Tweet Conversacional Enunciados W Jornalísticos no EB Tweet Chamada Tweet Chamada Twitter Tweet Noticioso Tweet NoticiosoDenominamos de tweet noticioso oobjeto-textual, produzido e veiculadoatravés do SRS Twitter, que vise adivulgação de informações e/ou dadosvoltados à exploração de um fatojornalístico, ou seja, uma notícia.
    3. 3. # INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL: OBJETIVO GERAL: Discorrer sobre os tweets jornalísticos voltados ààdivulgação de informações factuais Discorrer sobre os tweets jornalísticos voltados divulgação de informações factuais(tweets noticiosos), descrevendo sua estrutura eeindicando os propósitos aos quais servem (tweets noticiosos), descrevendo sua estrutura indicando os propósitos aos quais servem enquanto produtos jornalísticos. enquanto produtos jornalísticos. MOTIVAÇÃO: MOTIVAÇÃO:Contribuir aos estudos sobre gêneros discursivos (BAKHTIN,2010) na Web (ARAÚJO, 2004) ee Contribuir aos estudos sobre gêneros discursivos (BAKHTIN,2010) na Web (ARAÚJO, 2004) estimular as pesquisas multidisciplinares que buscam compreender as novas linguagens estimular as pesquisas multidisciplinares que buscam compreender as novas linguagensoriundas das ferramentas de CMC (RECUERO,2012), do contexto sócio-cultural da sociedade oriundas das ferramentas de CMC (RECUERO,2012), do contexto sócio-cultural da sociedadeem rede (CASTELLS, 2010) eedas características do ciberespaço (LÉVY, LEMOS, 2010; LEMOS, em rede (CASTELLS, 2010) das características do ciberespaço (LÉVY, LEMOS, 2010; LEMOS, 2009) eedos SRSs (RECUERO, 2009). 2009) dos SRSs (RECUERO, 2009). METODOLOGIA: METODOLOGIA:-Pesquisa Qualitativa -Pesquisa Qualitativa-Análise de 122 tweets noticiosos, coletados no dia 16/06/2011, dos perfis dos jornais Folha -Análise de 122 tweets noticiosos, coletados no dia 16/06/2011, dos perfis dos jornais Folhade São Paulo (FSP), Zero Hora (ZH) eeDiário Popular (DP). de São Paulo (FSP), Zero Hora (ZH) Diário Popular (DP).
    4. 4. Sociedade em Rede Sociedade em Rede Tweet Noticioso: Tweet Noticioso: Jornalismo Padrão Jornalismo Padrão Webjornalismo Webjornalismo EEstruturaee propósito strutura propósito↳ Contexto histórico: ↳ Contexto histórico: ↳ Técnica no Twitter:- Sociedade Industrial; - Sociedade em Rede; - Técnica Jornalística;- Cultura da Escrita; - Cultura da Virtualidade - Técnica do Twitter;- Tecnologia Real; ↳Linguagem Híbrida:tipográfica/eletrônica. - Tecnologia Digital. - Tipificação dos Tweets↳ Técnica Padrão: ↳ Ferramentas de - Tweet noticioso;- Pirâmide Invertida; Comunicação:- Lide; - Redes Sociais na Internet;- “Jornalês”. - O Twitter. ↳ Webjornalismo: - Nova arquitetura da notícia; - Jornalismo no Twitter. Castells (2003, 2007, 2010); Castells (2003, 2007, 2010); Lévy (1995, 1999); Santaella Lévy (1995, 1999); Santaella (2007); Lemos (2004); (2007); Lemos (2004); Mielniczuk (2001, 2002, 2005); Mielniczuk (2001, 2002, 2005); Canavilhas (2006); Recuero Canavilhas (2006); Recuero (2009a, 2009b, 2011); Zago (2009a, 2009b, 2011); Zago
    5. 5. # ANÁLISE E APONTAMENTOS ESTRUTURA DA NOTÍCIA PADRÃO ESTRUTURA DO TWEET NOTICIOSO Modelo da PI Modelo da PI Modelo da PD Modelo da PD(COMASSETO, 2003) (CANAVILHAS, 2006) RELEVÂNCIA (+) Lide Corpo U.B N.Expl. N.Cont. N.Explor. Pé (-) (-) INFORMAÇÃO (+) Lide Lide ““Microlide” Microlide” -O quê? -O quê? -Quando?? -Quando O quê (122) O quê (122) Quando (14) Quando (14) -Quem? -Quem? -Como? -Como? Quem (99) Quem (99) Como (13) Como (13) -Onde? -Onde? -Por quê? -Por quê? Onde (45) Onde (45) Porquê (10) Porquê (10) LIMITAÇÃO DE 140 CARACTERES
    6. 6. # ANÁLISE E APONTAMENTOS ESTRUTURA DO TWEET NOTICIOSO MICROLIDE EL. CONTEXTUALIZADOR LINK + + Através dos links, os Cartola (59) Cartola (59) veículos convidam seus seguidores a Indicador modal do link Indicador modal do link obterem uma exploração mais Termo contextualizador Termo contextualizador ampliada do que está Indíce temático sendo reportado. Indíce temático ç ç Elem. do Lide Elem. do Lide- A presença constante do tweet noticioso demonstra a preocupação dosveículos em explorar o caráter midiático assumido pelo Twitter;- O caráter de SRS do Twitter permite que os jornais/usuários alcancem umarede, potencialmente, infinita e planetária;
    7. 7. # RESULTADOS E CONCLUSÕES # RESULTADOS E CONCLUSÕES (+) O tweet noticioso é, grosso modo, resultado do hibridismo entre elementos das (+) O tweet noticioso é, grosso modo, resultado do hibridismo entre elementos das linguagens jornalística, hipertextual eedo Twitter. Acreditamos que tal composição visa linguagens jornalística, hipertextual do Twitter. Acreditamos que tal composição visa atender as necessidades de uma sociedade cada dia mais focada na velocidade, atender as necessidades de uma sociedade cada dia mais focada na velocidade, mobilidade eeinteração possibilitadas pelas ferramentas midiáticas always on; mobilidade interação possibilitadas pelas ferramentas midiáticas always on;(+) Assim, acreditamos que, com base em nossa análise, o tweet noticioso pode ser (+) Assim, acreditamos que, com base em nossa análise, o tweet noticioso pode sercaracterizado, de forma geral, como um enunciado : : caracterizado, de forma geral, como um enunciado1) HIPERCONCISO 1) HIPERCONCISO 3) IMPESSOAL 3) IMPESSOAL 5) ELEMENTAR 5) ELEMENTAR 2) HIPERTEXTUAL 2) HIPERTEXTUAL 4) OBJETIVO 4) OBJETIVO 6) EFÊMERO 6) EFÊMERO(+) Em função do grande número de tweets noticiosos identificados e, ao mesmo tempo, (+) Em função do grande número de tweets noticiosos identificados e, ao mesmo tempo,das diferenças encontradas entre eles, propomos uma subdivisão dos tweets noticiosos das diferenças encontradas entre eles, propomos uma subdivisão dos tweets noticiososem: em: A) TWEET INFORMACIONAL A) TWEET INFORMACIONAL B) TWEET COBERTURA B) TWEET COBERTURA
    8. 8. # RESULTADOS E CONCLUSÕES # RESULTADOS E CONCLUSÕESA) TWEET INFORMACIONAL (109) A) TWEET INFORMACIONAL (109) Consideramos como tweets informacionais tweets noticiosos que se originaram de outras notícias e, ao mesmo tempo, as divulgaram. Eles são as construções mais próximas da linguagem padrão, apresentando a notícia por meio de enunciados assertivos/constatativos, impessoais e objetivos. Apesar disso, apresentam o caráter hipertextual da web e as características específicas resultantes da ferramenta: hiperconcisão; efemeridade acentuada; estrutura elementar; participação no fluxo informacional heterogêneo e interativo do Twitter.
    9. 9. # RESULTADOS E CONCLUSÕES # RESULTADOS E CONCLUSÕESB) TWEET COBERTURA (13) B) TWEET COBERTURA (13) Os tweets cobertura estão voltados a noticiar o desenrolar de um acontecimento em tempo real, semelhante as notícias minuto a minuto oferecidas em websites. A utilização do Twitter na cobertura dinâmica de um acontecimento é favorecida pelas características da plataforma (ZAGO, 2008) que, em conjunto com os dispositivos móveis e com as redes sem fim, permitem que o jornalista divulgue as informações com enorme rapidez e agilidade através de 140 caracteres. A indicação de instantaneidade (ausência de link e falta índice temporal) entre a ocorrência e a materialização do enunciado que “reporta” o fato é a principal característica dos tweets cobertura e também a sua principal diferença com relação aos informacionais. Utiliza linguagem mais informal (ex.: presença de emoticons e sinais de exclamação).
    10. 10. # RESUMO DOS RESULTADOS # RESUMO DOS RESULTADOSEmprego e apropriação deEmprego e apropriação de Aparente propósito Aparente propósito Proposta de tipificação Proposta de tipificação elementos técnicos elementos técnicos-Elementos lide: -Elementos lide: -Divulgação de conteúdo -Divulgação de conteúdo TWEET NOTICIOSO (122) TWEET NOTICIOSO (122)“microlide” (o quê, quem, “microlide” (o quê, quem, noticioso, publicação de noticioso, publicação deonde). onde). informação acerca de um informação acerca de um hiperconcisos – hiperconcisos –-Link: ligação exterior. -Link: ligação exterior. acontecimento acontecimento impessoais ––objetivos –– impessoais objetivos-Elemento -Elemento jornalístico, notícia. Os jornalístico, notícia. Os efêmeros – hipertextuais –– efêmeros – hipertextuaiscontextualizador: contextualizador: veículos buscam explorar aa veículos buscam explorar elementares elementareselementos do lide (como, elementos do lide (como, capacidade do de capacidade do de -Tweet informacional -Tweet informacionalquando, onde, por quê); quando, onde, por quê); publicização do Twitter. publicização do Twitter. (109) (109)cartola (indicacador modal cartola (indicacador modal -Tweet cobertura (13) -Tweet cobertura (13)do conteúdo linkado, do conteúdo linkado,indicador do tema, termo indicador do tema, termocontextualizador). contextualizador). Trabalhos Futuros Trabalhos Futuros
    11. 11. “O conhecimento materializado no aparato permite que este seja capaz de estender habilidades sensórias (isso é o mais óbvio), mas o habilita a estender a capacidade humana de produzir linguagens” Lúcia Santaella OBRIGADA!!! #FF: @mabel_ecos Email: mabel.ppg@gmail.comApresentação de slides disponível em: http://www.slideshare/MabelOliveiraTeixeira
    12. 12. # REFERÊNCIAS BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011. BOURDIEU, Pierre. On Television. Nova York: The New Press, 1998. BOYD, Danah; ELLISON, Nicole. Social network sites: definition, history, and scholarship. In: Journal of Computer-MediatedCommunication. 2007. Disponível em: <http://jcmc.indiana.edu/vol13/issue1/boyd.ellison.html>. Acesso em: 28 de setembro de2010. CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e terra, 2010. DOMINGUES, Isabela. Netizens e prosumers: novas mídias, co-criação e consumerismo político. In: #MídiasSociais:perspectivas, tendências e reflexões. Ebook Coletivo, 2010. FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. Rio de Janeiro: Zahar, 1982. GENRO FILHO, Adelmo. O segredo da pirâmide: por uma teoria marxista do jornalismo. Porto Alegre: Tchê, 1987. VACAS, Francisco. La comunicación vertical: medios personales y mercados de nicho. Buenos Aires: La Crujía, 2010 LEMOS, André. Cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2004. LEMOS, André. Ciber-cultura-remix. In: Seminário Sentidos e Processos. São Paulo: Itaú Cultural, 2005. Disponível em:<http://tinyurl.com/2b5tjxy>. Acesso em: 10 de agosto de 2012. LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia planetária. São Paulo: Paulus, 2010. LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: 34, 1999.PENDEZA, Ramon. #ONIBUSSM: análise comparativa da cobertura no Twitter da ocupação da Câmara de Vereadores de SantaMaria em outubro de 2010. Universidade Federal de Santa Maria, 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. Disponível em:<http://www.scribd.com/doc/47504492/8/A-abertura-do-polo-emissor-e-as-praticas-jornalisticas-nao-profissionais>. Acesso em:10 de agosto de 2012.RAMOS, Tagil Oliveira. Twitter: chiclete & camisinha. São Paulo: Novatec, 2010. RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009. RECUERO, Raquel. A Conversação em Rede. Porto Alegre: Sulina, 2012. SANTAELLA, Lúcia; LEMOS, Renata. Redes sociais digitais: a cognição conectiva do Twitter. São Paulo: Paulus, 2010. TEIXEIRA, Mabel. A construção do enunciado jornalístico no Twitter. 2011. Disponível em:<http://antares.ucpel.tche.br/poslet/dissertacoes/Mestrado/2011/A_Construcao_do_enunciado_jornalistico_no_twitter-MABEL_TEIXEIRA.pdf> TRAQUINA, Nelson. Porque as notícias são como são. Florianópolis: Insular, 2005. (Teorias do jornalismo, v.1). TRAQUINA, Nelson. A tribo jornalística – uma comunidade interpretativa transnacional. Florianópolis: Insular, 2008. (Teoriasdo jornalismo, v.2). ZAGO, Gabriela. Jornalismo em microblogs: um estudo das apropriações jornalísticas do Twitter. 2008. Disponível em:<http://pt.scribd.com/doc/5887184/O-Twitter-como-suporte-para-producao-e-difusao-de-conteudos-jornalisticos>. Acesso em: 10de maio de 2011.

    ×