QUALA FORMA DE REAGIR A TANTOS PROBLEMAS ?
Estabelecer uma política agrária baseada em:
PARA TAL, A GESTÃO DA PROPRIEDADE ...
POR QUÊ APLICAR A ILPF?
Pressão sobre
empresários/produtores -
conservação da
biodiversidade em áreas
de uso agropecuário
...
PORQUE EXISTEM
OPORTUNIDADES
IMPORTANTES
Os rebanhos
brasileiros são
conduzidos/mane
jado à pasto -
diferencial
Grandes ár...
PORQUE É UMA SAÍDA
PARA UM PROBLEMA
MAIS GRAVE QUE AS
MAIS GRAVES
DOENÇAS E PRAGAS
DE CULTURAS
AGRÍCOLAS, DE
PASTANGENS, D...
A visão consensual da integração lavoura-pecuária-
floresta é de ser uma estratégia gerencial que integra
sistemas de prod...
IMPACTOS DA ILPF
QUAL A ESTRATÉGIA DO PROGRAMA?
Adequação ambiental Educação continuada
Integração de tecnologias sustentáveis
Áreas degradadas por mau uso
agrropecuário e florestal
Pressão Ambientalista
MEIO AMBIENTE
Certificação
Adequação Ambienta...
Foto: Moacir J.S Medrado
Foto: Laércio Couto
Foto: Laércio Couto
Foto: Laércio Couto
INTEGRANDO ALIMENTOS, PASTAGENS, FLORESTA E ANIMAIS
CONTRIBUIÇÕES DA ILPF
Qualifica o agronegócio brasileiro
Produtos com origem em
agroecossistemas mais limpos
Produz matéri...
CAMINHA NO SENTIDO DE:
Respeito ao
meio ambiente
Respeito aos
consumidores
Boas Práticas
Segurança
alimentar
RESULTADO INTERESSANTE
1.000litros/dia
R$ 18.600,00/mês
R$ 3.720,00/mês
A Embrapa pesquisa sistemas agroflorestais desde o
início da década de 70 quando começou a associar
espécies amazônicas co...
UNIDADES DA EMBRAPA QUE
TRABALHAM COM AGROFLORESTA
Sul e Sudeste do Brasil
Embrapa Florestas; Embrapa Soja; Embrapa Pecuária Sul; Embrapa Clima Temperado;
Embrapa Pecuária S...
foto:Leonardo
Jornal SIF, n.78. ano 13.2005
Erva-mate associado com soja crescendo em sistema de plantio direto sem
uso de herbicidas
Município de Machadinho – Rio Gr...
EUCALIPTO X ARROZ
Utilização no: Sul – Sudeste – Centro Oeste - Norte
Erva – mate sombreada
Paraná – Santa Catarina – Rio Grande do Sul – Mato Grosso do Sul
EUCALIPTO X SORGO
SUL – SUDESTE – CENTRO OESTE – NORTE - NORDESTE
Fotografias: Professor Laércio Couto
EUCALIPTO X SOJA
SUL – SUDESTE – CENTRO OESTE - NORTE
Fotografias: Professor Laércio Couto
Alley cropping – timbó (Ateleia glazioveana Baillon)
Foto: Amilton João Baggio
Mimosa scabrella – bracatinga – Região Metropolitana de Curitiba
fotos: Amilton J. Baggio
SISTEMAS SILVIPASTORIS
7.000 ha no norte do Paraná
Extensivo para toda Região Sul - Centro Oeste – Sudeste – Norte - Norde...
Seringueira e guaraná
Paricá, mogno, ingá, desmodium, brinzantão e ovinos.
Nestor.lourenco@cpaa.embrapa.br
Banana, milho e...
Macaxeira, pupunha, cupuaçu e castanha da Amazônia
Castanha da Amazônia, guaraná e apicultura
Nestor.lourenco@cpaa.embrapa...
Pimenta do reino, pupunha, capim santo e mogno
Castanha da Amazônia, pimenta do reino, mogno e cupuaçu
Nestor.lourenco@cpa...
NORDESTE
AGROSSILVIPASTORIL
Caatinga
João Ambrósio de Araújo Filho; ambrosio@cnpc.embrapa.br
Constituição Federal de 1988
OBRIGADO!
Fotografia - Aracruz Florestal
Ilpf Embrapa Florestas Medrado Cna
Ilpf Embrapa Florestas Medrado Cna
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Ilpf Embrapa Florestas Medrado Cna

881

Published on

Palestra apresentada em evento na Embrapa Floresta quando da visita da Senadora Kátia Abreu, Presidene da CNA

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
881
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
26
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • 9
  • 11
  • 32
  • 33
  • Ilpf Embrapa Florestas Medrado Cna

    1. 1. QUALA FORMA DE REAGIR A TANTOS PROBLEMAS ? Estabelecer uma política agrária baseada em: PARA TAL, A GESTÃO DA PROPRIEDADE DEVE PAUTAR-SE EM UMA ESTRATÉGIA DE INTEGRAÇÃO DE LAVOURAS, PECUÁRIA E FLORESTA - ILPF Conservação de Recursos Naturais Recuperação de Áreas Degradadas Aplicação do manejo Florestal de Uso Múltiplo Utilização de Agroecossistemas sustentáveis Buscando o equilíbrio ecológico. Principalmente Hídrico, ao tempo em que propicie a equidade e a segurança alimentar Zoneamento Econômico e Ecológico Aperfeiçoamento da Reforma Agrária Aperfeiçoamento do Seguro Agrícola Industrialização do campo Agregação de valor
    2. 2. POR QUÊ APLICAR A ILPF? Pressão sobre empresários/produtores - conservação da biodiversidade em áreas de uso agropecuário Áreas agropecuárias podem adotar práticas favorecedoras e alcançar considerável nível de biodiversidade Necessidade de consolidar a pecuária brasileira, ambientalmente adequada, no cenário mundial.
    3. 3. PORQUE EXISTEM OPORTUNIDADES IMPORTANTES Os rebanhos brasileiros são conduzidos/mane jado à pasto - diferencial Grandes áreas com pastagens que poderão produzir, também, madeira e contribuir para os objetivos do Plano Nacional de Florestas – PNF/MMA. PORQUE PODE BENEFICIAR A AGRICULTURA FAMILIAR Agregar renda às áreas de pastagens existentes, beneficiando grande contingente da agricultores familiares que , estrategicamente, necessitam complementar renda e proteger-se de riscos Prepara o agronegócio para as exigências do comércio futuro PORQUE CONSOLIDA O AGRONEGÓCIO
    4. 4. PORQUE É UMA SAÍDA PARA UM PROBLEMA MAIS GRAVE QUE AS MAIS GRAVES DOENÇAS E PRAGAS DE CULTURAS AGRÍCOLAS, DE PASTANGENS, DE GADO E DE PLANTAÇÕES FLORESTAIS. ASFIXIA PELO MERCADO
    5. 5. A visão consensual da integração lavoura-pecuária- floresta é de ser uma estratégia gerencial que integra sistemas de produção agrícola, pecuário e florestal, em dimensão espacial e/ou temporal, buscando efeitos sinérgicos entre os componentes do agroecossistema para a sustentabilidade da unidade de produção, contemplando sua adequação ambiental e a valorização do capital natural. VISÃO Consenso tirado em grupo de trabalho entre pesquisadores da Embrapa em Reunião em Sete Lagoas, MG
    6. 6. IMPACTOS DA ILPF
    7. 7. QUAL A ESTRATÉGIA DO PROGRAMA? Adequação ambiental Educação continuada Integração de tecnologias sustentáveis
    8. 8. Áreas degradadas por mau uso agrropecuário e florestal Pressão Ambientalista MEIO AMBIENTE Certificação Adequação Ambiental – Silvicultura Conservacionista Manejo de bacias
    9. 9. Foto: Moacir J.S Medrado Foto: Laércio Couto Foto: Laércio Couto Foto: Laércio Couto
    10. 10. INTEGRANDO ALIMENTOS, PASTAGENS, FLORESTA E ANIMAIS
    11. 11. CONTRIBUIÇÕES DA ILPF Qualifica o agronegócio brasileiro Produtos com origem em agroecossistemas mais limpos Produz matéria prima para produtos florestais de vida longa - 40 a 60 anos serrados – laminados - compensados Promove a proteção à biodiversidade e à água via APP – RL ou RA Melhora as condições socioeconômicas da família Incorpora mais um produto de alto valor no mercado Contribui para a exploração sustentável nas microbacias Agroecossistemas sustentáveis – controle a erosão - APP e RL ou RA
    12. 12. CAMINHA NO SENTIDO DE: Respeito ao meio ambiente Respeito aos consumidores Boas Práticas Segurança alimentar
    13. 13. RESULTADO INTERESSANTE 1.000litros/dia R$ 18.600,00/mês R$ 3.720,00/mês
    14. 14. A Embrapa pesquisa sistemas agroflorestais desde o início da década de 70 quando começou a associar espécies amazônicas com cultivos agrícolas
    15. 15. UNIDADES DA EMBRAPA QUE TRABALHAM COM AGROFLORESTA
    16. 16. Sul e Sudeste do Brasil Embrapa Florestas; Embrapa Soja; Embrapa Pecuária Sul; Embrapa Clima Temperado; Embrapa Pecuária Sudeste; Embrapa Gado de Leite; Embrapa Agrobiologia Nordeste do Brasil Centro – Oeste do Brasil Embrapa Agroindústria Tropical; Embrapa Semi Árido; Embrapa Meio Norte; Embrapa Tabuleiros Costeiros; Embrapa Mandioca e Fruticultura ; Embrapa Meio Norte; Embrapa Maranhão Embrapa Cerrado ; Embrapa arroz e feijão - Embrapa Gado de Corte Norte do Brasil Embrapa Amazônia Oriental; Embrapa Amazônia Ocidental; Embrapa Acre; Embrapa Amapá; Embrapa Roiraima; Embrapa Rondônia; Embrapa Tocantins; Embrapa Mato Grosso; Embrapa Meio Norte; Embrapa Maranhão
    17. 17. foto:Leonardo Jornal SIF, n.78. ano 13.2005
    18. 18. Erva-mate associado com soja crescendo em sistema de plantio direto sem uso de herbicidas Município de Machadinho – Rio Grande do Sul Extensivo para : Paraná – Santa Catarina – Mato Grosso do Sul
    19. 19. EUCALIPTO X ARROZ Utilização no: Sul – Sudeste – Centro Oeste - Norte
    20. 20. Erva – mate sombreada Paraná – Santa Catarina – Rio Grande do Sul – Mato Grosso do Sul
    21. 21. EUCALIPTO X SORGO SUL – SUDESTE – CENTRO OESTE – NORTE - NORDESTE Fotografias: Professor Laércio Couto
    22. 22. EUCALIPTO X SOJA SUL – SUDESTE – CENTRO OESTE - NORTE Fotografias: Professor Laércio Couto
    23. 23. Alley cropping – timbó (Ateleia glazioveana Baillon) Foto: Amilton João Baggio
    24. 24. Mimosa scabrella – bracatinga – Região Metropolitana de Curitiba fotos: Amilton J. Baggio
    25. 25. SISTEMAS SILVIPASTORIS 7.000 ha no norte do Paraná Extensivo para toda Região Sul - Centro Oeste – Sudeste – Norte - Nordeste
    26. 26. Seringueira e guaraná Paricá, mogno, ingá, desmodium, brinzantão e ovinos. Nestor.lourenco@cpaa.embrapa.br Banana, milho e seringueira Açaí, maracujá, noni, pimenta do reino e teca
    27. 27. Macaxeira, pupunha, cupuaçu e castanha da Amazônia Castanha da Amazônia, guaraná e apicultura Nestor.lourenco@cpaa.embrapa.br
    28. 28. Pimenta do reino, pupunha, capim santo e mogno Castanha da Amazônia, pimenta do reino, mogno e cupuaçu Nestor.lourenco@cpaa.embrapa.br
    29. 29. NORDESTE AGROSSILVIPASTORIL Caatinga João Ambrósio de Araújo Filho; ambrosio@cnpc.embrapa.br
    30. 30. Constituição Federal de 1988
    31. 31. OBRIGADO! Fotografia - Aracruz Florestal
    1. A particular slide catching your eye?

      Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

    ×