• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Relatório de autoavaliação-resumo
 

Relatório de autoavaliação-resumo

on

  • 4,218 views

 

Statistics

Views

Total Views
4,218
Views on SlideShare
3,404
Embed Views
814

Actions

Likes
2
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 814

http://nonio.ese.ipsantarem.pt 814

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Relatório de autoavaliação-resumo Relatório de autoavaliação-resumo Presentation Transcript

    • RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR LÍDIA JORGE 2010-2011 Escola Sec/3 Sta Maria do Olival - Tomar Apresentação ao Conselho Pedagógico 27 setembro 2011
    • Dados gerais sobre a BE
      • Aquisições:
        • 263 documentos
          • 219 livros
          • 23 CD
          • 14 DVD lúdicos
          • 7 DVD didáticos
      • Recebemos 25 títulos de periódicos
        • 9 jornais e respectivas revistas suplementares
        • 16 revistas
        • Catálogo (informatizado e online)
          • Obras/livros catalogados: aumento de 12%
    • Dados gerais sobre a BE
      • Divulgação da informação:
        • 4706 visitas ao blogue da BE
        • Placares informativos
        • Panfletos informativos distribuídos pela escola
        • Apresentações em PPT na BE
      • Empréstimos/requisições
        • Domicílio: 549
        • Para aulas: 5834 (dicionários, máquinas de calcular, …)
    • Dados gerais sobre a BE
        • Plano anual de actividades
          • Das previstas logo no início do ano (sem parcerias): 84%
          • Actividades realizadas, do total das previstas no início do ano (dependentes de parcerias): 75%
      Equipamentos Nº de utilizações contabilizadas Aulas dadas na BE 112 PC’s fixos 4047 Portáteis (BE e salas) 3784
    • Dados gerais sobre a BE
      • Materiais produzidos:
        • Guiões de trabalho de pesquisa
        • Guia do utilizador
        • Regulamento interno
      • Tratamento estatístico
        • Autoavaliação da BE
        • Trabalho de apoio ao aluno
        • Trabalho colaborativo com (alguns) professores/grupos
      • instrumento de sistematização e de difusão de resultados
      • descreve os resultados da autoavaliação
      • delineia o conjunto de ações a ter em conta no planeamento de atuações futuras a desenvolver
      O relatório da autoavaliação da BE Deve originar uma súmula a incorporar no relatório de autoavaliação da escola e orientar o professor bibliotecário na entrevista a realizar pela Inspeção-geral de Educação
    • Metodologia
      • Selecionar o domínio
      • Produzir evidências
      • Identificar o perfil de desempenho
      • Registar a avaliação: os resultados da avaliação do domínio selecionado são reportados no relatório de avaliação (quadro na secção A). Esse quadro inclui uma coluna onde devem ser assinaladas as ações consideradas necessárias para a melhoria.
    • Metodologia
      • Selecionar em cada ano um dos domínios (A, B, C ou D) para a realização da avaliação.
      • Ao fim de quatro anos todos os domínios terão sido avaliados, estando nesse momento a BE e a escola na posse de dados que cobrem todas as áreas de intervenção.
      • Como já se referiu, o resultado global da avaliação da BE deverá ser integrado na avaliação interna da escola.
    • Metodologia
      • Produzir evidências : o domínio escolhido será objeto de análise sustentada nas evidências obtidas ao longo do processo, tendo por base registos vários , fontes documentais e os dados fornecidos pela aplicação dos instrumentos de recolha de informação.
      • Identificar o perfil de desempenho : os resultados da análise efetuada serão depois confrontados com os perfis de desempenho apresentados para cada um dos domínios, no sentido de verificar em que nível se situa a BE.
    • Metodologia
      • Registar a avaliação : os resultados da avaliação do domínio selecionado são reportados no relatório de avaliação (quadro na secção A). Esse quadro inclui uma coluna onde devem ser assinaladas as ações consideradas necessárias para a melhoria . De facto, é essencial que, face aos resultados da avaliação, sejam equacionadas as estratégias e medidas a tomar com vista ao melhoramento do desempenho da BE. Este é um dos objetivos fundamentais da avaliação.
    • A avaliação realizada vai articular-se, em cada domínio/subdomínio, com os perfis de desempenho que caracterizam o que se espera da BE, face à área analisada. Note-se que, na maioria dos casos, esse desempenho não depende da ação isolada da própria BE, estando envolvidos outros atores, como os órgãos de administração e gestão e os docentes em geral, pelo que a avaliação da biblioteca escolar acaba, de facto, por envolver e implicar toda a escola. Perfis de desempenho
    • Domínio Avaliado: C
      • C.1.1 Apoio à aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos
      • C.1.2 Dinamização de atividades livres, de carácter lúdico e cultural na escola/agrupamento
      • C.1.3 Apoio à utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer e livre fruição dos recursos
      • C.1.4 Disponibilização de espaços, tempos e recursos para a iniciativa e intervenção livre dos alunos
      • C.2.1 Envolvimento da BE em projetos da respetiva escola/agrupamento ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo
      • C.2.2 Desenvolvimento de trabalho e serviços colaborativos com outras escolas, agrupamentos e BE
      • C.2.3 Participação com outras escolas/agrupamentos e, eventualmente, com outras entidades (RBE, DRE, CFAE) em reuniões da BM/SABE ou outro grupo de trabalho a nível concelhio ou interconcelhio
      • C.2.4 Estímulo à participação e mobilização dos pais/encarregados de educação no domínio da promoção da leitura e do desenvolvimento de competências das crianças e jovens que frequentam a escola/agrupamento. (Só para o Ensino Básico)
      • C.2.5 Abertura da BE à comunidade local.
      • C.1 Apoio a atividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular
      • C.2 Projetos e Parcerias
      C. Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura à comunidade
    • Intervenientes no processo Amostras (mínimas): Alunos : 10% do número total de alunos (em escolas de maior dimensão – com mais de 800 alunos –, esta percentagem pode ser inferior). Ano / Ciclo de Ensino 2009/2010 N.º de Alunos N.º de intervenientes % 7.º Ano 82 84 9 10.71 8.º Ano 99 78 9 11.54 9.º Ano 68 102 12 11.76 Total 3.º Ciclo 249 264 30 11,36 10.º Ano 186 182 28 15.38 11.º Ano 196 190 20 10.53 12.º Ano 138 185 21 11.35 Total Ensino Secundário 520 557 69 12.39 Total 783 821 99 12.06
    • Outros intervenientes no processo
      • Amostras (mínimas):
        • Escolas com 50 ou mais docentes: 20% do n.º total de docentes .
        • Pais/encarregados de educação (só para o ensino básico): tal como para os alunos, uma amostra correspondente a 10%.
      Departamentos/outros intervenientes com funções pedagógicas Nº Total Nº de Inquiridos % Pais/ encarregados de educação N.º N.º de inquiridos % EE do 3º CEB 249 249 28 10.61 Outros a definir N.º N.º de inquiridos %
    • C.1 Apoio a atividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular
      • Pontos fortes
      • A maioria dos alunos considera que a BE os apoia nas suas atividades livres e de estudo.
      • A frequência com que os alunos afirmam usar a BE para além das atividades letivas (uma ou duas vezes por semana) .
      • Grau de satisfação dos alunos relativamente ao horário da BE.
      • Produção de material de apoio ao trabalho dos alunos.
      C.1.1 . Apoio à aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos
    • C.1.1 . Apoio à aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos
      • Pontos fracos
      • A percentagem de alunos que utiliza a BE para estudar/trabalhar fica ainda aquém do expectável.
      • Apesar de não ser referido como ponto fraco pelos alunos, a equipa da BE entende que o horário deveria ser mais alargado.
    • C.1.2 Dinamização de atividades livres, de carácter lúdico e cultural na escola/agrupamento
      • Pontos fortes
      • As atividades culturais dinamizadas pela BE serem numerosas, diversificadas e interessantes.
    • C.1.3 Apoio à utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer e livre fruição dos recursos
      • Pontos fortes
      • Incentivo dado aos alunos para uma utilização autónoma e voluntária da BE.
      • Taxa de utilização da BE em regime livre.
      • Fundo documental que responde aos interesses e às necessidades dos utilizadores.
    • C.1.4 Disponibilização de espaços, tempos e recursos para a iniciativa e intervenção livre dos alunos
      • Pontos fortes
      • Grande procura, por parte dos alunos, do espaço da BE como "montra" dos seus trabalhos e criatividade.
    • C.2 Projetos e Parcerias
    • C.2.1 Envolvimento da BE em projetos da respetiva escola/agrupamento ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo
      • Pontos fortes
      • Satisfação manifestada pelos públicos das diferentes atividades (vinda de escritoras/ilustrador/atividades leitura hora almoço/dia da poesia/…).
      • Congratulação por parte da Biblioteca Municipal relativamente aos materiais cedidos.
      • A BE ter sido escolhida, como local de encontro de trabalho, por um significativo número de alunos da Área Projeto do 12º ano.
    • C.2.1 Envolvimento da BE em projetos da respetiva escola/agrupamento ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo
    • C.2.2 Desenvolvimento de trabalho e serviços colaborativos com outras escolas, agrupamentos e BE
      • Pontos fortes
      • Sucesso das atividades realizadas em parceria com outras BE do concelho.
      • Avaliação das atividades feita pelos respetivos destinatários.
      • Caráter interativo da atividade relativa ao Dia da Poesia.
    • C.2.3 Participação com outras escolas/agrupamentos e, eventualmente, com outras entidades (RBE, DRE, CFAE) em reuniões da BM/SABE ou outro grupo de trabalho a nível concelhio ou interconcelhio
      • Pontos fortes
      • Partilha de experiências.
      • Desenvolvimento de atividades comuns.
    • C.2.4 Estímulo à participação e mobilização dos pais/encarregados de educação no domínio da promoção da leitura e do desenvolvimento de competências das crianças e jovens que frequentam a escola/agrupamento (Só para o Ensino Básico)
      • Pontos fortes
      • Não identificados
    • C.2.5 Abertura da BE à comunidade local
      • Pontos fortes
      • Não identificados
    • Síntese da autoavaliação do domínio C
      • Nível obtido (1 a 4): 3
      • porquê nível 3?
      • esta avaliação deve ser integrada na autoavaliação da escola.
      Motivo da escolha do domínio C Dar sequência à implementação do MABE da RBE (em 2009/2010, domínio avaliado foi o B).
    • Perfis de desempenho por subdomínio
    • Ações para melhoria – C1
      • Incentivar os alunos a utilizar mais frequentemente a BE para estudar/trabalhar.
      • Dinamizar e promover mais atividades no âmbito da leitura e das literacias.
      • Promover uma utilização autónoma e voluntária da BE, pelos alunos, que abranja, de forma mais equilibrada, os diversos recursos existentes, evitando uma utilização quase exclusiva dos computadores.
      • Aquisição de material de apoio para a realização de exposições na BE.
    • Ações para melhoria – C2
      • Aumentar o trabalho colaborativo com outras BE do concelho.
      • Promover mais interações no seio do Grupo de Trabalho Concelhio.
      • Maior incentivo à participação e mobilização dos EE na vida da BE.
      • Solicitar, junto da Associação de Pais e EE, um maior envolvimento na promoção da leitura e literacias.
      • Reforçar as parcerias já estabelecidas.
      • Criação de uma comunidade de leitores que promova a troca de experiências de leitura.
    • Relativamente ao Domínio B avaliado em 2009/2010: Recomendações do Conselho Pedagógico de 19/10/2010
      • Congratulou-se com o resultado, principalmente com as áreas fortes, tendo concordado com a avaliação realizada.
      • Foram aprovadas as ações de melhoria, tendo sido realçadas as seguintes:
        • Articulação e planificação mais estreitas entre os grupos disciplinares/projetos e a BE.
        • Elaboração de um guião para trabalhos de pesquisa que sirva toda a escola.
        • Reforçar o envolvimento dos professores nas atividades que promovam a leitura e as literacias, pois só assim as competências, nestas áreas, poderão ser adquiridas pelos alunos.
    • Avaliação das ações de melhoria levadas a cabo em 2010/2011, relativamente ao Domínio B, avaliado em 2009/2010
      • Pretendia-se uma articulação e planificação mais estreitas entre os grupos disciplinares/projetos e a BE - ficou aquém das expectativas . É de continuar a promover.
      • Elaboração de um guião para trabalhos de pesquisa que sirva toda a escola - foi realizado .
      • Reforçar o envolvimento dos professores nas atividades que promovam a leitura e as literacias, pois assim as competências dos alunos, nestas áreas, poderão sair reforçadas - resultados aquém das expectativas . Apesar da melhoria já verificada, este deverá ser um aspeto a continuar a merecer investimento por parte da BE.
      • Maior número de atividades realizadas em conjunto pela BE e "parceiros" diferentes da escola; no entanto, o registo e as referências a essas atividades nos documentos dos grupos/departamentos ainda não refletem , na íntegra, essa realidade.
    • Mas, neste processo de avaliação, também os outros domínios mereceram uma “atenção avaliativa”
        • Tinha sido proposto em Conselho Pedagógico :
          • que cada conselho de turma, sobretudo do 3º CEB, elaborasse, no âmbito do respetivo PT, um projeto de leitura (seleção de obras de leitura orientada e/ou recreativa – trabalhos expostos na BE-, títulos para trabalhos de pesquisa, entre outros) que promovam a utilização da BE no desenvolvimento das competências de leitura e literacia;
          • a criação de semanas de divulgação do fundo documental , por área disciplinar, junto dos respetivos professores ;
          • que cada docente utilizasse, pelo menos uma vez no ano, um tempo letivo da sua disciplina no desenvolvimento de atividades de promoção de leitura em colaboração com a BE (leitura orientada, fóruns de discussão, participação em blogue, …);
          • que a Associação de Pais e Encarregados de Educação , em articulação com a BE, promova ações que envolvam as famílias na melhoria das competências de leitura dos alunos.
      Como Ações de melhoria (Domínio B)
    • Manter? Concretizar?
    • Síntese – Ações de Melhoria
        • Sensibilizar toda a comunidade escolar para a importância da leitura como suporte e progressão das aprendizagens
        • Reforçar o incentivo à requisição domiciliária de livros, particularmente no período das interrupções letivas, envolvendo os professores dos diferentes departamentos curriculares.
        • Criar um sistema de registo, pouco “invasivo” e pouco “perturbador” do funcionamento da BE, do número de utilizadores em atividades de carácter informal e que não carecem de requisição – é necessário que os utilizadores “comuniquem” no balcão de atendimento “ao que vêm.
        • Aumentar o número de atividades de promoção da leitura.
        • Aumentar o número de alunos que participem em atividades de leitura na BE.
    • Síntese – Ações de Melhoria
        • Apelar a uma maior participação dos alunos nos concursos de leitura, no blogue e na plataforma Moodle.
        • Apelar a uma maior participação dos docentes nas atividades de promoção da leitura e das literacias em colaboração com a BE.
        • Aumentar o número de docentes que integrem a BE e os seus recursos nas suas funções docentes relacionadas com o desenvolvimento de competências de leitura dos alunos.
        • Implementar, de forma mais sistemática, práticas colaborativas entre a BE e os departamentos curriculares/grupos disciplinares.
        • Produzir listas bibliográficas e de sítios da internet, em articulação com os departamentos curriculares, para orientação de trabalhos de pesquisa dos alunos na BE.
    • Síntese – Ações de Melhoria
        • Realizar reuniões com as estruturas intermédias e com os responsáveis do 3º CEB no sentido de planificar atividades conjuntas de promoção da leitura.
        • As propostas do Conselho Pedagógico:
          • que cada conselho de turma, sobretudo do 3º CEB, elabore no âmbito do respetivo PT, um Projeto de leitura (seleção de obras de leitura orientada, títulos para trabalhos de pesquisa, entre outros) que promovam a utilização da BE no desenvolvimento das competências de leitura e literacia;
          • a criação de semanas de divulgação do fundo documental, por área disciplinar, junto dos respetivos professores;
          • que cada docente utilize, pelo menos uma vez no ano, um tempo letivo da sua disciplina no desenvolvimento de atividades de promoção de leitura em colaboração com a BE (leitura orientada, fóruns de discussão, participação em blogue, …);
          • que a Associação de Pais e Encarregados de Educação, em articulação com a BE, promova ações concertadas que envolvam as famílias na melhoria das competências de leitura dos alunos.
    • Síntese – Ações de Melhoria
        • Apostar em intervenções de articulação curricular de maior impacto junto dos alunos da escola.
        • Elaboração de guiões de trabalho que sirvam toda a escola.
        • Enriquecer o fundo documental não livro (DVD’s e CD’s) de carácter lúdico, didático e cultural (também para ocupação de tempos livres).
        • Reforçar parcerias com os Projetos dinamizados na escola, em que a participação da BE seja pertinente.
        • Desenvolver Projetos e/ou Atividades, em diferentes domínios, com a Associação de Pais e Encarregados de Educação.
        • Aumentar o nível de participação dos docentes no levantamento de necessidades a que a BE pode dar resposta.
    • Síntese – Ações de Melhoria
        • Apelar, de forma mais assertiva, ao envolvimento de todos os intervenientes no processo de autoavaliação da BE.
        • Solicitar, ao centro de formação, mais Ações de formação no âmbito da promoção da leitura e das literacias.
        • Elaboração do documento “Política de desenvolvimento da coleção”, em articulação com o GTC.
        • Melhorar a sinalética das estantes/prateleiras.
        • Proceder a uma melhor gestão do tempo/tarefas por parte da equipa da BE.
        • Conhecer a biblioteca para melhor a usar: Formação de utilizadores (só 7º e 10º anos)
      • Este ano letivo, iremos avaliar o domínio D .
      • Razões :
      • Monitorização do funcionamento da BE no âmbito da gestão.
      • Seguir a sequência proposta pelo modelo de autoavaliação das BE’s da RBE
      • Partilhar, com outras escolas de Tomar que estão a aplicar o MABE e que vão, igualmente, avaliar o domínio D, eventuais medidas de implementação do processo.
      2011/2012
    • Relatório da autoavaliação 2010-2011 http://avaliacao.rbe.min-edu.pt/relatorioPdf.jsp
    • Fontes de evidências
      • Documentos de gestão da Escola
          • Projeto Educativo da escola;
          • Projeto Curricular da escola;
          • Plano Anual de Atividades da Escola.
        • Documentos pedagógicos da Escola
          • Atas das reuniões do Conselho Pedagógico;
          • Levantamento estatístico dos resultados de avaliação dos alunos.
        • Documentos de Gestão da BE
          • Regulamento/regimento Interno da BE;
          • Plano Anual de Atividades da BE;
          • Protocolo da constituição do Grupo de Trabalho Concelhio das Bibliotecas Escolares de Tomar (GTC);
          • Memorandos das reuniões do GTC;
          • Inventário e catálogo da BE.
        • Documentos de funcionamento e dinamização da BE
          • Atas das reuniões da equipa da BE;
          • Atas das reuniões da equipa da BE com os professores colaboradores;
          • Relatórios de avaliação da equipa da BE;
          • Relatórios de Atividades realizadas;
          • Estatísticas da BE;
          • Materiais produzidos pela BE;
          • Sugestões dos utilizadores.
      • Devido ao carácter sigiloso das reuniões dos conselhos de turma, escusámo-nos de consultar Atas e outros documentos dos CT.
    • Nível Descrição 4 A BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo. 3 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos. 2 A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. 1 A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência. Níveis de desempenho
    • Resumo dos resultados Resumo dos resultados de autoavaliação a integrar no relatório de autoavaliação da escola (Tópicos de apresentação da Escola à IGE) e a referenciar na entrevista com a Inspeção Geral de Educação   Sugestões para enquadramento dos resultados de autoavaliação da BE nos tópicos descritores dos campos em análise no Relatório da Escola:   1 - Contexto e caracterização geral da escola Condições físicas (espaço, equipamentos, recursos documentais) e recursos humanos da BE e forma como contribuíram para a melhoria do trabalho escolar e acolhimento dos alunos. 2 – O Projeto Educativo Contributo da BE para o cumprimento dos objetivos e prioridades estabelecidos pelo Projeto Educativo da Escola/Agrupamento. 3 - Organização e gestão da escola Articulação da BE com as várias estruturas pedagógicas. Apoio e contributo da BE para a qualidade científica e pedagógica da atividade letiva e para a formação/ integração dos alunos. 4 – Ligação à comunidade Projetos, parcerias e atividades com resultados na ligação da escola à comunidade. 5 – Clima e ambiente educativos Papel da BE no acolhimento aos alunos. Atividades de apoio à escola na criação de um ambiente educativo favorável à integração e ao sucesso educativo. 6 - Resultados Impacto da BE nos resultados académicos e sociais dos alunos. Contributo para as aprendizagens nos diferentes domínios de atividade da BE.   OBS : Em cada ano a BE deve rentabilizar os resultados do domínio que avaliou relacionando-os com estes campos de análise de desempenho da escola.