O Pavão e o Grou: Interpretação de uma fábula

16,815 views
16,204 views

Published on

Published in: Education
1 Comment
12 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
16,815
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
81
Actions
Shares
0
Downloads
180
Comments
1
Likes
12
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Pavão e o Grou: Interpretação de uma fábula

  1. 1. Nome: ___________________________________________________________ Turma: _________ N.º__________ Data: _______/______/____ O Pavão e o Grou A. Selecciona a resposta que te é pedida, de entre as que se encontram à tua escolha. Talvez vocês não saibam, mas os antigos (e principalmente os Gregos) comiam os pavões como nós hojecomemos os frangos. Consideravam-nos um excelente alimento e criavam-nos juntamente com os outrosanimais de galinheiro. Um destes pavões (o pavão mais vaidoso desta terra), não contente com abrir a cauda em leque decinco em cinco minutos, aborrecia os seus companheiros de capoeira com grandes discursos sobre a suabeleza. - Olhem para mim, observem-me bem - dizia. - Já alguma vez viram uma ave mais bonita do que eu?Vejam que desenho, que tonalidades brilhantes, que...Ora, o acaso quis que um grou, em viagem para regiões quentes, aterrasse sobre o tecto da capoeira paraaí descansar um pouco. O esvoaçar das suas asas interrompeu o pavão, que lhe dirigiu um olhar ameaçadore prosseguiu: - ...que delicadeza de tons! Às vezes só consigo sentir pena. No entanto, pensando bem, há ainda quemseja mais feio que vocês. Querem sentir-se melhor? Olhem para aquele passareco lá em cima, com aquelebico desproporcionado e... aquele pescoço inacreditável! - Isso é para mim, amigo? - perguntou calmamente o grou. - E para quem mais poderia ser? - respondeu o pavão. - Bem, se fosse a ti não me inquietaria tanto. Tenho o pescoço comprido, é verdade, é mesmo assim.Quanto a ti, vais ficar com ele mais comprido quando o teu dono to cortar para te meter na panela. Vaisficar tão belo como as galinhas. E enquanto estás para aí a esgravatar e dizer todos esses disparates, euparto em direcção ao céu, lá para cima, para o meio das nuvens... O grou abriu as suas grandes asas, bateu-as três ou quatro vezes e levantou voo, majestoso, a caminhodo seu destino, do lado de lá do mar. Moral da história: frequentemente, uma roupa modesta veste uma pessoa de grande valor, enquanto oluxo e a riqueza escondem muitas vezes uma nulidade. As Mais Belas Fábulas de Esopo
  2. 2. 1. Os Gregos consideravam os pavões... 8. "Vais ficar tão belo como as galinhas». O recurso expressivo usado foi o seguinte: aves sagradas. adjectivação. um excelente alimento. repetição. uma ave apenas para admirar. comparação.2. O pavão encontrava-se... 9. O grou abriu as asas e levantou voo... numa capoeira, junto com as outras aves. calmamente. isolado numa capoeira. majestosamente. no jardim, à solta. desajeitadamente.3. O pavão conversava com as outras aves sobre... 10. A moral desta fábula é... assuntos comuns a todos. a vaidade é uma grande virtude. o problema de um companheiro. uma aparência modesta esconde por vezes a sua grande beleza. uma pessoa de valor.4. Um grou pousou no tecto da capoeira para... é preferível ser do que parecer. admirar a beleza do pavão. descansar um pouco, durante o voo migratório. descansar e conversar um bocadinho.5. O pavão dirigiu ao grou um olhar ameaçador porque... era mais bonito do que ele. este lhe interrompeu o discurso. ficou a falar sozinho6. O pavão ridicularizou o grou mencionando... o bico desproporcionado e pescoço inacreditável. o bico comprido. o pescoço enorme.7. O grou, ouvindo as palavras do pavão, ... zangou-se com os seus insultos. respondeu-lhe de maneira inteligente. olhou-o com indiferença e voou.
  3. 3. B. Responde às seguintes questões: 1. O pavão e o grou encontraram-se certo dia… 1.1.Como reagiu o pavão ao ver a aparência do grou? _________________________________________ ________________________________________________________________________________ 1.2. Convencido da sua beleza, o que fez para impressionar o companheiro? __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________2. A verdade é que não se deve julgar os outros pelas aparências. Há qualidades que têm mais valor… A demonstrá-lo, o que fez o grou? __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________3. Embora muito belas, as penas do pavão não lhe resolviam todos os problemas. Concordas com esta afirmação? Justifica a tua afirmação. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________4. O pavão, inicialmente convencido da sua superioridade, aparentava agora estar desapontado e abatido no seu orgulho. Porquê? __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________5. Qual foi a lição que recebeu? Responde, transcrevendo a moral desta fábula. __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________
  4. 4. 6. Como se designa o recurso expressivo utilizado nas fábulas? __________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________ C- FUNCIONAMENTO DA LÍNGUA 1. Associa, através de números, as formas verbais da coluna A, às definições da coluna B. Coluna A Coluna B 1. comecei Verbo da 2.ª conjugação, Pretérito Imperfeito do Indicativo, 3.ª pessoa do plural 2. abriu Verbo da 3.ª conjugação, Pretérito Imperfeito do Indicativo, 3.ª pessoa do singular 3. pedia Verbo da 3.ª conjugação, Pretérito Perfeito do Indicativo, 3.ª pessoa do singular 4. tiveram Verbo da 1ª conjugação, Pretérito Perfeito do Indicativo, 1.ª pessoa do singular

×