PrincíPios De LiderançA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

PrincíPios De LiderançA

on

  • 18,754 views

 

Statistics

Views

Total Views
18,754
Views on SlideShare
18,752
Embed Views
2

Actions

Likes
10
Downloads
677
Comments
0

1 Embed 2

http://www.slideshare.net 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

PrincíPios De LiderançA Presentation Transcript

  • 1. PRINCÍPIOS DE LIDERANÇA
  • 2. Toda vez que existe um grupo de pessoas se relacionando numa comunidade, empresa, governo, escola e empresa, haja ou não um líder oficial, sempre haverá um líder.
  • 3. QUALIDADES BÁSICAS DO LÍDER CRISTÃO
    • Segundo Ellen G. White :
    1- O líder deve estar ligado a DEUS; 2- Deve ser um homem de oração; 3- Deve olhar para Jesus; 4- O líder cristão deve ser bondoso; 5- Mostrar lealdade; 6- Deve ser fiel; 7- Humilde; 8- Integridade; 9- Habilidade .
  • 4.
    • Segundo Frederick J. Macarow :
    1- Inspirar confiança nos subordinados; 2- Persistência e impulso em direção ao objetivo; 3- Habilidade para comunicar-se sem ser mal interpretado; 4- Disposição para ouvir com atenção; 5- Sincero interesse pelos outros; 6- Compreender as pessoas e as suas reações; 7- Objetividade; 8- Retidão e sinceridade.
  • 5.
    • Segundo Ralph Stogdill , após uma pesquisa na literatura sobre liderança:
    1. Capacidade - inteligência, facilidade verbal, originalidade e julgamento; 2. Realizações - escolaridade, conhecimento e realizações atléticas; 3. Responsabilidade - dependibilidade, iniciativa, persistência, agressividade, auto-confiança, desejo de fazer o melhor; 4. Participação - atividades, sociabilidade, cooperação, adaptabilidade e humor; 5. Status - posição sócio-econômica e popularidade.
  • 6. DEFINIÇÕES DE “LIDERANÇA” “ Liderança é a arte de conseguir que uma pessoa faça o que você quer que seja feito, simplesmente por que a pessoa deseja fazê-lo”. Gal. Dwight D. Eisenhower, ex-Presidente Americano “ Liderança é insistir com as pessoas ao ponto de se auto-motivarem a colocar alvos que as incentive a levantar-se o mais alto possível”. Frederick R. Kappel “ Liderança é a influência que uma pessoa exerce sobre outra pessoa ou grupo”.
  • 7. “ Liderança é exercer uma influência que inspire e mova as pessoas à ação, alcançando delas o máximo de cooperação e o mínimo de críticas”. “ Liderança é ir a algum lugar e levar o povo consigo”. “ Liderança é fazer algo importante na hora e de ótima qualidade, com a participação de voluntários dispostos e bem preparados”.
  • 8. Por que há necessidade de liderança? Todo grupo que se forma precisa de um líder. A própria natureza precisa de liderança. O verdadeiro líder consegue motivar apenas 20% das pessoas que lidera. O princípio 80/20 diz que 80% dos resultados se conseguem com apenas 20% dos recursos ou de pessoal. O líder é alguém capaz de influenciar os liderados”.
  • 9. Tipos e Estilos de Liderança
    • Institucional: um cargo onde o líder é chamado ou nomeado para liderar. O indivíduo pode ser nomeado com sua proximidade com o líder maior. O líder institucional é instituído com o poder da instituição; ele tem autoridade por estar respaldado pela instituição.
    LÍDER, vem do inglês Leader , que vem do alemão, e significa “fazer ir”. LIDERANÇA é um substantivo de líder, e a maneira como o líder se desenvolve. O tipo define a origem da autoridade do líder:
  • 10.
    • Natural: nasce líder, tem carisma natural. O líder natural assume sua liderança através do relacionamento com as pessoas. Esse líder não tem problemas com as críticas, não se abala, nem se sente ameaçado pelos seus liderados, porque o líder natural sempre sabe onde está.
    • Educação/Treinamento: Esse líder pode ser natural usando a educação, treinamento e experiência.
  • 11. Estilos de Liderança
    • AUTOCRÁTICO: Se caracteriza por centralizar todas as decisões. Nada deve acontecer sem que saiba e aprove diretamente. É o extremo oposto do estilo permissivo. Normalmente não é aberto a sugestões ou determina qual deve prevalecer
    • BUROCRÁTICO: Se caracteriza pela contínua insistência do líder de guiar o grupo ou organização pelo “livro”. Este líder entende que todos podem concordar da melhor forma se todos aceitarem o que o “livro” diz. Nessa liderança, as reuniões e normas atrasam as deliberações, demora tudo por causa do “livro”.
  • 12.
    • PATERNALISTA/PERMISSIVO:O objetivo desse líder é manter todos satisfeitos, não levantar oposição. Esse tipo de líder confunde “autoridade” com “autoritarismo”. Ele guia o grupo a tomar decisões que favoreçam sua posição ou autoridade. É extremamente estruturado por que isso facilita a votação ou decisão ao seu favor. Nesse tipo de liderança existe uma forte dependência da auto-iniciativa e auto-direção. Mas, ele pode se dar bem se os liderados forem auto-motivados. Mas, se não o são, ele é considerado um líder de “cima do muro”. Ele evita suas responsabilidades.
  • 13.
    • DEMOCRÁTICO: Este líder acredita que a melhor maneira de motivar as pessoas é envolvê-las no processo de tomar decisões. Ele faz com que os liderados se organizem e se apropriem dos objetivos e alvos. Este líder assume as responsabilidades na hora das decisões do grupo; ele é mais um membro da equipe, e não “o cabeça”. Ele gosta de resolver problemas e trabalha junto com os liderados. O único problema é que o processo pode se atrasar, porque na hora da crise, ele também quer a participação do grupo.
  • 14. Qual é o melhor estilo de Liderança?
  • 15. Steward Tubbs apresenta 3 fatores que vão determinar qual é a postura que o líder deve assumir:
    • A qualidade de contribuição do grupo. Dependendo do grupo ou da empresa, o líder irá assumir determinada postura.
    • O tempo exigido para realização da tarefa. Há empresas que não têm o tempo determinado para terminar tal tarefa; outras têm seu tempo de começo, meio e fim. Dependerá do trabalho do líder.
    • Presença ou ausência dos membros. A presença ou ausência dos membros dependerá como o líder vai agir e qual estilo assumirá.
  • 16. Os líderes que se deram bem, evitaram as seguintes atitudes:
    • Evitaram o estilo laissez-faire e o autocrático;
    • Rigidez e mau humor, e inveja dos liderados;
    • Relutância em delegar;
    • Falta de estímulos aos esforços dos liderados;
    • Julgamento apressado nas decisões;
    • Protelação sistemáticas nas decisões;
    • Envergonhar os liderados publicamente.
  • 17. FUNÇÕES DO LÍDER
    • ORGANIZAÇÃO – O líder deve decidir quais as tarefas que devem ser realizadas; é ele quem vai decidir a relação de autoridade e as responsabilidades com as pessoas que ele vai trabalhar. O elemento prioritário é a formação de consenso para conseguir êxito no seu objetivo, seu alvo, tendo a concordância da maioria. Conseguir respostas destas perguntas é a chave do sucesso .
  • 18.
    • MOTIVAÇÃO – Você deve motivar os seus liderados. Ao grau em que os membros da organização sejam motivados para os alvos, a efetividade da organização será ampliada ou reduzida. A falta de motivação acontece pela falta de compreensão dos alvos e, como resultado, os membros não se interessam nele, ou pode ser que o líder manifeste interesse em outros alvos. Também pode ser que o líder manifeste interesse em outras prioridades pessoais, que interfiram com os alvos do grupo ou organização. O liderado espera saber onde é que ele cabe dentro da organização .
  • 19. Frases Construtivas
    • Gosto disso!
    • Podemos fazer muito com essa idéia.
    • Grande! Como podemos fazer isso?
    • Onde estaríamos sem você?!
    • Sei que isso vai funcionar!
    • Será divertido.
    • Gosto de desafios como este!
    • Seria interessante tentar.
    • Estou satisfeito por você ter criado isto.
  • 20. Frases Destrutivas
    • O problema com esta idéia é...
    • Não é má idéia, mas...
    • Nunca fizemos isto antes!
    • Você não levou em conta...
    • Temos muitos projetos agora!
    • Isto não está no programa!
    • Discutiremos isto em outra ocasião!
    • Já sei que isto não funciona.
    • Sejamos práticos!
  • 21.
    • COORDENAÇÃO – Significa abrir vias de comunicação e desenvolver relações responsáveis entre os líderes e liderados. Cada um deve saber seu lugar na “hierarquia”. O líder deve desenvolver um programa de recompensa e de agradecimentos. O líder pretende desenvolver suas habilidades.
    Cont. das Funções do Líder.
  • 22.
    • DELEGAÇÃO – É a tarefa mais complexa e menos compreendida na área da liderança. Só através da delegação eficiente de suas responsabilidades e autoridade é que o líder pode estar ao mesmo tempo em muitos lugares. “Deus está onde existe um representante do Seu nome”. Delegar não é apenas manter o povo ocupado; não é delegar um povo para alcançar seus objetivos. Delegar é o processo organizacional através do qual tantas pessoas quantas possível sejam envolvidas no dirigir e fazer o trabalho .
  • 23. Na delegação, a autoridade deve ser proporcional à responsabilidade.
  • 24. Tipos de Responsabilidades Delegadas:
    • Autoridade completa – o liderado decide sem consultar o líder e sem prestar contas;
    • Autoridade dividida – o indivíduo decide sem consultar o líder, mas deverá prestar contas;
    • Autoridade limitada – o indivíduo decide só depois de ter consultado e obtido a aprovação do líder, e tem que prestar contas;
    • Liberdade de ação – o liderado deve sentir-se livre para executar o seu trabalho. O acompanhamento do trabalho não deve ter um estreita supervisão e nem deixar o liderado se virar sozinho;
    • Sem rédeas – esse tipo NÃO funciona em nenhum setor;
    • Rédeas soltas – existem líderes que delegam menos, pois têm medo de perder o controle. O bom líder saber usar esta técnica. A rédea solta deve ser usada em toda organização da empresa.
  • 25. Três tipos de líderes na delegação:
    • Os que não delegam nada
    • Os que delegam tudo
    • Os que delegam com equilíbrio
  • 26. LEIS BÁSICAS NA DELEGAÇÃO EFICIENTE:
  • 27. 1. Delegar no tempo certo
    • Não se deve delegar a pessoas que vão sair de férias, viajar ou mudar de cidade.
  • 28. 2. Delegar Consistentemente
    • Coloca a responsabilidade e autoridade em um nível para todos.
  • 29. 3. A Ética na Delegação
    • O líder deve aceitar menos crédito do que ele merece
    • O líder delega e não se esquece. O delegado deve saber que o líder se interessa nele como pessoa.
    • O líder deve delegar um trabalho adequado à personalidade ou habilidades do delegado.
    • O líder deve estabelecer alvos específicos.
    • Devem ser especificados a extensão e os limites da autoridade do delegado.
    • O líder não deve simplesmente “descarregar” suas responsabilidades e obrigações.
  • 30. Benefícios da Delegação:
    • Os membros desenvolvem autoconfiança e capacidade para assumir mais responsabilidades.
    • Surgem novos líderes.
    • A supervisão na liderança cristã é estar supervisionando.
  • 31. Delegar abrange... ENCORAJAR – É mais do que incentivar. É colocar-se à disposição na execução das tarefas. EXPRESSAR O SENTIMENTO DO GRUPO – Isto envolve observar os sentimentos, os estados de ânimo entre os membros do grupo. Nunca permita que alguém ou um grupo pequeno imponha seus métodos sobre os demais. APRENDER A REFORMULAR OBJETIVOS – Se o objetivo inicial não está sendo alcançado, ajude o grupo a se manter na meta.
  • 32. Cobrar Resultados... Toda vez que existe um contrato entre os líderes e liderados em relação a uma tarefa e responsabilidades ambos devem concordar que deve existir uma avaliação no contrato. O liderado deve saber o que se espera dele, em termos de resultados. O sucesso da organização depende da habilidade de seus líderes em saber distinguir entre o sucesso e o fracasso, em termos de objetivos e alvos. Os alvos devem ser objetivos, claros e específicos.
  • 33. 6 perguntas que o Líder deve fazer-se antes de avaliar seus liderados, segundo o sociólogo Willard Claassem
  • 34.
    • Foi concedida a autoridade para a execução da tarefa ?
    • Houve luta pelo poder entre os membros da equipe?
    • Manteve o líder uma agenda secreta ?
    • Qual o estilo de liderança foi exercido ?
    • Que tipo de controle eu exerci como líder?
    • Qual foi a atitude do grupo para com seu líder ?
  • 35. QUANDO VOCÊ DIRIGE... "Tudo o que te vier a mão para fazer, faze-o segundo tuas forças" (Ec 9:10). A utilização máxima de tempo é o fator que, em muitos casos, permite que uma pessoa realize mais que outra. Há certos ladrões do tempo contra os quais deve precaver-se o dirigente de êxito:
  • 36.
    • Demora na iniciação do trabalho
    • Desorganização
    • Fantasia
    • Queixar-se
    • Distração
    • Conversação ociosa
    • Temer o fracasso
  • 37. LÍDER, ATENTE PARA AS SEGUINTES OBSERVAÇÕES...
  • 38. Aparência
    • O vestir (roupa adequada para o trabalho)
    • O andar
    • O sentar (postura correta)
  • 39. Aspecto Higiênico
    • Cabelo
    • Pele
    • Vestuário
    • Odor
  • 40. Aspecto Físico
    • Os gestos
    • A voz
    • O olhar
  • 41. Aspecto Moral
    • Conduta
    • Linguagem
    • Compromissos financeiros
  • 42. Aspecto Social
    • O tratamento correto
    • Convivência
    • Respeito ao chefe
    • A hierarquia no trabalho
    • Respeito aos colegas
  • 43. Interesse pela organização
    • Conhecer
    • Divulgar a boa imagem
    • Defender a organização positivamente
    • Pontualidade
    • Assiduidade
    • Ter responsabilidade no cumprimento do trabalho
    • Zelar pelos instrumentos e equipamentos
  • 44. Relacionamento harmonioso
    • Harmonia
    • Educação
    • Respeito
    • Interesse
    • Boa vontade
  • 45. Interesse pelos Liderados
    • Tratamento adequado
    • Respeito, presteza, cordialidade
    • Deixar marca positiva em cada contato feito
  • 46. Respeito às Normas
    • Sigilo
    • Discrição
    • “Cheque sem fundos”
  • 47. Valorização do Trabalho da Organização
    • Nível de escolaridade
    • Datilografia/Informática
    • Caligrafia e ortografia
    • Leitura
    • Informações sobre conduta e desempenho exigidos
  • 48. Buscar Informações
    • Vida sexual – orientações e conceitos
    • Drogas – conseqüências
    • Bebidas alcoólicas – efeitos
    • Grupos sociais – características
  • 49. RELAÇÕES INTERPESSOAIS Adaptado de W. C. Schutz
  • 50. A teoria localiza os opostos de prazer e sofrimento como as áreas de necessidades interpessoais intituladas:
    • INCLUSÃO
    • CONTROLE
    • AFEIÇÃO
  • 51.
    • INCLUSÃO : Diz respeito à associação entre pessoas, a ser excluído ou incluído. A necessidade de ser incluído manifesta-se como o desejo de merecer consideração e de atrair atenção e interesse.
  • 52.
    • CONTROLE : Diz respeito ao processo de tomada de decisão entre indivíduos, poder, influência e autoridade. A necessidade de controle varia desde o desejo de poder, autoridade sobre os outros, até a necessidade de ser controlado, tirar a responsabilidade de seus ombros.
  • 53.
    • AFEIÇÃO : Refere-se aos íntimos sentimentos emocionais entre duas pessoas, especialmente amor e ódio em seus vários graus. A afeição é uma relação dual, enquanto a relação de inclusão pode ocorrer entre uma pessoa e um grupo.
    Um método de evitar laços afetivos é mostrar-se igualmente amistoso com todos. A "popularidade", pode, portanto, não envolver qualquer afeição. É muitas vezes um comportamento inclusivo.
  • 54. FEEDBACK
  • 55. É um processo de ajuda para mudança de comportamento; é comunicação a uma pessoa, ou grupo, no sentido de fornecer-lhe informações sobre como sua atuação está afetando outras pessoas.
  • 56. O Feedback precisa ser...
    • Descritivo ao invés de avaliativo - quando não há julgamento, apenas o relato de um evento, reduz-se a necessidade de reagir defensivamente. A pessoa pode ouvir e sentir-se à vontade para utilizar aquele dado como julgar conveniente.
    • Específico ao invés de geral - quando se diz a alguém que ele é "dominador" isto tem menos significado do que indicar seu comportamento numa determinada ocasião: "Nesta reunião você fez o que costuma fazer outras vezes, você não ouviu a opinião das demais e fomos forçados a aceitar sua decisão para não receber suas críticas exaltadas."
    • Compatível com as necessidades (motivações) de ambos, ao comunicador e receptor - pode ser destrutivo quando satisfaz somente às necessidades do comunicador sem levar em conta as necessidades do receptor.
  • 57.
    • Solícito ao invés de imposto - será mais útil quando o receptor tiver formulado perguntas que os que o observam podem responder.
    • Oportuno em geral, o feedback é mais útil o mais próximo possível após o comportamento em questão, dependendo, naturalmente de prontidão da pessoa para ouvi-lo, apoio dos outros e clima emocional do grupo.
    • Esclarecido para assegurar comunicação precisa - um modo de proceder é fazer com que o receptor repita o "feedback" recebido para ver se corresponde ao que o comunicador quis dizer. Quando o "feedback" ocorre num grupo de treinamento ambos têm oportunidade de verificar com os outros membros a extensão do "feedback"; é uma impressão individual ou compartilhada por outros?
  • 58. TRABALHO EM EQUIPE
  • 59.
    • Necessitamos de visões ou perspectivas diferentes a respeito do mesmo problema.
    • Precisamos manter uma atitude receptiva para com as idéias novas e opiniões divergentes.
    • Precisamos aprender a discordar das idéias sem rejeitar a pessoa que a formulou.
    • Precisamos aprender o caráter de nossas opiniões e formulações.
  • 60.
    • Precisamos ser humildes e dar o primeiro passo para a reconciliação com o nosso irmãos.
    • Precisamos reconhecer o valor dos outros. No trabalho em equipe ou junto às nossas empresas sempre temos a tendência de acharmos que temos a solução.
    • Precisamos desenvolver o sentido de trabalho cooperativo de equipe. Somos parte do grupo, somos interdependentes. O que cada um faz, afeta a todos.
  • 61. HÁBITOS EM ESCUTAR
  • 62.
    • Tente antecipar mentalmente onde a pessoa quer chegar
    • Analise o que a pessoa está falando
    • Pense se há evidência ou veracidade no que ela está falando
    • Faça deduções (nas “entrelinhas”)
    1 Não faça excursões mentais enquanto a pessoa está falando - não divague os pensamentos.
  • 63. 2 Cuidado com o que você vai falar Por exemplo: “ Eu entendo, estou entendendo” mas não demonstre nem com a expressão facial que você concorda ou discorda com o que está sendo dito.
  • 64. 3 Desenvolva a “surdez emocional” Procure não se emocionar com os sentimentos da pessoa, você ainda não ouviu o outro lado e não sabe quem está com a razão.
  • 65. 4 Desenvolva seu ouvido sensitivo 5 Evite explicações difíceis. Não se comprometa. 6 Nunca mude a conversa prematuramente. Deixe a pessoa desabafar
  • 66. 7 Não pretenda estar atendo, quando na verdade você não está. 8 Evite distrações. 9 Nunca fique rabiscando na hora da conversa
  • 67. 10 Nunca se esquive de ouvir a pessoa que está precisando falar-lhe Lembre-se... Jesus dava atenção a todos.
  • 68. PREPARANDO NOVOS LÍDERES “ Ninguém fica para semente”.
  • 69. Em todo setor, existe a hora de transição. É quando o líder deixa o seu lugar para outro. Isso ocorre por duas maneiras: Livre Iniciativa Livre Pressão
  • 70.
    • Se tem potencial de liderança
    • Se é de fácil relacionamento
    • Se é equilibrado emocionalmente
    • Se é de padrão moral elevado
    • Se é maduro na fé cristã
    • Se é cristão firme das doutrinas
    • Se é uma pessoa dependente de Deus
    Temos que ter o cuidado para não colocarmos pessoas imaturas, sem capacidade e despreparadas para ocupar posições importantes na empresa. Deve-se observar as seguintes características:
  • 71. Como treinar um novo líder?
  • 72.
    • T ire tempo para conversar com o novo oficial sobre os objetivos da empresa.
    • R ecuse paulatinamente dependências de suas idéias. Deixe o novo líder assumir as próprias decisões.
    • E ncha-o de todas as informações possíveis sobre estrutura e funcionamento da empresa.
    • I ncentive-o a ler mais.
    • N ão o desanime. Fale sobre as dificuldades de forma positiva.
    • A me-o, apesar de saber que ele o substituirá.
    • R esponsabilize-o em dirigir um período, enquanto você observa; e depois conversem sobre como aconteceu a experiência.
  • 73. Você pode suportar críticas?
  • 74. “ Nada é mais fácil do que criticar destrutivamente”, disse um autor desconhecido. “ Não se necessita talento, nem abnegação, nem inteligência, nem caráter para se dedicar aos negócios dos murmuradores”.
  • 75. Lembremo-nos que um pouco de crítica é bom para nós. Você conhece que espécie de crítica pode ser benéfica. Por exemplo: Quando uma esposa diz ao marido que ele conversa demais, ou em voz demasiado alta, ou muito baixa, ou a conversa não está muito adequada, ele faz bem em ouvir tais sugestões.
  • 76. Sugestões às críticas, por Robert H. Pierson
    • Não a descarte tão apressadamente. Pergunte-se a si mesmo com franqueza: “Há alguma verdade no que esta pessoa está dizendo? Pode uma experiência desagradável ensinar-me uma lição?”
    “ Você será sábio se fizer com que seus críticos sejam guardadores de sua alma”. Pregador desconhecido
  • 77.
    • Não se deixe perturbar. George Morre certa vez disse que o pastor deveria ter “a paciência de um burro, a mansidão de um cordeiro e a pele de um rinoceronte”.
    Jesus é o nosso exemplo. “Se Ele, que penetrava nos corações, suportava quem bem sabia que O havia de trair, com que paciência não deveríamos nós suportar os que estão em falta?!” ( A Ciência do Bom Viver, 493 ). “ O homem mais forte é aquele que, embora sensível ao abuso, refreará a paixão e perdoará seus inimigos. Tais homens são verdadeiros heróis.” ( Testimonies, vol. 4, 656. ).
  • 78.
    • Receba a crítica com bondade.
    Alguns anos atrás, um famoso educador pronunciou palavras duras contra um pastor que era célebre como ele. Os jornalistas, pressentindo uma boa notícia, correram para o escritório do pastor. Estavam certos de que sua língua inteligente daria réplica à altura. Ficaram desapontados. “ Professor Blank é um eminente homem”, declarou o pastor após ouvir o que o contemporâneo erudito havia dito acerca dele. “Respeito seu julgamento. Talvez eu devesse examinar a minha mensagem e meus métodos; e se encontrar algum erro, farei o melhor para corrigi-lo”.
  • 79. A bondade, mais que qualquer outra coisa, calará a língua do crítico Por que não tentar, na próxima vez que tiver oportunidade?
  • 80.
    • Fale bem do seu crítico. Aconselhar um líder a falar bem do seu crítico, à primeira vista, parece como absoluto contra-senso. Mas, pense sobre isto uma segunda vez. Isto foi o que Jesus ensinou e fez: “Orai pelos que vos perseguem” (Mt 5:44).
    Cultivai o hábito de falar bem do seu próximo. Detende-vos sobre as boas qualidades daqueles com quem estais associados, e olhai o menos possível para seus erros e fraquezas.” ( A Ciência do Bom Viver, 491 ).
  • 81.
    • Ore por aqueles que o criticam. Jesus sabia qual era o meio eficaz de tratar Seus perseguidores: orava por eles (Lc 23:34).
    • Não deixe que a crítica o detenha . O grande filósofo alemão, Goethe, disse certa vez: “Uma pessoa não se pode proteger nem defender da crítica; deve continuar agindo a respeito dela; a crítica desaparecerá gradualmente”.
  • 82. Um colunista de reputação nacional, escreveu: “ Aquele que deseja êxito, não deve temer a crítica. O medo à crítica é o beijo da morte no romance da realização”. “ Dear Abbey”, Asheville (NC) Citizen, Sept 11, 1964.
  • 83.
    • Esqueça a crítica. Foi Abraham Lincoln que disse certa vez: “Se tentasse ler, quanto mais contestar, todo o criticismo feito e todos os ataques dirigidos contra mim, este gabinete estaria fechado para todos os demais negócios”.
    Continue fazendo o seu melhor, então nada mais restará para fazer.
  • 84.
    • Entregue-se nas mãos de Deus. Depois de tudo, “Deus julgará” (Rm 2:16). “Pois quem me julga é o Senhor” (1Co 4:4). A nossa mais cobiçada recompensa deveria ser: “Muito bem, servo bom e fiel, entra no gozo do teu Senhor” (Mt 25:21).
    “ Todo aquele que se tem sentido na liberdade de condenar ou levar outros ao desânimo será, em sua própria vida, levado a passar pela experiência por que fez outros passarem; sentirá aquilo que eles sofreram devido à sua falta de compassiva compreensão e ternura” ( O Maior Discurso de Cristo, 117 ).
  • 85.
    • Não se deixe cair na armadilha. “Olhei para meu irmão”, escreveu Bolton Hall, “com o microscópio da crítica, e disse: Quão áspero é meu irmão... Olhei-o com o telescópio do desprezo, e disse: Quão pequeno é meu irmão... Então, olhei-o no espelho da fraternidade, e disse: Como parece comigo o meu irmão.”
    “ Não vos queixeis uns dos outros” (Tg 5:9). Tiago diz mais: “Irmãos, não faleis mal uns dos outros” (Tg 4:11).
  • 86. Um líder é forte, somente quando pode aceitar a crítica sabiamente; e quando, através da graça de Deus, exerce domínio de si mesmo e resiste a toda tentação para criticar.
  • 87. “ Os trabalhadores ativos não têm tempo de se ocupar com as faltas do próximo. As cascas das faltas e fraquezas dos outros não fornecem alimento para a nossa vida.” ( A Ciência do Bom Viver, 492 ) “ [Líderes cristãos] não podem debilitar sua própria influência e posição mais do que quando tentam enfraquecer um ao outro.” ( EGW, Carta 16, 1886 )
  • 88. Falhas na Administração e Como Corrigi-las
  • 89. Princípio Básico As empresas se desenvolvem sobre as pessoas. Nunca são maiores nem mais firmes do que as pessoas que as administram.
  • 90. 4 Falhas Básicas na Administração Organização do Tempo “ Hoje eu tenho tanta coisa para fazer, que eu não sei nem por onde começar”. “ O dia precisaria ter 48 horas”. “ Eu trabalhei feito um condenado hoje, e não fiz nada”. De todas as formas para administrar o tempo, a mais simples é saber separar o URGENTE do IMPORTANTE.
  • 91. Exemplo de agenda diária... IMPORTANTE URGENTE
  • 92.
    • URGENTES são aquelas coisas que você precisa fazer hoje, e não pode deixar para depois, porque se você não as fizer hoje vai ter problemas.
    • IMPORTANTES são aquelas coisas que você deveria fazer hoje, mas se você não as fizer hoje, poderá fazer amanhã, ou noutro dia.
  • 93. Logo de manhã cedo, coloque em cima da sua mesa o formulário “URGENTE ou IMPORTANTE”
  • 94. Não Saber Elogiar Muitos afirmam: “Não adianta a gente se esforçar; não adianta a gente dar duro; nós nunca somos reconhecidos”. O segredo? ELOGIAR E DESAFIAR
  • 95. Não Saber Corrigir ou Repreender Quando necessário, repreenda os seus liderados imediatamente após o erro, para que esse não se enraíze; mas só o faça em particular e através da fórmula PNP P ositivo N egativo P ositivo
  • 96. Primeiro, você começa POSITIVO , falando do desempenho positivo anterior do seu liderado; porque na vida nós acertamos muitas vezes. Em 100, acertamos 99, e ninguém fala nada. Depois, o lado NEGATIVO . Procure inteirar-se do fato e esclarecer o porquê do erro cometido, e buscando no liderado o desejo de corrigir-se. Então, encerre a converse com outro ponto POSITIVO , mostrando o quanto você confia na capacidade dele, no seu desempenho futuro.
  • 97. O “Achismo” É quando o líder não tem as informações necessárias e precisas, e isso impede-o de tomar decisões acertadas.
    • Procure obter dos seus liderados informações corretas
    • Utilize o fator cooperação X coordenação
    • Muitos confundem “ação” com “agitação”
  • 98. Ética Empresarial
  • 99. Ética para com os colegas...
    • Nunca criticar um predecessor, pois baixamos o padrão da administração e, em primeiro lugar, a nós mesmos.
    • Ao fazermos mudanças em relação ao predecessor, não as façamos abruptamente.
  • 100.
    • Não permitamos que os funcionários critiquem os administradores que já passaram antes de nós. Todo administrador tem seus inimigos, você também os terá.
    • Não nos refiramos ao que acontece de negativo na organização. Se não temos algo de positivo a dizer (e sempre o teremos), mudemos o assunto para algo construtivo.
    • Quando estivermos para deixar a Empresa, preparemos o terreno para que nosso sucessor tenha ainda mais êxito que nós.
    • Quando nos mudarmos de Empresa, mudemo-nos de fato, sem continuar participando de seus negócios.
    • Lembremo-nos que temos sobre nós a responsabilidade de sucesso de todos. Devemos lugar para que todos sejam bem sucedidos.
  • 101. Ética para com a Organização...
    • Não ter side-lines (“bicos”).
    • Não nos ausentarmos da Empresa sem comunicação.
    • Apoiar as ações perante os funcionários. Temos empresas que estão contra a administração porque administradores as fizeram ficar assim.
    • Apoiar todos os programas da Empresa.
  • 102.
    • É um dever do administrador salvaguardar as finanças da Empresa.
    • Cuide bem do seu comportamento financeiro. Há duas maneiras do administrador ir bem rápido para o “inferno”:
        • Fazer tolice com mulher
        • Fazer tolice com dinheiro
  • 103. Ética para com a empresa...
    • Colocar nos cargos da empresa pessoas capazes, e nunca usar de parcialidade.
    • Não ministrar parcialmente a justiça. Todavia, situações diferentes serão tratadas diferentemente.
    • Manter a diretoria informada acerca das finanças.
  • 104. Ética para com a esposa...
    • A maior cortesia em público, bem como em particular.
    • Não dar aos companheiros bom tratamento em detrimento do que deve ser dado à esposa e filhos.
    • Ao estar fora durante o dia, ele deve dar à sua esposa o roteiro que ele irá seguir, afim de que ela o possa encontrar em alguma eventualidade.
    • Jamais discutir com a esposa, falar-lhe asperamente ou descuidadamente.
  • 105. Princípios de Sucesso
  • 106. Fazer mais do que aquilo que é exigido “ Dobre uma curva” a mais em busca dos seus objetivos. Faça um pouquinho melhor o seu trabalho e você constatará, com surpresa, que oportunidades jamais lhe faltarão.
  • 107. Fazer as coisas difíceis de serem feitas É difícil para você organizar a sua mesa de trabalho, principalmente aquela segunda gaveta cheia de pendências? Pois faça isso ainda hoje. É difícil para você manter a calma, quando o seu oficial ou membro de empresa, pela terceira vez, já cometeu o mesmo erro? Pois então, relaxe. Chame-o e converse pacientemente com ele. É difícil para você reconhecer seus próprio erros? Pela a alguém de confiança que faça críticas sobre sua atuação.
  • 108. O princípio dos dois preguinhos O segredo é simples: Não gaste mais do que você ganha, e evitará grandes problemas na sua vida.
  • 109. Praticar saltos curtos Depois que você estabeleceu o planejamento global a longo prazo, a pergunta importante é: o que você tem que fazer hoje? Estabeleça planos diários, e alcance as suas metas “passo a passo”.
  • 110. O princípio da pequena diferença O homem é grande não porque faça grandes coisas mas porque faz coisas pequeninas extraordinariamente bem feitas, exemplificando: a diferença entre dois líderes, um eficaz, outro medíocre, não está no fato deles fazerem coisas muito diferentes. O líder eficaz tem o controle de pequenos detalhes, pequenas falhas que passam despercebidas ao outro, medíocre, por negligenciá-las. O homem não tropeça em montanhas, mas são naquelas que ele não dá importância, que ele se arrebenta. Portanto, o controle do detalhe constitui a grande diferença nos resultados finais.
  • 111. O Sucesso Administrativo Depende da Flexibilidade
  • 112. ANTEVISÃO Prever necessidades, e prover soluções.
  • 113. ADAPTAÇÃO Saber enfrentar mudanças.
  • 114. PARTICIPAÇÃO Não agir sozinho em nenhuma etapa.
  • 115. O HOMEM MAIS PROCURADO
  • 116.
    • O que procura ser um exemplo para os demais.
    • O que sente a necessidade de ajudar, antes de ser ajudado.
    • O que está disposto a dizer: “Eu estava enganado. Desculpe-me.”
    • O que enfrenta destemidamente a tentação e diz: “Não”.
  • 117.
    • O que trabalha com todo entusiasmo, pela realização de um projeto e que logo dá crédito de seu êxito às pessoas que o ajudaram.
    • O que sorri com facilidade, e que estimula os demais.
    • O que leva seus filhos à empresa, em vez de apenas enviá-los.
    • O que é capaz de ver suas próprias falhas antes de ver os erros dos outros.
    • O que dá seu dinheiro e seus talentos, sem pensar em receber recompensas.
  • 118. Funções do Líder
  • 119. 1 Respeitar o ser humano e crer nas suas possibilidades, que são imensas. 2 Confiar no grupo, mais que em si mesmo. 3 Evitar críticas a qualquer pessoa em público, procurando sempre destacar diante do grupo os aspectos positivos de cada um.
  • 120. 4 Estar sempre dando o exemplo, em vez de ficar criticando todo o tempo. 5 Evitar dar ordens, procurando a cooperação de cada um. 6 Dar a cada um o seu lugar, levando em consideração os seus gostos, interesses e aptidões pessoais.
  • 121. 7 Evitar tomar, mesmo de maneira provisória, a iniciativa de uma responsabilidade que pertence a outrem, mesmo pensando que faria melhor. 8 Consultar os membros do grupo antes de tomar uma resolução importante que envolva o grupo. 9 Antes de agir, explicar aos membros o que vai fazer e por quê. 10 Evitar tomar parte nas discussões quando presidir uma reunião. Guardar neutralidade, fazendo registrar imparcialmente as decisões do grupo.