Carvão mineral e vegetal

14,888 views

Published on

Carvão mineral e vegetal.....

1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
  • muito bom esse slide, o conteúdo é otimo e foi bem escolhido, parabéns!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
14,888
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
215
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Carvão mineral e vegetal

  1. 1. 1. Carvão Mineral1.1 Formação e composição1.2 Aspectos históricos e importância1.3 Classificação e localização1.4 Distribuição e investimentos no Brasil1.5 Consumo mundial e nacional1.6 Extração1.7 Destilação seca do carvão
  2. 2. 1.8 Utilização para produção de energia1.9 Vantagens e desvantagens2. Carvão vegetal2.1 Definição e obtenção2.2 Consumo mundial e nacional2.3 Diferença entre carvão mineral e vegetal2.4 Vantagens e desvantagens
  3. 3. CARVÃO MINERAL
  4. 4. Aspectos históricos e importância• Século XVIII• Primeira Revolução IndustrialMina de carvão na Rússia Primeira Revolução Industrial
  5. 5. Aspectos históricos e importância• Século XX• Século XXI
  6. 6. Classificação e localizaçãoEm função da história do carvão no subsolo,nomeadamente da profundidade de enterramento e dasconseqüentes condições de temperatura e pressão na qual osrestos vegetais foram submetidos, formam-se diferentes tiposde carvão mais ou menos ricos em carbono.% de CarbonoKcal/kgTURFA 60% 3000 - 5000LENHITO 70% 4000 - 6000HULHA (carvãobetuminoso)80 a 85% 4500ANTRACITE 90% 8000
  7. 7. Os carvões classificam-se de acordo com seu nível dematuridade geológica (rank), que se reflete no podercalorífico.
  8. 8. Distribuição e investimentos no BrasilFonte: BP 2004 1 Reservas provadasAs reservas de carvão encontram-se distribuídas em cincocontinentes e somam 984, 4 bilhões t.Reservas Internacionais de Carvão 1
  9. 9. Reservas mundiais de carvão mineral – 2007 (emmilhões de toneladas).• Fonte: BP, 2008Fonte: BP, 2008
  10. 10. Consumo mundial de carvão mineral – 2007 (emMtep).Fonte: BP, 2008
  11. 11. Produtores e consumidores de Carvão.
  12. 12. DESTILAÇÃO SECA DO CARVÃOA separação da fase sólida da líquida é feitapor destilação. O carvão é fechado em umrecipiente (retorta) e aquecido. Os gases e oalcatrão vaporizam-se e a fase líquida érecondensada em recipientes separados. Oresíduo sólido que sobra na retorta é chamadocarvão coque, usado principalmente na siderurgiadevido a sua pureza. O gás produzido, umamistura de hidrogênio, monóxido de carbono emetano, é utilizado como gás combustível (gás derua).
  13. 13. Utilização para produção de energiaO carvão é extraído do solo, fragmentado earmazenado em silos para, posteriormente, sertransportado à usina, onde novamente seráarmazenado. Em seguida, é transformado empó, o que permitirá melhor aproveitamentotérmico ao ser colocado para queima nasfornalhas de caldeiras.O calor liberado por esta queima étransformado em vapor ao ser transferido para aágua que circula nos tubos que envolvem afornalha.
  14. 14. A energia térmica (ou calor) contida novapor é transformada em energia mecânica(ou cinética), que movimentará a turbina dogerador de energia elétrica.Este movimento dá origem à energiaelétrica. No caso da co-geração, o processo ésimilar, porém o vapor, além de gerar energiaelétrica, também é extraído para ser utilizadono processo industrial.
  15. 15. CARVÃO VEGETAL
  16. 16. DEFINIÇÃO E OBTENÇÃOModelo-esquemático da produção de carvãovegetal a partir da carbonização da madeiraem fornos de alvenaria.Fonte: Barroso (2007)
  17. 17. CONSUMO MUNDIAL E NACIONALFonte Sindicato da Indústria do Ferro noEstado de Minas Gerais -SINDIFER- e aFederação das Indústrias- FIEMG
  18. 18. VANTAGENS E DESVANTAGENS

×