Your SlideShare is downloading. ×
Marketing jurídico digital: Estratégias de presença na internet
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Marketing jurídico digital: Estratégias de presença na internet

1,738
views

Published on

Published in: Business

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,738
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNISINOS - Gestão Estratégica de Departamentos Jurídicos e de Escritórios de Advocacia Marketing jurídico digital:Estratégias de presença na internet 07/06/2008 Marco Antonio P. Gonçalves goncalves@marketingjuridico.com.br
  • 2. Marco Antonio P. Gonçalves . Administrador especializado em gestão e . marketing para advogados e escritórios. Oito anos de experiência no segmento de serviços . profissionais e 10 anos no segmento de TI. . Autor do pioneiro blog marketingLEGAL. Coordenador do grupo de debates Marketing . Jurídico Brasil, com mais de 400 membros. . Membro atuante da Legal Marketing Association. Pós-graduado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 2
  • 3. Objetivo . Apresentar os principais recursos de comunicação baseados na internet, que incluem não só um site institucional, mas diversos outros recursos que devem integrar o arsenal de marketing empregado por um moderno escritório para interagir com seus clientes e o mercado.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 3
  • 4. Objetivo em outras palavras . Compreender o potencial de negócios da internet . para escritórios de advocacia. . Avaliar e melhorar um site já existente. Planejar um (novo) site com informações e . recursos relevantes. Conhecer outros recursos baseados na internet que complementam um site institucional.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 4
  • 5. Programação . Principais temas: – Internet e negócios; – Sites institucionais; – Como ter um site realmente bom; – Conteúdo, recursos, layout e infra-estrutura; – Fases do desenvolvimento de um site; – Investimentos associados; . – Recursos complementares. Perguntas a qualquer momento.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 5
  • 6. Qual a importância de um site institucional para um escritório de advocacia? X Qual a importância do site de um escritório para um departamento jurídico?© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 6
  • 7. Meios de seleção de escritórios (EUA)Fonte: American Lawyer Media (2007).© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 7
  • 8. Meios de seleção de escritórios (EUA)Fonte: Altman Weil e LexisNexis Martindale-Hubbell, 2007.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 8
  • 9. Internet e negócios . A internet é um dos recursos de comunicação mais flexíveis que existem para qualquer tipo de . negócio. Com um alto potencial para negócios, é um recurso ainda muito pouco explorado pelos escritórios brasileiros: – Acesso à internet; – Endereços de e-mail; – Site institucional padrão.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 9
  • 10. O que é um site institucional? . Muitas coisas: – Um repositório de conteúdo, acima de tudo; – Apresentação, promoção e divulgação; – Comunicação e relacionamento; – Negócios; – Recrutamento; . – Etc. Público-alvo: – Clientes, clientes em potencial, parceiros, estudantes, imprensa, mercado em geral etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 10
  • 11. Sites de escritórios brasileiros . Internet no Brasil é tão avançada quanto nos EUA. – Sites brasileiros são tão bons ou melhores que os . norte-americanos. Já os sites de escritórios deixam muito a desejar: – Escritórios/advogados ainda não despertaram para o potencial da ferramenta; – Escritórios/advogados não acreditam na ferramenta; – Agências de web design não conhecem as características e peculiaridades dos escritórios.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 11
  • 12. Ferramentas mais usadas (Brasil) Site 72% Networking em associações 68% Informativos 60% Networking em eventos 60% Palestras 56% Brochuras 50% Eventos 50% Pro-bono 44% Brindes 42% Assessoria de imprensa 40% Patrocínio de eventos 40% Comunicação interna 34% Anúncios 28% Pesquisa de satisfação 26% Pesquisa de mercado / ic 24% CRM 20% Diretórios 20% RFPs 12% Treinamento mkt/vendas 10% 0% 20% 40% 60% 80% 100%Fonte: Legal Marketing Association, 2007.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 12
  • 13. Ferramentas mais eficazes (Brasil) Informativos 62% Site 62% Assessoria de imprensa 48% Eventos 46% Networking em associações 46% Pesquisa de mercado / ic 44% CRM 42% Palestras 42% Networking em eventos 36% Pesquisas de satisfação 32% Comunicação interna 26% Brindes 24% Brochuras 24% Anúncios 22% Treinamento mkt/vendas 20% Diretórios 18% Pro-bono 18% Patrocínio de eventos 16% Blog 12% RFPs 10% 0% 20% 40% 60% 80% 100%Fonte: Legal Marketing Association, 2007.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 13
  • 14. Os dez maiores erros na gestão de sites, segundo Jakob Nielsen (1997) 1. Não saber porque o site da empresa [do escritório] foi criado; 2. Criar um site para agradar à diretoria [aos sócios]; 3. Replicar o organograma na estrutura do site; 4. Trabalhar com diferentes empresas de design; 5. Esquecer de orçar a manutenção; 6. Tratar a web como algo secundário; 7. Desperdiçar oportunidades de linking; 8. Tratar sites internet e intranet como a mesma coisa; 9. Confundir pesquisa de mercado com engenharia de usabilidade; 10. Subestimar o impacto estratégico da web.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 14
  • 15. Como ter um site realmente bom? Infra- estrutura Layout Conteúdo & recursos© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 15
  • 16. Considerações sobre conteúdo . O conteúdo é o coração de um site institucional. – Todo o resto existe para melhorar a experiência de . acessar o conteúdo. O conteúdo de um site pode ser alterado a qualquer momento, diferentemente de impressos como brochuras e informativos. – Muitos não entendem isso!© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 16
  • 17. Arquitetura da informação . Disciplina que define como o conteúdo será organizado e estruturado. – Ou seja, define como o conteúdo de um site será organizado de modo a fazer sentido e ser facilmente . compreendido por seus visitantes. Uma forma de garantir o crescimento controlado do site, mesmo que nem todo o conteúdo planejado entre no ar inicialmente.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 17
  • 18. Exemplo de organização e estruturação de conteúdo© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 18
  • 19. A importância da página inicial . É uma das páginas mais importantes do site: – Deve apresentar os principais destaques do escritório (novidades) e do site (conteúdo); – Deve passar a mensagem de que o site é atualizado . regularmente. IMPORTANTE: Em tempos de Google, nem todo mundo entra pela página inicial.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 19
  • 20. Indiquem um site de escritório que vocês admiram. Por que?© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 20
  • 21. Exemplo de página inicial© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 21
  • 22. Outro exemplo de página inicial© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 22
  • 23. Dicas sobre conteúdo . Qual deve ser a linguagem do site? – Deve-se evitar o “juridiquês”. – Todo o conteúdo gerado por advogados deve, idealmente, passar por um profissional de . comunicação. O conteúdo deve ser escrito sempre com foco nos visitantes. – Não é sobre nós, é sobre eles!© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 23
  • 24. Mais dicas sobre conteúdo . Desafio: como conseguir a colaboração dos advogados, que geralmente “não tem tempo”? – Conteúdo redigido por profissional de comunicação a . partir de entrevistas com os advogados. Textos devem ser escritos de modo a incentivar . uma ação por parte do visitante. Todo conteúdo gerado internamente deve ser aproveitado (artigos, descrições de serviços etc).© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 24
  • 25. Conteúdo básico . Conteúdo mínimo: – Apresentação; – Histórico; – Fotos do escritório e de seus profissionais; – Informações completas de contato; – Áreas de atuação por áreas do Direito; – Perfis profissionais; – Notícias/novidades; – Artigos; – Termos de uso (política de privacidade); – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 25
  • 26. Conteúdo complementar . Conteúdo recomendável: – Alianças / parcerias; – Responsabilidade social / pro bono; – Oportunidades de trabalho; – Áreas de atuação por outros critérios; – Perfis profissionais com atividades recentes; – Informativo; – Presença na mídia; – Clipping de notícias; – Legislação selecionada; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 26
  • 27. Recursos . Recursos que reforçam o conteúdo: – Formulário de contato (agilidade, controle e registro); – Mapa do site; – Pesquisa geral; – Pesquisa de profissionais; – Links cruzados; – Feeds RSS; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 27
  • 28. O que não incluir em um site . Conteúdo e recursos dispensáveis: – Animação ou tela de introdução; – Tela com escolha de idiomas; – Site integralmente em Flash; – Site integralmente em frames; – Frames internos (múltiplas barras de rolagem); – Pop-ups / abertura desnecessária de novas janelas; – Links úteis (questionável?); – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 28
  • 29. Site integralmente em Flash© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 29
  • 30. Falhas inaceitáveis . Falhas muito comuns: – Site/e-mail sem domínio próprio; – Ausência de nomes dos advogados; – Ausência de e-mail de contato; – Nomes de advogados em letras maiúsculas; – E-mail separado do perfil profissional; – Perfis profissionais apenas em Word ou PDF; – Falta de clareza sobre o tipo de cliente atendido; – Ausência de indicação de localidade; – Anúncios de concorrentes; – Lista nominal de clientes.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 30
  • 31. Anúncios de concorrentes© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 31
  • 32. Lista nominal de clientes© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 32
  • 33. Falhas inaceitáveis II: a missão . Mais falhas, infelizmente, muito comuns: – Páginas sem título; – Uso de "stock photo"; – Campos de formulário visualmente mínimos; – Avisos do tipo “em breve novo site”; – Avisos do tipo "espaço em construção"; – Site com design jurássico (década de 90); – Site “fantasma”; – Falhas técnicas de qualquer tipo (links quebrados, imagens quebradas, caixa postal cheia, e-mail inexistente, erro de banco de dados etc).© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 33
  • 34. Páginas sem título© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 34
  • 35. Uso de “stock photo”© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 35
  • 36. Campos visualmente mínimos© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 36
  • 37. Avisos do tipo “em breve novo site”© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 37
  • 38. Avisos do tipo “espaço em construção”© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 38
  • 39. Falha técnica: link quebrado© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 39
  • 40. Falha técnica: erro de banco de dados© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 40
  • 41. Considerações sobre layout . O visual de um site tem papel fundamental na experiência do visitante: – Se agradável e convidativo, enriquece a experiência de acesso ao conteúdo; . – Se exagerado, ofusca o conteúdo. Conteúdo e layout devem ser balanceados de maneira harmônica.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 41
  • 42. Dicas sobre layout . O visual deve ser sóbrio, dentro do estabelecido . no Código de Ética e no Provimento 94/2000. Deve ter toques modernos, pois é um recurso . tecnológico. O importante é refletir a identidade visual do escritório, caso exista: – Estilo identificável por quem já conhece o escritório; – Consistência visual de fácil aprendizado por quem não conhece.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 42
  • 43. Usabilidade . Em poucos segundos um usuário pode abandonar . um site com baixa usabilidade. Usabilidade aplicada à sites é o conjunto dos vários elementos de design existentes e seu impacto na habilidade do usuário compreender e conseguir navegar pelas páginas de um site. – Trabalha em conjunto com a arquitetura da informação para gerar uma experiência positiva para o visitante.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 43
  • 44. Usabilidade . Usabilidade é fator estratégico para qualquer projeto baseado na web: – Garantia de sucesso; . – Garantia de maior retorno do investimento. Um projeto inteiro não pode falhar por causa de uma interface ruim. . – É impossível agradar a todos! Não esquecer a questão de acessibilidade (acesso por portadores de deficiência).© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 44
  • 45. O visitante é seu amigo . Dois aspectos muito importantes: – O visitante muitas vezes é leigo; . – O visitante deve ser considerado preguiçoso. Devemos dar tudo de bandeja para o visitante: – Que caminhos ele deve seguir no site? – Que links ele deve clicar? – Que informações ele deve ler? . – Que ações ele deve tomar? A navegação deve fluir naturalmente.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 45
  • 46. Formas alternativas de navegação . As pessoas pensam e agem de maneiras diferentes e isso se reflete na forma como . navegam em sites na internet. Opções mais comuns de navegação: – Links entre as páginas; – Navegação padrão do site (menus); – Mapa do site; – Pesquisa (geral, segmentada etc); – Migalhas (“bread crumbs”).© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 46
  • 47. Exemplo de opções de navegação Navegação Mapa do site Migalhas Pesquisa© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 47
  • 48. Considerações sobre infra-estrutura . A infra-estrutura congrega hardware e software, a base operacional para um site funcionar, e o próprio site (conteúdo, layout e programação . associada). Conteúdo e layout são integrados em um site funcional, que pode ser completamente desenvolvido ou ser baseado em um sistema de gerenciamento de conteúdo.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 48
  • 49. Sites estáticos e sites dinâmicos . Sites estáticos são formados por páginas que só mudam quanto alguém as modifica em um editor. . – Sites antigos e inflexíveis. Sites dinâmicos tem suas páginas geradas a partir de modelos HTML e informações geralmente armazenadas em bancos de dados. – Sites modernos e com inúmeros recursos.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 49
  • 50. Como o site será desenvolvido? . O desenvolvimento (e atualização) de um site pode ser feito de várias maneiras: – Editores HTML; – Sistemas simplificados de gerenciamento de conteúdo (modelos “engessados”); – Sistemas avançados e flexíveis de gerenciamento de . conteúdo. Editores gráficos, como o Adobe Photoshop, são sempre usados para a parte visual.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 50
  • 51. Sistema de gerenciamento de conteúdo . A melhor solução para escritórios: – Soluções pagas e gratuitas; . – Excelente relação custo/benefício. Reduz dependência do desenvolvedor do site, pois os próprios advogados e outros profissionais poderão atualizar o site: – Inclusão programada de conteúdo; – Definição de fluxo de aprovação; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 51
  • 52. Exemplo de interface de atualização© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 52
  • 53. Exemplo de interface de atualização© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 53
  • 54. Fases do desenvolvimento de um site (5) (1) Análise & Planejamento avaliação Infra- estrutura Layout (4) Conteúdo (2) Atualização & Execução recursos (3) Lançamento & divulgação© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 54
  • 55. Planejamento . Fase essencial onde serão definidos os objetivos gerais do site e todos os demais aspectos que . darão uma base sólida ao site almejado. Preparativos para a fase de execução: – Identificação do conteúdo existente que será usado; – Definição da organização e estruturação do conteúdo; – Identificação de colaboradores internos e externos para a supervisão do projeto, geração de conteúdo, fotografias, layout, desenvolvimento etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 55
  • 56. Execução . Concretização de todo o planejamento realizado, . com eventuais ajustes de percurso. Para ser bem-sucedido, é preciso: – Trabalhar com excelentes prestadores de serviços; – Contar com um responsável interno ou externo (um coordenador) para garantir o sucesso do projeto e sua aderência a todos os detalhes que foram planejados.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 56
  • 57. Lançamento e divulgação . O verdadeiro trabalho com um site começa . quando ele fica pronto! O site deverá ser oficialmente lançado, sendo divulgado de todas as maneiras possíveis: – Papelaria (papel timbrado e cartão de visitas); – Comunicado para clientes e o mercado; – Imprensa; – Ferramentas de busca / SEO (Google & Cia.); – Links patrocinados (Google Adwords); – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 57
  • 58. Links patrocinados . Serviço pago que permite a inclusão de anúncios associados à palavras-chaves pesquisadas em ferramentas de busca: – Disponível no Yahoo! e no Google (AdWords); – Os anúncios aparecem nas páginas de resultados; – Os valores por anúncio são baixos e são pagos apenas quando alguém clica em um anúncio; . – O serviço é totalmente configurável. Ético? – FATO: Já existem inúmeros escritórios anunciando.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 58
  • 59. Exemplo de links patrocinados© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 59
  • 60. Atualização . Ainda mais trabalhoso do que divulgar um site é mantê-lo atualizado, sempre com novidades. . – Fase crucial, sem fim, que dá o “tom” ao site. Dependendo das escolhas técnicas realizadas anteriormente, pode ser um tarefa fácil ou difícil.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 60
  • 61. É realmente preciso atualizar o site? . Tipos de conteúdo regularmente atualizados: – Perfis dos advogados; – Notícias sobre as atividades do escritório; – Notícias sobre novidades de conteúdo no site; – Artigos; – Inserções na mídia; – Clipping de notícias relevantes; – Eventos promovidos pelo escritório; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 61
  • 62. Análise e avaliação . Para saber se o site está tendo um bom desempenho, é preciso analisar e avaliar os acessos recebidos e planejar mudanças e novidades. – É preciso garantir que o desempenho esteja alinhado . com os objetivos originalmente planejados. É um trabalho constante e paralelo à fase de atualização, que leva à revisão e complementação do planejamento original (reinício do ciclo).© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 62
  • 63. Análise do desempenho de um site . O trabalho de análise dos acessos recebidos por um site é conhecido como “web analytics”: Análise de desempenho web é a mensuração, coleta, análise e processamento de dados de acesso com a finalidade de compreender e otimizar um site. – Tradução livre da definição da Web Analytics Association© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 63
  • 64. Relatórios de acesso . Os relatórios de acesso revelam inúmeras informações úteis: – Número de páginas visitadas (“page views”); – Páginas mais acessadas; – Número de visitas (sessões); – Visitantes únicos; – Localização geográfica dos visitantes; – De que sites os visitantes vieram; – Palavras pesquisadas nas ferramentas de busca; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 64
  • 65. Tela principal do Google Analytics© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 65
  • 66. Investimentos associados . Vários investimentos se fazem necessários em termos de conteúdo: – Planejamento geral do site, incluindo definição de conteúdo e recursos tecnológicos; – Tempo dos advogados para geração de conteúdo; – Contratação de profissional de comunicação e/ou uso de um profissional não-advogado para geração de conteúdo e atualização; – Licenciamento de conteúdo; – Fotos do escritório e dos advogados; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 66
  • 67. Investimentos associados . Layout e infra-estrutura congregam os maiores investimentos para a criação de um site: – Registro de um ou mais nomes de domínio; – Contratação de empresa responsável pelo layout, desenvolvimento e integração; – Sistema de gerenciamento de conteúdo, caso venha a ser utilizado; – Licenciamento de stock photo (desaconselhável); – Hospedagem (interna ou externa); – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 67
  • 68. Outros investimentos . Uma vez pronto o site, vários outros investimentos devem/podem ser realizados: – Promoção do site (impressos, links patrocinados etc); – Software de geração de relatórios estatísticos; – Atualização/manutenção do conteúdo; – Desenvolvimento de novos recursos; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 68
  • 69. O que vocês pensam do site abaixo?© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 69
  • 70. E do comentário abaixo? . Recebido através do marketingLEGAL: A última coisa com que se parece o site da PPP é com o site de um escritório de advocacia. Claro que o site não pode ser estático e deve ser repleto de informações constantemente atualizadas. Mas para tudo há um limite. É preciso de muito esforço para descobrir que se trata de um escritório de advocacia.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 70
  • 71. Recursos complementares . A presença de um escritório na internet pode ser complementada por vários outros recursos: – Links cruzados; – Informativos; – Blogs; – Feeds RSS; – Extranets; – Palestras via internet; – Podcasts; – Mundos virtuais; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 71
  • 72. Links cruzados . Uma forma de aproveitar ao máximo o conteúdo de um site ao longo de todas as suas páginas: – Colocar a informação na frente do visitante (leigo e/ou preguiçoso); . – Mostrar o caminho para o visitante. Vai muito além de ter links nos perfis dos advogados para áreas de atuação e vice-versa. – Objetiva criar experiências únicas de navegação!© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 72
  • 73. Exemplo de links cruzados© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 73
  • 74. Informativos . Informativos genéricos x segmentados: – Impressos x digitais; – Vantagens e desvantagens; – Versão impressa, com tiragem limitada; . – Versão digital, em HTML e em PDF. Conteúdo livremente disponível no site: – Exigir cadastramento simples, para envio de “alertas”; – O “alerta” não deve trazer conteúdo, apenas links para o conteúdo no site; – O “alerta” deve ser apenas um “aperitivo”.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 74
  • 75. Blogs . O que são blogs? – “Uma página da web cujas atualizações (chamadas posts) são organizadas cronologicamente (como um . histórico ou diário)”. Características básicas: – Sites de visual simples; – Atualização fácil e rápida; – Envio de comentários pelos visitantes; – Categorização do conteúdo; – Divulgação através de feed RSS; – Etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 75
  • 76. Exemplo de blog© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 76
  • 77. Feeds RSS . O que é um feed RSS?! – É um recurso que, agregado a um site ou a um blog, ajuda a incrementar a visitação e “lembrar” . interessados sobre novidades. Como ter um? – Nos blogs, geralmente são gerados automaticamente; . – Nos sites, precisam ser desenvolvidos. Se existentes, devem ser explicitamente divulgados na página inicial de um site ou blog.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 77
  • 78. Exemplo de link para feed RSS© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 78
  • 79. Exemplo de acesso à feed RSS© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 79
  • 80. Extranets . O que são extranets? – Sites de acesso restrito a clientes e/ou parceiros de . negócios, com acesso a informações privilegiadas. Geralmente se resume a acompanhamento processual, mas deve ser mais do que isso. – As extranets atuais realmente atendem as necessidades dos clientes dos escritórios? – O que realmente os clientes desejam? – É fundamental se colocar no lugar do cliente! – Extranets ainda fazem sentido?© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 80
  • 81. Mundos virtuais . Gartner prevê que 80% dos usuários da internet farão uso de mundos virtuais em 2011 e que os aspectos sociais e colaborativos desses ambientes . dominarão no futuro. É uma tendência que não deve ser ignorada, pois terá impacto significante nas empresas nos próximos cinco anos. – Inúmeros usos possíveis: integração/relacionamento, recrutamento, treinamento, simulações etc.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 81
  • 82. Escritórios no Second Life?© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 82
  • 83. Recapitulando... . Um site de escritório é muito mais do que um mero item na lista de compras do marketing: – É uma das principais ferramentas de marketing; . – Só perde para a maior de todas: o próprio advogado. O site tem que ser muito bem planejado e ter foco nos perfis de visitantes esperados. . – Os textos devem incentivar uma ação, um contato. O site tem que trazer novidades regularmente! – Ou então se assumir como brochura e ponto final!© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 83
  • 84. Obrigado! Perguntas? Marco Antonio P. Gonçalves goncalves@marketingjuridico.com.br Perguntas também são bem-vindas por e-mail.© Gonçalves & Gonçalves Marketing Jurídico. Todos os direitos reservados. 84