• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Parte1b
 

Parte1b

on

  • 157 views

 

Statistics

Views

Total Views
157
Views on SlideShare
157
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as OpenOffice

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Parte1b Parte1b Presentation Transcript

      • Estrutura dos Sistemas Operacionais
      • Não há estruturação
      • Coleção de procedimentos onde cada um pode chamar
      • todos os demais
      • Começam pequenos e vão crescendo sem organização
      • Difíceis de implementar e manter
      • Ex: MSDOS e primeiras versões do Unix
      • Camada 0 = HW
      • Camada N = interface com usuário
      • Camadas superiores comunicam-se
      • com inferiores
      • Vantagens: facilidade de implementação e
      encapsulamento
      • Desvantagens dificuldade de definição das
      camadas e perda de eficiência
        Estrutura simples (monolítica)
        Estrutura em camadas
      • Move-se funcionalidade para espaço de usuário
      • Aumento de segurança: serviços rodam como usuários
      • Troca de mensagens (via µ kernel)
      • Desvantagem: perda de desempenho (comunicação
      • entre espaço de usuário e de kernel
      • Exemplo: Mac OS X ( µ kernel Mach)
        Estrutura microkernel
      • Módulos com interfaces bem definidas (OO)
      • Módulos ligados dinamicamente, em tempo de execução
      • Ex: Solaris
        Estrutura modular
      • Abstração de um único computador em vários
      • Recursos físicos compartilhados entre máquinas virtuais
      • Bom para estudo de SOs
      • Difícil de implementar
      • Ex: VMWare, JVM, MPLAB IDE
        Máquinas virtuais
      • Move-se funcionalidade para o espaço de usuário
      • (praticamento todo o kernel)
      • Ao invés de fazê-lo de forma semelhante ao ukernel
      • (i.e. Cliente-servidor), usa-se libOS
        Exokernel
      • [1] Real-Time Systems and Programming Languages . Burns A., Wellings A.
          2nd edition
        [2] Análise de Sistemas Operacionais de Tempo Real Para Applicações de
          Robótica e Automação. Aroca R. V. Dissertação de Mestrado.
        [3] Operating System Concepts . Silberschatz, Galvin, Gagne. 8 th edition [4] Sistemas Operacionais Modernos. Tanenbaum 2a edição
        Bibliografia