Jogos de empresa

2,074 views
1,926 views

Published on

Aula inicial sobre jogo de empresas para conexão entre teoria e prática no ensino superior de administração. É uma técnica de aprendizagem vivencial recomendada pelo Ministério da Educação (MEC) para as Instituições de Ensino Superior (IES) nos cursos de gestão e administração de empresas.

Conheça nosso site http://www.jogos-de-empresas.com.br

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,074
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
18
Actions
Shares
0
Downloads
134
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Jogos de empresa

  1. 1. Jogo de empresas Didática para o ensino superior Prof. Dr. Luiz Antonio Titton
  2. 2. Agenda 1. O que são os jogos de empresas 2. Abordagem didática dos jogos de empresas 3. Metodologia da aplicação da técnica 4. Características 5. Referencial dos jogos de empresas modernos
  3. 3. O que são os jogos de empresas É necessário compreender suas partes integrantes para, então, apresentar uma definição do que são os jogos de empresas. Passo a passo, serão demonstradas as suas partes.
  4. 4. O que são os jogos de empresas Mas, antes de avançar é preciso fazer uma correção: Quando se fala em jogo de empresas, o que se está realmente querendo dizer é “jogo de simulação de empresas”, uma vez que há outros jogos semelhantes que adotam outros temas como os jogos de guerra, que são jogos de simulação de guerra – feitos para exercitar forças militares. Portanto, existe o termo simulação embutido nele.
  5. 5. O que são os jogos de empresas Jones (1995) apresentou uma interpretação que os jogos de simulação são a conjugação de dois aparatos distintos: 1) jogos, com suas características de competição, cooperação, regras e jogadores; 2) simuladores, com seus componentes possuírem construtos, modelos e implementações.
  6. 6. O que são os jogos de empresas Ambos aparatos existem por si mesmos, e essa associação pode ser visualizada como uma intersecção deles: JOGOS SIMULAÇÕES Jogos de simulação As empresas são, na verdade, o tema desses jogos de simulação. Titton, 2011
  7. 7. O que são os jogos de empresas Essa visão é importante porque no Ensino Superior é essencial que essa atividade contenha elementos reconhecidos pela teoria que é ensinada. Ou seja, o fato de ser um jogo não significa que o seu funcionamento possa ser aceito de qualquer forma, independente do conteúdo didático do curso. O risco de usar um jogo de simulação em que o funcionamento do simulador não tem relação correta com a teoria é de se ensinar como certo o que pode ser errado.
  8. 8. O que são os jogos de empresas Então, para o Ensino Superior, o que são jogos de empresas adequados? Revendo cada uma das partes: Jogo: em princípio, a forma como se desenvolve o jogo no que se refere a competição, cooperação, regras e jogadores deve obedecer aos preceitos éticos e didáticos do ensino superior. Simulador: o simulador deve ser 100% coerente com a teoria ensinada no curso e não uma interpretação da realidade feita pelo seu criador. Empresas: as empresas virtuais devem simular empresas factíveis, existentes no mundo real e que sirvam para o aprendizado de adultos (andragogia).
  9. 9. Abordagem didática Abordagem Descrição Tradicional Aulas expositivas. Forma o aluno dedutivo com apresentação da matéria de forma concreta em que o conteúdo não é repensado ou reelaborado. Comportamentalista Aula predominantemente expositiva. A experimentação controlada é base da formação do conhecimento. A vivência é reforçada positivamente nos aspectos desejados ou negativamente nos aspectos indesejáveis do aluno. Ênfase nos recursos audiovisuais, instrução programada, tecnologias de ensino, adota a ideia de que existiriam máquinas de ensinar. Humanista O professor atua como facilitador da aprendizagem, proporcionando motivação e condições para enfrentar desafios. Dá ênfase nas relações inter-pessoais que resultam em crescimento focado na personalidade do aluno. O conteúdo é selecionado a partir dos interesses do aluno. Sóciocultural O professor atua como coordenador do aprendizado do aluno que é conscientizado do processo de sua formação. Busca-se a consciência crítica a partir de diálogo e grupos de discussão. Cognitiva O professor busca a autonomia intelectual do aluno através do desenvolvimento de sua personalidade de instrumento lógico-racional. É oferecida a oportunidade de aprender por si mesmo, evitando-se rotinas, fixação de respostas e hábitos. Os alunos devem buscar as soluções para os problemas desenvolvendo, assim, sua inteligência baseada no ensaio, na tentativa a partir de suas pesquisas, no erro e nos acertos. É o “aprender a pensar”. Titton, 2011
  10. 10. Abordagem didática Entre as abordagens mostradas no quadro anterior, os jogos de empresas são extremamente aderentes com a abordagem cognitiva. O aluno busca, na teoria, a solução para os problemas que são apresentados sem solução. Nessa abordagem, ele aprende a pensar. Veja como esse aparato não se enquadra nas abordagens: Tradicional: não se dá uma aula expositiva de jogos de empresas, o aparato tem como característica a vivência na atividade. É um esforço centrado no aluno, não no professor. Comportamentalista: Não são máquinas de ensinar, a competição não é adequada nessa abordagem que reforça os aspectos positivos e condiciona negativamente os erros. Humanista: não há nenhuma aderência com essa abordagem porque o aluno não escolhe os problemas que irá enfrentar. Embora o professor atue como facilitador do aprendizado nos jogos de empresas, o foco não está no interesse pessoal de cada um, mas no que o simulador oferece. Sócio cultural: Não é um aparato voltado para a aprendizagem a partir do diálogo conectada com a prática histórica real. É exatamente um simulador e não a realidade em si.
  11. 11. Metodologia da aplicação da técnica Titton, 2011 baseado em Tanabe, 1973
  12. 12. Características dos jogos de empresas modernos Até metade da década de 1950: Utilização de cartões e tabuleiros para representar os componentes da simulação. Até o fim do século passado: Sistemas computacionais baseados em programação procedural (clipper, basic, planilhas eletrônicas) Até o metade da década de 2010: Sistemas baseados em internet (html, php, etc) A partir daí: sistemas em cloud, usando web, smartdevices e computação em nuvem. (C#,Java,IOS,Android) Titton, 2011
  13. 13. Referencial e bibliografia consultada MEBAN Jogos de empresas, disponível em http://www.jogos-de-empresas.com.br TANABE, M. Jogos de empresas, Dissertação. Mestrado em administração de empresas, Fac.Econ.Adm.Cont.da USP, obra não publicada, São Paulo, 1973 TITTON, L.A. Arquitetura para orientar a seleção de JSE por IES: contribuição para o ensino de logística, tese de doutorado, Fac.Econ.Adm.Cont.da USP, obra não publicada, São Paulo, 1973 disponível em http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde19082011-195540/pt-br.php Titton, 2011
  14. 14. Obrigado  São Paulo, 2014
  15. 15. Autorização Você tem autorização para utilizar total ou parcialmente essa apresentação desde que citada a fonte. Agradeceria o envio de seu trabalho para mim, também. Luiz Antonio Titton titton@jogos-de-empresas.com.br Quer saber mais? Peça para receber outros materiais sobre jogos de empresa no meu site: www.jogos-de-empresas.com.br Titton, 2011

×