TransparêNcias ReuniãO Cosec 13 10 08   Paulo Rabello
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

TransparêNcias ReuniãO Cosec 13 10 08 Paulo Rabello

on

  • 1,822 views

Apresentação de Paulo Rabello de Castro na Cosec

Apresentação de Paulo Rabello de Castro na Cosec

Statistics

Views

Total Views
1,822
Slideshare-icon Views on SlideShare
1,330
Embed Views
492

Actions

Likes
0
Downloads
18
Comments
0

7 Embeds 492

http://www.projetobr.com.br 415
http://projetobr.com.br 46
http://www.codigo12.blogspot.com 11
http://codigo12.blogspot.com 10
http://desenvolvimentobr.ning.com 7
http://grupoevidencia.com.br 2
http://64.233.169.104 1
More...

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    TransparêNcias ReuniãO Cosec 13 10 08   Paulo Rabello TransparêNcias ReuniãO Cosec 13 10 08 Paulo Rabello Presentation Transcript

    • Evolução da Crise Financeira Global e Alternativas Estratégicas do Brasil Paulo Rabello de Castro Outubro 2008 1
    • PARTE I Crise Financeira Global Perguntas Chave: Qual o provável tamanho do problema? Estamos no fundo do poço? 2
    • “A TEMPE$TADE” por Alan “Shakespeare” Greenspan Dramatis Personae Alan Greenspan, ele mesmo Bernanke e Paulson Banqueiros de Investimento Incorporadores Imobiliários Hedge Funds Asseguradores de Crédito Agências de Risco Reguladores e Fiscais do Mercado BRICs e Não-BRICs Emergentes Povo Consumidor e Hipotecado Participação Especial: George W. Bush 3
    • EUA: Ciclos Monetários e Militares EUA: TAXA DE JUROS (Fed Funds) 20 Fonte: RC Databank / Fed BASIS POINTS BARRIS 15 BOMBAS 10 BOMBAS BARRIS 5 Gestão Paul Volcker 0 1957 1963 1969 1975 1981 1987 1993 1999 2008 4
    • Poupança pessoal americana Média móvel de 12 meses como proporção da renda % da renda total 14 12 10 8 6 4 2 0 jan/60 jan/66 jan/72 jan/78 jan/84 jan/90 jan/96 jan/02 jan/08 Fonte: U.S. Department of Commerce: Bureau of Economic Analysis 5
    • EUA: A Composição da Dívida Privada POUPANÇA LÍQUIDA Valores Reais, a preços de 2008 Fonte: The New York Times 6
    • Circuito de Produção de Alavancagem INVESTIDORES $$$ SYNTHETIC CDO MBS, CDO, CDS MORTGAGE PESSOAS FÍSICAS E FANNIE MAE FREDDIE MAC SIV’s JURÍDICAS $$$ $$$ Alocação de Recursos $$$ (Diversificação CDS de riscos) INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Aplicação MORTGAGE $$$ $$$ MBS, CDO, CDS (recuperação de rentabilidade) PESSOAS FÍSICAS E SIV’s JURÍDICAS ANTECIPAÇÃO + (SECURITIZAÇÃO) LIQUIDEZ $$$ SYNTHETIC CDO NOVOS MORTGAGES + INVESTIDORES E APLICAÇÃO REFINANCIAMENTOS 7
    • Crescimento do “SUBPRIME” Participação do Subprime nos Empréstimos Hipotecários 16% 14,0% 14% 13,2% 13,5% 11,5% 12% 10% 8% 6% 5,3% 4% 3,4% 2,4% 2,1% 2,4% 2,6% 2% 0% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007* * dados do 1º semestre de 2007 Fonte: Mortgage Bankers Association of America 8
    • Posições “fora do balanço” em US$ bilhões CITIGROUP BANK OF AMERICA JP MORGAN PL - US$ 160 PL - US$ 163 PL - US$ 163 OFF-BALANCE OFF-BALANCE OFF-BALANCE 8 VEZES 9 VEZES 13 VEZES US$ 1.281 US$ 1.496 US$ 1.723 ATIVOS TOTAIS ATIVOS TOTAIS ATIVOS TOTAIS US$ 2.100 13 VEZES 9 VEZES 13 VEZES US$ 1.554 US$ 1.776 WACHOVIA MERRILL LYNCH WaMu PL - US$ 75 PL - US$ 35 PL - US$ 26 OFF-BALANCE OFF-BALANCE 1,5 VEZES 2 VEZES OFF-BALANCE US$ 149 US$ 46 US$ 23 1 VEZES 27 VEZES ATIVOS TOTAIS ATIVOS TOTAIS ATIVOS TOTAIS 10 VEZES 11 VEZES US$ 812 US$ 966 US$ 310 Fonte: SEC 9
    • Alavancagens Comparadas Índice de Capital Efetivo excluindo posições off-balance 21,5% Alavancagem* 64,3 *número de vezes do PL 8,5% 1,6% BRASIL EUA FANNIE MAE / FREDDIE MAC 11,8 4,7 BRASIL EUA FANNIE MAE / FREDDIE MAC Fonte: Banco Central, FED, SEC 10
    • Bancos Europeus também estão no coração do problema, fazendo companhia aos bancos norte-americanos Fonte: Credit Flux 11
    • A Bolsa dos EUA está pendurada nos anúncios do FED 15.000 DOW JONES Devolução Tributária para Injeção de US$ 168 bi 14.000 Aprovação de Pacote de 13.000 Rolagem de US$ 700 bi Redução de Redução de Juros Juros 12.000 Reduções de Anúncio do Juros 11.000 MLEV Redução de Juros 10.000 Redução de Juros 9.000 2/1/07 2/5/07 2/9/07 2/1/08 2/5/08 9/10/08 12
    • A “torneira” de Bernanke Financiamentos diretos e leilões a termo para os bancos membros (US$ bilhões) O FED 600 decide não mais 500 bancar 400 300 A crise se 200 agrava. Novo Pacote 100 0 ago/07 out/07 dez/07 fev/08 abr/08 jun/08 ago/08 out/08 dez/08 Fonte: Federal Reserve 13
    • FED: A Chuva de Papéis “Micados” em Carteira Semana Variação (US$ bilhões) terminada em Em uma Em um Bilhões de dólares 8/10/08 semana ano A – ATIVOS do FED 1.495 + 104 + 636 1 – Posições em Treasuries 491 +2 - 289 2 - Acordos de recompra de títulos 81 - 2 + 43 3 - Leilões a termo 149 -1 + 149 4 - Outros empréstimos 420 + 52 + 420 5 - Carteira líquida do Maiden Lane LLC 29 +0 + 29 641 bi 6 - Outros ativos do FED 325 + 50 + 284 B – Moeda em Circulação, Ouro e DES 52 +0 + 0 PROVISÃO DE RESERVAS DO FED (A+B) 1.547 + 104 + 636 Fonte: Federal Reserve 14
    • BRICs: Os Ganhadores da Era Greenspan China: Reservas Internacionais em US$ bilhões 2.000 1.800 1.600 3ª FASE 1ª FASE 2ª FASE 1.400 quot;PRESENTE DOS DECOLAGEM NIVELAMENTO EUAquot; 1.200 1.000 800 (+) US$ 1,5 Trilhão 600 400 200 0 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 jun/08 Fonte: Banco Popular da China 15
    • BRICs: Os Ganhadores da Era Greenspan Rússia: Reservas Internacionais em US$ bilhões 600 550 500 450 1ª FASE 2ª FASE 3ª FASE NAUFRÁGIO DECOLAGEM EXPANSÃO 400 350 300 (+) US$ 533 Bilhões 250 200 150 100 50 0 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 ago/08 Fonte: FMI 16
    • BRICs: Os Ganhadores da Era Greenspan Índia: Reservas Internacionais em US$ bilhões 350 300 1ª FASE 2ª FASE DECOLAGEM BOOM 250 200 (+) US$ 246 150 Bilhões 100 50 0 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 ago/08 Fonte: FMI 17
    • BRICs: Os Ganhadores da Era Greenspan Brasil: Reservas Internacionais em US$ bilhões 220 200 180 2ª FASE 3ª FASE 1ª FASE RECUPERAÇÃO LENTA quot;PRESENTE DA 160 NAUFRÁGIO DO REAL DO NAUFRÁGIO CHINAquot; 140 120 100 (+) US$ 154 Bilhões 80 60 40 20 0 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 set/08 Fonte: Banco Central 18
    • Participação dos destinos das exportações chinesas Ásia 46% Ásia África 2% Europa América Latina 3% América do Norte EUA EUA Oceania e Ilhas do 21% Europa 22% 2% América Latina 4% Fonte: Banco Popular da China 19
    • Participação de cada região nas importações chinesas Ásia 66% Ásia África Europa América Latina América do Norte EUA Oceania e Ilhas do Pacífico Outros Europa EUA América Latina 15% 7% 4% Fonte: Banco Popular da China 20
    • PARTE II Alternativas para o Brasil Perguntas Chave: Qual o grau de exposição do país? Qual o mix mais apropriado de políticas macro? 21
    • Juros em desalinho 35 Selic Nominal Fonte: RC Databank 30 25 Taxa Selic Praticada 20 15 10 Equação de Equilíbrio: Taxa de Risco Taxa de 5 Juros Reais x País = Juros Reais dos EUA (EMBI) de Equilíbrio quot;Taxa de Equilíbrioquot; * pressupõe expectativa de variação cambial zero 0 jan/00 out/00 jul/01 abr/02 jan/03 out/03 jul/04 abr/05 jan/06 out/06 jul/07 ago/08 22
    • Moeda tem sempre dois lados 130 Valorização Nominal de Câmbio: Moedas Nacionais / Dólar JAPÃO 120 ARGENTINA 110 MÉXICO 100 CHILE EURO 90 CHINA 80 70 60 BRASIL 50 dez/04 jul/05 fev/06 set/06 abr/07 nov/07 jun/08 out/08 23
    • Taxa de câmbio - moeda / US$ País última cotação % Variação desde: 7/out jan/07* out/07* ago/08* Brasil 2,31 8,1% 28,4% 43,2% Argentina 3,21 4,1% 1,7% 6,0% Chile 594,50 9,7% 18,7% 15,0% México 12,12 10,6% 12,0% 19,8% Canadá 1,11 -6,0% 13,3% 4,9% Austrália 1,39 8,5% 24,7% 22,2% Rússia 26,14 -1,4% 5,0% 7,8% China 6,82 -12,5% -9,1% -0,4% Singapura 1,46 -4,9% -0,2% 4,1% Índia 47,78 8,1% 21,4% 11,4% U.K. 0,57 11,3% 16,2% 7,2% Europa 0,73 -4,8% 4,3% 9,6% Ajuste médio** 2,6% 11,4% 12,6% Moeda Real estava cotada R$ 2,14 R$ 1,80 R$ 1,61 a com ajuste médio, o real R$ 2,20 R$ 2,01 R$ 1,81 subiria para *Taxa média mensal ** Média simples 24
    • Pistas sobre o tamanho do estrago real 25
    • Pistas sobre o tamanho do estrago real 26
    • Pistas sobre o tamanho do estrago real 27
    • Pistas sobre o tamanho do estrago real 28
    • Pistas sobre o tamanho do estrago real 29
    • BLACK OCTOBER Estratégias para o Brasil pós-Bolha 30
    • Estratégia DEFENSIVA – ÂNCORA DE JUROS - Meta de Apreciação Cambial – Desinflação induzida - Política de Juros Ativa – sobrecarga financeira - Política Fiscal Expansionista – tropicália “keynesiana” Estratégia PROATIVA – ÂNCORA FISCAL - Convergência Cambial - Política de Juros “neutra” expansão monetária gradual - - Política Fiscal Contencionista – “deficit nominal zero” - Reforma Tributária – carga converge para 30% até 2020 31
    • Estratégia PROATIVA 1) Aumento de 10% na produtividade pública 2) Meta de 30% de Carga Tributária em 2020 3) Fim da Indexação ao IGP 4) Incentivos novos à Poupança Previdenciária 5) Meta de Investimento: 25% do PIB 6) Meta de Crescimento 2010–14: 6% ao ano 32