Laudo Unb

821 views
671 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
821
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
168
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Laudo Unb

  1. 1. LAUDO DE EXAME DE IMAGENS Aos 28 dias do mês de Maio do ano de 2009, no Distrito Federal e na FINATEC em conformidade com o contrato de prestação de serviço N. 027/2009, na qualidade de Perito de acordo com a legislação vigente, Eu Antonio Nuno de Castro Santa Rosa elaborei laudo de exame em arquivo digital obtido da Internet. I- DO MATERIAL I .1– DO MATERIAL QUESTIONADO Foram estudados três arquivos com as imagens capturadas na Internet (figuras 1, 2, e 3). O arquivo que utilizamos para análise e medidas foi o da figura 3, que apresenta menor perda da parte espectral no tipo de formato utilizado na Internet JPEG (Joint Pictures Expert Group). Neste arquivo digital existem diversos elementos que podem ser identificados como uma ficha digital ou uma ficha analógica. Por meio do processamento digital desse arquivo será avaliado como o mesmo foi construído. As fontes dos três arquivos digitais foram: 1- http://www.misturinha.com/2/wp-content/uploads/2009/04/dilma.jpg. Neste endereço realizamos o download da figura 1. 2- http://www.viomundo.com.br/img/CurriculumVitaeDilma_Roussef.JP. Neste endereço realizamos o download da figura 2. 3- http://www1.folha.uol.com.br/fsp/images/n0504200901.jpg. Neste endereço realizamos o download da figura 3.
  2. 2. Figura 1. Arquivo no formato gráfico JPG, capturada na Internet.
  3. 3. Figura 2. Arquivo no formato gráfico JPG, capturada na Internet.
  4. 4. Figura 3. Arquivo no formato gráfico JPG, capturada na Internet .
  5. 5. I .2– DO MATERIAL PADRÃO Arquivos capturados em formato digital a partir de documentos do Arquivo Público do Estado de São Paulo, Brasil: 1- Fotografia analógica em preto e branco da senhora Dilma Vana Rousseff. 2- Impressões digitais dos dez dedos da senhora Dilma Vana Rousseff, em arquivos que apresentam resolução de 600 e 1200dpi. 3- Fichas em cartolina que foram datilografadas pelo DOPOS de São Paulo. II - DA ANÁLISE Os arquivos digitais apresentam padrões que se repetem na imagem e que são conseqüência do método de processamento utilizado em sua construção. O presente Laudo tem por objetivo caracterizar os elementos digitais do material capturado da Internet em formato JPG. Visa ainda verificar a autenticidade dos elementos digitais contidos nos arquivos. Foram utilizados softwares desenvolvidos e já publicados cientificamente para toda a comunidade especializada em processamento de Imagens. Os softwares foram UnBVision, SAPPI e Digital, desenvolvidos pelo perito e alunos da UnB. Os softwares foram utilizados por apresentarem precisão que atendem normas internacionais para tal desenvolvimento. A análise foi realizada em duas etapas: 1 – Comparação dos três arquivos digitais; 2- análise detalhada do arquivo de maior resolução. II.1 - TESTE PELO NÚMERO DE BORDAS Neste teste medimos o número de bordas dos objetos contidos nas figuras 1, 2 e 3. Com este resultado podemos definir se os arquivos contêm as mesmas informações digitais, possibilitando assim a escolha de um destes para realizarmos a análise detalhada.
  6. 6. As medidas realizadas indicam que todas as imagens visualmente não apresentam diferenças nas suas estruturas geométricas, porém percebe-se diferença na cor das figuras 1,2 e 3. O arquivo que utilizamos para analise e medidas foi o da figura 3, por apresentar menor grau de degradação em termos de pixels. Os arquivos são em formato digital JPEG (Joint Pictures Expert Group). É visível que as figuras 1 e 2 apresentam menor resolução, feição que é perceptível após se aplicar a função zoom no mesmo percentual em relação a figura 3. Nas figuras 4 e 5 mostramos o resultado do programa SAPPI, que calcula o número de bordas entre as figura 3 e 1 e figura 3 e 2. Este programa utiliza o CANNY detector de Bordas. Esta técnica realiza a segmentação de duas imagens e calcula a razão do número de bordas em relação a imagem de referência. Na tabela 1, mostramos os valores de razão em relação a cada duas imagens. Os valores da figura 3 para a figura 1 apresentam pequena variação na terceira casa, o que indica que essas figuras apresentam a mesma quantidade de bordas. De forma semelhante determinamos os valores das bordas entre as figuras 3 e 2, que indica também valores semelhantes (de cor azul ou coluna 3 da tabela 1). A análise realizada indica que o número das bordas das imagens são valores próximos, ou seja, os arquivos devem produzir respostas semelhantes ao se efetuar um processamento digital. Os resultados numéricos determinados indicam ainda que a figura 3 apresenta as melhores condições numéricas para realizarmos o estudo. Valores Figura 1 Figura 2 De Bordas 0.98561018 0.98391175 Figura 3 0.98150759 0.98458129 Tabela 1. Valores de bordas das figuras 1,2 e 3.
  7. 7. Figura 4. Contagem de bordas entre a figura 3 e a figura 1.
  8. 8. Figura 5. Contagem de bordas entre a figura 3 e a figura 2. Considerações sobre o Item: As três imagens não possuem diferenças digitais significativas.
  9. 9. II.2 – DAS RESPOSTAS AOS QUESITOS II.2.1 - FOTOGRAFIAS Foi realizada a captura da fotografia em preto e branco no Arquivo Público de São Paulo (Figura 6). A fotografia apresenta a marca de três grampos posicionados na parte superior, inferior e lateral esquerda. Também apresenta a marca de um carimbo na parte lateral direita. A imagem possui luminosidade natural e o grampo na parte superior da mesma causou perda de informações do cabelo levantado. Figura 6. Fotografia em preto e branco Arquivo Público do Estado de São Paulo. Em seguida capturamos a fotografia presente em documentos do DOPS do Arquivo Público do Estado de São Paulo (figura 6a da pasta de fotos página 26). Esta cópia não apresenta marcas de grampo e nem carimbo, também é mais clara que a fotografia original. Possivelmente é uma cópia em papel fotográfico na qual também se observa o cabelo levantado na parte superior da cabeça. Figura 6a. Cópia da página 26 com diversas fotografias do Arquivo Público do Estado de São Paulo.
  10. 10. A figura 7 é a fotografia capturada da página 26 dos documentos do DOPS e que foi utilizada na criação da ficha publicada na Internet (figura 8). Tal afirmação é em decorrência que os grampos da figura 6 terem causado perdas na imagem original, dificultando sua reconstrução como mostrado na figura 10. Notar que a região com maior perda situa-se na parte superior da cabeça, onde o cabelo levantado não pode ser reconstruído (vide círculo vermelho nas figuras 7 a 10). A figura 8 foi obtida a partir da figura 7 por meio de um processamento de clareamento utilizando técnicas de processamento digital como aumento de contraste e brilho. Essas funções podem ser realizadas em diversos softwares com os nomes difusão de cor, aumento de brilho e contraste etc. Figura 7. Cópia da fotografia no Figura 8. Foto capturada da pagina arquivo pagina 26, Arquivo Público da Internet da figura 3. do Estado de São Paulo. A figura 9 é o resultado do processamento da figura 7 utilizando as funções de processamento digital que tornam a imagem mais clara e difusa. Figura 9. Imagem obtida do processamento utilizando a figura 7.
  11. 11. Para obter a figura 10 realizamos o processamento a partir da figura 6, que é uma fotografia original com marcas de grampo e carimbo. Primeiramente retiramos a carimbo que sobrepõem à imagem e depois realizamos um processamento para aumentar o seu brilho e contraste. Verificamos que não conseguimos reconstruir a parte superior da cabeça, ou seja, o cabelo levantado, conforme se verifica nas figuras 7 e 8. Além disso, não conseguimos obter o mesmo nível de clareamento presente na figura 8. Figura 10. Imagem reconstruída a partir da imagem da figura 6. A melhor aproximação da figura 8 (da internet) é a figura 11, que foi degradada a partir da figura 9, que por sua vez foi gerada a partir do processamento digital por meio de aumento de brilho e contraste da figura 7. Cabe ressaltar que figura 8 é um arquivo de 24 bits, enquanto que a figura 11 possui apenas 8 bits. Figura 11. Imagem reconstruída a partir da imagem da figura 9.
  12. 12. Visando verificar a manipulação realizada na figura 8 (internet), aplicamos inicialmente um processo de suavização e clareamento na figura 7, resultando na figura 9. Ao se comparar as duas figuras (12a e 12b) na região referente à parte superior dos óculos, verifica-se que na figura 12d não é possível se individualizar o aro dos óculos e a sobrancelha, ao contrário do que se percebe na figura 12c. Isso indica que houve uma grande degradação no processo de construção da figura 8. Essa degradação é reproduzida ao se aplicar o processamento da figura 9 para a figura 11, ou seja, é a imagem que reproduz aquela que se encontra na internet. A) B) C) D) Figura 12. (A) Imagem original do Arquivo Público, (B) Imagem capturada da ficha da Internet, (C) Zoom na imagem da figura 9 na área do óculos (D) Zoom da imagem da Internet na área do óculos. Considerações sobre o Item: A fotografia da ficha foi obtida a partir de uma foto do Arquivo Público de São Paulo que foi tratada digitalmente.
  13. 13. II.2.2 - IMPRESSÃO DIGITAL No arquivo da internet figura 3 existe uma imagem da impressão digital descrita como sendo do Polegar Direito da Senhora Dilma Vana Rousseff. Nesse item comparamos essa impressão digital com aquela contida no Arquivo Público do Estado de São Paulo. Na figura 13 a imagem do Polegar Direito é apresentada numa escala de 1 pixel equivalente a 0.03 mm (milímetros). As demais imagens foram calibradas nessa mesma escala. Figura 13. Mostra a calibração da impressão digital em milímetros do Polegar Direito.
  14. 14. Na figura 14, realizamos a leitura do arquivo do Polegar Direito visando determinar a segmentação que define as linhas da imagem. Com estas linhas pode-se definir a relação entre as impressões digitais. Figura 14. Na parte esquerda da figura o Polegar Direito e na parte da direita a segmentação. Após a segmentação foi realizada a contagem dos pontos de continuidade das linhas (ver figura 15), o que possibilita determinar o número de linhas descontínuas e bifurcadas. Em seguida pode-se determinar o conjunto de distância entre as mesmas utilizando-se uma régua automática do software de Impressão digital. Figura 15. Na parte esquerda apresentam-se os pontos determinados na figura e na parte da direita sua segmentação.
  15. 15. Na figura 16 temos a impressão digital do Polegar Esquerdo, com a sua segmentação em termos de linhas. Figura 16. Na parte da esquerda a impressão do Polegar Esquerdo e na parte da direita a segmentação. Na figura 17, repetimos os passos realizados da figura 15 para o Polegar da Esquerda. Figura 17. Contagem dos pontos do Polegar Esquerdo e na parte da direita a segmentação.
  16. 16. A figura abaixo mostra a segmentação da impressão capturada da Internet. A imagem possui baixa qualidade, dificultando a segmentação da mesma. Mesmo assim, é possível determinar por meio do software algumas linhas que podem colaborar na análise comparativa com os Polegares. Figura 18. Contagem dos pontos do Polegar Esquerdo e na parte da direita a segmentação. Também na figura 19, realizamos a contagem dos pontos para a impressão digital capturada do site da Internet. Figura 19. Contagem dos pontos do Polegar Esquerdo e na parte da direita a segmentação.
  17. 17. Nas figuras 20, 21 e 22 apresentamos as contagens de linhas e de suas respectivas distâncias em relação a um ponto de sua extremidade. Nas figuras 20 e 21 encontram-se os Polegares originais, enquanto que na figura 22 é apresentado o Polegar da Internet. Os resultados mostram que o número de linhas dos polegares originais não são iguais ao polegar da internet, indicando que as impressões digitais são completamente diferentes. Figura 20. Medidas do Polegar da Direita. Figura 21. Medidas do Polegar da Direita.
  18. 18. Figura 22. Medidas do Polegar da Direita. Nas figuras 23 e 24 apresentamos os resultados estatísticos para determinar o quanto as impressões digitais dos Polegares Direito e Esquerdo são comparáveis ou similares ao existente na ficha da Internet. Nos dois testes o resultado foi determinado e seu valor é Zero percentual. . Figura 23. Teste estatístico para verificar se existe pontos de similaridades entre a impressão digital do Polegar Direito com o da figura 3 da Internet. Figura 24. Teste estatístico para verificar se existem pontos de similaridade entre a impressão digital do Polegar Esquerdo com o da figura 3 da Internet.
  19. 19. Considerações sobre o Item: A impressão digital da ficha não é compatível com as impressões dos Polegares Direito e Esquerdo da senhora Dilma Vana Rousseff presentes no arquivo público de São Paulo. II.2.3 - DO TEMPLATE DA FICHA Nas figuras 25 (a),(b),(c) e (d) ilustramos que os elementos contidos na figuras podem ser incluídos de forma seqüencial e apresentam características de uma folha de papel envelhecido e com bordas queimadas. Na figuras 25 (a) sem linhas laterais, (b) com linhas laterais, (c) com as linhas internas e (d) com os títulos com fontes diferentes. Figura 25 (a) Figura 25 (b) Figura 25 (c) Figura 25 (d)
  20. 20. Na parte central da ficha da figura 26 existem formas geométricas semelhantes e com característica de bordas queimadas. Apresenta a mesma forma geométrica em quantidades de pixels. Figura 26. É a parte central da ficha capturada da Internet.
  21. 21. Quando aplicamos o zoom na figura 26 obtemos a figura 27, que possui maior detalhe ao nível de pixel e que permite uma contagem dos mesmos. Essa operação demonstra que as duas bordas possuem o mesmo nível estrutural, podendo ser um efeito espelhado. Figura 27. Parte da ficha com efeito simétrico. Observamos que o texto foi escrito sobre um arquivo digital Raster ou Matricial. As fontes de texto geram um arquivo vetorial e quando são incluídas no arquivo fantasia da folha de papel são automaticamente ou manualmente convertidos a arquivos Raster ou Matricial. Como conseqüência, a resolução dos pixels é convertida para outra resolução que apresenta a característica digital diferente da do template, apresentada na figura 28.
  22. 22. Fonte: Courier (BM) Fonte: MS Sans Serif Figura 28. Mostra o processo de rasterização do texto. II.2.4 - CARIMBO Na figura 29 mostramos que o carimbo “CAPTURADO” pode ser reproduzido na forma digital. Figura 29. Carimbo que foi montado na ficha da Internet.
  23. 23. Verificamos que o carimbo é um texto que possui o mesmo processo de rasterização descrito na figura 28. Observamos que a figura 30 (a), capturada da imagem da Internet (figura 3), apresenta descontinuidade na borda da imagem. Na figura 30 (b), que é o carimbo construído, mostra uma fonte semelhante a da figura 30(a) sem o processo da rasterização. A cor das letras e a cor do fundo da figura são diferentes do original para observarmos os efeitos aqui mostrados figura 30 (b). Figura 30 (a) Figura 30 (b) Figura 30. O carimbo da ficha da Internet com o nome “CAPTURADO”. A figura 31 (a) e (b) mostra os valores espectrais nos canais (R,G,B) para verificar a mudança sobre a letra “O” e o espaço descontínuo como mostrado na figura 30 (a). Esses valores evidenciam a mudança de cor do carimbo sobre o template e sobre a foto. Figura 31 (a) Figura 31 (b) Figura 31. Medidas do valor espectral nos canais (RGB) da palavra “CAPTURADO”. Considerações sobre o Item: A ficha possui alto nível de simetria, significando que foi construída digitalmente. Possui, ainda, características de rasterização, ou seja, que o texto foi inserido digitalmente em cima de uma “Template” ( pagina fantasia).
  24. 24. II.2.5 - FONTES A ficha capturada da internet figura 3 apresenta pelo menos duas fontes que foram identificadas como sendo: 1- fonte MS Sans Serif, utilizada como fonte do sistema operacional Windows, 2- fonte Courier (BM), que é uma aproximação da fonte original IBM Selectric. Com a fonte MS Sans Serif foram escritas as palavras : Sobrenome, Número do Artigo, Alcunha, Nome, Assinaturas, Filiação, Endereço, Naturalidade, Profissão e Atividade. As palavras de cor vermelha na ficha da Internet figura 3 foram escritas com a fonte Courier (BM), que são: Pedro, Rousseff, Dilma, Política, Operária, BANESPA, Libertação, Nacional, militante, assalto, casa, Armas, Comando, Gov, Adhemar de Barros, Banco Mercantil de São Paulo etc. Em seguida geramos a figura 32, utilizando o template da figura 25(c). Para produzir uma imagem semelhante à ficha da figura 3, inserimos a fotografia da figura 11 e o carimbo figura 30(b). Em seguida utilizando as fontes mencionadas acima escrevemos a palavra “Filiação” com a fonte MS Sans Serif. Na etapa seguinte escreveu-se “Pedro Rousseff e Dilma Rousseff” com a fonte Courier (BM) com a cor vermelha. Os resultados estão na figura 32. Com o objetivo de demonstrar a semelhança com a ficha da internet, realizou-se por fim o alinhamento das fontes com (+1pt) para “ss “ e (-1pt) para a letra “ i “. Ressalta-se que no arquivo da internet as letras “ss” de Rousseff de Pedro e de Dilma encontram-se perfeitamente alinhadas em +1pt, o que é incompatível com a escrita de uma máquina de escrever manual. Alinhamento das letras Alinhamento da letra Figura 32. Ficha capturada da Intenet e com texto escrito com duas fontes MS Sans Serif e Courier (BM).
  25. 25. Considerações sobre o Item: As letras foram inseridas digitalmente, utilizando fontes digitais. O deslocamento de algumas letras, como “ss” , também feito digitalmente. Em casos como o da letra “i”, não se observa uma padronização deste deslocamento. III – CONCLUSÕES As etapas seguidas neste documento e com os resultados encontrados concluímos que: 1- Análises digitais realizadas nos três arquivos (figura 1, 2 e 3), indicam que são fichas digitais que não apresentam diferenças significativas entre si. Desta forma foi utilizada para análise de detalhe apenas a figura 3. 2- A fotografia utilizada na ficha da figura 3 é uma cópia da foto original encontrada no Arquivo Público de São Paulo e que foi processada digitalmente para apresentar característica de clareamento por tempo; 3- A impressão digital contida na ficha da figura 3 não é compatível com as impressões digitais dos Polegares Direito e Esquerdo da senhora Dilma Vana Rousseff presente no Arquivo Público de São Paulo, por apresentarem probabilidade zero (0%); 4- O processamento digital realizado na figura 3 indica que o arquivo é uma ficha digital feita em computador; 5- Foram identificadas duas fontes principais para a escrita dos textos: 1- MS Sans Serif; 2- Courier (BM). O carimbo foi desenhado a partir da fonte Calibri. 6- Concluímos que o arquivo foi construído digitalmente e seus elementos processados a partir de origens distintas como: 1- a fotografia é analógica; 2- todo o texto e seu “template” são digitais.
  26. 26. Antonio Nuno de Castro Santa Rosa _____________________________ Brasília dia 28 de Maio de 2009

×