Ação de Direito de Resposta contra Veja
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Ação de Direito de Resposta contra Veja

on

  • 2,348 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,348
Views on SlideShare
2,101
Embed Views
247

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

7 Embeds 247

http://www.advivo.com.br 237
http://www.brasilianasorg.com.br 3
http://www.brasilianas.org 2
http://webcache.googleusercontent.com 2
http://www.advivo.com.br:80 1
http://brasilianas.org 1
http://brasilianasorg.com.br 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ação de Direito de Resposta contra Veja Ação de Direito de Resposta contra Veja Document Transcript

  • JiM*< MBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA 109 REGISTRADO(A) SOB N° ACÓRDÃO I MUI mil um mu imi mu mu mu MI MI Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação n° 990.10.352512-4, da Comarca de São Paulo, em que é apelante LUÍS NASSIF sendo apelado EDITORA ABRIL S.A.. ACORDAM, em 11" Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: "DERAM PARCIAL PROVIMENTO AO APELO, APENAS PARA CASSAR A DECISÃO RECORRIDA, DETERMINANDO SEJA NOVAMENTE JULGADO O PEDIDO DE RESPOSTA AJUIZADO POR LUÍS NASSIF EM FACE DE EDITORA ABRIL S/A. V.U.", de conformidade com o voto do(a) Relator(a), que integra este acórdão. O julgamento teve a participação dos Desembargadores ANTÔNIO MANSSUR (Presidente sem voto), MARIA TEREZA DO AMARAL E XAVIER DE SOUZA. São Paulo, 01 de dezembro de 2010. GUILHERME G.STRENGER RELATOR
  • TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO APELAÇÃO N° 990.10.352512-4 VOTO N° 1 4 3 8 3 Comarca: São Paulo (Ação Penal n° 011.08.001815-8 - Controle n° 1370/2008) Juízo de Origem: I a Vara Criminal - Foro Regional de Pinheiros Órgão Julgador: 11 a Câmara Apelante: LUÍS NASSIF Apelada: EDITORA ABRIL S/A VISTOS. LUÍS NASSIF, inconformado com a r. sentença que, acolhendo preliminar arguida pela requerida, "(da não recepção da legislação em que se funda a demanda pela Ordem Constitucional vigentef (fls. 523), declarou prejudicada a apreciação do mérito do pedido de resposta por ele formulado contra a EDITORA ABRIL S/A, "com fundamento na decisão do Supremo Tribunal Federal que julgou a Ação de Descumprímento de Preceito Fundamental n° 13CT (fls. 523), apela (fls. 527/531) postulando a reforma integral do r. decisum, julgando-se "procedente o pedido, na parte compatível com a Constituição FederaT (fls. 531). Contra-arrazoado o apelo (fls. 5 4 9 / 5 5 6 ) , em seu parecer a douta Procuradoria Geral de J u s t i ç a opinou pelo improvimento do recurso (fls. 564/566). APELAÇÃO N° 990.10.352512-4 / VOyO N° 14383 1/4
  • TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO É o relatório Consta da inicial que, por não se conformar com o teor da matéria veiculada "na edição 2.069 da revista Veja, de 16 de julho de 2008, na coluna do jornalista Diogo Mainardi, também reproduzida online na URL http:// veja. abril, com.br/ idade/ exclusivo/160 708/ mainardi. shtmF (fls. 03), onde, segundo sustenta, uforam publicadas informações falsas e ofensivas" (fls. 03), o recorrente formulou pedido de resposta j u n t o à apelada, não atendido. Pretende-se, assim, seja reformada integralmente a r. sentença, assegurando-se ao suposto ofendido o direito de resposta. A MM a . Juíza a quo, todavia, acolhendo preliminar arguida pela requerida, declarou prejudicado o exame do mérito, ao argumento de que "o pleito do autor perde eficácia" (fls. 522v°), diante da declaração de inconstitucionalidade d a Lei n° 5 . 2 5 0 / 6 7 . Contudo, em que pese o entendimento d a d. magistrada singular, tal decisum não pode subsistir. Isto porque, referida decisão do Pretório Excelso, tomada, por maioria de votos, na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental n° 130/DF - que declarou como não-recepcionado pela Constituição Federal de 1988 todo o conjunto normativo previsto n a Lei n° 5 . 2 5 0 / 6 7 - , acarretou, quanto ao direito de resposta, tão-somente a supressão de seu rito procedimental (que se achava disciplinado n a ora extinta Lei de Imprensa), e não o desaparecimento de APELAÇÃO N° 990.10.352512-4 / VOlV) N° 14383 2/4
  • TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO aludida garantia, que, como é sabido, ostenta envergadura constitucional (artigo 5 o , inciso V, da Carta da República). Aliás, tal entendimento restou bem explicitado no v. acórdão da Corte Suprema, ao se assentar que: "Aplicam-se as normas da legislação comum, notadamente o Código Civil, o Código Penal, o Código de Processo Civil e o Código de Processo Penal às causas decorrentes das relações de imprensa. O direito de resposta, que se manifesta como ação de replicar ou de retificar matéria publicada é exercitável por parte daquele que se vê ofendido em sua honra objetiva, ou então subjetiva, conforme estampado no inciso V do art. 5o da Constituição Federal. Norma, essa, "de eficácia plena e de aplicabilidade imediata", conforme classificação de José Afonso da Silva. "Norma de pronta aplicação", na linguagem de Celso Ribeiro Bastos e Carlos Ayres Britto, em obra doutrinária conjunta." (ADPF 130, Relator: Min. CARLOS BRITTO, Tribunal Pleno, julgado em 3 0 / 0 4 / 2 0 0 9 , DJe-208 DIVULG 05-11-2009 PUBLIC 06-11-2009 EMENTVOL-02381-01 PP-00001) No entanto, embora seja o caso de cassar- se a decisão guerreada, não pode esta Corte, j á nesse momento, proceder à analise do cabimento (ou não) d a pretensão do apelante (relativa ao direito de resposta), sob pena de supressão de u m Grau de Jurisdição. Impõe-se, portanto, determinar a remessa dos autos ao Juízo singular, a fim de que seja novamente julgado o presente pedido de resposta. Diante do exposto, dá-se parcial provimento ao apelo, apenas para cassar a decisão recorrida, APELAÇÃO N° 990.10.352512-4 f VOTfo N° 14383 3/4
  • TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO determinando seja novamente julgado o pedido de resposta ajuizado por LUÍS NASSIF em face de EDITORA ABRIL S/A. GUILHERME O. STRÉNGER Relator APELAÇÃO N° 990.10.352512-4 VOTO N° 14383 4J4_