Inconfidência nº 199‏
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Inconfidência nº 199‏

on

  • 750 views

Acesse as nossas páginas: www.rsnoticias.net

Acesse as nossas páginas: www.rsnoticias.net
www.portal-cp.blogspot.com
www.contextopolitico.blogspot.com

Statistics

Views

Total Views
750
Views on SlideShare
735
Embed Views
15

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

3 Embeds 15

http://rsnoticias.net 13
http://contextopolitico.blogspot.com.br 1
http://www.google.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Inconfidência nº 199‏ Inconfidência nº 199‏ Document Transcript

  • SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL BRASIL DE LUTO Os 6 ministros que não viram a quadrilha Cai a penúltima* resistência, o Judiciário! STF institucionaliza a impunidade e a corrupção, tornando-se sucursal do partido mais corruPTo do país. MENSALEIROS, SIM. QUADRILHEIROS, NÃO MAIS... Supremo absolve oito réus, inclusive ex-membros da cúpula do PT, do crime de formação de quadrilha A o apreciar os embargos infringentes - recurso garantido àqueles que tiveram pelo menos quatro votos contrários à condenação por algum dos delitos -, o Supremo decidiu, por seis votos a cinco, a favor da absolvição pelo crime de quadrilha. Firmada com os votos dos ministros Teori Zavascki e Luís Roberto Barroso, nomeados para a Corte depois do julgamento do mensalão realizado em 2012, a nova sentença reduz a pena dos réus e altera o modo de cumprimento dela para alguns. (Estado de Minas - 28/02) "É uma tarde triste para o STF. Com argumentos pífios, foi jogada por terra uma decisão plenária sólida". Ministro Joaquim Barbosa - Presidente do STF "O Brasil estaria melhor se houvesse homens de bem, com a mesma ousadia dos canalhas". Nelson Rodrigues * A última resistência são as nossas Forças Armadas
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 2 O ENIGMA DA ESFINGE: DECIFRA-ME OU DEVORO-TE! T “A Instituição será maculada, violentada e conspurcada diante da leniência de todos aqueles que não pensam, não questionam, não se importam, não se manifestam”. endo em vista os eventos da Copa do Mundo a serem desenvolvidos em 12 capitais brasileiras e a possibilidade de ocorrências de distúrbios de ruas, com variados graus de violência presente, acreditamos que estes possam se materializar segundo 3 ( três) cenários alternativos: Um com pouca probabilidade de ocorrer, com manifestações destituídas de violência, não numerosas, com baixa densidade popular e, facilmente, contidas pelas forças policiais. Um segundo cenário, de média probabilidade, com manifestações numerosas, algumas com alta densidade popular e com alguma violência, embora, ainda, passíveis de serem contidas pelas forças policiais. Um terceiro cenário, de alta probabilidade de ocorrência, com numerosas manifestações, com grande participação popular e atos de violência de grupos irregulares, que, para serem contidas, demandarão largo emprego das forças policiais e de tropas das Forças Armadas (FFAA). A tendência de ocorrência de manifestações em todos os cenários é uma quase certeza, pois, já estão sendo convocadas na Web, estando o presente contaminado por ocorrências recentes e similares, que se repetem, com atuações cada vez mais violentas (que indicam a presença de características de guerra assimétrica de quarta geração) por parte de grupos irregulares. A agravar, diversos fatores como o momento propício (disputa da copa) para a obtenção de grande repercussão interna e externa das manifestações, principalmente, se prenhe de atos violentos e de, também, forte repressão; a grande e generalizada insatisfação popular pela baixa qualidade dos serviços essenciais, principalmente nas áreas de saúde e trans- portes, e de infraestrutura vigentes, con- setete, escudo e armas não letais, frente trastando com o alto volume de recursos a grupos mais numerosos e violentos, é empregados na construção dos estádios entregá-lo a sanha assassina dos grupos “padrão FIFA”, e a insatisfação com a cor- de irregulares. Suas armas são outras e, rupção que permeia os poderes da Repúbli- caso empregada, a tropa não poderá ser ca. Há que enfatizar, ainda, que os preços desmoralizada. Durante o conflito não há dos ingressos são proibitivos para uma negociação. Se houver, poderá ser congrande massa de torcedores, apaixona- fundida como fraqueza pelos grupos irredos por futebol, os quais, impossibilita- gulares e, em consequência, os comandantes e a tropa arrisdos de assistir os jogos, poCOPA DO MUNDO cam-se a ser envolviderão reagir, juntando-se às O planejamento do governo dos e desmoralizamanifestações de rua. prevê o emprego de tropas dos, como aconteceu Cabe, ainda, ressaltar das Forças Armadas, em recente episódio que o próprio governo cria Permitirão que as FFAA, em com coronel da PMcaldo de cultura propenso à face de sua ação, saiam SP. Mortes poderão violência, de forma contíainda mais prestigiadas ocorrer. Protocolos nua, apoiando o terrorismo pela população ou farão tudo para que saiam de engajamento, forcomo arma política, inclusidesprestigiadas? mulados por “policióve usada pelos ditos “moNão querem tais logos”, podem ser vimentos sociais”, e difunautoridades, como previstos, porém, dindo sua ideologia de ódio demonstram no dia a dia, utilizá-los após o ao pregar a luta de classes e com suas contínuas a revolução entre a juvencampanhas de difamação e conflito já ter se torcom a sórdida Comissão nado disseminado e tude. da Verdade, acolitadas por com grande abranO terceiro cenário é imprensa venal, as FFAA gência geográfica é tão provável de ocorrer que fortalecidas junto à opinião pura ilusão de amao planejamento do governo pública. dores ou propositaprevê o emprego de tropas das Forças Armadas, garantindo, a qual- da má fé. Trata-se de “conduta do combaquer custo, a segurança para a realização te” e cada caso é um caso, dependendo a ação de decisões rápidas do comando ou dos eventos previstos. Aí está o enigma para as Forças Ar- comandante engajado. Supondo que as FFAA garantam a madas! Há que se lembrar que o soldado realização dos eventos e o exercício da das FFAA, em geral, não está preparado autoridade do governo: Estarão as FFAA para atuar como polícia. Mais jovem, dispostas a pagar as consequências da não tem a maturidade, a tarimba, a malícia repressão, possivelmente causando a e a experiência do soldado de polícia para morte de populares? Ganharão a repulsa enfrentar, como polícia, a turba enfure- ou fortalecerão a respectiva imagem pecida. Colocá-lo apenas armado de cas- rante uma grande parcela da população 1 2 3 Eles que venham! Por aqui, não passarão! O General Marco Felício é candidato à presidência do Clube Militar pela CHAPA TRADIÇÃO, COESÃO e AÇÃO ENERGIA PARA CRESCER P ara atender à crescente demanda de energia elétrica do parque industrial em franco desenvolvimento, recebeu prioridade a construção de usinas hidrelétricas, aproveitando o grande potencial ainda disponível das bacias hidrográficas brasileiras. Foram construídas as duas maiores hidrelétricas do planeta – Itaipu e Tucuruí, além dos complexos de Urubupungá, de Furnas, de Estreito, de Paulo Afonso, Sobradinho e Boa Esperança, responsáveis pelo aumento de quase 700% de capacidade instaItaipú lada para a geração de energia elétrica no País. A maior hidrelétrica do mundo que se manifesta com plena razão, apenas *Marco Antonio envolvida pela violênFelício da Silva cia, esta impossível de ser isolada? E qual será a conduta dos governantes? Permitirão que as FFAA, em face de sua ação, saiam ainda mais prestigiadas pela população ou farão tudo para que saiam desprestigiadas? Logicamente, não querem tais autoridades, como demonstram no dia a dia, com suas contínuas campanhas de difamação e com a sórdida Comissão da Verdade, acolitadas por imprensa venal, as FFAA fortalecidas junto à opinião pública. Certamente, divulgarão vídeos e fotos comprometedoras, depoimentos acusadores de manifestantes e reportagens mentirosas, denunciarão excessos e violências ditos desnecessários, abrirão inquéritos e indiciarão oficiais e graduados. A postura governamental, demagógica e nada ética, já é conhecida. Assumirá as reivindicações das ruas, afirmará que as manifestações são próprias da Democracia e garantidas pelo governo, receberá alguns líderes das manifestaçõse, negociará uma agenda de atendimento das reivindicações e a transformará em promessas e projetos. Por fim, hipocritamente, condenará os excessos das forças de repressão, punindo, exemplarmente “os responsáveis”, isto é, os militares que cumpriram o dever. Resumindo, as FFAA estão como Édipo, segundo a Mitologia Grega, Rei de Sófocles, o qual diante da Esfinge, demônio de destruição e de má sorte, para não morrer, teve que desvendar o seguinte enigma: Decifra-me ou devoro-te! *General de Brigada - Cientista Político, exOficial de Ligação ao Comando e Armas Combinadas do Exército Norte Americano, exAssessor do Gabinete do Ministro do Exército, Analista de Inteligência E-mail: marco.felicio@yahoo.com MARCHA DA VITÓRIA O povo, exultante com a vitória do movimento democrático, saiu às ruas para comemorar, num sinal de que havia perfeita sintonia entre as Forças Armadas e a Nação. No Rio de Janeiro, sob uma nuvem de papel picado, a marcha organizada pela Campanha da Mulher pela Democracia reuniu cerca de um milhão de manifestantes, da Praça Pio X à Esplanada do Castelo, pela Avenida Rio Branco, em 2 de abril de 1964.
  • jornal@jornalinconfidencia.com.br l BELO HORIZONTE, 28 DE FEVEREIRO DE 2014 - ANO XIX - Nº 199 l FEB 70 anos de glória O CINQUENTENÁRIO DE 31 DE MARÇO DE 1964 "Conspira contra a sua própria grandeza, o povo que não cultua seus feitos heróicos." Rio de Janeiro São Paulo o próximo mês, apresentaremos mais uma Edição Histórica da Revolução de 31 de Março de 1964, dedicada à sociedade brasileira, especialmente à sua juventude. É mais uma iniciativa do Jornal Inconfidência, no sentido de difundir a verdade histórica dos fatos ocorridos naquela época e nos tempos seguintes àquele acontecimento que salvou o nosso país da investida comunista que nos ameaçava e continua a nos ameaçar, cada vez mais. A exemplo da Edição Histórica sobre a Intentona Comunista de 1935, editada em 27 de novembro de 2013, as matérias e os fatos ali narrados são VERDADEIROS e podem ser perfeitamente confirmados através das edições dos principais jornais e revistas da época. N Coronéis Miguez e De Biasi, Generais Amaury, Rosendo e Guilherme, Veterano Taitson e Marcos Renault - LEIA NA PÁGINA 16 "BASTA!" Até que ponto o presidente da República abusará da paciência da Nação? "FORA!" Jurou e não cumpriu. Não é mais o presidente da República! Editoriais do Correio da Manhã/Rio de Janeiro de 31 de março e 01 de abril de 1964 HONRA MILITAR “Estaremos sempre solidários com aqueles que, na hora da agressão e da adversidade, cumpriram o duro dever de se oporem à agitadores e terroristas de armas na mão, para que a Nação não fosse levada à anarquia”. Brasília, 31 de março de 1981 General-de-Exército Walter Pires de Carvalho e Albuquerque Ministro do Exército PONTE PRESIDENTE COSTA E SILVA REGIMENTO TIRADENTES MAIS MÉDICOS PREVIDÊNCIA DOS MILITARESP 31 (RIO/NITERÓI) PÁGINAS 22/23 PÁGINA 27 SÃO JOÃO DEL REI PÁGINAS 24/25 ÁGINA AS FORÇAS ARMADAS TÊM O DEVER SAGRADO DE IMPEDIR, A QUALQUER CUSTO, A IMPLANTAÇÃO DO COMUNISMO NO BRASIL.
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 A QUEM INTERESSA? * Maria Lucia Victor Barbosa A Degradação social e econômica à vista, colapso do setor elétrico, indevida ajuda econômica a Cuba, escravidão trabalhista de médicos cubanos, condenáveis manifestações públicas de partidos aliados do PT. Não são poucos os fatos que incriminam e desmoralizam o governo petista. pesar do marketing ufanista para convencer eleitores incautos o governo Rousseff tem sido um retumbante fracasso. Na economia a herança maldita de Lula da Silva aparece claramente na fragilidade que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) detectou, apontando o Brasil como a segunda economia emergente mais vulnerável. Bem antes, porém, a economia já cambaleava e tal situação não se deveu apenas a crise mundial, mas a incompetência do governo petista, sobretudo, às mágicas ineficientes do Mr. M ou Senhor Mantega, referendadas pela governanta. E para resumir a fragilidade econômica do gigante Brasil vale a pena citar O Estado de S. Paulo (13/02/2014): “O crescimento econômico é baixo e o nível de atividade da indústria preocupante; os investimentos não fluem; a inflação está bem acima da meta há mais de três anos; a dívida bruta está alta demais; o rombo externo (déficit em conta corrente) está crescendo; as regras do jogo são frouxas e sujeitas a interferências; a reação do governo não é criar soluções definitivas.” Diante deste quadro cresce o pessimismo dos empresários, as queixas e cobranças ligadas ao agronegócio, o afastamento dos investidores externos. Todos imaginam que em breve o Brasil será rebaixado pelas agências de classificação de risco o que vai piorar ainda mais a situação. Acrescente-se o colapso do setor elétrico que ocasiona sérios transtornos e atinge a produção no campo, o que redundará no aumento dos preços de grãos, verduras, café, laranja. O povo vai pagar mais caro pelos alimentos e também na conta da energia que tem faltado, e que Rousseff havia prometido baixar. Contudo, nem o calor excessivo, raios, ou São Pedro castigariam assim o povo caso a ex-ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, tivesse iniciado as obras necessárias no setor e mantivesse a continuidade ou as finalizasse no seu governo. Outros fatos desmoralizam o governo petista como a ajuda dada ao companheiro e déspota, Fidel Castro. Não me refiro só ao Porto Mariel, mas a importação de médicos cubanos reeditando o sistema de escravidão em pleno século 21. Como ocorreu na Venezuela os médicos começam a se evadir turvando a vitrine política de Rousseff e do ex-ministro da Saúde, Padilha, denominados na gíria de postes do Lula. Não me deterei aqui em outros aspectos como promessas não cumpridas, péssima situação da Saúde e da Educação, falta de infraestrutura e muito mais. Prefiro me reportar à violência reinante que culminou com o assassinato do cinegrafista Santiago Andrade. Fosse um policial a vítima nada aconteceria, nem uma lágrima cairia dos olhos da ministra Maria do Rosário. Porém, o ato facinoroso atingiu uma classe forte e unida, a dos jornalistas e rapidamente os culpados foram presos. O advogado dos black blocs, Jonas Tadeu Nunes, disse que “o garoto”, coisa que Caio Silva não é, não passa de um pobrezinho aliciado para promover baderna e o que mais se precisar por R$ 150,00, sendo que os aliciadores seriam partidos, vereadores, deputados, senadores, autoridades. O advogado não declinou nomes, o que coube ao Caio. Dubiamente ele disse acreditar que partidos que levam bandeiras nos atos de incitamento as badernas são os mesmo que pagam aos vândalos, mas foi incisivo ao declinar o nome dos partidos, linhas auxiliares do PT: PSOL, PSTU, Frente Independente Popular (FIP), além de Elisa Quadros, codinome Sininho, a que apelou para o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) para que seu assessor e advogado libertasse Fábio Raposo, comparsa de Caio no assassinato do cinegrafista. Então, a pergunta que não quer calar é: a quem interessa acobertar os aliciadores? Por que o governo, responsável pela segurança da nação e que deve estar minimamente informado sobre o que se passa, ainda não coibiu os chefões da baderna, da destruição, do assassinato? Quanto aos sem-terra, que nas invasões a propriedades produtivas costumam matar animais, impedir funcionários de ir e vir, destruir máquinas e sedes, são uma espécie de red blocs, tentáculos do PT no campo. Dia 12 deste, incitados por petistas, um exército vermelho tentou invadir o STF, gritou palavras de ordem em frente da embaixada norte-americana e derrubou as grades do Palácio do Planalto diante de policiais que, mesmo com 30 dos seus feridos, cumpriram sua responsabilidade de proteção. Então, me lembrei de Eldorado dos Carajás. Em 17 de abril de 1997, um pequeno grupo de policiais viu mais de mil sem-terra correndo em sua direção com pedras, paus e facões. Os policiais atiraram em legítima defesa e mataram 19 dos sem-terra. Dia 12, ao investir contra pequeno grupo de policiais postados diante de milhares de participantes, parece que os líderes petistas ansiavam por uma vítima dos chamados movimentos sociais, já que outra vítima dera errado. A quem interessa tudo isso num ambiente de degradação econômica e social? Será que se pensa em estado de sítio, para lembrar outros tempos? É outra pergunta que não quer calar. * Socióloga e articulista. mlucia@sercomtel.com.br www.maluvibar.blogspot.com P 44 LEI DE TALIÃO ENTRA EM VIGOR NO BRASIL Maier Capitão Félix ara os crimes hediondos, repito o que venho dizendo há tempos: bandido bom é bandido morto e enterrado de pé (de cabeça para baixo), para ocupar menos espaço no cemitério. Como comprovam os recentes fatos, em que grupos fizeram justiça com as próprias mãos, a população está dando um recado: ESTAMOS DE SACO CHEIO! Como não existe autoridade no País dos Petralhas, cujo desgoverno tem sede política em Havana e filiais em Brasília, Caracas e Buenos Aires, dentro do princípio estratégico do Foro de São Paulo de comunizar a América Latina, a população começa a se virar como pode. É a Lei de Talião que entra em vigor quando as instituições só funcionam a favor dos bandidos, a começar com os famigerados Direitos Humanos que se transformaram em “Direitos dos Manos”, como a entidade dirigida pela senhorinha Maria “La Pecosa” do Rosário, já apelidada de “Maria do Ossário”, por sua ideia fixa com as ossadas dos “desaparecidos políticos”, esquecendo que no Brasil cerca de 50.000 pessoas desaparecem todo os anos, e está tudo bem para a embusteira petista. Nos EUA, a população está armada para se defender dos criminosos. Com um número exponencialmente maior de armas nas mãos da população, os homicídios são uma pequena parcela em relação ao que ocorre no Brasil, onde se observa um verdadeiro genocídio, cerca de 60.000 assassinatos por ano. Muitos assaltos não são consumados nos EUA porque o povo tem arma na mão. Isso prova que bandido não se cria quando o povo está armado. Por que ocorre o inverso no Brasil? Povo desarmado é a alegria do criminoso, isso está mais do que comprovado depois que entrou em vigor a sórdida legislação que desarmou a população ordeira, não ocorrendo o mesmo com os criminosos. No Brasil, dentro do princípio mentiroso de que o desarmamento diminui a violência, a população foi desarmada pelos esquerdistas para ser refém do crime e do governo fascista no poder. O projeto de poder do PT inclui um governo totalitário, nos moldes de Cuba, e quanto menos gente armada, mais fácil será efetuado o bote final no futuro. Já repararam que a antiga terrorista e sempre comunista Dilma Rousseff só demonstra alegria, só abre um largo sorriso quando se encontra com seus queridinhos abutres de Havana, Fidel e Raúl Castro, cujo regime recebeu financiamento brasileiro acima de 1 bilhão de dólares, via BNDES, para ajudar a prolongar ad aeternum a ditadura na Ilha? Conforme diz o Boletim da Campanha pela Legítica Defesa (www.pelalegitimadefesa. org.br), “na Argentina, a polícia entra em greve e salve-se quem puder! Somente os que possuíam armas conseguiram defender seu patrimônio contra os saqueadores. https://www.youtube.com/watch?v=L6FBdmeT9FI&list =UU9KfEFJJqjyjDGznUDVvjIA”. Assim, ainda que não se deva aprovar ação de justiceiros, é compreensível que grupos no Rio de Janeiro ou outras cidades se unam para aplicar surras em ladrões que sistematicamente assaltam lojas, residências e transeuntes, sem que nada aconteça aos criminosos - principalmente se forem “di menor”, que logo são soltos para continuar roubando. Quando as leis concorrem para que a impunidade prevaleça, quando bandidos são afagados na cabeça pelas autoridades, ocorre o que está acontecendo no Brasil: o povo passa a ser o justiceiro, já que a Justiça não funciona. É a Lei de Talião entrando em vigor com força total. Ah! Tá com peninha do “di menor”, que tem três passagens pela Polícia por roubo e furto, e que foi amarrado pelo pescoço no poste com tranca de bicicleta? Então leva o ladrãozinho para sua casa!!! P.S.: Quer dizer que a culpa é da jornalista Rachel Sheherazade, do SBT? (http://vejasp.abril.com.br/blogs/pop/2014/02/05/rachel-sheherazade-sbtcomentario-a-favor-grupo-amarrou-homem-nu-poste-polemica/) Hipócritas! Faço votos que tenham suas bicicletas roubadas por esse marginal quando forem fazer seu passeio no Aterro do Flamengo. Afinal, o vagabundo já deve estar solto para cometer outros roubos. “Di menor” na idade, mas “di maior” na bandidagem e ponto final. O vagabundo teve o que mereceu! Apoie Rachel Sheherazade contra a ditadura do discurso único e assine a petição: http://www.citizengo.org/pt-pt/ 746-apoie-rachel-sheherazade-contra-ditadura-do-discurso-unico?tc =gm&tcid=1607721
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 I UM CANALHA HISTÓRICO MISSÃO IMPOSSÍVEL números são os assuntos que pode riam ser apresentados, debatidos e contestados neste jornal. Recebemos diariamente aproximadamente uns 200 e-mails encaminhados para o jornal@ jornalinconfidencia.com.br e celmiguez@terra.com.br, além de faxes, cartas e telefonemas. Todos cobrando providências, denunciando as constantes bandalhas ocorridas diariamente no território brasileiro e pedindo a sua publicação. Infelizmente, isso não é possível – primeiramente porque o nosso jornal tem periodicidade mensal e em segundo lugar, porque os temas que nos afetam, em nosso dia a dia, são de tal monta que nos levam a um verdadeiro cipoal de constrangimentos e desilusões, e que muito nos deprimem. A listagem é imensa : – a corrupção institucional; os mensalões do PT e do PSDB ( em MG ); a tentativa de cerceamento da liberdade da imprensa; a insistência ideológica doentia para sepultar a lei da Anistia; a cOmissão Nacional da Verdade; a perseguição àqueles que impediram a tomada do poder pelos terroristas patrocinados por Cuba (agora também pelo FSP – Foro de São Paulo); os empréstimos (?) ilegais (onde está o Congresso Nacional?) concedidos à socapa pela presidente Dilma; o PAC - Programa de Aceleração da Corrupção; a transposição das águas do Rio São Francisco; mais recentemente, a condenação dos corruPTos envolvidos no mensalão; os black blocs; os programas de TV e as mentiras publicadas nos jornais (O Globo, Estado de Minas, O Tempo e outros) contra as Forças Armadas em particular, o Exército Brasileiro; as tentativas de desmoralização das Polícias Militares; os movimentos de rua no Rio de Janeiro e em São Paulo; os médicos (?) cubanos; a distribuição de bolsas, principalmente no Nordeste; a Polícia Federal cerceada e manietada; as denúncias do delegado Romeu Tuma Junior, em seu livro “Assassinato de Reputações” exibidas pela TV Cultura, no programa Roda Vida, de 3 de fevereiro, comprovando que o Ministro Gilberto Carvalho, recolhia dinheiro no ABC Paulista e o entregava a José Dirceu; os contratos secretos do BNDES; os processos nos quais Lula é réu junto com o exministro da Previdência, Amir Lando (hoje deputado federal na vaga do condenado Donadon); da devolução dos salários recebidos ilegalmente pelos deputados mineiros que se arrasta há mais de 12 anos; as "consultorias” de Fernando Pimentel, recebendo um milhão de reais da FIEMG, até hoje não explicadas; a (sa)fadinha Sininho; os constantes apagões; as invasões do MST e congêneres; o pedágio dos índios; os “assassinatos” de JK e Jango (não comentam os assassinatos dos prefeitos do PT em Campinas e Santo André); o Rosegate; a fuga de Pizzolato; os gastos faraônicos com a Copa do Mundo; os ataques ao ministro do STF, Joaquim Barbosa; as hospedagens milionárias da presidente Dilma e de seus asseclas; a utilização indevida de aviões da FAB ; os ônibus incendiados; o bloqueio de estradas e de ruas; a falta de autoridade; o pré-sal e por aí vai. Fica assim claramente comprovada a impossibilidade de atender a todos os pedidos dos nossos leitores por absoluta falta de espaço. Mesmo assim daremos um destaque especial às dezenas de mensagens recebidas neste mês, referentes à ponte Rio/Niterói, à FEB e ao Regimento Tirandentes, além dos assuntos publicados em janeiro: "Previdência dos Militares", de autoria do mentiroso vice-presidente do O Tempo, jornalista Luiz Tito e "Maranhão", comprovando a compra de votos no nordeste, que alcançaram ampla repercussão... Desde já, agradecemos a compreensão e o apoio de nossos leitores. NR: Para comprovar, depois de tudo diagramado, o STF apronta... 55 * Ipojuca Pontes F Apesar de seu histórico degradante, Fidel Castro continua a receber vexatória submissão política da presidente Dilma, inclusive através de bilhões muito mal explicados, escamoteados dos cofres públicos brasileiros, submissa a presidência ao que decide o Foro de São Paulo. idel Castro, perfeito exemplo do canalha histórico, está na ordem do dia. Antes de tudo, no entanto, é preciso anotar que o velho ditador cubano, sempre acolitado pelo irmão Raul, vem percorrendo com fúria inexcedível, por mais de setenta anos, todos os territórios possíveis e inimagináveis da vileza humana, em escala poucas vezes atingidas por pesos pesados da canalhocracia. (De memória, lembro ao leitor, Átila, o “Flagelo de Deus”; Gengis Khan, o “Bárbaro” e Stalin, o “Genocida Vermelho”, responsável pelo massacre planejado de 10 milhões de ucranianos no período da Grande Fome, entre 1932-1933, na URSS). Sim, Fidel Castro está na ordem do dia. Desta feita recebendo visitas de figuras do Alto Comissariado vermelho em muitas das mansões que mantém em Havana, ao se beneficiar pessoalmente dos recursos milionários periodicamente enviados ao “Paraíso Caribenho” pelos integrantes do Foro de São Paulo como paga pelos “serviços” que presta aos governantes filiados que assumiram nos últimos tempos o poder político na surreal América Latina. Segundo uma filha de Fidel, Alina Fernández Revuelta, que escreveu livro bem documentado sobre o pai ditador, ele começou a vida criminosa como sicário, matando sindicalistas por encomenda, ao tempo em que se apropriava de bens em dinheiro e joias tomados de mulheres ricas, em nome da “luta revolucionária” (caso da própria mãe de Alina). Já no poder, Fidel Castro, segundo o “Livro Negro do Comunismo”, escrito por equipe de pesquisadores franceses, torturou e fuzilou mais de 90 mil pessoas para manter incólume, desde 1959, sua ditadura sanguinária. Sim, o velho Fidel está na ordem do dia. Exemplo? Em visita recente ao Inferno Tropical, vossa guerrilheira Roussef, presidenta do Brasil, foi flagrada (vestida de vermelho) acarinhando o Vampiro octogenário. Jubilosa, Dilma foi comunicar que o BNDES, banco mantido com recursos sacados do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT), tinha liberado a ultima parcela da doação de US$ 1,600 bilhão destinada ao funcionamento do moderno terminal do Porto de Mariel, na Ilha Cárcere. Dado curioso é que na ilustração da matéria, a foto do ComAndante, manipulada pelos “Studios Revolución”, da DGI cubana, para iludir as massas, dá sumiço ao seu aparelho de surdez - uma velha prática de falsificação de imagens própria dos regimes comunistas. A bem da verdade, diga-se que a vossa presidente, em gesto de pura farsa, também agradeceu ao velho sobre a participação dos cubanos no programa Mais Médicos, outra trama bolada no seio do Foro de São Paulo para suprir de dólares os cofres privados de Fidel e dos serviços de repressão da Ilha Cárcere, além, quem sabe, do Caixa 2 petista neste ano de dispendiosa campanha eleitoral. De minha parte, não acredito que a presidenta tenha conversado com o ditador sobre a fuga de 27 médicos cubanos do fraudulento programa de “saúde pública”, especialmente das denúncias de Romana Matos Rodriguez, que envolve o conluio de Castro e do governo do PT na exploração criminosa de trabalho escravo. A médica cubana, que abandonou um posto de trabalho na cidade de Pacajá, no Pará, indignou-se ao descobrir que recebia apenas R$ 900 dos R$ 10 mil que a gang de Fidel embolsa do nosso Erário com a conivência do governo do PT (e o repúdio da população brasileira). Sobre Fidel, a última informação da revista Forbes é que sua fortuna pessoal evoluiu de US$ 900 milhões para US$ 1 bilhão, o que o faz permanecer no ranking dos dez governantes mais ricos do mundo. A revista garante que a fortuna do ditador advém da rede de controle de empresas estatais que incluem a Cimex, a Medicuba e algumas sociedades anônimas, provavelmente entre elas a Sociedade Mercantil Cubana, comercializadora do trabalho escravo dos médicos cubanos entre nós. * Cineasta, ex-Secretário de Cultura e Jornalista
  • LEITOR OPINIÃO DO Nº 199 - Fevereiro/2014 QUANTA DEMAGOGIA CAMUFLADA! Adm.Almir Pazzini Lobo de Freitas A Governanta do nosso país carrega sem nenhum pudor acoplada nos seus deslavados comportamentos por ocasião das frequentes viagens pelo mundo, pregando austeridade e comprometimento com as classes pobres, as quais mês a mês cria mais um bolsão da miséria, que naturalmente irá beneficiá-la na próxima eleição com o apoio dos menos favorecidos, se assim pudermos classificá-los. Na sua recente passagem pela Europa, foi passear na terrinha portuguesa, especificamente em Lisboa juntamente com uma barca de 45 pessoas, todos evidentemente ávidos de provar um legítimo vinho português, se hospedando num dos melhores hotéis, cuja diária custará aos cofres públicos brasileiros a bagatela de R$ 25.000,00 – (vinte e cinco mil reais), por pessoa. Fugindo da imprensa, escrita, falada e televisada, evitando as naturais explicações, para não se comprometer. Não devemos nos calar juntos a tantos absurdos continuamente noticiados, o pior, sem nenhuma explicação. Suas promessas de melhoria na educação, na saúde, nos transportes, nas rodovias e, principalmente na SEGURANÇA, no Brasil são colocados em segundo plano, pois entra mês e passa mês, todas as promessas ficam para o ano que vem. Faltam verbas para resolver os mais nefastos fatores mencionados, por que financiar obras a quem não produz nada? Porém, a governanta envia para os seus amigos de CUBA, os irmãos Castro a bagatela de milhões de reais, enquanto em nosso país o ensino é péssimo, a saúde em frangalhos, os transportes cada vez mais precários, as rodovias esburacadas levando muitos que as enfrentam a óbitos, onde a segurança é o notável exemplo de INSEGURANÇA total: sem penalidades, os bandidos tomaram conta de vez, pela impunidade que lhes beneficiam,ficando a Justiça brasileira obrigada a mercê de Leis que deveriam já estar sepultadas. Temos de nos posicionar sempre alertas para o que der e vier! Vamos cobrar os investimentos de campanha feito pelos petralhas! REPÚBLICA O nosso “POVÃO” do Norte ao Sul precisa saber o que é uma “República”, no modelo romano. Poucos sabem que o “Pacto da República” exige: a) Um Poder Executivo para construir tudo da nação; b) Um Poder Legislativo para fazer todas as leis federais; c) Um Poder Judiciário para avaliar e julgar todos. Casa “Poder” é completamente independente em todas as suas atribuições e peculiaridade. Quando o Congresso Nacional exige “emendas parlamentares” para usar verbas em projetos do Executivo e quando não aceita os julgamentos dos tribunais judiciários, está assim destruindo o “Pacto Republicano”. É preciso ensinar e esclarecer ao nosso povo, que o “Orçamento Im-positivo” e um ato de imposição e de chantagem, que obriga a Presidência à liberar verbas para projetos e aceitar a intromissão do Legislativo no Executivo, embora este Poder tenha mais de cinquenta ministérios e secretarias executivas. O nosso Congresso Nacional afronta o Poder Judiciário retardando os julgamentos de quase metade de TenCel Aer Clodomir Padilha Alves da Silva seus senadores e deputados indiciados como delinquentes, além de não aceitar as sentenças finais, de julgamentos aprovados e publicados pelos tribunais federais e outros. Afinal, quando estamos sofrendo um governo ditatorial e corrupto, é urgente que o povo seja esclarecido que terá oportunidade de mudar pelos votos esta situação, embora lembrando o que dizia Zaratustra, muitos séculos passados: - tirem do povo tudo, que ele ainda ajuda a carregar o butim. O Brasil agradecerá. (28/01) cpadilhaas@hotmail.com 66 A MORTE DE JUSCELINO KUBITSCHEK O equívoco da Comissão da Verdade Cel Av. Olavo Nogueira Dell’Isola L amentavelmente, o saudoso ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira morreu, juntamente com seu motorista, Geraldo Ribeiro, quando o carro em que viajavam, na Rodovia Presidente Dutra, colidiu com um ônibus e um caminhão. Juscelino era muito querido pelo povo. Sua maior obra, como Presidente, foi, sem dúvida, a construção de Brasília. Quando, em 31 de março de 1964, militares, cumprindo seu sagrado juramento, “... defender a Pátria ...com o sacrifício da própria vida ...”, destituíram o Presidente João Goulart que, ao que parecia, por seus discursos e ações, pretendia afastar o Brasil de suas linhas tradicionais, tornando-o um País de esquerda, não ocorreu nenhuma morte, ao contrário do que, em geral, ocorre em outros países onde um Presidente é deposto. Afastado João Goulart, assumiu a Presidência o Gen. Humberto Castello Branco. A meu ver, o novo Presidente programara permanecer no poder por curto prazo, apenas o suficiente para recolocar o Brasil, novamente, em suas linhas tradicionais. Contudo, começaram a surgir divergências com líderes políticos, as quais levaram os militares a protelar o retorno do Brasil à plena normalidade. Sucedem, então, na Presidência, os Generais Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo, todos de boa formação, corretos, éticos, honestos e bem-intencionados. Tenho plena convicção de que tais Oficiais jamais admitiriam que seus subordinados praticassem atentados contra qualquer pessoa E sucedem, também, infelizmente, ações de grupos, contrários aos Governos militares, os quais, agindo na clandestinidade e ferindo as leis vigentes, seqüestram, roubam e assassinam Como escrevi em meu artigo, “Comissão da verdade ou só retaliação?”, “....após a anistia, o retorno dos militantes esquerdistas exilados e dos que viviam na clandestinidade, totalmente livres, desembaraçados e sem restrições para o exercício de qualquer atividade; o restabelecimento de eleições e a sucessão de vários Presidentes da República, civis, esperava-se que as Forças Armadas e os militares não sofressem restrições. Lamentavelmente, sofrem, e muito, como se todos os seus integrantes tivessem cometido crimes e tivessem sido condenados a penas perpétuas. Talvez, só uma visão ideológica ou o total desconhecimento da história possa explicar por que pessoas corretas e bem-intencionadas insistem em pichar nossos presidentes militares como monstros e, ao mesmo tempo, veneram ditadores reconhecidamente sanguinários. Expressões pejorativas às Forças Armadas continuam sendo utilizadas, até por professores de escolas de primeiro grau, em que alunos, idealistas e interessados em conhecer a verdadeira história do País, convivem com “porões da ditadura”, ‘anos de chumbo”, etc. Agora, a Comissão da Verdade de São Paulo “... atesta que Juscelino Kubitschek de Oliveira, morto em agosto de 1976, foi assassinado...”. Isto é um desrespeito ao Brasil e, principalmente, aos familiares do ex-presidente e de seu motorista. Como escrevi em meu artigo acima citado, “...Se os membros designados para compor a Comissão da Verdade buscarem, de fato, a verdade, eles estarão cumprindo muito bem a sua honrosa missão. E a Pátria, certamente, ficará agradecida”. (Publicado no "O Tempo" de 06/02) olavondellisola@task.com.br NR: O Presidente João Gourlat não foi destituído pelos militares e sim, pelo Congresso Nacional. MORTE DE TRABALHADOR E INOCENTES ÚTEIS F Para que serve a OAB? oi preciso morrer uma pessoa para que grande parte da mídia se voltasse contra esses baderneiros do black bloc. Foi necessária uma vítima fatal, por ironia do destino pertencente a trabalhadores da imprensa, para que a mídia deixasse em paz as forças de segurança. Qualquer entrevero entre policiais que tentam evitar o vandalismo e estão ali cumprindo ordens, e manifestantes violentos, vemos as reportagens metendo o pau nos policiais acusando-os de violentos, arbitrários e de excesso de autoridade. E os black blocs? São apenas inocentes rapaizinhos, seminaristas, samaritanos, ou coisa parecida? É preciso deixar de tanta hipocrisia e de apoiar, de alisar o ego desses verdadeiros bandidos mascarados que escondem suas caras para o mal. São covardes, tem cobertura, até financeira, de parti- dos políticos ultra-radicais de esquerda, de gente que insufla mas não tem coragem de aparecer. São covardes que arrebanham inocentes úteis para seus atos de vandalismo. A lei tem que ser dura contra esses bandidos. Infelizmente isso não acontece pois esses marginais contam com a costa quente de partes da mídia e até de uma instituição jurídica como a OAB que coloca advogados à disposição de meliantes detidos. Os mesmos meliantes que destroem, invadem, quebram patrimônios públicos e privados. É vergonhoso saber que a OAB se presta a isso. Não se viu em todos os atos de baderneiros nenhum advogado da OAB se pronunciando contra as atitudes desses desordeiros, pelo contrário, quando aparecem na mídia é para defender nas delegacias esses monstros. Para que serve a OAB? Estou em dúvida!
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 ESTADO SITIADO, CIDADE DEPREDADA *Aileda de Mattos Oliveira A Nos dias de hoje, cinquenta anos depois, repetem-se os movimentos anarquistas provenientes das mesmas fontes que pregavam a subversão ideológica visando a instalar no país um governo comunista. fidelidade dos maus a um propósito negativo é proporcional à ausência de qualquer freio ético que os impeça de materializar os seus atos. Embora a evidência desse distúrbio psicossocial, a incredulidade dos bons faz retardar a reação até que a chama da indignação incendeie os seus espíritos. Foi assim, há cinquenta anos. O sauSem apoio de seus Comandantes que doso Estado da Guanabara abrigava polos lhes determinam a ação, mas não os dede subversão açulados por Jango e Brizo- fendem, os policiais militares são o alvo la, pelegos comunistas que planejavam a preferido da imprensa irresponsável, dos invasão e destruição da sede do governo, ‘especialistas’ manobrados pela ventrichefiado pelo incorruptível governador loquia de políticos ocultos, que os acuCarlos Lacerda. sam de atos de vilania, de arbitrariedade, Oficiais da Força Aérea Brasileira de força, somente porque usam as formas postavam-se na lide defesa que nha de frente em são próprias à defesa de sua vida, sua atividade ameaçada por oporprofissional. se, com a veemênDesviam para cia que lhe era peesses homens, culiar, à intenção da que cumprem minoria bastarda, com o dever de “sicários de Mosdefender a cicou” (como dizia), dade ameaçade instalar no país da, o ódio arum regime stalinismazenado no ta. íntimo dos enBravos militajeitados da vires da FAB, que se da, inseminado revezavam no árpor quem lhes duo trabalho de mapaga a desornter o Estado livre dem. das armadilhas dos CinquenAtentado a tiros na Rua Toneleros, no venais cunhados, ta anos depois, Rio de Janeiro, fere Carlos Lacerda e servis aos dois chamantêm assenmata o major-aviador Rubens Vaz cais comunistas. Os to no Congreslacaios de Fidel e de Stalin intentavam so e no Planalto os abjetos agentes de incorporar o Brasil ao império russo, quan- outras épocas, envelhecidos pelo tempo, mas do se tornaria sua maior colônia com ainda plasmando-lhes a mente a ideia fixa efetiva mão de obra escrava. pejada da podridão marxista-gramscista. Esses militares, fiéis à Nação, manCinquenta anos após, a capital de tinham-se em constante vigília para im- um bem governado Estado se transforpedir a destruição do Palácio, a elimina- ma numa cidade depredada, sem direção do Governador carioca e a deflagração ção, ao sabor dos interesses maiores de da guerra civil. medíocres governantes, de fraudulenEstá sendo assim, após cinquenta tos políticos. anos. Quanta semelhança! E por que essa Sitiada está pela geração ‘sininho’, identidade entre ontem e hoje? Porque os com casa, mas sem lar; com mãe, mas sem o movimentos de arruaceiros são oriun- maternal afeto; com pai, mas sem interesse dos das mesmas fontes ideológicas que em reconhecer-se como tal e, assim, vai-se fomentavam os motins liderados pela formando a nata da futura escória política dupla renegada e, posteriormente, pe- especializada em aviltar a cidade e o país. los guerrilheiros urbanos. O gado está submetido, ao limite, no Desaparecido o Estado da Guana- seu curral de ignorância, mas o estouro da bara, o Rio de Janeiro, hoje, é uma cidade boiada pode ocorrer a qualquer momento violenta, caótica, vivendo momentos de com prejuízo da própria manada, também destruição: de vidas, dos patrimônios pú- instintiva, sem que se preveja o resultado blicos e privados, por hordas de jovens da inesperada reação. e não tão jovens seguidores de um dis*Prof.ª Dr.ª em Língua Portuguesa, curso caduco de esquerda, mas coerente membro da Academia Brasileira de Defesa. com a nulidade de suas vidas. ailedamo@gmail.com 77 CLUBE DE AERONÁUTICA A A PIOR DEFESA o nos deparamos com uma conjuntura Os empresários que adversa que nos comprometa a segurança patrocinam ou dão suporou os objetivos vitais, devemos, sempre, adote à revolução em curso, tar um elenco de medidas que visem a reverter em troca de lucros ilegíti* Luís Mauro a situação, tornando-a favorável. mos imediatos, ajudam a Ferreira Gomes O primeiro requisito para isso é o recocomprar a corda que os nhecimento da existência da ameaça. enforcará. Suas empresas Infelizmente, na defesa nacional, como serão expropriadas e passarão à administração acontece em nossas vidas privadas, é comum, estatal, quando não precisarem mais dos recura tentativa de negá-la, na vã esperança de que sos delas para o financiamento da subversão. as dificuldades se resolvam “por gravidade”, As minorias aquinhoadas com novos “dicomo diz a sabedoria popular. reitos especiais” e discriminatórios, nesta fase Realmente, em um primeiro momento, em que se procura desestabilizar as Instituições, o problema negado deixa de incomodar, para perderão todos os benefícios, incluídos os que já logo voltar, com gravidade muito maior e, às tinham antes, e serão massacradas social e polivezes, já sem que se possam evitar ticamente. Alguém conhece alIMPORTANTE as consequências desastrosas. gum pais comunista em que seus Não é preciso ser um obserFomos salvos pela ação cidadãos têm ou tenham tido corajosa, desprendida vador perspicaz para perceber que liberdade sexual, por exemplo? e determinada das tentam impor ao Brasil um tipo Todas as liberdades serão cassaForças Armadas regime ditatorial que somente troudas. Não se pode ser parcialmenbrasileiras, em legítima xe atraso e desgraça para todas as te livre. Liberdade sexual presdefesa da Pátria, para nações que dele foram vítimas. atender aos anseios do supõe liberdade social, econôpovo brasileiro. Uma simples análise da Hismica, política e de ir e vir, e isso tória desses países, e também da jamais seria tolerado. Os meios de nossa, permite-nos concluir que Os meios de comunicacomunicação que se estamos seguindo todos os passos ção que se vendem em troca vendem em troca das verbas polpudas da de uma variante de implantação de das verbas polpudas da propropaganda uma ditadura pela via eleitoral. paganda governamental serão governamental serão Depois do fracasso das incensurados e somente podecensurados e somente vestidas anteriores: pela luta armarão divulgar a verdade oficial. poderão divulgar a da, em 1935; pela via eleitoral, no E não serão mais pagos por verdade oficial. final da década de cinqüenta e início isso. Qualquer expressão de A pior defesa é a dos anos sessenta; e, novamente independência será castigada omissão. pela luta armada, depois de 1964, com a prisão dos responsáveis particularmente, a partir de 1968, e o fechamento do veículo. confrontamo-nos com mais esta tentativa, já em Finalmente, o passado nos ensina ainadiantado estado de gestação. da, os militares que aceitaram ser milícias ou Em todas as situações anteriores, foguardas-pretorianas dessas ditaduras enquanmos salvos pela ação corajosa, desprendida e to se consolidavam foram os primeiros a ser determinada das Forças Armadas brasileiras, fuzilados, depois de substituídos por comisem legítima defesa da Pátria, para atender aos sários do partido, por serem sempre tidos coanseios do povo brasileiro. mo traidores, perigosos e, enfim, inimigos Se as fontes históricas não forem suficientradicionais do regime. tes, podemos, ainda, observar as ações dos agenÉ preciso que saiamos logo do imotes governamentais, inclusive as de presidentes bilismo e que, para tanto, todos aqueles que da República, reforçadas pelo que eles mesmos se preocupam com o nosso futuro como nação pregam, nas páginas da Internet dos partidos e livre e soberana se unam e busquem, a qualdas entidades que os apoiam ou lhes são ideoloquer preço, as soluções que nos livrem da gicamente afins. Até mesmo em alguns órgãos da destruição iminente. estrutura governamental, encontramos essas maE se o inimigo é implacável, como disnifestações de cunho ideológico e partidário, semos, e parece ser perigoso confrontá-lo como, também, inconstitucionais, por natureza. agora, a omissão é como o hábito de fumar: um Contudo, pode parecer muito cômodo, e suicídio a longo prazo, quando muito pouco tem sido freqüente, negar-se o óbvio. O reconhehaverá que possa ser feito. cimento da existência da ameaça geraria a expecAdemais, estão em jogo coisas muito mais tativa de reação por parte de quem o fizesse. A importantes do que as nossas conveniências omissão se tornaria injustificável, mas, por outro pessoais imediatas e, mesmo, as nossas vidas. lado, a resistência acarretaria todos os riscos de Mais uma vez, o senso comum cunhou insurgir-se contra um inimigo implacável e podeuma máxima, muito usada por civis e militaroso. Uma variante, mais grave ainda, desse res: “A melhor defesa é o ataque”. comportamento é a adesão conivente. Podemos afirmar sem o mínimo medo Político de oposição não tem de aceitar de errar: cargo em nome da governabilidade. Esta é probleA pior defesa é a omissão. ma dos aliados e não de oposicionistas compraEste artigo foi escrito em 23 de agosto de 2008 e dos. Aqueles que se deixam cooptar fortalecem publicado na Revista do Clube de Aeronáutica os que cassarão seus mandatos para a implanta* Coronel-Aviador,Vice-Presidente da ção do partido único, ideologicamente puro, Academia Brasileira de Defesa e do Clube de quando o poder ditatorial estiver consolidado. 1 2 3 Aeronáutica (*) Pacifismo: Doutrina que prega o desarmamento das nações e a solução dos conflitos internacionais por meio da arbitragem, ou pacificamente, com a proscrição do recurso à guerra (dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa).
  • A IMPRENSA NOTICIOU Nº 199 - Fevereiro/2014 Dilma Rousseff, a melhor presidente que Cuba já teve. Publicado no Pampulha - BH - 08/02 D O 27º ESTADO BRASILEIRO Dilma é a melhor presidente que CUBA já teve. E a presidente cubana tem os melhores ministros que os cubanos já tiveram. Sempre questiono - esse pessoal que venera tanto a ilha e os irmãos.. por que não mora lá? Agora deve estar um pouco melhor - já que é um estado brasileiro, financiado pelos brasileiros, damos empregos ao povo de lá em detrimento aos nossos. Cuba é o 27º estado brasileiro... e nos tem saído caro! caro! já que é um estado que recebe dinheiro diferenciado dos outros ... a custo zero! Estradas, portos, comida - tudo para lá, enquanto os brasileiros de todos os quadrantes morrem de fome, de sede, falta de segurança, afogados, soterrados, sem educação... Pela quantidade de gente que morre aqui no Brasil vitima de acidente, de balas perdidas, de bandidagem, de “policiagem” - nos mostra que estamos vivendo HÁ TEMPOS UMA GUERRA CIVIL questiona-se mortes pelo mundo todo - E 8 AQUI???? SERÁ QUE NÃO ESTÃO VENDO?? OU É FACIL FALAR DOS OUTROS?? COMO DIZIA MINHA MÃE, “CUTIA, NÃO VÊ O RABO”! Se os Castros amassem tanto a ilhota deles e se o embargo americano os prejudicassem tanto - eles já deveriam ter saído do governo e deixado que o povo o administrasse. Mas é ruim de DITADORES ABANDONAREM A TETA - eles sabem o que é bom - E VIVEM NO MELHOR - jamais abandonarão o poder. E isso é assim em todo o mundo onde exista o totalitarismo. Está na hora da presidente cubana Dilma - que está no posto aqui no Brasil - lembrar que foi eleita para fazer portos, estradas, postos, dar de comer, dar saúde, dar educação aos MILHÕES DE BRASILEIROS que votaram nela - via bolsas de todos os tipos e tamanhos. (Internet) Delasnieve Daspet Cidadã Brasileira. A ILUSÃO LUDILMA ilma não vê problema em pagar sua própria conta em, restaurante estrelados, nem eu, isso não é nada mais do que sua obrigação, o problema está em sua psicopatia mentirosa e treinada para a manipulação de mentes adormecidas. Com a tosca tentativa de desviar o assunto para o próprio bolso e não falar da caríssima e desnecessária “parada estratégica” em Portugal, ocupando 45 quartos de hotel pagos com dinheiro público, exclusivamente para atender seu refinado paladar, Dilma fez por merecer a frase que me foi enviada por um leitor: “ Se queres conhecer realmente o caráter de uma pessoa, dê-lhe poder e dinheiro, com certeza, a mesma revelará quem é”. Após a farra em Portugal, onde a presidente demonstrou que não abrirá mão de um hábito que já virou rotina em seu mandato, ela e comitiva seguiram para inaugurar o porto que Lula, às nossas custas, acordou para ser feito em Cuba. Foram mais de R$2,5 milhões a um país ditatorial, que como tantos outros ajudados pelo PT, não usa tais recursos para o bem-estar do povo, mas, sim, para a manutenção de sua elite dirigente. Enquanto isso, por absoluta falta de infraestrutura, continuamos jogando bilhões de dólares no ralo do desperdício a cada ano. Ocupamos o último lugar no mundo em qualidade de portos e ferrovias entre os países emergentes, o que significa que a ilusão Ludilma nos mantém em primeiro lugar no mundo entre as sociedades mais alienadas, covardes e avessas a luta por melhorias. Não dá mais. MINISTRO CARVALHO RESPONSABILIZA PM POR CONFRONTO EM MARCHA DO MST Confronto entre sem-terra e policiais militares na Esplanada dos Ministérios deixou mais de 40 feridos C arvalho falou sobre o tema após participar de evento do 6º Congresso Nacional do MST, em Brasília. O ministro elogiou a atitude de líderes do MST, no momento em que os manifestantes cercaram o ônibus e o grupo de policiais. Carvalho, que não discursou no ato, usou boné do movimento, assim como os demais participantes, entre eles, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e o presidente nacional do PT, Rui Falcão. Rui Falcão defendeu a reforma agrária e classificou como “de- mandas justas” a pauta de reivindicações apresentadas pelo MST à presidente Dilma Rousseff. Falcão atacou o latifúndio e a mídia, afirmando que os meios de comunicação no Brasil estão nas mãos de poucas famílias que “querem impor o pensamento único”. O coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile, atacou o agronegócio e defendeu a união dos movimentos sociais para fazer a reforma agrária. Segundo ele, porém, a nova reforma agrária. (Extrato) - O Globo - 14/02 NR: No dia seguinte, a própria presidente Dilma recepcionou os dirigentes do MST no Palácio do Planalto, gesto que sinaliza a favor da imputabilidade do Movimento e de outras "organizações sociais" em atos de violência.
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 9 QUE PARTIDO É ESSE? V ELEIÇÕES 2014 - VOTE NA DILMA ote na Dilma e ganhe, inteiramente grátis, um José Sarney de presente agregado ao Michel Temmer. Mas não é só isso, votando na Dilma você também leva, inteiramente grátis (GRÁTIS???) um Fernando Collor de presente. Não pense que a promoção termina aqui. Votando na Dilma você também ganha, inteiramente grátis, um Renan Calheiros, um Jáder Barbalho e um Paulo Maluf. Mas atenção: se você votar na Dilma, também ganhará uma Roseana Sarney no Maranhão, uma Ideli Salvatti em Santa Catarina, uma Martha Suplício em S.Paulo e Gleisi Hoffman do Paraná. Ligue já para a Dirceu-Shop, e ganhe este maravilhoso pacote de presente: Dilma, Collor, Sarney pai, Sarney filho, Roseana Sarney, Renan Calheiros, Jáder Barbalho, José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoíno, e muito, muito mais, com um único voto. E tem mais, você também leva intei- ramente grátis, bonequinhos do Chávez, do Evo Morales, do Fidel ao lado do Raúl Castro, do "Bispo" Lugo,do Ahmadinejad, do Hammas e uma foto autografada das FARC´s da Colômbia. Isso sem falar no poster inteiramente grátis dos líderes dos bandidos “Sem Terra”, Pedro Stédile e José Rainha, além do Carlos Minc com uniforme de guerrilheiro e sequestrador. Ganhe, ainda, sem concurso, uma leva de deputados especialistas em mensalinhos e mensalões. E mais: ganhe curso intensivo de como esconder dinheiro na cueca, na meia, na bolsa ..., ministrado por Marcos Valério, José Adalberto Vieira da Silva e José Nobre Guimarães. Tudo isto e muito mais.. Esse texto precisa e deve se transformar na maior corrente que a internet já viu!!! Não deixe de repassar é o mínimo que podemos fazer diante de tanta corrupção! COMISSÃO DA VERDADE DA INTERNACIONAL SOCIALISTA com um discurso de exaltação ao guerrilheiro argentino Che Guevara e emenda com canções de cunho ideológico. Primeiro uma música lembrando a America Latina, os países libertos do “jugo imperialista” bem ao gosto dos presentes. A segunda música foi a interpretação de Cálice de autoria de Chico Buarque e Gilberto Gil. Aplausos. Ao término da segunda música, aconteceu o inacreditável. O maestro barbudo (quase um fundamentalista) pede a atenção de todos e brada em alto e bom som, com a sua voz grave, que a apresentação final seria especial. O momento NR: Que se cuidem os nossos Generais... mais esperado. E anuncia a INTERNACIONAL SOCIALISTA. m solenidade pública realizaAdolescentes da platéia da na sede da OAB/RJ, o ato e adultos levantam-se, erguem inaugural da desapropriação da os punhos cerrados e bradam a denominada “Casa da Morte” siplenos pulmões ode à esquerda. tuado no município de Petrópolis, Não foi entoado o HINO estado do Rio de Janeiro. Essa NACIONAL BRASILEIRO residência segundo relatos de preem um evento público, com ausos políticos, serviu de base de toridades representativas de operações para agentes do DOIsegmentos diversos da sociedaCODI durante os anos 70. de, do judiciário e do executivo. Após as apresentações de Por toda a sua história praxe, compuseram a mesa de deba- Maria do Rosário "ministra dos direitos humanos” , a de luta em defesa das garantias tes a ministra Maria do Rosário, que gosta de bandido, em constitucionais, a OAB não Secretária dos Direitos Humanos, o mais uma demonstração da merecia ser palco de um evenpresidente da OAB-RJ Wadih Daqualidade dos 39 to direcionado para um setor mous, o ex-frei Leonardo Boff, a exprimeira dama Maria Thereza ministérios da gerentona... tão sectário. O evento foi gravado por emissoras Goulart e o procurador geral do município de estatais e privadas. Se alguém possui dúvidas Petrópolis Marcus Vinicius de São Thiago. da veracidade dos fatos acima, solicitem o Discursos inflamados com conotação idevídeo. É chocante!! ológica não seriam surpreendentes, até pelo tema VEJA MATÉRIA PUBLICADA NA FOLHA DE SÃO PAULO central do evento. Em seguida, foi anunciada a http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/02/1410866-coral-cantaapresentação de um coral composto por adolesinternacional-socialista-em-ato-da-comissao-da-verdade-do-rio.shtml centes da cidade de Petrópolis. O maestro inicia “Nós fomos de fumo embriagados Paz entre nós, guerra aos senhores Façamos greve de soldados Somos irmãos, trabalhadores Se a raça vil, cheia de galas Nos quer à força canibais Logo verás que as nossas balas São para os nossos generais” E H P T Por Carlos Newton O programa Roda Viva, na TV Culura, sob a coordenação do jonalista Augusto Nunes, entrevistou a 03 de fevereiro, o Delegado Romeu Tuma Júnior, autor do livro "Assassinato de Reputações - Um Crime de Estado". Começou morno, mas foi enquentando no decorrer do período, até começar a cozinhar o PT, Lula, Gilberto Carvalho, Dilma Rousseff e companhia limitada. No final, a panela de pressão estava realmente fervendo, e o ex-secretário nacional de Justiça e ex-delegado federal Romeu Tuma Jr. aproveitou para anunciar que está escrevendo o segundo livro da série “Assassinato de Reputações”. CASO CELSO DANIEL O ex-delegado disse ter feito fotos do cadáver de Celso Daniel, mostrando que ele sofrera tortura, porque havia marcas nas costas. Assinalou ter conseguido desvendar o crime e até fez um acordo de delação premiada com o suposto assassino, mas no dia seguinte ele foi morto na cadeia, antes de prestar depoimento. “Depois disso, fui afastado do caso, sob alegação de que o inquérito seria conduzido por uma delegacia especializada”, ironizou. E confirmou que o hoje ministro Gilberto Carvalho era o encarregado de receber a propina da Caixa 2 da Prefeitura de Santo André, dizendo que isso lhe foi revelado pessoalmente por Carvalho, em 2010, e o ministro chorou ao lhe fazer tal confissão. Internet ACREDITE SE QUISER! Letra da versão brasileira do Hino da Internacional Socialista TRIBUNA DA INTERNET EM 04 FEV 2014 ACUSAÇÕES A LULA No final vieram as acusações ao ex-presidente Lula, que eram aguardadas desde o início do programa. Tuma Jr. disse que foi nomeado para a Secretaria Nacional de Justiça na cota pessoal de Lula, a quem conhecera como líder sindical no regime militar, quando trabalhava no DOPS e Lula era informante e muito ligado ao seu pai, o então delegado Romeu Tuma, que depois entrou na política e virou senador. Garantiu que Lula sempre foi próximo aos militares e citou um episódio ocorrido numa reunião, quando a advogada Terezinha Zerbini, fundadora do Movimento Social pela Anistia, defendia os direitos de militantes metalúrgicas perseguidas pelos militares e Lula cassou-lhe a palavra. Disse que as fotos de Lula sendo preso mostram bem sua ligação com os militares e com o DOPS, porque registram que o então líder sindical foi conduzido no banco de trás da viatura policial, sentando junto à janela, com o vidro aberto e fumando, uma situação inadmissível se ele fosse um preso qualquer. Assinalou que Lula passou muitas informações aos policiais e disse que tudo está bem documentado, porque os arquivos do DOPS foram preservados. “Lula tem muitas revelações a fazer”, ironizou Tuma Jr., desafiando: “Abram os arquivos do DOPS! Abram os arquivos!”. Depois, falou também sobre o caso Rosegate, que envolve a namorada secreta de Lula, Rosemary Noronha, e comentou que a Polícia Federal ficou mal no episódio, que teria “capítulos hollywoodianos”. E por fim, disse que está escrevendo o segundo livro, dando a entender que os documentos serão publicados nesta próxima edição. (Extrato) Veja como publicado: http://tribunadaimprensa.com.br/?p=80405 N U N C A M A I S H
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 UMA CAMADA DE VERNIZ A AMAZÔNIA É NOSSA? “Árdua é a missão de desenvolver e defender a Amazônia. Muito mais difícil, porém, foi a de nossos antepassados em conquistá-la e mantê-la.” O clima de insatisfação com o atual governo vem se agravando perigosamente, fazendo com que a violência se torne endêmica no panorama político brasileiro. A cordialidade, o bom humor e outras tantas qualidades decantadas como fazendo parte da índole do brasileiro são, a bem da verdade, uma leve camada de verniz a encobrir uma tendência impregnada no mais íntimo do nosso povo: a violência, que sempre foi o pano de fundo destes tristes trópicos. Tal inclinação para a lei do mais forte, para o desrespeito aos mais comezinhos direitos do outro, vem dos primórdios da colonização e, no alizou em tomar o partido dos marginais e não o da sociedade, caracterizando como um abuso de autoridade o uso do direito da força em defesa desta. Certo estava o inefável Gilberto Carvalho, presença direta de Lula no governo Dilma, ao afirmar que, no corrente ano, o “bicho vai pegar”. Boa parcela de culpa cabe aos meios de comunicação que, atrelados ao governo por empréstimos subsidiados e farta propaganda distribuída pelos órgãos estatais, durante muitos meses buscaram caracterizar a baderna como sendo a “voz das ruas”. E isso era afirmado e reafirmado nos telejornais, nas entrevistas de pseudo intelectuais e pelos porta-vozes governamentais. Estes prometiam mundos e fundos, enquanto passeatas as mais diversas engarrafavam o trânsito e comprometiam o elementar direito de ir e Gilberto Carvalho e Dilma recebendo o MST, no Palácio vir da maioria atônita. nosso passado histórico, vamos encontráA violência, endêmica no Brasil (que la na prática da degola ou no fuzilamento tal propor aos “especialistas” que se debrusumário do inimigo vencido nas lutas incem sobre as estatísticas que atestam sotestinas que ensanguentaram nossa terfrermos mais de 50 mil mortes por ano) e que ra. Exemplos bem atuais são as bata- se revela, em toda a sua brutalidade, dos lhas campais travadas entre torcidas nossos presídios medievais (segundo o de times de futebol, amostras singelas preclaro ministro da Justiça) à justiça pelas do acima afirmado. próprias mãos nas ruas das metrópoles e do É bem verdade que sempre existi- interior, vai num crescendo. Ou não será vioram aqueles preocupados em, fazendo a lência que, numa manifestação realizada na difusão da educação e da cultura, apagar capital federal, os “pacíficos” manifestantais traços de selvageria. No entanto, as tes do MST tenham deixado um saldo de dez boas intenções dessa pequena parcela policiais militares gravemente feridos? Ou terminam quando os instintos da massa não será incentivo ao desrespeito às leis vêm à tona e dominam a multidão sem que, no dia seguinte, a própria presidente da nome e sem rosto: é a hora das agressões, República tenha recebido em audiência os da depredação dos bens públicos e par- líderes dessa turba? Vivemos, esta a dura ticulares, dos roubos, dos incêndios, dos verdade, um festival de hipocrisia. crimes sexuais. Apenas como exemplo é E no festival de absurdos que caracde citar o procedimento da malta comuterizam o governo petista, sobram violêncinista que, em novembro de 1935, tomou as contra o erário público, contra a saúde as ruas do Recife, praticando toda sorte pública, contra a educação, contra a infrade tropelias. Quase 80 anos depois, mui- estrutura de transportes e sobram benesses to pouca coisa mudou! para todos aqueles que aceitam, sem tugir Nos dias que correm, o clima de insanem mugir, o peso da canga da escravidão tisfação vem se agravando a pouco e pou- moral. co. A origem está, digam o que disserem, A leve camada de verniz que nos nos interesses petistas voltados, sem som- cobre, já apresenta desgaste em muitas bra de dúvida, para o continuísmo no poder. partes. A irracionalidade da violência, em Assim, em junho do ano passado, suas boa parte provocada pelo atual governo, linhas auxiliares deram a partida, provocanvai num crescendo e tudo faz crer que, mesdo protestos que sempre acabavam em con- mo antes das eleições previstas para outuflito com as forças da ordem, quase parali- bro, poderá explodir. Se e quando tal ocorsadas pelo conceito de “direitos humanos”, rer, será um retorno ao passado mais distandifundido por um governo que se especite da terra brasílica. *Coronel * Osmar José de Barros Ribeiro 10 * Manoel Soriano Neto General Rodrigo Octávio / 1º Comandante Militar da Amazônia (1968/1970) A AMAZÔNIA E A HIDRELETRICIDADE (VIII) F elizmente, o governo está executando de água da Amazônia, a fim de que a geos projetos de construção de hidrelé- ração de energia daquelas que se localitricas na Amazônia, em que pese as inúme- zam próximas ou no interior das Unidades ras dificuldades enfrentadas, as quais, ite- de Conservação (UC) e Terras Indígenas rativamente, vimos lembrando aos leitores (TI), se compatibilize com a preservação do deste jornal. Entretanto, não houve um sé- meio ambiente, do modo de vida dos “porio planejamento para tal e foram feitas con- vos” indígenas e ribeirinhos e da biodicessões a grupos impatrióticos de ambi- versidade amazônica. Outrossim, várias entalistas/indigenistas, como a drástica re- condicionantes (na realidade, exigêncidução das áreas alagadas (reservatórios de as) deverão ser implementadas para os acumulação de água), o que reduz, imensa- próximos empreendimentos, em vista de mente, a capacidade operativa das usinas fortes pressões com viezes ideológicos, em construção ou já concluídas. Em face dos ditos “movimentos socioambidesse grave erro, as usinas termelétricas, entais”, que enquadram entidades altacaras e poluidoras, foram acionadas de for- mente engajadas, como o “Instituto Soma quase que permanente, quando deveriam ser complementares às hidrelétricas. Assim, o preço das contas de luz para todos os consumidores poderá ter um aumento que se calcula em 1,6% no presente ano, ocasionado, também, pela inclemente seca que assolou o Brasil, no final de 2012, máxime a partir de setembro daquele ano, quando as termelétricas permaneceram ativas por muitos meses, só começando a ser desligadas em maio de 2013. Igualmente, ao término daquele Belo Monte - Em construção a terceira maior barragem hidrelétrica do mundo em um afluente do ano, a situação dos reservatórios Rio Amazonas, o Rio Xingu do Nordeste apresentava-se crítica, com uma capacidade de armazena- cioambiental” (ISA), “Movimento Xingu mento cerca de 24%, a mais baixa do País, Vivo para Sempre” e outras. Diga-se que segundo o Operador Nacional do Siste- algumas dessas condicionantes somenma Elétrico (ONS). Em consequência, fi- te poderão ser cumpridas após o pleno camos dependentes das chuvas e da boa funcionamento das hidrelétricas; entrevazão dos rios (o que é inconcebível!), fruto tanto, as citadas entidades e grupelhos de um mau aproveitamento de nosso fabu- de “ecoxiitas”, vêm exigindo, constanteloso potencial potamográfico. Outra mente, o cumprimento, desde já, das clágravíssima falha foi a não previsão de cons- usulas estabelecidas, tudo para retardar trução de eclusas junto às hidrelétricas, o ou embargar as obras em andamento. Os que inviabilizará ou muito dificultará a na- prejuízos já causados nos cronogramas vegação em importantes rios, evidenci- previstos são de vulto, e, com certeza, de ando-se completa falta de imprescindível muito retardarão o crescimento nacional, sinergia entre os ministérios de Minas e que tanto carece de infraestrutura econôEnergia (MME) e dos Transportes (MT), mica, em particular de energia elétrica. O PAC II deu prosseguimento aos sendo certo de que foi lançado, com grande estrondo publicitário, no ano passado, o projetos hidrelétricos do PAC I. Em março de 2012, foi divulgado o balanço acerca das Plano Hidroviário Estratégico (PHE)... Quanto à construção de novas hidre- hidrelétricas da Amazônia, referentes a létricas, muito se fala nas denominadas um ano do PAC II, relacionando-se aque“usinas plataforma” - um dos objetivos las em implantação, as planejadas ou as prioritários do MME -, as quais deverão que se encontram em fase de estudos de aproveitar, adequadamente, os mananciais viabilidade. (continua) * Coronel, Historiador Militar e Advogado msorianoneto@hotmail.com
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 A ÁRVORE BOA MAGALHÃES PINTO Aí está o belo exemplo de um homem íntegro, de soberba coragem política demonstrada em toda uma vida honrada e dedicada ao nosso país. *Aristóteles Drummond PRONUNCIAMENTO DO GOVERNADOR MAGALHÃES PINTO MINAS ESTÁ UNIDA CONTRA O GOLPE Foto: Acervo Jornal Estado de Minas Desembargador José Alcides Pereira, os secretários de Estado Roberto Rezende, Aureliano Chaves, Lúcio de Souza Cruz, o comandante Geral da Polícia Militar, Cel José Geraldo E Estado de Minas, 21 de março de 1964 xistem homens que por índole e princípios conquistam o respeito e a admiração de todos. Pelas lutas. Pelas posições assumidas. Pelas opções manifestas nos momentos graves e decisivos. Pelos serviços assinalados em favor do bem comum. Pela conduta exemplar como chefe de família e estadista. Pelos lugares, enfim, que fizeram por merecer na historia nacional. Assim foi José de Magalhães Pinto. Um mineiro que soube honrar o legado cívico de Tiradentes e corresponder aos ideais do movimento que ilustra a historia nacional – a Inconfidência Mineira – servindo com entusiasmo, idealismo e coragem ao Brasil. Em 1943, quando vivíamos momentos incertos, formou entre os signatários do Manifesto dos mineiros, um dos documentos mas importantes de nossa historia contemporânea. Com a volta ao país do regime democrático foi por diversas vezes eleito deputado federal, tendo se destacado na liderança de seu partido, do qual foi presidente do Diretório Nacional. Em 1960, em memorável campanha foi eleito gover- nador do Estado de Minas. Em 1964 articulou com os comandantes militares de Minas, a sociedade civil e a classe política o movimento de 31 de março, do qual foi o líder civil inconteste. Seu manifesto lançado à nação marcou a arrancada para a jornada vitoriosa, no momento em que as tradições de liberdade e soberania do país já pareciam perdidas. Ao terminar seu mandato deixou um acervo de realizações admirável, tendo voltado ao Congresso com a primazia de parlamentar mais votado na historia eleitoral do país. Senador, presidente do Senado, foi o mais jovem presidente da Associação Comercial de Minas. Em 1967, por inspiração feliz do presidente Arthur da Costa Silva, foi nomeado ministro das Relações Exteriores, onde deixou a marca de seu talento e inaugurou a diplomacia econômica, base da projeção brasileira no comercio mundial, a que ora assistimos. No mês dos 50 anos da Revolução é bom lembrar quem foi o seu líder civil. O movimento, é bom lembrar, foi civil-militar. * Jornalista - Vice- Presidente da ACM/RJ aristotelesdrummond@mls.com.br www.aristotelesdrummond.com.br MAGALHÃES, O HERÓI DA REVOLUÇÃO Anúncio da vitória fêz povo vibrar em Minas A RTICULADOR e iniciador do movimento que culminou com o afastamento do Presidente. João Goulart, o Governador Magalhães Pinto foi aclamado em Minas como o grande herói da insurreição vitoriosa e calorosamente festejada em todo o Estado. A vitória final, vibrantemente festejada pelo povo de Minas, teve no tranqüilo e decidido Governador Magalhães Pinto o seu grande comandante e maior alvo das manifestações populares em todo o País. (extrato) O Cruzeiro Extra - 10 de abril de 1964 11 *General de Exército Rômulo Bini Pereira “Quando cortam uma árvore boa e não arrancam suas raízes, brotos teimosos vão nascer sempre no que sobrou do tronco a dizerem que ela pode ressurgir e ficar mais alta, porque a sua seiva não se extinguiu e nem se extinguirá!” A Revolução Democrática de 31 de Março por vândalos transformaram algumas cidades, completa 50 anos este ano e já se observa principalmente as capitais, em verdadeiras praelevado número de reportagens e artigos sobre ças de guerra. Os “rolezinhos”, já bastante esse fato histórico. Nesse diapasão, nas esferas disseminados, trazem em seu bojo indícios de federal, estaduais e até municipais avultam as luta de classes. A criminalidade já é endêmica diversas Comissões da Verdade criadas no País, entre nós e isso faz com que não mais sejamos a levantarem fatos que vão repercutir na opinião vistos como um povo pacífico e cordato. pública com uma visão num só sentido. Seu Nossos índices de crimes anuais já atingem a escopo maior é denegrir o fato histórico, cujo cifra de 50 mil mortos/ano, próximos aos de combustível veio do coração nacionalista do países onde há guerra civil. povo brasileiro no limiar do outono de 1964. Ao As autoridades constituídas pouco fapasso que os crimes cometidos pelas esquerdas zem para reverter essa situação. Propalam radicais são nefanda e irresponsavelmente promessas vãs, são incompetentes, demonsacobertados por essas comissões. tram desinteresse e má-fé. Seu aparato poliA atual “presidenta” da República, que cial está sempre pressionado, pois suas ações participou ativamente da luta armada, em recente são consideradas agressivas. As soluções não visita à paradisíaca Ilha de Cuba surgem e o País vive uma situação IMPORTANTE demonstrou ao mundo sua presde descalabro político e moral, A “presidenta” timosa submissão ao líder comuniscom manifestos sinais de incidemonstra ser incapaz ta Fidel Castro. Esse seu ato mostra piente desobediência civil. É essa de governar com que, se a revolução não fosse vitoriseriedade, equilíbrio e a democracia que desejamos? competência. osa, estaríamos sob a vigência de Finalmente, um enorme uma “democracia sanguinária”, separadoxo. As Forças Armadas O País vive uma melhante à que ainda escraviza e situação de descalabro continuam sendo a instituição de aterroriza o povo cubano. maior credibilidade no País, e isso político e moral, com manifestos sinais de Após 30 anos da Nova Repúé se deve não apenas à eficiência, incipiente blica e de cinco governos civis, noà noção de responsabilidade, ao desobediência civil. tam-se análises negativas quanto ao trato da coisa pública, mas, sobrepresente e ao futuro do Brasil. Os três Poderes tudo, aos valores morais que são cultivados em da República, base de todo regime democrático, todos os seus escalões. A honestidade, a provivem hoje momentos sensíveis e preocupantes bidade, a disciplina e o empenho no cumpri- corrupção e mordomias em todos os seus níveis. mento da missão são algumas virtudes que O Legislativo é a instituição mais desacrenorteiam as Forças Armadas e que deveriam ditada, segundo pesquisas confiáveis. Legisla também ser exercidas pelos diversos mandaquase sempre em favor dos direitos, mas nem tários dos governos de nosso país. O que, sempre se lembra dos deveres. O interesse naciinfelizmente, não ocorre. onal é secundário e, em consequência, temas de Na área militar nota-se ainda repulsa capital importância para o Brasil são postergaaos atos das citadas comissões. Ela é flagrandos, só pelo simples fato de que podem trazer te, crescente e de silenciosa revolta. Pensam reflexos indesejados nas urnas. que os integrantes das Forças Armadas O Judiciário passou a ser a esperança dos quietos, calados e parecendo subservientes brasileiros por ter-se sobressaído sobremaneira assistem passivamente aos acontecimentos no processo conhecido como mensalão, conduatuais com sua consciência adormecida. Não zido pela Suprema Corte. Esta, em seus debates, é bem isso que está acontecendo! demonstrou, entretanto, que há áreas de atritos As esquerdas sempre alardeiam que os de cunho ideológico e partidário entre seus mem“militares de hoje” não são como “os de 1964”. bros. Não fossem a morosidade no julgar e os Sem dúvida! Aqueles, mais preparados cultural longos trâmites nos processos jurídicos, seu e profissionalmente e mais informados que estes, conceito seria mais positivo. mantêm, contudo, bem viva a mesma chama que O Executivo passa por sérias dificuldaseus predecessores possuíam e lhes legaram: o des, pois a “presidenta” demonstra ser incapaz amor à liberdade, aos princípios democrátide governar com seriedade, equilíbrio e compecos, à instituição e ao Brasil. Também não tência. Diante de qualquer obstáculo, convoca aceitarão e, se necessário, confrontarão regiespecialistas em propaganda e marqueteiros mes que ideólogos gramscistas queiram impor para que façam diminuir ou mascarar os ponà sociedade brasileira, preconizados pelo Foro tos negativos que poderão surgir, pois só o de São Paulo, órgão orientador do partido que que ela e seu partido querem é conseguir a nos governa e de alguns países da América do reeleição. Em relação à política externa, o Sul que se dizem democratas. anseio do governo é fazer o Brasil ter uma caMesmo sendo vilipendiada, devemos saudeira permanente no Conselho de Segurança da dar a Revolução Democrática. É voz geral entre ONU. e isso está afastado. Nosso país está sendo os esquerdistas que 64 jamais será esquecido. ridicularizado em todo o mundo por tantos esÓtimo, nós, civis e militares que a apoiamos, cândalos. País assim não pode postular distambém não a esqueceremos. A Revolução de tinção de tamanha expressão mundial. 1964 será sempre uma “árvore boa”! Nos dias atuais o País vive momentos (Publicado no Estado de São Paulo, 19/02/2014) * Foi chefe do Estado Maior de Defesa, conturbados, que se vêm agravando desde os comandou 4ªRM/4ªDE em Belo Horizonte e o surpreendentes movimentos populares de junho 11º BIMth em São João Del Rei, foi Chefe do de 2013. A Copa do Mundo traz efetivas preoCCOMSEx e como 2º Tenente no 10º RI, cupações ao povo brasileiro. marchou para o Rio de Janeiro no Destacamento Tiradentes Manifestações ininterruptas conduzidas 1 2
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 CONCLAMAÇÃO AO NACIONALISMO *Valmir Fonseca Azevedo Pereira O A hierarquia e a disciplina são os pilares das Instituições Militares. s parâmetros são inquestionáveis e baseiam-se no respeito aos superiores e na obediência às suas ordens. Portanto, os militares se submetem às normas da caserna no principio de que o superior hierárquico por seu nível de conhecimento e conduta ilibada está apto a comandá-los. Contudo, eventualmente, o superior pode não reunir as qualificações para o exercício de seu cargo. Felizmente, de alguma forma, por transferência do militar ou do seu superior, ou passagem para a Reserva, de um ou de outro, a incômoda situação é ultrapassada. Na prática, é o que ocorre ou pode ocorrer. Hoje, o silencio da Ativa quanto ao massacre revanchista que deturpa as Forças Amadas traduz a posição submissa de seus atuais comandantes. Os militares da Ativa, cumpridores dos princípios da hierarquia e da disciplina, cônscios de sua subordinação, também se calam, e, hoje, nem mais podem orientar os seus subordinados quanto a relevantes episódios de nossa História, como a traiçoeira e covarde Intentona Comunista de novembro de 1935 e o memorável e glorioso Movimento Cívico - Militar de 31 de março de 1964... A grande maioria emudece para não transgredir, alguns, lamentavelmente, por receio em prejudicar as suas futuras promoções. Mas em geral, silenciam por convicção de que assim cumprem a sua obrigação de militares disciplinados. Porém, diariamente, por término do tempo de serviço ou por outras razões, um número razoável afasta-se da sua Instituição e tornam-se militares da Reserva. Considera-se que um elevado número daqueles antes silenciosos, agora sem os compromissos do serviço ativo, gostaria de assumir uma postura no mínimo pró-ativa. Por isso, dirigimo-nos aos insatisfeitos, encarecendo para que ao passarem para a Reserva juntem-se a nós, membros do Ternuma ou ao Grupo Guararapes, ou ao Grupo Inconfidência. Venham, todos foram dinâmicos profissionais, que durante longos anos se dedicaram aos serviços da Pátria, ao passarem para a Reserva a missão continua, em especial no atual contexto, em que os inimigos da democracia assumiram o poder e pretendem se perpetuar . Aos novos integrantes da Reserva, concitamos que sejam membros de ONGs que lutam para evitar um mal irreversível para o futuro da Nação e para a sua manipulada população. Venham e lutem pela democracia e repudiem o aniquilamento das Forças Armadas. A estes futuros participantes, recordamos que nós da Reserva ao contrario dos militares da Ativa, podemos e devemos externar as nossas opiniões, que podem ser de apoio, mas que podem ser de repúdio. Hoje vivemos sob a égide de uma canalha que se preserva e perpetua no poder. Cabe a nós militares da Reserva com os civis nacionalistas, todos cidadãos cumpridores de seus deveres, exigir os nossos direitos, denunciar, e de adotar uma postura unida reativa contra o descalabro, antes que a nossa Nação atinja o fundo do poço. Amigos, venham! Vejam o nosso site www.ternuma.com.br, militares recém ingressos na Reserva e os civis que amam esta terra, e juntem - se a nós, não continuem vivendo em brancas nuvens; nem você, nem a sua família, nem a sua Pátria merecem. *General de Brigada - Presidente do Ternuma 12 A LUTA DE CLASSES NO BRASIL LUZ e PAZ Sempre !!!!! Quem vence os outros é forte. "Quem conhece os outros é inteligente. Quem vence a si mesmo é invencível." Quem conhece a si mesmo é iluminado. A luta de classes, no Brasil, não é entre operários e patrões. É entre oLumpenproletariat que Marx abominava e a maioria da população, especialmente a classe média, aí incluída uma boa parcela do operariado, se não ele todo. Cada uma dessas facções tem seus aliados permanentes. A primeira tem, acima de tudo, o governo e os partidos de esquerda que o dominam. Aí mesclados, vêm logo os intelectuais acadêmicos e os estudantes universitários. Destes últimos, cinqüenta por cento, segundo um cálculo otimista (v. http:/ /blog.portalexamedeordem.com.br/blog/2012/11/ pesquisador-conclui-que-mais-de-50-dosuniversitarios-sao-analfabetos-funcionais/), são analfabetos funcionais. Excluídos irremediavelmente da alta cultura, e não tendo a menor idéia de que são vítimas de si mesmos, encontram no ódio projetivo à sociedade o alívio de uma culpa recalcada no mais fundo do seu inconsciente. Sentem por isso uma afinidade instintiva com os bandidos, drogados, narcotraficantes, prostitutas, prostitutos e outros marginais. A terceira faixa de aliados do Lumpen são as ONGs, as fundações bilionárias e os organismos internacionais, que não cessam de nos impor leis e regulamentos que praticamente inviabilizam a ação da polícia e desarmam a população, a qual assim não tem meios de defender-se nem de ser defendida. Em seguida, vem a grande mídia, que, mesmo onde discorda do governo em algum ponto de seu específico interesse, não deixa de fazer eco passivo aos mesmos critérios de julgamento moral que orientam os governantes, aplaudindo, por exemplo, a senadora Benedita da Silva quando esta se debulha em lágrimas por um bandidinho estapeado e amarrado a um poste e não diz uma palavra quanto à menina queimada viva no Maranhão ou, mais genericamente, quanto aos setenta mil brasileiros assassinados por ano. O alto clero católico, por meio da CNBB, comunga dos sentimentos da senadora Benedita. Vêm, por fim, os patrões, os capitalistas, os burgueses. Estes não costumam pronunciar-se de viva voz nessas questões, mas, como aliados e colaboradores ao menos passivos do governo, dão sustentação econômica e psicológica à política pró-Lumpenproletariat. A outra facção – o restante da população brasileira – encontra apoio em mais ou menos uma dúzia de jornalistas, radialistas e blogueiros execrados pelo restante da sua categoria profissional, entre os quais eu mesmo, o Reinaldo Azevedo, a Rachel Sheherazade, o Felipe Moura Brasil, o Rodrigo Constantino, a Graça Salgueiro. Tem também algum respaldo – tímido – nas polícias estaduais, em alguns púlpitos evangélicos isolados e em dois ou três parlamentares, como Jair Bolsonaro e Marcos Feliciano, que na Câmara Federal * Olavo de imitam João Batista pregando aos Carvalho gafanhotos.That’s all, folks. Nada caracteriza melhor a presente situação do que a total inversão das proporções, em que os nominalmente desamparados recebem todo amparo doestablishment e a população inerme se torna a imagem odienta do opressor capitalista. No caso do garoto amarrado no poste, a reação indignada contra os populares que ousaram “fazer justiça com as próprias mãos” partiram especialmente de pessoas que, quatro décadas atrás, faziam exatamente isso. Mas ninguém, no Parlamento ou na mídia, terá a coragem de espremer a presidente Dilma na parede com a pergunta: Quando você assaltava bancos, estava cometendo uma injustiça ou fazendo justiça com as próprias mãos? Tertium non datur. No entender do nosso governo, só quem tem o direito e até o dever de fazer justiça com as próprias mãos quando acha que a Justica falha são os terroristas de esquerda, como José Genoíno e a própria Dilma. Esses têm o direito até de condenar à morte e executar a sentença. Os outros têm a obrigação de aceitar resignadamente o homicídio, o roubo, o estupro como se fossem fatalidades da natureza. Mais significativo ainda é que, quando a Rachel Scheherazade, com lógica inatacável, explicou a agressão ao delinqüentezinho como reação espontânea e quase inevitável de uma população desprovida de proteção estatal, os mesmos que criaram essa situação tenham saído gritando “Apologia do crime! Apologia do crime!”, como se eles próprios não viessem há décadas fazendo a apologia dos terroristas que um dia, sentindo cambalear muito menos do que hoje a ordem legal, tomaram a justiça nas suas próprias mãos. Todas as ideias e atitudes do grupo pró-Lumpen, especialmente as dos professores e estudantes universitários, explicam-se por dois fatores igualmente endêmicos: o analfabetismo funcional e o fingimento histérico. Ambos, intimamente associados, deformam o sentido de todas as comunicações verbais e invertem a ordem da realidade. À aliança de marginais, governo, ONGs, capitalistas, igreja, mídia e intelectuais, chamam “povo oprimido”. Ao restante, “minoria privilegiada”. De todas as classes que compõem a sociedade brasileira, só uma ainda não tomou partido nessa guerra: as Forças Armadas. Seu silêncio pode tanto refletir uma indecisão perplexa quanto um ódio contido. Na primeira hipótese, quando acabará a indecisão? Na segunda, ódio a quem? As Forças Armadas são o fiel de balança. O futuro do Brasil depende inteiramente delas. * Professor de Filosofia, Escritor e Jornalista http://www.midiasemmascara.org/ http://www.olavodecarvalho.org
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 O SUMIÇO DE TROTSKY NA FOTO O diabo pode citar as Escrituras para seus próprios fins Uma alma danada prestando falso testemunho É como um vilão com uma face risonha Uma bela maçã podre por dentro Oh, que formosa aparência tem a falsidade. *Heitor De Paola U ma das primeiras revisões da história no século XX foi, mesmo ainda não existindo Photoshop, retirar a imagem de Trotsky da foto do discurso de Lenin aos soldados em 1920. Esta falsificação desencadeou uma sucessão de outras em que personagens importantes da URSS iam sumindo, primeiro das fotos, depois fisicamente indo para o Gulag ou sendo simplesmente fuzilados. Mas a mentira, a falsidade de bela aparência, iniciou-se com o farsante que deu origem a esta ideologia que não passa de uma bela maçã podre por dentro: Karl Marx. A teoria econômica de Marx teve por base uma revisão mentirosa das estatísticas dos resultados da Revolução Industrial para os trabalhadores ingleses (ver Capitalism and the Historians, F. Hayek, Editor). Como a Marx nunca interessou a verdade histórica, mas fazer com que ela se espremesse dentro de suas teorias “dialéticas“ a óbvia melhoria de vida dos trabalhadores ingleses foi transformada numa vida infernal em que só os patrões – que alcunhou capitalistas – lucravam. A revolução burguesa deu o mote para Marx elaborar uma falaciosa teoria do processo histórico, o materialismo histórico, baseado na evolução dos “modos de produção”. Incrível é que tenha se tornado a visão preponderante nos cursos de história. Desta má formação congênita não poderia se não sair um feto moralmente deformado. Uma versão atualizada nesta revisão farsesca se instalou em cheio na Iberoamérica, particularmente no Brasil. Através de factoides pomposamente chamados de Comissões da Verdade tentam fazer aqui o que nem foi tentado nos outros países: se nesses se faz de tudo para processar os militares e civis que estabeleceram governos de força para combater o terrorismo e a guerrilha nas décadas de 60-80, aqui se tenta simplesmente fazer desaparecer aquele período da história recente, usando um Photoshop mental que é engolido por uma massa previamente preparada desde os governos tucanos para se tornar analfabetos funcionais, robôs iletrados capazes de acreditar em qualquer coisa que lhes empurrem goela abaixo. O que espanta é não haver reação nenhuma de quem sabe o que está acontecendo e deixam correr solto. Refiro-me à alta cúpula militar constituída, ao que parece de seres amorfos aprisionados em suas próprias inconsciências. Não percebem que ao se atacar a memória de seus antecessores, conspurcando-os com acusações WILLIAM SHAKESPEARE The Merchant of Venice, Ato I, cena 3 [1] malévolas, retirando seus nomes de obras de engenharia que suaram para fazer e trocandoos pelos de notórios bandidos, eles também são atingidos. “Quem muito se abaixa deixa mostra a bunda”, diz um ditado. 13 MARANHÃO Quando a presidente Dilma, o ministro da Justiça, a ministra de Direitos Humanos, o Partido dos Trabalhadores, o Ministério Público Federal e a oposição se pronunciarão sobre as decapitações de presos, a corrupção e a compra de votos no feudo do Sarney? Considerando a repercussão alcançada pela publicação do artigo intitulado "Maranhão" no mês passado, voltamos ao assunto repetindo nosso comentário anterior, lembrando que Dilma recebeu 79% dos votos válidos na eleição para presidente em 2010 neste Estado, sendo superada somente pela Bahia, onde obteve 80,57%. Fazemos nossas as palavras do jornalista Reis de Souza que expressam a triste realidade do que realmente ocorre no Maranhão. A OLIGARQUIA MARANHENSE U A alternativa é mais terrível para o País: estarão, assim como o que já se pôde antigamente chamar empresariado, de má fé mancomunados com os criminosos e desejosos de manter privilégios de altos cargos, ajudam os seus inimigos? Tecem a corda com que serão enforcados (apud Lenin)? Comparecerão com toda a pompa e circunstância à nova inauguração da Ponte Carlos Marighella? À rodovia Carlos Lamarca? À hidrelétrica Ernesto “che” Guevara? Depois de uma reunião da comissão estadual do Rio ter sido aberta com todos os presentes cantando a Internacional Comunista o diabo rasgou a máscara e se apresentou claramente como um vilão, que dúvidas podem restar que os militares agiram corretamente há 50 anos para impedir o comunismo de dominar o país, acabando com a bela e falsa aparência de luta pela democracia e mostrando-se a alma danada que só os cegos já não haviam enxergado. Se eles se sentem tão fortes para se expor desta maneira a coisa está preta! Somese a isto a criação de um clima igual ao que tínhamos há 50 anos – agitações, desordens, arruaças, greves, ataques a policiais, e Stédile, o Julião de tablet, bradando que a reforma agrária clássica, baseada em invasões, acampamentos e distribuição de terras está ultrapassada e é preciso disputar as cidades, inaugurando uma “nova fase mais urbana” com novas táticas para o espaço onde se dará a luta pela terra nos próximos anos. Com a população previamente desarmada! Oh, maravilha! Que bondosas criaturas existem aqui! Como é bela a humanidade! Oh, admirável mundo novo Onde tais pessoas existem The Tempest, Ato V, cena 1 [2] [1] The devil can cite Scripture for his purpose. An evil soul producing holy witness Is like a villain with a smiling cheek, A goodly apple rotten at the heart: O, what a goodly outside falsehood hath! [2] O, wonder! How many goodly creatures are there here! How beauteous mankind is! O brave new world, That has such people in’t! *Médico, escritor e analista político. hdepaola@terra.com.br http://www.heitordepaola.com ma governadora hesitante, sem convicção e com dados e informações equivocadas, que não permitiu perguntas dos jornalistas, foi assim que a senhora Roseana Sarney, titular do Executivo maranhense, tentou amenizar a crise estadual, na “entrevista” à imprensa do país. Representante de uma oligarquia que há 50 anos domina a política local, ela mesma já exerce a função pela quarta vez, e ganhou o cargo após uma celeuma jurídica que cassou o eleito, Sr Jackson Lago e deu a vaga para Roseana que foi derrotada nas "A violência urnas. Com a maior taxa acontece de analfabetismo do porque o país, com uma popula- Maranhão está mais rico" ção doente e sub empregada, o Maranhão ocupa o primeiro lugar no percentual de miseráveis nacionais e demonstra que os programas sociais federais não têm frequentado os bolsões de pobreza que se espalham pelo Estado. O atendimento médico é precário, com uma característica, dezenas de municípios não possuem postos de saúde. Os doentes simplesmente morrem e a expectativa de vida é dos mais baixos aliada a uma mortalidade infantil que surpreende até organizações internacionais de Saúde. Este mês o Maranhão foi sacudido por rebeliões de presidiários que evoluíram das celas para as ruas da capital, São Luís, colocando o Estado na primeira página dos jornais e obrigando a governadora a vir a público para explicações. A ONU – Organi- zações das Nações Unidas e a OEA, pedem investigações sobre o péssimo ambiente prisional, a constante violação de direitos humanos e o número Reis de Souza de assassinatos dentro de presídios. Por conta dos descalabro administrativo em todos os setores, ONGs articulam o pedido de intervenção federal no Estado, colocando a presidente Dilma Rousseff em saia justa, já que o clã Sarney é aliado do governo federal e o patriarca, senador José Sarney amigo de Lula e Dilma em várias e difíceis ocasiões, sempre com os votos do PMDB no Congresso para esvaziar projetos anti-governo. A coalizão partidária que sustenta Brasília também estenderá seu manto protetor ao Maranhão e a péssima administração de Roseana Sarney até servirá para pavimentar seu caminho de volta ao Senado Federal, perpetuando a incrível desfaçatez com que é tratado o povo e principalmente o eleitorado, sem direitos e sem prerrogativas, servindo apenas como massa de manobra para engodos eleitorais. No meio deste panorama gravíssimo, a responsável posa de vítima da imprensa, invoca a “riqueza” do Estado e abre licitação para fornecer iguarias para os palácios. Os moradores das palafitas maranhenses devem achar muito engraçada a governadora Roseana Sarney. AGÊNCIA DE NOTÍCIAS ABEPL Caixa Postal 1133 - CEP 20010-974 Rio de Janeiro Telefax: XXX - 21 - 2533-9850 NR: A conclusão é óbvia: quanto mais pobre e ignorante for a pessoa, maior a probabilidade de ela ser uma eleitora do PT / Dilma. Graças principalmente à distribuição de Bolsa-família (Quem a recebesse não poderia votar!). Resumindo: a miséria, a ignorância, a corrupção e a safadeza são os maiores aliados de Dilma e do PT!
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 14 PORQUE VOU VOTAR NO PT NAS ELEIÇÕES DE OUTUBRO Perder as próximas eleições será a salvação do petê. Eles não merecem. Q uais seriam as consequências duma derrota do petê em 2014? Passando para a oposição, o petê se eximirá da responsabilidade pelos descalabros econômicos e financeiros, pelas obras inacabadas, pelo dinheiro desperdiçado, em resumo, transferirá o mico aos seus sucessores. Em vez de responder pelo que fez, atribuirá as sequelas dos seus erros e bandalheiras ao novo governo, usando-as para atacá-lo. Enquanto isso, os novos governantes esfalfar-se-ão para fechar as contas, tapar buracos, consertar burradas e sustentar os milhões de parasitas dependentes dos programas “sociais”, ou nos Estados e prefeituras pendurados ao governo federal. E se o petê ganhar? A vitória o obrigará a roer o osso, e impedirá que os aécios, chiquinhas ou arraizinhos tentem salvar da falência o negócio da “democracia”. Porque, meus amigos, o problema não é o petê ou o não-petê. O problema é a “democracia” de 1988. Enquanto esse regime permanecer, teremos, a cada virada eleitoral, novas teratologias políticas. Quem imagina que o petê é o pior possí- vel, não conhece a capacidade do eleitorado irresponsável de produzir aberrações ainda mais grotescas do que as que já temos aguentado. Se o petê ganhar, o sistema político brasileiro caminhará para situação sem saída institucional. Para entender o dilema do petê, voltemos à sua origem, na década de 1980. Quem eram os seus fundadores? Eram os mesmos que, anos antes, tinham tentado tomar o poder pela força. Seu projeto era destruir as Forças Armadas e a Polícia e, no mesmo processo, construir os seus exércitos revolucionários. Se a sua revolução vencesse, teriam todo o poder nas mãos. Não apenas o governo e as armas. Teriam tudo: fábricas, escritórios, propriedades rurais, escolas, bens móveis e imóveis, jornais, estações de rádio e tevê, tudo. Até as pessoas lhes pertenceriam, como acontece em Cuba. Com poderes absolutos, poderiam construir o socialismo, e moldar o País do jeito que bem entendessem. Mas perderam a guerra. Muitos foram para o exílio. Veio a Anistia. Voltaram, posando de heróis vencidos ou de vítimas. Então os políticos resolveram zerar o Brasil e começar de novo, com a constituição de 1988. E foi dentro dessa constituição, com o dinheiro de Cuba e as bênçãos da Igreja, que o petê ganhou, e os malogrados guerrilheiros e terroristas assumiram o mesmo governo que haviam pretendido destruir. Suas ideologias continuaram intactas, mas o caminho para a sua revolução se tornara mais complicado. As Forças Armadas e as organizações policiais continuavam lá. Os novos governantes ocupavam o Governo, dominavam parte do Poder, mas não dispunham da Força. Como governar o Brasil contra as Forças Armadas? Já publicamos, aqui no Inconfidência, vários artigos sobre esse intrigante dilema. Que fazer? Quem lhes ensinou a solução foram seus amigos neocomunas na Europa e nos Estados Unidos. A fórmula era mais ou menos a seguinte: “No começo, não mexam com os milicos. Assumam o poder, e cuidem do problema financeiro. Enquanto isso, sub-repticiamente, vão solapando as instituições, não por meio de confrontos, mas por baixo, pela base. Vocês já têm gente plantada em todos os setores necessários: mídia, educação, arte, cultura, todos os meios de expressão. Destruam o moral e a cultura cívica do povo brasileiro. Essa, meninos, é a lição número um.” Muito bem: e as Forças Armadas? E se não aceitarem esse esquema? Que fazer? Quem os protegeria delas? Resposta: “Calma, rapazes. Com a queda do Muro de Berlim, nós, a nova geração de políticos formados nas revoltas estudantis de 1968, tomamos conta da Europa e dos Estados Unidos. Com a Rússia fora do baralho, decidimos estabelecer nova hegemonia mundial, baseada no pretexto dos direitos humanos. Montamos tribunais internacionais e criamos forças multinacionais, cuja missão será intervir em qualquer país que, em nossa opinião, viole os tais direitos humanos. Ou seja, temos carta branca para intervir em seu socorro caso as Forças Armadas brasileiras tentem reagir. Contem conosco.” Foi com base nesse projeto que inventaram a constituição de 1988. Quando o petê assumiu em 2002, novo dilema. O esquema de proteção internacional à “democracia” havia sido negociado entre os comunas de gravata e seus protetores na Europa e nos Estados Unidos. Mas o petê não estava incluído porque já tinha seu próprio esquema, o do Foro de São Paulo. Como conciliar? Nem foi preciso. Os militares brasileiros, disciplinados, cuidavam de seus deveres, ignoravam provocações, engoliam sapos. O petê, para testar, cutucou-os várias vezes, mas os milicos não perderam a calma. Sentindo-se seguro, o petê fez o que fez nos anos seguintes. Não vou repetir a lista de bandalheiras e despautérios para não cansar o leitor. O petê se saiu bem porque teve a sorte de chegar ao poder no início dos anos de vacas gordas da economia mundial, quando a economia da China se acelerou e o preço dos * A. C. Portinari Greggio nossos produtos primários disparou. No começo, foi ótimo para o petê. Centenas de bilhões de dólares produzidos pela economia brasileira financiaram a farra. Se não fosse o petê, esse dinheiro poderia ter sido investido em infraestrutura. Mas o petê o desperdiçou. O tempo correu e a economia brasileira entrou em crise; e não é crise conjuntural, é esclerose estrutural. Não haverá recursos para ampliar, ou sequer manter, o esquema assistencialista. A festa acabou. Mas o pior (para o petê) é o que começa a acontecer nas ruas. Nos tumultos de junho de 2013, surgiram os primeiros sinais. Atrás dos manifestantes de extrema esquerda, dos blaquebloques e anarquistas, apareceram multidões a exigir a volta dos militares, o fim da corrupção, e o mais importante, o fim do império do crime nas cidades brasileiras. Antes que essa oposição crie força, o petê terá de acelerar a sua revolução comunista, sob pena de perder o trem. Como? Pergunta difícil. O tempo corre contra, e o petê, no açodamento, poderá provocar a tão temida ira dos milhões de brasileiros que trabalham, produzem, e pagam impostos. Infelizmente o petê, cego pela estupidez ideológica, jamais tentou aproximar-se das Forças Armadas. Ao contrário, afastou-as, e nesse processo fez que elas se tornassem mais coesas do que nunca. E o compromisso de ajuda militar internacional, assumido pela chamada “comunidade internacional” na década de 1980, já não existe. Sem costas-quentes lá fora e sem poder contar com as Forças Armadas para reprimir o povo, as únicas forças que restam ao petê são os bolsas-famílias, os blaquebloques e os militantes dos “movimentos sociais” controlados e financiados pelo petê. Se o petê perder o domínio das ruas, ficará em situação semelhante à dos muçulmanos radicais no Egito: sem escada, suspenso no ar, pendurado no pincel. Entenderam porque vou votar no petê? * Economista MEDALHA DO PACIFICADOR Decreto nº 4.207, de 23 de abril de 2002 CAPÍTULO IV DA CASSAÇÃO Art. 10. Perderá o direito ao uso da Medalha do Pacificador e será excluído da relação de agraciados: I - o condecorado nacional que: a) tenha perdido a nacionalidade ou a cidadania; b) tenha cometido atos contrários à dignidade e à honra militar, à moralidade da organização ou da sociedade civil, desde que apurados em sindicância ou inquérito; e c) sendo militar: 1. for condenado à pena de reforma prevista no Código Penal Militar, por sentença transitada em julgado; 2. se oficial, for declarado indigno do oficialato, por decisão do Superior Tribunal Militar; e 3. se praça, for licenciado ou excluído a bem da disciplina; II - o condecorado nacional ou estrangeiro que: a) tenha sido condenado pela justiça do Brasil, em qualquer foro, por sentença transitada em julgado, por crime contra a integridade e a soberania nacionais ou atentado contra o erário, as instituições e a sociedade brasileira; b) recusar ou devolver a condecoração ou insígnia que lhe haja sido conferida; e c) tenha praticado atos pessoais que invalidem as razões da concessão, a critério do Comandante do Exército. Parágrafo único. A cassação será feita ex officio, em ato do Comandante do Exército. Continuamos aguardando ansiosos o cumprimento deste decreto Até quando?
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 15 OS FRUTOS DE UMA VIDA SEM FÉ A cruzada do ateísmo militante contra a fé cristã não só abre caminho para falsificações da realidade, como também para o ressurgimento do paganismo Padre Paulo Ricardo O mundo relativista também tem seus dogmas. Torna-se cada vez mais comum nos dias de hoje a exclusão da fé cristã, como um pressuposto básico para o desencadeamento de uma ação social. O simples ato de crer é considerado um comportamento desumano, tendo-se a impressão de que a fé levaria o indivíduo a uma espécie de alienação de seus direitos, posto que a pessoa se perde em orações e rituais sem sentido. O homem, portanto, deveria ser privado da fé ou, ao menos, esclarecido sobre os males que advêm dela, sobretudo daquelas religiões que pregam a crença num Deus único e pessoal. A tentativa de eliminar-se a fé das pessoas foi uma constante nos últimos dois séculos. Sob o axioma marxista de que a religião seria o “ópio do povo”, inúmeros governos, mormente aqueles de índole gnóstica e ateia, subjugaram povos inteiros, acusando-os até mesmo de crime contra a pátria, simplesmente por aplicarem a máxima cristã do “dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Cf. Mt. 12,15-21). Foi assim que o governo maçom de Plutarco Elías Calles dizimou centenas de cristãos, no México, durante a chamada Guerra de Cristiada, na década de 20, com o pretexto de impedir o avanço de “crenças fundamentalistas”. De igual modo, nazistas e comunistas no leste europeu deram cabo de mais de 100 milhões de vidas, em apenas um século, montados nos auspícios do que Pio XI acertadamente chamou de “ideologia neopagã detestável” De fato, a loucura revolucionária, segundo os cálculos do professor R.J. Rummel, da Universidade do Havaí, levou à morte mais civis no século XX do Mao e Stalin - O comunismo e o ateísmo Embora seja um dado natural do ser humano, ter fé passou a ser considerado, em alguns ambientes, uma atitude imoral. Isso se deve principalmente às teses malucas de alguns paladinos do neoateísmo, como, por exemplo, Richard Dawkins. Todavia, os frutos do ateísmo ao longo dos séculos demonstram que ele está longe de ser tão racional quanto parece. que todas as guerras e catástrofes naturais do começo da civilização até hoje somadas. Eis o tamanho do crime: 262 milhões de mortos e contando. O montante de corpos contabilizados pelas sendas da revolução dá-nos a prova do quão equivocado está aquele professor universitário que, a fim de conquistar a turma e demonstrar ares de superioridade intelectual, precisa fazer troça da Igreja Católica e daqueles que ousam romper o dogma de que é necessário desertar de seu batismo para conquistar um diploma acadêmico. Ateísmo não é sinônimo de inteligência. Pelo contrário, trata-se de uma simples negação da realidade e, em última análise, das suas exigências. Com efeito, diz-nos Bento XVI: “somente quem reconhece Deus, conhece a realidade e pode corresponderlhe de modo adequado e realmente humano”. E essa afirmação se torna tanto mais verdadeira quando confrontada com os frutos do “século do nada” – para usar uma expressão de Gustavo Corção. Seja na ficção científica de Richard Dawkins – a nova coqueluche do neoateísmo –, seja nos diálogos de Nietszche – sobretudo no seu Stalin: responsável pelo expurgo e matanças de 2/3 dos membros “Assim falou Zaratusdos quadros de Lênin (à direita). Foto Arquivo de 1922 tra” –, o que se percebe paganismo. Quando não se crê em Deus, acaba-se crendo em tudo. “A superstição” – recorda-nos G.K. Chesterton – “ocorre em todas as épocas, e especialmente em épocas racionalistas”. E o resultado não podia ser outro, senão o que já foi visto em todos os períodos em que a humanidade foi deixada à mercê dos falsos deuses. O cristianismo, por sua vez, baseia-se em outra medida: Nosso Senhor Jesus Cristo. É Ele que vem a nós, é Ele o nosso fundamento. A partir disso, constituise grande verdade a afirmação do Papa Francisco, na última Mensagem para o dia mundial da paz: Uma verdadeira fraternidade entre os homens supõe e exige uma paternidade transcendente. A partir do reconhecimento desta paternidade, consolida-se a fraternidade entre os homens, ou seja, aquele fazer-se «próximo» para cuidar do outro. Quando se coloca Deus entre parêntesis, pretendendo-se assim dar prioridade aos bens materiais, econômicos e políticos, começa-se por incutir no coração do homem uma lógica gladiadora, na qual todos são nivelados à condição de objeto. É humano aquele que tiver mais poder. Disso nasce a famosa frase do ateu Jean-Paul Sartre: “o inferno são os outros”. O homem deixa de ser irmão para se converter em obstáculo. E uma tal lógica só poderia “terminar por caminhos equivocados e com receitas destruidoras.” Diz-nos o evangelho que uma árvore é reconhecida pelos seus frutos. Certamente, 262 milhões de mortos não são o que poderíamos chamar de “bons frutos”. no ateísmo militante é muito mais uma atitude de afetação e preconceito religioso do que de autêntica sabedoria. Certamente, os ateus que procuram acoimar os cristãos de ignorantes desconhecem a literatura de Chesterton, a profundidade filosófica de Edith Stein, os progressos científicos de Jerome Lejeune – o responsável pela descoberta da trissomia 21, comumente conhecida por Síndrome de Down –, a pesquisa histórica de Paul Johnson e Daniel-Rops ou, quem sabe ainda, a famosíssima mitologia de J.R.R. Tolkien. Não por acaso, C.S. Lewis, outro autor cristão de renome internacional, acabou deixando a bobagem agnóstica para trás justamente pelo exemplo do amigo criador d’O Senhor dos Anéis: Lewis achava difícil aceitar o fato de que seu novo amigo era um dos hoPor Equipe Christo Nihil Praeponere mens mais interessantes, intelectuais e inteligentes que ele jamais havia conhecido e ainda um cristão devoto - e católico, para começar. A cruzada ateísta contra a fé cristã não só abre caminho para a falsificação do conceito de realidade, O horror dos gulags: Sigla em russo de Diretório Geral de Campos, o como também para gulag abrangia o complexo de prisões e campos de trabalhos forçados a que eram condenados os opositores do regime comunista soviético. o ressurgimento do
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 16 FORÇA EXPEDICION "Conspira contra a sua própria grandeza, o PALESTRA DO GENERAL ROSENDO EM 25 DE FEVEREIRO I niciando o ciclo de palestras de 2014, idealizadas e coordenadas pelo Cel Carlos Claudio Miguez, editor do Jornal Inconfidência, teve lugar em 25 de fevereiro, às 19:30 h, no Círculo Militar de Belo Horizonte, a conferência “Força Expedicionária Brasileira 70 Anos”, destinada a homenagear o desembarque da FEB na Itália, proferida pelo General de Divisão Marcio Rosendo de Melo, Presidente da Associação Nacional dos Veteranos da FEB- ANVFEB/Casa da FEB e 2º VicePresidente do Clube Militar. Inicialmente foram destacadas as presenças das seguintes autoridades: General de Exército Valdesio Guilherme de Figueiredo; Generais de Divisão Amaury Sá Freire de Lima e Márcio Rosendo de Melo, nosso palestrante; Professor Raimundo Nonato Fernandes, representando o Instituto Histórico de Minas Gerais; Dr. Wolmar Olympio Nogueira Borges, Procurador do Estado de Minas Gerais; os cineastas Geraldo Elísio Machado Lopes e Denis Eustáquio Curi, que pretendem produzir um filme sobre a Tomada de Monte Castello; o historiador Coronel Adalberto Guimarães Menezes, representando o Presidente do Círculo Militar de Belo Horizonte, que gentilmente nos cedeu o Salão do Clube para a realização da palestra; Coronel Reynaldo De Biasi Silva Rocha, Presidente do Grupo Inconfidência, advogado Calil Jorge Sallum, representando a Grande Loja Maçônica de Minas Gerais; Grupo de Caça engenheiro Fernando Gonçalves Castelo Brancomo uma prova de respeito e veneração co, Presidente da Associação dos Oficiais da àqueles brasileiros que, em nome da honra e do Reserva de Belo Horizonte; Dr. Marcos Modever, tombaram nos campos da Itália. retzsohn Renault Coelho, Vice-Presidente da Procedeu-se à leitura do “Curriculum ANVFEB/BH; Sr. Pedrinho Alberto D’Avila, Vitae” do palestrante, General Rosendo, firepresentando o Presidente da Associação dos lho de Francisco Rosendo de Mello, Febiano Ex-Combatentes/Belo Horizonte e engenheiro e 3º Sargento do Regimento Sampaio (1º RI), Major Paulo Rubens Pereira Diniz, Vice-Presiintegrante da 1ª DIE. dente da Associação Beneficente dos Militares O fato de ser filho de um herói da FEB, das Forças Armadas e ainda, Cadetes da Acadeproporcionou-lhe maior autenticidade e entumia da Polícia Militar/MG. siasmo, na vibrante descrição dos fatos que O advogado Calil Jorge Sallum, Presicompuseram a palestra. dente do Conselho Fiscal e Assessor do GruIniciou citando a cronologia dos aconpo Inconfidência na área da advocacia, e tamtecimentos, nos quais sobressaem-se o inicio bém um conceituado tenor, cantou a Canção da guerra em 01 de setembro de 1939 com a do Expedicionário acompanhado pelo maesinvasão da Polônia pela Alemanha, o ato de tro Adilson Garcia, como um preito aos valodeclaração de guerra do Brasil em 22 de agosto rosos pracinhas que marcaram, de modo indede 1942, motivado pelo ataque de submarinos lével, a bravura do soldado brasileiro na Eualemães a 19 navios mercantes que resultou ropa, durante a 2ª Guerra Mundial, sendo ao no sacrifício de 740 vidas brasileiras, a criação final, aplaudido entusiasticamente. da FEB em 09 de agosto de 1943 e a rendição Fez uso da palavra o General Guilherme, final em 08 de maio de 1945. saudando o conferencista. Comentou o grande esforço para mobiNo salão, foram exlizar os 25 mil homens postos manequins pornecessários e a extrema Monte Castello tando fardas do Exército, dificuldade em reunir Marinha e Aeronáutica efetivos, que originausadas pelos combatenram-se de São Paulo, tes brasileiros na 2ª GranRio de Janeiro, Minas de Guerra. Gerais e Mato Grosso Em seguida, o Ve(em destaque, respectiterano Tenente Geraldo vamente, 6º RI, 1º RI, Campos Taitson, herói 11º RI e 9º BECmb), e Febiano, fez uma sintéque receberam adestratica preleção sobre a saga mente somente no Rio de da nossa tropa na Itália. Janeiro, sendo complementado na Itália, mas Logo após, o Dr. Marcos Moretzsohn frisou que o campo da Logística era quase comRenault Coelho, Vice-Presidente da ANVFEB/ pletamente desconhecido, exceto para alguns BH, pronunciou um breve relato do Grupo Hisoficiais que realizaram cursos nos EUA. tórico FEB e das atividades da ANVFEB/BH. Expôs o sistema de embarque para a Salienta-se que ele é um renomado pesquisador Itália por escalões, quase todo por navios, que da 2ª Guerra Mundial, sendo possuidor de um se iniciou em 02 de julho de 1944, com a significativo e valioso acervo de artigos e objetos chegada em 16 do mesmo mês, dia este escorelativos àquele conflito, e outrossim, um ardolhido para aniversário da ANVFEB: 1º Escaroso defensor e propagandista dos feitos da FEB, lão - 6º RI, 2º e 3º Escalões - 1º e 11º RI, 4º em âmbito nacional e internacional. Escalão - Depósito de Pessoal e 5º Escalão Na sequência, dirigiu-se à plateia o Cel Centro de Recompletamento. Miguez, editor do Jornal Inconfidência, anunciProjetou a foto de seu pai, 3º Sgt Rosendo ando a próxima palestra e outras do seu diário, tecendo considerações. referente a 31 de Março de Exibiu um esplêndido áudio, denominado 1964, da qual ainda não estão definidas data e local, e informando que à entrada do Salão, encontravam-se edições do Jornal Inconfidência para serem distribuídas e o livro "Médici" e a Revista Manchete - Edição Histórica, relativa àquele Movimento, para venda. Em prosseguimento, foi executado o toque de “Silêncio” pelo Suboficial Salvador Carvalho, O Toque de Silêncio “Crônica da Guerra na Itália”, de autoria de Rubem Braga. Apresentou alguns dados importantes na Campanha da FEB: que a Engenharia foi a primeira tropa a combater em 09 de setembro de 1944, que o primeiro tiro foi dispa3º Sgt Rosendo rado em 16 de setembro de 1944 pelo 21º GAC, e que a Infantaria atuou em 16 de setembro de 1944 no Vale do Serchio, através de Camaiore, Barga e Galicano. Atingiu o palestrante um dos temas mais desejados por todos: a tomada de Monte Castello. Esclareceu que as tentativas de conquista deramse em três ocasiões: 27 e 29 de novembro e 12 dezembro de 1944, sem obter sucesso, mas revelando heróis, marcando a liderança de nossos oficiais e gerando o recompletamento de pessoal e a intensificação das instruções de patrulhas e de minas e armadilhas. Finalmente, ocorrem os preparativos para nova ofensiva, prevendo o ataque da 1ª DIE como um todo com o apoio de nossa Artilharia e do Esquadrão de Ligação e Observação (ELO), além da participação americana com sua 10ª Divisão de Montanha, especializada no combate em elevações. Chega o grande dia - 21 de fevereiro de 1945- o da tomada de Monte Castello, com os Batalhões Uzeda, Franklin e Sizeno Sarmento como peças de manobra e a Artilharia sob o comando do General Cordeiro de Farias - iniciado o ataque às 05:30 h, às 17:50 horas a tropa alcança o topo da montanha e atinge seu objetivo principal: Castello em mãos brasileiras! Prosseguiu o General Rosendo, narrando mais uma das glórias da FEB - o combate de Montese. Realçou que a motivação elevada adveio do sucesso em Monte Castello, La Serra, Castelnuovo e Soprassasso, e que toda a Artilharia Febiana apoiou o ataque, sentindo-se a ausência do apoio aérea. Colocou em relevo que Montese foi o palco da mais árdua e sangrenta vitória das armas brasileiras na Itália. Chega o conferencista ao clímax das vitórias da FEB - a rendição da 148º Divisão Alemã. Narrou que após Montese, a 1ª DIE, com a Infantaria embarcada em caminhões da Artilharia, atingiu a margem oriental do Panaro e marchou rapidamente para o norte, capturando os vales de Zoca e Vignoli e entrando em clima de aproveitamento de êxito e perseguição - é o avanço para cercar os alemães. Em 26 de abril de 1945, nosso Esquadrão de Reconhecimento encontra inimigos
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 17 NÁRIA BRASILEIRA o povo que não cultua seus feitos heróicos." em Colecchio; em 28 deste, o 6º RI Crittenberger, Comandante do (vanguarda da FEB) entra em luta IV Corpo de Exército dos EUA: contra a 148ª Divisão Alemã e des“Combatestes brava e valentetroços da Divisão Bersaglieri e remente e contribuístes substancimanescentes da Panzer Granadier. almente para a conquista da Os brasileiros fazem o ataque final vitória das Nações Unidas. em Fornovo Di Taro e a vitória nos Podeis estar orgulhosos, com sorri - 15 mil prisioneiros- é o coa certeza de terdes cumprido roamento da Campanha da FEB! integralmente a missão para a - Como dados finais de exqual o povo brasileiro vos enpressão da saga Febiana: prisioneiviou para solo estrangeiro" e ros inimigos- 20.573; aprisionados Marechal Mascarenhas de da FEB:35; feridos em ação- 1.577; Moraes, Comandante da 1ª DiO Veterano Ten Taitson feridos em acidentes - 1.145 e morvisão de Infantaria Divisionátos no campo de guerra- 457. ria: "Eu os levei para o saAborda então, a participacrifício; cabia-me, então, ção do 1º Grupo de Caça, repretrazê-los de volta à Pátria”. sentando a Força Aérea Brasileira Como encerramento, nos combates da Itália. Revela apresentou mensagem do que seu comando coube ao Ten General de Exército Renato Cel Av Nero Moura, tendo sido Cesar Tibau da Costa, Precriado em dezembro de 1943 e sidente do Clube Militar, da desembarcado em Nápoles em qual extraímos as seguintes 06 de outubro de 1944. Contanfrases: "Naqueles dias da do com 458 elementos, sendo 2ª Guerra Mundial, o ini48 oficiais aviadores, teve 8 migo era o Nazifascismo. pilotos mortos e 16 aeronaves Mais tarde, foi o Comunisabatidas. Por sua grandeza e mo, outro inimigo da Deeficiência na atuação bélica, remocracia, que só não concebeu uma honrosa citação do quistou o poder pela reação A rendição alemã Congresso dos EUA. desassombrada dos brasileiEnfeixou a participação da ros, principalmente de seus FEB informando que em 02 de militares. Esse é o regime que maio de 1945 renderam-se as alguns maus brasileiros aintropas inimigas na Itália e os da sonham em nos impor, brasileiros cumpriram ainda falseando a verdade histórimissões de neutralização de reca e criando tribunais de exsistências isoladas e manutenceção e de meia-verdade, acução da ordem. Em junho de 1945, sando os militares que os dera tropa deslocou-se para uma rotaram em 64 e nas demais área próxima a Nápoles e permatentativas de tomada do poneceu aguardando embarque pader e apresentando-se como ra o Brasil, realizado entre 06 defensores da democracia”. julho e 19 de setembro 1945, Ao seu final, o auditóem 5 escalões de embarque. rio aplaudiu de pé a magníFrisou, de modo comfica palestra. plementar que a ANVFEB, com Após a conferência, sede na Rua das Marrecas, nº o General Amaury Sá 35- Lapa - Rio de Janeiro, tem Freire de Lima e o Dr as seguintes finalidades esMarcos Renault oferecetatutárias: cultuar a memória ram ao General Rosendo, da FEB, reverenciar nossos respectivamente, uma coheróis, comemorar as datas de letânea de Jornais Inconfinossos maiores feito na Itália, dência/2013 e a Revista proporcionar assistência sociManchete / Edição Hisal aos veteranos da FEB, reatórica de 31 de Março de lizar palestras aos visitantes 1964 (fotos ao lado). do Museu e fornecer publicações a unidades Foi uma noite de grande brilho e vibraeducacionais interessadas. ção. Que o exemplo dos pracinhas da FEB Como conclusão, projetou mensagens de sirva de inspiração para nossos atuais guerreifinal de campanha, expedidas por chefes militaros de Caxias, no repúdio àqueles que querem res e que nos trazem orgulho e emoção: General comunizar o Brasil! NR: Esta palestra merecia e deveria ser apresentada nas escolas de formação das Forças Armadas, nos Colégios Militares, CPOR/NPOR e em Faculdades. Lamentamos a ausência de qualquer militar da Ativa, do Exército e da Força Aérea, que ali deveria estar para conhecer melhor a História Militar e do Brasil. Terão recebido ordens superiores para não comparecer? MAJOR APOLLO MIGUEL REZK O mais condecorado combatente da Força Expedicionária Brasileira, oriundo do CPOR/RJ A 21 de fevereiro, foi realizada no Campo de Parada e Estádio Brigadeiro Sampaio, em frente ao Comando da 1ª DE, na Vila Militar, no Rio de Janeiro, a cerimônia comemorativa dos 69 anos da Tomada de Monte Castello em 21 de fevereiro de 1944, presidida pelo General de Exército FranO General Rosendo recebendo os Pracinhas remanescentes cisco Carlos MODESadestramento da tropa da FEB que embarTO, Comandante Militar do Leste. cou há 70 anos para a Itália, aos 16 de junho Dos 25 mil soldados que embarcaram de 1944. para Itália, poucos ainda estão ente nós, e Estava presente a Sra. Nádia Rezk, apenas 4 puderam comparecer, para recordar esta página gloriosa da História do filha do Major Apollo Miguel Rezk, e antigos alunos do CPOR/RJ, onde se formou o Brasil, os veteranos do Regimento Sampaio, Major Apollo. conquistador de Monte Castello, pracinhas Na ocasião, o Tenente R/2 Art Luiz José Cândido da Silva, Juventino da Silva e Mergulhão lançou seu livro sobre o saudoClaudio Soares da Silva - este último vindo especialmente de Santo André – SP, e o Ten so Major Apollo, herói esquecido por alDalvaro José de Oliveira, que integrou a guns, mas que será sempre lembrado como alguém que também cursou o CPOR no Bateria Comando da AD/1. histórico quartel de São Cristóvao, onde até Antes da formatura, o General de Divisão José Alberto da Costa Abreu, Coman- 1967 se formava a Reserva Atenta e Forte, dante da 1ª Divisão de Exército, Divisão de lá saindo para cumprir o seu dever nas Mascarenhas de Moraes, inaugurou o Mi- fileiras da FEB, enfrentando o nazi-fascismo nas montanhas geladas da Itália, o farante Major Apollo Miguel Rezk em homezendo de forma heróica e gloriosa, como nagem ao mais condecorado combatente da Força Expedicionária Brasileira, oficial bem descrito na empolgante obra MAJOR APOLLO, O HERÓI ESQUECIDO, relevanoriundo do CPOR/RJ, no cume da elevação denominada Monte Alegre, no Campo de te contribuição para a História Militar Brasileira, cuja máxima divulgação deve ser Instrução de Gericinó, onde se realizou o estimulada sobretudo nos meios de comunicação e na Academia, trazendo para a sociedade uma visão do soldado-cidadão que soube deixar um exemplo para o Brasil, tão importante principalmente nos dias atuais. Os Generais Nolasco (GUEs) e Faillace (AD/1), senhora Nádia Rezk (filha do Major Apollo), o General Abreu (1ª RM) e esposa, Generais Rosendo (Casa da FEB) e Fernandes (EsSAO) Texto e Fotos Prof Israel Blajberg Assessoria de Com Social – Casa da FEB
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 ASSINATURAS 3ª Parte Assuntos Gerais e Administrativos JORNAL INCONFIDÊNCIA Assinatura anual A. VIA POSTAL - Recortar (ou xerocar) e preencher o cupom abaixo, anexando cheque bancário nominal e cruzado ou cheque dos correios, no valor de R$ 130,00, em favor do Jornal Inconfidência e remetê-los para para Rua Xingu, 497 - Alto Santa Lúcia – CEP 30360-690 – Belo Horizonte – MG - Não enviar dinheiro. B. VIA BANCÁRIA - Depositar ou transferir para o Banco do Brasil o valor de R$ 130,00 – agência 2655-7 - c/c 28172-7 e por e-mail, enviar o quadro preenchido e o comprovante do pagamento para jornal@jornalinconfidencia.com.br, ou telefax (31) 3344-1500, ou ainda o cupom citado e o xerox do pagamento para Rua Xingu, 497 - Alto Santa Lúcia - CEP 30360-690 - Belo Horizonte - MG. C. Valores superiores serão muito bem recebidos. D. Informações - e-mail: jornal@jornalinconfidencia.com.br. E. Renovação da Assinatura – a cargo do interessado (idem providências acima). ATENÇÃO: Verifique no canto inferior direito da etiqueta de endereçamento postal, o mês/ano do vencimento. E RENOVE!!! PROFISSÃO/POSTO/ GRADUAÇÃO: NOME COMPLETO: 18 RECEBIDAS Recebemos as assinaturas e contribuições abaixo, no período de 01 a 28 de fevereiro/2014 pelas quais agradecemos. Capitão Adão Francisco do Prado - Pouso Alegre/MG, Cel Adherbal Junior Vicentini Jotta - Brasília/DF, Gen Div Agenor Francisco Homem de Carvalho Rio de Janeiro/RJ, Sgt Aloisio Magalhães - Belo Horizonte/MG, Cel Aluisio Madruga de Moura e Souza - Sobradinho/DF, Cel Antonio Augusto Brasil Carús - Uruguaiana/RS, Func. Público Antonio Carlos M de Brito Pereira - Rio de Janeiro/RJ, Cel Antonio Valdir Brum - Santa Maria/RS, Cap Armando Diniz da Costa - Porto Alegre/RS, Desembargador Benedito de Freitas - Belo Horizonte/ MG, Juiz Décio de Carvalho Mitre - Belo Horizonte/MG, Engº Eduardo Guerra de Assis Fonseca - Belo Horizonte/MG, Cel Edvaldo Bezerra Fialho - Brasília/DF, Auditor Eufrazio Silveira - Curitiba/PR, Cel Fernando Onézimo Guimarães - Belo Horizonte/MG, Francisco da Cunha Neto - São Paulo/SP, Desembargador Isalino Romualdo da Silva Lisboa - Belo Horizonte/MG, Cap Izaque da Silva Garcia - Resende/RJ, Aposentado João Alfredo Castelo Branco - São Paulo/SP, Cel João Severo da Rocha Brasil - Santa Maria/RS, Cel Jorge da Rocha Santos Petrópolis/RJ, Cel Jorge Martins Falcão - Rio de Janeiro/RJ, Maj Aer José Benedito da Rocha Santos - Rio de Janeiro/RJ, Cap José Conceição Silveira - Curitiba/PR, SO FAB José de Ávila - Uberlandia/MG, Cap Júlio Alvim de Moura - Santa Maria/RS, Cap Laureci Henrique Sotello Lara - Porto Alegre/RS, Econ Malto Campos - Juiz de Fora/ MG, Malvino Reis - São Paulo/SP, Econ Marco Herodiano Siqueira da Cunha - Belo Horizonte/MG, Sgt FAB Nilton Mendes de Lima - Betim/MG, Cel Av Renato Paiva Lamounier - Rio de Janeiro/RJ, Analista Ricardo Alexandre Trombetta Valinhos/SP, Magistrado Roberto Ladeira - Belo Horizonte/MG, Cap Valdenor Matias Ribeiro de Souza - Natal/RN e uma Civil. ENDEREÇO: CONTRIBUIÇÕES ESPONTÂNEAS BAIRRO: CEP: CIDADE: Econ Antônio Carlos Portinari Greggio, Cap Armando Diniz da Costa, Desembargador Benedito de Freitas, Juiz Décio de Carvalho Mitre, Cap Laureci Henrique Sotello Lara, Cel Av Renato Paiva Lamounier, Analista Ricardo Alexandre Trombetta UF: E-MAIL: TEL: Autorizo a publicação do meu nome SIM NÃO Edições Históricas da Revolução de 1964 MANCHETE Edição Histórica / 1964 O CRUZEIRO EXTRA Ao fazer ou renovar a sua assinatura, se desejar receber via postal, um exemplar destas revistas, envie mais R$ 20,00, por cada uma delas. Estas revistas podem serem encontradas nos seguintes locais: 1 - Banca de Jornais na Av. Olegário Maciel, 1741, em frente ao Hotel Platinum, em Belo Horizonte/MG 2 - Martins Livreiro - Rua Riachuelo, 1291 Centro - Porto Alegre/RS - 3 - jornal@jornalinconfidencia.com.br 4 - Livraria Mundo do Livro - Galeria Barcelona - Uruguaiana/RS Visite o Museu da FEB Aberto ao público de 2ª a 6ª feira de 13:00 / 17:00 h. Sábado / Domingo de 10:00 / 13:00 h. Belo Horizonte - Av. Francisco Sales, 199 - Floresta Agendamos visitas e palestras somente no Museu. Tel. (31) 3224-9891 Valor do ingresso: R$ 4,00/R$ 2,00 (por pessoa) www.anvfeb.com.br Juiz de Fora - Rua Hoyan, 40 - Centro São João Del Rei - Área do Círculo Militar - Centro PRESTIGIE NOSSOS VETERANOS COM A SUA VISITA Av. Raja Gabáglia, nº 4.000 Conj. 415 - Bairro Estoril Cep: 30494-310 - Belo Horizonte/MG Telefone (PABX): 31 2516-6380 À DISPOSIÇÃO DE NOSSOS LEITORES DEPÓSITOS NÃO IDENTIFICADOS OU SEM ENDEREÇO Data 29/01/13 30/01 15/02 18/02 18/03 03/06 10/07 12/07 18/07 20/08 11/11 02/12 05/12 12/12 17/12 08/01/14 29/01 13/02 21/02 Nº Doc. Banco Brasil 155015 500017 800117 500071 188554 700277 805908 042742 048416 343235 926185 072193 300551 025426 332880 898426 625813 021107 900109 Valor R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ 100,00 100,00 100,00 200,00 100,00 120,00 110,00 100,00 120,00 100,00 130,00 130,00 130,00 130,00 130,00 130,00 130,00 130,00 130,00 Local do Depósito/Identificação Carlos Rocha T. - BH/MG Recife / PE Júlio de Castilhos/RS Rio de Janeiro / Ag. Catete Belo Horizonte/MG Belo Horizonte/MG São Paulo/Ag. Líb. Badaró Paulo Carvalho/Três Corações Jefferson Rodrigues / Recife Itaguaí/RJ Belo Horizonte/MG Belo Horizonte/MG Fortaleza/CE José Conceição / Curitiba/PR Belo Horizonte/MG Rio de Janeiro Maria Clevi E ainda: José Alberto S. , Anael Cesário, José H. P Morais . e mais 7 não identificados em 2012 Não basta elogiar! É preciso colaborar! Assine este jornal.
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 19 A VENEZUELA CLAMA NO DESERTO FOGO AMIGO *Graça Salgueiro É Desde o dia 12 de fevereiro os estudantes venezuelanos estão nas ruas de todo o país protestando por mais segurança, pela deposição do ilegítimo e usurpador presidente Nicolas Maduro mas, sobretudo, pela expulsão das hordas cubanas que invadiram a Venezuela sob o comando do falecido Hugo Chávez e agora fortalecidos por Maduro. necessário, antes de tudo, que se faça uma distinção na para manter o poder de Maduro a qualquer preço, sua entre os manifestantes e protestos na Venezuela e os galinha dos ovos de ouro. E tanto é assim, apesar da deque saíram às ruas no Brasil. Lá, os estudantes comsinformação plantada na mídia de que os Castro estariam provadamente estudam nas universidades e sofrem com a “abandonando Maduro”, que há poucos dias desembarcou violência dentro dos campus, onde bandos armados invauma tropa de elite da polícia cubana, intitulada “Avispas dem o recinto para roubar, agredir e provocar desordens. Negras”, com a missão de se infiltrar com baixo perfil nas Outro fator determinante dessas manifestações que só manifestações e, espalhados, assassinar os manifestantes. pretendem acabar quando os objetivos forem alcançados, Por outro lado, dentro dos quartéis o descontentaé que participam junto aos estudantes, professores, promento dos militares de todos os níveis hierárquicos contra fissionais liberais, empresários, comerciantes, polítia invasão cubana é patente. Ontem (25.02) foi publicado um cos, jornalistas, gente do povo, sem distinção de classe comunicado oficial de 15 páginas que reúne a opinião de 590 social, credo ou idade. O mais marcante oficiais, além de 1.500 membros dessa resistência, e que contrasta flada GN. Nesse comunicado, que grantemente com o que se vê no Brafoi enviado ao Diário Las Amérisil, é que não há depredação do pacas, eles dizem entre outras coitrimônio público ou privado e os masas: “Povo da Venezuela, estamos nifestantes não possuem qualquer com vocês, pedimos perdão pelos tipo de arma. Suas armas são a bandeimaltratos recebidos pela Guarda ra nacional, cartazes e sua voz. Nacional e policiais, nós também Também há uma unidade no queremos um país melhor”. De movimento que não possui cor ideoacordo com a fonte que forneceu o lógica, pois todos sofrem com os documento, a declaração repremesmos problemas de desemprego, senta o desagravo de 80% das criminalidade, desabastecimento das Forças Armadas. coisas mais básicas à sobrevivência, e Enquanto isso, a presidena falta de liberdade, em todos os níte brasileira disse que o Brasil veis. A imprensa foi silenciada reti“não interfere nos assuntos interrando-se os sinais de transmissão de nos de outros países”, mas acatou estações de televisão, nacional e esas notas de apoio ao governo trangeira, sites foram tirados da ingolpista de Maduro através do ternet, rádios silenciadas e os jornais Foro de São Paulo e seus braços Funcionários da estatal PDVSA não conseguem comprar papel para UNASUL, MERCOSUL e CEinformam sua situação dentro da crise. imprimir seus periódicos. LAC. A OEA, por sua vez, lava Eles também são vítimas. Até o dia 25 de fevereiro o as mãos como Pilatos enquanto saldo de mortos já alcançava 15 pessoas, 12 das quais os venezuelanos clamam desesperadamente que o Sebaleadas na cabeça pela Guarda Nacional (GN), pelos cretário Geral, José Miguel Insulza, faça valer a Carta “coletivos” chavistas ou pelo SEBIN, o serviço de inforDemocrática Interamericana que exige, dentre outras mações do governo que na verdade é sua polícia política. O coisas, o respeito às liberdades individuais, a democragoverno tem a desfaçatez de negar, malgrado os vídeos que cia, a liberdade de expressão e o respeito aos direitos e circulam pela internet e redes sociais. dignidade da pessoa humana. Em cadeia nacional Maduro acusa opositores de A congressista republicana cubano-americana Ileana serem os causadores dessas mortes e o priRos Lehtinen exigiu do presidente meiro preso-político foi Leopoldo López, Obama que imponha restrições ao goque vem sendo rotulado de “nazi-fascista de verno da Venezuela, tais como a dimiextrema-direita” pelo governo. No sábado 22 nuição da compra de petróleo e a expulgente da Guarda Nacional, repleta de cubasão dos diplomatas creditados nos Esnos, deslocou-se à residência do General do tados Unidos, uma vez que Maduro fez Exército (reserva) Ángel Vivas para prendêisto não só com 3 diplomatas, como a lo por “incitação ao crime”, depois dele ter expulsão e vexames sofridos pela jornapublicado em redes sociais orientação à resislista da CNN em Espanhol, Patricia tência sobre auto-defesa. Não tinham manJaniot, que foi detida no Aeroporto de dado judicial e o general resistiu postando-se Maiquetía e até seus sapatos tiveram os no telhado de sua casa, armado com uma saltos cortados para “ver se havia droga metralhadora, sendo defendido também pela escondida”. população que expulsou a GN do local. O Enfim, a Venezuela grita por soGeneral Antonio Rivera também do Exército corro, luta por sua liberdade e o fim do (reserva) tem ordem de captura e deixou o jugo castro-comunista a que está suborpaís pois foi ameaçado de morte, porque, do A bravura de um soldado que dinada, e os países que vivem em demomesmo modo que Vivas, denunciou publicacracia fecham os olhos e viram para o honra o juramento feito de mente a ingerência cubana dentro da Força outro lado como se não tivessem nada a “defender a Pátria com o Armada Nacional. ver com isso, enquanto continuam revesacrifício da própria vida" A crise parece insustentável pois, por renciando os assassinos ditadores Casuma lado a resistência arrisca diariamente sua vida - desartro. Que o Brasil fique alerta porque, com a entrada mada - contra um repressão cada vez mais sofisticada, oficialmente de 13.000 cubanos no país, o destino nos considerando a presença de cubanos enviados desde Havareserva igual sorte que a da Venezuela. * É jornalista independente, estudiosa do Foro de São Paulo e do regime castro-comunista e de seus avanços na América Latina, especialmente em Cuba, Venezuela, Argentina e Brasil. É articulista, revisora e tradutora do Mídia Sem Máscara e proprietária do blog Notalatina. Tome aqui a sua máscara e o seu foguete. Se fizer um bom trabalho, volte para receber R$150,00. O “bom trabalho” seria infiltrar-se, desde junho de 2013, entre milhões de jovens indignados com a roubalheira. Fingindo ser um deles, a * Hamilton Bonat missão seria apenas cuspir na polícia, lançar contra ela pedras e foguetes, e claro, contar com a boa-vontade da imprensa, que registraria apenas a reação policial, nunca a sua causa. - Invada palácios, câmaras de deputados e vereadores. Quem tentar lhe impedir será tratado como antidemocrático. Aponte sempre na direção dos policiais. Se um morrer, tudo bem. Missão cumprida! Policial não tem pai nem mãe, muito menos esposa e filhos. Mande brasa! Mal sabia, aquele que estava recebendo tais instruções, que era ele o principal alvo. Qualquer mascarado morto seria um troféu, o cadáver perfeito, ao custo de reles R$ 150,00, migalha, se comparada aos milhões que os partidos recebem anualmente do tal fundo partidário, logicamente pago pelo contribuinte. O que a imprensa realmente buscava, desde junho de 2013, era o cadáver de um black bloc. Seria o grande furo: o “presunto” de um manifestante, como todos, carinhosamente (ou seria covardemente?), os tratavam. Mas o destino (eita destino!), acabaria transformando o caçador em caça. A vítima fatal seria um repórter, não um policial, muito menos o preferido de todos: um black bloc. Assim que foram ao ar as Foto: Internet primeiras imagens de Santiago Andrade sendo atingido, a rede Globo apressou-se em culpar a PM. Mais do que injusta, a notícia revelava de que lado a emissora estava naquela luta entre baderneiros e sociedade. Enquanto os primeiros (os black blocs) representavam a democracia, a liberdade e a inocência juvenil, os segundos (a polícia) tinham sabor de truculência, de despreparo e de tirania. As ações criminosas e antidemocráticas, como bloqueio de ruas e avenidas, depredações e saques de lojas comerciais (grandes e pequenas), de agências bancárias e de bens públicos, ataques com pedras, barras de ferro, foguetes e coquetéis molotov, sempre foram tratadas com muita benevolência. Confesso ter sido a primeira vez que vi William Bonner gaguejar e tropeçar nas palavras. Era preciso justificar o injustificável: que o assassino não tinha sido da PM, mas sim daqueles tratados quase como beatos, manifestantes ou ativistas, jamais como baderneiros e terroristas. Representantes da imprensa apressaram-se em acorrer ao Ministro da Justiça, o mesmo que recebera, seis meses antes, proposta do Secretário de Segurança do Rio no sentido de que a Lei fosse mais rígida com os vândalos que estavam infernizando a vida dos cidadãos das nossas duas maiores cidades. Mas, como aqueles Estados não são (ainda) governados pelo partido que comanda o país, por acaso o mesmo do senhor ministro, a proposta simplesmente foi engavetada. Em suma, ao que parece, os líderes da imprensa pediram para a raposa cuidar dos ovos. Ou, em termos militares, confiaram demasiadamente no “fogo amigo”. Creio ter sido bem ele, o fogo amigo do senhor ministro, que sonhava com a morte de um black bloc, que, infelizmente, acabou deixando viúva a esposa do cinegrafista Santiago Andrade. * General de Brigada -Academia de Letras José de Alencar http://www.bonat.com.br
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 JOSE FONTES Rio Grande/RS Veteranos e ingratidão Na Europa e nos Estados Unidos, o dia 11 de novembro serviu para reverenciar os mortos nas duas grandes guerras mundiais do século XX, entre 1914/1918 e 1940/1945. Que eu sabia, nenhuma autoridade sequer colocou uma coroa de flores no Monumento ao Expedicionário, na Redenção, em homenagem aos que morreram em nome do Brasil lutando contra o nazi-fascismo. Os militares de agora estão mais do que encolhidos, qualquer coisa que façam e logo são chamados de filhos da ditadura e acusados de quererem a volta ao passado. Quanta ingratidão, esse pessoal da ativa hoje na maioria, sequer era nascido em 1964. Os que morreram na Itália, soldados e aviadores, e marinheiros nas costas do Brasil, em navios torpedeados pelos alemães, foram esquecidos. Ingratidão total! DÉLIO FRITZEN Novo Hamburgo/RS Jango Li, no Jornal do Comércio, aquilo que eu desconfiava há muito: a exumação do corpo do ex-presidente João Goulart virou palanque para a ministra Maria do Rosário. Para tanto, até a viúva, de quem ouvi várias vezes a declaração de que Jango morreu de problemas cardíacos – de que sofria há anos – ao seu lado, em casa, disse que, agora, tem dúvidas sobre um possível envenenamento. É uma pantomina. Jango era um homem do campo, calmo, não tinha mais ambições, estava recolhido e teve dois enfartes antes de morrer. Teria sido veneno também? E para que trazer perito de Cuba? Ah, ele ajudou na exumação de Che Guevara, algo publicamente admitido pelo governo da Bolívia, foi morto à bala e seu corpo sem vida foi fotografado. É muita encenação agora com o Jango, do qual eu era fã, mesmo sendo apenas um adolescente na época. Mas não dá para inventar histórias. LUIZ BAUMGARTTEN Rio de Janeiro/RJ Os Red e os Black Blocs Deixa ver se eu entendo este nosso país do caos. Quer dizer que os black blocs, que fazem desordem e violência, estão sendo investigados por receberem dinheiro para manter a violência e são tratados como terroristas, enquanto os red blocs, conhecidos como MST, mesmo depois de ferirem 40 policiais que tentavam impedir a invasão do Congresso e do STF, foram recebidos com júbilo pela presidente da República, que no dia anterior criticou a violência dos black blocs? É só um problema da cor dos blocs ou os donos do país é que definem quem é companheiro ou inimigo? CLAUDIO MAZETTO Saltos/SP Parceria de primeira ordemNum país onde a saúde e a segurança, sem contar outras áreas, estão um caos e estradas e portos não poderiam estar pior, cabe perguntar: por que desviar tanto dinheiro para Cuba e outros países sob regime de ditadura, sem certeza de retorno? Quando a Presidência alega rombo em seu caixa e vários Estados sofrem perenes calamidades sem que haja benesse alguma do governo federal, e mesmo quando produtores não conseguem um centavo de financiamento ou remissão de dívidas quando perdem suas lavouras, é um acinte como se joga dinheiro fora. Que dívida moral nossos governantes (diga-se os que pregavam a democracia) têm com Cuba e África? Quando milhões de CAIXA POSTAL CEL RODOLPHO HEGGENDORN DONNER Rio de Janeiro/RJ Radicalismo que mata Tinha que acontecer. Foi uma morte programada desde o início das manifestações populares. Pegou de surpresa, e pelas costas, um inocente, o cinegrafista da TV Bandeirantes, quando cumpria valioso trabalho jornalístico. Resultado já esperado, vendo-se bombas, foguetes e coquetéis molotov empregados por jovens em confronto com a polícia, demonstrando evidentes imperícia, imprudência e negligência, perigosamente ignoradas por parte de quem não tem o mínimo prepara no trato com armas e explosivos. Motivação própria ou trabalho político encomendado, não importa. Certamente revoltante é que essa banda podre de inconsequentes e seus mentores irresponsáveis atuem em manifestações que deveriam ser pacíficas, de legítimo desagrado popular. A sociedade exige das polícias não apenas a repressão para tais atos de banditismo, mas, principalmente, a identificação de quem promove tais agressões a pessoas e a patrimônios para fins políticos. (11/02) sem teto clamam por moradia, e esse dinheiro daria para construir milhares de casas populares (sem desvios ou corrupção), o governo solta pelo ralo milhões de dólares. Muitos são condenados por crimes contra a humanidade, no entanto esse descaso de nosso governo se assemelha a isso quando se considera que pobres apodrecem nas filas de hospitais. (30/01) cmazetto@ig.com.br PROFª. MARA MONTEZUMA ASSAF São Paulo/SP Dilma e Padilha acertaram com os irmãos Castro uma maneira de explorar trabalho escravo travestido de serviços médicos executados por uma legião de profissionais cubanos (que não passaram pelo exame de Revalida por um favor especial de Dilma Rousseff) servindo principalmente a população de baixa renda brasileira. Exploração de mão de obra escrava sim, pois a médica cubana Ramona Rodrígues que trabalhava no programa mais Médicos revoltou-se ao saber que , ao contrário dela, profissionais de outras nacionalidades, como argentinos e bolivianos, recebiam R$ 10 mil reais de salário, contra seus R$ 900, dos quais R$ 600 ainda ficavam retidos numa “poupança” em seu nome, em Cuba. A prefeitura da cidade onde ela trabalhava lhe pagava mais um tanto, pela hospedagem e pela comida...salário indígno para uma médica que trabalha há 27 anos na profissão. O governo brasileiro alega ter fechado acordo com o governo cubano de pagar R$ 10.000 para cada médico que aqui viesse trabalhar, mas agora estamos sabendo que é este valor POR MÉDICO...só não sabemos se este dinheiro vai para os Castro, ou para o caixa 2 do PT! Explique isso, Padilha! Atenção: os atletas cubanos que durante os jogos Panamericanos fugiram de sua delegação esportiva no Rio de janeiro para pedir asilo no Brasil acabaram sendo enfiados num avião na calada da noite e mandados de volta à Cuba, onde foram devidamente penalizados pelo regime. Que tal não aconteça com esta senhora, que ainda por cima tem uma filha em Cuba que pode sofrer represália pelo ato corajoso de sua mãe! montezuma.fassa@uol.com.br GEN DIV ROBERTO DOS SANTOS MACIEL Salvador/BA Melhoras! Perguntei-lhe outro dia, para uma modesta palestra que aperfeiçoo, qual o melhor livro sobre a Revolução. Pois achei! O Exército na História do Brasil, coordenação geral do Macedão, a quem rendo uma homenagem respeitosa (a vaidade produtiva é positiva). Redação final - com redenção, afinal - do Olavo de Carvalho. Três volumes, sendo o último sobre a República, além de um conjunto de esboços e cartas primorosos. Tudo em luxuosa encadernação bancada pela Odebrecht. Edição limitada, fora da coleção Gen Benício, não foi distribuída pela BibliEx. Até onde sei, toda OM possui um conjunto. Na República, dezesseis páginas sobre Antecedentes e oito sobre a Revolução e seus dias iniciais. Justamente o que eu precisava. Se alguém ou alguma entidade resolvesse bancar este volume, seria dez: Poupex? Clube Militar? Odebrecht? Inconfidência? A própria BibliEx? É só história, sóbria, sem radicalismos! Direitos autorais e autorizações para publicação precisariam ser negociados, mas penso que pode ser escaneado e ir para a internet. Remeto cópia oculta desta mensagem para alguns amigos, que, penso, podem mais que eu e se não podem, podemos juntos muito mais. (16/02) CEL SÉRGIO GONÇALVES LANDEIRO Rio de Janeiro/RJ A entrevista de Bruno Daniel foi exibida há 2 anos. É incrível o “silêncio” que se faz sobre esse assassinato. Parece um conto escrito por Agatha Christie no qual já morreram 6 ou 7 pessoas envolvidas direta ou indiretamente no crime. Uma dessas vítimas foi citada pelo Tuma Jr no programa Roda Viva( 03 Fev); Tuma reconheceu ter falhado ao colocá-lo na prisão ,onde foi morto logo em seguida.Os que podem esclarecer alguma coisa preferem o silêncio, é o caso da ex-mulher de Celso Daniel e seu secretário na Prefeitura de Santo André, o “insubstituível” Gilberto Carvalho. O ex-coroinha com todo esse peso na consciência deve integrar a comitiva presidencial que em breve irá ao Vaticano. Todos sabemos quem é o “deus” a quem Gilberto Carvalho deve obediência. Assistam a entrevista. Acompanho com assiduidade o Jornal da Band e tenho a impressão que,ultimamente, a corajosa Bandeirantes vem arrefecendo a combatividade na sua programação, p ex :telejornais e Canal Livre A empresa precisa sobreviver! Quanta desgraça à famílias e quanto mal ao Brasil a quadrilha de farsantes e corruPTos vem causando. Quando seus crimes serão julgados e os meliantes serão condenados e presos?? Não sei a data do vídeo, parece atual. Impressionante como um crime de desvio de milhões e uma morte ficam impunes e personagens ocupando altos cargos no governo.Vale a pena divulgar. 20 CARLOS ALBERTO RIBEIRO CACAES Brasília/DF Ao Globo, Decepcionado com a resposta desse jornal, demonstrando falta de ética e com a verdade, tentando justificar a não publicação da minha mensagem, com argumento plenamente conhecido, quando não se tem coragem de enfrentar um problema,embora sendo o autor de tudo. Quando cognominaram a ponte Costa e Silva de PONTE DA DITADURA não tiveram qualquer resquício de educação e ética, mas, na realidade o objetivo era, como sempre, mentir descaradamente sobre a CONTRA-REVOLUÇÃO DE 31/03/1964. Falseando como sempre a VERDADE, invertendo os papéis dos protagonistas, onde os bandidos querem ser heróis e colocando nos honestos e patriotas a pecha de bandidos! As FORÇAS ARMADAS só vieram a participar do entrave, face o pedido do povo brasileiro, que não suportava as atitudes do governo em impor a doutrina comunista no nosso Brasil. Hoje, aliás, vivemos num regime comunista disfarçado, embora, ostensivamente, o governo deixa de atender necessidades vitais do nosso país para aplicar os recursos do BNDES em Cuba, país comunista que é tão amado por essa senhora que está fazendo de conta que dirige esta Nação. Tenham coragem, procurem ser dignos da tradição desse jornal, e aceitem a resposta de um brasileiro, triste e decepcionado com o futuro da nossa pátria. Caso contrário utilizarei outros jornais para a publicação dessa matéria. Insisto com a rescisão de minha assinatura com esse jornal., em caráter de urgência, pois não desejo mais lê-lo. (13/02) CAP. FÉLIX MAIER Águas Claras/DF Quadrilha petista instalada no STF Decepcionante os votos dos ministros do STF, que tendem a livrar os ladrões do mensalão do crime de formação de quadrilha. Ingênuos somos nós, que pensávamos que existia uma quadrilha no governo do PT, quando de fato existe uma quadrilha petista instalada no STF, o que é muito mais grave. Está tudo dominado! (27/02) TÂNIA MARIA HOEFEL São Leopoldo/RS O que o Exército Nacional está esperando para tomar uma providência contra o assalto que está sendo cometido pelo PT ao nosso querido Brasil. As denúncias são tantas e tão contundentes,que não deixam mais nenhuma margem de dúvida do plano ideológico que está sendo implantado.A última notícia é de que a presidente ordenou a retirada do Exército da fronteira com a Colômbia.Será verdade? (15/02) CEL JORGE NASCIMENTO Resende/RJ Muito bom o exemplar de número 198. Sugiro ao prezado companheiro que publique com destaque especial o programa das facções de esquerda que dizem ter lutado pela democracia.Será muito interessante publicar o programa da Colina/Var-Palmeres/P.C.do B..... ...etc..... com o nome de alguns de seus componentes. Como estou com o saquinho de sugestões aberto,também sugiro notas curtas sobre alguns dos milhares de escândalos governamentais a fim de contrabalançar longos artigos mesmo que de bons escritores.Você sabe que nós leitores gostamos de noticias .Artigos longos afastam leitores não engajados. (26/02)
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 ADM. JOSÉ R. DE FREITAS SOBRINHO Juiz de Fora/MG Injustificáveis apagões A última declaração à imprensa do incompetente ministro das minas e energia, Edison Lobão, foi ilário. Antes havia dito que não haveria mais apagões, que a possibilidade era zero. Agora, com tantos apagões se sucedendo, afirmou ironicamente que há necessidade de investimentos no setor e que para isso o consumidor terá que sofrer um reajuste nas tarifas elétricas. Ora senhor ministro, vá ser incompetente assim lá na Coréia do Norte! Deixe de ser demagogo e enganador do povo, largue a “boquinha”, pede para sair. Aliás, o senhor colocou seu filho como suplente de senador e foi ser ministro tendo seu filho assumido o seu lugar. Sua esposa é deputada federal e, conforme já publicado na mídia, é uma parlamentar que mais faltou às sessões do plenário da Câmara. Então sr Lobão, que moral o sr tem de ridicularizar e, ironicamente, gozar o povo brasileiro? Seu estado (Maranhão) e de seu “patrão” é um dos mais pobres do país e fica o sr, sua família e o clã Sarney a explorar o povo humilde. Nós, brasileiros não somos idiotas para cair novamente em suas promessas. Pede para sair Lobão, suma da política, já deu o que tinha de dar e muito mal e, por favor, leve junto os Sarney, todos eles. O país agradece. (16/02) CAPITÃO DE MAR E GUERRA SERGIO MARTINS VIANNA Rio de Janeiro/RJ Com relação à tragédia que causou a morte do cinegrafista, cabe uma nota de louvor para a polícia, pela identificação e pela prisão dos autores deste crime que a sociedade repudia veementemente. Agora, cabe às autoridades, através dos serviços de inteligência, buscar e identificar os responsáveis pelo financiamento dessas ações que se traduzem em movimentos típicos de guerrilha urbana, cujo propósito mais do que explícito é o de desestabilizar, principalmente, os grandes centros financeiros do país, como já vem ocorrendo, em outra regiões, com aval nitidamente político. Se nada for feito, com a “leniência” costumeira, assistiremos ao recrudescimento desses movimentos, que não podem mais ser tolerados.(14/02) PROFESSORA NIVALDA ANDRADE Santa Luzia/MG Quando cursei a Adesg/BH, em 2002, tomei conhecimento do jornal Inconfidência. Até hoje o recebo como deferência e distribuo os 10 exemplares na Escola Estadual Rose Haas Klabin, onde leciono, em Santa Luzia. Faz o maior sucesso entre os professores, que o disputam quando os coloco na sala de reunião. Como professora de História, me sinto no dever de tecer este comentário: Deveria ser distribuído em todas as escolas públicas e particulares, não só de Minas Gerais, como de todo o Brasil. É o único que denuncia as patifarias cometidas pelo governo federal e a tentativa de comunização dos jovens estudantes através dos livros didáticos, editados e distribuídos pelo Ministério da Educação (15/02) NR: Também os distribuímos para algumas escolas e faculdades, onde mantemos um bom relacionamento com seus diretores. Durante 3 anos (2oo2/2004), enviamos nossos jornais para centenas de escolas públicas estaduais de Minas Gerais. Tivemos que suspender em virtude da absoluta ausência de recursos financeiros, apesar do sucesso alcançado. Em 2012,também tivemos de cancelar a remessa para todas as organizações militares da Mari- PROFª. EDITH MARIA R . PEREIRA Belo Horizonte/MG Perspectivas Políticas O artigo intitulado “Perspectivas Políticas” de autoria do advogado e professor universitário Sacha Calmon, publicado no “Estado de Minas” de 9 de fevereiro, deveria ser transcrito no Inconfidência, tal a sua importância, clarividência e por ser muito oportuno. Como fui informada da impossibilidade, pincei alguns trechos que julgo muito interessantes para o conhecimento de seus (e)leitores. Ei-los: l Os votos dos indecisos, nulos e brancos têm oscilado de 27% a 30% entre os pesquisados. Somados aos que desaprovam o governo, vão decidir a eleição. l A reeleição de uma governante sem carreira política, aliada da escória política, que a trata ora com sarcasmo ora com bajulação (o tal presidencialismo de coalizão), forma um quadro que não a favorece, Mas, até agora e talvez não seja mesmo a hora, os lideres oposicionistas estão longe de galvanizar o povo com um discurso honesto e claro. l A política estatizante ou o dirigismo estatal não deram nem darão certo em nenhum lugar do mundo. O socialismo foi-se. Coreia do Norte e Cuba são dois desastres. A Rússia atrasou-se 50 anos. Argentina e Venezuela estão em crise. A China quer ser capitalista cada vez mais. Quanto mais o Estado se afaste da cena econômica, melhor. Seu papel é planejar, incentivar, regular, vigiar, buscar a coordenação política e econômica da nação. l Nossos paradigmas devem ser as nações do continente europeu ocidental, cuja cultura condiz com a nossa, já que não podemos ser economicamente como os EUA, o melhor modelo de livre iniciativa, por razões históricas e sociológicas. nha e da Força Aérea, sob o comando de oficialgeneral, pelo mesmo motivo. MAGISTRADO ROBERTO LADEIRA Belo Horizonte/MG Com o meu cordial cumprimento, estou lhe enviando um cheque para a renovação anual do valoroso Inconfidência. Com o nosso país em plena decadência econômica, corrupção deslavada em vários setores da administração pública federal comandada por uma presidente enganadora do povo, não vejo sinal no horizonte de uma possível mudança política nas próximas eleições de outubro de 2014. Abraços e parabéns pela edição de um órgão de imprensa com coragem para denunciar o que ocorre em nosso Brasil (30/01) TCEL PMERJ LUIZ FELIPE SCHITTINI Rio de Janeiro/RJ Causa-me perplexidade como esses comunistas tem dissonância cognitiva (dizem uma coisa e fazem às escondidas outra totalmente contrária). Vou citar alguns exemplos concretos. 1) Na antiga União Soviética enquanto o povo era submetido a duras privações, os seus dirigentes tinham casa de campo em lareira, adegas, sauna e piscina térmica. 2)Em alguns países africanos comunistas, em que prevalece a miséria e a fome, os seus ditadores instalados há anos no poder, mantém fortunas escondidas em contas secretas, em paraíso fiscal. 3) Aqui no Brasil, em 1996, houve no Rio de Janeiro, um Congresso de Magistrado das Américas e do Caribe. À delegação de Cuba ficou hospedada no antigo Hotel Meridien, na Av: Atlântica, em Copacabana. A segurança dos magistrados cubanos, só pediam os melhores pratos e bebidas, no restaurante do hotel em questão. Fico só imaginando o povo cubano recebendo x gramas de arroz, feijão, frango e açúcar por semana, e a cúpula só tendo benesses. Esclareço ainda que todo o gasto do Hotel foi pago pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. 4) Recentemente alguns dirigentes do PC chinês foram denunciados por terem dinheiro depositado em contas secretas, em paraísos fiscais. 5) Enquanto na Venezuela, predomina a inflação alta e o desabastecimento, o “filhote”de Cháves, o Presidente Nicolas Maduro tem uma verba orçamentária por ano, para suas despesas pessoais de U$$ 945 milhões. 6) Aproveito a oportunidade para enviar-lhe uma matéria jornalística desse último exemplo (06/02) BILAC DE ALMEIDA BIANCHI São Caetano/SP Assassinato de Reputações de Romeu Tuma Júnior Atenção contatos que estão recebendo este e-mail. Recomendo a todos para lerem o livro citado acima do ex-secretário jurídico do Lula, Romeu Tuma Júnior. É qualquer coisa de assombroso em suas minúcias e riqueza de detalhes, inclusive sobre a morte do prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado pelo PT. A podridão instalada no governo central pelo Lula chega a ser repugnante, tal o acinte com que ele trata a nação. É assombroso, vergonhoso e desafiante até mesmo para aqueles que se portam refratários aos problemas nacionais. (15/02) ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS SERVIDORES DA PREVIDÊNCIA E DA SEGURIDADE SOCIAL Aposentados Não adianta matar os ratos e deixar as cobras! O único alvo que está na mira é o PT. Por que estamos passando a mão no PMDB? A maior quadrilha organizada nesse país é a do PMBD. Quem é o Renam Calheiros, quem é José Sarney, quem é Roseane, quem é Michel Temer, quantos senadores, ministros e deputados federais o PMDB tem? Resumindo, quem está à frente e gerenciando tudo é o PMDB. Esse pessoal não pode ficar de fora de nossas críticas e nosso repúdio. adervalgomes73@gmail.com NR: Continuamos recebendo dezenas de cartas/mensagens de aposentados pelo INSS, reclamando sobre reajustes/correção anual de seus salários. E também dos remanescentes da Rede Ferroviária Federal, da Rede Mineira de Viação, da Varig, do professorado e de outros mais privilegiados que recolhiam sobre 10 salários mínimos e hoje 21 recebem quatro. O que estão reclamando, se foram vocês mesmos que votaram nos corruptos do PT/ PMDB? Se são mesmo mais de 35 milhões de aposentados, como dizem, que se organizem para reverter essa triste situação. Poderão eleger um deputado federal de sua confiança em cada Estado... ECON. GERALDO DE SOUZA ROMANO Belo Horizonte/MG A pior ditadura é a que vivemos claramente hoje em dia e com esse desgoverno ATEU, COMUNISTA, DITADOR, pois ainda existem pessoas que acreditam em democracia em nosso pobre país. A prisidenta sempre alegou ter lutado contra a ditadura, MENTIRA, pois os terroristas dos anos 60/70 queriam impor a pior desgraça em nosso país, como aconteceu com Cuba, com muito dinheiro e armas dos países comunistas, mas naquele tempo existiam nossas FORÇAS ARMADAS, que impediram que tomassem conta de nosso Brasil, mas....agora conseguiram totalmente, DESMORALIZANDO NOSSA SOCIEDADE, A FAMÍLIA E O CRISTIANISMO. Só Deus pode salvar o Brasil! Ainda acredito na Internet e no amor que temos pelo país e tenho certeza que todos vão repassar nossas mensagens com muito amor. (25/02) PROFª. VANIA L. CINTRA Campinas/SP E Maduro dá apoio a Lula, a Rousseff, a qualquer outro, de qualquer partido, que se apoie na Constituição “cidad㔠e continue fazendo o que todos os últimos Governos vêm fazendo em território brasileiro. E quem permite isso é quem permitiu que os Governos brasileiros, em vez de se comprometerem com resolver os problemas nacionais, mais e mais se empenhassem em promover “a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações” (parágrafo único do Art. 4º, Título I - Dos Princípios Fundamentais - Constituição da República Federativa do Brasil - Texto promulgado em 05 de outubro de 1988). Reclamar de quê? De quem? A quem? CEL CARLOS DE SOUZA SCHELIGA Rio de Janeiro/RJ Absolvição de mensaleiros Juridicamente, tanto José Dirceu, como Delúbio e Genoíno podem ter - com o concurso dos novos ministros do STF - se livrado da condenação formal pelo crime de formação de quadrilha. Mas a verdade é que não conseguirão se livrar do estigma de terem sido apontados como partícipes de um grupo que agiu como tal, pelo Procurador—Geral da República, em 2006, em denúncia apresentada, aceita e exaustivamente estudada pelo nosso STF, em Processo que recebeu a designação popular de “mensalão”. Por mais que o tempo passe, e apesar da absolvição que conseguiram, circunstancialmente, nos minutos finais de uma prorrogação conquistada de forma tão casuística, eles não conseguirão retirar do imaginário do brasileiro, a certeza de que todos eles participaram de uma associação intencional para a prática dos fatos narrados, que colocariam em risco os pilares da democracia em nosso país, caso não tivessem sido denunciados." (28/02)
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 22 PONTE DEMOCRATA CARLOS MARIGHELLA? * Carlos Andreazza N este país, decerto como consequência do bem-sucedido projeto brasileiro de deseducação, só se pensa e age em manada, em bando, em patrulha, de modo que não há jeito — a menor chance — de se reconhecer e valorizar, por exemplo, um mérito pontual do regime militar de 1964 sem ser logo chamado de ditador, quando não de torturador. Trinta anos passados, três décadas de proscrição, de degredo, de petrificação dos malditos, tempo em que o simples referir-se aos militares — que não nos piores termos — significou adesão imediata e incondicional ao que ocorria nos porões. Reconhecer a importância da infraestrutura — a única que temos ainda hoje, diga-se — erigida naquele período? Ora, experimente... Comente, com base nos fatos, que o Brasil depende hoje de obras públicas — de portos, de estradas etc. — construídas pelo regime militar e torne-se de súbito partidário e defensor, signatário do AI-5; um golpista! Se é que a teve um dia, este país terá de todo perdido a mão para o que seja reflexão, equilíbrio e ponderação; mas não sem estender a outra, ato contínuo, ao ridículo. Ah, o ridículo! Outro dia mesmo, enquanto atravessava a Rio-Niterói, peguei-me a perguntar: quanto faltará até que um desses lavadeiros da verdade proponha mudar o nome oficial, Presidente Costa e Silva, da ponte? Era questão de tempo — sempre soube. Intuía, contudo, que a hora se acelerava, pois a tinturaria da história tivera gestão mais eficiente nos últimos anos; ademais, acercávamo-nos dos 50 anos do golpe. Era questão de pouco tempo. E, batata!, tinha poucas dúvidas de que a iniciativa partiria de um dos copidesques do Ministério Público, desocupado progressivamente des- de o fim da ditadura e finalmente inútil — tornado sem propósito — com a assunção redentora do povo oprimido ao poder, instante em que, no Brasil, como sabido, nada mais houve a ser investigado, denunciado, enfrentado. Afinal, bicheiros, traficantes, mensaleiros, milicianos e assassinos de mais de 50 mil brasileiros por ano — tudo isso é passado, vencido, superado, miragens que só possuem materialidade na percepção histérica da classe média manipulada, claro, pela mídia golpista. O perigo — apontam os diligentes revisores do Ministério Público — está nos monumentos, nas placas das ruas, avenidas e estradas, nas fachadas de escolas do interior, em qualquer poste que leve o nome de um militar de 1964, de um ditador daquele período proibido. Mas, atenção!, só daquele — apenas daquele intervalo desgraçado entre 1964 e 1985. No Brasil, também se é seletivo com tiranos. Porque há, tão fofos, os nossos ditadores de estimação. (E não falo nem do amor pátrio por assassinos estrangeiros — e em atividade — como Fidel Castro). Ou não teremos aí o nosso querido Getúlio Vargas, brasileiríssimo, o “pai dos pobres”, homem cruel, vil, perseguidor, golpista, torturador, no entanto a nomear de goleiro a fundação, passando por uma das mais importantes vias urbanas do país? Eis que, então, aos 50 anos redondos do golpe militar somam-se os 40 de uma das obras públicas mais importantes não só daquele período como, sem dúvida, da história do país. Palco perfeito — cenário iluminado, holofotes todos direcionados — para os justiceiros que não perdem oportunidade de aparecer. E como são bons, generosos na construção do passado que melhor lhes convém. Ponte Presidente Costa e Silva? Não! Orgulho da Engenharia Brasileira Ponte General Costa e Silva (Rio-Niterói) DEPOIMENTO DO LULA "Naquela época, se houvesse eleições o Médici ganhava. E foi no auge da repressão política mesmo, o que a gente chama do período mais duro do regime militar. A popularidade do Médici no meio da classe trabalhadora era muito grande. Ora por quê? Porque era uma época de pleno emprego". Luiz Inácio Lula da Silva (Depoimento a Ronaldo Costa Couto, in Memória viva do regime militar) Nem pensar! Não se pode deixar uma placa velha, escondida, enferrujada e ignorada sob uma fundação carcomida qualquer — que efeito, que impacto negativo terá sobre as crianças, sobre as novas gerações? (Decerto muito pior que o do crack, cujo consumo por menores, como sabido, já foi perfeitamente controlado). Não pode. Não mesmo. Um absurdo! Uma afronta! Tem de mudar. Alude ao golpe, afinal, ao arbítrio, à tortura; perpetua um passado que se quer apagar, que se fez interdito, e de que não se pode tratar senão com o implacável esfregão seletivo. A esses revisores da história — tapados pela mistificação, obstruídos pela doutrina do justiçamento da memória, cegos aos fatos — não ocorre examinar, portanto, que sem este homem, sem Artur da Costa e Silva, não haveria a ponte, tão simples quanto isso, não como a conhecemos hoje, e que ali, pois, não se homenageia a ditadura, o arbítrio, a tortura, mas um indivíduo que, apesar de muitos e tantos erros, acertou, não fossem várias as vezes, ao menos uma. Acertou em bancar, em viabilizar, em sustentar a construção de uma obra que, embora sonhada e ansiada por mais de século, imperador, ditador ou democrata nenhum antes lograra encarar — obra que se tornaria elemento decisivo à integração física não só do Rio, mas do Brasil, marco incontornável da engenharia nacional; obra que ele próprio não veria pronta, morto bem antes; obra, a Ponte Rio-Niterói, que sequer é conhecida pelo nome oficial, mas que o homenageia porque simplesmente não poderia ser de outra maneira. Celebremos e fortaleçamos a democracia, mas sem jamais nos esquecermos de que o autoritarismo não é exclusividade das ditaduras. E que, portanto, ao apoiar este processo de apagamento seletivo da história, de aniquilamento dos bons feitos alheios, os fernandohenriques da vida não se pensem livres do mesmo destino. Também é questão de tempo. (Publicado no "O Globo" de 11 de fevereiro) * Jornalista e neto de Mário Andreazza, Ministro dos Transportes nos Governos Costa e Silva e Médici. MPF ENTRA COM AÇÃO CONTRA NOME O Ministério Público Federal (MPF) entrou com uma ação judicial e propôs a mudança do nome da Ponte Presidente Costa e Silva (Rio-Niterói), como revelou O GLOBO no domingo. A medida, segundo o MPF, pretende preservar a memória coletiva para que o patrimônio histórico-cultural brasileiro seja corretamente marcado, sem falsas homenagens,a fim de que as lembranças da violência no período da ditadura sirvam para a criação e o formento a uma cultura de proteção dos direitos humanos e de não reiteração de crimes do passado. (O GLOBO 11/02)
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 D FALA SÉRIO, MPF!! e quem teria sido essa iniciativa? Do próprio MPF, da OAB, da cOmissão Nacional da Verdade ou seriam ordens “superiores”? E qual o motivo? Vingança ou inveja daquela época em que o Brasil crescia a 12% ao ano, índice jamais alcançado nos últimos 29 anos plenos de mentiras e de corrupção?.Nada melhor para caracterizar e “preservar a memória coletiva para que o patriotismo histórico-cultural brasileiro seja corretamente marcado, sem falsas homenagens” – do que a recente mudança de nome de uma escola estadual em Salvador/Bahia para Carlos Marighella, assassino e terrorista que pregava uma revolução cubano-comunista em nosso país. evitar a transposição do rio pela balsa.Já com a tarde se findando, sem conseguir desatolar o carro, de repente, estaciona ao lado uma camionete Chevrolet Veraneio. Dela desembarcaram três pessoas – uma delas, o ministro Coronel Mario Andreazza, que inspecionava a obra. E me perguntou o que eu/meu carro/ fazia ali. Após me identificar, dizendo ser o Capitão Miguez, e me dar aquela “chamada” muito merecida, mandou providenciar uma viatura para rebocar o Fusca daquele atoleiro, se retirando em seguida para pernoitar no acampamento instalado nas proximidades da obra. Como castigo, dormimos em Rosário, em uma pensão daquelas que só tinha um banheiro coletivo e penico embaixo da cama (vou enviar para o livro de “Causos” deste ano), pois naquela época ainda não havia Hotel de Trânsito no 2º RCC, unidade de Cavalaria sediada nessa cidade. O Presidente Médici e o Ministro Andreazza foram saudados por uma Já imagimultidão na chegada à praça do pedágio, na inauguração da ponte naram algun s Presidente Costa e Silva (Rio/Niterói), em 4 de março de 1974 dos atuais 39 miComo o MPF pode ser tão venal, par- nistros inspecionando alguma obra por esse cial e falso, quando deveria zelar pela Brasil afora? Celso Amorim, Ideli Salvatti, verdadeira História Pátria, devidamente Lobão, Pimentel, Mercadante, Cardoso comprovada: 40 anos após a inauguração ou qualquer outro no meio do mato, sem da ponte, uma verdadeira obra “faraôni- aviãozinho da FAB? E hoje, temos auca”, marco e orgulho da engenharia bramentos de tarifa de energia e apagões sileira, onde nela circulam, 153 mil veícucom o Lobão, que jamais deve ter se dado los diariamente. ao trabalho de uma incerta nas linhas de Seria melhor e mais honesto entrar transmissão... Passado quase meio sécucom uma ação judicial contra as obras do lo, a antiga carreteira, hoje BR-290, ainda PAC – Programa de Aceleração da apresentando ótimas condições, atende Corrupção – emPACadas na transposição a fronteira oeste do Rio Grande do Sul e das águas do rio São Francisco. o maior porto seco do país, em UruguaiaAo me lembrar do então Ministro dos Transportes, coronel Mario Andreazza, meu na, por onde escoam nossos produtos de pensamento retrocedeu a 1968, quando em exportação, principalmente para a Argentina e Chile. O MPF bem que poderia deuma viagem de retorno de Porto Alegre à nominar a BR-262, estrada federal que Uruguaiana, meu carro, um Fusca, atolou une Belo Horizonte a Vitória, de Carlos nas proximidades de Rosário do Sul, na BR290, carreteira que estava em obras para Marighella, e a BR-040 no trecho BH/Barreceber pavimentação e a construção de bacena de Che, tantas as mortes que ali ocorrem, verdadeiros assassinatos em uma ponte sobre o rio Santa Maria (Ler a virtude das péssimas condições de coninauguração ao lado). Havia uma placa orientando os moto- servação, o que seria uma justa homenaristas sobre o desvio e não a respeitei, se- gem à cOmissão da Verdade, ao Foro de São Paulo e ao próprio MPF. guindo em frente, apesar dos apelos de Fala sério , MPF !!! minha esposa, tentando alcançar a ponte e PAULO FREDERICO SORIANO DOBBIN Rio de Janeiro/RJ A Ponte Rio-Niterói é motivo de orgulho para a engenharia civil brasileira e a sociedade. Fruto de determinação e competência, é um legado dos governos militares e está inserida entre as maiores do mundo. Queiram ou não, é um cartão-postal do Brasil. 0 MPF pensa em propor a troca de seu nome de batismo, para não homenagear o autoritarismo ditatorial da época. Para dar um tratamento equânime, espera-se que a ação contemple outros governantes como Getúlio Vargas, ditador brasileiro por 15 anos e empresta seu nome a expressiva quantidade de ruas, escolas, hospitais e até cidades. A 23 BR-290 OSÓRIO - PORTO ALEGRE - SÃO GABRIEL ROSÁRIO - ALEGRETE - URUGUAIANA rodovia BR290, com uma extensão de 745 quiArgentina lômetros, corta todo o território do Rio Grande do Sul, de leste ao oeste, com início no município de Osório, no litoral gaúcho e término no rio Uruguai, fronteira com a República Argentina, em Uruguaiana, o maior porto seco do país. O que seria hoje da fronteira oeste gaúcha, sem a BR-290? Não mais circula qualquer trem de passageiros e aviões de linhas comerciais não mais pousam no aeroporto internacional Rubem Berta. E pensar que durante o governo “autoritário” (havia autoridade) três compa- Osório Uruguaiana Porto Alegre Alegrete Rosário São Gabriel O Presidente Médici, ao sair do Hotel Glória, em Uruguaiana, aplaudido pela população, para a cerimônia de inauguração da BR-290, em 9 de janeiro de 1973. nhias aéreas atendiam à cidade de Uruguaiana e havia diariamente um trem de passageiros (Minuano/Húngaro) para Porto Alegre. Publicado no Inconfidência nº 89 de 21/12/2005 e no livro "Médici" PONTE 40 ANOS Cartas publicadas no "O Globo" VICTOR LUIS DE ALMEIDA VOHRYZEK Rio de Janeiro/RJ Ministério Público Federal deve viver em outro país. Com inúmeros problemas e casos de corrupção que consomem o país surge a bizarra e ideológica proposta de tirar o nome de presidente Costa e Silva da Ponte Rio – Niterói. A alegação de que se trata de um presidente do regime militar é pueril. Se seguíssemos o rigor, teríamos que retirar os nomes de milhares de logradouros deste país. Sugiro a este grupo do MPF começar tirando o nome de Getúlio Vargas de todas as avenidas. Afinal, se quisermos resgatar a História, Vargas foi também um ditador. FRANCISCO BARONE Rio de Janeiro/RJ Soa hipócrita a postura do MPF. Esquece que foi graças aos militares que essa maravilha da engenharia ficou pronta no prazo e, principalmente, bem construída. Comparada às obras de hoje, feitas por políticos símbolos da suposta liberdade, todas atrasadas, superfaturadas e, pior, malfeitas sempre precisando de reparos, chega a ser ridículo. Não estou discutindo a ditadura, mas uma das medidas adotada por ela que foram ótimas, pois erros todos cometem, mas hoje certamente ocorrem muitos mais e ninguém pune os responsáveis, o que não acontecia na ditadura. Serve para refletir. PAULO MARCUS SAMPAIO ELOY Resende/RJ A Ponte Rio-Niterói recebeu o nome de Presidente Costa e Silva como justa homenagem e agradecimento àquele que teve a coragem de realizar esta obra que 40 anos depois, ainda é orgulho da engenharia nacional. A verba gasta na construção da Ponte poderia ser destinada a outros estados e cidades, mas para sorte dos cariocas e dos fluminenses o gaúcho Costa e Silva decidiu realizá-la no Rio. Em vez de se preocupar em dar novo nome a essa obra, por que não reivindicar a construção de uma nova ponte – já há algum tempo necessária – e colocar nela o nome que quiser? A mudança do nome da Ponte, como de centenas de outras ruas, avenidas, estradas, praças e até cidades espalhadas por todo o Brasil, é assunto de interesse de milhares (quiça milhões) de pessoas, e não deve ser restrito à vontade de um pequeno grupo em busca dos seus “15 minutos de fama” JADER NEIVA MELLO Rio de Janeiro/RJ Pretende-se mudar o nome da Ponte Rio-Niterói. Que coisa fantástica! A educação vai melhorar, os salários vão aumentar. E fico sabendo, também, que a construção demorou cerca de 1.900 dias. Quanto demoraria nos dias de hoje? E vejam o custo. Comparando aos valores de hoje, é ridículo, por causa do superfaturamento que por certo existiria. E, por último, tenho um medo terrível de o prefeito Eduardo Paes resolver demolir tal obra, em nome da visão das nuvens.
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 24 A BATALHA DE MONTE CASTELLO E O 11º BI Mth REGIMENTO TIRADENTES LUMINOSA, MEMORÁVEL E ETERNA PÁGINA DA HISTÓRIA * Capitão José Lourenço Parreira E Tropa formada em 21 de fevereiro m Minas Gerais, encontramos uma cidade três vezes centenária que brilha na história da Pátria pelo seu patriotismo, sua fé católica e cultura, mormente, a cultura musical. Essa cidade é São João del-Rei, terra-natal de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes e do respeitável Marquês de Baependi, dentre outros. Em São João del-Rei encontra-se o tradicional Regimento Tiradentes que, carinhosamente, o povo da cidade chama de Regimento de São João. Por duas vezes a aguerrida tropa de Infantaria deixou a pacata cidade e deslocou-se para o Rio de Janeiro, pronta para o combate: em 1944, quando atravessou o Atlântico, com quatro mil combatentes, para lutar na segunda guerra mundial; e, em 1964, na Revolução Democrática Moralizadora de 1964! No início da década de 1960, o mundo vivia dias negros com o avanço comunista a partir da Rússia (União Soviética) e Cuba. O terror de uma guerra atômica não era desprezível. Fidel Castro mandara milhares de soldados cubanos para implantar o comunismo em Angola. O mesmo destino, certamente, reservava-se ao Brasil! Ao longo dos anos, a população é despertada, ao amanhecer, em São João, pelo som dos sinos das igrejas barrocas e pelo toque da corneta no quartel! Os militares e a população sempre unidos no amor a Deus e à Pátria! No dia 21 de fevereiro de 1945, em Monte Castello, na Itália, os brasileiros obtiveram brilhante vitória sobre os alemães, arrogantes e considerados o melhor exército do mundo. Na véspera, nossos olhos e corações haviam derramado lágrimas com a morte, na região de Monte Castello, do querido Frei Orlando, um dos capelães do Regimento Tiradentes! Ele previra a nossa vitória e, como que por milagre, o dia 21 amanhecera com o céu limpo o que permitiu o ataque da aviação, da artilharia e o avanço da Infantaria! Muito sangue brasileiro foi derramado em ataques anteriores até a chegada do bendito dia da retumbante vitória: 21 de fevereiro de 1945! Todos os anos, no dia 21 de fevereiro, os militares celebram a Conquista de Monte Castello! Em 1976, no dia 21 de fevereiro, em São João del-Rei, a solenidade alusiva ao dia foi celebrada no Monumento à Força Expedicionária Brasileira, próximo à Igreja de São Gonçalo e ao famoso Colégio de Nossa Senhora das Dores. O quartel do Regimento fica ali perto e, para chegar ao Monumento, tem-se de passar defronte ao Colégio e à Igreja. Nesse ano, o Mestre da Banda de Música, Tenente Benigno Parreira, teve bela e cívica ideia: passar defronte ao A baixa e o desfile de despedida dos Reservistas Colégio Nossa Se- nhora das Dores tocando o Hino do referido Colégio. Ao longe, descendo a ladeira, lá vem a magistral Banda de Música, à frente do Regimento, as baionetas dos combatentes brilhando ao sol e o belo Hino do Colégio contagiando a todos! Com incrível rapidez, a irmã Diretora determina que todos os professores, professoras e alunas corram para frente do Colégio e saúdem com efusivas palmas o Regimento de São João que marcha em direção ao Monumento! Após a cerimônia, o Comandante, Coronel Aldilio Sarmento XAVIER, pergunta ao Tenente Parreira: "Parreira, por quê aquela manifestação do Colégio?" Responde, o grande Maestro: "Coronel, tive a ideia de conduzir o Regimento ao som do Hino do Colégio e, pelo jeito, deu certo." E o Coronel XAVIER diz: "Parreira, conduza, pois, o Regimento, na volta ao quartel, tocando o mesmo Hino! Parabéns pela iniciativa". Quando a Banda de Música iniciou a execução do Hino no retorno ao quartel, a tropa desfila com impecável marcialidade, os sinos da Igreja de São Gonçalo bimbalham festivamente e o corpo docente e discente do Colégio Nossa Senhora das Dores mais uma vez aplaude a tropa de heróis! Muitas pessoas que tinham visto aquela tropa, um dia, partir para a guerra, derramam lágrimas de emoção! No mesmo dia, o Tenente Benigno Parreira recebeu linda e delicada cartinha da irmã Diretora. Transcrevo-a, abaixo: "São João del-Rei, 21/02/76 Meu querido Tenente Parreira, que Maria Santíssima o proteja e à sua família. Hoje, foi uma manhã de emoções para quem ama de verdade este Batalhão e este Colégio. Não há palavras para agradecer-lhe seu gesto super delicado em dirigir o desfile ao som do Hino do seu e nosso Colégio Nossa Senhora das Dores. Creia, Tenente Parreira, sua delicadeza nos cativa cada vez mais. Obrigada e Deus o proteja. "Senti-me feliz em lembrar-me que enfeitei a frente do Colégio quando eles voltaram da Guerra, pois sou uma entusiasmada pelo nosso Exército. Com os melhores votos de felicidade aqui fico sempre grata". Irmã Apoline 21 DE FEVEREIRO DE 2014 O Regimento Tiradentes, atualmente, tantas e tantas vezes, Frei Orlando tam11º Batalhão de Infantaria de Mon- bém celebrou! tanha, é comandado pelo Tenente CoroEm fino congraçamento, houve delinel Georges Feres Kanaan. Hoje, de ma- cioso coquetel para a tropa e convidados! nhã, reverenciando os heróis de Monte Recordemos as palavras do CoCastello e celebrando uma das mais árduas mandante da FEB, Marechal Mascavitórias da Força Expedicionária, houve for- renhas de Morais: matura e desfile no interior "...O soldado que do quartel, com a presença combateu em Monte Prano, expressiva de muitos conviCastello, Sopramasso, dados civis e militares da Montese e Fornovo é feito Reserva. Cultos religiosos, da mesma massa, gerado sendo que a Santa Missa do mesmo sangue que os foi celebrada pelo senhor heróis de Tuiuti, Itororó, Bispo Diocesano, Dom Frei Monte Caseros e Lomas Célio de Oliveira Goulart, Valentinas. Ramos do mesO Comandante TenCel ofm. Presente, o Capitão Bemo tronco: o Exército de nigno Parreira que, no le- Kanaan e o Veterano FEB Caxias. Filhos da mesma Major Ivan Esteves alves vantar da Hóstia, na consaterra: o Brasil Imortal!" gração, como sempre, silente em seu coQue Cristo Jesus, que amava a sua ração, faz a jaculatória: "Glória a Jesus, Pátria e um dia chorou porque a veria na Hóstia Santa, que se consagra sobre destruída pelo inimigo, com a interceso altar e aos nossos olhos se levanta são de Nossa Senhora Imaculada Conpara o Brasil abençoar!" ceição Aparecida, proteja a querida PáA santa missa foi celebrada na Ca- tria Brasileira! *Irmão do então Mestre da Banda de Música pela, no interior do quartel, e na qual,
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 SÃO JOÃO DEL-REI JUBILEU DE OURO DA REVOLUÇÃO DE 31 DE MARÇO DE 1964 Prefeito decide retirar da parede os quadros com as imagens dos cinco presidentes que governaram o país durante a ditadura militar SEM O RETRATO DOS GENERAIS Daniel Camargos A Prefeitura de São João del-Rei, no Campo das Vertentes, prepara um inusitado ato simbólico para 31 de março, quando se completam 50 anos do golpe militar. Os quadros com retratos dos cinco presidentes militares – os generais Castello Branco, Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo – serão retirados do salão nobre da prefeitura. “Resolvemos tomar a decisão de não reconhecer essas pessoas como presidentes eleitos”, afirma o prefeito Helvécio Reis (PT). Perguntado se não teme despertar uma polêmica, principalmente por um batalhão do Exército – o 11° de Infantaria de Montanha – estar sediado na cidade, o prefeito respondeu com uma pergunta: “Quem não gosta de polêmica?”. Helvécio garante que tem uma boa relação com os militares da cidade. “Não estamos brigando com a instituição. A instituição é feita por pessoas e em 1964 era feita por outras pessoas”, entende o prefeito. A prefeitura pretende, segundo o assessor, convidar a viúva de João Goulart (1919-1976), Maria Thereza Goulart, para a cerimônia de retirada dos retratos. João Goulart foi o presidente deposto pelos militares, em 1964. NOVO NOME Ato de retirada dos retratos dos ex-presidentes militares do Salão Nobre está marcado para 31 de março Outra ideia da prefeitura de São João del Rei é mudar o nome de uma das principais avenidas da cidade, a 31 de Março, que corta o bairro Colônia do Marçal e recebeu esse nome em homenagem ao golpe. 25 N 31 de março – 20 horas o dia 31 de março, uma segunda-feira, vista uma roupa verde ou amarela, azul ou branca, as cores da nossa Bandeira Nacional, pendure essa mesma Bandeira nas janelas e sacadas de sua residência/escritório e às 20 horas, durante 10 minutos, desencadeie uma salva de foguetes para relembrar e festejar o cinqüentenário da Revolução que salvou o Brasil, em 1964. Também apague e acenda as luzes de sua residência intermitentemente. Se estiver dirigindo o seu carro, buzine repetidamente e pisque os faróis. Esta comemoração se presta também como um CULTO à memória daqueles 120 civis e militares que foram vítimas do terrorismo e de outros tantos feridos e mutilados na guerrilha urbana e rural, iniciada e comandada pelos principais digirentes de nosso país, que desejavam aqui implantar um regime do proletariado cubano-comunista. E continuam tentando... Vamos relembrar através deste ato simbólico, demonstrando que estamos vivos e atentos para impedir mais uma vez, a consecução de seus objetivos: - recuperar na América Latina o que foi perdido no leste europeu. Por aqui, não passarão! Divulgue, repasse! Cumpra com o seu dever!! MARCHA DA FAMÍLIA COM DEUS PELA LIBERDADE Em São Paulo: 22 de março - 15 horas Da Praça da República até a Praça da Sé O GRUPO TERRORISMO NUNCA MAIS (TERNUMA) Convida para a Missa em sufrágio das almas dos que tombaram na luta armada. O ato religioso será realizado às 20:00 horas do dia 31 de março de 2014 (2ª feira), na Paróquia São Camilo de Lellis (EQS - 303, Lote A, Asa Sul - Brasília/DF). AMIR / JUIZ DE FORA Convida para a solenidade a ser realizada em homenagem ao Cinquentenário do Movimento Cívico-Militar, iniciado nesta cidade. Informações: (32) 3217-8685 Estado de Minas - 07 de Fevereiro NOSSO COMENTÁRIO O 11º BI Mth 11º Batalhão de Infantaria de Montanha está sediado em São João Del Rei desde 1909 e de há muito vem participando da história e do desenvolvimento dessa cidade histórica. O prefeito pertence ao corrupto Partido dos Trabalhadores e não apresenta qualquer história. Ouvindo o coronel Sidônio Barroso Dias, comandante do Regimento Tiradentes de 1973 a 1975, disse que tomaria as seguintes providências – suspenderia qualquer convite ao prefeito e aos componentes da sua administração e todas as operações psicossociais – passaria a fazer compras e contratar prestações de serviços nos municípios vizinhos – não participaria dos desfiles de 7 de setembro – sua banda de música não iria mais abrilhantar qualquer cerimônia cívica municipal e por aí vai. O que terá levado esse prefeito a CINQUENTENÁRIO DA REVOLUÇÃO CÍVICO-MILITAR DE 31 DE MARÇO DE 1964 Convite tomar essa iniciativa? Recebeu ordens dos corruPTos ou está querendo aparecer? Lamentável sua atitude, que, temos certeza, não encontrará apoio na honrada e trabalhadora população sãojoanense. Aguardemos o dia 31 de março. Talvez ele se arrependa do que falou... E os sinos das Igrejas de São João Del Rei, bimbalharão novamente para gáudio daqueles que realmente amam a sua Pátria. NR: O jornalista Daniel Camargos, na matéria acima não prima pela verdade, tal qual seu colega mentiroso Marcelo da Fonseca da Redação do Estado de Minas. João Gourlat não foi deposto pelos militares e sim, pelo Congresso Nacional. Bastaria consultar o acervo do Estado de Minas/O Cruzeiro. Os presidentes do Grupo Inconfidência, AOR-EB - Associação dos Oficiais da Reserva/BH, ANVFEB/BH - Associação Nacional dos Veteranos da FEB, Clube de Subtenentes e Sargentos do Exército/BH, ABEMIFA - Associação Beneficente dos Militares das Forças Armadas, Associação dos Ex-Combatentes do Brasil/BH, AREB/BH - Associação dos Reservistas do Brasil, ABMIGAer - Associação Beneficente dos Militares Inativos e Graduados da Aeronáutica e do Círculo Monárquico/MG convidam seus assinantes, associados e integrantes para a palestra em comemoração aos 50 anos da Revolução Cívico Militar, a ser ministrada pelo General de Exército VALDÉCIO GUILHERME DE FIGUEIREDO. Data / Local: A ser divulgado oportunamente. COMPAREÇA E CONVIDE SEUS PARENTES E AMIGOS. Este convite é extensivo aos Comandos da 4ª Região Militar, do CIAAR - Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica, Polícia Militar/MG e aos alunos do Colégio Militar, do CPOR/BH e da Academia de Polícia Militar.
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 O AGRONEGÓCIO ESTADO DE MINAS // PENSAR Sábado, 15 de fevereiro de 2014 TRINTA ANOS DO MST O MST completa 30 anos com conquistas e desafios. Próprios de sua natureza, os desafios estão sempre em primeiro lugar. Ainda há muito a ser feito. O mais respeitado e consequente movimento social brasileiro precisa ser mais bem conhecido Ao Jornalista João Paulo,Editor de Cultura do ESTADO DE MINAS TRINTA ANOS DO MST Esse artigo, de página inteira, publicado no último sábado, dia 15, não faz coro com a verdade, embora você diga isto. Como se pode dizer que a relação dos governos com o MST, a partir de 1985, é policial se os movimentos sociais fazem o que querem e recebem verbas federais e estaduais em troca de apoio político, principalmente se o governo é do PT. A polícia só age para cumprir as tais reintegrações de posse, quando a lei e o direito de propriedade são criminosamente desrespeitados. Sem falar nos atos de vandalismo, onde o que se procura é o terror explícito, colocando geralmente jovens idealistas , mas inexperientes como "buchas de canhão", para as reais motivações do movimento. Às vezes, também, TEMOS VELHOS COMBATENTES COMO O TAL DE MARANHÃO, AMIGO DE LULA, QUE COMANDOU O QUEBRA - QUEBRA NA CÂMARA FEDERAL, HÁ ALGUNS ANOS ATRÁS. rior de Guerra? Uma das características mais importantes do MST é, com verbas públicas, patrocinar projetos de educação ideológica de orientação comunista. Os convênios com os comunistas cubanos permitem trocas de experiências de forma constante. Tudo isso é possível pelo conluio explícito com o governo do PT que tem no MST UMA MASSA DE MANOBRA PARA QUANDO NECESSITAR. Falar mal do agronegócio é meio que parecido com falar mal das Forças Armadas que salvaram o país do comunismo em 1964. Uma seleção de frases feitas , pouca profundidade e honestidade na pesquisa e, pronto, a matéria é publicada. Só não é tanto "chutar cachorro morto" porque o agronegócio, diferentemente dos militares, tem dinheiro para se defender e não sofre a censura imposta aos militares por vocês da imprensa e as proibições que vem de dentro do próprio governo como, por exemplo, a comemoração de datas históricas e outras imposições que são acatadas pelos militares, não sei até quando. Não existe independência do MST em relação ao Estado, ao contrário, a dependência é total das verbas, da não proteção aos proprietários de terras, da não intervenção da polícia e da leniência em cumprir as decisões judiciais desfavoráveis ao MST. Que relação tensa é essa com o Estado? O MST completa 30 anos com Vandalismo dos sem terra destroi a Câmara dos seu líder Stédile dizendo alto e bom tom, Deputados, invadida e depredada na tarde de 06 de porque conta com espaço generoso na junho de 2006 por cerca de 700 integrantes do MLST, mídia, que "agora a luta será desencaliderados por Bruno Maranhão deada nas cidades". O que significa isso? Invasões de casas e prédios? Apoio aos sem teto? No parágrafo referente à crítica feita Constituir-se em exército do "povo" nas eleições aos governos militares, lembro-lhe que o Esde 2014, a favor do PT, PARA CALAR A tatuto da Terra foi sancionado no governo OPOSIÇÃO? É preciso esclarecer. de Castello Branco e representou um avanço Já que o MST vem para as cidades, parece na época. Aliás, João Paulo, falar mal dos goque as ações no campo já deram certo e estariam vernos militares é fácil porque vocês mesmo concluídas. Você termina dizendo que muito há da imprensa decretaram a censura a qualquer a ser feito. O que? Onde? mensagem favorável àqueles tempos. Para terminar: a foto da menina que parO MST não é e nunca será patrimônio ticipa da manifestação da última semana em do povo brasileiro que, na sua maioria, não Brasília esconde o que de fato houve naquele dia aprova os métodos de invasões e terror que são com a tentativa de invasão do Foto: Agência Estado praticados no campo e o Palácio do Planalto e a audiênclima de insegurança cia do dia seguinte concedida consequente. O direito de ao MST. Tudo bonitinho, mas propriedade é um pressuque não convence. posto da cultura nacional A democracia é o regie reformar isto não enconme das liberdades e da livre tra eco na sociedade. iniciativa. A sociedade não toNo tópico refelera projetos ideológicos em rente a não existência de desacordo com as suas verdalideranças eu pergunto: No dia 17 de novembro de 2005, deiras aspirações. O MST não o que representa hoje no Bruno Maranhão e outros líderes do é democrático. MST o João Pedro Sté- MLST foram recebidos por Lula no O governo do PT é dile, conhecido porta voz Palácio do Planalto. Maranhão é da cúmplice do MST. do MST e que até, PASExecutiva do PT. Foi preso há Luiz Carlos Loureiro MEM, já ministrou pa- pouco, depois de liderar a invasão do Coronel, Diretor da AOR-EB em Belo Horizonte lestra na Escola Supeprédio da Câmara dos Deputados. 26 P HERANÇA MALDITA DOS MILITARES!!!: Agricultura Brasileira edro Álvares Cabral descobriu o Brasil em 1500 e o Brasil descobriu a agricultura em 2000. Durante 500 anos a agricultura foi o rebotalho nacional. Entrava no jogo do poder de sobremesa. Mesmo quando o café era o centro da economia nacional, a agricultura não passava de uma moeda de exportação. Agora, de repente, a agricultura virou a salvação da lavoura. A indústria emperra, cresce a índices medíocres e ela dispara, comandando as exportações. Só que os neobobos de sempre pensam que aconteceu por acaso, de milagre. Ainda esta semana, na “Veja”, o pomposo Roberto Pompeu de Toledo pergunta “Por onde andará Alysson Paulinelli, que há 30 anos a revista `Time’ elencou entre 150 futuros líderes mundiais” (dois brasileiros, ele e Célio Borja). Esta é uma história que os felpudos sobrenomes quatrocentões de Toledo não lhe deixam saber. Paulinelli é o pai da nova agricultura brasileira. O que está aí nas manchetes, nas estradas, nos portos, nas gordas estatísticas do comércio externo nasceu há 30 anos de uma visão revolucionária dele. Em 1973, no governo Médici, o ministro da Agricultura, Cirne Lima, do Rio Grande do Sul, criou a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisas Agrícolas). Mas ficou no papel. Cirne Lima brigou com Delfim, saiu, entrou o pernambucano Moura Cavalcanti. A Embrapa continuou uma idéia no papel. Chega Geisel em 1974, manda chamar para conversar o jovem secretário da Agricultura de Minas, Alysson Paulinelli, saído das salas de aula e da direção da Universidade Agrícola de Lavras, e diz a Geisel o óbvio: a agricultura brasileira só sairia da mesmice de 5 séculos de extrativismo se sofresse uma revolução tecnológica. Geisel o convidou para ministro: - Vamos fazer. Paulinelli chamou o presidente da adormecida Embrapa, Irineu Cabral, e o diretor de Recursos Humanos, Eliseu Alves, e estabeleceram o rumo: - Não queremos cientistas para resolver problemas da ciência, mas para resolver os problemas da produção. Pegaram uma verba de US$ 200 milhões e escolheram, nas melhores universidades brasileiras, 1.600 recém-formados e os mandaram para fazer mestrado ou doutorado nas melhores universidades agrícolas do mundo: Califórnia, França, Espanha, Índia, Japão, etc. Estava plantada a semente da maior revolução já feita na agricultura da América Latina. Eliseu Alves, logo o Eliseu Alves, que havia chegado dos Estados Unidos como uma referência mundial como cientista e como gestor de ciência e tecnologia, assumiu a presidência da Embrapa e implantou linhas avançadas de trabalho: 1 - Criou 14 Centros de Pesquisas, em 14 regiões do País, para pesquisar 14 produtos (exceção do café, que tinha o IBC, e do cacau, que tinha a Ceplac): soja em Londrina, no Paraná; mandioca e fruticultura em Cruz das Almas, na Bahia; milho e sorgo em Sete Lagoas, Minas; vinho em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul; feijão e arroz em Goiânia; gado de leite em Juiz de Fora; gado de corte em Campo Grande; seringueira em Manaus. 2 - Criou quatro Centros de Recursos Genéticos para o cerrado, em Brasília. Não foi milagre. Trinta anos depois, o investimento da Embrapa em aprendizado externo e pesquisas internas explodiu a agricultura brasileira. Não foi milagre, foi competência, visão correta da ciência e do País. Paulinelli voltou para Minas, seus estudos, suas aulas, suas assessorias. Eliseu Alves está em Brasília, com seus estudos, suas pesquisas, suas consultorias, ainda hoje o grande guru da agricultura brasileira. AAAhhh! Esses militares!!!!! Praga agrícola: ontem a SAÚVA, hoje o MST!!!
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 O Advogado Gregório Vivanco Lopes PT e a equipe governamental de“O agenciamento internacional de fendem o programa “Mais Médi- profissionais de saúde tomou-se tão cos” com unhas e dentes, entre outras rentável que o regime cubano passou a razões porque o êxito do mesmo seria um formar médicos em série. A exportação importante trunfo para a anunciada can- de médicos rende quatro vezes mais que didatura a governador de São Paulo do os ingressos obtidos com o turismo” atual Ministro da Saúde, Alexandre (Veja, 285/8/13) Padilha. Como também para a pretendida O fato de os médicos não recebereeleição da presidente Dilma Rousseff. rem o salário que lhes é destinado tem Mas há motivos inconfessados sido verberado como trabalho escravo. nesse imbróglio. Como é sabido. Cuba funQuando os primeiros cubanos, checiona como uma espécie de último bastião garam a Fortaleza tiveram uma recepção declaradamente comunista significativa da esquerda braMais médicos na América Latina. E as essileira. Os slogans que gritaou mais querdas em geral, em partivam em coro, de modo bem comunismo? cular a petista, têm a peito treinado, falam por si: “Bramanter o comunismo em Cuba custe o que sil”, Cuba, América Central, a luta sociacustar, mesmo a preço de tiranizar a infeliz lista é internacional”, “Segura o imperiapopulação local. lista, a América Latina vai ser toda soci“O contrato para envio de médicos alista”, “Viva Fidel e a Revolução”. cubanos ao Brasil é conquista estratégiDe modo geral os médicos cubanos ca – diplomática e econômica – para o são mais vítimas do governo dos irmãos governo de Cuba. A chancela da maior Castro do que culpados. O Dr Gilberto economia da América Latina ao programa Velazco Serrano, médico que conseguiu médico cubano alarga o prestígio conse- fugir da missão cubana na Bolívia e atuguido pelas chamadas “missões médi- almente em Miami, afirmou “O grupo de cas”, iniciadas nos anos 1960 por ideia de 140 pessoas não era formado apenas Fidel Castro. A atuação dos médicos, for- por médicos – havia pelo menos 10 mados no sistema cubano funciona como paramilitares para impedir que a gente propaganda automática do regime” (Fo- fugisse. Não me esqueço do que disse lha de São Paulo, 3/9/13) a chefe da brigada: “Vocês são guerriAdemais, como o pagamento aos lheiros, não médicos. Não viemos à Bomédicos não é feito diretamente a eles, lívia tratar de doenças parasitárias, vomas sim ao governo cubano, que lhes re- cês são guerrilheiros eu vieram ganhar passa uma pequena porcentagem, o con- a luta que Che Guevara não pôde termitrato redunda num considerável aumento nar” (Veja”, SP 31/8/13) de divisas para o governo de um país que Mais médicos ou mais comunismo? Jornal do Povo / Três Lagoas/MS (19/10/2013) o comunismo reduziu à miséria. NOSSO COMENTÁRIO Apesar de escrito há mais de 4 meses, continua atualizado e oportuno. Temos sido constantemente procurados por inúmeros médicos, pessoalmente e através de mensagens eletrônicas, perguntando-nos o que vamos (Forças Armadas) fazer. A resposta tem sido sempre a mesma – vocês é que têm que tomar as providências junto ao Conselho Regional (Federal) de Medicina e Associação Médica de Minas Gerais, processando, se for o caso, o governo federal, ou quem sabe, pedindo o impedimento da presidente por ferir a Constituição e a legislação trabalhista. Atendendo às insistentes solicitações, republicamos um extrato do “Desafio do Governo do PT”. Eu desafio o Governo do PT a exigir que o médico cubano tenha em mãos o seu passaporte. Eu desafio o Governo do PT a exigir que o médico cubano tenha uma Carteira de Trabalho. Eu desafio o Governo do PT a depositar o salário do médico cubano em uma conta pessoal, que lhe garanta livre movimentação. Eu desafio o Governo do PT a garantir todos os direitos trabalhistas ao médico cubano. Eu desafio o Governo do PT a cumprir a Lei, a Constituição e os Tratados Internacionais. É FANTÁSTICO! PTV Globo Institucionaliza a Viadagem CENA ABOMINÁVEL NA TELEVISÃO * Dirmar de Caireyt F oi encerrada semana finda novela de uma das mais prestigiosas emissoras de televisão do Brasil onde entre vários crimes, foi defendida a união de indivíduos do mesmo sexo, culminando com um ridículo e abominável beijo entre dois homens, ambos de barba na cara ainda que com os trejeitos e ademanes feminis que caracterizam tais tipos. O horário nobre não intimidou o autor, ele mesmo um adepto de tais praticas mas o revoltante é que a emissora, conservadora e de perfil familiar vinha conduzindo o relacionamento do “casal”! para um desfecho que não só agrediria a sociedade mas inauguraria uma nova fase em sua programação. Bichas e o equivalente feminino sempre serviram de chacota, de anedotas e brincadeiras entre os atores e jamais alguém tinha levado tão longe o que era costumeiramente uma pilhéria para fazer rir. O homosexualismo é impeditivo em várias carreiras e nas Forças Armadas não é tolerado ou mesmo admitido. Comprovado o desvio o infrator é imediatamente submetido a Conselho Disciplinar e excluído da unidade, sem apelação. Entende-se, no meio castrense, que um tipo envolvido com homosexuais não terá autoridade para comandar homens em ação ou fora dela. Faltar-lhe-á o atributo principal do líder que é o aspecto moral do qual deriva o respeito dos comandados. Não são confiáveis, igualmente, para funções executivas em grandes empresas ou redes comerciais funcionários “gays” devido a questionabilidade de seu caráter. Como Maçom posso assegurar que Internet MÉDICOS CUBANOS... o fundo do problema! 27 a secular instituição, que tantos e tão oportunos serviços tem prestado à humanidade, não aceita homosexuais em suas colunas e detectado um que tenha burlado as severas normas de ingresso, comprovadamente, será convidado a se retirar ou será excluído “ex-oficio”. As religiões também fazem restrições à presença de homosexuais em seus templos e igrejas e quando descobertos são expurgados. Desta forma parece que a emissora de televisão prestou um desserviço à família, aos valores morais e às mais caras tradições de nosso povo quando defendeu o indefensável. A agressão não ficará sem resposta. Das tribunas, das cátedras, das colunas da mídia, das assembléias, do púlpito outras vozes se levantarão para colocar as coisas em seus devidos lugares. * Jornalista em Brasília MÉDICI – A VERDADEIRA HISTÓRIA O LIVRO PODERÁ SER ADQUIRIDO POR R$ 30,00 NOS LOCAIS ABAIXO: l URUGUAIANA/RS Livraria Mundo do Livro – Galeria Barcelona - Rua Duque de Caxias, 1748 – loja 15 Centro - Tel. (55) 3412-3932 PORTO ALEGRE/RS l Martins Livreiro – Rua Riachuelo, 1291 - Centro Tel.(51) 3019.4624 PIRASSUNUNGA/SP l Cel Wagner Kourrouski - Tel.(19) 3562.8544 BELO HORIZONTE/MG l Banca na Av. Olegário Maciel, 1748 (em frente ao Hotel Platinum) l Buquinar Livros (31) 3287-5166 BAGÉ/RS l LEB - Livraria Editora Bageense Av. Sete de Setembro, 1314 - Centro Tel: (53) 3242-6142 leb2@terra.com.br www.livrariacultura.com.br SÃO PAULO/SP ADESG/SP – R. Álvaro de Carvalho, 48 4º andar - Centro - Tel.(11) 3159.2933 (Sandra / 14 às 20 horas ) SÃO LUÍS/MA l Livraria Resistência Cultural liv.resistenciacultural@gmail.com Av. dos Holandeses, QD 09, N-02 - Calhau RIO DE JANEIRO/RJ l Casa da FEB - R. das Marrecas, 43 - Centro Rio de Janeiro anvfeb@uol.com.br SANTA MARIA/RS l Coronel Leocir Dalla-Lana (GBOEX) R. Riachuelo, 60 - Centro - Tel: (55) 3211-3630 SALVADOR/BA l Livraria Cultura - Shopping Salvador Av. Tancredo Neves, 2915 jornal@jornalinconfidencia.com.br Caminho das Árvores - (71) 3505-9050 l
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 28 COMISSÕES DA VERDADE REALIZAM AUDIÊNCIA SOBRE OITO CASOS DE ASSASSINATOS DE MILITANTES DA ALN A Coronel Marco Antonio Esteves Balbi Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva” em parceria com a Comissão Nacional da Verdade realizará audiência pública nos dias 24 e 25 de fevereiro de 2014 sobre oito casos de militantes da Ação Libertadora Nacional (ALN). Nesta ocasião, serão tratados os assassinatos de: Alex de Paula Xavier Pereira, Gelson Reicher, Iuri Xavier Pereira, Ana Nacinovic Corrêa, Marcos Nonato da Fonseca, Arnaldo Cardoso Rocha, Francisco Emanuel Penteado e Francisco Seiko Okama. Para esta audiência, a Comissão Nacional da Verdade convocou agentes públicos acusados de participação nas violações dos militantes da ALN. "No dia 20 de janeiro de 1972 os órgãos de segurança surpreenderam Alex de Paula Xavier Pereira e Gelson Reicher, coordenadores do grupo de fogo do GTA, na Av Republica do Líbano, no interior de um Volkswagen. Ao serem abordados para identificação, os dois terroristas reagiram e atiraram, ferindo mortalmente o cabo da PMSP Silas Bispo Feche. Silas faleceu no caminho do Hospital das Clínicas, deixando viúva, em estado de gestação. Durante o tiroteio foi ferido gravemente o Sargento PMSP Oswaldo Ribeiro Leão. Sem qualquer ideia de rendição os terroristas continuaram atirando até tombarem mortos, crivados de balas." Página 694 do ORVIL - Tentativas de tomada do poder. Será que o (a) filho(a) do então Cabo Silas será convidado para a audiência? O que será que aconteceu ao então Sargento Oswaldo Ribeiro Leão? Ele ou seus familiares serão convidados para a audiência? " No dia 12 de junho de 1972, Yuri Xavier Pereira comandava o assalto à firma D.F. Vasconcelos, na Avenida Indianápolis, que rendeu Cr$ 130.000,00. O bando de assaltantes compunha-se de Antônio Carlos Bicalho Lana, Marcos Nonato da Fonseca, Ana Maria Nacinovic Correia e Francisco Seiko Okama. No dia 14 de junho, foi localizado o Volks de Yuri, estacionado nas proximidades do Restaurante Varela, no bairro da Mooca. Verificações realizadas no local permitiram constatar a presença de Yuri, Ana Maria, Marcos Nonato e Bicalho Lana que almoçavam na mesma mesa. A frequência ao estabelecimento no horário do almoço desaconselhou uma ação imediata. Montou-se uma "espera" nas proximidades do Volks. À saída do restaurante, quando o quarteto se acercou do carro, ocorreu o previsto. À voz de prisão, todos sacaram as armas dando início a um tiroteio que se tornaria decisivo para a desarticulação da ALN. Bicalho Lana, com uma rajada de metralhadora quebrou as duas pernas de um cabo da PMSP. Com um tiro na coluna, quedou ferido um sargento da PM, enquanto um investigador do DOPS também era atingido. Amparado pela potência de fogo de sua metralhadora, Bicalho Lana conseguiria afastar-se do local, sequestrar um carro e fugir. Marcos Nonato foi o primeiro a tombar morto, enquanto Yuri, armado com uma Lugger 9 mm, e Ana Maria, com um revólver .38, permaneciam engajados, mesmo feridos. Yuri tombou apertando o gatilho de sua pistola para não mais se levantar. Ana Maria, instada a render-se, permanecia atirando. Finalmente, o desfecho previsível, Ana Maria caiu morta ao lado de Yuri. Ao balanço trágico da ocorrência - três terroristas mortos e três policiais feridos - acrescentaram -se ferimentos à bala, na menina Irene Dias, de oito anos de idade, moradora na Rua Cuiabá, 172, e, em Rodolfo Aschrman, residente na Avenida Paes de Barros, 2520/871. As duas vítimas inocentes encontravam-se na calçada oposta aos terroristas, sendo por eles atingidos na tentativa desesperada de romper o cerco policial." Páginas 698 e 699 do Orvil Tentativas de tomada do poder. Será que a comissão irá verificar se os três agentes do Estado ainda estão vivos? Se ficaram com alguma sequela, em função dos ferimentos recebidos? O Estado os amparou, assim como aos seus dependentes? E a menina Irene, onde andará? E o senhor Rodolfo? Residirão ainda nos mesmos endereços? Como a vida deles se desenrolou, a partir daquela data? "Atribuindo a morte de Yuri Xavier Pereira e seus companheiros à delação de um dos proprietários do Restaurante Varela, no bairro da Mooca, onde o terrorista e seu bando foram localizados, decidiu-se pelo seu assassinato, com o pomposo título de "justiçamento". O comando "Aurora Maria Nascimento Furtado", constituído por Arnaldo Cardoso Rocha, Francisco Emmanuel Penteado, Francisco Seiko Okama e Ronaldo Moutta Queiroz, foi encarregado da missão, e assassinou, no dia 21 de fevereiro de 1973, o comerciante Manoel Henrique de Oliveira. Às 7 horas da manhã, quando Manoel descia do seu Volkswagen, acompanhado de um sobrinho menor, para abrir o restaurante do qual era um dos quatro sócios proprietários, foi metralhado, sem que pudesse esboçar um Em janeiro deste ano foi lançada a 9ª edição do livro “A Verdade Sufocada – A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça” – da autoria do Cel. Carlos Alberto Brilhante Ustra.É uma edição comemorativa dos cinquenta anos da Revolução de 31 de Março de 1964, ampliada e atualizada - mais 82 páginas -, e prefácio do General Luiz Eduardo Rocha Paiva. COMO ADQUIRI-LO: 1- Por e-mail: averdadesufocada@terra.com.br - ou pelo telefone (61) 3468-6576 l 2 - Livraria Brasil. Net l 3 - permanência.org.br l 4 - Livraria Cultura – Brasília – São Paulo – Rio de Janeiro – Curitiba – Porto Alegre – Salvador – Recife l gesto de defesa, não tendo seu sobrinho sido atingido pelas rajadas de metralhadora por um acaso. Manoel, de 39 anos, de nacionalidade portuguesa, viera para o Brasil há pouco mais de um ano, "para tentar a vida na terra da promissão". Com sua morte, antes que pudesse enriquecer, deixou sua mulher com duas crianças pequenas totalmente desamparadas, numa terra estranha." Páginas 756 e 757 do Orvil Tentativas de tomada do poder. Será que a família do Sr Manoel será convidada pela comissão para a audiência? Sua esposa teria permanecido no Brasil, com as duas crianças pequenas ou teria retornado para a Portugal? Como será que as crianças foram criadas e educadas? " No dia 2 de março de 1973, em São Paulo, ao abordar um local suspeito de tráfico de tóxico, a polícia foi recebida à bala, e os meliantes lograram fugir. Um deles, nissei, na fuga, deixou cair uma maleta contendo documentos da ALN, sendo o fato comunicado aos órgãos de segurança. No dia 15, com o auxílio dos policiais envolvidos nesse incidente, foi dada uma nova "batida" no local, tendo sido ali identificado o mesmo elemento que deixara cair a maleta com documentos durante a fuga anterior, acompanhado de outros dois. À ordem de prisão, reagiram, travandose cerrado tiroteio. Ao dispararem suas armas, os terroristas feriram a transeunte Aparecida Guarnieri Rodrigues e um policial. Ao cabo da refrega, os três elementos estavam mortos, tendo sido identificados como Francisco Seiko Okama, Arnaldo Cardoso Rocha e Francisco Emanuel Penteado." Página 758 Orvil - Tentativas de tomada do poder. Será que a comissão logrou identificar o policial ferido e saber como ele se curou? Conversou com a D. Aparecida para saber dela como sua vida transcorreu a partir de então? Estas pessoas comparecerão à audiência? O que foi acima relatado foram as circunstâncias dos "assassinatos" que as Comissões da Verdade irão apurar! FUSEX - FUNDO DE SAÚDE DO EXÉRCITO O FUNDO DE SAÚDE DO EXÉRCITO - FUSEX foi criado pelo Dec. nº 79440, de 29.03.1977, e regulamentado pela Port. Min. nº 3055, de 07/12/1978. Ao apresentarmos e sugerirmos algumas mudanças no atual sistema FUSEX, o fazemos apenas com o intuito de aperfeiçoar o sistema para atender melhor a nossa saúde. O Fundo arrecada mensalmente, desde a sua criação, com desconto obrigatório em folha, do pessoal da ativa, inativos e pensionistas, uma expressiva Receita cujo destino é o Tesouro Nacional, dinheiro particular de contribuinte transformado em dinheiro público e incorporado às “Re- SUGESTÕES ceitas da União”. O assunto é válido para todas as Forças Armadas. Assim, não temos um fundo financeiro porque, em economia, um FUNDO significa “recursos monetários específicos quando reservados para determinado fim”. A nossa contribuição para o FUSEX não sendo para um fundo específico, torna-se um imposto a mais para a receita da União, somado a tantos outros tributos que já pagamos. Essa enorme massa de dinheiro poderia ser recolhida não ao Tesouro, e sim, a uma instituição financeira particular rendendo juros e correção monetária, com uma diretoria executiva, supervisionada pelo próprio DGP (DCIPAS) sem as amarras e a burocracia do serviço público. Então teríamos um verdadeiro PLANO DE SAÚDE particular, prestador de serviços médicos hospitalares de qualidade aos militares e pensionistas do Exército. Nós sabemos que a rapidez e a qualidade do atendimento médico são itens fundamentais para a cura do paciente. O dinheiro público obedece a normas rígidas em seu trâmite, ocasionando demora na liquidação da despesa, inclusive, o seu repasse lento e burocrático fica à mercê da boa vontade das autoridades financeiras do governo federal que podem ainda “contingenciar” a liberação da verba. Essa rotina afasta médi- Coronel José Batista Pinheiro cos, hospitais e laboratórios particulares em se conveniar ao FUSEX. Os hospitais militares não possuem médicos em todas as especialidades, embora preste bons serviços dentro de suas limitações. Nos guichês do FUSEX nos hospitais a própria cultura militar cria alguns obstáculos desnecessários. Outro procedimento danoso é o contribuinte ter que pagar 20% sobre quase toda a despesa gerada pelo atendimento médico do sistema. Salvo melhor juízo, a complexidade do assunto indica o Comando do Exército, órgão maior da Força, com competência para apreciar e dar início às gestões necessárias para as melhorias sugeridas.
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 29 31 DE MARÇO DE 1964 - UMA DATA A SER LEMBRADA C ompleta no próximo mês o seu Jubileu de Ouro o Movimento CívicoMilitar ou a Revolução Democrática Brasileira, na realidade uma contra-revolução que salvou o País do caos para o qual estava sendo conduzido e que postergou, por vários anos, o êxito de nova tentativa de tomada do poder por uma minoria comunista, então encastelada nos sindicatos e outras instituições, bem como em diversas esferas do Governo. Nossos detratores, os vencidos de então, que anistiamos na esperança de paz e de concórdia nacionais, incansáveis, obliterados e empedernidos que são, e outros que não viveram aqueles tempos sombrios mas que procedem como “o papagaio de casa de tolerância do interior”, rotulam-no de “Golpe Militar” que implantou a “ditadura” no Brasil. Este meio século, para eles, significa “anos de chumbo”, ou “anos de escuridão”. A técnica da propaganda aconselha que os slogans, os chavões, as idéias-força, as palavras-chave, devem ser repetidas à larga, até tomarem foros de realidade. E não faltam “marqueteiros” milionários, vendedores de ilusão, para ajudar nesse mister, que conta com a ampla difusão de certa mídia, comprada ou comprometida ideologicamente, e que não respeita ética e nem tem compromisso com a verdade. Se perguntarmos a um desses que engrossam tal corrente, até bacharéis, se sabem o que caracteriza uma ditadura e quais são os parâmetros de uma democracia, terão dificuldade em responder. Ignoram que todos os Presidentes Militares foram eleitos pelo Congresso e que a maioria dos países democráticos utiliza uma forma indireta de escolha de seus mandatários. Nunca se deram conta – ou esqueceram-se, ou jamais lhes disseram – por exemplo, que José Maria Alkmin, ex- Ministro da Fazenda de JK, foi o Vice-Presidente de Castelo Branco, e que Aureliano Chaves, exGovernador de Minas Gerais, o foi de João Atentado ao QG do II Exército Figueiredo. Não lhes interessa lembrar que o MDB era o partido de oposição e que, por duas vezes, chegou a lançar candidato à Presidência da República, derrotado no voto. E que havia, circulando, jornais contra o governo, como, no Rio de Janeiro, o Correio da Manhã....Ditadura? Mas, por quê ocorreu, há meio século, o movimento de que estamos falando? A situação nacional deteriora-se a tal ponto que se temia um iminente golpe comunista, tal * Pedro Luis de Araújo Braga como o tentado em Novembro de 1935, para gadora da Nação e sem derramamento de a tomada do Poder. Eram greves em atividades sangue – diferente, pois, do que ocorreu em essenciais, desabastecimento, inflação galooutros países onde foi implantado, pela força, pante, comícios ameaçadores, serviços públio regime comunista – o Brasil ainda viveu anos cos em crise, as intimidações da CGT. E a difíceis, com o surgimento da luta armada, nas Nação, cuja voz era a voz de Deus, aflita, cidades e no campo: assaltos, seqüestros, temerosa, apelou para suas Forças Armadas roubos, atentados, guerrilhas. Foram os co– povo fardado que sempre, ao longo dos munistas novamente derrotados e, outra vez, tempos, estiveram a seu lado, pois nunca não contaram com o apoio da população. foram intrusas na História Mas, como resultado ou Pátria. Como bem escreveu o vingança, nossos detratores rolendário Osório, “a farda não tularam todos os que, cumprindo abafa o cidadão no peito do ordens superiores, empenharamsoldado”. Sempre é bom lemse na defesa da democracia, como brar a extraordinária “Marcha “torturadores”, tal como dão, gecom Deus e a Família pela nericamente, a todo profissional Liberdade”, que congregou, da área de Inteligência – essencial em passeata cívica e ordeira, a qualquer Estado democrático – O ALMIRANTE Cândido Aragão volta ao um número incontável e o epíteto de “Araponga”. Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros inimaginável de bons brasileiDerrotados naquela luta, Navais, carregado em triunfo nos ombros ros, de iniciativa e coordenaapresentam-se hoje como “hedos marujos vitoriosos ção de Senhoras da sociedade. róis da democracia”, cada qual frente, Brasil!” Hoje, uma entidade que pareNo âmago das Forças fingindo ser um idealista que só ce não ter nada mais para fazer, quer mudarArmadas, a disciplina e a hiequeria o bem do Brasil... No funlhe o nome. Está olhando pelo retrovisor da rarquia, suas bases constitudo, há um interesse por indenizaHistória! Será que pretende retirar o nome de cionais e verdadeiras cláusuções, bolsas e cargos. E um exemGetúlio Vargas, ou Presidente Vargas, que las pétreas, eram violentadas plo dessa desigualdade e injustiexerceu, verdadeiramente, o governo ditaàs escâncaras. Inspirados na ça é patente: Mario Kozel Filho, torial, do Estado Novo, dado a inúmeras velha tática napoleônica, tenum jovem soldado que durante a cidades, usinas, escolas, hospitais e tantos taram dividir-nos, para nos prestação do Serviço Militar inioutros logradouros públicos, no País, de bater por partes. Falava-se, cial, estava de serviço de sentineNorte a Sul? E a propósito, não reconhecem abertamente, em “classe dos la no Quartel-General do então II que tal ditadura de quinze anos só teve fim, sargentos” e “classe dos ofiExército, em S. Paulo, foi vítima na realidade, quando do regresso vitorioso ciais”, como se não houvesse de um atentado terrorista e mordos nossos pracinhas que lutaram contra o uma classe militar única e reu; sua beneficiária recebe pennazi-fascismo no Teatro de Operações da indivisível, organizada em cír- A "Marcha da Família com são normal de 3º Sargento, graduDeus pela Liberdade" Itália. culos hierárquicos, sob uma ação à qual foi promovido post na Av. Rio Branco Agora, usando a mesma tática do disciplina comum. Teciam-se mortem, enquanto que o assassigrande general francês antes mencionado, freqüentes loas aos chamados “Generais e no que o matou, anistiado, recebeu polpuda procuram separar o “Exército de hoje” do Almirantes do povo” – os “legalistas”, afinaindenização e tem um salário mensal vitalício, “Exército de ontem”, fosso este que tentam dos com o Governo e que colocavam a lealisento de Imposto de Renda... cavar também nas outras Forças Singulares. dade à figura do Presidente acima de seu Guerrilheiros de ontem, condenados compromisso para com a Nação, pois só esta hoje por outros crimes recentes de corrupção Como se iludem! As infiltrações sensíveis de antes de 1964 nelas não se repetiram. é eterna – e os “Gorilas”, os que manifestavam e afins, têm a desfaçatez de se declararem Somos todos, da Ativa, da Reserva e Reforpreocupação com o estado das coisas e, por “presos políticos”. De seus companheiros de mados, uma classe que pensa igual, que está várias vezes, haviam alertado o Goveraventura, hoje no Poder? alerta e vigilante, que troca idéias e que quer no para a situação preocupante, na As obras destes cinqüentas anos aí o progresso do País e o bem-estar do povo. esperança de uma mudança sensata estão, Brasil afora. É impossível alinhá-las O Brasil, que nasceu sob a sombra da de postura. Mas o Comandante Sutodas nestas poucas linhas. Bem feitas, cruz e que, como diz o cancioneiro popular, premo só ouvia os “pelegos” que tiporque construídas com competência, ho“é bonito por natureza e abençoado por Deus”, nham livre acesso a ele. nestidade e fiscalização. Ninguém foi acuserá sempre uma nação cristã, fraterna e acoMuitos não querem lembrar da sado de corrupção. Não houve majoração lhedora, amante da paz, livre e democrata. revolta dos sargentos em Brasília; da indecorosa de preços, nem “mensaleiros”, Jamais será dominada pelos comunistas, mes“Associação de Marinheiros e Fuzileitampouco dinheiro na meia ou na cueca, mo que isto custe a vida de muitos. É o nosso ros”, que pregava abertamente a insunem lavagem e depósitos em contas em compromisso! bordinação e cujos dirigentes, seguidos paraísos fiscais. Aqueles que as edificaram por outros, acabaram refugiando-se no morreram pobres. Mas, para os detratores * General de Exército - Presidente do Sindicado dos Metalúrgicos, que lhes sempre ativos, é imperioso desvinculá-las Conselho Deliberativo do Clube Militar deu apoio e de onde foram retirados, daqueles que as idealizapresos; da reunião no Automóvel Cluram e tornaram-nas realibe do Brasil, no Passeio Público do RJ, com dade. Daí até o nome de o incentivo e a presença de João Goulart, e do algumas tentam agora muespetáculo deprimente de praças carregando dar. Na modesta placa de nos ombros um Almirante, seu adepto – todos bronze colocada na Ponte fardados -, demonstração inequívoca de queCosta e Silva, lê-se: “...É bra de disciplina e de hierarquia. Não interessa um exemplo da determinamencionar os comícios comunistas, a ação das ção do Povo Brasileiro em Ligas Camponesas, dos “Grupos dos 11”... caminhar firmemente para Era a própria revolução marxista em marcha! o futuro.” Este era o espíVitorioso o movimento democrático, rito nacional àquela época! tão solicitado e aplaudido pela maioria esmaOs jovens cantavam: “Pra Comício da Central do Brasil - 13/03/1964
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 BLACK BLOCS TERRORISTAS A SOLDO * Edgar P. Wieczorek S e todos os governos estaduais ordenassem às suas forças policiais que agissem preventivamente contra atos de violência durante quaisquer manifestações públicas não teríamos assistido a tantos abusos, incêndios, depredações, invasões, roubos, e, muito provavelmente, não teria ocorrido a morte do jornalista. PM de SP usa tropa ninja, cerca e prende vândalos do black bloc Consultem a matéria publicada na News Letter do Jornalista Políbio Braga dando conta de que, pela 1ª vez, a Polícia recebeu ordens para agir antes que o quebra-quebra começasse. –Isso só ocorreu porque foi em São Paulo onde o governo estadual é oposição ao PT, mas... por que o governo paulista só agora faz o que deveria ter feito desde os primeiros atos de vandalismo? –Isso dá o que pensar!!! –É que tal iniciativa, agora, que estamos no início de um ano de eleição, terá muito maior repercussão popular e renderá maiores dividendos políticos do que se o governo estadual houvesse tomado a mesma iniciativa no ano passado. –Logo, se assim é, não estamos diante de confrontos entre a sociedade pacífica e terroristas, ladrões e assassinos; não, nós cidadãos pacíficos e ordeiros estamos metidos no meio de uma briga entre ferozes cães políticos que se digladiam por mais poder nas próximas eleições. Tentem não interpretar isto como mais uma mera “teoria da conspiração”; analisem os fatos e verão que o governo federal mandará seus asseclas retirarem, progressivamente, os terroristas das ruas para “garantir a segurança pública” durante a copa e, depois disso, já na reta final das eleições, alardeará aos quatro ventos que o governo petista agiu com eficiência no controle da criminalidade... ainda vão botar banca de heróis... e, o Povão, se deixará enganar novamente??? * Corretor de Imóveis / Porto Alegre/RS 30 30 DEMONSTRAÇÃO DE FORÇA E UNIÃO G loriosas páginas escritas e contribuições para a conquista e consolidação da República, e gradual sedimentação da democracia, estão na História do Clube Militar que não concretizou a pleno o sonho dos seus fundadores sob a farda e a espada do Marechal Deodoro. Farda e espada que representam o espírito combativo do militar, postos a serviço da Pátria. O foco sobre as ameaças à Nação não alienou aqueles idealistas das gentes que integram a força armada a pugnar por dignidade compatível com o exercício das funções de soldado, como bem colocado no Estatuto do distante 26/junho/1887, Art. 1º, onde o Clube estabelece dentre as suas finalidades, no § 3º: - “Defender pela imprensa e junto aos poderes do Estado os direitos e legítimos interesses da classe militar.” O “que”, “quando” “como”, “com que”, perguntas respondidas e postas em prática ao longo do tempo por sucessivas diretorias na conquista de objetivos. O Art. 3º impunha uma meta não alcançada até os dias atuais: - “Serão igualmente fundadas nas capitaes das províncias... Clubes Militares, que se regularão pelos presentes estatutos,...”. Nem se conseguiu um número de associados que se aproximasse de outras entidades de classe. Por quais razões? Fez-se alguma pesquisa a respeito? Quais os resultados? Qualquer entidade precisa de recursos financeiros e inteligência na condução dos seus destinos. Simplesmente copiar o dia anterior é permanecer no degrau de uma escada rolante circular tipo roda-gigante. Olhar o passado, aprender com o passado, mas empreender no presente. Modificar estruturas? Adequálas e bem servir aos associados. Reengenharia? Como o Clube Militar conviveu com governos desqualificados, prenhes de corrupção e antidemocráticos? Não foi pela passividade. Esta não foi a seiva que alimentou gloriosas lideranças que não mais estão no plano terreno. O Clube Militar tem que ser a caixa de ressonância dos problemas militares em relação ao governo, nele incluídos os Comandos Militares e não o contrário. Os Comandos estão manietados na estrutura atual do governo, embora não sirvam a governos, nem lhes devam fidelidade, quando ameaçam os pilares da democracia, ainda que engendrando artimanhas constitucionais. O direito de debater sobre o Clube Militar está à disposição de qualquer cidadão, militar ou não. O de discutir, de votar e interferir nos rumos do Clube que é mais importante para transformar pensamento em ação, somente como sócio da entidade. A diferença entre envolvimento e comprometimento é típica entre a galinha que põe o ovo e a vaca que contribui com o bife. Seja sócio do Clube Militar e comprometa-se com os interesses da classe e vote naquele nome que melhor represente o seu pensamento. Se você quer mudanças, vote em um projeto novo que preencha o arcabouço dos seus conceitos para atender as necessidades do militar e família, como pessoa; como profissional para cumprir a missão imposta por seu juramento e, como cidadão, discutir as questões nacionais. Faça parte deste compromisso. A força do Clube Militar é a resultante do empuxo que cada um lhe aplica. Ascender sem força é impossível. Venha integrar essa força com o peso do seu voto. O Estatuto em vigor contempla: Art. 1º .... é uma associação de direito privado... de caráter representativo,... Art. 2º – O Clube tem como objetivos: I – defender os legítimos interesses dos sócios e pugnar por medidas acauteladoras dos seus direitos, em juízo ou fora dele;... VIII – estudar os assuntos relevantes de interesse coletivo e propor soluções... X – preservar as tradições e zelar por seu prestígio no seio das Forças Armadas e da sociedade brasileira; XI – colaborar com as Forças Armadas na preservação da memória de seus feitos… XIII – Defender os interesses nacionais relevantes.... Daí, há que se dispor de uma estrutura para cumprir as missões impos- * Ernesto Caruso tas pelo Estatuto, com modernidade. Dentre os interesses pessoais, estão os vinculados aos vencimentos, saúde e promoção, comparáveis com outras carreiras de estado (hoje, um acinte) e, compatíveis com o patamar de responsabilidade e condições de execução das atividades militares. Para quem não sabe ou não fez a conta, um serviço, p.ex., em um domingo/feriado, iniciado às 7 horas da manhã, termina às 7 h do dia seguinte; são 24 horas de serviço. Em prosseguimento, faz-se o expediente de 7 às 16 h, se tudo correr bem. Ou seja. 33 horas de quartel. No dia posterior, a rotina. Instrução como em qualquer escola, preparação, provas, correção. Acampamentos de 3/ 4 dias. Ainda, trabalho com explosivo, gases, tiros de canhão, granadas, riscos de acidentes. Sem pagamento de horas extras, nem adicionais de periculosidade e insalubridade. Riscos comuns aos que lidam com petróleo/eletricidade/gás, como o frentista do posto de combustível. Saber cobrar das autoridades! Vejam a evasão de oficiais das FA; segundo a VEJA, 249 em 2012 e 250 em 2013. Interessante observar os PRINCÍPIOS que regem as eleições (Art. 55), dentre os quais o inciso IV – PRINCÍPIO DA ÉTICA MILITAR - o sentimento do dever, o pundonor militar e o decoro da classe impõem, a cada um dos integrantes das Forças Armadas, conduta moral e profissional irrepreensíveis. Todos os integrantes das várias chapas são íntegros e experientes. As origens e as carreiras são muito semelhantes e demonstram cabalmente a experiência exigida para os cargos. Mas, o momento é de definição e inflexão. O que se fez e o que é preciso mudar, reestruturar, evoluir. Leio na Revista do Clube, Ago 1951, “Iniciaram-se no dia 6 de julho os debates sobre a Lei de Promoções, na sede do Clube Militar.”. Sob qual compartimento? Estudo e orientação do Departamento Cooperativo. Pensar e fazer. Eis que a eleição para o Clube Militar de 2014 coincide com os 50 Anos da Revolução de 64. É crucial e importante demonstrar à sociedade que o regime militar deu o passo certo na construção da democracia, ao contrário dos governos revanchistas no poder e a pretensão de lá se perpetuarem na trilha para o socialismo. Assim, a eleição para a direção do Clube, foi alvo de destaque na imprensa com a citação do nome do Coronel Ustra. Fato semelhante e com bastante repercussão, com ameaça de punição foi a veemente resposta à retirada do manifesto do portal do Clube, com desgaste para os militares, que mereceu o aporte de milhares de assinaturas, a demonstrar repulsa ao governo atual. Dois fatos importantes marcam este momento. O nome do Cel. Ustra, sob fogos do inimigo há muito tempo, com ações na justiça, e constante citação negativa desde quando era Adido Militar. Respaldar o seu nome, por si só assinala uma POSIÇÃO de combate permanente ao credo vermelho. O manifesto “ELES QUE VENHAM. POR AQUI NÃO PASSARÃO.”, de autoria do General Marco Felício é o outro ponto forte QUE DEFINE A POSIÇÃO dos militares. Na oportunidade foi entrevistado por vários órgãos da imprensa e também citado como candidato à presidência do Clube Militar. Sensibilidade dos jornalistas pela notícia. Pense nisso, e vote na chapa TRADIÇÃO, COESÃO E AÇÃO *Coronel
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 O Tempo - 06/01/2014 PREVIDÊNCIA DOS MILITARES TAMBÉM ACHO ABSURDO QUE A NAÇÃO PAGUE TANTO PARA RECEBER TÃO POUCO Uma das críticas veio na comparação de que a previdência dos militares, em alta constante nos últimos anos, superou em muito os gastos do governo com o programa Bolsa Família. o conjunto das reações, a mais O Jovem que presta serviço militar eloquente se apega ao fato de que sai do Exército igual a como entrou, se os militares prestam “enormes serviços tinha alguma formação continuará com ela na defesa nacional” e coisas do gênero. e se não tinha será devolvido como entrou. Desculpem-me se sou mal-informado, Lá ele terá aprendido a lavar cavalos, varrer mas estou aberto a esclarecimento: o quadras, jurar a bandeira, manejar armas que fazem os militares no Brasil? Não obsoletas – tão inservíveis que se um dia podem ser usados no apoio às ações de entrássemos numa guerra ou discussegurança pública, porque essa não é a são, ainda que contra a surrada Venesua função constitucional; as ações de zuela, correríamos perigo. engenharia do Exército, além de muito Por que o Exército, a Marinha ou a pontuais, são sempre muitíssimo mais Aeronáutica não podem contribuir em caras, dada a falta de tecnologia que programas de alfabetização, de vacinaemprega nas suas obras. ção, de segurança pública? (Excertos) N NOSSO COMENTÁRIO Em conseqüência dessa provocação às Forças Armadas e tamanha desfaçatez desse individuo, enviamos uma mensagem aos nossos assinantes de Belo Horizonte, anexando a página 22 da edição nº 198, como também ao jornalista Vittorio Medioli, fundador do “O TEMPO”. Tivemos um retorno além da expectativa - dezenas e dezenas de mensagens, entre as quais, algumas impublicáveis e outras, a grande maioria, rechaçando os ataques mentirosos às nossas Forças Armadas, em particular o Exército, tais como: PREZADO VITTORIO MEDIOLI Faz tempo que não trocamos mensagens. Gostaria de saber, se no fim do ano lhe entregaram o nosso jornal de dezembro. Lamento sinceramente de lhe repassar o documento em anexo - página 22 do nosso último jornal que rebate aleivosias publicadas pelo seu vice-presidente, Luiz Tito. Não entendo como pode escrever tais afrontas às Forças Armadas Brasileiras, em especial ao nosso Exército. Qual o motivo de tal provocação e de tantas mentiras? Desde já, agradeço a atenção que possa merecer. Abs, Miguez l l l Em Domingo, 9 de Fevereiro de 2014 9:05, CelMiguez <celmiguez@terra.com.br> escreveu: (mensagem encaminhada aos leitores/assinantes de Belo Horizonte) Qual o interesse em escrever tanta mentira contra as FFAA? Quem estará bancando? FSP, PT, Dilma.....Favor contestarem o autor e repassar. Miguez/Editor l l l CORONEL PMMG WANDERSON SOARES DOS SANTOS Onde estão o Exército e as demais Forças, que não rebatem essa notícia, publicada no "O Tempo"? Onde está o pessoal da Ativa? A hora não é de calar. É de rebater, contestar. Onde não se encontra reação, existe avanço. Por isso, que esse peesoal está indo longe demais. Temos que pensar nisso. Não podemos jogar toda a responsabilidade de reação, para a Reserva. A Ativa tem de estar solidária com a Reserva. Juntos, com certeza, poderemos muito mais. Vou repassar essa sua mensagem aos meus contatos, contestando-a. l l l GENERAL MARCO FELÍCIO Propagar mentiras é crime e como tal deveria ser impedida de publicação ou se for veiculada sofrer o rigor da lei. O dono do jornal, não pode permitir a mentira e a agressão moral às Forças Armadas. Isso não é o bom uso da liberdade que a Democracia defende. É libertinagem!!!! 31 MÉDICO CARLOS OSCAR FILIZZOLA Outro petista/comunista que provavelmente recebe verbas do governo para denegrir as Forças Armadas já tão sucateadas. Como outros serviços que ele cita no artigo que são de responsabilidade exclusiva dessa governo que suga o nosso país doando nosso dinheiro para porcarias de países esquerdistas em vez de investir em segurança, educação e saúde, tão sucateadas e que não são responsabilidade das Forças Armadas. l l l ECONOMISTA MARCO HERODIANO SIQUEIRA DA CUNHA É claro que o PT/DILMA. Acho, SMJ, que é chegada a hora das Forças Armadas tomarem uma posição, porque quem cala, consente. l l l PROFESSORA LEDA DE CAMPOS PEREIRA Esse "jornalista" de "O Tempo" é um cínico deslavado. Dizer que o rapaz sai do Exército como entrou, só fuzilando. Luiz Tito deturpa a verdade – na Previdência dos Militares, nas ações da Engenharia do Exército, quanto ao Reservista e nos programas de apoio às calamidades – dando um péssimo exemplo aos seus jornalistas. Lembramos que um deles, Gustavo Prado, também mentiroso e irresponsável, apresentou no ano passado, reportagem sem qualquer fundamento atacando o Exército Brasileiro, tal qual o seu "mestre", Luiz Tito. Quem estará pagando? O Foro de São Paulo, a cOmissão Nacional da Verdade, o PT ou o Governo Federal? Ou a mídia chapa branca; (quantos jornalistas estarão aparelhados em instituições governamentais municipais, estaduais e federais?) venal e vendida com essas falsas notícias, espera receber milhões de reais de propaganda institucional do governo corruPTo e comunista da presidente Dilma? Como colaboração – apresentem reportagem sobre o livro “Assassinato de Reputações”, o andamento do processo da devolução dos salários recebidos indevidamente pelos deputados estaduais mineiros que se arrasta há 12 anos ou ainda sobre o recebimento de um milhão de reais pagos pela Fiemg ao candidato a governador, Fernando Pimentel, amiguinho da Dilma e colunista desse jornal para apresentar palestras/consultorias, nunca concretizadas...Deixamos de apresentar uma interpelação judicial contra Luiz Tito por ofensas ao nome do Exército Brasileiro e também solicitar o mesmo espaço para o direito de resposta, em virtude da orientação do nosso advogado: - o ofendido foi o Exército e somente a ele compete qualquer providência judicial. D PROCESSOS EM ANDAMENTO eixamos de publicar maiores informações sobre os três processos que estamos acompanhando em virtude da absoluta falta de espaço, apesar de termos adicionado quatro páginas nesta edição. O primeiro que corre na 4ª Vara Federal de Minas Gerais, com uma nova movimentação em 20 de fevereiro, no qual é julgado procedente condenar José Genuíno Neto, Delúbio Soares, Marcos Valério e outros, além da diretoria do BMG, com baixa dos autos para a 4ª Vara Criminal federal da 1ª Região. A ação popular proposta contra os deputados estaduais que visam a devolução dos salários recebidos ilegalmente, transita na 2ª Vara da Fazenda Estadual, há mais de 10 anos e em 10 de outubro de 2013, teve a sua última movimentação. Já sabemos o nome do Juiz que indiciou os deputados, hoje desembargador do TJMG, com quem tentaremos um contato. E também do advogado autor da ação. A terceira ação Civil Pública, corre na 13ª Vara Federal, sendo réus Luiz Inácio Lula da Silva e Amir Francisco Lando, tem por finalidade o ressarcimento dos danos causados ao Erário por ambos, com autuação em 30 de janeiro de 2011. Já se passaram 3 anos... Na edição de abril, maiores informações. A TRIBUTO A UM HERÓI campanha do Vale do Ribeira ganhou mais um livro para contar a história do Tenente Mendes Junior. No dia 08/02, foi lançada a obra “Tributo a um Herói”, escrito pelo Coronel PM José Carlos Xavier, que estará disponível nas livrarias Cultura e Martins Fontes. O lançamento ocorreu na Associação dos Oficiais da Policia Militar do Estado de São Paulo. O Tenente Mendes Junior foi covardemente assassinado a coronhadas pelo desertor do exercito brasileiro Carlos Lamarca. Enquanto o algoz de Alberto Mendes Junior ganhou filme e livros (um já na 16ª edição), nosso tenente herói tem poucas obras contando sua vida e seu lamentável fim. Vamos prestigiar este livro, que faz um registro histórico importante da época e retrata a história deste PM que cumpriu seu juramento com o sacrifício da própria vida. Vamos manter vivo este nome. Vamos valorizar nossos heróis covardemente assassinados. Garantiremos que esta triste história não será esquecida pelos que dizem buscar a “verdade”, mas que esquecem as barbaridades cometidas pelos intitulados “guerrilheiros”, mas que na realidade eram criminosos...
  • Nº 199 - Fevereiro/2014 32 NÃO VOTO EM A DIFÍCIL ARTE DE SER MÉDICO A JESUS o tomar conhecimento da invasão de médicos cubanos no Brasil e informado por São Camillo de Lellis das queixas no atendimento de pacientes pelo SUS, Jesus Cristo resolveu voltar à terra... e decidiu vir vestido de Médico! Procurou um lugar para descer e escolheu no subúrbio do Rio de Janeiro, um Posto de Saúde do Sistema SUS. Viu um médico trabalhando há muitas horas e morrendo de cansaço. Jesus então entrou de jaleco, passando pela fila de pacientes no corredor, até atingir o Consultório médico. Os pacientes viram e falaram: - Olha aí, vai trocar o Plantão... Jesus Cristo entrou na sala e falou para o colega que ele podia ir, que ele ia tocar o ambulatório dali por diante. E, todo resoluto, gritou. - O PRÓXIMO... Entrou no consultório um homem paraplégico em sua cadeira de rodas. Jesus Cristo levantou-se, olhou bem para o aleijado, e com a palma da mão direita sobre sua cabeça disse: - LEVANTA-TE E ANDA! O homem levantou-se, andou e saiu do consultório empurrando a própria cadeira de rodas. Quando chegou ao corredor, o próximo da fila perguntou: - E aí, como é esse Doutor novo? Ele respondeu: Igualzinho aos outros... Nem examina a gente... E PARA TERMINAR... Internet NR: Em julho de 2005, um assessor do então deputado estadual José Nobre Guimarães (PT/CE) foi preso no aeroporto em São Paulo pela Polícia Federal, com US$ 100 mil e R$ 200 mil escondidos na cueca e na mala. O nobre deputado é irmão de José Genuíno (PT/SP) e foi eleito deputado federal. Essa cueca do PT permanecerá pendurada até o caso ser investigado e os corruPTos julgados, condenados e presos. Será enquadrado no FICHA SUJA? Frase irretocável “A diferença entre o Brasil de hoje e o Velho Oeste Americano é que lá quem usava estrela no peito era o mocinho...” EXPEDIENTE Editor/Redator: Coronel Carlos Claudio Miguez Jornalista Responsável: 17646/MG Telefax: (31) 3344-1500 - E-mail: jornal@jornalinconfidencia.com.br Rua Xingu, 497 - Alto Santa Lúcia - CEP 30360-690 - Belo Horizonte - MG Circulação Dirigida Impressão: Sempre Serviços Gráficos Ltda Fora DILMA! Envelopamento autorizado Pode ser aberto pela ECT CNPJ: 11.843.412/0001-00 Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.